SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 38
II Seminário de Avaliação de políticas Públicas e Qualidade do Gasto “ A importância da avaliação  ex ante para identificação e desenho de programas sociais” Apresentação Ana Paula Vitali Janes Vescovi Porto Alegre, setembro de 2009
Programa para a juventude  no Espírito Santo: Apresentação Ana Paula Vitali Janes Vescovi Porto Alegre, setembro de 2009 Diagnóstico, desenho e impactos esperados
Estratégia de Desenvolvimento do Espírito Santo no Horizonte 2006 - 2025
DIAGNÓSTICO Evolução dos indicadores de pobreza - Espírito Santo (2001-2005)                       Pobreza Extrema pobreza                       Indicadores 2001 2002 2003 2004 2005 2001 2002 2003 2004 2005 Porcentagem  de pobres 28,1 23,8 25,2 21,5 19,1 9,72 7,31 7,76 5,26 5,93 Número de pessoas pobres (em milhares) 870 770 810 710 640 300 240 250 170 200 Distancia média da renda dos pobres até a linha de pobreza (em R$ por pessoa por mês)¹ 52,8 48,2 50,8 46,7 51,2 28,5 27,8 31,2 29,1 26,9 Renda média dos pobres (em R$ por pessoa por mês)¹ 74,4 79,1 76,5 80,8 76,4 35,1 35,9 32,5 34,6 36,9 Linha de pobreza (em R$ por mês)¹ 128 128 128 128 128 63,7 63,7 63,7 63,7 63,8 Relação entre a renda média e a linha de pobreza 3,63 3,89 3,52 3,81 4,03 7,27 7,79 7,06 7,64 8,06 Volume anual de recursos necessários para erradicar a pobreza (em milhões de R$)¹ 550 440 490 400 400 100 80 90 60 60 Recursos necessários para erradicar a pobreza como porcentagem da renda das famílias 3,21 2,32 2,84 2,06 1,90 0,60 0,41 0,54 0,31 0,31 Recursos necessários para erradicar a pobreza como porcentagem da renda das famílias não pobres 3,36 2,41 2,97 2,13 1,95 0,60 0,41 0,54 0,32 0,31 Recursos necessários para erradicar a pobreza como porcentagem da renda superior à linha de pobreza das famílias não pobres 4,24 3,02 3,82 2,71 2,46 0,69 0,47 0,62 0,36 0,35 Fonte: Estimativas produzidas com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 1981 a 2005, porém nos anos 1991, 1994 e 2000 a PNAD não foi a campo. Nota: 1. Valores expressos em R$ de setembro de 2005.   2. Foi utilizada a linha de pobreza média regional.  
1. Maior incidência da pobreza entre crianças, adolescentes e jovens DIAGNÓSTICO
DIAGNÓSTICO
DIAGNÓSTICO
2. Elevado percentual de jovens pobres que não trabalha e nem estuda DIAGNÓSTICO
DIAGNÓSTICO
DIAGNÓSTICO
DIAGNÓSTICO
3. Alta correlação entre a desocupação de jovens do sexo feminino e gravidez na adolescência DIAGNÓSTICO
DIAGNÓSTICO
4. Alta correlação entre a desocupação de jovens do sexo masculino e criminalidade DIAGNÓSTICO
DIAGNÓSTICO
5. Queda acentuada da frequência escolar de jovens entre 15 e 20 anos DIAGNÓSTICO
Fonte: PNAD 2005 / IETS DIAGNÓSTICO
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],DESENHO
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],DESENHO
DIAGNÓSTICO Desempenho educacional dos jovens capixabas por idade - 2005  0.0 0.1 0.2 0.3 0.4 0.5 0.6 0.7 0.8 0.9 1.0 15 16 17 18 19 20 Proporção de jovens Abandonou o fundamental  Frequenta o fundamental Abandonou o médio Frequenta o médio Terminou o médio
DIAGNÓSTICO Desempenho educacional dos jovens capixabas pobres por idade - 2005  0.0 0.1 0.2 0.3 0.4 0.5 0.6 0.7 0.8 0.9 1.0 15 16 17 18 19 20 Proporção de jovens Abandonou o fundamental  Frequenta o fundamental Abandonou o médio Frequenta o médio Terminou o médio
DIAGNÓSTICO
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],DESENHO
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],DESENHO
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],DESENHO
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],DESENHO
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],DESENHO
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],DESENHO
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Impactos Esperados
Impactos Esperados Número de jovens atendidos em cenários alternativos para o Programa no Espírito Santo                     Cenários   Todos da população alvo participam      Participam só os que frequentam escola Benefício Mensal   50 40     50 40 Beneficiários do Bolsa Família         Região metropolitana       15 - 17   6,58 6,58     6,58 6,58 15 - 20   10,8 10,8     8,46 8,46 18 - 20   4,2 4,2 1,9 1,9 Estado       15 - 17   20,7 20,7     17,9 17,9 15 - 20   32,4 32,4     23,0 23,0 18 - 20   11,7 11,7 5,2 5,2 Fonte: Estimativas produzidas com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2004 Nota:  1) Estão inclusos na Região Metropolitana os seguintes municípios: Vitoria, Vila Velha, Serra e Cariacica 2) A focalização perfeita é obtida pela inclusão no programa do mesmo número de jovens que seriam atendidos caso o cadastro único fosse utilizado. A diferença é que neste caso, os jovens são os mais pobres.
Impactos Esperados Custo de cenários alternativos para o Programa no Espírito Santo             (em milhares de reais por ano) Cenários   Todos da população alvo participam    Participam os que frequentam escola e metade dos que não frequentam   Participam só os que frequentam escola Benefício Mensal   50 40   50 40   50 40 Beneficiários do Bolsa Família         Região metropolitana       15 - 17   3.947 3.157   3.947 3.157   3.947 3.157 15 - 20   6.484 5.187   5.638 4.511   5.074 4.060 Estado       15 - 17   12.405 9.924   11.277 9.022   10.713 8.570 15 - 20   19.453 15.562   16.352 13.081   13.814 11.051 Fonte: Estimativas produzidas com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2004 Nota:  1) Estão inclusos na Região Metropolitana os seguintes municípios: Vitoria, Vila Velha, Serra e Cariacica 2) A focalização perfeita é obtida pela inclusão no programa do mesmo número de jovens que seriam atendidos caso o cadastro único fosse utilizado. A diferença é que neste caso, os jovens são os mais pobres.
Impactos Esperados Impacto de cenários alternativos do programa no Espírito Santo sobre a insuficiência agregada de renda dos pobres             (em pontos percentuais) Cenários   Todos da população alvo participam    Participam os que frequentam escola e metade dos que não frequentam   Participam só os que frequentam escola Benefício Mensal   50 40   50 40   50 40 Beneficiários do Bolsa Família         Região metropolitana       15 - 17   0,11 0,09   0,11 0,09   0,11 0,09 15 - 20   0,15 0,12   0,13 0,11   0,12 0,10 Estado       15 - 17   0,12 0,10   0,11 0,09   0,10 0,08 15 - 20   0,15 0,12   0,13 0,10   0,11 0,09 Focalização perfeita       Região metropolitana       15 - 17   0,19 0,15   0,17 0,14   0,16 0,13 15 - 20   0,30 0,24   0,26 0,21   0,22 0,18 Estado       15 - 17   0,22 0,18   0,20 0,16   0,17 0,14     15 - 20   0,32 0,26   0,27 0,22   0,22 0,18 Fonte: Estimativas produzidas com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2004 Nota:  1) Estão inclusos na Região Metropolitana os seguintes municípios: Vitoria, Vila Velha, Serra e Cariacica 2) A focalização perfeita é obtida pela inclusão no programa do mesmo número de jovens que seriam atendidos caso o cadastro único fosse utilizado. A diferença é que neste caso, os jovens são os mais pobres.
Impactos Esperados Impacto de cenários alternativos do programa no Espírito Santo sobre a porcentagem de pobres             (em pontos percentuais) Cenários   Todos da população alvo participam    Participam os que frequentam escola e metade dos que não frequentam   Participam só os que frequentam escola Benefício Mensal   50 40   50 40   50 40 Beneficiários do Bolsa Família         Região metropolitana       15 - 17   0,00 0,00   0,00 0,00   0,00 0,00 15 - 20   0,00 0,00   0,00 0,00   0,00 0,00 Estado       15 - 17   0,17 0,09   0,09 0,00   0,00 0,00 15 - 20   0,24 0,16   0,16 0,07   0,00 0,00 Focalização perfeita       Região metropolitana       15 - 17   0,00 0,00   0,00 0,00   0,00 0,00 15 - 20   0,23 0,23   0,13 0,13   0,13 0,13 Estado       15 - 17   0,30 0,21   0,21 0,13   0,13 0,13     15 - 20   0,60 0,44   0,44 0,37   0,29 0,21 Fonte: Estimativas produzidas com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2004 Nota:  1) Estão inclusos na Região Metropolitana os seguintes municípios: Vitoria, Vila Velha, Serra e Cariacica 2) A folcalização perfeita é obtida pela inclusão no programa do mesmo número de jovens que seriam atendidos caso o cadastro único fosse utilizado. A diferença é que neste caso, os jovens são os mais pobres.
Impactos Esperados Impacto de cenários alternativos do programa no Espírito Santo sobre a desigualdade de renda (Coeficiente de Gini)             (em pontos percentuais) Cenários   Todos da população alvo participam    Participam os que frequentam escola e metade dos que não frequentam   Participam só os que frequentam escola Benefício Mensal   50 40   50 40   50 40 Beneficiários do Bolsa Família         Região metropolitana       15 - 17   0,05 0,04   0,05 0,04   0,05 0,04 15 - 20   0,08 0,06   0,07 0,05   0,06 0,05 Estado       15 - 17   0,08 0,06   0,07 0,06   0,06 0,05 15 - 20   0,11 0,09   0,10 0,08   0,08 0,07 Focalização perfeita       Região metropolitana       15 - 17   0,06 0,05   0,06 0,05   0,05 0,04 15 - 20   0,10 0,08   0,09 0,07   0,07 0,06 Estado       15 - 17   0,10 0,08   0,09 0,07   0,07 0,06     15 - 20   0,15 0,12   0,13 0,10   0,10 0,08 Fonte: Estimativas produzidas com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2004 Nota:  1) Estão inclusos na Região Metropolitana os seguintes municípios: Vitoria, Vila Velha, Serra e Cariacica 2) A focalização perfeita é obtida pela inclusão no programa do mesmo número de jovens que seriam atendidos caso o cadastro único fosse utilizado. A diferença é que neste caso, os jovens são os mais pobres.
[object Object],Impactos Esperados
Impactos Esperados
Impactos Esperados
Obrigada!

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Grupo 8
Grupo 8Grupo 8
Grupo 8Nticx
 
Presentacion
PresentacionPresentacion
Presentacionqueti
 
Investigación 3
Investigación 3Investigación 3
Investigación 3llap
 
A ProclamaçãO Da Republica 3n4
A ProclamaçãO Da Republica  3n4A ProclamaçãO Da Republica  3n4
A ProclamaçãO Da Republica 3n4guestef7fd3
 
Servicios y herramientas de la web
Servicios y herramientas de la webServicios y herramientas de la web
Servicios y herramientas de la webNticx
 
Esquema de integración de nntt a la educación.
Esquema de integración de nntt a la educación.Esquema de integración de nntt a la educación.
Esquema de integración de nntt a la educación.juan carlos ashqui
 
Seguridad de la información
Seguridad de la informaciónSeguridad de la información
Seguridad de la informacióncristina
 
Presentacion inv3 comercio e
Presentacion inv3 comercio ePresentacion inv3 comercio e
Presentacion inv3 comercio eestuardogh
 
Firewall.[1]
Firewall.[1]Firewall.[1]
Firewall.[1]jomar
 
Preparando el Rincón de Florencio
Preparando el Rincón de FlorencioPreparando el Rincón de Florencio
Preparando el Rincón de FlorencioColegio Nº 759
 
Portfolio Live It
Portfolio Live ItPortfolio Live It
Portfolio Live Itsechaus
 
Sistemas de numeración
Sistemas de numeraciónSistemas de numeración
Sistemas de numeraciónJDDGB
 

Destaque (20)

Grupo 8
Grupo 8Grupo 8
Grupo 8
 
Simetria romina llabres
Simetria romina llabresSimetria romina llabres
Simetria romina llabres
 
Ded
DedDed
Ded
 
Presentacion
PresentacionPresentacion
Presentacion
 
Its name is XML. VoiceXML
Its name is XML. VoiceXMLIts name is XML. VoiceXML
Its name is XML. VoiceXML
 
Investigación 3
Investigación 3Investigación 3
Investigación 3
 
Fotos 2
Fotos 2Fotos 2
Fotos 2
 
A ProclamaçãO Da Republica 3n4
A ProclamaçãO Da Republica  3n4A ProclamaçãO Da Republica  3n4
A ProclamaçãO Da Republica 3n4
 
TI para o CxO
TI para o CxOTI para o CxO
TI para o CxO
 
Servicios y herramientas de la web
Servicios y herramientas de la webServicios y herramientas de la web
Servicios y herramientas de la web
 
Esquema de integración de nntt a la educación.
Esquema de integración de nntt a la educación.Esquema de integración de nntt a la educación.
Esquema de integración de nntt a la educación.
 
RES_REVINF_U2.
RES_REVINF_U2.RES_REVINF_U2.
RES_REVINF_U2.
 
Seguridad de la información
Seguridad de la informaciónSeguridad de la información
Seguridad de la información
 
Presentacion inv3 comercio e
Presentacion inv3 comercio ePresentacion inv3 comercio e
Presentacion inv3 comercio e
 
Firewall.[1]
Firewall.[1]Firewall.[1]
Firewall.[1]
 
Preparando el Rincón de Florencio
Preparando el Rincón de FlorencioPreparando el Rincón de Florencio
Preparando el Rincón de Florencio
 
Portfolio Live It
Portfolio Live ItPortfolio Live It
Portfolio Live It
 
Cap.11.ISO27001
Cap.11.ISO27001Cap.11.ISO27001
Cap.11.ISO27001
 
Liderança - RH
Liderança - RHLiderança - RH
Liderança - RH
 
Sistemas de numeración
Sistemas de numeraciónSistemas de numeración
Sistemas de numeración
 

Semelhante a A importância da avaliação ex ante para identificação e desenho de programas sociais

Intermediação integrada bnb
Intermediação integrada bnbIntermediação integrada bnb
Intermediação integrada bnbMARIA ODETE ALVES
 
Plano Brasil Sem Miséria - Resultados 2011/2014
Plano Brasil Sem Miséria - Resultados 2011/2014Plano Brasil Sem Miséria - Resultados 2011/2014
Plano Brasil Sem Miséria - Resultados 2011/2014Palácio do Planalto
 
Apresentação cartão 2013 daniel
Apresentação cartão 2013 danielApresentação cartão 2013 daniel
Apresentação cartão 2013 danieljonasbonfante
 
Incluir programa capixaba de redução da pobreza
Incluir   programa capixaba de redução da pobrezaIncluir   programa capixaba de redução da pobreza
Incluir programa capixaba de redução da pobrezaPrograma Incluir ES
 
Incluir - Programa Capixaba de Redução da Pobreza
Incluir - Programa Capixaba de Redução da PobrezaIncluir - Programa Capixaba de Redução da Pobreza
Incluir - Programa Capixaba de Redução da PobrezaPrograma Incluir ES
 
Oficina de elaboração de projetos para captação de
Oficina de elaboração de projetos para captação deOficina de elaboração de projetos para captação de
Oficina de elaboração de projetos para captação deMarcelo Area Leao
 
Apresentação coegemas 22 08-2013
Apresentação coegemas 22 08-2013 Apresentação coegemas 22 08-2013
Apresentação coegemas 22 08-2013 Pedro Ponto Ponto
 
Minas Gerais e os Objetivos do Milênio - Ronaldo Pedron
Minas Gerais e os Objetivos do Milênio - Ronaldo PedronMinas Gerais e os Objetivos do Milênio - Ronaldo Pedron
Minas Gerais e os Objetivos do Milênio - Ronaldo Pedronforumsustentar
 
Pro jovem Adolescente - Apresentação do Programa
Pro jovem Adolescente - Apresentação do ProgramaPro jovem Adolescente - Apresentação do Programa
Pro jovem Adolescente - Apresentação do ProgramaAdilson P Motta Motta
 
Incluir - Programa Capixaba de Redução da Pobreza
Incluir - Programa Capixaba de Redução da PobrezaIncluir - Programa Capixaba de Redução da Pobreza
Incluir - Programa Capixaba de Redução da PobrezaDanilo Simões
 
Educacao-Ja-Municipios-Apresentacao-Resumo-Todos-Pela-Educacao_out2020.pdf
Educacao-Ja-Municipios-Apresentacao-Resumo-Todos-Pela-Educacao_out2020.pdfEducacao-Ja-Municipios-Apresentacao-Resumo-Todos-Pela-Educacao_out2020.pdf
Educacao-Ja-Municipios-Apresentacao-Resumo-Todos-Pela-Educacao_out2020.pdfkhasirsayid
 
Educacao-Ja-Municipios-Apresentacao-Resumo-Todos-Pela-Educacao_out2020.pdf
Educacao-Ja-Municipios-Apresentacao-Resumo-Todos-Pela-Educacao_out2020.pdfEducacao-Ja-Municipios-Apresentacao-Resumo-Todos-Pela-Educacao_out2020.pdf
Educacao-Ja-Municipios-Apresentacao-Resumo-Todos-Pela-Educacao_out2020.pdfmarcasinigo
 
20170714 DW Debate:População e Desenvolvimento na SADC: Um olhar Específico p...
20170714 DW Debate:População e Desenvolvimento na SADC: Um olhar Específico p...20170714 DW Debate:População e Desenvolvimento na SADC: Um olhar Específico p...
20170714 DW Debate:População e Desenvolvimento na SADC: Um olhar Específico p...Development Workshop Angola
 
Os impactos da atual recessão na mobilidade de renda dos domicílios gaúchos
Os impactos da atual recessão na mobilidade de renda dos domicílios gaúchosOs impactos da atual recessão na mobilidade de renda dos domicílios gaúchos
Os impactos da atual recessão na mobilidade de renda dos domicílios gaúchosFundação de Economia e Estatística
 

Semelhante a A importância da avaliação ex ante para identificação e desenho de programas sociais (20)

Intermediação integrada bnb
Intermediação integrada bnbIntermediação integrada bnb
Intermediação integrada bnb
 
Plano Brasil Sem Miséria - Resultados 2011/2014
Plano Brasil Sem Miséria - Resultados 2011/2014Plano Brasil Sem Miséria - Resultados 2011/2014
Plano Brasil Sem Miséria - Resultados 2011/2014
 
Apresentação cartão 2013 daniel
Apresentação cartão 2013 danielApresentação cartão 2013 daniel
Apresentação cartão 2013 daniel
 
Incluir programa capixaba de redução da pobreza
Incluir   programa capixaba de redução da pobrezaIncluir   programa capixaba de redução da pobreza
Incluir programa capixaba de redução da pobreza
 
Incluir - Programa Capixaba de Redução da Pobreza
Incluir - Programa Capixaba de Redução da PobrezaIncluir - Programa Capixaba de Redução da Pobreza
Incluir - Programa Capixaba de Redução da Pobreza
 
Oficina de elaboração de projetos para captação de
Oficina de elaboração de projetos para captação deOficina de elaboração de projetos para captação de
Oficina de elaboração de projetos para captação de
 
Apresentação de uma política de desenvolvimento integral para a primeira infâ...
Apresentação de uma política de desenvolvimento integral para a primeira infâ...Apresentação de uma política de desenvolvimento integral para a primeira infâ...
Apresentação de uma política de desenvolvimento integral para a primeira infâ...
 
Apresentação coegemas 22 08-2013
Apresentação coegemas 22 08-2013 Apresentação coegemas 22 08-2013
Apresentação coegemas 22 08-2013
 
Bolsa família graficos
Bolsa família graficosBolsa família graficos
Bolsa família graficos
 
O Bolsa Família e a Economia
O Bolsa Família e a EconomiaO Bolsa Família e a Economia
O Bolsa Família e a Economia
 
O Bolsa Família e a Economia - Olhar sobre objetivos finais
O Bolsa Família e a Economia - Olhar sobre objetivos finaisO Bolsa Família e a Economia - Olhar sobre objetivos finais
O Bolsa Família e a Economia - Olhar sobre objetivos finais
 
Minas Gerais e os Objetivos do Milênio - Ronaldo Pedron
Minas Gerais e os Objetivos do Milênio - Ronaldo PedronMinas Gerais e os Objetivos do Milênio - Ronaldo Pedron
Minas Gerais e os Objetivos do Milênio - Ronaldo Pedron
 
Gov lula
Gov lulaGov lula
Gov lula
 
Pro jovem Adolescente - Apresentação do Programa
Pro jovem Adolescente - Apresentação do ProgramaPro jovem Adolescente - Apresentação do Programa
Pro jovem Adolescente - Apresentação do Programa
 
Incluir - Programa Capixaba de Redução da Pobreza
Incluir - Programa Capixaba de Redução da PobrezaIncluir - Programa Capixaba de Redução da Pobreza
Incluir - Programa Capixaba de Redução da Pobreza
 
Relatório Nacional de Acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio
Relatório Nacional de Acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento do MilênioRelatório Nacional de Acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio
Relatório Nacional de Acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio
 
Educacao-Ja-Municipios-Apresentacao-Resumo-Todos-Pela-Educacao_out2020.pdf
Educacao-Ja-Municipios-Apresentacao-Resumo-Todos-Pela-Educacao_out2020.pdfEducacao-Ja-Municipios-Apresentacao-Resumo-Todos-Pela-Educacao_out2020.pdf
Educacao-Ja-Municipios-Apresentacao-Resumo-Todos-Pela-Educacao_out2020.pdf
 
Educacao-Ja-Municipios-Apresentacao-Resumo-Todos-Pela-Educacao_out2020.pdf
Educacao-Ja-Municipios-Apresentacao-Resumo-Todos-Pela-Educacao_out2020.pdfEducacao-Ja-Municipios-Apresentacao-Resumo-Todos-Pela-Educacao_out2020.pdf
Educacao-Ja-Municipios-Apresentacao-Resumo-Todos-Pela-Educacao_out2020.pdf
 
20170714 DW Debate:População e Desenvolvimento na SADC: Um olhar Específico p...
20170714 DW Debate:População e Desenvolvimento na SADC: Um olhar Específico p...20170714 DW Debate:População e Desenvolvimento na SADC: Um olhar Específico p...
20170714 DW Debate:População e Desenvolvimento na SADC: Um olhar Específico p...
 
Os impactos da atual recessão na mobilidade de renda dos domicílios gaúchos
Os impactos da atual recessão na mobilidade de renda dos domicílios gaúchosOs impactos da atual recessão na mobilidade de renda dos domicílios gaúchos
Os impactos da atual recessão na mobilidade de renda dos domicílios gaúchos
 

Mais de Fundação de Economia e Estatística

Evolução estrutural da indústria de transformação do RS — 2007-15
Evolução estrutural da indústria de transformação do RS — 2007-15Evolução estrutural da indústria de transformação do RS — 2007-15
Evolução estrutural da indústria de transformação do RS — 2007-15Fundação de Economia e Estatística
 
Condições do mercado de trabalho foram mais severas para as mulheres em 2017
Condições do mercado de trabalho foram mais severas para as mulheres em 2017Condições do mercado de trabalho foram mais severas para as mulheres em 2017
Condições do mercado de trabalho foram mais severas para as mulheres em 2017Fundação de Economia e Estatística
 
Desempenho do mercado de trabalho da Região Metropolitana de Porto Alegre e...
Desempenho do mercado de trabalho  da Região Metropolitana de  Porto Alegre e...Desempenho do mercado de trabalho  da Região Metropolitana de  Porto Alegre e...
Desempenho do mercado de trabalho da Região Metropolitana de Porto Alegre e...Fundação de Economia e Estatística
 
A economia do RS no atual ciclo recessivo: já chegamos ao fundo do poço? - Je...
A economia do RS no atual ciclo recessivo: já chegamos ao fundo do poço? - Je...A economia do RS no atual ciclo recessivo: já chegamos ao fundo do poço? - Je...
A economia do RS no atual ciclo recessivo: já chegamos ao fundo do poço? - Je...Fundação de Economia e Estatística
 
O Rio Grande do Sul no cenário nacional: há perda de dinamismo? - Cecília Hoff
O Rio Grande do Sul no cenário nacional: há perda de dinamismo? - Cecília HoffO Rio Grande do Sul no cenário nacional: há perda de dinamismo? - Cecília Hoff
O Rio Grande do Sul no cenário nacional: há perda de dinamismo? - Cecília HoffFundação de Economia e Estatística
 

Mais de Fundação de Economia e Estatística (20)

Idese 2015
Idese 2015Idese 2015
Idese 2015
 
O significado da retomada do crescimento em 2017
O significado da retomada do crescimento em 2017O significado da retomada do crescimento em 2017
O significado da retomada do crescimento em 2017
 
Evolução estrutural da indústria de transformação do RS — 2007-15
Evolução estrutural da indústria de transformação do RS — 2007-15Evolução estrutural da indústria de transformação do RS — 2007-15
Evolução estrutural da indústria de transformação do RS — 2007-15
 
Condições do mercado de trabalho foram mais severas para as mulheres em 2017
Condições do mercado de trabalho foram mais severas para as mulheres em 2017Condições do mercado de trabalho foram mais severas para as mulheres em 2017
Condições do mercado de trabalho foram mais severas para as mulheres em 2017
 
Desempenho do mercado de trabalho da Região Metropolitana de Porto Alegre e...
Desempenho do mercado de trabalho  da Região Metropolitana de  Porto Alegre e...Desempenho do mercado de trabalho  da Região Metropolitana de  Porto Alegre e...
Desempenho do mercado de trabalho da Região Metropolitana de Porto Alegre e...
 
Expectativas inflacionárias e política monetária
Expectativas inflacionárias e política monetáriaExpectativas inflacionárias e política monetária
Expectativas inflacionárias e política monetária
 
Taxa de desistência no ensino superior gaúcho atinge 64,1%
Taxa de desistência no ensino superior gaúcho atinge 64,1%Taxa de desistência no ensino superior gaúcho atinge 64,1%
Taxa de desistência no ensino superior gaúcho atinge 64,1%
 
Estimativas para a população flutuante do Litoral Norte do RS
Estimativas para a população flutuante do Litoral Norte do RSEstimativas para a população flutuante do Litoral Norte do RS
Estimativas para a população flutuante do Litoral Norte do RS
 
Desaceleração cíclica ou estrutural no comércio mundial?
Desaceleração cíclica ou estrutural no comércio mundial?Desaceleração cíclica ou estrutural no comércio mundial?
Desaceleração cíclica ou estrutural no comércio mundial?
 
PIB dos municípios do RS em 2015
PIB dos municípios do RS em 2015PIB dos municípios do RS em 2015
PIB dos municípios do RS em 2015
 
PIB TRIMESTRAL DO RS 3.° trim./2017
PIB TRIMESTRAL DO RS 3.° trim./2017PIB TRIMESTRAL DO RS 3.° trim./2017
PIB TRIMESTRAL DO RS 3.° trim./2017
 
Informe PED-RMPA (Novembro/2017)
Informe PED-RMPA (Novembro/2017)Informe PED-RMPA (Novembro/2017)
Informe PED-RMPA (Novembro/2017)
 
Mercado formal de trabalho do RS estagna após forte retração
Mercado formal de trabalho do RS estagna após forte retraçãoMercado formal de trabalho do RS estagna após forte retração
Mercado formal de trabalho do RS estagna após forte retração
 
PIB Trimestral do RS 2º trimestre 2017
PIB Trimestral do RS 2º trimestre 2017PIB Trimestral do RS 2º trimestre 2017
PIB Trimestral do RS 2º trimestre 2017
 
Elevação do nível ocupacional reduz a taxa de desemprego
Elevação do nível ocupacional reduz a taxa de desempregoElevação do nível ocupacional reduz a taxa de desemprego
Elevação do nível ocupacional reduz a taxa de desemprego
 
FEDERALISMO E A QUESTÃO REGIONAL DO RS - Tomás Fiori
FEDERALISMO E A QUESTÃO  REGIONAL DO RS - Tomás FioriFEDERALISMO E A QUESTÃO  REGIONAL DO RS - Tomás Fiori
FEDERALISMO E A QUESTÃO REGIONAL DO RS - Tomás Fiori
 
A economia do RS no atual ciclo recessivo: já chegamos ao fundo do poço? - Je...
A economia do RS no atual ciclo recessivo: já chegamos ao fundo do poço? - Je...A economia do RS no atual ciclo recessivo: já chegamos ao fundo do poço? - Je...
A economia do RS no atual ciclo recessivo: já chegamos ao fundo do poço? - Je...
 
O Rio Grande do Sul no cenário nacional: há perda de dinamismo? - Cecília Hoff
O Rio Grande do Sul no cenário nacional: há perda de dinamismo? - Cecília HoffO Rio Grande do Sul no cenário nacional: há perda de dinamismo? - Cecília Hoff
O Rio Grande do Sul no cenário nacional: há perda de dinamismo? - Cecília Hoff
 
Principais atividades no Valor Adicionado dos municípios do RS
Principais atividades no Valor Adicionado dos municípios do RSPrincipais atividades no Valor Adicionado dos municípios do RS
Principais atividades no Valor Adicionado dos municípios do RS
 
As barreiras e os novos desafios para inovar
As barreiras e os novos desafios para inovarAs barreiras e os novos desafios para inovar
As barreiras e os novos desafios para inovar
 

A importância da avaliação ex ante para identificação e desenho de programas sociais

  • 1. II Seminário de Avaliação de políticas Públicas e Qualidade do Gasto “ A importância da avaliação ex ante para identificação e desenho de programas sociais” Apresentação Ana Paula Vitali Janes Vescovi Porto Alegre, setembro de 2009
  • 2. Programa para a juventude no Espírito Santo: Apresentação Ana Paula Vitali Janes Vescovi Porto Alegre, setembro de 2009 Diagnóstico, desenho e impactos esperados
  • 3. Estratégia de Desenvolvimento do Espírito Santo no Horizonte 2006 - 2025
  • 4. DIAGNÓSTICO Evolução dos indicadores de pobreza - Espírito Santo (2001-2005)                       Pobreza Extrema pobreza                       Indicadores 2001 2002 2003 2004 2005 2001 2002 2003 2004 2005 Porcentagem de pobres 28,1 23,8 25,2 21,5 19,1 9,72 7,31 7,76 5,26 5,93 Número de pessoas pobres (em milhares) 870 770 810 710 640 300 240 250 170 200 Distancia média da renda dos pobres até a linha de pobreza (em R$ por pessoa por mês)¹ 52,8 48,2 50,8 46,7 51,2 28,5 27,8 31,2 29,1 26,9 Renda média dos pobres (em R$ por pessoa por mês)¹ 74,4 79,1 76,5 80,8 76,4 35,1 35,9 32,5 34,6 36,9 Linha de pobreza (em R$ por mês)¹ 128 128 128 128 128 63,7 63,7 63,7 63,7 63,8 Relação entre a renda média e a linha de pobreza 3,63 3,89 3,52 3,81 4,03 7,27 7,79 7,06 7,64 8,06 Volume anual de recursos necessários para erradicar a pobreza (em milhões de R$)¹ 550 440 490 400 400 100 80 90 60 60 Recursos necessários para erradicar a pobreza como porcentagem da renda das famílias 3,21 2,32 2,84 2,06 1,90 0,60 0,41 0,54 0,31 0,31 Recursos necessários para erradicar a pobreza como porcentagem da renda das famílias não pobres 3,36 2,41 2,97 2,13 1,95 0,60 0,41 0,54 0,32 0,31 Recursos necessários para erradicar a pobreza como porcentagem da renda superior à linha de pobreza das famílias não pobres 4,24 3,02 3,82 2,71 2,46 0,69 0,47 0,62 0,36 0,35 Fonte: Estimativas produzidas com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 1981 a 2005, porém nos anos 1991, 1994 e 2000 a PNAD não foi a campo. Nota: 1. Valores expressos em R$ de setembro de 2005.   2. Foi utilizada a linha de pobreza média regional.  
  • 5. 1. Maior incidência da pobreza entre crianças, adolescentes e jovens DIAGNÓSTICO
  • 8. 2. Elevado percentual de jovens pobres que não trabalha e nem estuda DIAGNÓSTICO
  • 12. 3. Alta correlação entre a desocupação de jovens do sexo feminino e gravidez na adolescência DIAGNÓSTICO
  • 14. 4. Alta correlação entre a desocupação de jovens do sexo masculino e criminalidade DIAGNÓSTICO
  • 16. 5. Queda acentuada da frequência escolar de jovens entre 15 e 20 anos DIAGNÓSTICO
  • 17. Fonte: PNAD 2005 / IETS DIAGNÓSTICO
  • 18.
  • 19.
  • 20. DIAGNÓSTICO Desempenho educacional dos jovens capixabas por idade - 2005 0.0 0.1 0.2 0.3 0.4 0.5 0.6 0.7 0.8 0.9 1.0 15 16 17 18 19 20 Proporção de jovens Abandonou o fundamental Frequenta o fundamental Abandonou o médio Frequenta o médio Terminou o médio
  • 21. DIAGNÓSTICO Desempenho educacional dos jovens capixabas pobres por idade - 2005 0.0 0.1 0.2 0.3 0.4 0.5 0.6 0.7 0.8 0.9 1.0 15 16 17 18 19 20 Proporção de jovens Abandonou o fundamental Frequenta o fundamental Abandonou o médio Frequenta o médio Terminou o médio
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26.
  • 27.
  • 28.
  • 29.
  • 30. Impactos Esperados Número de jovens atendidos em cenários alternativos para o Programa no Espírito Santo                     Cenários   Todos da população alvo participam     Participam só os que frequentam escola Benefício Mensal   50 40     50 40 Beneficiários do Bolsa Família         Região metropolitana       15 - 17   6,58 6,58     6,58 6,58 15 - 20   10,8 10,8     8,46 8,46 18 - 20   4,2 4,2 1,9 1,9 Estado       15 - 17   20,7 20,7     17,9 17,9 15 - 20   32,4 32,4     23,0 23,0 18 - 20   11,7 11,7 5,2 5,2 Fonte: Estimativas produzidas com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2004 Nota: 1) Estão inclusos na Região Metropolitana os seguintes municípios: Vitoria, Vila Velha, Serra e Cariacica 2) A focalização perfeita é obtida pela inclusão no programa do mesmo número de jovens que seriam atendidos caso o cadastro único fosse utilizado. A diferença é que neste caso, os jovens são os mais pobres.
  • 31. Impactos Esperados Custo de cenários alternativos para o Programa no Espírito Santo             (em milhares de reais por ano) Cenários   Todos da população alvo participam   Participam os que frequentam escola e metade dos que não frequentam   Participam só os que frequentam escola Benefício Mensal   50 40   50 40   50 40 Beneficiários do Bolsa Família         Região metropolitana       15 - 17   3.947 3.157   3.947 3.157   3.947 3.157 15 - 20   6.484 5.187   5.638 4.511   5.074 4.060 Estado       15 - 17   12.405 9.924   11.277 9.022   10.713 8.570 15 - 20   19.453 15.562   16.352 13.081   13.814 11.051 Fonte: Estimativas produzidas com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2004 Nota: 1) Estão inclusos na Região Metropolitana os seguintes municípios: Vitoria, Vila Velha, Serra e Cariacica 2) A focalização perfeita é obtida pela inclusão no programa do mesmo número de jovens que seriam atendidos caso o cadastro único fosse utilizado. A diferença é que neste caso, os jovens são os mais pobres.
  • 32. Impactos Esperados Impacto de cenários alternativos do programa no Espírito Santo sobre a insuficiência agregada de renda dos pobres             (em pontos percentuais) Cenários   Todos da população alvo participam   Participam os que frequentam escola e metade dos que não frequentam   Participam só os que frequentam escola Benefício Mensal   50 40   50 40   50 40 Beneficiários do Bolsa Família         Região metropolitana       15 - 17   0,11 0,09   0,11 0,09   0,11 0,09 15 - 20   0,15 0,12   0,13 0,11   0,12 0,10 Estado       15 - 17   0,12 0,10   0,11 0,09   0,10 0,08 15 - 20   0,15 0,12   0,13 0,10   0,11 0,09 Focalização perfeita       Região metropolitana       15 - 17   0,19 0,15   0,17 0,14   0,16 0,13 15 - 20   0,30 0,24   0,26 0,21   0,22 0,18 Estado       15 - 17   0,22 0,18   0,20 0,16   0,17 0,14     15 - 20   0,32 0,26   0,27 0,22   0,22 0,18 Fonte: Estimativas produzidas com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2004 Nota: 1) Estão inclusos na Região Metropolitana os seguintes municípios: Vitoria, Vila Velha, Serra e Cariacica 2) A focalização perfeita é obtida pela inclusão no programa do mesmo número de jovens que seriam atendidos caso o cadastro único fosse utilizado. A diferença é que neste caso, os jovens são os mais pobres.
  • 33. Impactos Esperados Impacto de cenários alternativos do programa no Espírito Santo sobre a porcentagem de pobres             (em pontos percentuais) Cenários   Todos da população alvo participam   Participam os que frequentam escola e metade dos que não frequentam   Participam só os que frequentam escola Benefício Mensal   50 40   50 40   50 40 Beneficiários do Bolsa Família         Região metropolitana       15 - 17   0,00 0,00   0,00 0,00   0,00 0,00 15 - 20   0,00 0,00   0,00 0,00   0,00 0,00 Estado       15 - 17   0,17 0,09   0,09 0,00   0,00 0,00 15 - 20   0,24 0,16   0,16 0,07   0,00 0,00 Focalização perfeita       Região metropolitana       15 - 17   0,00 0,00   0,00 0,00   0,00 0,00 15 - 20   0,23 0,23   0,13 0,13   0,13 0,13 Estado       15 - 17   0,30 0,21   0,21 0,13   0,13 0,13     15 - 20   0,60 0,44   0,44 0,37   0,29 0,21 Fonte: Estimativas produzidas com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2004 Nota: 1) Estão inclusos na Região Metropolitana os seguintes municípios: Vitoria, Vila Velha, Serra e Cariacica 2) A folcalização perfeita é obtida pela inclusão no programa do mesmo número de jovens que seriam atendidos caso o cadastro único fosse utilizado. A diferença é que neste caso, os jovens são os mais pobres.
  • 34. Impactos Esperados Impacto de cenários alternativos do programa no Espírito Santo sobre a desigualdade de renda (Coeficiente de Gini)             (em pontos percentuais) Cenários   Todos da população alvo participam   Participam os que frequentam escola e metade dos que não frequentam   Participam só os que frequentam escola Benefício Mensal   50 40   50 40   50 40 Beneficiários do Bolsa Família         Região metropolitana       15 - 17   0,05 0,04   0,05 0,04   0,05 0,04 15 - 20   0,08 0,06   0,07 0,05   0,06 0,05 Estado       15 - 17   0,08 0,06   0,07 0,06   0,06 0,05 15 - 20   0,11 0,09   0,10 0,08   0,08 0,07 Focalização perfeita       Região metropolitana       15 - 17   0,06 0,05   0,06 0,05   0,05 0,04 15 - 20   0,10 0,08   0,09 0,07   0,07 0,06 Estado       15 - 17   0,10 0,08   0,09 0,07   0,07 0,06     15 - 20   0,15 0,12   0,13 0,10   0,10 0,08 Fonte: Estimativas produzidas com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2004 Nota: 1) Estão inclusos na Região Metropolitana os seguintes municípios: Vitoria, Vila Velha, Serra e Cariacica 2) A focalização perfeita é obtida pela inclusão no programa do mesmo número de jovens que seriam atendidos caso o cadastro único fosse utilizado. A diferença é que neste caso, os jovens são os mais pobres.
  • 35.