O Menino que Falava
com os pés
mais do que um espetáculo teatral
Um ato pela cidadania das pessoas com deficiência
projeto...
O Menino que Falava
com os pés
• Responsáveis
• Jairo Gomes dos Santos
• CNPJ: 12.987.159/0001-20
• Jairosantos1976@globo....
Apresentamos a proposta de patrocínio direcionado à produção do espetáculo teatral
“O Menino que Falava com os pés”. A peç...
Tendo como base este cenário social, a produção desse espetáculo torna-se relevante,
tendo em vista o intuito dele de ser ...
A proposta de execução desse projeto visa a remontagem do espetáculo teatral,
que em 2016 comemorará 17 anos, realizando 3...
O público a que se destina este espetáculo é basicamente formado crianças e
adolescentes, com e sem necessidades especiais...
Léo, portador de Paralisia Cerebral, enfrenta os obstáculos de seu primeiro dia de
aula em uma escola normal. O inspetor G...
A peça “O Menino que Falava com os pés”. Traz a temática da inclusão sócio escolar dos
alunos com necessidades especiais, ...
Fabio Fernandes, jornalista dramaturgo, poeta e roteirista e autor teatral Fabio, que
tem paralisia cerebral, atua no cená...
Fabio atuou como repórter na cobertura dos jogos Parapan-americanos de
2007, além de manter o blog ‘eficiente em foco’, um...
Jairo Santos, ator e produtor, têm desde 2010 o MEI sob o CNPJ 12.987.159/0001-
20, a Inscrição Municipal 5223911 com o no...
 CONTRAPARTIDA FISCAL
Os patrocinadores desse projeto poderão deduzir parte do investimento em
seu ISS, conforme a tabela...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O menino que falava com os pés

177 visualizações

Publicada em

projeto da peça o menino que falava com os pés

Publicada em: Arte e fotografia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
177
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O menino que falava com os pés

  1. 1. O Menino que Falava com os pés mais do que um espetáculo teatral Um ato pela cidadania das pessoas com deficiência projeto de captação de patrocínio
  2. 2. O Menino que Falava com os pés • Responsáveis • Jairo Gomes dos Santos • CNPJ: 12.987.159/0001-20 • Jairosantos1976@globo.com • Associação Objetivo de deficiente • soumaisobjetivo@gmail.com projeto de captação de patrocínio
  3. 3. Apresentamos a proposta de patrocínio direcionado à produção do espetáculo teatral “O Menino que Falava com os pés”. A peça de autoria do jornalista e escritor Fabio Fernandes, que, desde 1998, vem promovendo o debate sobre a inclusão sócio educacional de alunos com necessidades especiais. Direcionado para o público infanto-juvenil e educadores. A trama do espetáculo traz a história de ‘LEO’, um jovem com deficiência física (paralisia cerebral) no seu primeiro dia de aula em uma escola do ensino regular, após ter passado boa parte de sua vida numa classe especial. Esse é o ponto de partida da peça que debate a inserção escolar de crianças e jovens com deficiência. A peça aborda, com profundidade, um assunto de grande relevância social e cultural tendo em vista que segundo dados do mais recente censo, publicado pelo Instituto Brasileira de Geografia e Estatística (IBGE), 24 milhões de brasileiros apresentam algum tipo de deficiência. Além disso, as pessoas com necessidades especiais compõem um dos segmentos sociais que mais sofre situações de preconceito. Assista vídeo com Depoimentos sobre a peça
  4. 4. Tendo como base este cenário social, a produção desse espetáculo torna-se relevante, tendo em vista o intuito dele de ser um instrumento de conscientização em relação ao reconhecimento da cidadania das pessoas com deficiência. Tendo em vista relevância cultural da peça, viemos por intermédio desse projeto, cujo tem o “Certificado de Enquadramento Lei Municipal de Incentivo a Cultura do Rio de Janeiro” pela Secretaria Municipal de Cultura inscrito como Projeto WEC720/01/2014, buscar, junto ao setor empresarial, o subsidio financeiro que viabilize a montagem e apresentações do espetáculo.
  5. 5. A proposta de execução desse projeto visa a remontagem do espetáculo teatral, que em 2016 comemorará 17 anos, realizando 30 (trinta) apresentações em espaço culturais, como Lonas Culturais, Arenas e algumas escolas da Zona Oeste e Norte do Município do Rio de janeiro. Ao término de cada apresentação da peça acontecerá debate / palestra, com o autor da peça, o jornalista e dramaturgo Fabio Fernandes, sobre a temática da cidadania das pessoas com deficiência, na sociedade brasileira. Também participará desses debates o elenco da peça. A proposta também prever que uma compilação das apresentações do espetáculo e dos debates que acontecerão posteriormente a encenação será disponibilizadas, em vídeo, na internet, no canal da Associação Objetivo de Deficiente, co-produtora do espetáculo, o que aumenta o alcance e a visibilidade desse projeto. As vantagens destinadas aos investidores serão detalhadas no item ‘contrapartida,’ porém, ressaltamos que as marcas das empresas patrocinadoras desse projeto estarão presentes em todo o material de promoção da peça, incluindo os vídeos que estarão disponíveis na rede.
  6. 6. O público a que se destina este espetáculo é basicamente formado crianças e adolescentes, com e sem necessidades especiais. Toda via, a temática tratada pela peça é uma questão que perpassa o interesse de diversos segmentos da sociedade. com ênfase no professorado que lança mão da dramatização para refleti sobre a temática da inserção escolar de alunos com necessidades especiais ,Percebe-se que apesar de podemos identificar o público-alvo de nossa peça teatral, a temática abordada penetrar o interessante de vários públicos. Nessa fase nosso projeto tem previsão beneficiar um publico estimado de 15.000 (quinze mil) pessoas, entre alunos, com e sem com necessidades especiais, das redes municipal e estadual de ensino, bem como a comunidade escolar: professores pais de alunos e publico em geral , oferecendo principalmente às escolas além da apresentação um debate falando sobre o tema entre alunos, elenco, professores e produção complementando a informação e divulgação com abordagem inclusiva
  7. 7. Léo, portador de Paralisia Cerebral, enfrenta os obstáculos de seu primeiro dia de aula em uma escola normal. O inspetor Guido através de duas alunas, Ana e Clara, é levado a adentrar em uma das salas da escola e se depara com o Léo “largado” em sua cadeira de roda, todo agitado, esse já é um dos seus primeiros obstáculos a enfrentar. Sem falar na dificuldade em se relacionar com seus colegas de turma e professores. Até que Ana e Clara começa um relacionamento de amizade e carinho, então descobre como ele se comunica, através dos pés, riscando as letras no chão, com o pé direito. Ana lê o que ele escreve e ensina a professora Patrícia que também o defende de vários preconceitos. O maior obstáculo é o professor Cláudio que não o quer na turma de nenhum modo.
  8. 8. A peça “O Menino que Falava com os pés”. Traz a temática da inclusão sócio escolar dos alunos com necessidades especiais, o texto propõe uma mudança de percepção, da comunidade escolar, em relação a este aluno, que de um modo geral, ainda é estigmatizado, por uma estrutura sociológica e educacional, que ainda se mantem excludente em relação a esse individuo. Ao eleger a temática inclusiva como a motivação dessa obra, o autor Fabio Fernandes propõe um olhar mais acolhedor, e de fato inclusivo, para com as pessoas com necessidades especiais, não apenas no contexto da educação, mas também de maneira ampla e estrutural, no âmbito do reconhecimento da cidadania desse segmento, que como já dissemos na apresentação desse projeto, compreende 14% da população brasileira. A proposta cultural do espetáculo vem ao encontro da temática inclusiva. O texto Teatral aproxima o tema das pessoas com deficiência do cotidiano do público estimulando uma reflexão sobre o tipo de postura preconceituosa que professores e alunos não deficientes acabam tendo diante ao aluno que tem algum tipo de limitações. A peça traz um profundo sentido de humanização e de aceitação da diversidade, em função ela se sustenta como um projeto que colabora, de forma imperativa, para a inclusão das pessoas com deficiência na sociedade. O Espetáculo já foi apresentado em diversas escolas, espaços Culturais como o SESC – Ramos na IV semana de inclusão das pessoas com portadora de deficiências e a unidade de Madureira na V semana de inclusão.
  9. 9. Fabio Fernandes, jornalista dramaturgo, poeta e roteirista e autor teatral Fabio, que tem paralisia cerebral, atua no cenário cultural desde a década de 90. Sua estreia, como autor teatral, aconteceu com a peça teatral ‘O menino que falava com os pés’. A obra de 1998 é um dos primeiros espetáculos teatrais a tratar da temática da inclusão escolar de crianças com deficiência. Outro trabalho do autor a ganhar projeção foi o texto teatral ‘Meu irmão’, que foi representado no ano de 2006 pelo grupo de Teatro ‘Histéricos’, em Portugal. Trabalhando sempre a perspectiva da valorização da cidadania das pessoas com deficiência. Mais recentemente o jornalista lançou, pela editora Multifoco, o livro infanto- juvenil: ‘BIM: um menino diferente’. A obra, dedicada ao publico juvenil, traz a temática da inclusão das crianças com necessidades especiais numa linguagem de fácil compreensão e pertinente ao cotidiano das crianças e adolescentes. O propósito do livro é proporcionar uma percepção positiva sobre temática da inserção das pessoas com deficiência. E, uma visão não estigmatizada a respeito das crianças com necessidades especiais. Assista o vídeo sobre o autor
  10. 10. Fabio atuou como repórter na cobertura dos jogos Parapan-americanos de 2007, além de manter o blog ‘eficiente em foco’, um dos poucos veículos jornalístico voltado para a temática inclusiva, no ar há mais de sete anos. O jornalista atualmente atua como repórter do portal da prefeitura do Rio de janeiro e presta colaboração à Associação Objetivo de Deficientes, entidade sem fins econômicos que age na defesa dos direitos das pessoas com deficiência. O autor também se dedicou a pratica de duais modalidades do para-desporto, a bocha adaptada, e o “Petra”, nessa última – que se consiste em uma corrida de triciclo, Fabio é o detentor do Recorde mundial nos 60m e 80m. Sendo o primeiro atleta das Américas a conseguir tal feito.
  11. 11. Jairo Santos, ator e produtor, têm desde 2010 o MEI sob o CNPJ 12.987.159/0001- 20, a Inscrição Municipal 5223911 com o nome fictício Ferreira Gomes Produções. Realizou o Workshop Circense “A Construção do Palhaço” durante o mês de Janeiro de 2012, no condomínio Nilópolis Square Shopping Center, levando sempre duas vezes no final de semana espetáculos circenses diferentes e depois de cada espetáculo, Oficina Livre com os adultos e crianças. Realizou o projeto de Oficina “Palhaçadaria” em três unidades escolares do município do Rio de Janeiro em parceria com as Associações Balaio Cultural e MIC, Movimento de Integração a Cultura, ambas ONGS que coordenam as Lonas Culturais Municipais Terra e João Bosco. Esse projeto fez parte do Segundo Turno Cultural, um programa das Secretarias Municipais de Educação e Cultura do Rio de Janeiro entre os anos de 2011 até 2013; Realizou Intervenções Circenses na unidade SESC – Duque de Caxias em Outubro de 2013 levando a Cia. Palhaçadaria; Atualmente Realiza desde 2013 a produção e divulgação Da “Feijoada do Peró – Cão (bloco carnavalesco Peró-cão) na Lona Cultural Municipal Terra, sempre no segundo sábado de cada mês.
  12. 12.  CONTRAPARTIDA FISCAL Os patrocinadores desse projeto poderão deduzir parte do investimento em seu ISS, conforme a tabela da Secretaria municipal de cultura  CONTRAPARTIDAS INSTITUCIONAL O nome da empresa constará de todo o material de divulgação, promocional, midiático que será produzido sobre o espetáculo, Custo total: 40.000,00 Atenção: Aceitamos outras propostas e reavaliação de nossos valores

×