V Congresso Alagoana de eduação física e Fisioterapia - 2013

1.333 visualizações

Publicada em

RPG - Reeducação Postural Global por FABIO MAZZOLA

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.333
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
52
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • • A utilização da eletromiografia na análise postural teve início após a Segunda Guerra Mundial. A definição de postura pode ser mais ampla ou restrita dependendo do que queremos. No seu sentido mais restrito pode ser entendida como a atitude ereta e bem balanceada do indivíduo em posição "normal". Neste sentido, a eletromiografia da postura encarregar-se-á da manutenção da postura ereta com relação à força da gravidade. Não podemos esquecer que há uma multiplicidade de posições "normais" bípede, sentado, reclinado, etc. • Os problemas da postura estática giram em torno do axioma de que o equilíbrio do corpo humano e de suas partes articuladas depende de uma fina neutralização das forças da gravidade. A postura mais simples em que o homem consegue equilíbrio é na posição de decúbito. Esta é a posição normal durante o primeiro ano de vida e mais ou menos da metade do resto das nossas vidas. Quando deitamos levamos o centro de gravidade do corpo o mais perto possível de superfície de sustentação. A postura ereta é a que representa menor gasto de energia. A postura ereta normal é aquela em que uma linha imaginária desce pelo centro do corpo tendo como referência lateralmente: 1) a apófise mastóide; 2) à frente da articulação do ombro; 3) corpo das vértebras lombares; 4) à frente da articulação do joelho; e, 5) na articulação do tarso
  • V Congresso Alagoana de eduação física e Fisioterapia - 2013

    1. 1. V Congresso Alagoano de Educação Física e Fisioterapia -2013
    2. 2. Postura Nossa postura pode ser definida como a posição que nosso corpo adota no espaço, bem como a relação direta de suas partes com a linha do centro de gravidade. Para que possamos estar em boa postura, é necessário uma harmonia/equilíbrio do sistema neuromusculoesquelético.
    3. 3. Postura Cada indivíduo apresenta características individuais de postura que podem vir a ser influenciada por vários fatores: anomalias congênitas e/ou adquiridas, obesidade, alimentação inadequada, atividades físicas sem orientação e/ou inadequadas, distúrbios respiratórios, desequilíbrios musculares, frouxidão ligamentar e doenças psicossomáticas.
    4. 4. Postura A boa postura é aquela que melhor ajusta nosso sistema musculoesquelético, equilibrando e distribuindo todo o esforço de nossas atividades diárias, favorecendo a menor sobrecarga em cada uma de suas partes.
    5. 5. Postura x Gravidade Os problemas da postura estática giram em torno do axioma de que o equilíbrio do corpo humano e de suas partes articuladas depende de uma fina neutralização das forças da gravidade.
    6. 6. Persistência daPersistência da pulsãopulsão Recruta maisRecruta mais músculosmúsculos  tônustônus músculos vizinhos pelas aponeurosesmúsculos vizinhos pelas aponeuroses Cadeia de tensão miofascialCadeia de tensão miofascial Freio daFreio da pulsãopulsão Mecanismos Reflexos Localização e direção das fibras musculares e dos trilhos anatômicos Músculos Alteração na posturaAlteração na postura DesequilíbrioDesequilíbrio
    7. 7. Cadeias Musculares A abordagem das Cadeias Musculares é a identificação de um padrão existente no sistema musculoesquelético como unidade.
    8. 8. Cadeia Miofascial Anterior
    9. 9. Cadeia Miofascial Posterior
    10. 10. Sistema Reto Inspiratória Anterior Posterior (Pawlina, Olson, 1997 baseado em Souchard, 1998; Marques, 2000; Santos, 2002; Paiva, 2003)
    11. 11. Cadeias Musculares Cadeias Estáticas: composto de músculos anti-gravitacionais ou posturais.
    12. 12. Estática e Dinâmica Não existe estática corporal pura, como também não existe movimento coordenado sem uma prévia estabilização. O sistema tônico postural estabiliza, apóia, inicia, guia e equilibra o movimento corporal. A postura vertical é um conjunto de micromovimentos permanentes e adaptativos, que utiliza referências sensoriais múltiplas para seu controle.
    13. 13. Cadeias Dinâmicas: composto de músculos que produzem movimentos de grande amplitude. Cadeias Musculares
    14. 14. Sistema Cruzado do Tronco  Cadeia Cruzada Anterior Direita;  Cadeia Cruzada Posterior Direita;  Cadeia Cruzada Anterior Esquerda;  Cadeia Cruzada Posterior Esquerda.
    15. 15. “De ambos os lados há uma organização simétrica, duas camadas musculares cruzadas, uma para a flexão, outra para a extensão. Quando há torção, a camada para a flexão de um lado trabalha com a camada para extensão do lado oposto de forma indissociável. “ Cada lado duas camadas: Superficial e Profunda Origem: Pelve Término: Ombro Oposto Sistema Cruzado do Tronco
    16. 16. Sistema Cruzado do Tronco Eixo de Torção Eixo oblíquo desde a cabeça umeral até a cabeça femoral oposta. Centro de Torção O centro de torção está sobre a linha que liga o umbigo a L3 na horizontal, com a linha da gravidade.
    17. 17. Sistema Cruzado do Tronco C.C.A. camada superficial: (oblíquos externos, intercostais externos) iniciam a torção anterior camada profunda: (oblíquos internos, intercostais internos) terminam a torção anterior C.C.P camada superficial: (fibras do quadrado lombar, serrátil póstero-inferior, intercostais internos) iniciam a torção posterior: recuo e abaixamento do hemitórax camada profunda: (fibras do quadrado lombar) terminam a torção posterior: recuo e subida da hemipelve.
    18. 18. Mecanismo Adaptativo Lesão ou Dor Primária Posição Antálgica Compensações Alterações Morfo-funcionais Lesões e Dores Secundárias
    19. 19. Princípios de Tratamento Posturamento Posturas ativas, isométricas no sentido excêntrico das cadeias miofasciais, sempre em decoaptação articular, progressivas, buscando ir da conseqüência até a causa do problema.
    20. 20. Primeira lei de F.M. “Toda tentativa de correção local irá gerar uma compensação à distância”
    21. 21. Segunda lei de F.M. “Toda tentativa de tensionamento de uma cadeia muscular resulta em uma tendência de rotação interna dos membros”
    22. 22. Terceira lei de F.M. “Toda tentativa de tensionamento de uma cadeia muscular tende à um bloqueio respiratório em apnéia inspiratória”
    23. 23. 1. Respiração Livre; 2. “Auto-crescimento”; 3. Simetria (SR); 4. Equilíbrio Muscular. Princípios de Tratamento
    24. 24. Abordagem da Tridimensionalidade A Individualidade Todo ser é único e indivisível e manifestará sua patologia de maneira única e individual. A Causalidade Observar as alterações posturais partindo do efeito até a causa. A Globalidade Corrigir ao mesmo tempo a sintomatologia, as fixações e a causa de uma patologia.
    25. 25. Reeducação Postural Global ÂNGULO ABERTO ÂNGULO FECHADO 1. D.D. 2. EM PÉ, COM APOIO 3. EM PÉ, SEM APOIO 1. D.D. 2. SENTADA 3. EM PÉ, INCLINADO
    26. 26. Reeducação Postural Global
    27. 27. Fábio Mazzola www.mazzolaezaparoli.cowww.mazzolaezaparoli.co m.brm.br www.mazzolaezaparoli.cowww.mazzolaezaparoli.co m.brm.br f.mazzola@uol.com.brf.mazzola@uol.com.brf.mazzola@uol.com.brf.mazzola@uol.com.br Face: RPG Mazzola e Zaparoli Face: Balance Miofascial Funcional

    ×