Meia hora para mudar a minha vida mariana nunes

2.861 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.861
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Meia hora para mudar a minha vida mariana nunes

  1. 1. GAP- Agrupamento de Escolas de Golegã, Azinhaga e Pombalinho Escola B. 2,3/S Mestre Martins Correia, Golegã Ano Letivo 2011/2012 Mariana Mota Nunes, Nº 22, 8ºA
  2. 2. Título: Meia Hora Para Mudar A Minha Vida;Autor: Alice Vieira;Editora: CAMINHOLocal de edição: AlfragideData de edição: Fevereiro de 2010
  3. 3. Alice de Jesus Vieira Vassalo Pereira da Fonseca, nasceu emLisboa, a 20 de Março de 1943.É uma escritora e jornalista portuguesa, licenciada em Filologia Germânica pelaFaculdade de Letras da Universidade de LisboaDesde 1979 tem vindo a publicar regularmente livros infanto-juvenis.As suas obras foram traduzidas para várias línguas, como o alemão, búlgaro,basco, castelhano, catalão, francês, húngaro, holandês, russo , italiano, chinês,servo-croata.Alice Viera recebeu vários prémios, como:• Em 1979 – Prémio de Literatura Infantil Ano Internacional da Criança, com Rosa,minha irmã Rosa;• Em 1983 - Prémio Calouste Gulbenkian de Literatura Infantil, com Este Rei que EuEscolhi;• Em 1994 - Grande Prémio Gulbenkian, pelo conjunto da sua obra;• Em 2007- Prémio Maria Amália Vaz de Carvalho, com Dois Corpos Tombando naÁgua.
  4. 4. Este livro conta a históriade uma rapariga, chamadaBranca-a-Brava, que nasceu no meio de uma “salva de palmas”. Feira era o nome do teatro onde a mãe de Branca-a-Brava e elasempre viveram. Todas as noites naquele teatro, haviam espetáculos eBranca sentia sempre que aquele era o seu mundo.Na Feira todos tinham dois nomes; o seu nome próprio, que usavam só àsegunda-feira e o nome da personagem que encaravam no teatro, queusavam no dia-a-dia durante a semana exceto à segunda-feira.Certo dia Elas apareceram (A-mais-velha e A-mais-nova) e mandaramBranca para a escola, porque diziam que a LEI era essa, mas apesar de aterem enviado para a escola, continuavam constantemente a aparecer naFeira a dizer que Branca não tinha condições para morar ali.
  5. 5. A mãe de Branca andava sempre muito cansada e com muitas dores, por isso nas segundas (que era o dia em que o teatro fechava) a mãe de Branca em vez de ir passear com ela pelo jardim, ia ao cabeleireiro de Viviana.No dia do aniversário de Branca, a mãe e ela foram ao cabeleireiro de Viviana pintaro cabelo de Branca, de azul, era uma maneira de despedida da mãe para Branca selembrar dela para sempre, mas Branca só se apercebeu disso quando era tarde demais.Elas disseram que Branca iria viver para casa da sua avó.Branca entrou numa casa escura com janelas fechadas, corredores longos, e a suaavó chamou Natália (que era a sua empregada) e disse-lhe para a acompanhar aoseu quarto. Branca chorou até adormecer profundamente e no dia seguinte,quando acordou, perguntou a Natália pela sua mãe e esta respondeu-lhe que suamãe tinha falecido.Branca e a sua avó nunca se deram muito bem, por isso, a sua companhia eraNatália.
  6. 6. No dia em que Branca completou 18 anos, o seu paibateu à porta, dizendo que queria passear com ela.No passeio com Branca, seu pai perguntou-lhe seela queria ir morar com ele, mas Branca recusou opedido.O seu pai foi-se embora, pois só tinha meia horapara apanhar o comboio para regressar para a Suíça,então, deu um telemóvel à sua filha para, caso elamudasse de ideias, lhe telefonar.Branca voltou para casa e foi para o seu quarto.Abriu a sua pequena gaveta da mesa de cabeceira etirou de lá uma agenda, telefonou para a Feira.Ninguém tinha atendido mas, ela não perdeu aesperança, pois sabia que iria voltar para a suaverdadeira casa.
  7. 7. Eu penso que o título estárelacionado com a obra, poiso pai de Branca só tinhameia hora para apanhar ocomboio, e caso ela fossecom ele morar para a suíça,só tinha meia hora paramudar a vida dela.
  8. 8. “Acontece apenas que onosso coração não foi feitopara a tristeza. E por issochega um dia em quedescobrimos que já somoscapazes de sorrir” Eu escolhi esta frase porque encontro nela um sentido para a vida e apesar de passar- mos por momentos difíceis da vida e também encontrar-mos alguns obstáculos, temos que ter esperança que um dia encontramos um caminho mais feliz que nos permite voltar a sorrir.
  9. 9. Eu achei o livro muito interessantee aconselho a leitura desta obra,porque nos ensina algumas liçõesde vida.

×