Interferencias Redes Sem Fio

5.484 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.484
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Interferencias Redes Sem Fio

  1. 1. Faculdade Ideal Curso Tecnológico em Redes de Computadores Disciplina: Métodos e Técnicas de Pesquisa
  2. 2. Interferências em Redes Sem Fio em um Condomínio Residencial em Belém Fabrício Figueiredo Leão José Martin Celso Junior Orientadora Profª. Ivanete Amaral Silva
  3. 3. Caracterização da Organização: <ul><li>Prédio residencial construído em 1987 </li></ul><ul><li>Possui sete andares, setenta apartamentos </li></ul><ul><li>Um escritório, sete empregados e uma comissão administradora de três moradores </li></ul><ul><li>Atividade exercida sem fins lucrativo </li></ul><ul><li>Receita arrecadada oriunda das mensalidades dos moradores </li></ul>
  4. 4. Situação Problemática: <ul><li>Possui no seu alto antenas de telefonia celular e TV a cabo </li></ul><ul><li>Grande malha de ferro e pára-raio </li></ul><ul><li>Estação de controle de repetição de sinais da telefonia celular </li></ul><ul><li>Não possui aterramento adequado para descarga elétrica </li></ul><ul><li>Desordem nos cabeamentos da TV a cabo, ficando uma grande malha de cabos no alto do prédio </li></ul>
  5. 5. Objetivos: <ul><li>- Geral: Orientar os moradores do condomínio e seus administradores à respeito das interferências causadas nas dependências internas em suas redes sem fio instaladas ou a instalar e que sirvam como documento técnico de suporte em uma linguagem simples e objetiva </li></ul>
  6. 6. Objetivos: <ul><li>- Específicos: Isolamento do canal de comunicação na configuração do ponto de acesso; </li></ul><ul><li>Troca da antena do ponto de acesso ou do roteador por uma maior de longo alcance; </li></ul><ul><li>Reestruturação do layout na montagem da rede sem fio; </li></ul><ul><li>Orientação quanto ao uso dos manuais técnicos dos equipamentos </li></ul>
  7. 7. Justificativa: <ul><li>Dado ao grande número de usuários nos dias de hoje, principalmente em áreas domésticas e a natureza peculiar do local ora pesquisado, fez-se necessária a contribuição técnico-informativo, para a correta aplicação no entendimento das causas e soluções dos problemas oriundos das instalações das redes sem fio, vindo assim a contribuir para o correto uso dos equipamentos e suas instruções. </li></ul>
  8. 8. Referências Bibliográficas: <ul><li>IEEE Standard for Local and metropolitan area networks - Part 16: Air </li></ul><ul><li>Interface for Fixed Broadband Wireless Access Systems . Disponível em: </li></ul><ul><li><http://standards.ieee.org/getieee802/download/802.16-2001.pdf>. Acesso em 15 de </li></ul><ul><li>junho de 2007. </li></ul><ul><li>Sweeney, Daniel. WiMAX Operator’s Manual: Building 802.16 Wireless </li></ul><ul><li>Neteworks . New York: Apress, 2004. </li></ul><ul><li>http://www.etsi.org </li></ul><ul><li>IEEE Standard for Local and metropolitan area networks - Part 16: Air </li></ul><ul><li>Interface for Fixed Broadband Wireless Access Systems - Amendment 2: </li></ul><ul><li>Medium Access Control Modifications and Additional Physical Layer </li></ul><ul><li>Specifications for 2–11 GHz . Abril de 2001. Disponível em: </li></ul><ul><li><http://standards.ieee.org/getieee802/download/ 802.16a-2003.pdf>. Acesso em 15 </li></ul><ul><li>junho de 2007. </li></ul><ul><li>Tanenbaum, Andrew S. Computer Networks . 4. ed. New Jersey: Prentice Hall, </li></ul><ul><li>2002. </li></ul><ul><li>WiMAX’s technology for LOS and NLOS environments . White Paper WiMAX </li></ul><ul><li>Forum. Disponível em: http://www.wimaxforum.org/news/downloads/ </li></ul><ul><li>WiMAXNLOSgeneral-versionaug04.pdf. Acesso em 18 de junho de 2007. </li></ul><ul><li>Nascimento, Cicerino Cabral do. Clima e Morfologia Urbana em Belém . 1995. </li></ul><ul><li>Dornan, Andy. Wireless Communication: O guia essencial da comunicação sem </li></ul><ul><li>fio . Rio de Janeiro: Campus, 2001. 304p. </li></ul><ul><li>Stanton, Michael; Abelém, Antônio. Uma Rede Metropolitana para Belém do </li></ul><ul><li>Pará – Estudo de viabilidade . Relatório. Belém, jun. 2007. </li></ul><ul><li>Business Case Models for Fixed Broadband Wireless Access based on WiMAX </li></ul><ul><li>Technology and the 802.16 Standard . White Paper. Disponível </li></ul><ul><li>em: http:// www.wimaxforum.org/news/downloads/WiMAX-The_Business_Case- </li></ul><ul><li>Rev3.pdf. Acesso em 19 de junho de 2007. </li></ul><ul><li>Prado, Eduardo. Simplesmente o máximo: WiMAX . Revista do WiMAX, fev. </li></ul><ul><li>2004. Disponível em: <http://www.wirelessbrasil.org/wirelessbr/colaboradores/ </li></ul><ul><li>eduardo_prado/ artigo_33.html>. Acesso em 14 de junho de 2007 </li></ul>
  9. 10. <ul><li>[1] ANTENAS BAIXAS É um mantra estampado nos manuais de pontos de acesso: quanto mais altas as antenas estiverem posicionadas, menos barreiras o sinal encontrará no caminho até os computadores. Trinta centímetros podem fazer uma enorme diferença . </li></ul>
  10. 11. <ul><li>[2] TELEFONE SEM FIO A maioria dos telefones sem fio ainda opera na freqüência de 900 MHz no Brasil. Mas há modelos que trabalham na de 2,4 GHz, justamente a mesma usada pelos equipamentos 802.11b e 802.11g. Em ambientes com esse tipo de telefone, ou próximos a áreas com ele, a qualidade do sinal do Wi-Fi pode ser afetada, mas isso não acontece sempre. </li></ul>
  11. 12. [1] ANTENAS BAIXAS [2] TELEFONES SEM FIO [3] CONCRETO E TREPADEIRA [4] MICROONDAS [5] MICRO NO CHÃO [6] ÁGUA [7] VIDRO E ÁRVORE
  12. 13. <ul><li>[3] CONCRETO E TREPADEIRAS Combinação explosiva para o Wi-Fi. Se o concreto e as plantas mais vistosas já costumam prejudicar a propagação das ondas quando estão sozinhos, imagine o efeito somado. Pode ser um verdadeiro firewall. </li></ul>
  13. 14. <ul><li>[4] MICROONDAS A lógica é a mesma dos telefones sem fio. Os microondas também usam a disputada freqüência livre de 2,4 GHz. Por isso, o ideal é que eles fiquem isolados do ambiente onde está a rede. Dependendo do caso, as interferências podem afetar apenas os usuários mais próximos ou toda a rede. </li></ul>
  14. 15. <ul><li>[5] MICRO NO CHÃO O princípio do quanto mais alto, melhor também vale para as plaquinhas e os adaptadores colocados nos micros. Se o seu desktop é do tipo torre e fica no chão e o seu dispositivo não vier acompanhado de um fio longo, é recomendável usar um cabo de extensão USB para colocar a antena numa posição mais favorável . </li></ul>
  15. 16. <ul><li>[6] ÁGUA Grandes recipientes com água, como aquários e bebedouros, são inimigos da boa propagação do sinal de Wi-Fi. Evite que esse tipo de material possa virar uma barreira no caminho entre o ponto de acesso e as máquinas ligadas à rede. </li></ul>
  16. 17. <ul><li>[7] VIDRO E ÁRVORE O vidro é outro material que pode influenciar negativamente na qualidade do sinal. Na ligação entre dois prédios por Wi-Fi, representados nesta ilustração, eles se somam a árvores altas, o que compromete a transmissão do sinal de uma antena para outra. </li></ul>

×