Revista On Health

539 visualizações

Publicada em

Revista feita no primeiro semestre de 2010. O tema era saúde com foco no combate ao ecstasy.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
539
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revista On Health

  1. 1. Ano 1 - 2010 - Edição nº 1 - www.onhealth.com.br n health Os efeitos do ecstasy na saúde Os efeitos doTodos os efeitosque esta DROGA ecstasy napode causar nocorpo humanoVoluntários anônimos na luta contra as drogas - Pág. 19
  2. 2. editorialO uso de drogas é um fenômeno mundialque precisa ser discutido nacional einternacionalmente. Nada detabu. Vamos falar sobre drogas.Para nós, da Revista Onhealth, uma das formasmais importantes de prevenir o uso de drogas éa informação. É preciso saber sobre osriscos do abuso dessas substâncias. Poralterar o nível de consciência, o uso podelevar a práticas arriscadas, como sexosem preservativo ou compartilhamentode seringas e outros materiais que podemtransmitir doenças como o HIV/Aids e ahepatite. O uso de drogas lícitas ou ilícitaspode ampliar as vulnerabilidades pessoais.No trânsito, isso é um risco à sua vidae à dos outros. Atos violentos tambémpodem decorrer do abuso de substâncias.Nesta edição, vamos falar sobre o ecstasy,uma substância estimulante sintética,comercializada em comprimidos econhecida como a “droga do amor”.Causa euforia e hiperatividade, altera apercepção de tempo, diminui a sensaçãode sede e de medo e provoca alucinaçõesvisuais. Pode causar ataques de pânicoe até levar à morte pelo aumento detemperatura corporal e desidratação.Esta publicação busca informar sobre ostipos de drogas, seus efeitos e como agem noorganismo. Use estas informações deforma responsável e lembre-se: uma vidasaudável depende das suas escolhas. 03 OnHealth - junho 2010
  3. 3. O que é ecstasy? ____________05 História do ecstasy___________07 Tratamento_________________09 Os efeitos do ecstasy na sáude _10 A química do ecstasy ________ 16 Notícia ___________________17 Voluntários anônimos________19OnHealth - junho 2010 04
  4. 4. ?? ? ? O que é? Ecstasy? ? ? ? O "êxtase" ou metilenodioximetanfetamina (MDMA) é um derivado sintético da anfetaminaque ganhou fama na década de 80, devido ao sensacionalismo com que alguns autores apregoaramseu uso terapêutico, o que, inclusive, se reflete nos seus nomes populares. Também é conhecidocomo ecstasy, XTC, E, Adam, MDM ou "droga do amor". Frases como: "a droga aproxima o amantede sua amada", "o pai do filho", "o terapeuta do paciente", "uma sessão com "êxtase" equivale aum ano de psicoterapia" despertaram curiosidade sobre os efeitos da substância e trouxeram lucroaos fabricantes e também aos terapeutas que utilizavam a droga em seus pacientes. No entanto,atualmente, a MDMA tem sido centro de debates, não pelo possível benefício como adjuvante empsicoterapia, mas pelo potencial de abuso e sua possibilidade para produzir efeitos neurotóxicos.No início da década de 90, foi classificada como uma droga proibida e sem uso clínico por órgãosgovernamentais de inúmeros países, seguindo a orientação da Organização Mundial de Saúde. 05 OnHealth - junho 2010
  5. 5. Seu uso produz alucinógenos ou psicodélicos, Nichols propôs o termo o desejo sexual na maioria dos indivíduos que usamelevação da auto-estima, "entactógeno" para tentar a droga. As pessoas quesimpatia e empatia, com definir o efeito de "entrar em usaram para conhecer seussensação de proximidade e contato consigo mesmo" após efeitos, conseguiram maisintimidade com as pessoas o indivíduo usar a droga, dificilmente o orgasmo,ao redor. A comunicação e a criando assim uma nova classe especialmente os homens4. O que parece ocorrer érelação com farmacológica. uma maior receptividadeas pessoas O "êxtase" foi Por outro em relação aos aspectosmelhoram, agrupado com lado, o uso sensuais, que não éproduz-se um do "êxtase" acompanhada pelo aumento os alucinógenos,sentimento em alguns do desejo de iniciar ade euforia, provavelmente devido círculos de atividade sexual4. Noa u m e n t o ao potencial de consumidores momento, portanto, a drogada energia ocasionais alucinações sociais foi não é classificável comoemocional e "flashbacks" valorizado por afrodisíaca e a classificaçãoe física. uma suposta como entactógeno não foi amplamente aceita. Como os efeitos subjetivos ação afrodisíaca. Essa açãoda MDMA em humanos não tão alardeada de aumento da O "êxtase" poderia sersão iguais aos produzidos função sexual, no entanto, classificado como umpelo LSD e por não apresentar não se comprovou; a MDMA psicoestimulante, àrelação estrutura-atividade dos não aumenta a excitação nemsemelhança da cocaína e das de divulgar melhor as ainda haja certa contençãoanfetaminas, tendo efeitos conseqüências do uso da do uso deste agente devidoadversos agudos semelhantes MDMA. ao alto custo (em torno dea estas substâncias. Já R$ 30,00 por comprimido). !na American PsychiatricAssociation (1995), o No Brasil, mais"êxtase" foi agrupado com os especificamente no Serviço dealucinógenos, provavelmente Informações Sobre Substânciasdevido ao potencial de Psicoativas do Estado do Rioocasionais alucinações e Grande do Sul, o número de"flashbacks", se usada em solicitações de informaçõesdoses extremamente altas. feitas por pessoas desseCertamente, nos próximos Estado, em relação ao "êxtase",anos uma melhor definição cresce a cada dia, até devido àa respeito da classificação divulgação de relatos de usodeverá ser encontrada. pela mídia e imprensa leiga. As solicitações referem-se ao usoO objetivo do presente trabalho do "êxtase" por adolescentesfoi compilar os conhecimentos em noitadas em danceterias ousobre a droga, pois apesar por adultos jovens brasileirosde existirem revisões com experiência no exterior ebibliográficas nacionais que fazem o uso continuado dosobre o tema e internacionais "êxtase" em associação compercebe-se a necessidade outras drogas. É possível queOnHealth - junho 2010 06
  6. 6. ECSTASY um relato da históriaO "êxtase", sintetizado e patenteado na Devido a grande expansão do uso clandestinoAlemanha pela Merck, em 1914, com o intuito de "êxtase", também tem aumentado o númerode ser um novo moderador do apetite, apesar de casos de toxicidade, decorrentes diretamentede nunca ter sido comercializado, foi ignorado da droga ou de outras substâncias misturadaspela comunidade científica até 1970, quando ou vendidas como "êxtase". Existe umase relatou que produzia "um estado controlável crença geral de que o uso da droga com finsde alteração da consciência com harmonia recreativos não tem efeitos adversos graves.sensual e emocional", sugerindo que poderia De fato, o uso de "êxtase" está amplamenteser usada como auxiliar na psicoterapia. difundido e é considerado, por muitos, comoNo início dos anos 80, a MDMA seguro. No entanto, existem A utilização comotornou-se popular como droga vários relatos científicos droga de usorecreacional. Até 1985, a MDMA confirmando o contrário, recreacional começou ou seja, que o "êxtase"não era uma substância controlada entre os estudantes não é uma droga segurae era legalmente disponível. norteamericanos, podendo, inclusive, serNa mesma época, a DrugEnforcement Administration porém seu consumo fatal. É uma droga de abuso(DEA), dos EUA, restringiu vem aumentando e se deve prevenir maisseveramente o uso da MDMA gradativamente em fortemente o início de uso outros países. por crianças e adolescentes.colocando-a na lista de substâncias proibidas O "êxtase" é consumido por via oral eme sem uso clínico. Foi classificada como a comprimidos redondos, de várias cores eheroína e o LSD devido ao seu uso freqüente tamanhos, e em cápsulas gelatinosas, contendoe às semelhanças químicas e de efeitos clínicos 50-150 mg de substância ativa ou em pó,com a MDMA, a qual produz degeneração misturado a suco de frutas. Alguns indivíduosserotonérgica no sistema nervoso central (SNC) . já utilizaram a MDMA em pó por via intra- 07 OnHealth - junho 2010
  7. 7. nasal. As preparações de rua são consideradas ou duas cápsulas) e, algumas vezes, envolve90% puras. Algumas delas contém também doses de reforço de 50 a 100 mg. O intervaloa MDMA, cafeína, LSD, anfetamina, de tempo entre as doses suplementares émetanfetamina, mistura de anfetaminas, de 30 min. A motivação para a ingestão deparacetamol, ou ketamina (que tem efeitos doses suplementares parece ser a expectativaalucinógenos) e, ocasionalmente, outras de aumento da intensidade da experiência.substâncias não identificadasw. Portanto, como O uso recreacional do "êxtase" é mais freqüentenão existe controle de qualidade no mercado de nos finais de semana, nos clubes de dança oudrogas ilícitas os consumidores precisam ser festas, onde multidões dançam vigorosamente.informados deste risco adicional. É necessário o Geralmente estes locais são "agências deesclarecimento das características das misturas drogas". No Hemisfério Norte, algumas vezesde "êxtase" no Brasil, através de análises esses locais estão preparados, na sua estruturaquímicas sistemáticas, o que ainda não ocorre. física, para atender o usuário do "êxtase" no sentido de minimizar os riscos do uso da droga.São relatados três padrões de uso, quando seanalisa a literatura internacional. Em sessõesde psicoterapia, e atualmente, ocorre o usorecreacional em pequenos grupos ou emgrandes grupos. Em sessões de psicoterapia, adose prescrita era de 50 a 200 mg, em média,duas vezes por semana. Este uso desapareceuno momento em que a droga foi banida doreceituário. Quando usada recreacionalmente, adose típica é de 70 a 150 mg (contida em umaEssa droga é usada com um padrão incomumàs outras substâncias. No uso recreacional há,freqüentemente, um espaçamento de duas a trêssemanas entre as doses de drogas. A razão paraeste padrão é que os efeitos agradáveis parecemdiminuir, enquanto os efeitos "negativos"aumentam se a droga é usada freqüentementee mais do que 5 doses. Nos anos 80 a maioriados usuários relataram que usaram MDMAduas vezes no mês ou menos, com 10 ou menosexperiências na vida. Mais recentemente ouso mais freqüente começa a ser encontrado,existindo casos de uso diário e intenso.A utilização como droga de uso recreacionalcomeçou entre os estudantes norteamericanos,porém seu consumo vem aumentando experimental foi motivado pela curiosidade.gradativamente na Espanha, Itália, Inglaterra e O aumento do uso recreacional da MDMA porem outros países. É consumido em ambientes jovens é bem documentado e ainda não existemonde está difundido o consumo de cocaína relatos dos efeitos do "êxtase" em crianças.e álcool, além de outras drogas. Estudantes, Agora, começam a aparecer os casos de abuso dadonas de casa, comerciantes, profissionais MDMA no Brasil, apesar de não se conhecer ada área da saúde, escritores e desempregados distribuição característica nas diferentes regiões,do Hemisfério Norte descreveram que o uso padrões de uso e outros dados epidemiológicos.OnHealth - junho 2010 08
  8. 8. LIVROS TRATAMENTO PARA A 123 Respostas sobre Drogas INTOXICAÇÃO AGUDA POR Içami Tiba ECSTASY O tratamento deve dançar quando se o risco de desencadearser instituído eficaz e sentirem cansados. convulsões, masrapidamente, porque Em alguns locais pode-se realizaras complicações existem salas "frias", lavagem gástrica,a u m e n t a m com ar condicionado além de administrargradativamente em para ajudar a carvão ativado enúmero e severidade, refrescar. Do ponto um catártico. O usocaso isto não ocorra. de vista médico estes freqüente da gomaA possibilidade conselhos também de mascar superade associação de são válidos. Até o os efeitos sobreefeitos da droga com momento, não existem os músculos dadeterminada ação, antídotos específicos mandíbulaem um sistema de para a toxicidade A Ilusão das Drogasneurotransmissão se do "êxtase"; supõe- Nos casos agudos Ivan Schmidtfaz importante para a se que o tratamento deve-se dar assistênciaescolha de eventuais seja semelhante ao ventilatória, manter asantagonistas para das intoxicações vias aéreas, medir ao uso terapêutico por anfetamínicos. temperatura corporaldurante a intoxicação. A hipertensão e usar medidas de pode ser tratada resfriamento corporal. As "agências com vasodilatador Para diminuirde drogas" são periférico como a temperaturaconhecedoras do as fentolaminas corporal usa-se gelorisco da hipertermia ou nitroprussiato; ou antagonistase aconselham aos as arritmias com serotonérgicosusuários retirarem propranolol ou (ketanserina,a roupa e tomarem esmolol; vasoespasmo metisergida)líquidos para facilitar arterial com derivados ou haloperidol.a termorregulação, do ergot. Não se deve Entretanto, o uso dealém de pararem de induzir êmese, devido neurolépticos requer Drogas: O Árduo Caminho cuidados, pois a da volta diminuição da função Darléa Zacharias dopaminérgica pode, por si só, causar hipertermia. De fato, a associação entre neurolépticos e hipertermia é confirmada pela síndrome maligna de neurolépticos com precipitação de convulsões. 09
  9. 9. Matéria da capaOs efeitos do ecstasy na saúde Os efeitos são tão graves quanto os de outras drogas
  10. 10. Matéria da capa Cérebro Depressão, ansiedade e As células do cérebro síndrome do pânicopossuem receptores que são por causa dosativados por várias substâncias. danos causados nasUma delas é a serotonina, que células nervosas.influencia o humor, a sensação Se a pessoa tiverde bem-estar, o apetite e o sono. predisposição paraO ecstasy faz o organismo liberar esses males, amuita serotonina, inundando ocorrência pode seros receptores e causando uma imediata. Destruiçãosensação de prazer e euforia. de neurôniosApós quatro horas, o organismo também pode causar problemas defica com um volume muito memória e atenção.baixo de serotonina. O efeitopassa. Mesmo com maisdroga, não há resultado – ocorpo leva até duas semanaspara recuperar as reservas de Músculosserotonina. Queimar estoques A queda na concentraçãode serotonina seguidamente de sódio prejudica opode levar à depressão. funcionamento de músculosBombardeados freqüentemente e neurônios. Isso ocorrepela substância, os receptores porque, ao transpirar emficam cada vez menos excesso e só beber água,sensíveis a ela. a pessoa não repõe os sais perdidos no suor.Cocaína Rins- Dependência física- Problemas cardíacos Estimula um hormônio- Perda do sono e da fome antidiurético chamado ADH.- Alucinações e delírios Apesar do aumento da sede,- Degeneração dos músculos a pessoa pára de urinar e- Microlesões do cérebro, que não consegue transpirar napodem provocar derrames mesma velocidade em que- Destruição do tecido conjuntivo bebe água. É rara, mas a overdose de água pode levardo nariz, a parte flexível à morte. 11 OnHealth - junho 2010
  11. 11. Matéria da capa Fígado Causa mau funcionamento do fígado e excesso de bílis no sangue, o que deixa a pessoa amarelada. Metabolismo Há aumento excessivo da temperatura do corpo, o que destrói enzimas e prejudica o funcionamento de vários órgãos. Boca Enquanto a droga faz efeito, há forte ranger de dentes. Em alguns casos, eles podem até quebrar. Se a pessoa usa freqüentemente a droga, pode desenvolver bruxismo, que é o ranger constante. Os dentes se desgastam. Coração Maconha - Risco de dependência Aumenta em até 40% os - Apatia batimentos, o que pode - Destruição de neurônios desencadear problemas cardíacos. - Risco de insuficiência cardíaca - Prejuízo à função pulmonar - Piora o desempenho sexual OnHealth - junho 2010 12
  12. 12. Matéria da capa efeitos após o uso FORMAS DE USO DOSES AGUDAS DOSES REPETIDASDoses baixas agudas Taquicardia* Vômitos(a maioria dos efeitos Hipertensão* Ataxiadesaparecem em 24 horas, Diminuição do apetite Nistagmoalguns podem durar dias ou Tremor* Aumento para acuidade para coressemanas) Trismo, bruxismo* Luminescência de objetos Náusea Objetos parecem sacudir Insônia* Alucinação visual Cefaléia* Aumento da sensibilidade ao frio Sudorese* Dormência e formigamento nas extremidades* Gritos, pranto• Hepatite tóxica•Reações de overdose (dose Arritmia cardíaca*muito variada: 1 cápsula até Taquicardia*42) Palpitação* Hipertensão inicial* Hipotensão subseqüente* Hipertermia Aumento do tônus muscular Coagulação intravascular disseminada* Insuficiência renal aguda Alucinação visual Rabdomiólise Hepatotoxicidade MorteEfeitos residuais Insônia*Ressaca aguda (no outro Fadiga Tontura Dores muscularesPersistentes por até 2 Exaustão Sensação de frio no corposemanas Fadiga Ataques de ansiedade e pânico Depressão Insônia persistente* Náusea Reações de ira, raiva• Flashback Psicoses• Torpor Perda de peso **Efeito noradrenérgico; Deficiência de noradrenalina/serotonina;  Estimulação serotonérgica; • Deficiência serotonérgica; • Idiosincrásico - (Hayner e McKinney14, modificada). 13 OnHealth - junho 2010
  13. 13. Matéria da capa mecanismos de ação Provavelmente, não existe um único mecanismo de ação da MDMA e vários esclarecimentos ainda precisam ser feitos. Além da dificuldade inerente de se esclarecer os processos neuroquímicos em humanos, em modelos experimentais, a substância induz variações dependentes da espécie animal utilizada. Além disto, produz efeitos diferentes se usada aguda ou cronicamenteDevido ao seu complexo espectrode atividade sobre o comportamentohumano, seus efeitos podem dever-sea mútiplos processos neuroquímicosenvolvendo a 5-HT, dopamina (DA),e noradrenalina (NA) à semelhança deoutras anfetaminas. Entretanto, a 5-HTtem papel fundamental. Os neurôniosserotonérgicos são mais susceptíveisa neurotoxicidade da MDMA, maspouco se sabe sobre o risco aos demaissistemas neuronais, responsáveispelos efeitos psicológicos da MDMA.Doses da MDMA, capazes de produzirefeitos agudos no homem, diminuema liberação de 5-HT e NA, mas nãointerferem na DA. Como a MDMAé estruturalmente semelhante àanfetamina acreditava-se que os níveisdopaminérgicos também fossem afetados; o que não pode ser comprovado inicialmente. Estudos mais recentes relatam que os níveis cerebrais de DA e seu metabólito não são reduzidos por baixas doses da MDMA, mas são depletados por doses altas, sugerindo que enquanto a MDMA é mais tóxica para o sistema serotonérgico, pode também causar danos nos neurônios dopaminérgicos. 15 OnHealth - junho 2010
  14. 14. A QUÍMICA DO ECSTASY FARMACOCINÉTICA: UMA EXPLICAÇÃO PARA A FORMA DE USOPouco se conhece sobre as propriedades As fenilisopropilaminas, estrutura básicafarmacológicas da MDMA em humanos, pois da MDMA, distribuem-se amplamente poros estudos são difíceis de serem realizados todos os tecidos, atravessando a barreiradentro da ética de pesquisa. Conhece-se o hematoencefálica. Não se conhece a taxa decaso de um homem, em que foi realizada a ligação com as proteínas plasmáticas. A meia-determinação do nível plasmático e urinário vida plasmática é de 7,6 h. Sendo necessárias 6 aem vários momentos após uso oral de uma dose 8 meias-vidas para se ter depuração completa dabaixa de MDMA (50 mg). Recentemente, um droga no organismo, seriam necessárias em tornoestudo cego, randomizado, entre indivíduos de 48 h para eliminação completa do "êxtase".saudáveis (n=8) que fizeram uso de 75 e Também se poderia prever que de um nível125 mg de MDMA, também levantou dados plasmático de 8 mg/L (nível de intoxicação) atéfarmacocinéticos. O nível plasmático máximo menos do que 1 mg/L (para diminuir os efeitos)foi de 0,106 mg/L, após o uso de 50 mg; 0,126 seriam necessários em torno de 24 h. Portanto,mg/L após 75 mg e 0,226 mg/L após 125 mg este seria o tempo recomendado de cuidadose ocorreu duas horas depois da ingestão, com intensivos para pacientes intoxicados comdeclíneo monoexponencial, havendo 0,005 poucas cápsulas de "êxtase". Lamentavelmentemg/L após 24 h do uso5,47. As diferenças da este tempo aumenta conforme o uso de maiorárea total sob a curva (AUC 0-24)= 0,9954 vs número de comprimidos. Seu metabolismo2,2359 mg/L para as doses de 75 e 125 mg, é fundamentalmente hepático, 3-7% serespectivamente, e que descreve a concentração transforma em MDMA, dependendo da dose;do fármaco na circulação sistêmica em função 28%, é biotransformado em outros metabólitos.do tempo, sugerem que o MDMA tem uma Uma percentagem aproximada de 65% da dose éfarmacocinética não linear com doses mais eliminada intacta pelos rins, em 72 h. Como paraelevadas da substância produzindo níveis todas as aminas, a excreção urinária dependeplasmáticos proporcionalmente elevados. muito do pH urinário. Portanto, a acidificação da urina aumentará a eliminação, o que poderiaNos casos de intoxicação, geralmente o usuário ser aplicado no tratamento nas intoxicações,usou várias cápsulas tendo nível plasmático mas que, no entanto, pode ter restrições.de MDMA em torno de 7,72 mg/L; mas hácasos descritos de overdose, com ingestão deaté 42 comprimidos. Nos casos fatais, o nível Nos casos fatais, o nívelplasmático é de 6 a 70 vezes maior do que plasmático é de 6 a 70o acima. Ainda não existem dados sobre o vezes maior do que o depercentual de absorção da dose oral da MDMA. overdose.OnHealth - junho 2010 16
  15. 15. Drogas causam20% dos acidentes de trabalho no mundoUm em cada cinco acidentes de trabalho é provocadopelo consumo de drogas, segundo um relatório daOrganização Internacional do Trabalho (OIT) apresentadona Academia de Ciências Médicas de Bilbao, na Espanha.A pesquisa, divulgada na “in itinere” (deslocamentos) substância, a fisiologia de cadapalestra “Consumo de drogas, pela impossibilidade indivíduo e a pressão social.álcool e medicamentos no de manter os reflexostrabalho”, indica que os Essa incapacidade de “Numa sociedade onde pesa asetores profissionais com as concentração e coordenação ideia de que só os mais preparadosmaiores taxas de acidentes é provocada, dizem os alcançam o sucesso, uma pessoasão os de relações públicas, especialistas, principalmente com problemas de autoconfiançacomércio e construção. pelo consumo habitual de álcool, procura estímulos externos.O estudo se baseia na cocaína, maconha, heroína Neste aspecto o consumidorinvestigação de 38 empresas acaba vítima de si mesmo.”dos Estados Unidos, Sobre o perfil do trabalhadorEuropa e Ásia durante viciado, os homens são maioria:os últimos cinco anos. 75% dos casos de acidentes relacionados com o consumo“O antigo conceito do de drogas são verificados entreviciado jogado pela rua está profissionais do sexo masculinocompletamente defasado. e 25% do sexo feminino.Neste momento, em todo omundo, 67% das pessoas com Mas o relatório da OIT indicaalgum tipo de dependência que a diferença está diminuindo.química estão integradas Na década passada os homensao mercado de trabalho, eram 90% dos envolvidos,e algumas com sucesso”, contra 10% de mulheres.disse na palestra o psiquiatra Entre as características queJerônimo San Cornélio, e remédios para controlar a mais delatam problemaspresidente da Academia de ansiedade em profissionais numa no ambiente de trabalhoCiências Médicas de Bilbao faixa etária entre 20 e 35 anos. relacionados com o consumoe um dos autores da pesquisa. habitual de drogas estão atitudes MULHERES de nervosismo, irritabilidade,De acordo com o relatório, Segundo o psiquiatra espanhol, falta de concentração eentre 15% e 25% dos acidentes três razões fundamentais excessivos pedidos de dispensa.de trabalho diários ocorrem induzem um profissionalno local onde os profissionais qualificado a manter o hábitoexercem as atividades ou em de se drogar: a atração pela 17 OnHealth - junho 2010
  16. 16. Voluntários anônimos na luta contra as drogasQuando uma pessoa se envolve com drogas, inevitavelmente leva para o mesmo caminho – muitasvezes sem volta – parentes e amigos. Os Grupos Familiares Nar-Anon surgiram justamente paraajudar os envolvidos indiretamente no problema do uso de drogas. O programa focaliza a famíliado dependente, permitindo a troca de experiências e a ajuda mútua. E foi num grupo desses queLeila*, 32 anos, encontrou um pouco de consolo para o drama das drogas na família. “Depoisque passei a freqüentar as reuniões, mudei completamente a forma de enxergar o problema dasdrogas no meio familiar”, contou Leila*, que há dois anos freqüenta o grupo no Espírito Santo.Como é conviver com um adicto? precisa, desde o dia 9 de maio culpas, descarregando rancor ou de 2003. E desde então tenho ressentimento. Isso só aumentaLeila –* É realmente muito enfrentado essa batalha contra mais ainda o problema, que jádifícil. Tem que saber lidar as drogas com outro ânimo. é imenso. O adicto sabe o que émuito bem com essa situação, até O Nar-Anon ajuda a gente a certo e o que é errado. E quandoporque temos que ter consciência encontrar um conforto, uma ele faz algo considerado erradode que a adicção é uma doença saída. Ajuda a percebermos que não é por que gosta, mas porqueincurável, progressiva e fatal. não há culpados nesta situação. não tem condições de superar esseÉ justamente neste ponto que problema sozinho. A intençãoentra o trabalho maravilhoso A família normalmente se sente dos grupos de ajuda mútua éexecutado nos grupos de ajuda culpada quando algum familiar buscar sempre a serenidade,mútua, como o Nar-Anon. cai no mundo das drogas? não crucificar ninguém.Descobrimos que não somos osúnicos com esse problema, com Leila - Sim, esse é o primeiroalguém usuário de drogas na problema enfrentado pelosfamília, e também que é preciso familiares ou amigos dos adictos:conviver com essa dificuldade. achar que a culpa é deles, do pai, da mãe, do irmão, da esposa, doHá quanto tempo você participa marido. E na verdade ninguém Seja umdas reuniões do Nar-Anon? tem culpa por estar vivendo voluntário este drama. O mais importante tambémLeila - Desde 2003. Para ser mais é não ficar procurando culpados, Tel.: 3954-2449 OnHealth - junho 2010 18
  17. 17. Expediente: Rua Antônio Luis Alachk, 375 - Jd. Fabiano Simões - 6888 Boa Vista Fanny Victória - 6900 Ribeirão Preto - SP Uelinton Costa - 6924 Tiragem: 200 exemplares Trabalho da disciplina Design Gráfico Ano 1. Nº01 Docente responsável : Profº César Muniz Distribuição Gratuita 3º Semestre Jornalismo Mais informações: www.onhealth.com.br Faculdades COC (16)3967-5202 ou (16) 3967-5203 2010

×