Alerta dengue abrasco 2014

599 visualizações

Publicada em

Apresentação Sobre o Projeto no Congresso da ABRASCO

Publicada em: Ciências
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
599
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
201
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Alerta dengue abrasco 2014

  1. 1. Sistema de Alerta de Dengue Utilizando Dados Híbridos de Redes Sociais, Monitoramento Entomológico, Epidemiológico e Climático Flávio Codeço Coelho fccoelho@fgv.br EMAp - FGV
  2. 2. Big Data e Saúde Pública ● Mudança no olhar sobre o tempo de resposta adequado ● Gestão baseada em evidência. ● Estatística descritiva/exploratória vs. Modelagem Estatística ● Desenhos de estudo vs. Classificação/inferência
  3. 3. Projeto Alerta Dengue alerta.dengue.mat.br
  4. 4. O que é? ● Alerta de Situação ● Municipal (segmentado) ● Semanal ● Adaptativo
  5. 5. Dados Híbridos ● Clima ● LIRAa ● Casos ● Densidade vetorial ● Redes sociais
  6. 6. Fase I: Rio de janeiro Fontes de dados
  7. 7. Dengue and Tweets
  8. 8. Casos no espaço
  9. 9. Alerta baseado em tweets tweets=157 Modelo: Média de tweets (baixa):
  10. 10. Rt mede o crescimento da curva epidêmica Rt > 1 : espalhamento Rt > 1 por mais de 3 semanas: transmissão sustentada
  11. 11. transmissão sustentada x temperatura t24 = número de dias com temp > 24 graus
  12. 12. Oviposição x temperatura t24 = número de dias com temp > 24 graus t24 = 3.7 dias
  13. 13. 2010/11 2011/12 2012/13 regressão binomial negativa, modelo completo com todas as interações
  14. 14. Níveis de Alerta ● Nível 1: Sem casos e sem condições climáticas favoráveis para a transmissão. ○ Ações: Monitoramento e controle de criadouros, disseminação de informação sobre controle ● Nível 2: Casos esporádicos. Rt < 1, condições favoráveis. ○ Ações: Controle vetorial, Campanhas para engajamento público no controle. ● Nível 3: Surtos. Rt > 1, Condições favoráveis, menos de 300 casos por 100 mil habitantes ○ Ações: Intensificação do controle vetorial em áreas de maior incidência. Intensificação da vigilância epidemiológica. ● Nível 4: Epidemia. Todas as características do nível 3 e mais de 300 casos por 100 mil habitantes ○ Ações: Máxima Ativação de todas Unidade de controle da dengue. Baseado em: www.health.qld.gov.au/dengue/documents/dengue-mgt-
  15. 15. Resolução Espacial
  16. 16. Alerta por APS
  17. 17. Estações Meteorológicas APs Estações Estações Prox. 1.0 São Cristovão, Centro 2.1 Copacabana 2.2 Tijuca 3.1 - (Centro,Irajá) 3.2 - (Irajá, Tijuca) 3.3 Irajá 4.0 Aerop. Jacarepauá ?? 5.1 Bangu 5.2 Campo Grande 5.3 - Campo Grande
  18. 18. Temperatura e Umidade
  19. 19. Pluviosidade
  20. 20. Densidade Vetorial (Dados de fev - ago 2013, dez 2013 - jan 2014) IDO = (Total Ovos)/(Total Armadilhas) IPO = % Armadilhas positivas
  21. 21. Densidade Vetorial IDO = (Total Ovos)/(Total Armadilhas) IPO = % Armadilhas positivas
  22. 22. Desafios ● Continuidade ○ Acesso aos dados já utilizados ○ Incorporação de novas fontes de informação ○ Melhoria dos modelos ● Previsão do Risco ● Expansão para o Resto do Brasil
  23. 23. A Equipe do Projeto
  24. 24. Apoio
  25. 25. Obrigado http://alerta.dengue.mat.br Lançamento em setembro de 2014

×