SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
Arquitetura Corporativa Desafio em desenvolver  Arquitetura de TIC PÚBLICO – versão: 1 | Abril / 2011 Gestor: Tecnologia da Informação e Telecomunicações
Agenda Um Pouco da Petrobras Complexidade  Alinhamento de TIC ao Negócio Papel da Arquitetura de TIC Riscos envolvidos  Ganhos esperados
Um pouco da Petrobras
A TIC tem um papel fundamental no suporte aos objetivos da Petrobras
Para a TIC acompanhar um desafio desses precisa de aperfeiçoamento contínuo
Infraestrutura de Alta Complexidade Desenvolvimento de Sistemas 4.000 sistemas em utilização Crescimento 350 sistemas/ano Helpdesk 111.724 usuários no Brasil 6.635 usuários no exterior 165.781 chamados Helpdesk/mês – Brasil 8.353 chamados Helpdesk/mês – exterior Resolvem 76,6% do volume de solicitações Storage 13petabytes de capacidade de armazenamento Equipamentos em Operação Servidores 5.000 servidores físicos 6.000 servidores lógicos 11.000 total de servidores (físicos+lógicos) Mainframe 750 usuários simultâneos 100.000 solicitações diárias via Intranet Capacidade de processamento de 1.025Mips Praticamente 100% da força de trabalho com acesso à rede interna A Central de Atendimento da TIC atende cerca de 240.000 chamadas por mês.
Infraestrutura de Alta Complexidade Rede de voz 250 centrais PABX 2Softswichs 4.000 telefones IP 101.446 ramais telefônicos TDM 22.259  aparelhos celulares Operação integrada através de 7 dígitos Rede de videoconferência  780 salas corporativas 920 terminais de uso pessoal (PVX) 10 unidades de controle Multiponto (MCU) TV corporativa  245 pontos de recepção Rede de comunicação de dados  1.637 roteadores 6.775 switches 127.088  pontos de rede Rede de satélite  285 estações VSAT 2 HUBs Rede de transmissão rádio  355 estações rádio-repetidoras 8.500 Km de enlaces de rádio,de média e alta capacidades 30 rádios SDH Rede de transmissão ótica 500 km de rede ótica submarina 7.125 km de rede ótica terrestre Rede backbone 587 multiplexadores MTDM 12 comutadores ATM 197 multiplexadores SDH 79 nós de sincronismo 21 multiplexadores WDM 123 comutadores MPLS A Central de Atendimento da TIC atende 2.200.000 chamadas por ano.
Linha do tempo Criação Petrobras Criação Seorg Descentralização Processamento Zacman fala sobre EA Primeiras iniciativas de mapeamento de processos
Complexidade x Valor ao Negócio Business Technology “Parece tão simples — Mas não é " Negócio Tecnologia
 Arquitetura Corporativa Arquitetura de Negócios Arquitetura de Negócios Mapeamento de Processos Modelos Conceituais Mapa de Aplicações (VA) Lacuna Arquitetura de Informação Arquitetura de Aplicação Arquitetura de Informação Arquitetura de Aplicação Arquitetura Tecnológica Mercado Arquitetura Tecnológica Domínios da Arquitetura
 Arquitetura Corporativa Arquitetura de Negócios Arquitetura de Informação Arquitetura de Aplicação Arquitetura Tecnológica Domínios da Arquitetura
 Arquitetura Corporativa Arquitetura de Negócios Mapeamento de Processos Modelos Conceituais Mapa de Aplicações (VA) Lacunas Arquitetura de Informação Arquitetura de Aplicação Arquitetura Tecnológica Domínios da Arquitetura Tendências
Arquitetura de TIC “É o processo de tradução da visão do negócio e sua estratégia em mudanças necessárias da TIC através da criação, melhorias e comunicação dos princípios e modelos que descrevem o estado futuro da organização, favorecendo a sua evolução gerenciada.”  [Gartner, 2006] Arquitetura  =     visão futura     +      caminho Mas o futuro é construído HOJE
A partir do Planejamento Estratégicoa TIC desenvolve a sua Focalização
Esferas de atuação da Arquitetura de TIC Estratégico Operacional Tático Governar Processos Negócio Plano Estratégico Petrobras Tratar Demandas  Governar Arquitetura de TIC  Plano Tático Foc. Estratégica TIC Implementar Soluções  Plano de Arquitetura  de TIC Mercado TIC Visibilidade dos benefícios para o negócio
[object Object]
(Planejar os investimentos estruturantes de TIC considerando mercado e negócio)
Mapeamento de processos de negócio
(TIC precisa conhecer os processos em detalhes adequados para produzir soluções melhores)
Organização de Negócio e TIC com visão Crítica e Analítica
(Direcionamento Alinhado na Priorização)
Visão dos Custos e benefícios envolvidos com as mudanças
(Custo e Benefício)
Garantir que a produção de soluções considere a visão de Arquitetura

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Termo De ReferêNcia Fdc & Invit
Termo De ReferêNcia   Fdc & InvitTermo De ReferêNcia   Fdc & Invit
Termo De ReferêNcia Fdc & Invitminasinvest
 
Apresentacao Aula Parte1
Apresentacao Aula Parte1Apresentacao Aula Parte1
Apresentacao Aula Parte1Humberto Fontes
 
Business Intelligence
Business IntelligenceBusiness Intelligence
Business Intelligencenesi
 
Dashboards para BI e Introdução ao Tableau
Dashboards para BI e Introdução ao TableauDashboards para BI e Introdução ao Tableau
Dashboards para BI e Introdução ao TableauLeandro Guerra
 
PIF2019 - A10 - Henrique Eduardo Souza e Vinícius Biscolla - Rakkun
PIF2019 - A10 - Henrique Eduardo Souza e Vinícius Biscolla - RakkunPIF2019 - A10 - Henrique Eduardo Souza e Vinícius Biscolla - Rakkun
PIF2019 - A10 - Henrique Eduardo Souza e Vinícius Biscolla - RakkunEvandro Gama (Prof. Dr.)
 
Desenvolvimento de software – novas abordagens e desafios - Leonardo Lellis
Desenvolvimento de software – novas abordagens e desafios - Leonardo LellisDesenvolvimento de software – novas abordagens e desafios - Leonardo Lellis
Desenvolvimento de software – novas abordagens e desafios - Leonardo LellisRio Info
 
Singep a adoção de um modelo multicritério para a priorização dos projetos ...
Singep   a adoção de um modelo multicritério para a priorização dos projetos ...Singep   a adoção de um modelo multicritério para a priorização dos projetos ...
Singep a adoção de um modelo multicritério para a priorização dos projetos ...André R. Rivas
 
Business Inteligence BI
Business Inteligence BIBusiness Inteligence BI
Business Inteligence BIMarco Coghi
 
O que é Business Intelligence (BI)
O que é Business Intelligence (BI)O que é Business Intelligence (BI)
O que é Business Intelligence (BI)Marco Garcia
 
PIF2019 - A15 - Cesar Batalha e Jocilei Oliveira Filho - AutoForm
PIF2019 - A15 - Cesar Batalha e Jocilei Oliveira Filho - AutoFormPIF2019 - A15 - Cesar Batalha e Jocilei Oliveira Filho - AutoForm
PIF2019 - A15 - Cesar Batalha e Jocilei Oliveira Filho - AutoFormEvandro Gama (Prof. Dr.)
 
Diretrizes EstratéGicas
Diretrizes EstratéGicasDiretrizes EstratéGicas
Diretrizes EstratéGicasSueli Bacelar
 

Mais procurados (20)

Termo De ReferêNcia Fdc & Invit
Termo De ReferêNcia   Fdc & InvitTermo De ReferêNcia   Fdc & Invit
Termo De ReferêNcia Fdc & Invit
 
Apresentacao Aula Parte1
Apresentacao Aula Parte1Apresentacao Aula Parte1
Apresentacao Aula Parte1
 
Slides SENAC aula 3
Slides SENAC aula 3Slides SENAC aula 3
Slides SENAC aula 3
 
Governança ti itil
Governança ti   itilGovernança ti   itil
Governança ti itil
 
Business Intelligence
Business IntelligenceBusiness Intelligence
Business Intelligence
 
Slides SENAC Aula 2
Slides SENAC Aula 2Slides SENAC Aula 2
Slides SENAC Aula 2
 
Dashboards para BI e Introdução ao Tableau
Dashboards para BI e Introdução ao TableauDashboards para BI e Introdução ao Tableau
Dashboards para BI e Introdução ao Tableau
 
PIF2019 - A10 - Henrique Eduardo Souza e Vinícius Biscolla - Rakkun
PIF2019 - A10 - Henrique Eduardo Souza e Vinícius Biscolla - RakkunPIF2019 - A10 - Henrique Eduardo Souza e Vinícius Biscolla - Rakkun
PIF2019 - A10 - Henrique Eduardo Souza e Vinícius Biscolla - Rakkun
 
Apresentação business intelligence
Apresentação business intelligenceApresentação business intelligence
Apresentação business intelligence
 
Slides SENAC Aula 1
Slides SENAC Aula 1Slides SENAC Aula 1
Slides SENAC Aula 1
 
PIF2019 - A19 - Matheus Terra - Clever X
PIF2019 - A19 - Matheus Terra - Clever XPIF2019 - A19 - Matheus Terra - Clever X
PIF2019 - A19 - Matheus Terra - Clever X
 
Business Intelligence
Business IntelligenceBusiness Intelligence
Business Intelligence
 
Desenvolvimento de software – novas abordagens e desafios - Leonardo Lellis
Desenvolvimento de software – novas abordagens e desafios - Leonardo LellisDesenvolvimento de software – novas abordagens e desafios - Leonardo Lellis
Desenvolvimento de software – novas abordagens e desafios - Leonardo Lellis
 
Singep a adoção de um modelo multicritério para a priorização dos projetos ...
Singep   a adoção de um modelo multicritério para a priorização dos projetos ...Singep   a adoção de um modelo multicritério para a priorização dos projetos ...
Singep a adoção de um modelo multicritério para a priorização dos projetos ...
 
Business Inteligence BI
Business Inteligence BIBusiness Inteligence BI
Business Inteligence BI
 
O que é Business Intelligence (BI)
O que é Business Intelligence (BI)O que é Business Intelligence (BI)
O que é Business Intelligence (BI)
 
Cobit 2
Cobit 2Cobit 2
Cobit 2
 
PIF2019 - A15 - Cesar Batalha e Jocilei Oliveira Filho - AutoForm
PIF2019 - A15 - Cesar Batalha e Jocilei Oliveira Filho - AutoFormPIF2019 - A15 - Cesar Batalha e Jocilei Oliveira Filho - AutoForm
PIF2019 - A15 - Cesar Batalha e Jocilei Oliveira Filho - AutoForm
 
Diretrizes EstratéGicas
Diretrizes EstratéGicasDiretrizes EstratéGicas
Diretrizes EstratéGicas
 
PIF2019 - A07 - Bruno Mendes - Reskill
PIF2019 - A07 - Bruno Mendes - ReskillPIF2019 - A07 - Bruno Mendes - Reskill
PIF2019 - A07 - Bruno Mendes - Reskill
 

Semelhante a AE Rio 2011 - Desafio da implantação de arquitetura de TI

Sobre arquitetura corporativa e o papel do arquiteto
Sobre arquitetura corporativa e o papel do arquitetoSobre arquitetura corporativa e o papel do arquiteto
Sobre arquitetura corporativa e o papel do arquitetoThiago Rocha
 
Mini Curso - Gestão de Infraestrutura de TI
Mini Curso - Gestão de Infraestrutura de TIMini Curso - Gestão de Infraestrutura de TI
Mini Curso - Gestão de Infraestrutura de TIPaulo Nascimento
 
Customer Success Story CPD Informática
Customer Success Story   CPD InformáticaCustomer Success Story   CPD Informática
Customer Success Story CPD InformáticaCPD Informática
 
I Forum GSTI - Microsoft
I Forum GSTI -  MicrosoftI Forum GSTI -  Microsoft
I Forum GSTI - MicrosoftMarcos Andre
 
Apresentação DITEC 2023 v1.pptx
Apresentação DITEC 2023 v1.pptxApresentação DITEC 2023 v1.pptx
Apresentação DITEC 2023 v1.pptxJosuSantos75
 
governanc3a7a-de-ti.pptx
governanc3a7a-de-ti.pptxgovernanc3a7a-de-ti.pptx
governanc3a7a-de-ti.pptxValbertoSilva5
 
C:\fakepath\palestra infra ocemg
C:\fakepath\palestra infra  ocemgC:\fakepath\palestra infra  ocemg
C:\fakepath\palestra infra ocemgPaulo Nascimento
 
Palestra UNIBERO (SP) - SOA: Conceito e prática na implementação
Palestra UNIBERO (SP) - SOA: Conceito e prática na implementaçãoPalestra UNIBERO (SP) - SOA: Conceito e prática na implementação
Palestra UNIBERO (SP) - SOA: Conceito e prática na implementaçãoAndré Lima
 
Ágil e Arquitetura-Os Opostos se Atraem
Ágil e Arquitetura-Os Opostos se AtraemÁgil e Arquitetura-Os Opostos se Atraem
Ágil e Arquitetura-Os Opostos se AtraemCentus Consultoria
 
Evento Entrega Ágil de Processos Digitais - Magic Software
Evento Entrega Ágil de Processos Digitais - Magic SoftwareEvento Entrega Ágil de Processos Digitais - Magic Software
Evento Entrega Ágil de Processos Digitais - Magic SoftwareLecom Tecnologia
 
Apresentação de Claudio Coli no Forum SPED 2008 Mastersaf
Apresentação de Claudio Coli no Forum SPED 2008 MastersafApresentação de Claudio Coli no Forum SPED 2008 Mastersaf
Apresentação de Claudio Coli no Forum SPED 2008 MastersafRoberto Dias Duarte
 
201305 IT Simplification Caixa Seguros
201305 IT Simplification Caixa Seguros201305 IT Simplification Caixa Seguros
201305 IT Simplification Caixa SegurosFrancisco Calzado
 
Principais desafios, objetivos e benefícios da integração entre a ta e a ti
Principais desafios, objetivos e benefícios da integração entre a ta e a tiPrincipais desafios, objetivos e benefícios da integração entre a ta e a ti
Principais desafios, objetivos e benefícios da integração entre a ta e a tiMezasoft
 
Aula3 4 planejamento estratégico de tecnologia da informação
Aula3 4 planejamento estratégico de tecnologia da informaçãoAula3 4 planejamento estratégico de tecnologia da informação
Aula3 4 planejamento estratégico de tecnologia da informaçãoUniversal.org.mx
 

Semelhante a AE Rio 2011 - Desafio da implantação de arquitetura de TI (20)

Aula 1 dsi
Aula 1  dsiAula 1  dsi
Aula 1 dsi
 
Sobre arquitetura corporativa e o papel do arquiteto
Sobre arquitetura corporativa e o papel do arquitetoSobre arquitetura corporativa e o papel do arquiteto
Sobre arquitetura corporativa e o papel do arquiteto
 
Mini Curso - Gestão de Infraestrutura de TI
Mini Curso - Gestão de Infraestrutura de TIMini Curso - Gestão de Infraestrutura de TI
Mini Curso - Gestão de Infraestrutura de TI
 
Indicadores para a area de TI
Indicadores para a area de TIIndicadores para a area de TI
Indicadores para a area de TI
 
Customer Success Story CPD Informática
Customer Success Story   CPD InformáticaCustomer Success Story   CPD Informática
Customer Success Story CPD Informática
 
I Forum GSTI - Microsoft
I Forum GSTI -  MicrosoftI Forum GSTI -  Microsoft
I Forum GSTI - Microsoft
 
Apresentação DITEC 2023 v1.pptx
Apresentação DITEC 2023 v1.pptxApresentação DITEC 2023 v1.pptx
Apresentação DITEC 2023 v1.pptx
 
governanc3a7a-de-ti.pptx
governanc3a7a-de-ti.pptxgovernanc3a7a-de-ti.pptx
governanc3a7a-de-ti.pptx
 
C:\fakepath\palestra infra ocemg
C:\fakepath\palestra infra  ocemgC:\fakepath\palestra infra  ocemg
C:\fakepath\palestra infra ocemg
 
Palestra Infra OCEMG
Palestra Infra OCEMGPalestra Infra OCEMG
Palestra Infra OCEMG
 
Palestra UNIBERO (SP) - SOA: Conceito e prática na implementação
Palestra UNIBERO (SP) - SOA: Conceito e prática na implementaçãoPalestra UNIBERO (SP) - SOA: Conceito e prática na implementação
Palestra UNIBERO (SP) - SOA: Conceito e prática na implementação
 
ProIndústria 2018 - dia 23 - H201 - A04
ProIndústria 2018 - dia 23 - H201 - A04ProIndústria 2018 - dia 23 - H201 - A04
ProIndústria 2018 - dia 23 - H201 - A04
 
Ágil e Arquitetura-Os Opostos se Atraem
Ágil e Arquitetura-Os Opostos se AtraemÁgil e Arquitetura-Os Opostos se Atraem
Ágil e Arquitetura-Os Opostos se Atraem
 
Evento Entrega Ágil de Processos Digitais - Magic Software
Evento Entrega Ágil de Processos Digitais - Magic SoftwareEvento Entrega Ágil de Processos Digitais - Magic Software
Evento Entrega Ágil de Processos Digitais - Magic Software
 
Apresentação de Claudio Coli no Forum SPED 2008 Mastersaf
Apresentação de Claudio Coli no Forum SPED 2008 MastersafApresentação de Claudio Coli no Forum SPED 2008 Mastersaf
Apresentação de Claudio Coli no Forum SPED 2008 Mastersaf
 
201305 IT Simplification Caixa Seguros
201305 IT Simplification Caixa Seguros201305 IT Simplification Caixa Seguros
201305 IT Simplification Caixa Seguros
 
Principais desafios, objetivos e benefícios da integração entre a ta e a ti
Principais desafios, objetivos e benefícios da integração entre a ta e a tiPrincipais desafios, objetivos e benefícios da integração entre a ta e a ti
Principais desafios, objetivos e benefícios da integração entre a ta e a ti
 
Governança de TIC
Governança de TICGovernança de TIC
Governança de TIC
 
Aula3 4 planejamento estratégico de tecnologia da informação
Aula3 4 planejamento estratégico de tecnologia da informaçãoAula3 4 planejamento estratégico de tecnologia da informação
Aula3 4 planejamento estratégico de tecnologia da informação
 
Curso gestao servicos modulo 1 - v1
Curso gestao servicos   modulo 1 - v1Curso gestao servicos   modulo 1 - v1
Curso gestao servicos modulo 1 - v1
 

Mais de Fernando Botafogo

AE Rio 2011 - Case Vale-EA x governance
AE Rio 2011 - Case Vale-EA x governanceAE Rio 2011 - Case Vale-EA x governance
AE Rio 2011 - Case Vale-EA x governanceFernando Botafogo
 
AE Rio 2011 - Uma década de ensinamentos de arquitetura empresarial
AE Rio 2011 - Uma década de ensinamentos de arquitetura empresarialAE Rio 2011 - Uma década de ensinamentos de arquitetura empresarial
AE Rio 2011 - Uma década de ensinamentos de arquitetura empresarialFernando Botafogo
 
AE Rio 2011 - Togaf e Archimate
AE Rio 2011 - Togaf e ArchimateAE Rio 2011 - Togaf e Archimate
AE Rio 2011 - Togaf e ArchimateFernando Botafogo
 
AE Rio 2011 - Arquitetura empresarial como instrumento pragmatico para a estr...
AE Rio 2011 - Arquitetura empresarial como instrumento pragmatico para a estr...AE Rio 2011 - Arquitetura empresarial como instrumento pragmatico para a estr...
AE Rio 2011 - Arquitetura empresarial como instrumento pragmatico para a estr...Fernando Botafogo
 
Ae rio 2011 prof. courtnay- publico
Ae rio 2011   prof. courtnay- publicoAe rio 2011   prof. courtnay- publico
Ae rio 2011 prof. courtnay- publicoFernando Botafogo
 
Ae rio 2011 Case Oi e Accenture - SOA
Ae rio 2011 Case Oi e Accenture - SOAAe rio 2011 Case Oi e Accenture - SOA
Ae rio 2011 Case Oi e Accenture - SOAFernando Botafogo
 
Ae rio 2011 - arquitetura da informação organizacional - UnB CPAS
Ae rio 2011 - arquitetura da informação organizacional - UnB CPASAe rio 2011 - arquitetura da informação organizacional - UnB CPAS
Ae rio 2011 - arquitetura da informação organizacional - UnB CPASFernando Botafogo
 
AE Rio 2011 - AE e o Escritorio de processos - Compass
AE Rio 2011 - AE e o Escritorio de processos - CompassAE Rio 2011 - AE e o Escritorio de processos - Compass
AE Rio 2011 - AE e o Escritorio de processos - CompassFernando Botafogo
 
Ae rio 2011 arquitetura corporativa e ppm - Gnosis
Ae rio 2011 arquitetura corporativa e ppm - GnosisAe rio 2011 arquitetura corporativa e ppm - Gnosis
Ae rio 2011 arquitetura corporativa e ppm - GnosisFernando Botafogo
 
AE Rio 2011 - AOGEA-Brasil - Roberto Severo
AE Rio 2011 - AOGEA-Brasil - Roberto SeveroAE Rio 2011 - AOGEA-Brasil - Roberto Severo
AE Rio 2011 - AOGEA-Brasil - Roberto SeveroFernando Botafogo
 
AE Rio 2011 - AITEC - Pedro Sousa
AE Rio 2011 - AITEC - Pedro SousaAE Rio 2011 - AITEC - Pedro Sousa
AE Rio 2011 - AITEC - Pedro SousaFernando Botafogo
 
AE Rio 2011 - Planejamento Estrategico de TI - Wander collyer
AE Rio 2011 - Planejamento Estrategico de TI - Wander collyerAE Rio 2011 - Planejamento Estrategico de TI - Wander collyer
AE Rio 2011 - Planejamento Estrategico de TI - Wander collyerFernando Botafogo
 
AE Rio 2011 - ABPMP - Paola Rudi Coutinho
AE Rio 2011 - ABPMP - Paola Rudi CoutinhoAE Rio 2011 - ABPMP - Paola Rudi Coutinho
AE Rio 2011 - ABPMP - Paola Rudi CoutinhoFernando Botafogo
 
AERio 2011 - BPM e SOA - Leonardo Azevedo
AERio 2011 - BPM e SOA - Leonardo AzevedoAERio 2011 - BPM e SOA - Leonardo Azevedo
AERio 2011 - BPM e SOA - Leonardo AzevedoFernando Botafogo
 
AE Rio 2011 - ABPMP - Gart Capote
AE Rio 2011 - ABPMP - Gart CapoteAE Rio 2011 - ABPMP - Gart Capote
AE Rio 2011 - ABPMP - Gart CapoteFernando Botafogo
 
AE Rio 2011 - SE7TI - Fernanda Baiao
AE Rio 2011 - SE7TI - Fernanda BaiaoAE Rio 2011 - SE7TI - Fernanda Baiao
AE Rio 2011 - SE7TI - Fernanda BaiaoFernando Botafogo
 
AE Rio 2011 - Gestao por processo - Marcelo Magalhaes
AE Rio 2011 - Gestao por processo - Marcelo MagalhaesAE Rio 2011 - Gestao por processo - Marcelo Magalhaes
AE Rio 2011 - Gestao por processo - Marcelo MagalhaesFernando Botafogo
 
AE Rio 2011 - Escolas Europeias Jose Tribolet
AE Rio 2011 - Escolas Europeias Jose TriboletAE Rio 2011 - Escolas Europeias Jose Tribolet
AE Rio 2011 - Escolas Europeias Jose TriboletFernando Botafogo
 
AE Rio 2011 - SAGE COPPE-UFRJ - Roquemar Baldan
AE Rio 2011 - SAGE COPPE-UFRJ - Roquemar BaldanAE Rio 2011 - SAGE COPPE-UFRJ - Roquemar Baldan
AE Rio 2011 - SAGE COPPE-UFRJ - Roquemar BaldanFernando Botafogo
 

Mais de Fernando Botafogo (20)

AE Rio 2011 - Case Vale-EA x governance
AE Rio 2011 - Case Vale-EA x governanceAE Rio 2011 - Case Vale-EA x governance
AE Rio 2011 - Case Vale-EA x governance
 
AE Rio 2011 - Uma década de ensinamentos de arquitetura empresarial
AE Rio 2011 - Uma década de ensinamentos de arquitetura empresarialAE Rio 2011 - Uma década de ensinamentos de arquitetura empresarial
AE Rio 2011 - Uma década de ensinamentos de arquitetura empresarial
 
AE Rio 2011 - Togaf e Archimate
AE Rio 2011 - Togaf e ArchimateAE Rio 2011 - Togaf e Archimate
AE Rio 2011 - Togaf e Archimate
 
AE Rio 2011 - Arquitetura empresarial como instrumento pragmatico para a estr...
AE Rio 2011 - Arquitetura empresarial como instrumento pragmatico para a estr...AE Rio 2011 - Arquitetura empresarial como instrumento pragmatico para a estr...
AE Rio 2011 - Arquitetura empresarial como instrumento pragmatico para a estr...
 
Ae rio 2011 prof. courtnay- publico
Ae rio 2011   prof. courtnay- publicoAe rio 2011   prof. courtnay- publico
Ae rio 2011 prof. courtnay- publico
 
Ae rio 2011 Case Oi e Accenture - SOA
Ae rio 2011 Case Oi e Accenture - SOAAe rio 2011 Case Oi e Accenture - SOA
Ae rio 2011 Case Oi e Accenture - SOA
 
Ae rio 2011 - arquitetura da informação organizacional - UnB CPAS
Ae rio 2011 - arquitetura da informação organizacional - UnB CPASAe rio 2011 - arquitetura da informação organizacional - UnB CPAS
Ae rio 2011 - arquitetura da informação organizacional - UnB CPAS
 
AE Rio 2011 - AE e o Escritorio de processos - Compass
AE Rio 2011 - AE e o Escritorio de processos - CompassAE Rio 2011 - AE e o Escritorio de processos - Compass
AE Rio 2011 - AE e o Escritorio de processos - Compass
 
Ae rio 2011 arquitetura corporativa e ppm - Gnosis
Ae rio 2011 arquitetura corporativa e ppm - GnosisAe rio 2011 arquitetura corporativa e ppm - Gnosis
Ae rio 2011 arquitetura corporativa e ppm - Gnosis
 
AE Rio 2011 - AOGEA-Brasil - Roberto Severo
AE Rio 2011 - AOGEA-Brasil - Roberto SeveroAE Rio 2011 - AOGEA-Brasil - Roberto Severo
AE Rio 2011 - AOGEA-Brasil - Roberto Severo
 
AE Rio 2011 - AITEC - Pedro Sousa
AE Rio 2011 - AITEC - Pedro SousaAE Rio 2011 - AITEC - Pedro Sousa
AE Rio 2011 - AITEC - Pedro Sousa
 
AE Rio 2011 - Planejamento Estrategico de TI - Wander collyer
AE Rio 2011 - Planejamento Estrategico de TI - Wander collyerAE Rio 2011 - Planejamento Estrategico de TI - Wander collyer
AE Rio 2011 - Planejamento Estrategico de TI - Wander collyer
 
AE Rio 2011 - ABPMP - Paola Rudi Coutinho
AE Rio 2011 - ABPMP - Paola Rudi CoutinhoAE Rio 2011 - ABPMP - Paola Rudi Coutinho
AE Rio 2011 - ABPMP - Paola Rudi Coutinho
 
AERio 2011 - BPM e SOA - Leonardo Azevedo
AERio 2011 - BPM e SOA - Leonardo AzevedoAERio 2011 - BPM e SOA - Leonardo Azevedo
AERio 2011 - BPM e SOA - Leonardo Azevedo
 
AE Rio 2011 - ABPMP - Gart Capote
AE Rio 2011 - ABPMP - Gart CapoteAE Rio 2011 - ABPMP - Gart Capote
AE Rio 2011 - ABPMP - Gart Capote
 
AE Rio 2011 - SE7TI - Fernanda Baiao
AE Rio 2011 - SE7TI - Fernanda BaiaoAE Rio 2011 - SE7TI - Fernanda Baiao
AE Rio 2011 - SE7TI - Fernanda Baiao
 
AE Rio 2011 - Rafael Paim
AE Rio 2011 - Rafael PaimAE Rio 2011 - Rafael Paim
AE Rio 2011 - Rafael Paim
 
AE Rio 2011 - Gestao por processo - Marcelo Magalhaes
AE Rio 2011 - Gestao por processo - Marcelo MagalhaesAE Rio 2011 - Gestao por processo - Marcelo Magalhaes
AE Rio 2011 - Gestao por processo - Marcelo Magalhaes
 
AE Rio 2011 - Escolas Europeias Jose Tribolet
AE Rio 2011 - Escolas Europeias Jose TriboletAE Rio 2011 - Escolas Europeias Jose Tribolet
AE Rio 2011 - Escolas Europeias Jose Tribolet
 
AE Rio 2011 - SAGE COPPE-UFRJ - Roquemar Baldan
AE Rio 2011 - SAGE COPPE-UFRJ - Roquemar BaldanAE Rio 2011 - SAGE COPPE-UFRJ - Roquemar Baldan
AE Rio 2011 - SAGE COPPE-UFRJ - Roquemar Baldan
 

Último

Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...
Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...
Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...imostorept
 
Pesquisa de satisfação - Encontro Fazemos Acontecer
Pesquisa de satisfação - Encontro Fazemos AcontecerPesquisa de satisfação - Encontro Fazemos Acontecer
Pesquisa de satisfação - Encontro Fazemos AcontecerMarina Evangelista
 
DROGASIL EQUIPE LOGISTICA MERCADOLOGICA.pptx
DROGASIL EQUIPE LOGISTICA MERCADOLOGICA.pptxDROGASIL EQUIPE LOGISTICA MERCADOLOGICA.pptx
DROGASIL EQUIPE LOGISTICA MERCADOLOGICA.pptxednamonteiro13
 
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptxCavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptxEduardoRodriguesOliv2
 
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...E-Commerce Brasil
 
b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdf
b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdfb2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdf
b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdfRenandantas16
 

Último (6)

Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...
Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...
Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...
 
Pesquisa de satisfação - Encontro Fazemos Acontecer
Pesquisa de satisfação - Encontro Fazemos AcontecerPesquisa de satisfação - Encontro Fazemos Acontecer
Pesquisa de satisfação - Encontro Fazemos Acontecer
 
DROGASIL EQUIPE LOGISTICA MERCADOLOGICA.pptx
DROGASIL EQUIPE LOGISTICA MERCADOLOGICA.pptxDROGASIL EQUIPE LOGISTICA MERCADOLOGICA.pptx
DROGASIL EQUIPE LOGISTICA MERCADOLOGICA.pptx
 
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptxCavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
 
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
 
b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdf
b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdfb2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdf
b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdf
 

AE Rio 2011 - Desafio da implantação de arquitetura de TI

  • 1. Arquitetura Corporativa Desafio em desenvolver Arquitetura de TIC PÚBLICO – versão: 1 | Abril / 2011 Gestor: Tecnologia da Informação e Telecomunicações
  • 2. Agenda Um Pouco da Petrobras Complexidade Alinhamento de TIC ao Negócio Papel da Arquitetura de TIC Riscos envolvidos Ganhos esperados
  • 3. Um pouco da Petrobras
  • 4. A TIC tem um papel fundamental no suporte aos objetivos da Petrobras
  • 5. Para a TIC acompanhar um desafio desses precisa de aperfeiçoamento contínuo
  • 6. Infraestrutura de Alta Complexidade Desenvolvimento de Sistemas 4.000 sistemas em utilização Crescimento 350 sistemas/ano Helpdesk 111.724 usuários no Brasil 6.635 usuários no exterior 165.781 chamados Helpdesk/mês – Brasil 8.353 chamados Helpdesk/mês – exterior Resolvem 76,6% do volume de solicitações Storage 13petabytes de capacidade de armazenamento Equipamentos em Operação Servidores 5.000 servidores físicos 6.000 servidores lógicos 11.000 total de servidores (físicos+lógicos) Mainframe 750 usuários simultâneos 100.000 solicitações diárias via Intranet Capacidade de processamento de 1.025Mips Praticamente 100% da força de trabalho com acesso à rede interna A Central de Atendimento da TIC atende cerca de 240.000 chamadas por mês.
  • 7. Infraestrutura de Alta Complexidade Rede de voz 250 centrais PABX 2Softswichs 4.000 telefones IP 101.446 ramais telefônicos TDM 22.259 aparelhos celulares Operação integrada através de 7 dígitos Rede de videoconferência 780 salas corporativas 920 terminais de uso pessoal (PVX) 10 unidades de controle Multiponto (MCU) TV corporativa 245 pontos de recepção Rede de comunicação de dados 1.637 roteadores 6.775 switches 127.088 pontos de rede Rede de satélite 285 estações VSAT 2 HUBs Rede de transmissão rádio 355 estações rádio-repetidoras 8.500 Km de enlaces de rádio,de média e alta capacidades 30 rádios SDH Rede de transmissão ótica 500 km de rede ótica submarina 7.125 km de rede ótica terrestre Rede backbone 587 multiplexadores MTDM 12 comutadores ATM 197 multiplexadores SDH 79 nós de sincronismo 21 multiplexadores WDM 123 comutadores MPLS A Central de Atendimento da TIC atende 2.200.000 chamadas por ano.
  • 8. Linha do tempo Criação Petrobras Criação Seorg Descentralização Processamento Zacman fala sobre EA Primeiras iniciativas de mapeamento de processos
  • 9. Complexidade x Valor ao Negócio Business Technology “Parece tão simples — Mas não é " Negócio Tecnologia
  • 10. Arquitetura Corporativa Arquitetura de Negócios Arquitetura de Negócios Mapeamento de Processos Modelos Conceituais Mapa de Aplicações (VA) Lacuna Arquitetura de Informação Arquitetura de Aplicação Arquitetura de Informação Arquitetura de Aplicação Arquitetura Tecnológica Mercado Arquitetura Tecnológica Domínios da Arquitetura
  • 11. Arquitetura Corporativa Arquitetura de Negócios Arquitetura de Informação Arquitetura de Aplicação Arquitetura Tecnológica Domínios da Arquitetura
  • 12. Arquitetura Corporativa Arquitetura de Negócios Mapeamento de Processos Modelos Conceituais Mapa de Aplicações (VA) Lacunas Arquitetura de Informação Arquitetura de Aplicação Arquitetura Tecnológica Domínios da Arquitetura Tendências
  • 13. Arquitetura de TIC “É o processo de tradução da visão do negócio e sua estratégia em mudanças necessárias da TIC através da criação, melhorias e comunicação dos princípios e modelos que descrevem o estado futuro da organização, favorecendo a sua evolução gerenciada.” [Gartner, 2006] Arquitetura = visão futura + caminho Mas o futuro é construído HOJE
  • 14. A partir do Planejamento Estratégicoa TIC desenvolve a sua Focalização
  • 15. Esferas de atuação da Arquitetura de TIC Estratégico Operacional Tático Governar Processos Negócio Plano Estratégico Petrobras Tratar Demandas Governar Arquitetura de TIC Plano Tático Foc. Estratégica TIC Implementar Soluções Plano de Arquitetura de TIC Mercado TIC Visibilidade dos benefícios para o negócio
  • 16.
  • 17. (Planejar os investimentos estruturantes de TIC considerando mercado e negócio)
  • 19. (TIC precisa conhecer os processos em detalhes adequados para produzir soluções melhores)
  • 20. Organização de Negócio e TIC com visão Crítica e Analítica
  • 22. Visão dos Custos e benefícios envolvidos com as mudanças
  • 24. Garantir que a produção de soluções considere a visão de Arquitetura
  • 25. (O processo arquitetural deve ser compensado na produtividade) Para um bom alinhamento de TIC ao Negócio
  • 26. Visão geral da Cadeia de Valor da TIC CLIENTE
  • 27.
  • 29. Mapeamento de dados e aplicações para Refinarias
  • 32. Implantação de arquitetura de referência para Regras de Negócio
  • 33. Prospecções tecnológicas nas áreas de Cloud, Comunicação Unificada, MobilidadePlano de Arquitetura de TIC
  • 34. Rede de Arquitetos Não adianta apenas o trabalho conceitual,éfundamental o acompanhamento no campo A manuteção dos modelos de dados, mapa de aplicações e dos processos é uma atividade permanente
  • 35.
  • 36. Manter o acervo de aplicações atualizados e alinhados ao negócio incluindo sua criticidade, valor para o negócio e custo.
  • 37.
  • 38.
  • 39. A área de TIC não investir significativamente na produção e utilização dos modelos conceituais devido ao maior foco em demandas pontuais
  • 40. Dificuldades na definição de prioridades dos projetos de TIC
  • 41. Abordagem tímida na adequação dos legados
  • 42.
  • 43. KERS - Kinetic Energy Recovery System “Gastar” em tempo voltado à organização e planejamento é como investir agora para gastar na hora certa
  • 44. PERGUNTAS ? Orlando Pinna pinna@petrobras.com.br Tecnologia de Informações e Comunicações Integração da Demanda, Tecnologia e Arquitetura PÚBLICO – versão: 1 | Abril / 2011 Gestor: Tecnologia da Informação e Telecomunicações
  • 45. Obrigado Orlando Pinna pinna@petrobras.com.br Tecnologia de Informações e Comunicações Integração da Demanda, Tecnologia e Arquitetura PÚBLICO – versão: 1 | Abril / 2011 Gestor: Tecnologia da Informação e Telecomunicações