Capital Social no RS:  Diferenças Regionais               Pedro Silveira Bandeira                 Setembro de 2012
A Pesquisa“Desenvolvimento Regional, Cultura Política e CapitalSocial”;Período de Campo: 26 de outubro a 03 denovembro/200...
Fórum Democrático de Desenvolvimento Regional• Criado em 1999, é instituição permanente da Assembleia  Legislativa e tem c...
Fontes das Questões• Enquetes Regionales, pesquisas regionais realizadas pelo  Observatoire Interrégional du Politique, da...
MetodologiaEntrevistas Domiciliares;1473 Entrevistados:         -   Nordeste 1   521;         -   Nordeste 2   240;       ...
As Regiões
Capital Social - Definição“... características da organização social, comoconfiança, normas e sistemas, que contribuempara...
Participação em Associações Voluntárias I
Participação em Associações Voluntárias II
Padrões de Sociabilidade
HipótesesRegião Metropolitana (Nordeste 1):      • Menos Tempo Disponível, Devido à           Demora nos Deslocamentos.Reg...
EscravidãoPopulação Livre e Escrava de Municípios Selecionados, por "Raça". Percentuais em 1872Localidade                 ...
Concentração da Propriedade da Terra
Concentração da Renda - 1970
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Capital Social no RS: diferenç‡as regionais - Pedro Bandeira

411 visualizações

Publicada em

Pesquisa sobre desenvolvimento regional, cultura politica e capital social.

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
411
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Capital Social no RS: diferenç‡as regionais - Pedro Bandeira

  1. 1. Capital Social no RS: Diferenças Regionais Pedro Silveira Bandeira Setembro de 2012
  2. 2. A Pesquisa“Desenvolvimento Regional, Cultura Política e CapitalSocial”;Período de Campo: 26 de outubro a 03 denovembro/2001.Universo: Totalidade da População Residente no RioGrande do Sul.Amostra: Levantamento Aleatório Estratificado por Cotasde Gênero, Idade e RendaPesquisa de Campo Realizada pela Equipe doLaboratório de Observação Social, do Instituto deFilosofia e Ciências Humanas da UFRGS;Coordenador: Benedito Tadeu César (UFRGS);Patrocínio: Fórum Democrático de DesenvolvimentoRegional.
  3. 3. Fórum Democrático de Desenvolvimento Regional• Criado em 1999, é instituição permanente da Assembleia Legislativa e tem cumprido, ao longo dos anos, o papel de promover o debate pela população dos projetos de leis orçamentárias e outros temas legislativos.• Originalmente era uma parceria da Assembleia Legislativa com os COREDES, FAMURS e UVERGS, foi reformulado em 2008, passando a ser composto pelas seguintes áreas: – Assembleia Legislativa; – Coredes; – Universidades; – Sociedade Civil Organizada; – Instâncias Federativas (FAMURS, UVERGS, Governo Estadual, Governo Federal, Bancada Federal Gaúcha, Judiciário, Ministério Público e outros).
  4. 4. Fontes das Questões• Enquetes Regionales, pesquisas regionais realizadas pelo Observatoire Interrégional du Politique, da França;• The Social Capital Community Benchmark, questionário desenvolvido pelo Saguaro Seminar e pela Kennedy School of Government;• General Household Survey, pesquisa domiciliar realizada pelo Office for National Statistics, da Inglaterra;• Global Social Capital Survey, pesquisa realizada em Uganda;• Questionário usado em uma pesquisa realizada na Colômbia para mensuração do capital social;• Questões utilizadas por Robert Putnam em seu estudo sobre as regiões italianas;• World Values Survey - Ronald Inglehart da U. of Michigan;• Outros questionários disponíveis à época no Site do Banco Mundial sobre Capital Social.
  5. 5. MetodologiaEntrevistas Domiciliares;1473 Entrevistados: - Nordeste 1 521; - Nordeste 2 240; - Norte 335; - Sul 377.
  6. 6. As Regiões
  7. 7. Capital Social - Definição“... características da organização social, comoconfiança, normas e sistemas, que contribuempara aumentar a eficiência da sociedade,facilitando as ações coordenadas.” Indicadores: Participação em Associações Voluntárias; Padrões de Sociabilidade.
  8. 8. Participação em Associações Voluntárias I
  9. 9. Participação em Associações Voluntárias II
  10. 10. Padrões de Sociabilidade
  11. 11. HipótesesRegião Metropolitana (Nordeste 1): • Menos Tempo Disponível, Devido à Demora nos Deslocamentos.Região Sul: • Herança Cultural; • Desigualdade Econômica e Social: - Escravidão; - Concentração da Propriedade da Terra e da Renda.
  12. 12. EscravidãoPopulação Livre e Escrava de Municípios Selecionados, por "Raça". Percentuais em 1872Localidade Livres Escravos Total Brancos Pardos Pretos Caboclos TOTAL Pardos Pretos TOTAL GeralPorto Alegre 56,5 13,9 10,1 3,0 83,5 5,8 10,7 16,5 100,0São Leopoldo (1) 79,3 6,6 5,6 3,5 95,0 1,3 3,8 5,0 100,0Bagé 57,2 7,9 7,5 5,8 78,4 8,3 13,4 21,6 100,0Pelotas 58,8 9,8 13,4 1,1 83,1 6,3 10,6 16,9 100,0Rio Grande 64,4 7,6 9,5 0,8 82,2 4,7 13,1 17,8 100,0Santana do Livramento 57,3 8,9 8,9 5,0 80,0 7,9 12,1 20,0 100,0Uruguaiana 62,9 5,1 4,3 14,1 86,5 4,9 8,6 13,5 100,0São Borja 57,0 15,4 11,7 7,8 91,9 2,8 5,3 8,1 100,0Alegrete 51,9 10,2 20,3 2,7 85,1 3,6 11,4 14,9 100,0(1) Agrupa seis paróquias da zona colonial alemã, algumas das quais hoje fazem parte de outros municípios.
  13. 13. Concentração da Propriedade da Terra
  14. 14. Concentração da Renda - 1970

×