SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
1
COMO REERGUER O BRASIL PÓS-IMPEACHMENT DE DILMA ROUSSEFF
Fernando Alcoforado*
Após a devastação econômica, social e político-institucional promovida pelos governos
do PT de Lula e Dilma Rousseff, qualquer novo governo efetivamente comprometido
com o progresso do Brasil, que venha a exercer o poder após o impeachment de Dilma
Rousseff, só terá condições de exercer com efetividade a governabilidade se realizar
políticas públicas que atendam os interesses da grande maioria da nação brasileira. É
importante destacar que governabilidade expressa a possibilidade do governo de uma
nação realizar políticas públicas resultantes da convergência entre as várias instâncias
do Estado nacional entre si e deste com a Sociedade Civil. A primeira medida a ser
adotada pelo novo governo consistiria em montar um gabinete de crise composto por
pessoas da mais alta competência e do mais alto gabarito e respeitabilidade ética e moral
para obter o respeito da nação e assegurar a governabilidade. Para obter a confiança da
população e exercer a governabilidade, o futuro governo terá que adotar medidas
urgentes que contribuam para sustar o colapso do sistema econômico e do sistema
político-institucional do Brasil.
As medidas para sustar o colapso do sistema econômico
Para sustar o colapso da economia brasileira, o futuro governante da nação deveria
adotar medidas preliminares e urgentes que preparem o terreno ou sirvam de base para a
adoção de estratégias complementares visando a retomada do crescimento econômico, a
elevação dos níveis de emprego e renda da população e a redução dos níveis de inflação.
Estas medidas preliminares e urgentes são as seguintes: 1) redução drástica do gasto
público de custeio reduzindo o número de ministérios para 10 ou 15 e a eliminação ou
redução ao mínimo necessário dos cargos comissionados que são cerca de 30 mil; 2)
realização de auditoria da dívida externa e da dívida interna pública do país para avaliar
sua autenticidade; 3) renegociação do pagamento dos juros da dívida externa e da dívida
interna pública do país visando elevar a poupança pública para investimento; 4) adoção
do câmbio fixo em substituição ao câmbio flutuante para proteger a indústria nacional;
5) controle do fluxo de entrada e saída de capital para impedir excesso de influxos e a
fuga de capitais do País; 6) redução acentuada das taxas de juros para incentivar os
investimentos nas atividades produtivas; 7) importação seletiva de matérias-primas e
produtos essenciais do exterior para reduzir os dispêndios em divisas do País; 8)
reintrodução da reserva de mercado em áreas consideradas estratégicas para o
desenvolvimento nacional; e, 9) adoção de uma política tributária capaz de assegurar os
recursos de que o Estado necessitaria para investir em educação, saúde, previdência
social e nos setores de infraestrutura, entre outros e onerar o mínimo possível a
população e os setores produtivos.
Após as medidas imediatas, de curto prazo, acima descritas, o futuro governante do
Brasil deveria adotar medidas que contribuam para o crescimento econômico da nação a
médio e longo prazo. É oportuno observar que o Produto Interno Bruto (PIB) é definido
como o valor total da produção de riqueza em um determinado país durante um ano
pelos agentes econômicos residentes no território nacional. O PIB pode ser calculado na
moeda de um determinado país a partir da soma de todos os seus componentes: PIB = C
+ I + G + X – M. Nesta fórmula, C corresponde à despesa das famílias em bens de
consumo (consumo privado), I à despesa das empresas em investimento, quer em bens
de capital (formação bruta de capital fixo), quer em estoques de matérias-primas e
2
produtos (variação de estoques), G à despesa do Estado (governos federal, estaduais e
municipais) em bens de consumo (consumo público), X à receita com exportações e M
ao gasto com importações.
Baseado nesta fórmula, o crescimento do PIB pode ser obtido com a expansão do
consumo privado (C) aumentando a massa salarial e adotando política de crédito que
incentive o consumidor a comprar, o aumento do investimento na atividade produtiva
(I) que pode resultar da redução da carga tributária e da implementação de uma política
de incentivos fiscais e juros atrativos para os empresários, e a elevação da despesa do
Estado (G) com ênfase na realização de investimentos em infra-estrutura econômica e
social. O aumento da receita de exportação (X) e a redução dos gastos com importações
(M) contribuiriam também para o crescimento da economia. A estratégia ótima de
crescimento econômico é aquela que está apoiada na maximização do investimento (I)
nas atividades produtivas que contribuiria para o aumento da renda e do emprego e,
consequentemente, do consumo das famílias (C) e para o aumento da arrecadação
tributária do governo possibilitando, consequentemente, o aumento da despesa do
Estado (G). Além disso, a estratégia ótima de crescimento econômico deveria
maximizar a diferença entre a receita com exportações (X) e o gasto com importações
(M). Esta foi a estratégia econômica que alavancou o crescimento econômico da China
nas últimas décadas.
Nas condições atuais do Brasil, a estratégia ótima de crescimento econômico requereria
a maximização do investimento (I) que seria viabilizada com a redução da carga
tributária e da implementação de uma política de incentivos fiscais e juros atrativos para
os empresários que possibilitaria o incremento do emprego e da renda da população e,
consequentemente, do consumo das famílias (C). Para combater a inflação de demanda
que poderia resultar do aumento do consumo das famílias (C) e do investimento privado
(I), o governo deveria incentivar a expansão da produção agrícola e industrial em
setores produtivos onde a oferta seja insuficiente. Por sua vez, para reduzir as taxas de
juros praticadas pelo sistema financeiro, o governo brasileiro deveria promover uma
queda drástica da taxa Selic (taxa básica da economia) que contribuiria, também, para a
redução dos dispêndios governamentais com o pagamento da dívida pública interna e,
consequentemente, aumentando a disponibilidade de recursos públicos para destiná-los
ao atendimento das necessidades do País.
Para o governo brasileiro maximizar seu gasto (G), é preciso formar poupança pública
suficiente. Para aumentar a poupança do setor público, o que o governo precisa fazer é
reduzir drasticamente a taxa Selic que hoje corresponde a 14,25%, renegociar o
pagamento do serviço da dívida pública interna e fazer com que os gastos correntes do
setor público sejam reduzidos ou cresçam menos do que o Produto Interno Bruto (PIB)
para dispor de recursos para a realização de investimentos públicos, sobretudo na
deficiente infraestrutura econômica (energia, transportes e comunicações) e social
(educação, saúde, habitação e saneamento básico). Ressalte-se que é fundamental a
renegociação dos termos das dívidas interna e externa. Sem a adoção desta medida o
governo brasileiro não terá condições de promover o crescimento econômico do País
haja vista que quase metade do orçamento da União é destinada ao pagamento dos
encargos com a dívida pública interna. Dessa forma, seriam criadas as condições para
que o setor público possa investir e se financiar com recursos próprios, e não por
endividamento como ocorre atualmente.
3
É oportuno observar que, na história econômica do Brasil do pós-guerra até o presente
momento, o dilema de como aumentar a taxa de poupança para o País crescer mais
rápido sempre foi resolvido pelos diversos governos com o uso de poupança externa
com a atração do investimento estrangeiro direto e a obtenção de financiamento
internacional, do que resultou em crônicos déficits no balanço de pagamentos em conta
corrente e no consequente aumento do endividamento externo. Nunca houve por parte
do governo brasileiro uma verdadeira preocupação nem com a formação de poupança
pública, nem com a criação de incentivos para elevar a poupança privada interna. No
momento, para o Brasil crescer rápido, é imprescindível aumentar a poupança
doméstica, em especial a poupança pública, sem a qual o País se endividará
continuamente ao ponto de comprometer seu futuro.
Outra medida imprescindível de médio e longo prazo consiste em fazer com que os
gastos correntes do governo brasileiro sejam reduzidos ou cresçam menos do que o
Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil. Para tanto, seria imprescindível a realização de
uma profunda reforma administrativa que racionalize a gestão pública no País que
contribua, também, para a eliminação de desperdícios e a redução de custos do serviço
público. Apenas realizando a reforma do Estado e da Administração Pública no Brasil
será possível corrigir as distorções atuais no gasto público e reduzir a carga tributária
beneficiando empresas e trabalhadores. A implantação de um modelo de gestão
eficiente e eficaz para o Estado brasileiro fará com que a sua capacidade de arrecadação
de impostos seja ampliada. O novo modelo de gestão baseado na racionalização dos
processos de trabalho levará inevitavelmente à redução dos custos de operação do
Estado e, consequentemente, da carga tributária sobre os contribuintes. Sem colocar em
prática este conjunto de medidas, o Estado brasileiro não adquirirá a capacidade de
investir na expansão da economia e de adotar políticas de compensação social no nível
necessário para mitigar os desníveis sociais no Brasil.
As medidas para sustar o colapso do sistema político-institucional
Para reverter o colapso em curso do sistema político-institucional do Brasil, urge a
adoção das medidas seguintes: 1) Constituição de um governo composto por pessoas
competentes e de moral ilibada que teria a responsabilidade de convocar uma nova
Assembleia Constituinte Exclusiva para promover a reforma do Estado e da
Administração Pública em novas bases; 2) Banimento de partidos políticos e
parlamentares comprometidos com a corrupção; 3) Formação de novos partidos
políticos após a nova Constituinte; e, 4) Convocação de novas eleições gerais no País.
A Assembléia Constituinte Exclusiva a ser convocada pelo novo governo deveria
instituir o parlamentarismo como sistema de governo e criar mecanismos que
possibilitem à população: 1) exercer a democracia direta nas decisões de grande
relevância tomadas pelos Poderes Executivos e Parlamento nos níveis federal, estadual
e municipal aprovando ou rejeitando através de plebiscito ou referendo, e; 2) exercer o
controle dos eleitos para os Poderes Executivo e Legislativo acionando os mecanismos
institucionais necessários à punição daqueles que eventualmente tenham traido os
interesses do eleitorado se pronunciando sobre sua cassação ou não através de
plebiscito, entre outras medidas. A Assembléia Constituinte Exclusiva deveria decidir,
também, pelo fim do Senado Federal com a institucionalização do sistema unicameral e
a redução do número de parlamentares e de suas mordomias nos parlamentos federal,
estadual e municipal, entre outras medidas.
4
Este conjunto de medidas voltado para sustar o colapso em curso do sistema político-
institucional do Brasil é absolutamente necessário porque nos defrontamos com uma
flagrante desmoralização de suas instituições políticas, haja vista termos um
presidencialismo de coalizão movido pela corrupção que passou a existir a partir da
Assembleia Constituinte de 1988 e demonstra ser incapaz de solucionar a grave crise
política em que vive o Brasil. A democracia representativa no Brasil manifesta sinais
claros de esgotamento não apenas pelos escândalos de corrupção nos poderes da
República, mas, sobretudo, ao desestimular a participação popular, reduzindo a
atividade política a processos eleitorais que se repetem periodicamente em que o povo
elege seus representantes os quais, com poucas exceções, após as eleições passam a
defender interesses de grupos econômicos em contraposição aos interesses daqueles que
os elegeram.
Estas são, portanto, as medidas capazes de sustar o colapso econômico e político-
institucional do Brasil. Sem elas, o Brasil terá seu futuro comprometido. Não basta,
portanto, a substituição de Dilma Rousseff pelo vice-presidente Michel Temer como se
prevê deverá ocorrer com o impeachment da atual presidente para que os problemas do
Brasil sejam resolvidos. É preciso que sejam adotadas as medidas aqui propostas para
impedir o colapso dos sistemas econômico e político-institucional do Brasil.
*Fernando Alcoforado, 76, membro da Academia Baiana de Educação, engenheiro e doutor em
Planejamento Territorial e Desenvolvimento Regional pela Universidade de Barcelona, professor
universitário e consultor nas áreas de planejamento estratégico, planejamento empresarial, planejamento
regional e planejamento de sistemas energéticos, é autor dos livros Globalização (Editora Nobel, São
Paulo, 1997), De Collor a FHC- O Brasil e a Nova (Des)ordem Mundial (Editora Nobel, São Paulo,
1998), Um Projeto para o Brasil (Editora Nobel, São Paulo, 2000), Os condicionantes do
desenvolvimento do Estado da Bahia (Tese de doutorado. Universidade de
Barcelona,http://www.tesisenred.net/handle/10803/1944, 2003), Globalização e Desenvolvimento
(Editora Nobel, São Paulo, 2006), Bahia- Desenvolvimento do Século XVI ao Século XX e Objetivos
Estratégicos na Era Contemporânea (EGBA, Salvador, 2008), The Necessary Conditions of the Economic
and Social Development- The Case of the State of Bahia (VDM Verlag Dr. Müller Aktiengesellschaft &
Co. KG, Saarbrücken, Germany, 2010), Aquecimento Global e Catástrofe Planetária (P&A Gráfica e
Editora, Salvador, 2010), Amazônia Sustentável- Para o progresso do Brasil e combate ao aquecimento
global (Viena- Editora e Gráfica, Santa Cruz do Rio Pardo, São Paulo, 2011), Os Fatores Condicionantes
do Desenvolvimento Econômico e Social (Editora CRV, Curitiba, 2012) e Energia no Mundo e no Brasil-
Energia e Mudança Climática Catastrófica no Século XXI (Editora CRV, Curitiba, 2015). Possui blog na
Internet (http://fernando.alcoforado.zip.net). E-mail: falcoforado@uol.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Rombo fiscal nas contas públicas leva à bancarrota a economia brasileira
Rombo fiscal nas contas públicas leva à bancarrota a economia brasileiraRombo fiscal nas contas públicas leva à bancarrota a economia brasileira
Rombo fiscal nas contas públicas leva à bancarrota a economia brasileiraFernando Alcoforado
 
Economia brasileira ameaçada pelo ajuste fiscal do governo michel temer
Economia brasileira ameaçada pelo ajuste fiscal do governo michel temerEconomia brasileira ameaçada pelo ajuste fiscal do governo michel temer
Economia brasileira ameaçada pelo ajuste fiscal do governo michel temerFernando Alcoforado
 
Estado e atividade económica
Estado e atividade económicaEstado e atividade económica
Estado e atividade económicaTiago Filipe
 
Artigo Jornalistico - Direito Financeiro - Daniela Gagliardi
Artigo Jornalistico - Direito Financeiro - Daniela GagliardiArtigo Jornalistico - Direito Financeiro - Daniela Gagliardi
Artigo Jornalistico - Direito Financeiro - Daniela GagliardiDaniela_Gagliardi
 
Apresentação - PEC 241/2016 e o Novo Regime Fiscal do Brasil (24/08/2016)
Apresentação - PEC 241/2016 e o Novo Regime Fiscal do Brasil (24/08/2016)Apresentação - PEC 241/2016 e o Novo Regime Fiscal do Brasil (24/08/2016)
Apresentação - PEC 241/2016 e o Novo Regime Fiscal do Brasil (24/08/2016)Ministério da Economia
 
Politica combate ao desemprego modulo 5- economia
Politica combate ao desemprego  modulo 5-  economiaPolitica combate ao desemprego  modulo 5-  economia
Politica combate ao desemprego modulo 5- economiaDaniela Costa
 
O falso discurso do governo sobre a recuperação econômica do brasil
O falso discurso do governo sobre a recuperação econômica do brasilO falso discurso do governo sobre a recuperação econômica do brasil
O falso discurso do governo sobre a recuperação econômica do brasilFernando Alcoforado
 
A falta de visão estratégica sobre o futuro do país dos candidatos à presidên...
A falta de visão estratégica sobre o futuro do país dos candidatos à presidên...A falta de visão estratégica sobre o futuro do país dos candidatos à presidên...
A falta de visão estratégica sobre o futuro do país dos candidatos à presidên...Fernando Alcoforado
 
Como reativar a economia do brasil
Como reativar a economia do brasilComo reativar a economia do brasil
Como reativar a economia do brasilFernando Alcoforado
 
Os impasses econômicos e políticos do brasil
Os impasses econômicos e políticos do brasilOs impasses econômicos e políticos do brasil
Os impasses econômicos e políticos do brasilFernando Alcoforado
 
Pec 241 do governo michel temer ameaça o futuro do brasil
Pec 241 do governo michel temer ameaça o futuro do brasilPec 241 do governo michel temer ameaça o futuro do brasil
Pec 241 do governo michel temer ameaça o futuro do brasilFernando Alcoforado
 
A intervenção do estado na economia portuguesa
A intervenção do estado na economia portuguesaA intervenção do estado na economia portuguesa
A intervenção do estado na economia portuguesaVitor Anselmo
 

Mais procurados (19)

PEC 241 - Austeridade
PEC 241 - AusteridadePEC 241 - Austeridade
PEC 241 - Austeridade
 
Rombo fiscal nas contas públicas leva à bancarrota a economia brasileira
Rombo fiscal nas contas públicas leva à bancarrota a economia brasileiraRombo fiscal nas contas públicas leva à bancarrota a economia brasileira
Rombo fiscal nas contas públicas leva à bancarrota a economia brasileira
 
Economia brasileira ameaçada pelo ajuste fiscal do governo michel temer
Economia brasileira ameaçada pelo ajuste fiscal do governo michel temerEconomia brasileira ameaçada pelo ajuste fiscal do governo michel temer
Economia brasileira ameaçada pelo ajuste fiscal do governo michel temer
 
Estado e atividade económica
Estado e atividade económicaEstado e atividade económica
Estado e atividade económica
 
Artigo Jornalistico - Direito Financeiro - Daniela Gagliardi
Artigo Jornalistico - Direito Financeiro - Daniela GagliardiArtigo Jornalistico - Direito Financeiro - Daniela Gagliardi
Artigo Jornalistico - Direito Financeiro - Daniela Gagliardi
 
Apresentação - PEC 241/2016 e o Novo Regime Fiscal do Brasil (24/08/2016)
Apresentação - PEC 241/2016 e o Novo Regime Fiscal do Brasil (24/08/2016)Apresentação - PEC 241/2016 e o Novo Regime Fiscal do Brasil (24/08/2016)
Apresentação - PEC 241/2016 e o Novo Regime Fiscal do Brasil (24/08/2016)
 
Politica combate ao desemprego modulo 5- economia
Politica combate ao desemprego  modulo 5-  economiaPolitica combate ao desemprego  modulo 5-  economia
Politica combate ao desemprego modulo 5- economia
 
Pec 241 2016 Henrique de Campos Meirelles
Pec 241 2016 Henrique de Campos MeirellesPec 241 2016 Henrique de Campos Meirelles
Pec 241 2016 Henrique de Campos Meirelles
 
O falso discurso do governo sobre a recuperação econômica do brasil
O falso discurso do governo sobre a recuperação econômica do brasilO falso discurso do governo sobre a recuperação econômica do brasil
O falso discurso do governo sobre a recuperação econômica do brasil
 
A Seguridade Social Como Politica De Estado
A Seguridade Social Como Politica De EstadoA Seguridade Social Como Politica De Estado
A Seguridade Social Como Politica De Estado
 
A falta de visão estratégica sobre o futuro do país dos candidatos à presidên...
A falta de visão estratégica sobre o futuro do país dos candidatos à presidên...A falta de visão estratégica sobre o futuro do país dos candidatos à presidên...
A falta de visão estratégica sobre o futuro do país dos candidatos à presidên...
 
Como reativar a economia do brasil
Como reativar a economia do brasilComo reativar a economia do brasil
Como reativar a economia do brasil
 
Os impasses econômicos e políticos do brasil
Os impasses econômicos e políticos do brasilOs impasses econômicos e políticos do brasil
Os impasses econômicos e políticos do brasil
 
El - 2006 - pilares macroeconômicos
El - 2006 - pilares macroeconômicosEl - 2006 - pilares macroeconômicos
El - 2006 - pilares macroeconômicos
 
Pec 241 do governo michel temer ameaça o futuro do brasil
Pec 241 do governo michel temer ameaça o futuro do brasilPec 241 do governo michel temer ameaça o futuro do brasil
Pec 241 do governo michel temer ameaça o futuro do brasil
 
Estadoeeconomia
EstadoeeconomiaEstadoeeconomia
Estadoeeconomia
 
Fórum de debate PEC 241 - Márcio Holland
Fórum de debate PEC 241 - Márcio HollandFórum de debate PEC 241 - Márcio Holland
Fórum de debate PEC 241 - Márcio Holland
 
Visões sobre pec 241
Visões sobre pec 241Visões sobre pec 241
Visões sobre pec 241
 
A intervenção do estado na economia portuguesa
A intervenção do estado na economia portuguesaA intervenção do estado na economia portuguesa
A intervenção do estado na economia portuguesa
 

Destaque

A terrible time of brazil where idiots drive unseeing
A terrible time of brazil where idiots drive unseeingA terrible time of brazil where idiots drive unseeing
A terrible time of brazil where idiots drive unseeingFernando Alcoforado
 
New Life Business packages
New Life Business packagesNew Life Business packages
New Life Business packagesNew Life
 
jinu george cv (2)
jinu george cv (2)jinu george cv (2)
jinu george cv (2)Jinu George
 
Coursera designingcities 2016
Coursera designingcities 2016Coursera designingcities 2016
Coursera designingcities 2016Cecile Rurenu
 
Trabajo práctico 21
Trabajo práctico 21Trabajo práctico 21
Trabajo práctico 21Pablogimenezb
 
Journey Qual IDI Training Preso_4.2.12
Journey Qual IDI Training Preso_4.2.12Journey Qual IDI Training Preso_4.2.12
Journey Qual IDI Training Preso_4.2.12Gaurav Joshi
 
Resolución de problema de matemáticas
Resolución de problema de matemáticasResolución de problema de matemáticas
Resolución de problema de matemáticasKlaus Gumartz
 
The Arbonne Virtual Catalogue!
The Arbonne Virtual Catalogue! The Arbonne Virtual Catalogue!
The Arbonne Virtual Catalogue! Kezia Norton
 
Informe final epistemologia
Informe final epistemologiaInforme final epistemologia
Informe final epistemologiayolanda castro
 

Destaque (12)

A terrible time of brazil where idiots drive unseeing
A terrible time of brazil where idiots drive unseeingA terrible time of brazil where idiots drive unseeing
A terrible time of brazil where idiots drive unseeing
 
New Life Business packages
New Life Business packagesNew Life Business packages
New Life Business packages
 
jinu george cv (2)
jinu george cv (2)jinu george cv (2)
jinu george cv (2)
 
Peças de decoração
Peças de decoraçãoPeças de decoração
Peças de decoração
 
Presentación1 (2)
Presentación1 (2)Presentación1 (2)
Presentación1 (2)
 
Coursera designingcities 2016
Coursera designingcities 2016Coursera designingcities 2016
Coursera designingcities 2016
 
Trabajo práctico 21
Trabajo práctico 21Trabajo práctico 21
Trabajo práctico 21
 
Journey Qual IDI Training Preso_4.2.12
Journey Qual IDI Training Preso_4.2.12Journey Qual IDI Training Preso_4.2.12
Journey Qual IDI Training Preso_4.2.12
 
Resolución de problema de matemáticas
Resolución de problema de matemáticasResolución de problema de matemáticas
Resolución de problema de matemáticas
 
The Arbonne Virtual Catalogue!
The Arbonne Virtual Catalogue! The Arbonne Virtual Catalogue!
The Arbonne Virtual Catalogue!
 
Informe final epistemologia
Informe final epistemologiaInforme final epistemologia
Informe final epistemologia
 
Spoken English 101
Spoken English 101Spoken English 101
Spoken English 101
 

Semelhante a Como reerguer a economia e a política brasileira pós-impeachment

Como retomar o desenvolvimento econômico do brasil
Como retomar o desenvolvimento econômico do brasilComo retomar o desenvolvimento econômico do brasil
Como retomar o desenvolvimento econômico do brasilFernando Alcoforado
 
Como superar a crise e retomar o desenvolvimento no brasil
Como superar a crise e retomar o desenvolvimento no brasilComo superar a crise e retomar o desenvolvimento no brasil
Como superar a crise e retomar o desenvolvimento no brasilFernando Alcoforado
 
Pec 241 ameaça o desenvolvimento do brasil
Pec 241 ameaça o desenvolvimento do brasilPec 241 ameaça o desenvolvimento do brasil
Pec 241 ameaça o desenvolvimento do brasilFernando Alcoforado
 
COMO ELIMINAR O DESEMPREGO NO BRASIL.pdf
COMO ELIMINAR O DESEMPREGO NO BRASIL.pdfCOMO ELIMINAR O DESEMPREGO NO BRASIL.pdf
COMO ELIMINAR O DESEMPREGO NO BRASIL.pdfFaga1939
 
A iminente explosão da dívida pública no brasil e suas graves consequências
A iminente explosão da dívida pública no brasil e suas graves consequênciasA iminente explosão da dívida pública no brasil e suas graves consequências
A iminente explosão da dívida pública no brasil e suas graves consequênciasFernando Alcoforado
 
Não à política econômica recessiva do governo michel temer
Não à política econômica recessiva do governo michel temerNão à política econômica recessiva do governo michel temer
Não à política econômica recessiva do governo michel temerFernando Alcoforado
 
Urge a construção de uma nova alternativa de poder no brasil
Urge a construção de uma nova alternativa de poder no brasilUrge a construção de uma nova alternativa de poder no brasil
Urge a construção de uma nova alternativa de poder no brasilFernando Alcoforado
 
O DESASTRE ECONÔMICO DO BRASIL COM O GOVERNO BOLSONARO
O DESASTRE ECONÔMICO DO BRASIL COM O GOVERNO BOLSONAROO DESASTRE ECONÔMICO DO BRASIL COM O GOVERNO BOLSONARO
O DESASTRE ECONÔMICO DO BRASIL COM O GOVERNO BOLSONAROFernandoAlcoforado1
 
Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...
Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...
Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...Fernando Alcoforado
 
Resoluçãoo PSB
Resoluçãoo PSBResoluçãoo PSB
Resoluçãoo PSBAnna Tiago
 
Não ao ajuste econômico recessivo do governo michel temer
Não ao ajuste econômico recessivo do governo michel temerNão ao ajuste econômico recessivo do governo michel temer
Não ao ajuste econômico recessivo do governo michel temerFernando Alcoforado
 
A dívida pública poderá levar o brasil ao colapso econômico
A dívida pública poderá levar o brasil ao colapso econômicoA dívida pública poderá levar o brasil ao colapso econômico
A dívida pública poderá levar o brasil ao colapso econômicoFernando Alcoforado
 
A incompetência gerencial do governo michel temer
A incompetência gerencial do governo michel temer A incompetência gerencial do governo michel temer
A incompetência gerencial do governo michel temer Fernando Alcoforado
 
A falência dos sistemas político e econômico do brasil
A falência dos sistemas político e econômico do brasilA falência dos sistemas político e econômico do brasil
A falência dos sistemas político e econômico do brasilFernando Alcoforado
 
A falta de visao estrategica sobre o futuro do pais dos candidatos a presiden...
A falta de visao estrategica sobre o futuro do pais dos candidatos a presiden...A falta de visao estrategica sobre o futuro do pais dos candidatos a presiden...
A falta de visao estrategica sobre o futuro do pais dos candidatos a presiden...Roberto Rabat Chame
 
LULA PRESIDENTE E SEUS DESAFIOS DE GOVERNAR.pdf
LULA PRESIDENTE E SEUS DESAFIOS DE GOVERNAR.pdfLULA PRESIDENTE E SEUS DESAFIOS DE GOVERNAR.pdf
LULA PRESIDENTE E SEUS DESAFIOS DE GOVERNAR.pdfFaga1939
 

Semelhante a Como reerguer a economia e a política brasileira pós-impeachment (20)

Como retomar o desenvolvimento econômico do brasil
Como retomar o desenvolvimento econômico do brasilComo retomar o desenvolvimento econômico do brasil
Como retomar o desenvolvimento econômico do brasil
 
Como superar a crise e retomar o desenvolvimento no brasil
Como superar a crise e retomar o desenvolvimento no brasilComo superar a crise e retomar o desenvolvimento no brasil
Como superar a crise e retomar o desenvolvimento no brasil
 
Pec 241 ameaça o desenvolvimento do brasil
Pec 241 ameaça o desenvolvimento do brasilPec 241 ameaça o desenvolvimento do brasil
Pec 241 ameaça o desenvolvimento do brasil
 
Brasil país sem rumo
Brasil país sem rumoBrasil país sem rumo
Brasil país sem rumo
 
Futuros cenários para o brasil
Futuros cenários para o brasilFuturos cenários para o brasil
Futuros cenários para o brasil
 
COMO ELIMINAR O DESEMPREGO NO BRASIL.pdf
COMO ELIMINAR O DESEMPREGO NO BRASIL.pdfCOMO ELIMINAR O DESEMPREGO NO BRASIL.pdf
COMO ELIMINAR O DESEMPREGO NO BRASIL.pdf
 
A iminente explosão da dívida pública no brasil e suas graves consequências
A iminente explosão da dívida pública no brasil e suas graves consequênciasA iminente explosão da dívida pública no brasil e suas graves consequências
A iminente explosão da dívida pública no brasil e suas graves consequências
 
Não à política econômica recessiva do governo michel temer
Não à política econômica recessiva do governo michel temerNão à política econômica recessiva do governo michel temer
Não à política econômica recessiva do governo michel temer
 
Urge a construção de uma nova alternativa de poder no brasil
Urge a construção de uma nova alternativa de poder no brasilUrge a construção de uma nova alternativa de poder no brasil
Urge a construção de uma nova alternativa de poder no brasil
 
O DESASTRE ECONÔMICO DO BRASIL COM O GOVERNO BOLSONARO
O DESASTRE ECONÔMICO DO BRASIL COM O GOVERNO BOLSONAROO DESASTRE ECONÔMICO DO BRASIL COM O GOVERNO BOLSONARO
O DESASTRE ECONÔMICO DO BRASIL COM O GOVERNO BOLSONARO
 
Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...
Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...
Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...
 
Resoluçãoo PSB
Resoluçãoo PSBResoluçãoo PSB
Resoluçãoo PSB
 
Não ao ajuste econômico recessivo do governo michel temer
Não ao ajuste econômico recessivo do governo michel temerNão ao ajuste econômico recessivo do governo michel temer
Não ao ajuste econômico recessivo do governo michel temer
 
A dívida pública poderá levar o brasil ao colapso econômico
A dívida pública poderá levar o brasil ao colapso econômicoA dívida pública poderá levar o brasil ao colapso econômico
A dívida pública poderá levar o brasil ao colapso econômico
 
O brasil sem rumo
O brasil sem rumoO brasil sem rumo
O brasil sem rumo
 
O brasil sem rumo
O brasil sem rumoO brasil sem rumo
O brasil sem rumo
 
A incompetência gerencial do governo michel temer
A incompetência gerencial do governo michel temer A incompetência gerencial do governo michel temer
A incompetência gerencial do governo michel temer
 
A falência dos sistemas político e econômico do brasil
A falência dos sistemas político e econômico do brasilA falência dos sistemas político e econômico do brasil
A falência dos sistemas político e econômico do brasil
 
A falta de visao estrategica sobre o futuro do pais dos candidatos a presiden...
A falta de visao estrategica sobre o futuro do pais dos candidatos a presiden...A falta de visao estrategica sobre o futuro do pais dos candidatos a presiden...
A falta de visao estrategica sobre o futuro do pais dos candidatos a presiden...
 
LULA PRESIDENTE E SEUS DESAFIOS DE GOVERNAR.pdf
LULA PRESIDENTE E SEUS DESAFIOS DE GOVERNAR.pdfLULA PRESIDENTE E SEUS DESAFIOS DE GOVERNAR.pdf
LULA PRESIDENTE E SEUS DESAFIOS DE GOVERNAR.pdf
 

Mais de Fernando Alcoforado

O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO
O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO   O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO
O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO Fernando Alcoforado
 
L'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIEN
L'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIENL'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIEN
L'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIENFernando Alcoforado
 
LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?
LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?
LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?Fernando Alcoforado
 
AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...
AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...
AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...Fernando Alcoforado
 
GLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTH
GLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTHGLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTH
GLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTHFernando Alcoforado
 
LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...
LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...
LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...Fernando Alcoforado
 
INONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL
INONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIALINONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL
INONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIALFernando Alcoforado
 
CITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGE
CITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGECITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGE
CITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGEFernando Alcoforado
 
INUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL
INUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBALINUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL
INUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBALFernando Alcoforado
 
CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022
CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022 CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022
CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022 Fernando Alcoforado
 
CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...
CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...
CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...Fernando Alcoforado
 
CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...
CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...
CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...Fernando Alcoforado
 
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...Fernando Alcoforado
 
COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...
COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...
COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...Fernando Alcoforado
 
THE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLD
THE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLDTHE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLD
THE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLDFernando Alcoforado
 
LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE
LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE
LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE Fernando Alcoforado
 
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDOA GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDOFernando Alcoforado
 
O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...
O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...
O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...Fernando Alcoforado
 
LES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUEL
LES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUELLES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUEL
LES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUELFernando Alcoforado
 
SOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZIL
SOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZILSOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZIL
SOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZILFernando Alcoforado
 

Mais de Fernando Alcoforado (20)

O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO
O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO   O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO
O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO
 
L'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIEN
L'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIENL'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIEN
L'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIEN
 
LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?
LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?
LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?
 
AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...
AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...
AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...
 
GLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTH
GLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTHGLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTH
GLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTH
 
LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...
LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...
LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...
 
INONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL
INONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIALINONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL
INONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL
 
CITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGE
CITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGECITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGE
CITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGE
 
INUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL
INUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBALINUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL
INUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL
 
CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022
CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022 CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022
CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022
 
CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...
CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...
CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...
 
CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...
CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...
CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...
 
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
 
COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...
COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...
COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...
 
THE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLD
THE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLDTHE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLD
THE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLD
 
LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE
LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE
LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE
 
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDOA GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
 
O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...
O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...
O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...
 
LES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUEL
LES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUELLES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUEL
LES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUEL
 
SOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZIL
SOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZILSOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZIL
SOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZIL
 

Como reerguer a economia e a política brasileira pós-impeachment

  • 1. 1 COMO REERGUER O BRASIL PÓS-IMPEACHMENT DE DILMA ROUSSEFF Fernando Alcoforado* Após a devastação econômica, social e político-institucional promovida pelos governos do PT de Lula e Dilma Rousseff, qualquer novo governo efetivamente comprometido com o progresso do Brasil, que venha a exercer o poder após o impeachment de Dilma Rousseff, só terá condições de exercer com efetividade a governabilidade se realizar políticas públicas que atendam os interesses da grande maioria da nação brasileira. É importante destacar que governabilidade expressa a possibilidade do governo de uma nação realizar políticas públicas resultantes da convergência entre as várias instâncias do Estado nacional entre si e deste com a Sociedade Civil. A primeira medida a ser adotada pelo novo governo consistiria em montar um gabinete de crise composto por pessoas da mais alta competência e do mais alto gabarito e respeitabilidade ética e moral para obter o respeito da nação e assegurar a governabilidade. Para obter a confiança da população e exercer a governabilidade, o futuro governo terá que adotar medidas urgentes que contribuam para sustar o colapso do sistema econômico e do sistema político-institucional do Brasil. As medidas para sustar o colapso do sistema econômico Para sustar o colapso da economia brasileira, o futuro governante da nação deveria adotar medidas preliminares e urgentes que preparem o terreno ou sirvam de base para a adoção de estratégias complementares visando a retomada do crescimento econômico, a elevação dos níveis de emprego e renda da população e a redução dos níveis de inflação. Estas medidas preliminares e urgentes são as seguintes: 1) redução drástica do gasto público de custeio reduzindo o número de ministérios para 10 ou 15 e a eliminação ou redução ao mínimo necessário dos cargos comissionados que são cerca de 30 mil; 2) realização de auditoria da dívida externa e da dívida interna pública do país para avaliar sua autenticidade; 3) renegociação do pagamento dos juros da dívida externa e da dívida interna pública do país visando elevar a poupança pública para investimento; 4) adoção do câmbio fixo em substituição ao câmbio flutuante para proteger a indústria nacional; 5) controle do fluxo de entrada e saída de capital para impedir excesso de influxos e a fuga de capitais do País; 6) redução acentuada das taxas de juros para incentivar os investimentos nas atividades produtivas; 7) importação seletiva de matérias-primas e produtos essenciais do exterior para reduzir os dispêndios em divisas do País; 8) reintrodução da reserva de mercado em áreas consideradas estratégicas para o desenvolvimento nacional; e, 9) adoção de uma política tributária capaz de assegurar os recursos de que o Estado necessitaria para investir em educação, saúde, previdência social e nos setores de infraestrutura, entre outros e onerar o mínimo possível a população e os setores produtivos. Após as medidas imediatas, de curto prazo, acima descritas, o futuro governante do Brasil deveria adotar medidas que contribuam para o crescimento econômico da nação a médio e longo prazo. É oportuno observar que o Produto Interno Bruto (PIB) é definido como o valor total da produção de riqueza em um determinado país durante um ano pelos agentes econômicos residentes no território nacional. O PIB pode ser calculado na moeda de um determinado país a partir da soma de todos os seus componentes: PIB = C + I + G + X – M. Nesta fórmula, C corresponde à despesa das famílias em bens de consumo (consumo privado), I à despesa das empresas em investimento, quer em bens de capital (formação bruta de capital fixo), quer em estoques de matérias-primas e
  • 2. 2 produtos (variação de estoques), G à despesa do Estado (governos federal, estaduais e municipais) em bens de consumo (consumo público), X à receita com exportações e M ao gasto com importações. Baseado nesta fórmula, o crescimento do PIB pode ser obtido com a expansão do consumo privado (C) aumentando a massa salarial e adotando política de crédito que incentive o consumidor a comprar, o aumento do investimento na atividade produtiva (I) que pode resultar da redução da carga tributária e da implementação de uma política de incentivos fiscais e juros atrativos para os empresários, e a elevação da despesa do Estado (G) com ênfase na realização de investimentos em infra-estrutura econômica e social. O aumento da receita de exportação (X) e a redução dos gastos com importações (M) contribuiriam também para o crescimento da economia. A estratégia ótima de crescimento econômico é aquela que está apoiada na maximização do investimento (I) nas atividades produtivas que contribuiria para o aumento da renda e do emprego e, consequentemente, do consumo das famílias (C) e para o aumento da arrecadação tributária do governo possibilitando, consequentemente, o aumento da despesa do Estado (G). Além disso, a estratégia ótima de crescimento econômico deveria maximizar a diferença entre a receita com exportações (X) e o gasto com importações (M). Esta foi a estratégia econômica que alavancou o crescimento econômico da China nas últimas décadas. Nas condições atuais do Brasil, a estratégia ótima de crescimento econômico requereria a maximização do investimento (I) que seria viabilizada com a redução da carga tributária e da implementação de uma política de incentivos fiscais e juros atrativos para os empresários que possibilitaria o incremento do emprego e da renda da população e, consequentemente, do consumo das famílias (C). Para combater a inflação de demanda que poderia resultar do aumento do consumo das famílias (C) e do investimento privado (I), o governo deveria incentivar a expansão da produção agrícola e industrial em setores produtivos onde a oferta seja insuficiente. Por sua vez, para reduzir as taxas de juros praticadas pelo sistema financeiro, o governo brasileiro deveria promover uma queda drástica da taxa Selic (taxa básica da economia) que contribuiria, também, para a redução dos dispêndios governamentais com o pagamento da dívida pública interna e, consequentemente, aumentando a disponibilidade de recursos públicos para destiná-los ao atendimento das necessidades do País. Para o governo brasileiro maximizar seu gasto (G), é preciso formar poupança pública suficiente. Para aumentar a poupança do setor público, o que o governo precisa fazer é reduzir drasticamente a taxa Selic que hoje corresponde a 14,25%, renegociar o pagamento do serviço da dívida pública interna e fazer com que os gastos correntes do setor público sejam reduzidos ou cresçam menos do que o Produto Interno Bruto (PIB) para dispor de recursos para a realização de investimentos públicos, sobretudo na deficiente infraestrutura econômica (energia, transportes e comunicações) e social (educação, saúde, habitação e saneamento básico). Ressalte-se que é fundamental a renegociação dos termos das dívidas interna e externa. Sem a adoção desta medida o governo brasileiro não terá condições de promover o crescimento econômico do País haja vista que quase metade do orçamento da União é destinada ao pagamento dos encargos com a dívida pública interna. Dessa forma, seriam criadas as condições para que o setor público possa investir e se financiar com recursos próprios, e não por endividamento como ocorre atualmente.
  • 3. 3 É oportuno observar que, na história econômica do Brasil do pós-guerra até o presente momento, o dilema de como aumentar a taxa de poupança para o País crescer mais rápido sempre foi resolvido pelos diversos governos com o uso de poupança externa com a atração do investimento estrangeiro direto e a obtenção de financiamento internacional, do que resultou em crônicos déficits no balanço de pagamentos em conta corrente e no consequente aumento do endividamento externo. Nunca houve por parte do governo brasileiro uma verdadeira preocupação nem com a formação de poupança pública, nem com a criação de incentivos para elevar a poupança privada interna. No momento, para o Brasil crescer rápido, é imprescindível aumentar a poupança doméstica, em especial a poupança pública, sem a qual o País se endividará continuamente ao ponto de comprometer seu futuro. Outra medida imprescindível de médio e longo prazo consiste em fazer com que os gastos correntes do governo brasileiro sejam reduzidos ou cresçam menos do que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil. Para tanto, seria imprescindível a realização de uma profunda reforma administrativa que racionalize a gestão pública no País que contribua, também, para a eliminação de desperdícios e a redução de custos do serviço público. Apenas realizando a reforma do Estado e da Administração Pública no Brasil será possível corrigir as distorções atuais no gasto público e reduzir a carga tributária beneficiando empresas e trabalhadores. A implantação de um modelo de gestão eficiente e eficaz para o Estado brasileiro fará com que a sua capacidade de arrecadação de impostos seja ampliada. O novo modelo de gestão baseado na racionalização dos processos de trabalho levará inevitavelmente à redução dos custos de operação do Estado e, consequentemente, da carga tributária sobre os contribuintes. Sem colocar em prática este conjunto de medidas, o Estado brasileiro não adquirirá a capacidade de investir na expansão da economia e de adotar políticas de compensação social no nível necessário para mitigar os desníveis sociais no Brasil. As medidas para sustar o colapso do sistema político-institucional Para reverter o colapso em curso do sistema político-institucional do Brasil, urge a adoção das medidas seguintes: 1) Constituição de um governo composto por pessoas competentes e de moral ilibada que teria a responsabilidade de convocar uma nova Assembleia Constituinte Exclusiva para promover a reforma do Estado e da Administração Pública em novas bases; 2) Banimento de partidos políticos e parlamentares comprometidos com a corrupção; 3) Formação de novos partidos políticos após a nova Constituinte; e, 4) Convocação de novas eleições gerais no País. A Assembléia Constituinte Exclusiva a ser convocada pelo novo governo deveria instituir o parlamentarismo como sistema de governo e criar mecanismos que possibilitem à população: 1) exercer a democracia direta nas decisões de grande relevância tomadas pelos Poderes Executivos e Parlamento nos níveis federal, estadual e municipal aprovando ou rejeitando através de plebiscito ou referendo, e; 2) exercer o controle dos eleitos para os Poderes Executivo e Legislativo acionando os mecanismos institucionais necessários à punição daqueles que eventualmente tenham traido os interesses do eleitorado se pronunciando sobre sua cassação ou não através de plebiscito, entre outras medidas. A Assembléia Constituinte Exclusiva deveria decidir, também, pelo fim do Senado Federal com a institucionalização do sistema unicameral e a redução do número de parlamentares e de suas mordomias nos parlamentos federal, estadual e municipal, entre outras medidas.
  • 4. 4 Este conjunto de medidas voltado para sustar o colapso em curso do sistema político- institucional do Brasil é absolutamente necessário porque nos defrontamos com uma flagrante desmoralização de suas instituições políticas, haja vista termos um presidencialismo de coalizão movido pela corrupção que passou a existir a partir da Assembleia Constituinte de 1988 e demonstra ser incapaz de solucionar a grave crise política em que vive o Brasil. A democracia representativa no Brasil manifesta sinais claros de esgotamento não apenas pelos escândalos de corrupção nos poderes da República, mas, sobretudo, ao desestimular a participação popular, reduzindo a atividade política a processos eleitorais que se repetem periodicamente em que o povo elege seus representantes os quais, com poucas exceções, após as eleições passam a defender interesses de grupos econômicos em contraposição aos interesses daqueles que os elegeram. Estas são, portanto, as medidas capazes de sustar o colapso econômico e político- institucional do Brasil. Sem elas, o Brasil terá seu futuro comprometido. Não basta, portanto, a substituição de Dilma Rousseff pelo vice-presidente Michel Temer como se prevê deverá ocorrer com o impeachment da atual presidente para que os problemas do Brasil sejam resolvidos. É preciso que sejam adotadas as medidas aqui propostas para impedir o colapso dos sistemas econômico e político-institucional do Brasil. *Fernando Alcoforado, 76, membro da Academia Baiana de Educação, engenheiro e doutor em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Regional pela Universidade de Barcelona, professor universitário e consultor nas áreas de planejamento estratégico, planejamento empresarial, planejamento regional e planejamento de sistemas energéticos, é autor dos livros Globalização (Editora Nobel, São Paulo, 1997), De Collor a FHC- O Brasil e a Nova (Des)ordem Mundial (Editora Nobel, São Paulo, 1998), Um Projeto para o Brasil (Editora Nobel, São Paulo, 2000), Os condicionantes do desenvolvimento do Estado da Bahia (Tese de doutorado. Universidade de Barcelona,http://www.tesisenred.net/handle/10803/1944, 2003), Globalização e Desenvolvimento (Editora Nobel, São Paulo, 2006), Bahia- Desenvolvimento do Século XVI ao Século XX e Objetivos Estratégicos na Era Contemporânea (EGBA, Salvador, 2008), The Necessary Conditions of the Economic and Social Development- The Case of the State of Bahia (VDM Verlag Dr. Müller Aktiengesellschaft & Co. KG, Saarbrücken, Germany, 2010), Aquecimento Global e Catástrofe Planetária (P&A Gráfica e Editora, Salvador, 2010), Amazônia Sustentável- Para o progresso do Brasil e combate ao aquecimento global (Viena- Editora e Gráfica, Santa Cruz do Rio Pardo, São Paulo, 2011), Os Fatores Condicionantes do Desenvolvimento Econômico e Social (Editora CRV, Curitiba, 2012) e Energia no Mundo e no Brasil- Energia e Mudança Climática Catastrófica no Século XXI (Editora CRV, Curitiba, 2015). Possui blog na Internet (http://fernando.alcoforado.zip.net). E-mail: falcoforado@uol.com.br