O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Governo Aberto nas cidades: abrir dados e processos

568 visualizações

Publicada em

Apresentação de Fernanda Campagnucci, da Controladoria Geral do Município de São Paulo, no Painel "Como a Web pode contribuir para a cidadania?" - Web.Br 2015.

Publicada em: Governo e ONGs
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Governo Aberto nas cidades: abrir dados e processos

  1. 1. Conferência Web.Br 2015 Governo Aberto nas cidades: abrir dados e processos Painel: Como a web pode contribuir para cidadania ? Fernanda Campagnucci
  2. 2. A internet tem potencial enorme de qualificar o processo democrático e aproximar os cidadãos da política, mas...
  3. 3. “De tempos em tempos, me pego pensando por que mais pessoas não estão se juntando à revolução dos dados abertos e usando essa matéria prima do século 21 para criar inovações como o CityMapper, que usa dados abertos para revolucionar nossa experiência no transporte público” Briony Phillips, gerente de programas do Open Data Institute (ODI), aqui “Aplicar o aforismo ‘abra seus dados e eles serão usados’ pode criar falsas expectativas. No mundo, existem práticas promissoras que partem de problemas reais e que são enfrentadas graças à existência de dados abertos. O foco deve estar nos problemas a enfrentar e não necessariamente nos dados a abrir” Fabrizio Scrollini, ABRELATAM e DATA Uruguay, aqui “Você tem fome de quê?”
  4. 4. O desafio (dos governos) é criar sentido entre o documento, a informação, os dados.... e a cidadania.
  5. 5. Dimensões de governo aberto Café Hacker! Café Hacker!Fonte: Caja de Herramientas, OEA Café Hacker!
  6. 6. 1862 1888 1ª edição do Diário Oficial da União 2015
  7. 7. 2015
  8. 8. Hacker? Civic + Hacking + Innovation = Civic Hacking: aplicação de novas ferramentas ou abordagens para aprimorar processos e sistemas do governo para todos (Fonte: Defining Civic Hacking, Jake Levitas, Code for America Blog - 2013)
  9. 9. O que é  Um encontro de organizações sociais, cidadãos interessados, programadores, pesquisadores e ativistas....  ...com servidores, técnicos e representantes do Poder Público  para discutir a gestão das informações, dos sites e sistemas da Prefeitura de São Paulo e promover a abertura de dados públicos.  Iniciativa da CGM em parceria com órgãos e entidades municipais.  Início em agosto de 2013
  10. 10. #Metodologia Para intervenção em processos e sistemas Faz parte de política de abertura de dados Capta a demanda social (input e feedback) TL;DR
  11. 11. Formatos Um Café Hacker pode ser organizado de 3 formas: 1. Debate sobre sites e sistemas da Prefeitura 2. “Papo com Dados” e informações sobre políticas públicas 3. Troca de ideias sobre Ferramentas e experiências #VemPorAí o Café Hacker 2.0 Café Hacker Debate Café Hacker Mutirão Café Hacker Oficina...
  12. 12. Devolutiva CGM: Sistematização (durante o evento) CGM: Envio de documento para respostas (até 3 dias pós-evento) Secretarias: Preenchimento de respostas (até 20 dias) CGM: Atualização da Devolutiva no Blog
  13. 13. Os “hacks” do Café Hacker # O fim do “cada um no seu quadrado” Promove interação/colaboração entre secretarias # “Aí dentro nada presta” Desmistifica a máquina pública e seu funcionamento # Ah, era só isso que vocês queriam? Dá rosto ao cidadão e forma às suas demandas; ‘Causo’: Café Hacker na Prodam sobre o e-SIC e as reclamações contra o CAPTCHA ‘Causo’: Café Hacker sobre o processo de compras públicas
  14. 14. Os “hacks” do Café Hacker # ‘Nerds’ e veteranos de movimentos sociais Promove encontro entre diferentes setores, gerações e estilos de participação social # Diagnósticos mais precisos Conecta a gestão com as demandas sociais e # O que é mais relevante? Orienta processo de abertura pela demanda. ‘Causo’: Conferências ‘Causo’: Café Hacker com dados dos ônibus no calor das manifestações de junho de 2013 ‘Causo’: A Conselheira Municipal e as APIs
  15. 15. 12 encontros desde agosto de 2013 - -375 pessoas presencialmente, mais de 1.000 remotamente (live streaming) - -Mobilização direta de dezenas de servidores públicos de 4 Secretarias, 17 empresas da Administração Indireta, uma Subprefeitura e um comitê especial. - -127 contribuições que serviram de subsídio para: - Transparência da Copa do Mundo em São Paulo e da Virada Cultural; - Abertura das bases de dados das empresas públicas; - o aprimoramento de sites e sistemas da Prefeitura como o Portal da Transparência, o e-SIC, o Planeja Sampa e São Paulo Aberta; - a ampliação da transparência no setor de transportes; Alguns resultados
  16. 16. Obrigada! Fernanda Campagnucci Coordenadora de Promoção da Integridade Controladoria Geral do Município fcampagnucci@prefeitura.sp.gov.br Twitter @fecampa

×