HENRY JENKINS
Cultura da convergência e Spreadable media

terça-feira, 9 de abril de 2013
Jenkins é professor de
Comunicação, Jornalismo
e Artes na Universidade
do Sul da Califórnia
desde 2009. Antes disso, ele
f...
Escrito na perspectiva Aca-Fan. No livro, Jenkins
tenta falar sobre a mídia que importa aos fãs
do ponto de vista do consu...
Último livro editado junto com
Sam Ford e Joshua Green. Apresenta
o conceito de spreadable media
(“mídia espalhada”), uma ...
CULTURA DA CONVERGÊNCIA
terça-feira, 9 de abril de 2013
TRIPÉ
•

Convergência dos meios de comunicação: processo
cultural e não tecnológico, altera a relação entre tecnologias
ex...
•

Receio: os novos meios de comunicação eliminariam os
antigos. Cada antigo meio foi forçado a conviver com os
meios emer...
O COMPORTAMENTO DOS CONSUMIDORES
Fiéis X Zapeadores X Casuais
terça-feira, 9 de abril de 2013
A FALÁCIA DA CAIXA PRETA
terça-feira, 9 de abril de 2013
v

CELULARES SE TORNARAM
FUNDAMENTAIS NO PROCESSO DE
CONVERGÊNCIA DAS MÍDIAS
terça-feira, 9 de abril de 2013
SPOILING
COMO
INTELIGÊNCIA
COLETIVA:
SURVIVOR
terça-feira, 9 de abril de 2013
AMERICAN IDOL
E ECONOMIA AFETIVA
Lógica da economia afetiva: o consumidor ideal é ativo,
comprometido emocionalmente e par...
MATRIX E A NARRATIVA TRANSMIDIÁTICA
História transmidiática: desenrola-se através de múltiplos suportes midiáticos,
com ca...
GUERRA NAS ESTRELAS
E COCRIAÇÕES
Fãs: histórias continuadas, interação com personagens
favoritos, criação de novos episódi...
Democracia digital: descentralizada,
dispersa de forma desigual, profundamente
contraditória e vagarosa em seu surgimento....
John Pavlik

terça-feira, 9 de abril de 2013
MÍDIA ESPALHADA
terça-feira, 9 de abril de 2013
•

The concept of spreadable media rests on the
distinction between distribution (the top-down
spread of media content as ...
•

Jenkins e um autodesafio de (re)entender as principais questões
do Cultura da Convergência, que para ele não foi
interpr...
• Cultura: ela

é a causadora da mudança social e
não somente a tecnologia em si.

• Cenário

digito-cultural de Jenkins: ...
•

O estrategista de mídias digitais, Mike Arauz, em comentários blogados
sobre Spreadable Media diz:

•

Um dos aspectos ...
v

CIRCULAÇÃO DE CONTEÚDO
terça-feira, 9 de abril de 2013
•

A era do broadcast está chegando ao fim

•

Either way, the widespread circulation of media content
through the consciou...
•

Spreadable Media trata do valor que está sendo gerado a
partir desta grassroots circulation e de como a indústria
midiá...
•

Sites de notícia que impedem que o público compartilhe seu
conteúdo estão destruindo seu valor como recurso cultural
e ...
• Spreadability

=>
technical affordances.

• Spreadability

=> social
relations with
consumers.

terça-feira, 9 de abril ...
terça-feira, 9 de abril de 2013
•

 Visão
determinista?
v
Informações
mortas, se não
coletivizadas!

SE NÃO ESPALHA, ESTÁ MORTO!
terça-feira, 9 de abril d...
Viral Marketing x
Spreadable Media?
Alguns estrategistas
estão tentando
entender Jenkins, mas
não apontam a cultura
como u...
•

A questão não é entender o público como um alvo
consumidor para aumento de audiência, mas sim entender
que esta audiênc...
NOVAS
LÓGICAS
CORPORATIVAS

terça-feira, 9 de abril de 2013
•

Para o produtor o conteúdo pode ser um
commodity, para o o consumidor é um recurso.

•

O produtor define a transação a ...
•

Os produtores precisam entender os valores e tipos
de transações que definem como seus conteúdos
são transmitidos. Com i...
•

Pirataria = falha de
mercado

•

Susan Boyle e a
grassroots circulation of
content

•

Tropa de Elite

•

Fansubbing

t...
•

Ambiente justo de circulação de conteúdos

•

Moral economy: quando o sistema econômico opera
de uma forma justa que re...
terça-feira, 9 de abril de 2013
STICKINESS E SPREADABILITY
MOLDAM PRÁTICAS DA WEB 2.0
•

Espalhabilidade e
viscosidade ?

•

Princípios presentes na
inter...
INFORMAÇÕES ADERENTES X
MÍDIA ESPALHADA
•

Web 2.0 - momento de intacto e multimídia. Uma revolução
aparente que Castells ...
•

Mas, o que se faz hoje na
internet não é inédito.
Práticas potenciais já
foram táticas cotidianas
-  Thompson

•

Redes...
• Mobilidade

- o que
se pode esperar visão de Bauman
sobre isolamento do
indivíduo, mas
também sobre uma
nova forma de ac...
GERAÇÃO TRANSMÍDIA
E CULTURA PARTICIPATIVA
terça-feira, 9 de abril de 2013
•

Intenção do mercado X grassroots circulation

•

Finalização para o produtor, mas não para o
consumidor/fã.

terça-feir...
•

The broadcast paradigm is being reshaped right now by
grassroots participants, but it remains central to the way
the cu...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Spreadable media - Henry Jenkins

1.071 visualizações

Publicada em

Apresentaç

0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.071
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
29
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Spreadable media - Henry Jenkins

  1. 1. HENRY JENKINS Cultura da convergência e Spreadable media terça-feira, 9 de abril de 2013
  2. 2. Jenkins é professor de Comunicação, Jornalismo e Artes na Universidade do Sul da Califórnia desde 2009. Antes disso, ele foi diretor do Comparative Media Studies Program no MIT durante dez anos. É autor e editor de vinte livros. Jenkins é o principal pesquisador do Projeto New Media Literacies, além de manter-se ativamente envolvido com o Convergence Culture Consortium. terça-feira, 9 de abril de 2013 @henryjenkins
  3. 3. Escrito na perspectiva Aca-Fan. No livro, Jenkins tenta falar sobre a mídia que importa aos fãs do ponto de vista do consumidor. O conceito de cultura participativa é apresentado a partir do estudo de fãs de televisão. Em Cultura da Convergência, Jenkins retorna à cultura participativa num momento em que esta é central para a forma como a indústria cultura opera. O livro trata das mudanças no relacionamento entre consumidores e produtores. O livro mapeia a transição entre o mundo descrito em Textual Poachers e o apresentado em Cultura da Convergência. É uma reimpressão dos ensaios sobre cultura participativa, incluindo escritos sobre fãs e sobre a influência dos games na atualidade. terça-feira, 9 de abril de 2013
  4. 4. Último livro editado junto com Sam Ford e Joshua Green. Apresenta o conceito de spreadable media (“mídia espalhada”), uma forma de entender o modelo de distribuição de mídia atual, diferente do modelo da era do broadcast que pressupunha que o controle estava com quem lançava o produto e não com quem é seu público alvo. O livro ainda esclarece a diferença entre viral e spreadable, e aderência e pervasividade. terça-feira, 9 de abril de 2013
  5. 5. CULTURA DA CONVERGÊNCIA terça-feira, 9 de abril de 2013
  6. 6. TRIPÉ • Convergência dos meios de comunicação: processo cultural e não tecnológico, altera a relação entre tecnologias existentes, indústrias, mercados, gêneros e públicos, as pessoas assumem o controle das mídias. • Cultura participativa: passividade dos espectadores X novos consumidores (barulhentos, mais conectados socialmente, migratórios, não são leais a redes ou a meios de comunicação). • Inteligência coletiva: processo social de aquisição do conhecimento (dinâmico e participativo). terça-feira, 9 de abril de 2013
  7. 7. • Receio: os novos meios de comunicação eliminariam os antigos. Cada antigo meio foi forçado a conviver com os meios emergentes. Tecnologias de distribuição (delivery technologies) X meios de comunicação. Tornam-se obsoletas e são substituídas X suas funções e status estão sendo transformados pela introdução de novas tecnologias. • Risco: cada vez que deslocam um espectador, da televisão para a internet, há o risco de ele não voltar mais. terça-feira, 9 de abril de 2013
  8. 8. O COMPORTAMENTO DOS CONSUMIDORES Fiéis X Zapeadores X Casuais terça-feira, 9 de abril de 2013
  9. 9. A FALÁCIA DA CAIXA PRETA terça-feira, 9 de abril de 2013
  10. 10. v CELULARES SE TORNARAM FUNDAMENTAIS NO PROCESSO DE CONVERGÊNCIA DAS MÍDIAS terça-feira, 9 de abril de 2013
  11. 11. SPOILING COMO INTELIGÊNCIA COLETIVA: SURVIVOR terça-feira, 9 de abril de 2013
  12. 12. AMERICAN IDOL E ECONOMIA AFETIVA Lógica da economia afetiva: o consumidor ideal é ativo, comprometido emocionalmente e parte de uma rede social. Fandom: monitoramento para atender aos interesses da audiência terça-feira, 9 de abril de 2013
  13. 13. MATRIX E A NARRATIVA TRANSMIDIÁTICA História transmidiática: desenrola-se através de múltiplos suportes midiáticos, com cada novo texto contribuindo de maneira distinta e valiosa para o todo. [...] Cada acesso deve ser autônomo, para que não seja necessário ver o filme para gostar do game, e vice- versa. terça-feira, 9 de abril de 2013
  14. 14. GUERRA NAS ESTRELAS E COCRIAÇÕES Fãs: histórias continuadas, interação com personagens favoritos, criação de novos episódios. terça-feira, 9 de abril de 2013
  15. 15. Democracia digital: descentralizada, dispersa de forma desigual, profundamente contraditória e vagarosa em seu surgimento. terça-feira, 9 de abril de 2013
  16. 16. John Pavlik terça-feira, 9 de abril de 2013
  17. 17. MÍDIA ESPALHADA terça-feira, 9 de abril de 2013
  18. 18. • The concept of spreadable media rests on the distinction between distribution (the top-down spread of media content as captured in the broadcast paradigm) and circulation (a hybrid system where content spreads as a result of a series of informal transactions between commercial and noncommercial participants.)Spreadable media is media which travels across media platforms at least in part because the people take it in their own hands and share it with their social networks. terça-feira, 9 de abril de 2013
  19. 19. • Jenkins e um autodesafio de (re)entender as principais questões do Cultura da Convergência, que para ele não foi interpretado adequadamente pelo mercado. • Mas, vale falar um pouco dos autores • Spreadable: termo mais fiel para representar uma situação social da atualidade, identificando o sujeito como ente central, com papel de ‘executor’, que difunde conteúdo que lhe interessa por diversos motivos, os quais são permeados da questão cultural. terça-feira, 9 de abril de 2013
  20. 20. • Cultura: ela é a causadora da mudança social e não somente a tecnologia em si. • Cenário digito-cultural de Jenkins: novo olhar sobre coletividade conectada, vida na comunidade digital, comunicação digital e novo entendimento sobre colaboração e participação – Mais otimista que outros pensadores do campo. terça-feira, 9 de abril de 2013
  21. 21. • O estrategista de mídias digitais, Mike Arauz, em comentários blogados sobre Spreadable Media diz: • Um dos aspectos mais significativos do paradigma de Spreadable Media é o reconhecimento, envolvendo até, a função individual do sujeito, as pessoas desempenham um papel ativo ao repassar ideias, mensagens e conteúdo. Os consumidores, tanto individual quanto o coletivo, exercem um papel específico no modelo de spreadability: eles não são impregnados com mensagens da mídia, eles selecionam o material que lhes interessa, a partir da matriz de conteúdo de mídia em oferta. Eles não vão simplesmente passar pelo conteúdo de maneira estática, eles transformam o conteúdo para servir melhor as próprias necessidades e imagem social. O conteúdo não permanece em fronteiras fixas, mas circula em direções imprevisíveis, baseadas não no produto do momento, mas que envolvem uma multidão de decisões locais feitas por agentes autônomos de negociação através de diversos espaços culturais. terça-feira, 9 de abril de 2013
  22. 22. v CIRCULAÇÃO DE CONTEÚDO terça-feira, 9 de abril de 2013
  23. 23. • A era do broadcast está chegando ao fim • Either way, the widespread circulation of media content through the conscious actions of dispersed networks of consumer/participants tends to create greater visibility and awareness as the content travels in unpredicted directions and encounters people who are potentially interested in further engagements with the people who produced it. terça-feira, 9 de abril de 2013
  24. 24. • Spreadable Media trata do valor que está sendo gerado a partir desta grassroots circulation e de como a indústria midiática está se adaptando - ou não - a este novo movimento participativo. • Spreadable Media takes the convergence culture context as given. [...] So, what are the consequences of those shifts to how information, brands, and media content circulates? We certainly are still interested in participatory models of cultural production but we are now much more interested in acts of curration and circulation, which on both an individual and aggregated level, are impacting the communication environment. terça-feira, 9 de abril de 2013
  25. 25. • Sites de notícia que impedem que o público compartilhe seu conteúdo estão destruindo seu valor como recurso cultural e garantindo que o público vá procurar em diversos outros lugares onde a informação pode ser espalhada. • Every news story today spreads through grassroots intermediaries and gets inserted into conversations across a range of different communities. The better journalists understand how value gets created through this process. terça-feira, 9 de abril de 2013
  26. 26. • Spreadability => technical affordances. • Spreadability => social relations with consumers. terça-feira, 9 de abril de 2013
  27. 27. terça-feira, 9 de abril de 2013
  28. 28. •  Visão determinista? v Informações mortas, se não coletivizadas! SE NÃO ESPALHA, ESTÁ MORTO! terça-feira, 9 de abril de 2013
  29. 29. Viral Marketing x Spreadable Media? Alguns estrategistas estão tentando entender Jenkins, mas não apontam a cultura como um fator crucial para o processo de spreadability. Veja a figura: terça-feira, 9 de abril de 2013
  30. 30. • A questão não é entender o público como um alvo consumidor para aumento de audiência, mas sim entender que esta audiência produz/replica conteúdo que modifica um sistema de mídia até então considerado cíclico e determinado por fases. Não há mais lógica ordenada para o conteúdo e em que ele irá resultar! terça-feira, 9 de abril de 2013
  31. 31. NOVAS LÓGICAS CORPORATIVAS terça-feira, 9 de abril de 2013
  32. 32. • Para o produtor o conteúdo pode ser um commodity, para o o consumidor é um recurso. • O produtor define a transação a partir do valor econômico. O consumidor toma a decisão baseado no valor social ou sentimental do conteúdo. • Quando o consumidor recomenda o conteúdo, ele o faz porque valoriza seus amigos, muito mais do que por publicidade. terça-feira, 9 de abril de 2013
  33. 33. • Os produtores precisam entender os valores e tipos de transações que definem como seus conteúdos são transmitidos. Com isso, poderão entender como podem monetizar as atividades dos consumidores. • “We bought it as a commodity, we give it as a gift, and the moment of transformation comes when we remove the price tag. We need to better understand the same transformation as consumers take content from commercial sites and circulate it via Twitter or Facebook.” terça-feira, 9 de abril de 2013
  34. 34. • Pirataria = falha de mercado • Susan Boyle e a grassroots circulation of content • Tropa de Elite • Fansubbing terça-feira, 9 de abril de 2013
  35. 35. • Ambiente justo de circulação de conteúdos • Moral economy: quando o sistema econômico opera de uma forma justa que reflete os interesses de todos os envolvidos . • The moral economy of the broadcast era has been shattered, and we have not yet established a new moral economy for the networked era. • Sistema que permita formas significativas de participação dos consumidores. terça-feira, 9 de abril de 2013
  36. 36. terça-feira, 9 de abril de 2013
  37. 37. STICKINESS E SPREADABILITY MOLDAM PRÁTICAS DA WEB 2.0 • Espalhabilidade e viscosidade ? • Princípios presentes na interação social com as redes  • Web 2.0 e o futuro disso? terça-feira, 9 de abril de 2013
  38. 38. INFORMAÇÕES ADERENTES X MÍDIA ESPALHADA • Web 2.0 - momento de intacto e multimídia. Uma revolução aparente que Castells e outros autores que começaram a falar da cena digital registraram  • Comportamentos na Web: terça-feira, 9 de abril de 2013
  39. 39. • Mas, o que se faz hoje na internet não é inédito. Práticas potenciais já foram táticas cotidianas -  Thompson • Redes com atores orgânicos - experiências de brechas digitais interação e participação como ideias da conectividade terça-feira, 9 de abril de 2013
  40. 40. • Mobilidade - o que se pode esperar visão de Bauman sobre isolamento do indivíduo, mas também sobre uma nova forma de acesso por dispositivos • Em que era nos estamos? terça-feira, 9 de abril de 2013
  41. 41. GERAÇÃO TRANSMÍDIA E CULTURA PARTICIPATIVA terça-feira, 9 de abril de 2013
  42. 42. • Intenção do mercado X grassroots circulation • Finalização para o produtor, mas não para o consumidor/fã. terça-feira, 9 de abril de 2013
  43. 43. • The broadcast paradigm is being reshaped right now by grassroots participants, but it remains central to the way the culture operates. Broadcast media may simply have to share space on YouTube and other platforms with content which emerged from DIY media makers, some of which is starting to gain much greater visibility than anyone might have imagined even a decade ago. terça-feira, 9 de abril de 2013

×