O PLANETA TERRA E SEUS LIMITES NA PRODUÇÃO DE ALIMENTOS ENO CRESCIMENTO DA POPULAÇÃOFernando Alcoforado*Após 200 anos de c...
os níveis de poluição ou outro fator que limitará o crescimento da população mundial?Após considerar todas as possíveis re...
*Fernando Alcoforado, 73, engenheiro e doutor em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Regionalpela Universidade de B...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O planeta terra e seus limites na produção de alimentos e no crescimento da população

296 visualizações

Publicada em

O PLANETA TERRA E SEUS LIMITES NA PRODUÇÃO DE ALIMENTOS E NO CRESCIMENTO DA POPULAÇÃO

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
296
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O planeta terra e seus limites na produção de alimentos e no crescimento da população

  1. 1. O PLANETA TERRA E SEUS LIMITES NA PRODUÇÃO DE ALIMENTOS ENO CRESCIMENTO DA POPULAÇÃOFernando Alcoforado*Após 200 anos de crescimento e desenvolvimento econômico, propiciado pelaRevolução Industrial, a população mundial aumentou significativamente com a reduçãodas taxas de mortalidade e o crescimento da esperança de vida. Hoje, na média, aspessoas vivem mais e melhor. Entre 1800 e 2010 a população mundial cresceu,aproximadamente, sete vezes (de 1 bilhão para 7 bilhões de habitantes) e a economia(PIB) aumentou cerca de 50 vezes. O consumo médio da humanidade disparou, mas ocrescimento da riqueza se deu à custa do esgotamento dos recursos naturais do planeta.Uma boa forma de dimensionar o impacto do ser humano no planeta Terra é a pegadaecológica que é uma metodologia utilizada para medir as quantidades de terra e água(em termos de hectares globais - gha) que seriam necessárias para sustentar o consumoda população. A pegada ecológica é um cálculo do que cada pessoa, cada país e, porfim, a população mundial consome em recursos naturais. A medição é feita em hectares,e seis categorias são avaliadas: terras para cultivo, campos de pastagem, florestas, áreaspara pesca, demandas de carbono e terrenos para a construção de prédios.Considerando cinco tipos de superfície (áreas cultivadas, pastagens, florestas, áreas depesca e áreas edificadas), o planeta Terra possui aproximadamente 13,4 bilhões dehectares globais (gha) de terra e água biologicamente produtivas segundo dados de 2010da Global Footprint Network e a pegada ecológica da humanidade atingiu a marca de2,7 hectares globais (gha) por pessoa, em 2007, para uma população mundial de 6,7bilhões de habitantes na mesma data (segundo a ONU) (Ver o artigo A terra no limitede José Eustáquio Diniz Alves disponível no website<http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/ambiente/terra-limite-humanidade-recursos-naturais-planeta-situacao-sustentavel-637804.shtml.>).Com a pegada ecológica da humanidade de 2,7 hectares globais (gha) por pessoasignifica dizer que para sustentar a população na Terra de 6,7 bilhões de habitantesseriam necessários 18,1 bilhões de gha (2,7 gha x 6,7 bilhões de habitantes) que ésuperior a 13,4 bilhões de hectares globais (gha) de terra e água biologicamenteprodutivas da Terra, fato este que indica que já ultrapassamos a capacidade deregeneração do planeta no nível médio de consumo mundial atual. Hoje, por conta doatual ritmo de consumo, a demanda por recursos naturais excede em 50% a capacidadede reposição da Terra.Se a escalada dessa demanda continuar no ritmo atual, em 2030, com uma populaçãoplanetária estimada em 8,3 bilhões de pessoas, serão necessárias duas Terras parasatisfazê-la. Qual é a perspectiva para o futuro próximo? De acordo com dados daDivisão de População da ONU, em 2050 a população mundial deverá atingir 8 bilhõesde pessoas, na projeção baixa, 9 bilhões, na projeção média, e 10 bilhões, na projeçãoalta. O mais provável é que a Terra tenha mais 2 bilhões de habitantes nos próximostrinta e sete anos tornando inviável manter os padrões de produção e consumo atuais dapopulação mundial.Uma das questões chaves que se deve levantar é a de quantas pessoas a Terra poderiasuportar. Relacionada com esta questão surge outra sobre qual seria exatamente o limitede crescimento da população humana? Será a escassez de água, a escassez de alimentos, 1
  2. 2. os níveis de poluição ou outro fator que limitará o crescimento da população mundial?Após considerar todas as possíveis restrições, pode-se concluir que o suprimento dealimentos determinará o crescimento da população mundial.Na publicação Nosso Futuro Comum da Comissão Mundial Sobre Meio Ambiente eDesenvolvimento da ONU (Editora da Fundação Getúlio Vargas, 1991), algunspesquisadores estabeleceram o potencial “teórico” da produção planetária de alimentos.Para eles, a área destinada ao cultivo de alimentos poderia ser de cerca de 1,5 bilhão dehectares (nível próximo do atual) e a produtividade média poderia chegar a cincotoneladas de grãos equivalentes por hectare, isto é, duas vezes e meia em relação àprodutividade atual.Levando-se em conta a produção das áreas destinadas às pastagens e dos mananciaismarinhos, o “potencial” total situa-se em oito toneladas de equivalentes em grãos. Amédia global atual do consumo de energia vegetal em alimentos, sementes e raçãoanimal é de cerca de 6 mil calorias ao dia, variando entre o mínimo de 3 mil e o máximode 15 mil entre os países, dependendo dos níveis de consumo de carne. Tomando amédia de consumo por base, a produção potencial de alimentos do mundo poderiasustentar pouco mais de 11 bilhões de pessoas.Ressalte-se que, a partir de 2050, a população mundial poderá ultrapassar 10 bilhões dehabitantes. Com uma população superior a 10 bilhões de habitantes, o planeta Terrapoderá não resistir a tamanha demanda por recursos naturais. Se o consumo médio dealimentos aumentar para, por exemplo, 9 mil calorias ao dia, só será possível atenderuma população da Terra correspondente a 7,5 bilhões de habitantes. Muitos cientistasacreditam que a Terra tem uma capacidade de carga de 9 a 10 bilhões de pessoas.Mesmo no caso de máxima eficiência, em que todos os grãos cultivados fossemdedicados aos seres humanos para alimentação (em vez de gado, que é uma maneiraineficiente de converter a energia vegetal em energia alimentar), ainda há um limite. “Setodo mundo concordar em se tornar vegetariano, deixando pouco ou nada para o gado,os 1,5 bilhões de hectares de terras aráveis suportariam cerca de 10 bilhões de pessoas”(Ver o artigo Quantas pessoas o planeta aguenta? Disponível no website<http://hypescience.com/quantas-pessoas-o-planeta-aguenta/>).A Universidade de Cornell dos Estados Unidos desenvolveu estudos sobre a capacidadede produção de alimentos do planeta. Um desses estudos constata que a Terra só temcondições de alimentar 2 bilhões de habitantes com o mesmo padrão de vida dos paísescapitalistas desenvolvidos. Isto significa dizer que quanto mais elevado é o nível de vidada população da Terra, isto é, quanto maior seja o nível do seu consumo alimentar,maior é a exigência para que sua população seja menor.Dadas as conclusões dos diversos estudos sobre o impacto do crescimento populacionalsobre o desenvolvimento, é evidente que algo precisa ser feito desde já para evitar umacatástrofe que se avizinha nos próximos 37 anos. É imperativo que os governos em todoo mundo adotem políticas que contribuam para o equilíbrio entre tamanho da populaçãoe recursos disponíveis no planeta Terra, de um lado, e taxa de aumento da população ecapacidade da economia de atender suas necessidades básicas não apenas no presente,mas também, de outro lado, por gerações no futuro. 2
  3. 3. *Fernando Alcoforado, 73, engenheiro e doutor em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Regionalpela Universidade de Barcelona, professor universitário e consultor nas áreas de planejamento estratégico,planejamento empresarial, planejamento regional e planejamento de sistemas energéticos, é autor doslivros Globalização (Editora Nobel, São Paulo, 1997), De Collor a FHC- O Brasil e a Nova (Des)ordemMundial (Editora Nobel, São Paulo, 1998), Um Projeto para o Brasil (Editora Nobel, São Paulo, 2000),Os condicionantes do desenvolvimento do Estado da Bahia (Tese de doutorado. Universidade deBarcelona, http://www.tesisenred.net/handle/10803/1944, 2003), Globalização e Desenvolvimento(Editora Nobel, São Paulo, 2006), Bahia- Desenvolvimento do Século XVI ao Século XX e ObjetivosEstratégicos na Era Contemporânea (EGBA, Salvador, 2008), The Necessary Conditions of theEconomic and Social Development- The Case of the State of Bahia (VDM Verlag Dr. MüllerAktiengesellschaft & Co. KG, Saarbrücken, Germany, 2010), Aquecimento Global e CatástrofePlanetária (P&A Gráfica e Editora, Salvador, 2010), Amazônia Sustentável- Para o progresso do Brasil ecombate ao aquecimento global (Viena- Editora e Gráfica, Santa Cruz do Rio Pardo, São Paulo, 2011) eOs Fatores Condicionantes do Desenvolvimento Econômico e Social (Editora CRV, Curitiba, 2012), entreoutros.STORIA 3

×