SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
Baixar para ler offline
The New Coreau Arre Egua Times                                                               Coreau-CE., 12 de junho de 2012 - Pagina 0
________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 A CRÔNICA DO NOSSO TEMPO                             manhã, vi a senhorita pendurada       Uma década de progresso e de
                                                      no pescoço de um sujeito                       “progressos”
Década de 80. Tempo de iniciação.                     desconhecido. Fui pra casa        Pois bem: Até parece que foi ontem.
                                                      assombrado       com      o       E não é que já se passaram dez anos,
                                                                                     chifre
Íamos à missa, depois à pracinha.
                                                                                        desde quando em junho de 2002
Ao redor da praça girava um                           relâmpago. Que decepção! Que
                                                                                        circulou levado pelos ventos da
carrossel de moças e rapazes. Eu                      traição! Traição que eu, no meu   primavera vindoura o primeiro jornal
ficava sentado, escondido por trás                    machismo, tantas vezes chancelei. verdadeiramente comprometido com o
da minha timidez de matuto, vindo                     Como era com trair, beijar boca   lema “Pra ser sério não precisa ser
do Araquém (na verdade, mais do                       nova e cheirosa! E... fui transferido
                                                                                        sisudo!” À época o Reino de Avilâ, já
Cigano). No meu medo, pedia que                       para o Depósito O Cristino. Por láse encontrava à deriva ética, política,
as meninas me olhassem. Mas                           passei dois anos. Nos fins de     social, econômica e moral...
tinha medos... As amizades foram                      semana uns birinaites. Alguns     Mas a garra e força da tripulação é
surgindo e com elas umas                              porres, muita besteira! Mais uns  hérculea, pois mesmo diante das
                                                      namoricos. Chegou a hora de ir    trombetas       o mesmo ainda não
saidinhas para os bares e para a
                                                                                        afundou por todo. Há esperanças. Um
discoteca. Vieram os primeiros                        embora pra Maracanaú, uma
                                                                                        fiasco de luz deve surgir no fundo do
flertes, molhados de suor. Muito                      cidade com uma fama horrorosa de  poço. Tirando o fato de todos
suor! A primeira dança só veio                        violência. Mais medo. Meu pai era possuírem contas no Orkut e no
depois dos primeiros tragos.                          bodegueiro... E se ele se         Facebook e conseguirem enviar
Cachaça, depois cerveja. Tudo isso                    desentendesse com alguém, com     mensagens de e-mails e sms apesar
também com muito medo e pernas                        sua cabeça grossa de caipira?     de continuarem a fazer contas nos
bambas! Além do medo de chegar                        Cheguei na cidade grande com      dedos, houve involução da evolução.
em casa tombando. A dança era                         medo, medo e... esperança. Queria A comunicação não é mais via fumaça,
acompanhada de música lenta. A                        estudar, ser doutor, chegar à     exceto quando a moçada voltada para
                                                      UECE, UFC, ter um anel do dedo,   os novos costumes resolve torrar o
solta ainda era coisa de veado! Na
                                                                                        “jerson”. Estamos no primeiro mundo.
lenta a gente podia errar sem ser                     ser olhado, observado, imitado,
                                                                                        Todos já falam ao celular; aos gritos é
achincalhado. Uma situação, no                        orgulhar meus pais,... Acho que   claro, mas falam. As vezes estes gritos
entanto, deixava-me em verdadeiro                     sou filho do medo! Mas minha mãe  não é nem por falta de educação é a
pavor: levar um fora! Não só eu.                      é a esperança! Esperança, palavra operadora que não presta mesmo.
Meio mundo de gente temia o                           simples e bonita!                 Oieeeeeeeeee!!!      Claro    que    há
vexatório fracasso frente às                          Isso é um pouco da minha vida, da alternativas...
meninas.                                              vida de muitos garotos do meu     A cidadania é a mesma... Aviltada
Surgiram os primeiros namoricos.                      tempo. De gente do povo! De       pelas      consciências voláteis, são
Primeiro na rua; depois na casa da                    gente que sofreu, gemeu, sentiu   entregues a cada dois anos como
                                                      dores, comeu pão dormido, viu a   mercadoria em liquidação, a troco de
menina. Mais pavor: medo dos
                                                                                        espelhos e fitinhas. Alguns mais
pais. "Como quer namorar, sem                         mãe aperreada, levou tombos, foi
                                                                                        espertos a trocam por melhores
nada na vida!" O primeiro emprego                     ridicularizado (um dia um sujeito posições no jogo dos “nobres”.
na Loja O Vilar me deu liberdade.                     chegou perto de mim e de outros e Dizem que educação, (que já foi
Saí da bodeguinha da Rua de                           atacou,     implacável:    "Conheço
                                                                                        inclusive premiada. ) é coisa de
Baixo. Com o tempo vieram a                           pobre      pela   catinga!"    Todos
                                                                                        primeiro     mundo,     mas     muitos
blusa da mangas compridas, a                          ouviram. Eu vesti a carapuça.     educandos                    continuam
calça social, o sapato de bico fino e                 Sozinho!),... Mas venceu! E está  desconhecendo a maneira como se
a cara de gente. Gente que poderia                    aqui, em pé! Escrevinhando e      faz um “ó”, mesmo tendo em mãos
namorar na casa de um cidadão.                                                          uma quenga.
                                                      contando lorotas. Lorotas pra vida!
                                                      E, como num lema politico-        Na grande arena de interesses vis,
Depois do Normal, de Coreaú,
                                                                                        gladiadores azuis e incarnados se
chegou a hora de estudar em                           partidário: A esperança venceu o
                                                                                        debatem tentando encontrar suas
Sobral, no Luciano Feijão. Era hora                   medo!                             tábuas de salvação. Cada lado tem em
do Quarto Normal. Da Pedagogia.                       João Teles de Aguiar – Professor, seus mentores os salvadores da da
Num curso de mangas curtas. E                         blogueiro e Escritor Cordelista   terra. Não lembrando eles que o
nem pensava em ser Professor!                                                           revezamento do comando “estatelar” é
Primeiros     namoros,     primeiras                   Free!!! Free!!! Free!!! secular e todos não passam de
decepções.       Uma     vez      me                                                    sanguessugas predadoras dos seus
                                                                                        próprios defensores.
engalfinhei com uma moça em                            Free!!! Free!!! Free!!! Manuel de Jesus:
Ubaúna até onze, onze e meia da
noite. Ao chegar na sede do                            Free!!! Free!!! Free!!!                                              Free!!!
município, três, quatro horas da
 ______________________________________________________________________________________________________________________
                                Uma publicação da “Organizações Arre Égua Ilimitadas!”
    Fundado em junho de 2002 por Manuel de Jesus e que teve apenas dois números por falta de leitores. Imagine agora com essa “mardita incrusã digitá?”
Para você cidadão que ainda não perdeu a capacidade de se indignar, que não acredita em televisão e acha que Orkut e Facebook não farão a grande
                                               revolução que o mundo e a nação tanto precisam.
The New Coreau Arre Egua Times                                                               Coreau-CE., 12 de junho de 2012 - Pagina 0
________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

             Desorganização de “Classes”
Não é de agora que a vida em sociedade exige que
                                                          literários e historiadores, a Padaria              audaciosos colaboradores, além de
grupos afins e idênticos se ajuntem em rumas para         Espiritual pode ser considerada um                 outras surpresas que podem ser
defender interesses coletivos. Que classes estão
representadas politicamente na cidade de Coreaú?          movimento pré-modernista que já                    reveladas na virada de cada
Professores, comerciantes, funcionários públicos,         apresentava alguns aspectos do                     página.
trabalhadores rurais? Tem alguns destes grupos de
pessoas membros no legislativo a defender suas            Modernismo,          que     somente
                                                                                                                 RECORDAÇÕES DA CASA DOS
causas e interesses? Não é chegada a hora de              apareceria no Brasil quase trinta
pensarmos nisso com mais zelo e carinho? Creio que                                                                           MORTOS
entre mestres docentes lotados tanto em nível de          anos depois, na Semana de Arte                     Enfim, dei por encerrada a leitura de
estado como municipal existam próximos de
quinhentos. Onde anda o poder de formação política e
                                                          Moderna, em São Paulo. Assim, de                   mais uma grande obra: Recordações
o idealismo desta gente? Se cada um mudasse de            certo modo, o Ceará foi pioneiro                   da Casa dos Mortos, do escritor russo
rumo, olhasse para dentro de si, fizesse uma
autocrítica e convencesse pelo menos um parente e         em desenvolver uma literatura                      Fiódor Dostoiévski. Antes mesmo da
um de seus alunos já teriam condição de mandar um         irreverente, "descompromissada" e                  leitura do livro, já conhecia as suas
membro dos seus para a casa do povo. E a classe de
trabalhadores rurais? Acho que metade da população        sincrética.                                        duas grandes obras-primas: Crime e
de nossa terra pertence a este agrupamento operário.      Em Coreaú/CE, no início do século                  Castigo     (1866)    e    Os    Irmãos
Mais um esforçosinho e era possível até tomarmos a
Bastilha. Pensemos nisso então. Ou, melhor que            XXI, surgiu e vem-se consolidando                  Karamazov (1880), escritas em anos
pensar e refletir sobre os nossos rumos é ficar na
                                                          a Academia Palmense de Letras                      posteriores, no mesmo influxo de
posição em que Napoleão perdeu a guerra           só                                                         inspiração que gerou as Recordações,
esperando a artilharia de nossos governantes? Tenho       APL, com traços pretensamente
dito... E sempre!!!                                                                                          abordando profundamente a temática
                                                          semelhantes à Padaria Espiritual,                  do cotidiano humano.
     Batendo de frente com a vídia do diamante.           além de outros tantos ainda mais                   Assim sendo, não foi tarefa árdua
                      Dicionário Êpa!
Escola: Oficina de lapidação de mentes.                   pretensiosos. A APL dispõe de 07                   perpassar as 308 páginas do livro,
Professor: Operário especialista em lapidação de          (sete) cadeiras, cinco das quais já                pois além de grande admiradora de
mentes e que tem seu ofício estendido além das salas
de aula, passando pelos lugares onde anda, na rua         ocupadas, a de nº 1 pelo                           Dostoiévski e de alguns outros
onde mora e no seu cotidiano como um todo. É para
ser o espelho onde reflete a imagem do seu aluno. Por
                                                          presidente e fundador-mor, Manuel                  grandes escritores russos, aprecio a
isso é preciso que brilhe. Senão...                       de Jesus, a de nº 2 por este que                   análise profunda que o autor sempre
Aluno: Matéria prima que será utilizada pela escola e
                                                          vos escreve co-fundador e a de nº                  procura fazer de seus personagens,
professor para criar uma sociedade justa, íntegra,
sadia, ética, livre e por aí vai....                      3 pelo jovem talentoso Benedito                    enfatizando suas angústias, mas
P.S.: Post-scriptum – Ei! Ei! Não era o significado que                                                      também a busca contínua de auto-
ia escrever não. Queria apenas dizer que: Uma, duas,      Gomes Rodrigues, a de nº 4 pelo
                                                                                                             superação.
ou mesmo as três coisas aí de cima estão precisando       poeta cordelista e professor Jõao                  À época, Tolstoi disse que as
de recall. Doeu?
                                                          teles de Aguiar e a de nº 5 pelo                   Recordações da Casa dos Mortos era
       Classificados Arre Égua!!!                         professor Fernando Machado de                      a mais bela obra da nova literatura.
Eleitores sem escrúpulos, sem ética e sem                 Albuquerque. As outras duas                        Deixemos os elogios de lado e
compromissos consigo mesmo vendem o voto                  cadeiras       serão      preenchidas              passemos à análise crítica da obra. Os
por cinquenta reais mais uma entrada na
principal festa do mês de setembro. Avisa
                                                          paulatinamente, por eleição do                     quatro anos cumprindo pena e
desde já que só aceita pagamento à vista e no             colegiado,                pautando-se              submetido a trabalhos forçados na
dindin.                                                   estritamente pelo mérito dos                       Sibéria serviram de estímulo para que
Procura-se operadora de telefonia que em vez              futuros membros.                                   Dostoiévski descrevesse, com extrema
de oferecer o “olho” utilize o som audível para                                                              autenticidade, as condições de vida no
                                                          Os membros atuais da APL, com
seus clientes se comunicarem. “Cralo” que                                                                    presídio e o caráter dos condenados
precisamos de várias opções, duas são                     características       inevitavelmente              que ali viviam.
pouco...                                                  pós-modernas,          já      vem-se              Alieksandr Peitróvitch, protagonista e
Meninas bonitas neste mundão de meu Deus                  manifestando por meio de "blogs"                   narrador, relata os seus dez anos
desfilam suas belezas na rede social facebook             diversos, e a agremiação poderá                    passados no presídio, submetido a
totalmente free. Ao vivo e em cores “desfree”.
                                                          contar num futuro próximo com um                   trabalhos forçados. Cada capítulo
                                                          periódico impresso, quiçá "A                       retrata o cotidiano da prisão, sem
PADARIA ESPIRITUAL                                        Solda", uma saborosa iguaria das                   manter uma ordem cronológica
No final do século XIX, surgiu, em                        padarias palmenses, a depender                     rigorosa dos fatos. A Casa dos Mortos,
Fortaleza/CE, a Padaria Espiritual,                       também       de     deliberação    do              nome atribuído pelo narrador ao
uma agremiação cultural formada                           colegiado. Aliás, enquanto não vem                 presídio,    abrigava    centenas    de
por jovens escritores, pintores e                                                                            homens que viviam em péssimas
                                                          algo      específico      da     APL,              condições de sobrevivência. O autor
músicos. Marcada pela ironia,                             anunciamos com júbilo a edição
irreverência e senso crítico, bem                                                                            descreve minuciosamente as precárias
                                                          comemorativa dos 10 (dez) anos                     instalações, a superlotação das celas,
como por um sincretismo literário,                        de lançamento do The New Coreaú                    a falta de higiene e alimentação, o
a Padaria Espiritual se expressava                        Arre Égua Times, que sai do prelo                  clima hostil extremamente gelado,
por meio do jornal "O Pão". Os                            neste ensolarado dia 11 de junho                   tudo     agravado     pelo   isolamento
seus membros criticavam as                                de 2012,(não saiu!!!) editado por                  geográfico da Sibéria.
instituições e os valores então                           Manuel de Jesus, contando com                      Pessoas com naturezas complexas e
vigentes. Para alguns críticos                            textos do editor e de alguns                       diversificadas,    crimes     hediondos
                                                                                                             praticados sob diferentes formas o que
 ______________________________________________________________________________________________________________________
                                  Uma publicação da “Organizações Arre Égua Ilimitadas!”
    Fundado em junho de 2002 por Manuel de Jesus e que teve apenas dois números por falta de leitores. Imagine agora com essa “mardita incrusã digitá?”
Para você cidadão que ainda não perdeu a capacidade de se indignar, que não acredita em televisão e acha que Orkut e Facebook não farão a grande
                                               revolução que o mundo e a nação tanto precisam.
The New Coreau Arre Egua Times                                                               Coreau-CE., 12 de junho de 2012 - Pagina 0
________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

faz o autor questionar a igualdade de                 Relegada e moribunda.                                  Salve todos os Beneditos!
castigos para crimes estruturalmente                  Ainda recordo do tempo,                                Que lutam por um mundo de sonho!
diferentes, a desumanidade dos                        Manhã turva de outrora,                                Salve a Palma e seus verdadeiros mitos!
trabalhos     forçados,      atrocidades              Ao romper d'aurora gris,
                                                      De certa Páscoa canora.                                P.S.1: Benedito Tonho é um coreauense
praticadas pelas autoridades no                       Cedo que havia desperto,                               morto na comunidade de Queimadas,
presídio,       castigos       corporais,             Co' inocência inda pueril.                             Distrito de Ubaúna, Coreaú (CE), por conta
dificuldade     nos     relacionamentos               Indaguei curioso da horda,                             de conflito de terras, tendo-se convertido
sociais– o próprio Alieksandr sofre                   Que cruzara a tarde febril.                            num dos símbolos da luta popular por
com isso, pois tinha origem nobre,                    No sereno da velha Palma,                              direitos.
sendo por tal razão odiado pelos                      Em meio à missa da Matriz,                             P.S.2: Benedito Dito é como também é
demais presidiários. Enfim, a obra                    A horda cruzara altaneira,                             conhecido Benedito Gomes Rodrigues,
mais     parece,     além     de    uma               Co' irresistível força motriz.                         titular da cadeira nº 3 da Academia
autobiografia, o testemunho da                        Recolhida na manhã do dia,                             Palmense de Letras.
                                                      A verba da inseparável cana,                           Francisco Eliton Meneses
decadência do sistema penitenciário                   Partia reluzente de alegria,
russo, não muito diferente do atual                   Da Palma a luzidia caravana.                             INFORMES SEM MUITA URGÊNCIA!!!
modelo brasileiro, ao menos no que                    Em busca do pau do Judas                               Graças à desenfreada especulação
concerne a rebeliões e fugas,                         Seguia meio-dia ao serrote,                            imobiliária por que passou a cidade
convertido       notoriamente      numa               Avultando ao final da missa,                           nos últimos dez anos perdemos o
"universidade do crime", incapaz de                   Sem nada a deter-lhe o trote.                          contato com o nosso correspondente
educar e muito menos de regenerar os                  Ao chegar deitavam a planta,                           da Esquina da Fofoca Express. Já a
detentos.                                             O "Judas" de cima desciam,                             Esquina do Barulho Now apesar de em
Muito mais do que o aspecto                           Aos poucos surgiam as rodas,                           pleno funcionamento levou nosso
                                                      As toras de pau se erguiam.                            correspondente ao fascínio a ponto de
sociológico, o autor enfoca uma                       Minha mãe então me disse:                              o mesmo romper os compromissos
análise profunda no comportamento                      "Meu filho, tu viste o Leruá.                         com a notícia não mais nos passando
dos presidiários do ponto de vista                    Uma tradição popular primeva,                          informes de interesse da coletividade.
psicológico. Vários presos são citados                Das poucas que temos no lugar.
no livro como "bons", portanto, não                   Nos meus tempos de menina,                                  Os benefícios da boa leitura
merecendo tamanha penalidade. "Uma                    Já me embalava o entoar:                               Ao  ler,   realizamos   um   salto   vivencial   de   nossos 
das características dessa gente é a                   'Sá Chiquinha, Sá Chiquinha,                           pensamentos   para   os   dos   autores. 
servidão, deixando-se submeter pelos                  Se a cachorra lhe mordeu,                              Experimentamos, nesse ato, uma parcela de seus 
de natureza mais forte, contentando-                  Como eu gostava dela,                                  sentimentos. Podemos, então, buscar compreender 
                                                      A dentada não doeu,                                    suas   ideias   e   ideais,   vê­los   por   trás   das   letras, 
se sempre com uma condição de                         E tora, tora, Leruá!                                   viajar nas histórias, idealizar novos mundos com e 
segundo ou até mesmo de terceiro                      Vamos torar! Leruá!                                    a partir deles.
plano, tudo em consequência de sua                    Pancada dura, Leruá!                                   Raul   Seixas,   sujeito   ousado   em   sua   arte,   faz 
própria índole."                                      De marruá! Leruá!                                      referência   à   leitura   em   várias   obras,   mas, 
Também há esperança, como se o                        Levanta o pau, Leruá!                                  sobretudo, na intitulada (e famosa) “Eu Nasci Há 
homem       universal     almejasse    a              E vamos lá! Leruá!                                     Dez Mil Anos Atrás”, onde se mostra andarilho na 
libertação, com a adaptação do                        Vicente Chico, Leruá!                                  História, tendo conhecido, por meio das palavras, 
protagonista à vida de recluso e o                    É o campeão! Leruá!                                    Maomé, Moisés, Jesus Cristo, Conde Drácula, Noé 
desejo de que, com o passar dos                       O eterno rei, Leruá!                                   e   tantos   outros   personagens   (fictícios   ou   reais) 
                                                      Da tradição! Leruá!                                    com   os   quais   temos   contato   através   de   livros 
anos, retornaria livre: "Desde o                      Salve o Cachica! Leruá!                                (sagrados   ou   não).   Quantas   pessoas   nós   só 
primeiro dia de reclusão já comecei a                 Não morre não, Leruá!                                  conhecemos pelos relatos, as quais (mesmo vivas) 
sonhar com a liberdade... Cada                        O que nos toca, Leruá!                                 só existem para nós porque nos falaram sobre elas, 
detento acaba por se considerar na                    O coração! Leruá!'                                     oral ou textualmente?
prisão não como morador, e sim como                   (...) Leruá!"                                          Não   leiamos,   entretanto,   como   um   exercício 
hóspede."                                                                                                    mecânico,   sem   sentido   e   desprovido   de   crítica. 
No final, terminado o cumprimento da                                BENEDITO TONHO                           Antes questionemos e provoquemos. Pessoas que 
pena, depois de uma análise                                                                                  leem,   ora,   amedrontam   os   poderosos,   porque 
                                                                                                             ameaçam   seus   interesses,   são   mais   difíceis   de 
psicológica dos companheiros e de si                  De que vale uma informação,
                                                                                                             manipular.   Pessoas   que   leem   devem   usar   os 
mesmo, Alieksandr consegue a tão                      De periódico distante transcrita?
                                                                                                             conhecimentos   adquiridos,   as   capacidades 
sonhada liberdade: "Sim, com Deus,                    No cenário histórico de exploração,
                                                                                                             desenvolvidas,   para   o   bem­estar   da   sociedade. 
liberdade, vida nova, ressurreição                    Co' a relevância do mártir não-escrita?
                                                                                                             Doutro   modo,   senão   para   a   Justiça,   fica 
                                                      A história não se escreve com omissão,
dentre os mortos... que inefável                      Das causas das lutas por mudança.
                                                                                                             incompleto (desvirtuado) o sentido da leitura.
momento".                                                                                                    Em   linhas   introdutórias,   ainda   mal   tracejadas, 
                                                      A história revela o cenário em evolução,
Auricélia Souza Fontenele                                                                                    ouso   lhes   falar,   nesse   tão   gentilmente   cedido 
                                                      Ou confronta a reacionária esquivança.
                                                                                                             espaço.   Nele,   para   além   do   divertimento,   a 
                                                      Benedito Tonho é o sonho de liberdade.
            O LERUÁ DA PALMA                                                                                 finalidade clara é contribuir para o enriquecimento 
                                                      A cobrança dos oprimidos por respeito.
                                                                                                             cultural de nossa terra. Pode parecer besteira. Mas 
                                                      A esperança de um mundo de igualdade.
                                                                                                             dessas “besteiras” é que grandes coisas nascem. 
Já não temos quase nada,                              A bandeira da luta popular por direito.
                                                                                                             Se essas palavras servirem para causar um mínimo 
Tradição quase nenhuma,                               Salve o Benedito Tonho!
                                                                                                             de inquietação em sua alma, terão cumprido sua 
Salvo réstia de passado,                              Salve o Benedito Dito!
                                                                                                             função. Benedito Gomes Rodrigues. 
 ______________________________________________________________________________________________________________________
                                Uma publicação da “Organizações Arre Égua Ilimitadas!”
    Fundado em junho de 2002 por Manuel de Jesus e que teve apenas dois números por falta de leitores. Imagine agora com essa “mardita incrusã digitá?”
Para você cidadão que ainda não perdeu a capacidade de se indignar, que não acredita em televisão e acha que Orkut e Facebook não farão a grande
                                               revolução que o mundo e a nação tanto precisam.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Micrônicas, por Walmar Andrade
Micrônicas, por Walmar AndradeMicrônicas, por Walmar Andrade
Micrônicas, por Walmar AndradeRedeMude
 
E-book de Júlio Dinis, O canto da sereia
E-book de Júlio Dinis, O canto da sereiaE-book de Júlio Dinis, O canto da sereia
E-book de Júlio Dinis, O canto da sereiaCarla Crespo
 
Acre 4ª edição (agosto, outubro 2014)
Acre 4ª edição (agosto,  outubro 2014)Acre 4ª edição (agosto,  outubro 2014)
Acre 4ª edição (agosto, outubro 2014)AMEOPOEMA Editora
 
DUAS HORAS MUITO LOUCAS I
DUAS HORAS MUITO LOUCAS IDUAS HORAS MUITO LOUCAS I
DUAS HORAS MUITO LOUCAS IWendell Santos
 
Fds N26 07 Mar2008
Fds N26 07 Mar2008Fds N26 07 Mar2008
Fds N26 07 Mar2008ana portugal
 
Coletânea Carlos Drummond
Coletânea Carlos DrummondColetânea Carlos Drummond
Coletânea Carlos DrummondIzabelle Moreno
 
2 f form_gil auto da barca do inferno 9º
2 f form_gil auto da barca do inferno 9º2 f form_gil auto da barca do inferno 9º
2 f form_gil auto da barca do inferno 9ºlmmj
 
Os Novos Meninos do Morro
Os Novos Meninos do MorroOs Novos Meninos do Morro
Os Novos Meninos do MorroJorge Halen
 
Auto da Barca do Inferno
Auto da Barca do InfernoAuto da Barca do Inferno
Auto da Barca do InfernoCristina Seiça
 
Monteiro lobato -_A_chave_do_tamanho
Monteiro lobato -_A_chave_do_tamanhoMonteiro lobato -_A_chave_do_tamanho
Monteiro lobato -_A_chave_do_tamanhoTânia Sampaio
 

Mais procurados (19)

Prova 8_ano
 Prova 8_ano Prova 8_ano
Prova 8_ano
 
Arena conta-zumbi
Arena conta-zumbiArena conta-zumbi
Arena conta-zumbi
 
A+redação+ +o+game
A+redação+ +o+gameA+redação+ +o+game
A+redação+ +o+game
 
Micrônicas, por Walmar Andrade
Micrônicas, por Walmar AndradeMicrônicas, por Walmar Andrade
Micrônicas, por Walmar Andrade
 
1
11
1
 
E-book de Júlio Dinis, O canto da sereia
E-book de Júlio Dinis, O canto da sereiaE-book de Júlio Dinis, O canto da sereia
E-book de Júlio Dinis, O canto da sereia
 
Ladino
LadinoLadino
Ladino
 
Histórias de Janeiro
Histórias de JaneiroHistórias de Janeiro
Histórias de Janeiro
 
Acre 4ª edição (agosto, outubro 2014)
Acre 4ª edição (agosto,  outubro 2014)Acre 4ª edição (agosto,  outubro 2014)
Acre 4ª edição (agosto, outubro 2014)
 
DUAS HORAS MUITO LOUCAS I
DUAS HORAS MUITO LOUCAS IDUAS HORAS MUITO LOUCAS I
DUAS HORAS MUITO LOUCAS I
 
Opinião 18 fev 2
Opinião 18 fev 2Opinião 18 fev 2
Opinião 18 fev 2
 
Fds N26 07 Mar2008
Fds N26 07 Mar2008Fds N26 07 Mar2008
Fds N26 07 Mar2008
 
Esau e jaco
Esau e jacoEsau e jaco
Esau e jaco
 
Coletânea Carlos Drummond
Coletânea Carlos DrummondColetânea Carlos Drummond
Coletânea Carlos Drummond
 
2 f form_gil auto da barca do inferno 9º
2 f form_gil auto da barca do inferno 9º2 f form_gil auto da barca do inferno 9º
2 f form_gil auto da barca do inferno 9º
 
Os Novos Meninos do Morro
Os Novos Meninos do MorroOs Novos Meninos do Morro
Os Novos Meninos do Morro
 
327 an 13_abril_2011.ok
327 an 13_abril_2011.ok327 an 13_abril_2011.ok
327 an 13_abril_2011.ok
 
Auto da Barca do Inferno
Auto da Barca do InfernoAuto da Barca do Inferno
Auto da Barca do Inferno
 
Monteiro lobato -_A_chave_do_tamanho
Monteiro lobato -_A_chave_do_tamanhoMonteiro lobato -_A_chave_do_tamanho
Monteiro lobato -_A_chave_do_tamanho
 

Semelhante a Uma década de progresso e de 'progressos

Escandalosamentelindo
EscandalosamentelindoEscandalosamentelindo
EscandalosamentelindoBru Zulli
 
Alguma poesia carlos drummond de andrade
Alguma poesia carlos drummond de andradeAlguma poesia carlos drummond de andrade
Alguma poesia carlos drummond de andrademariliarosa
 
Quero voltar a ser feliz
Quero voltar a ser felizQuero voltar a ser feliz
Quero voltar a ser felizAmadeu Wolff
 
Suplemento acre 0011 e book
Suplemento acre 0011 e book Suplemento acre 0011 e book
Suplemento acre 0011 e book AMEOPOEMA Editora
 
Simulado de português 5º ano agosto 2017
Simulado de português   5º ano agosto 2017Simulado de português   5º ano agosto 2017
Simulado de português 5º ano agosto 2017CASA-FACEBOOK-INSTAGRAM
 
Opinião 01 abril 2
Opinião 01 abril 2Opinião 01 abril 2
Opinião 01 abril 2Sergyo Vitro
 
Revista Literária
Revista LiteráriaRevista Literária
Revista LiteráriaCarla Mello
 
ABANTO BELÉM - N. 1 - JANEIRO/2014
ABANTO BELÉM - N. 1 - JANEIRO/2014ABANTO BELÉM - N. 1 - JANEIRO/2014
ABANTO BELÉM - N. 1 - JANEIRO/2014Abanto Belém
 
Escandalosamente lindo
Escandalosamente lindoEscandalosamente lindo
Escandalosamente lindoNilson Lopes
 
Crônicas selecionadas nu, de botas - av2
Crônicas selecionadas   nu, de botas - av2Crônicas selecionadas   nu, de botas - av2
Crônicas selecionadas nu, de botas - av2Josi Motta
 
Cartilha dengue2 ziraldo2
Cartilha dengue2 ziraldo2Cartilha dengue2 ziraldo2
Cartilha dengue2 ziraldo2Flaviacesae
 
Cartilha dengue2 ziraldo2
Cartilha dengue2 ziraldo2Cartilha dengue2 ziraldo2
Cartilha dengue2 ziraldo2saudefieb
 
Acre 019 outubro, novembro dezembro 2020 ebook
Acre 019   outubro, novembro dezembro 2020 ebookAcre 019   outubro, novembro dezembro 2020 ebook
Acre 019 outubro, novembro dezembro 2020 ebookAMEOPOEMA Editora
 

Semelhante a Uma década de progresso e de 'progressos (20)

Parlendas
ParlendasParlendas
Parlendas
 
Paralelos da Violencia
Paralelos da ViolenciaParalelos da Violencia
Paralelos da Violencia
 
Escandalosamentelindo
EscandalosamentelindoEscandalosamentelindo
Escandalosamentelindo
 
Alguma poesia carlos drummond de andrade
Alguma poesia carlos drummond de andradeAlguma poesia carlos drummond de andrade
Alguma poesia carlos drummond de andrade
 
D 11.pptx
D 11.pptxD 11.pptx
D 11.pptx
 
Recursos%282%29
Recursos%282%29Recursos%282%29
Recursos%282%29
 
Bons tempos
Bons temposBons tempos
Bons tempos
 
Quero voltar a ser feliz
Quero voltar a ser felizQuero voltar a ser feliz
Quero voltar a ser feliz
 
Suplemento acre 0011 e book
Suplemento acre 0011 e book Suplemento acre 0011 e book
Suplemento acre 0011 e book
 
Simulado de português 5º ano agosto 2017
Simulado de português   5º ano agosto 2017Simulado de português   5º ano agosto 2017
Simulado de português 5º ano agosto 2017
 
Opinião 01 abril 2
Opinião 01 abril 2Opinião 01 abril 2
Opinião 01 abril 2
 
Revista
RevistaRevista
Revista
 
Revista Literária
Revista LiteráriaRevista Literária
Revista Literária
 
ABANTO BELÉM - N. 1 - JANEIRO/2014
ABANTO BELÉM - N. 1 - JANEIRO/2014ABANTO BELÉM - N. 1 - JANEIRO/2014
ABANTO BELÉM - N. 1 - JANEIRO/2014
 
Como um Estalo
Como um EstaloComo um Estalo
Como um Estalo
 
Escandalosamente lindo
Escandalosamente lindoEscandalosamente lindo
Escandalosamente lindo
 
Crônicas selecionadas nu, de botas - av2
Crônicas selecionadas   nu, de botas - av2Crônicas selecionadas   nu, de botas - av2
Crônicas selecionadas nu, de botas - av2
 
Cartilha dengue2 ziraldo2
Cartilha dengue2 ziraldo2Cartilha dengue2 ziraldo2
Cartilha dengue2 ziraldo2
 
Cartilha dengue2 ziraldo2
Cartilha dengue2 ziraldo2Cartilha dengue2 ziraldo2
Cartilha dengue2 ziraldo2
 
Acre 019 outubro, novembro dezembro 2020 ebook
Acre 019   outubro, novembro dezembro 2020 ebookAcre 019   outubro, novembro dezembro 2020 ebook
Acre 019 outubro, novembro dezembro 2020 ebook
 

Mais de Eliton Meneses

Apelação-curador-especial-revelia-efeitos-não-produção
Apelação-curador-especial-revelia-efeitos-não-produçãoApelação-curador-especial-revelia-efeitos-não-produção
Apelação-curador-especial-revelia-efeitos-não-produçãoEliton Meneses
 
Embargos Infringentes :: Jamilson Antônio
Embargos Infringentes :: Jamilson AntônioEmbargos Infringentes :: Jamilson Antônio
Embargos Infringentes :: Jamilson AntônioEliton Meneses
 
Recurso-de-apelação-extinção-intimação-pessoal
Recurso-de-apelação-extinção-intimação-pessoalRecurso-de-apelação-extinção-intimação-pessoal
Recurso-de-apelação-extinção-intimação-pessoalEliton Meneses
 
Contestação-Isabel-Cristina
Contestação-Isabel-CristinaContestação-Isabel-Cristina
Contestação-Isabel-CristinaEliton Meneses
 
ACP : Conjunto Jardim Castelão : Réplica
ACP : Conjunto Jardim Castelão : RéplicaACP : Conjunto Jardim Castelão : Réplica
ACP : Conjunto Jardim Castelão : RéplicaEliton Meneses
 
ACP-remoções-violentas-Município-de-Fortaleza
ACP-remoções-violentas-Município-de-FortalezaACP-remoções-violentas-Município-de-Fortaleza
ACP-remoções-violentas-Município-de-FortalezaEliton Meneses
 
ACP-remoções-violentas-Município-de-Fortaleza
ACP-remoções-violentas-Município-de-FortalezaACP-remoções-violentas-Município-de-Fortaleza
ACP-remoções-violentas-Município-de-FortalezaEliton Meneses
 
Ação Civil Pública - Leite-Especial - NDHAC - Defensoria Pública
Ação Civil Pública - Leite-Especial - NDHAC - Defensoria PúblicaAção Civil Pública - Leite-Especial - NDHAC - Defensoria Pública
Ação Civil Pública - Leite-Especial - NDHAC - Defensoria PúblicaEliton Meneses
 
Recomendação Conjunta 01/2017 DPU/DPE
Recomendação Conjunta 01/2017 DPU/DPERecomendação Conjunta 01/2017 DPU/DPE
Recomendação Conjunta 01/2017 DPU/DPEEliton Meneses
 
Razões_de_apelação_homicídio - Antônio_Pereira
Razões_de_apelação_homicídio - Antônio_PereiraRazões_de_apelação_homicídio - Antônio_Pereira
Razões_de_apelação_homicídio - Antônio_PereiraEliton Meneses
 
Contrarrazões apelação maria_da_conceição_antônio_manuel
Contrarrazões apelação maria_da_conceição_antônio_manuelContrarrazões apelação maria_da_conceição_antônio_manuel
Contrarrazões apelação maria_da_conceição_antônio_manuelEliton Meneses
 
Alegações_finais_tráfico_de_drogas-cadeia_Luis_Carlos
Alegações_finais_tráfico_de_drogas-cadeia_Luis_CarlosAlegações_finais_tráfico_de_drogas-cadeia_Luis_Carlos
Alegações_finais_tráfico_de_drogas-cadeia_Luis_CarlosEliton Meneses
 
Razões_de_apelação_homicídio-diego_rodrigues
Razões_de_apelação_homicídio-diego_rodriguesRazões_de_apelação_homicídio-diego_rodrigues
Razões_de_apelação_homicídio-diego_rodriguesEliton Meneses
 
Alegações_finais_tráfico_drogas
Alegações_finais_tráfico_drogasAlegações_finais_tráfico_drogas
Alegações_finais_tráfico_drogasEliton Meneses
 
Contestação reintegração de_posse_cumbe
Contestação reintegração de_posse_cumbeContestação reintegração de_posse_cumbe
Contestação reintegração de_posse_cumbeEliton Meneses
 
Ação civil pública_ilha_são_josé_
Ação civil pública_ilha_são_josé_Ação civil pública_ilha_são_josé_
Ação civil pública_ilha_são_josé_Eliton Meneses
 

Mais de Eliton Meneses (20)

Apelação-curador-especial-revelia-efeitos-não-produção
Apelação-curador-especial-revelia-efeitos-não-produçãoApelação-curador-especial-revelia-efeitos-não-produção
Apelação-curador-especial-revelia-efeitos-não-produção
 
Embargos Infringentes :: Jamilson Antônio
Embargos Infringentes :: Jamilson AntônioEmbargos Infringentes :: Jamilson Antônio
Embargos Infringentes :: Jamilson Antônio
 
Recurso-de-apelação-extinção-intimação-pessoal
Recurso-de-apelação-extinção-intimação-pessoalRecurso-de-apelação-extinção-intimação-pessoal
Recurso-de-apelação-extinção-intimação-pessoal
 
Contestação-Isabel-Cristina
Contestação-Isabel-CristinaContestação-Isabel-Cristina
Contestação-Isabel-Cristina
 
Jornal Comunidade
Jornal ComunidadeJornal Comunidade
Jornal Comunidade
 
ACP : Conjunto Jardim Castelão : Réplica
ACP : Conjunto Jardim Castelão : RéplicaACP : Conjunto Jardim Castelão : Réplica
ACP : Conjunto Jardim Castelão : Réplica
 
ACP-remoções-violentas-Município-de-Fortaleza
ACP-remoções-violentas-Município-de-FortalezaACP-remoções-violentas-Município-de-Fortaleza
ACP-remoções-violentas-Município-de-Fortaleza
 
ACP-remoções-violentas-Município-de-Fortaleza
ACP-remoções-violentas-Município-de-FortalezaACP-remoções-violentas-Município-de-Fortaleza
ACP-remoções-violentas-Município-de-Fortaleza
 
Ação Civil Pública - Leite-Especial - NDHAC - Defensoria Pública
Ação Civil Pública - Leite-Especial - NDHAC - Defensoria PúblicaAção Civil Pública - Leite-Especial - NDHAC - Defensoria Pública
Ação Civil Pública - Leite-Especial - NDHAC - Defensoria Pública
 
Ação Civil Pública
Ação Civil PúblicaAção Civil Pública
Ação Civil Pública
 
Recomendação Conjunta 01/2017 DPU/DPE
Recomendação Conjunta 01/2017 DPU/DPERecomendação Conjunta 01/2017 DPU/DPE
Recomendação Conjunta 01/2017 DPU/DPE
 
Bhagavad-gita
Bhagavad-gitaBhagavad-gita
Bhagavad-gita
 
Bhagavad-gita
Bhagavad-gitaBhagavad-gita
Bhagavad-gita
 
Razões_de_apelação_homicídio - Antônio_Pereira
Razões_de_apelação_homicídio - Antônio_PereiraRazões_de_apelação_homicídio - Antônio_Pereira
Razões_de_apelação_homicídio - Antônio_Pereira
 
Contrarrazões apelação maria_da_conceição_antônio_manuel
Contrarrazões apelação maria_da_conceição_antônio_manuelContrarrazões apelação maria_da_conceição_antônio_manuel
Contrarrazões apelação maria_da_conceição_antônio_manuel
 
Alegações_finais_tráfico_de_drogas-cadeia_Luis_Carlos
Alegações_finais_tráfico_de_drogas-cadeia_Luis_CarlosAlegações_finais_tráfico_de_drogas-cadeia_Luis_Carlos
Alegações_finais_tráfico_de_drogas-cadeia_Luis_Carlos
 
Razões_de_apelação_homicídio-diego_rodrigues
Razões_de_apelação_homicídio-diego_rodriguesRazões_de_apelação_homicídio-diego_rodrigues
Razões_de_apelação_homicídio-diego_rodrigues
 
Alegações_finais_tráfico_drogas
Alegações_finais_tráfico_drogasAlegações_finais_tráfico_drogas
Alegações_finais_tráfico_drogas
 
Contestação reintegração de_posse_cumbe
Contestação reintegração de_posse_cumbeContestação reintegração de_posse_cumbe
Contestação reintegração de_posse_cumbe
 
Ação civil pública_ilha_são_josé_
Ação civil pública_ilha_são_josé_Ação civil pública_ilha_são_josé_
Ação civil pública_ilha_são_josé_
 

Uma década de progresso e de 'progressos

  • 1. The New Coreau Arre Egua Times Coreau-CE., 12 de junho de 2012 - Pagina 0 ________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ A CRÔNICA DO NOSSO TEMPO manhã, vi a senhorita pendurada Uma década de progresso e de no pescoço de um sujeito “progressos” Década de 80. Tempo de iniciação. desconhecido. Fui pra casa Pois bem: Até parece que foi ontem. assombrado com o E não é que já se passaram dez anos, chifre Íamos à missa, depois à pracinha. desde quando em junho de 2002 Ao redor da praça girava um relâmpago. Que decepção! Que circulou levado pelos ventos da carrossel de moças e rapazes. Eu traição! Traição que eu, no meu primavera vindoura o primeiro jornal ficava sentado, escondido por trás machismo, tantas vezes chancelei. verdadeiramente comprometido com o da minha timidez de matuto, vindo Como era com trair, beijar boca lema “Pra ser sério não precisa ser do Araquém (na verdade, mais do nova e cheirosa! E... fui transferido sisudo!” À época o Reino de Avilâ, já Cigano). No meu medo, pedia que para o Depósito O Cristino. Por láse encontrava à deriva ética, política, as meninas me olhassem. Mas passei dois anos. Nos fins de social, econômica e moral... tinha medos... As amizades foram semana uns birinaites. Alguns Mas a garra e força da tripulação é surgindo e com elas umas porres, muita besteira! Mais uns hérculea, pois mesmo diante das namoricos. Chegou a hora de ir trombetas o mesmo ainda não saidinhas para os bares e para a afundou por todo. Há esperanças. Um discoteca. Vieram os primeiros embora pra Maracanaú, uma fiasco de luz deve surgir no fundo do flertes, molhados de suor. Muito cidade com uma fama horrorosa de poço. Tirando o fato de todos suor! A primeira dança só veio violência. Mais medo. Meu pai era possuírem contas no Orkut e no depois dos primeiros tragos. bodegueiro... E se ele se Facebook e conseguirem enviar Cachaça, depois cerveja. Tudo isso desentendesse com alguém, com mensagens de e-mails e sms apesar também com muito medo e pernas sua cabeça grossa de caipira? de continuarem a fazer contas nos bambas! Além do medo de chegar Cheguei na cidade grande com dedos, houve involução da evolução. em casa tombando. A dança era medo, medo e... esperança. Queria A comunicação não é mais via fumaça, acompanhada de música lenta. A estudar, ser doutor, chegar à exceto quando a moçada voltada para UECE, UFC, ter um anel do dedo, os novos costumes resolve torrar o solta ainda era coisa de veado! Na “jerson”. Estamos no primeiro mundo. lenta a gente podia errar sem ser ser olhado, observado, imitado, Todos já falam ao celular; aos gritos é achincalhado. Uma situação, no orgulhar meus pais,... Acho que claro, mas falam. As vezes estes gritos entanto, deixava-me em verdadeiro sou filho do medo! Mas minha mãe não é nem por falta de educação é a pavor: levar um fora! Não só eu. é a esperança! Esperança, palavra operadora que não presta mesmo. Meio mundo de gente temia o simples e bonita! Oieeeeeeeeee!!! Claro que há vexatório fracasso frente às Isso é um pouco da minha vida, da alternativas... meninas. vida de muitos garotos do meu A cidadania é a mesma... Aviltada Surgiram os primeiros namoricos. tempo. De gente do povo! De pelas consciências voláteis, são Primeiro na rua; depois na casa da gente que sofreu, gemeu, sentiu entregues a cada dois anos como dores, comeu pão dormido, viu a mercadoria em liquidação, a troco de menina. Mais pavor: medo dos espelhos e fitinhas. Alguns mais pais. "Como quer namorar, sem mãe aperreada, levou tombos, foi espertos a trocam por melhores nada na vida!" O primeiro emprego ridicularizado (um dia um sujeito posições no jogo dos “nobres”. na Loja O Vilar me deu liberdade. chegou perto de mim e de outros e Dizem que educação, (que já foi Saí da bodeguinha da Rua de atacou, implacável: "Conheço inclusive premiada. ) é coisa de Baixo. Com o tempo vieram a pobre pela catinga!" Todos primeiro mundo, mas muitos blusa da mangas compridas, a ouviram. Eu vesti a carapuça. educandos continuam calça social, o sapato de bico fino e Sozinho!),... Mas venceu! E está desconhecendo a maneira como se a cara de gente. Gente que poderia aqui, em pé! Escrevinhando e faz um “ó”, mesmo tendo em mãos namorar na casa de um cidadão. uma quenga. contando lorotas. Lorotas pra vida! E, como num lema politico- Na grande arena de interesses vis, Depois do Normal, de Coreaú, gladiadores azuis e incarnados se chegou a hora de estudar em partidário: A esperança venceu o debatem tentando encontrar suas Sobral, no Luciano Feijão. Era hora medo! tábuas de salvação. Cada lado tem em do Quarto Normal. Da Pedagogia. João Teles de Aguiar – Professor, seus mentores os salvadores da da Num curso de mangas curtas. E blogueiro e Escritor Cordelista terra. Não lembrando eles que o nem pensava em ser Professor! revezamento do comando “estatelar” é Primeiros namoros, primeiras Free!!! Free!!! Free!!! secular e todos não passam de decepções. Uma vez me sanguessugas predadoras dos seus próprios defensores. engalfinhei com uma moça em Free!!! Free!!! Free!!! Manuel de Jesus: Ubaúna até onze, onze e meia da noite. Ao chegar na sede do Free!!! Free!!! Free!!! Free!!! município, três, quatro horas da ______________________________________________________________________________________________________________________ Uma publicação da “Organizações Arre Égua Ilimitadas!” Fundado em junho de 2002 por Manuel de Jesus e que teve apenas dois números por falta de leitores. Imagine agora com essa “mardita incrusã digitá?” Para você cidadão que ainda não perdeu a capacidade de se indignar, que não acredita em televisão e acha que Orkut e Facebook não farão a grande revolução que o mundo e a nação tanto precisam.
  • 2. The New Coreau Arre Egua Times Coreau-CE., 12 de junho de 2012 - Pagina 0 ________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ Desorganização de “Classes” Não é de agora que a vida em sociedade exige que literários e historiadores, a Padaria audaciosos colaboradores, além de grupos afins e idênticos se ajuntem em rumas para Espiritual pode ser considerada um outras surpresas que podem ser defender interesses coletivos. Que classes estão representadas politicamente na cidade de Coreaú? movimento pré-modernista que já reveladas na virada de cada Professores, comerciantes, funcionários públicos, apresentava alguns aspectos do página. trabalhadores rurais? Tem alguns destes grupos de pessoas membros no legislativo a defender suas Modernismo, que somente RECORDAÇÕES DA CASA DOS causas e interesses? Não é chegada a hora de apareceria no Brasil quase trinta pensarmos nisso com mais zelo e carinho? Creio que MORTOS entre mestres docentes lotados tanto em nível de anos depois, na Semana de Arte Enfim, dei por encerrada a leitura de estado como municipal existam próximos de quinhentos. Onde anda o poder de formação política e Moderna, em São Paulo. Assim, de mais uma grande obra: Recordações o idealismo desta gente? Se cada um mudasse de certo modo, o Ceará foi pioneiro da Casa dos Mortos, do escritor russo rumo, olhasse para dentro de si, fizesse uma autocrítica e convencesse pelo menos um parente e em desenvolver uma literatura Fiódor Dostoiévski. Antes mesmo da um de seus alunos já teriam condição de mandar um irreverente, "descompromissada" e leitura do livro, já conhecia as suas membro dos seus para a casa do povo. E a classe de trabalhadores rurais? Acho que metade da população sincrética. duas grandes obras-primas: Crime e de nossa terra pertence a este agrupamento operário. Em Coreaú/CE, no início do século Castigo (1866) e Os Irmãos Mais um esforçosinho e era possível até tomarmos a Bastilha. Pensemos nisso então. Ou, melhor que XXI, surgiu e vem-se consolidando Karamazov (1880), escritas em anos pensar e refletir sobre os nossos rumos é ficar na a Academia Palmense de Letras posteriores, no mesmo influxo de posição em que Napoleão perdeu a guerra só inspiração que gerou as Recordações, esperando a artilharia de nossos governantes? Tenho APL, com traços pretensamente dito... E sempre!!! abordando profundamente a temática semelhantes à Padaria Espiritual, do cotidiano humano. Batendo de frente com a vídia do diamante. além de outros tantos ainda mais Assim sendo, não foi tarefa árdua Dicionário Êpa! Escola: Oficina de lapidação de mentes. pretensiosos. A APL dispõe de 07 perpassar as 308 páginas do livro, Professor: Operário especialista em lapidação de (sete) cadeiras, cinco das quais já pois além de grande admiradora de mentes e que tem seu ofício estendido além das salas de aula, passando pelos lugares onde anda, na rua ocupadas, a de nº 1 pelo Dostoiévski e de alguns outros onde mora e no seu cotidiano como um todo. É para ser o espelho onde reflete a imagem do seu aluno. Por presidente e fundador-mor, Manuel grandes escritores russos, aprecio a isso é preciso que brilhe. Senão... de Jesus, a de nº 2 por este que análise profunda que o autor sempre Aluno: Matéria prima que será utilizada pela escola e vos escreve co-fundador e a de nº procura fazer de seus personagens, professor para criar uma sociedade justa, íntegra, sadia, ética, livre e por aí vai.... 3 pelo jovem talentoso Benedito enfatizando suas angústias, mas P.S.: Post-scriptum – Ei! Ei! Não era o significado que também a busca contínua de auto- ia escrever não. Queria apenas dizer que: Uma, duas, Gomes Rodrigues, a de nº 4 pelo superação. ou mesmo as três coisas aí de cima estão precisando poeta cordelista e professor Jõao À época, Tolstoi disse que as de recall. Doeu? teles de Aguiar e a de nº 5 pelo Recordações da Casa dos Mortos era Classificados Arre Égua!!! professor Fernando Machado de a mais bela obra da nova literatura. Eleitores sem escrúpulos, sem ética e sem Albuquerque. As outras duas Deixemos os elogios de lado e compromissos consigo mesmo vendem o voto cadeiras serão preenchidas passemos à análise crítica da obra. Os por cinquenta reais mais uma entrada na principal festa do mês de setembro. Avisa paulatinamente, por eleição do quatro anos cumprindo pena e desde já que só aceita pagamento à vista e no colegiado, pautando-se submetido a trabalhos forçados na dindin. estritamente pelo mérito dos Sibéria serviram de estímulo para que Procura-se operadora de telefonia que em vez futuros membros. Dostoiévski descrevesse, com extrema de oferecer o “olho” utilize o som audível para autenticidade, as condições de vida no Os membros atuais da APL, com seus clientes se comunicarem. “Cralo” que presídio e o caráter dos condenados precisamos de várias opções, duas são características inevitavelmente que ali viviam. pouco... pós-modernas, já vem-se Alieksandr Peitróvitch, protagonista e Meninas bonitas neste mundão de meu Deus manifestando por meio de "blogs" narrador, relata os seus dez anos desfilam suas belezas na rede social facebook diversos, e a agremiação poderá passados no presídio, submetido a totalmente free. Ao vivo e em cores “desfree”. contar num futuro próximo com um trabalhos forçados. Cada capítulo periódico impresso, quiçá "A retrata o cotidiano da prisão, sem PADARIA ESPIRITUAL Solda", uma saborosa iguaria das manter uma ordem cronológica No final do século XIX, surgiu, em padarias palmenses, a depender rigorosa dos fatos. A Casa dos Mortos, Fortaleza/CE, a Padaria Espiritual, também de deliberação do nome atribuído pelo narrador ao uma agremiação cultural formada colegiado. Aliás, enquanto não vem presídio, abrigava centenas de por jovens escritores, pintores e homens que viviam em péssimas algo específico da APL, condições de sobrevivência. O autor músicos. Marcada pela ironia, anunciamos com júbilo a edição irreverência e senso crítico, bem descreve minuciosamente as precárias comemorativa dos 10 (dez) anos instalações, a superlotação das celas, como por um sincretismo literário, de lançamento do The New Coreaú a falta de higiene e alimentação, o a Padaria Espiritual se expressava Arre Égua Times, que sai do prelo clima hostil extremamente gelado, por meio do jornal "O Pão". Os neste ensolarado dia 11 de junho tudo agravado pelo isolamento seus membros criticavam as de 2012,(não saiu!!!) editado por geográfico da Sibéria. instituições e os valores então Manuel de Jesus, contando com Pessoas com naturezas complexas e vigentes. Para alguns críticos textos do editor e de alguns diversificadas, crimes hediondos praticados sob diferentes formas o que ______________________________________________________________________________________________________________________ Uma publicação da “Organizações Arre Égua Ilimitadas!” Fundado em junho de 2002 por Manuel de Jesus e que teve apenas dois números por falta de leitores. Imagine agora com essa “mardita incrusã digitá?” Para você cidadão que ainda não perdeu a capacidade de se indignar, que não acredita em televisão e acha que Orkut e Facebook não farão a grande revolução que o mundo e a nação tanto precisam.
  • 3. The New Coreau Arre Egua Times Coreau-CE., 12 de junho de 2012 - Pagina 0 ________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ faz o autor questionar a igualdade de Relegada e moribunda. Salve todos os Beneditos! castigos para crimes estruturalmente Ainda recordo do tempo, Que lutam por um mundo de sonho! diferentes, a desumanidade dos Manhã turva de outrora, Salve a Palma e seus verdadeiros mitos! trabalhos forçados, atrocidades Ao romper d'aurora gris, De certa Páscoa canora. P.S.1: Benedito Tonho é um coreauense praticadas pelas autoridades no Cedo que havia desperto, morto na comunidade de Queimadas, presídio, castigos corporais, Co' inocência inda pueril. Distrito de Ubaúna, Coreaú (CE), por conta dificuldade nos relacionamentos Indaguei curioso da horda, de conflito de terras, tendo-se convertido sociais– o próprio Alieksandr sofre Que cruzara a tarde febril. num dos símbolos da luta popular por com isso, pois tinha origem nobre, No sereno da velha Palma, direitos. sendo por tal razão odiado pelos Em meio à missa da Matriz, P.S.2: Benedito Dito é como também é demais presidiários. Enfim, a obra A horda cruzara altaneira, conhecido Benedito Gomes Rodrigues, mais parece, além de uma Co' irresistível força motriz. titular da cadeira nº 3 da Academia autobiografia, o testemunho da Recolhida na manhã do dia, Palmense de Letras. A verba da inseparável cana, Francisco Eliton Meneses decadência do sistema penitenciário Partia reluzente de alegria, russo, não muito diferente do atual Da Palma a luzidia caravana. INFORMES SEM MUITA URGÊNCIA!!! modelo brasileiro, ao menos no que Em busca do pau do Judas Graças à desenfreada especulação concerne a rebeliões e fugas, Seguia meio-dia ao serrote, imobiliária por que passou a cidade convertido notoriamente numa Avultando ao final da missa, nos últimos dez anos perdemos o "universidade do crime", incapaz de Sem nada a deter-lhe o trote. contato com o nosso correspondente educar e muito menos de regenerar os Ao chegar deitavam a planta, da Esquina da Fofoca Express. Já a detentos. O "Judas" de cima desciam, Esquina do Barulho Now apesar de em Muito mais do que o aspecto Aos poucos surgiam as rodas, pleno funcionamento levou nosso As toras de pau se erguiam. correspondente ao fascínio a ponto de sociológico, o autor enfoca uma Minha mãe então me disse: o mesmo romper os compromissos análise profunda no comportamento "Meu filho, tu viste o Leruá. com a notícia não mais nos passando dos presidiários do ponto de vista Uma tradição popular primeva, informes de interesse da coletividade. psicológico. Vários presos são citados Das poucas que temos no lugar. no livro como "bons", portanto, não Nos meus tempos de menina, Os benefícios da boa leitura merecendo tamanha penalidade. "Uma Já me embalava o entoar: Ao  ler,   realizamos   um   salto   vivencial   de   nossos  das características dessa gente é a 'Sá Chiquinha, Sá Chiquinha, pensamentos   para   os   dos   autores.  servidão, deixando-se submeter pelos Se a cachorra lhe mordeu, Experimentamos, nesse ato, uma parcela de seus  de natureza mais forte, contentando- Como eu gostava dela, sentimentos. Podemos, então, buscar compreender  A dentada não doeu, suas   ideias   e   ideais,   vê­los   por   trás   das   letras,  se sempre com uma condição de E tora, tora, Leruá! viajar nas histórias, idealizar novos mundos com e  segundo ou até mesmo de terceiro Vamos torar! Leruá! a partir deles. plano, tudo em consequência de sua Pancada dura, Leruá! Raul   Seixas,   sujeito   ousado   em   sua   arte,   faz  própria índole." De marruá! Leruá! referência   à   leitura   em   várias   obras,   mas,  Também há esperança, como se o Levanta o pau, Leruá! sobretudo, na intitulada (e famosa) “Eu Nasci Há  homem universal almejasse a E vamos lá! Leruá! Dez Mil Anos Atrás”, onde se mostra andarilho na  libertação, com a adaptação do Vicente Chico, Leruá! História, tendo conhecido, por meio das palavras,  protagonista à vida de recluso e o É o campeão! Leruá! Maomé, Moisés, Jesus Cristo, Conde Drácula, Noé  desejo de que, com o passar dos O eterno rei, Leruá! e   tantos   outros   personagens   (fictícios   ou   reais)  Da tradição! Leruá! com   os   quais   temos   contato   através   de   livros  anos, retornaria livre: "Desde o Salve o Cachica! Leruá! (sagrados   ou   não).   Quantas   pessoas   nós   só  primeiro dia de reclusão já comecei a Não morre não, Leruá! conhecemos pelos relatos, as quais (mesmo vivas)  sonhar com a liberdade... Cada O que nos toca, Leruá! só existem para nós porque nos falaram sobre elas,  detento acaba por se considerar na O coração! Leruá!' oral ou textualmente? prisão não como morador, e sim como (...) Leruá!" Não   leiamos,   entretanto,   como   um   exercício  hóspede." mecânico,   sem   sentido   e   desprovido   de   crítica.  No final, terminado o cumprimento da BENEDITO TONHO Antes questionemos e provoquemos. Pessoas que  pena, depois de uma análise leem,   ora,   amedrontam   os   poderosos,   porque  ameaçam   seus   interesses,   são   mais   difíceis   de  psicológica dos companheiros e de si De que vale uma informação, manipular.   Pessoas   que   leem   devem   usar   os  mesmo, Alieksandr consegue a tão De periódico distante transcrita? conhecimentos   adquiridos,   as   capacidades  sonhada liberdade: "Sim, com Deus, No cenário histórico de exploração, desenvolvidas,   para   o   bem­estar   da   sociedade.  liberdade, vida nova, ressurreição Co' a relevância do mártir não-escrita? Doutro   modo,   senão   para   a   Justiça,   fica  A história não se escreve com omissão, dentre os mortos... que inefável Das causas das lutas por mudança. incompleto (desvirtuado) o sentido da leitura. momento". Em   linhas   introdutórias,   ainda   mal   tracejadas,  A história revela o cenário em evolução, Auricélia Souza Fontenele ouso   lhes   falar,   nesse   tão   gentilmente   cedido  Ou confronta a reacionária esquivança. espaço.   Nele,   para   além   do   divertimento,   a  Benedito Tonho é o sonho de liberdade. O LERUÁ DA PALMA finalidade clara é contribuir para o enriquecimento  A cobrança dos oprimidos por respeito. cultural de nossa terra. Pode parecer besteira. Mas  A esperança de um mundo de igualdade. dessas “besteiras” é que grandes coisas nascem.  Já não temos quase nada, A bandeira da luta popular por direito. Se essas palavras servirem para causar um mínimo  Tradição quase nenhuma, Salve o Benedito Tonho! de inquietação em sua alma, terão cumprido sua  Salvo réstia de passado, Salve o Benedito Dito! função. Benedito Gomes Rodrigues.  ______________________________________________________________________________________________________________________ Uma publicação da “Organizações Arre Égua Ilimitadas!” Fundado em junho de 2002 por Manuel de Jesus e que teve apenas dois números por falta de leitores. Imagine agora com essa “mardita incrusã digitá?” Para você cidadão que ainda não perdeu a capacidade de se indignar, que não acredita em televisão e acha que Orkut e Facebook não farão a grande revolução que o mundo e a nação tanto precisam.