SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 37
Rito das
Entregas
• Símbolo (Creio)
• Oração do Senhor (Pai Nosso)
• Mandamento do Amor
Transmitir – Receber /Acolher – Viver
A transmissão da fé, que brilha
para as pessoas de todos os
lugares, passa também através do
eixo do tempo, de geração em
geração. Dado que a fé nasce de
um encontro que acontece na
história e ilumina o nosso caminho
no tempo, a mesma deve ser
transmitida ao longo dos séculos.
(FRANCISCO, Lumen Fidei, n°38)
O Símbolo (Creio)
EU CREIO EM DEUS PAI - R. Veloso
1. // Eu Creio em Deus Pai/ poder e ternura,/que toda criatura governa.
Amém!//
/Amém! Aleluia!// Por Deus fomos feitos/ à sua imagem pra sempre.
Amém//
2. // Eu creio em Jesus/o Filho de Deus,/ que deu sua vida por nós. Amém!//
//Amém! Aleluia!/ Jesus é o Senhor!/pois ressuscitou para sempre. Amém//
3. // Eu creio no Espírito Santo./ Verdade e Amor/ que o Cristo mandousobre
nós. Amém!//
//Amém! Aleluia!/O Espírito Santo.// nos une e conduz para sempre.
Amém//
Profissão de Fé
“Ouve Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor.
Amarás o Senhor, teu Deus, com todo o teu coração, com toda
a tua alma e com todas as tuas forças” (Dt 6, 4-5)
“Ó céu, escutai o que vou dizer’. Ouça, ó terra as palavras de
minha boca. Desça como chuva o meu ensinamento e minha
palavra se espalhe como orvalho; como chuvisco sobre a relva
macia e aguaceiros em grama verdejante. Vou proclamar o
nome do Senhor e vocês engrandeçam o nosso Deus. Ele é a
Rocha, e sua obra é perfeita, porque toda a sua conduta é o
Direito. É Deus fiel e sem injustiça: Ele é a Justiça e Retidão ”
(Dt 32, 1-4)
Shemá Israel Adonai elo henu
Adonai eha!
Escuta Israel o Senhor é nosso Deus
Um é o Senhor!
Testemunhas da fé:
Abraão – Pai da Fé
Pela fé:
- Obedeceu ao chamado de Deus;
- Deixou sua terra, em busca da terra que haveria
de receber;
- Viveu em tendas
- Esperava a “cidade bem construída”, feita pelas
mãos de Deus.
- Com sua mulher Sara concebeu o filho da
promessa
- Estava disposto a sacrificar seu filho
- Recebeu descendência numerosa
• MARIA, MÃE DE JESUS: “Bem-aventurada aquela que acreditou, porque vai
acontecer o que o Senhor lhe prometeu” – Disse Isabel para Maria.
• PEDRO: Então Jesus lhes perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?” Simão
Pedro respondeu: “Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo”. Respondendo,
Jesus lhe disse: “Feliz és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi um ser
humano que te revelou isso, mas o meu Pai que está no céu.
• MARTA: Jesus disse: “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem acredita em
mim, mesmo que morra, viverá. E todo aquele que vive e acredita em mim,
não morrerá para sempre. Você acredita nisso?” Ela respondeu: “Sim,
Senhor. Eu acredito que tu és o Messias, o Filho de Deus que devia vir a
este mundo.”
• OFICIAL ROMANO: O oficial do exército, que estava bem na frente da cruz,
viu como Jesus havia expirado, e disse: “De fato, esse homem era mesmo
Filho de Deus!”
• TOMÉ: Depois disse a Tomé: “Estenda aqui o seu dedo e veja as minhas
mãos. Estenda a sua mão e toque o meu lado. Não seja incrédulo, mas
tenha fé.” Tomé respondeu a Jesus: “Meu Senhor e meu Deus!” Jesus disse:
“Você acreditou porque viu? Felizes os que acreditaram sem ter visto.”
A nossa fé, que da Igreja recebemos e
sinceramente professamos
A fé é um ato pessoal, uma livre resposta a
Deus que se revela. Mas não se vive de
forma isolada.
Recebemos a fé da Igreja e vivemo-la em
comunhão com todas as pessoas com quem
queremos partilhar a nossa fé.
Ninguém pode acreditar sozinho, tal como
ninguém pode viver só. Ninguém se deu a fé
a si mesmo, como ninguém a si mesmo se
deu a vida.
(cf. CIC, n° 166; Youcat, p. 27)
CREDO, PROFISSÃO DE FÉ ou SÍMBOLO
• Credo: A Palavra credo, inicia a profissão de fé, Creio em
Deus Pai (Credo in unum Deum) e vem do latim credere
= Ter por verdadeiro, confiar, dar crédito, “credenciar”. É
um resumo da nossa Fé. Quem diz “Creio” afirma: “dou a
minha adesão àquilo em que nós cremos”.
• Profissão: Vem do latim pro-fateri (de fari= dizer, falar
de, testemunhar). Receber o creio compreende também
“devolvê-lo”, de forma “pública”, como profissão, oração
e vivência (Tradittio e Redditio).
• Símbolo: Tem sua origem na língua grega (sym – ballo) e
significa reunir. O «símbolo da fé» é, pois, um sinal de
identificação e de comunhão entre os crentes. Reúne em
si as principais afirmações da nossa fé.
Os símbolos da Fé
• Durante vários momentos da Igreja se
formularam profissões de fé, que podem ser
desconsiderados, porém, dois ocupam lugar
especial na vida da Igreja (e compõem,
juntamente com a forma dialogal, as três formas
previstas uso na Liturgia)
• Símbolo dos Apóstolos: O mais breve, antigo
“catecismo” usado na Igreja de Roma.
Considerado o resumo fiel da fé dos Apóstolos.
• Símbolo dito de Niceia-Constantinopla (ou
Niceno-Constantinopolitano): Mais explicito e
pormenorizado que o símbolo apostólico.
Proveniente desses dois primeiros concílios
ecuménicos (dos anos de 325 e 381). Ainda hoje
continua a ser comum a todas as grandes Igrejas
do Oriente e do Ocidente.
SÍMBOLO DOS APÓSTOLOS
Creio em Deus, Pai todo-poderoso,
Criador do Céu e da Terra;
Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso,
Criador do Céu e da Terra,
de todas as coisas visíveis e invisíveis.
e em Jesus Cristo, seu único Filho,
nosso Senhor,
Creio em um só Senhor, Jesus Cristo,
Filho Unigénito de Deus,
nascido do Pai antes de todos os séculos:
Deus de Deus, luz da luz,
Deus verdadeiro de Deus verdadeiro;
gerado, não criado, consubstancial ao Pai.
Por Ele todas as coisas foram feitas.
E por nós, homens, e para nossa salvação
desceu dos Céus.
SÍMBOLO DE
NICEIA–CONSTANTINOPLA
que foi concebido pelo poder
do Espírito Santo;
nasceu da Virgem Maria;
E encarnou pelo Espírito Santo,
no seio da Virgem Maria,
e Se fez homem.
padeceu sob Pôncio Pilatos,
foi crucificado, morto e sepultado;
desceu à mansão dos mortos;
ressuscitou ao terceiro dia;
subiu aos Céus;
está sentado à direita de Deus Pai
todo-poderoso, de onde há-de vir a julgar
os vivos e os mortos.
Também por nós foi crucificado sob Pôncio
Pilatos;
padeceu e foi sepultado.
Ressuscitou ao terceiro dia,
conforme as Escrituras;
e subiu aos Céus, onde está sentado
à direita do Pai.
De novo há-de vir em sua glória,
para julgar os vivos e os mortos;
e o seu Reino não terá fim.
Creio no Espírito Santo; Creio no Espírito Santo,
Senhor que dá a vida,
e procede do Pai e do Filho;
e com o Pai e o Filho é adorado
e glorificado:
Ele que falou pelos profetas.
na santa Igreja Católica;
na comunhão dos Santos;
Creio na Igreja una, santa,
católica e apostólica.
na remissão dos pecados;
na ressurreição da carne;
na vida eterna.
Amém
Professo um só batismo
para remissão dos pecados.
E espero a ressurreição dos mortos,
e a vida do mundo que há-de vir.
Amém.
Transformar-se pelo “Creio”
No Credo, o fiel é convidado a entrar no
mistério que professa e a deixar-se
transformar por aquilo que confessa.
Aquele que confessa a fé sente-se
implicado na verdade que confessa; não
pode pronunciar, com verdade, as
palavras do Credo, sem ser por isso
mesmo transformado, sem mergulhar na
história de amor que o abraça, que dilata
o seu ser tornando-o parte de uma
grande comunhão da Igreja.
O RITO
Para os catecúmenos:
- ENTREGA DO SÍMBOLO:
Depois da homilia. A comunidade, por meio do catequista ou diácono,
convida os catecúmenos a se aproximar do altar, após uma acolhida e
pequenas palavras do Presidente da celebração (convidando para que
guardem essas palavras no coração), ouvem a recitação do Creio por parte
da assembleia.
- ORAÇÃO PELOS CATECÚMENOS
Em seguida os catecúmenos se ajoelham e é feita a oração sobre eles, que se
divide em dois momentos, um de súplica e recordação da misericórdia de
Deus, na sua caminhada para o batismo e para a participação no corpo de
Cristo, que é a Igreja. Após um momento de silêncio, a prossegue-se a
segunda parte da oração, que constitui também um prece para que os
catecúmenos possam crescer na vida de fé e alcançar a graça do Batismo.
Para os Catequisandos/Crismandos:
- ENTREGA DO SÍMBOLO:
Após a homilia. O(A) catequista convida os catequisandos para se
aproximarem e receberem o símbolo apostólico.
• Quem preside: Caríssimos catequisandos! Parabéns pela caminhada
de fé que vocês estão realizando! Hoje, em nome da Igreja, entrego-
lhes o resumo da nossa fé, o Credo, que nos foi transmitido fielmente
desde os apóstolos e que chamamos de Símbolo Apostólico ou Credo.
Ele contém poucas palavras, mas reúne grandes mistérios. O Credo se
compõe de fórmulas com as quais a Igreja, desde os seus primórdios,
expressou e transmitiu a fé a todos os seus fiéis. Com toda a
comunidade, rezamos por vocês.
Oração: Concedei, Senhor, a esses vossos catequisandos, a quem são
revelados os desígnios do vosso amor, através deste símbolo da fé que vão
receber, a graça de guardar no coração suas palavras e vive-las por ações
concretas em sua vida. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, que é Deus na unidade
do Espírito Santo. Amém.
(Terminada a oração, os catequistas ou introdutores entregam a cada catequisando um
“pergaminho” contendo o Credo).
Catequista: (Nome do catequisando), recebe o Credo, que contém o resumo
da fé da Igreja.
Catequisando: Amém.
(Terminado este rito, os catequisandos, voltados para a assembleia rezam com toda
a assembleia o Credo. Depois, retornam aos seus lugares, junto a seus pais).
A celebração eucarística prossegue como de costume...
Oração do Senhor (Pai nosso)
Há um só Deus e Pai de todos, (bis)
que está acima de todos/ e age em todos (bis)
e em todos habita (bis).
Jesus: nosso modelo de oração
Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos:
“Vós deveis rezar assim: Pai nosso que estais no
céus, santificado seja o teu nome; venha o teu
Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra
como no céus. O pão nosso de cada dia dá-nos
hoje. Perdoa as nossas ofensas, assim como nós
perdoamos a quem nos tem ofendido. E não
nos deixeis cair em tentação, mas livra-nos do
mal”.
(Mt 6,9-13)
Depois de nos termos posto
na presença de Deus nosso
Pai para O adorarmos,
amarmos e bendizermos, o
Espírito filial faz brotar dos
nossos corações sete
petições, que são sete
bênçãos.
Pai Nosso que estais nos céus,
santificado seja o vosso Nome,
venha a nós o vosso Reino,
seja feita a vossa vontade
assim na terra como no céu.
O pão nosso de cada dia nos dai
hoje,
perdoai-nos as nossas ofensas
assim como nós perdoamos a
quem nos tem ofendido,
e não nos deixeis cair em tentação,
mas livrai-nos do Mal.
O que significa rezar o Pai nosso?
O Pai nosso mostra a simplicidade do e intimidade do ser
humano com Deus. Na primeira parte, pede-se que Deus
manifeste o seu projeto de salvação; na segunda, pede-se o
essencial para que a humanidade possa viver segundo o
projeto de Deus: pão para o sustento, bom relacionamento
entre os irmãos e perseverança até o fim.
O
O rosto do Pai-e-Mãe
Mas pode a mãe se esquecer do seu nenê,
pode ela deixar de ter amor pelo filho de
suas entranhas? Ainda que ela se esqueça,
eu não me esquecerei de você.
Is 49, 15-16
Como um pai se compadece de seus filhos,
o Senhor tem compaixão dos que o temem.
Salmo 102, 13
Ele rezava: “Abba! Pai! Tudo é possível para
ti! Afasta de mim este cálice! Contudo, não
seja o que eu quero, e sim o que tu queres.”
Mc 14,36
A prova de que vocês são filhos é o fato de que
Deus enviou aos nossos corações o Espírito do
seu Filho que clama: Abba, Pai! Portanto, você já
não é escravo, mas filho; e se é filho, é também
herdeiro por vontade de Deus.
Gl 4, 6-7
Todos os que são guiados pelo Espírito de Deus
são filhos de Deus. E vocês não receberam um
Espírito de escravos para recair no medo, mas
receberam um Espírito de filhos adotivos, por
meio do qual clamamos: Abba! Pai!
Rm 8, 14-15
O Pai misericordioso – Lc 15, 1-32
A oração do Senhor É:
• Oração universal
• A única oração que Jesus nos deixou
• Oração do Senhor - dominical
• Oração que nos reúne como irmãos, filhos de um
mesmo Pai
• Oração da Partilha e do Perdão
• “Resumo do Evangelho” (Segundo Tertuliano) PAI-NOSSO e PÃO-NOSSO
Assim na TERRA como no CÉU
Deus é nosso PAI
Antes do mais, o Doutor da paz e Mestre da unidade não quis que cada
um orasse sozinho e em particular, como rezando para si só. De fato,
não dizemos: Meu Pai que estais no céus; nem: Meu pão dai-me hoje.
Do mesmo modo não se pede só para si o perdão da dívida de cada um
ou que não caia em tentação e seja livre do mal, rogando cada um para
si. Nossa oração é pública e universal e quando oramos não o fazemos
para um só, mas para o povo todo, já que todo o povo forma uma só
coisa.
São Cipriano, bispo e mártir (séc. III) - LH, Vol. V, p. 320
Entrevista com o Papa Francisco sobre o Pai
nosso:
• O nome de Deus é santificado “nas jovens
sequestradas pelo Boko Haram? é santificado
nos cristãos que lutam entre eles pelo poder? é
santificado na vida daqueles que contratam um
matador de aluguer para resolver uma
situação? É santificado na vida daqueles que
não cuidam dos próprios filhos? Não, Deus não
é santificado ali”.
• Francisco recorda os tempos de sua infância em
que o pão jamais era colocado fora, pois o pão
“é o símbolo desta unidade da humanidade, é
símbolo do amor de Deus”. As mães, as avós,
reaproveitavam de alguma forma ou outra o
pão, mas jamais era deitado fora.
O Rito
• Entrega (Evangelho)
Aclamação
Diácono ou catequista diz:
- Aproximem-se os que vão receber a Oração do Senhor
Presidente da Celebração:
- Caros catecúmenos, vocês agora ouvirão como o Senhor ensinou seus discípulos
a rezar.
Homilia
Oração sobre os catecúmenos
Diácono ou catequista:
- Prezados catecúmenos, ajoelhem-se para a oração sobre vocês.
Presidente (convida os fiéis a orar):
Oremos pelos nossos catecúmenos:
Que o Senhor nosso Deus abra os seus corações e as portas da misericórdia para
que, vindo receber nas águas do Batismo o perdão de todos os seus pecados, sejam
incorporados no Cristo Jesus.
Todos rezam em silêncio
Quem preside, com as mãos estendidas sobre os catecúmenos, diz:
- Deus eterno e todo-poderoso, que por novos nascimentos tornais fecunda
a vossa Igreja, aumentai a fé e o entendimento dos nossos catecúmenos
para que, renascidos pelo Batismo, sejam contados entre os vossos filhos
adotivos.
Por Cristo, nosso Senhor.
Todos: Amém
Diácono ou catequista:
- Prezados catecúmenos, ajoelhem-se para a oração sobre vocês.
Presidente (convida os fiéis a orar):
Oremos pelos nossos catecúmenos:
Que o Senhor nosso Deus abra os seus corações e as portas da misericórdia
para que, vindo receber nas águas do Batismo o perdão de todos os seus
pecados, sejam incorporados no Cristo Jesus.
Todos rezam em silêncio
Mandamento do amor
“Onde reina o amor,/ fraterno amor
Onde reina o amor, /Deus aí está!”
Taizé
Quem foi que aqui nos reuniu? Foi o Amor!
O meu mandamento é esse: amem-se uns aos
outros, assim como eu amei vocês. Não existe
maior prova de amor do que dar a vida pelos
amigos. Vocês serão os meus amigos se
cumprirem o meu mandamento. Eu já não
chamo vocês de empregados, pois o
empregado não sabe o que o seu patrão faz; eu
chamo vocês de amigos, porque eu comuniquei
a vocês tudo o que eu ouvi de meu Pai. Não
foram vocês que me escolheram, mas foi eu
que escolhi vocês. Eu os destinei para ir e dar
fruto, e para que o fruto de vocês permaneça.
O Pai dará a vocês qualquer coisa que pedirem
em meu nome. O que eu mando é isso: amem-
se uns aos outros. (Jo 15, 12-17)
Um especialista em leis se levantou, e, para
tentar Jesus perguntou: “Mestre, o que
devo fazer para receber em herança a vida
eterna?” Jesus lhe disse: “O que é que está
escrito na Lei? Como você lê?” Ele então
respondeu: “Ame o Senhor, seu Deus, com
todo o seu coração, com toda a sua alma,
com toda a sua força e com toda a sua
mente; e ao seu próximo como a si
mesmo.” Jesus lhe disse: “Você respondeu
certo. Faça isso, e viverá!”
(Lc 10, 25-28 )
Um doutor da Lei estava aí, e ouviu a
discussão. Vendo que Jesus tinha
respondido bem, aproximou-se dele e
perguntou: “Qual é o primeiro de
todos os mandamentos?” Jesus
respondeu: “O primeiro mandamento
é este: Ouça, ó Israel! O Senhor nosso
Deus é o único Senhor! E ame ao
Senhor seu Deus com todo o seu
coração, com toda a sua alma, com
todo o seu entendimento e com toda
a sua força. O segundo mandamento é
este: Ame ao seu próximo como a si
mesmo. Não existe outro
mandamento mais importante do que
esses dois.”
(Mc 12, 28-31)
O AMOR - Pe. Jocy Rodrigues
1. Quem foi que nos reuniu aqui? Foi o Amor!/ Quem foi que, um dia,
na cruz nos remiu? Foi o Amor!/ Quem livrará do fracasso, este
mundo? É o Amor!/ Quem é o maior? É o Amor!/ É o mais profundo? É
o Amor!
Juntemos nossas vozes e demo-nos as mãos,/ assim ninguém nos
poderá vencer!.../ pelo Cristo, Libertador!/ nele e por ele,
libertaremos este mundo pelo amor!
2. Que quis Jesus nos ensinar? Foi o Amor!/ Quando na ceia a tal ponto
se humilhou? Foi o Amor!/ Lavando os pés dos dicípulos assim? Por
nosso amor!/ Qual servo humilde. Por amor!/ Até o fim? Por nosso
amor!.
O RITO
Catequista: Queridos catequisandos, aproximem-se do altar, para
receber o resumo dos mandamentos e a bênção final.
Presidente: Caros catequisandos, vocês são chamados a ouvir a
comunidade proferir os mandamentos da Lei de Deus, Jesus resume os
dez mandamentos em um só – o mandamento assim: “... amem o
Senhor, seu Deus, com todo o seu coração, com toda a sua alma, com
toda a sua força e com toda a sua mente; e ao próximo como a si
esmo” (Lc 10, 26b). Esse é o mandamento do Senhor que resume toda
a Lei de Deus. Quem ama realiza a Lei de forma perfeita.
O padre entrega a cada catequisando o pergaminho com o mandamento do Amor, e os
catequisandos, voltados para a assembleia, abrem o pergaminho e fazem a leitura
pausadamente. Depois da cada frase, a assembleia respondeu ou canta, solenemente
“Amém”.
Catequisandos: Diz o Senhor: “Ame ao Senhor seu Deus, com todo o seu coração,
com toda a sua alma, e com todo o seu entendimento. Esse é o maior e o primeiro
mandamento”.
Todos: Amém!
Catequisandos: Diz o Senhor: “Ame o seu próximo como a si mesmo”.
Todos: Amém!
Catequisandos: Diz o Senhor: “Eu lhes dou um novo mandamento: Amem-se uns
aos outros assim como eu vos amei”.
Todos: Amém!
O padre pede aos catequisandos que se ajoelhem para a benção final. De mãos
estendidas, o padre e toda a comunidade invocam a bênção do Senhor.
Padre: Ó Deus, concedei a estes catequisandos a força, a sabedoria e as virtudes
divinas, para que sigam o grande mandamento de Jesus, que está no Evangelho – o
mandamento do Amor. Tornem-se generosos no serviço do Reino!
Todos: Amém!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Encontros de catequese
Encontros de catequeseEncontros de catequese
Encontros de catequesesheilajo
 
Curso de batismo
Curso de batismoCurso de batismo
Curso de batismoMelonita
 
Leitura orante da palavra de deus com a família
Leitura orante da palavra de deus com a famíliaLeitura orante da palavra de deus com a família
Leitura orante da palavra de deus com a famíliaCatequista Josivaldo
 
Livrinho encontros de preparação batismo
Livrinho encontros de preparação batismoLivrinho encontros de preparação batismo
Livrinho encontros de preparação batismotorrasko
 
Querigma das cores - Pregação infantil - Rogério Souza
Querigma das cores - Pregação infantil - Rogério SouzaQuerigma das cores - Pregação infantil - Rogério Souza
Querigma das cores - Pregação infantil - Rogério SouzaRogerio Souza
 
Formação batismo pais e padrinhos Católicos
Formação batismo pais e padrinhos Católicos Formação batismo pais e padrinhos Católicos
Formação batismo pais e padrinhos Católicos Rodrigo F Menegatti
 
Crisma - Slide formativo
Crisma - Slide formativoCrisma - Slide formativo
Crisma - Slide formativoRafael Maciel
 
Os sacramentos-de-iniciação-cristã-salesianos
Os sacramentos-de-iniciação-cristã-salesianosOs sacramentos-de-iniciação-cristã-salesianos
Os sacramentos-de-iniciação-cristã-salesianosPresentepravoce SOS
 
Sacramento do Batismo
Sacramento do BatismoSacramento do Batismo
Sacramento do BatismoPaulo Triches
 
Os mandamentos da Igreja
Os mandamentos da IgrejaOs mandamentos da Igreja
Os mandamentos da Igrejamarquione ban
 
Roteiro da pré catequese - 2º semestre
Roteiro da pré catequese - 2º semestreRoteiro da pré catequese - 2º semestre
Roteiro da pré catequese - 2º semestreIvani Coutinho
 
Os sacramentos da igreja - Aula 01
Os sacramentos da igreja - Aula 01Os sacramentos da igreja - Aula 01
Os sacramentos da igreja - Aula 01Rubens Júnior
 
Leitura orante dos discípulos de emaús
Leitura orante dos discípulos de emaúsLeitura orante dos discípulos de emaús
Leitura orante dos discípulos de emaúsLiana Plentz
 

Mais procurados (20)

Encontros de catequese
Encontros de catequeseEncontros de catequese
Encontros de catequese
 
Curso de batismo
Curso de batismoCurso de batismo
Curso de batismo
 
Planejamento Semanal da Catequese
Planejamento Semanal da CatequesePlanejamento Semanal da Catequese
Planejamento Semanal da Catequese
 
Leitura orante da palavra de deus com a família
Leitura orante da palavra de deus com a famíliaLeitura orante da palavra de deus com a família
Leitura orante da palavra de deus com a família
 
Livrinho encontros de preparação batismo
Livrinho encontros de preparação batismoLivrinho encontros de preparação batismo
Livrinho encontros de preparação batismo
 
Querigma das cores - Pregação infantil - Rogério Souza
Querigma das cores - Pregação infantil - Rogério SouzaQuerigma das cores - Pregação infantil - Rogério Souza
Querigma das cores - Pregação infantil - Rogério Souza
 
2015 apostila catequese primeira eucaristia
2015 apostila catequese primeira eucaristia2015 apostila catequese primeira eucaristia
2015 apostila catequese primeira eucaristia
 
Os 10 mandamentos
Os 10 mandamentos Os 10 mandamentos
Os 10 mandamentos
 
1º ANO DE EUCARISTIA
1º ANO DE EUCARISTIA1º ANO DE EUCARISTIA
1º ANO DE EUCARISTIA
 
Formação batismo pais e padrinhos Católicos
Formação batismo pais e padrinhos Católicos Formação batismo pais e padrinhos Católicos
Formação batismo pais e padrinhos Católicos
 
Crisma - Slide formativo
Crisma - Slide formativoCrisma - Slide formativo
Crisma - Slide formativo
 
Os sacramentos em nossa vida
Os sacramentos em nossa vidaOs sacramentos em nossa vida
Os sacramentos em nossa vida
 
Os sacramentos-de-iniciação-cristã-salesianos
Os sacramentos-de-iniciação-cristã-salesianosOs sacramentos-de-iniciação-cristã-salesianos
Os sacramentos-de-iniciação-cristã-salesianos
 
Sacramento do Batismo
Sacramento do BatismoSacramento do Batismo
Sacramento do Batismo
 
Encontro com os pais - Catequese
Encontro com os pais - CatequeseEncontro com os pais - Catequese
Encontro com os pais - Catequese
 
1º encontro Quem sou eu?
1º encontro   Quem sou eu?1º encontro   Quem sou eu?
1º encontro Quem sou eu?
 
Os mandamentos da Igreja
Os mandamentos da IgrejaOs mandamentos da Igreja
Os mandamentos da Igreja
 
Roteiro da pré catequese - 2º semestre
Roteiro da pré catequese - 2º semestreRoteiro da pré catequese - 2º semestre
Roteiro da pré catequese - 2º semestre
 
Os sacramentos da igreja - Aula 01
Os sacramentos da igreja - Aula 01Os sacramentos da igreja - Aula 01
Os sacramentos da igreja - Aula 01
 
Leitura orante dos discípulos de emaús
Leitura orante dos discípulos de emaúsLeitura orante dos discípulos de emaús
Leitura orante dos discípulos de emaús
 

Semelhante a Entregas: Creio, Pai nosso e Mandamento do amor

Ano da fé actualizado
Ano da fé actualizadoAno da fé actualizado
Ano da fé actualizadoFábio Soares
 
2017 4ºano festa da palavra
2017 4ºano festa da palavra2017 4ºano festa da palavra
2017 4ºano festa da palavraInfanciaSaoJose
 
Catecismo maior de sao pio x
Catecismo maior de sao pio xCatecismo maior de sao pio x
Catecismo maior de sao pio xSuely SS
 
Roteiro para carreata 2013
Roteiro para carreata 2013Roteiro para carreata 2013
Roteiro para carreata 2013Arlan Rodrigues
 
Vigilia de Oracao pelas Vocacoes
Vigilia de Oracao pelas VocacoesVigilia de Oracao pelas Vocacoes
Vigilia de Oracao pelas VocacoesJMVSobreiro
 
Livro Manual De Orações E Da Vida Cristã
Livro Manual De Orações E Da Vida CristãLivro Manual De Orações E Da Vida Cristã
Livro Manual De Orações E Da Vida CristãNilson Almeida
 
Estudo - Ano da fé ficha-03
Estudo - Ano da fé ficha-03Estudo - Ano da fé ficha-03
Estudo - Ano da fé ficha-03Bernadetecebs .
 
A CRISMA Catequese para pais e padrinhos
A CRISMA Catequese para pais e padrinhosA CRISMA Catequese para pais e padrinhos
A CRISMA Catequese para pais e padrinhosCatequista Josivaldo
 
Uma proposta de caminhada para a profissão de fé
Uma proposta de caminhada para a profissão de féUma proposta de caminhada para a profissão de fé
Uma proposta de caminhada para a profissão de féParoquia Cucujaes
 
Assembléia de catequese 2013
Assembléia de catequese 2013Assembléia de catequese 2013
Assembléia de catequese 2013Liana Plentz
 
4º culto sábado - segundo culto jovem
4º culto   sábado - segundo culto jovem4º culto   sábado - segundo culto jovem
4º culto sábado - segundo culto jovemwendelberg
 
Sunday Portuguese Mass
Sunday Portuguese MassSunday Portuguese Mass
Sunday Portuguese MassMariadaSilva95
 

Semelhante a Entregas: Creio, Pai nosso e Mandamento do amor (20)

celebração do credo.pdf
celebração do credo.pdfcelebração do credo.pdf
celebração do credo.pdf
 
Ano da fé actualizado
Ano da fé actualizadoAno da fé actualizado
Ano da fé actualizado
 
A Porta da Fé
A Porta da FéA Porta da Fé
A Porta da Fé
 
2017 4ºano festa da palavra
2017 4ºano festa da palavra2017 4ºano festa da palavra
2017 4ºano festa da palavra
 
Catecismo maior de sao pio x
Catecismo maior de sao pio xCatecismo maior de sao pio x
Catecismo maior de sao pio x
 
Roteiro para carreata 2013
Roteiro para carreata 2013Roteiro para carreata 2013
Roteiro para carreata 2013
 
Vigilia de Oracao pelas Vocacoes
Vigilia de Oracao pelas VocacoesVigilia de Oracao pelas Vocacoes
Vigilia de Oracao pelas Vocacoes
 
Livro Manual De Orações E Da Vida Cristã
Livro Manual De Orações E Da Vida CristãLivro Manual De Orações E Da Vida Cristã
Livro Manual De Orações E Da Vida Cristã
 
Estudo - Ano da fé ficha-03
Estudo - Ano da fé ficha-03Estudo - Ano da fé ficha-03
Estudo - Ano da fé ficha-03
 
A CRISMA Catequese para pais e padrinhos
A CRISMA Catequese para pais e padrinhosA CRISMA Catequese para pais e padrinhos
A CRISMA Catequese para pais e padrinhos
 
Uma proposta de caminhada para a profissão de fé
Uma proposta de caminhada para a profissão de féUma proposta de caminhada para a profissão de fé
Uma proposta de caminhada para a profissão de fé
 
O ano da fé
O ano da féO ano da fé
O ano da fé
 
Catecismo de sao_pio_x_1
Catecismo de sao_pio_x_1Catecismo de sao_pio_x_1
Catecismo de sao_pio_x_1
 
Catecismo de sao_pio_x_1
Catecismo de sao_pio_x_1Catecismo de sao_pio_x_1
Catecismo de sao_pio_x_1
 
Assembléia de catequese 2013
Assembléia de catequese 2013Assembléia de catequese 2013
Assembléia de catequese 2013
 
Catecismo de são pio x
Catecismo de são pio xCatecismo de são pio x
Catecismo de são pio x
 
Hora Santa Vocacional 2014
Hora Santa Vocacional 2014Hora Santa Vocacional 2014
Hora Santa Vocacional 2014
 
4º culto sábado - segundo culto jovem
4º culto   sábado - segundo culto jovem4º culto   sábado - segundo culto jovem
4º culto sábado - segundo culto jovem
 
Sunday Portuguese Mass
Sunday Portuguese MassSunday Portuguese Mass
Sunday Portuguese Mass
 
1ª eucaristia
1ª eucaristia1ª eucaristia
1ª eucaristia
 

Mais de Fábio Vasconcelos

Youcat: como celebramos os mistérios cristãos
Youcat: como celebramos os mistérios cristãosYoucat: como celebramos os mistérios cristãos
Youcat: como celebramos os mistérios cristãosFábio Vasconcelos
 
A missa segundo o papa francisco
A missa segundo o papa franciscoA missa segundo o papa francisco
A missa segundo o papa franciscoFábio Vasconcelos
 
Catequistas: missão na comunidade
Catequistas: missão na comunidadeCatequistas: missão na comunidade
Catequistas: missão na comunidadeFábio Vasconcelos
 
Teilhard Chardin e o ser amazônico
Teilhard Chardin e o ser amazônicoTeilhard Chardin e o ser amazônico
Teilhard Chardin e o ser amazônicoFábio Vasconcelos
 
Mistagogia: caminho para o mistério
Mistagogia: caminho para o mistérioMistagogia: caminho para o mistério
Mistagogia: caminho para o mistérioFábio Vasconcelos
 
Filosofia e crise: Crise do racionalismo e crise européia.
Filosofia e crise: Crise do racionalismo e crise européia. Filosofia e crise: Crise do racionalismo e crise européia.
Filosofia e crise: Crise do racionalismo e crise européia. Fábio Vasconcelos
 
Ética e relações de gênero
Ética e relações de gêneroÉtica e relações de gênero
Ética e relações de gêneroFábio Vasconcelos
 
Tendência pedagógica histórico crítica
Tendência pedagógica histórico críticaTendência pedagógica histórico crítica
Tendência pedagógica histórico críticaFábio Vasconcelos
 
Catequese IVC - Reflexão para Retiro com jovens
Catequese IVC - Reflexão para Retiro com jovensCatequese IVC - Reflexão para Retiro com jovens
Catequese IVC - Reflexão para Retiro com jovensFábio Vasconcelos
 
RICA: Escrutínios e Exorcismos
RICA: Escrutínios e Exorcismos RICA: Escrutínios e Exorcismos
RICA: Escrutínios e Exorcismos Fábio Vasconcelos
 
Ofício de romaria ao círio de nazaré
Ofício de romaria ao círio de nazaréOfício de romaria ao círio de nazaré
Ofício de romaria ao círio de nazaréFábio Vasconcelos
 

Mais de Fábio Vasconcelos (20)

Habermas linguagem
Habermas linguagemHabermas linguagem
Habermas linguagem
 
Youcat: como celebramos os mistérios cristãos
Youcat: como celebramos os mistérios cristãosYoucat: como celebramos os mistérios cristãos
Youcat: como celebramos os mistérios cristãos
 
Advento: tempo de espera
Advento: tempo de esperaAdvento: tempo de espera
Advento: tempo de espera
 
Mistagogia da eucaristia vi
Mistagogia da eucaristia viMistagogia da eucaristia vi
Mistagogia da eucaristia vi
 
Mistagogia da eucaristia iv
Mistagogia da eucaristia ivMistagogia da eucaristia iv
Mistagogia da eucaristia iv
 
Mistagogia da eucaristia iii
Mistagogia da eucaristia iiiMistagogia da eucaristia iii
Mistagogia da eucaristia iii
 
Mistagogia da Eucaristia II
Mistagogia da Eucaristia IIMistagogia da Eucaristia II
Mistagogia da Eucaristia II
 
Mistagogia da eucaristia
Mistagogia da eucaristiaMistagogia da eucaristia
Mistagogia da eucaristia
 
Onde celebrar
Onde celebrarOnde celebrar
Onde celebrar
 
A missa segundo o papa francisco
A missa segundo o papa franciscoA missa segundo o papa francisco
A missa segundo o papa francisco
 
Catequistas: missão na comunidade
Catequistas: missão na comunidadeCatequistas: missão na comunidade
Catequistas: missão na comunidade
 
Teilhard Chardin e o ser amazônico
Teilhard Chardin e o ser amazônicoTeilhard Chardin e o ser amazônico
Teilhard Chardin e o ser amazônico
 
Mistagogia: caminho para o mistério
Mistagogia: caminho para o mistérioMistagogia: caminho para o mistério
Mistagogia: caminho para o mistério
 
Filosofia e crise: Crise do racionalismo e crise européia.
Filosofia e crise: Crise do racionalismo e crise européia. Filosofia e crise: Crise do racionalismo e crise européia.
Filosofia e crise: Crise do racionalismo e crise européia.
 
Ética e relações de gênero
Ética e relações de gêneroÉtica e relações de gênero
Ética e relações de gênero
 
Tendência pedagógica histórico crítica
Tendência pedagógica histórico críticaTendência pedagógica histórico crítica
Tendência pedagógica histórico crítica
 
Ética epicurista
Ética epicuristaÉtica epicurista
Ética epicurista
 
Catequese IVC - Reflexão para Retiro com jovens
Catequese IVC - Reflexão para Retiro com jovensCatequese IVC - Reflexão para Retiro com jovens
Catequese IVC - Reflexão para Retiro com jovens
 
RICA: Escrutínios e Exorcismos
RICA: Escrutínios e Exorcismos RICA: Escrutínios e Exorcismos
RICA: Escrutínios e Exorcismos
 
Ofício de romaria ao círio de nazaré
Ofício de romaria ao círio de nazaréOfício de romaria ao círio de nazaré
Ofício de romaria ao círio de nazaré
 

Último

Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoNilson Almeida
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoFabioLofrano
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfStelaWilbert
 
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - ApresentaçãoCurso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentaçãoantonio211075
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...M.R.L
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaRicardo Azevedo
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............MilyFonceca
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfnestorsouza36
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptxPIB Penha
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxViniciusPetersen1
 
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024LeonardoQuintanilha4
 

Último (14)

Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - ApresentaçãoCurso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
 

Entregas: Creio, Pai nosso e Mandamento do amor

  • 1. Rito das Entregas • Símbolo (Creio) • Oração do Senhor (Pai Nosso) • Mandamento do Amor
  • 2. Transmitir – Receber /Acolher – Viver A transmissão da fé, que brilha para as pessoas de todos os lugares, passa também através do eixo do tempo, de geração em geração. Dado que a fé nasce de um encontro que acontece na história e ilumina o nosso caminho no tempo, a mesma deve ser transmitida ao longo dos séculos. (FRANCISCO, Lumen Fidei, n°38)
  • 4. EU CREIO EM DEUS PAI - R. Veloso 1. // Eu Creio em Deus Pai/ poder e ternura,/que toda criatura governa. Amém!// /Amém! Aleluia!// Por Deus fomos feitos/ à sua imagem pra sempre. Amém// 2. // Eu creio em Jesus/o Filho de Deus,/ que deu sua vida por nós. Amém!// //Amém! Aleluia!/ Jesus é o Senhor!/pois ressuscitou para sempre. Amém// 3. // Eu creio no Espírito Santo./ Verdade e Amor/ que o Cristo mandousobre nós. Amém!// //Amém! Aleluia!/O Espírito Santo.// nos une e conduz para sempre. Amém//
  • 5. Profissão de Fé “Ouve Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor. Amarás o Senhor, teu Deus, com todo o teu coração, com toda a tua alma e com todas as tuas forças” (Dt 6, 4-5) “Ó céu, escutai o que vou dizer’. Ouça, ó terra as palavras de minha boca. Desça como chuva o meu ensinamento e minha palavra se espalhe como orvalho; como chuvisco sobre a relva macia e aguaceiros em grama verdejante. Vou proclamar o nome do Senhor e vocês engrandeçam o nosso Deus. Ele é a Rocha, e sua obra é perfeita, porque toda a sua conduta é o Direito. É Deus fiel e sem injustiça: Ele é a Justiça e Retidão ” (Dt 32, 1-4) Shemá Israel Adonai elo henu Adonai eha! Escuta Israel o Senhor é nosso Deus Um é o Senhor!
  • 6. Testemunhas da fé: Abraão – Pai da Fé Pela fé: - Obedeceu ao chamado de Deus; - Deixou sua terra, em busca da terra que haveria de receber; - Viveu em tendas - Esperava a “cidade bem construída”, feita pelas mãos de Deus. - Com sua mulher Sara concebeu o filho da promessa - Estava disposto a sacrificar seu filho - Recebeu descendência numerosa
  • 7. • MARIA, MÃE DE JESUS: “Bem-aventurada aquela que acreditou, porque vai acontecer o que o Senhor lhe prometeu” – Disse Isabel para Maria. • PEDRO: Então Jesus lhes perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?” Simão Pedro respondeu: “Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo”. Respondendo, Jesus lhe disse: “Feliz és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi um ser humano que te revelou isso, mas o meu Pai que está no céu. • MARTA: Jesus disse: “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem acredita em mim, mesmo que morra, viverá. E todo aquele que vive e acredita em mim, não morrerá para sempre. Você acredita nisso?” Ela respondeu: “Sim, Senhor. Eu acredito que tu és o Messias, o Filho de Deus que devia vir a este mundo.” • OFICIAL ROMANO: O oficial do exército, que estava bem na frente da cruz, viu como Jesus havia expirado, e disse: “De fato, esse homem era mesmo Filho de Deus!” • TOMÉ: Depois disse a Tomé: “Estenda aqui o seu dedo e veja as minhas mãos. Estenda a sua mão e toque o meu lado. Não seja incrédulo, mas tenha fé.” Tomé respondeu a Jesus: “Meu Senhor e meu Deus!” Jesus disse: “Você acreditou porque viu? Felizes os que acreditaram sem ter visto.”
  • 8. A nossa fé, que da Igreja recebemos e sinceramente professamos A fé é um ato pessoal, uma livre resposta a Deus que se revela. Mas não se vive de forma isolada. Recebemos a fé da Igreja e vivemo-la em comunhão com todas as pessoas com quem queremos partilhar a nossa fé. Ninguém pode acreditar sozinho, tal como ninguém pode viver só. Ninguém se deu a fé a si mesmo, como ninguém a si mesmo se deu a vida. (cf. CIC, n° 166; Youcat, p. 27)
  • 9. CREDO, PROFISSÃO DE FÉ ou SÍMBOLO • Credo: A Palavra credo, inicia a profissão de fé, Creio em Deus Pai (Credo in unum Deum) e vem do latim credere = Ter por verdadeiro, confiar, dar crédito, “credenciar”. É um resumo da nossa Fé. Quem diz “Creio” afirma: “dou a minha adesão àquilo em que nós cremos”. • Profissão: Vem do latim pro-fateri (de fari= dizer, falar de, testemunhar). Receber o creio compreende também “devolvê-lo”, de forma “pública”, como profissão, oração e vivência (Tradittio e Redditio). • Símbolo: Tem sua origem na língua grega (sym – ballo) e significa reunir. O «símbolo da fé» é, pois, um sinal de identificação e de comunhão entre os crentes. Reúne em si as principais afirmações da nossa fé.
  • 10. Os símbolos da Fé • Durante vários momentos da Igreja se formularam profissões de fé, que podem ser desconsiderados, porém, dois ocupam lugar especial na vida da Igreja (e compõem, juntamente com a forma dialogal, as três formas previstas uso na Liturgia) • Símbolo dos Apóstolos: O mais breve, antigo “catecismo” usado na Igreja de Roma. Considerado o resumo fiel da fé dos Apóstolos. • Símbolo dito de Niceia-Constantinopla (ou Niceno-Constantinopolitano): Mais explicito e pormenorizado que o símbolo apostólico. Proveniente desses dois primeiros concílios ecuménicos (dos anos de 325 e 381). Ainda hoje continua a ser comum a todas as grandes Igrejas do Oriente e do Ocidente.
  • 11. SÍMBOLO DOS APÓSTOLOS Creio em Deus, Pai todo-poderoso, Criador do Céu e da Terra; Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso, Criador do Céu e da Terra, de todas as coisas visíveis e invisíveis. e em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor, Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho Unigénito de Deus, nascido do Pai antes de todos os séculos: Deus de Deus, luz da luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro; gerado, não criado, consubstancial ao Pai. Por Ele todas as coisas foram feitas. E por nós, homens, e para nossa salvação desceu dos Céus. SÍMBOLO DE NICEIA–CONSTANTINOPLA
  • 12. que foi concebido pelo poder do Espírito Santo; nasceu da Virgem Maria; E encarnou pelo Espírito Santo, no seio da Virgem Maria, e Se fez homem. padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu à mansão dos mortos; ressuscitou ao terceiro dia; subiu aos Céus; está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, de onde há-de vir a julgar os vivos e os mortos. Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos; padeceu e foi sepultado. Ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras; e subiu aos Céus, onde está sentado à direita do Pai. De novo há-de vir em sua glória, para julgar os vivos e os mortos; e o seu Reino não terá fim.
  • 13. Creio no Espírito Santo; Creio no Espírito Santo, Senhor que dá a vida, e procede do Pai e do Filho; e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado: Ele que falou pelos profetas. na santa Igreja Católica; na comunhão dos Santos; Creio na Igreja una, santa, católica e apostólica. na remissão dos pecados; na ressurreição da carne; na vida eterna. Amém Professo um só batismo para remissão dos pecados. E espero a ressurreição dos mortos, e a vida do mundo que há-de vir. Amém.
  • 14. Transformar-se pelo “Creio” No Credo, o fiel é convidado a entrar no mistério que professa e a deixar-se transformar por aquilo que confessa. Aquele que confessa a fé sente-se implicado na verdade que confessa; não pode pronunciar, com verdade, as palavras do Credo, sem ser por isso mesmo transformado, sem mergulhar na história de amor que o abraça, que dilata o seu ser tornando-o parte de uma grande comunhão da Igreja.
  • 16. Para os catecúmenos: - ENTREGA DO SÍMBOLO: Depois da homilia. A comunidade, por meio do catequista ou diácono, convida os catecúmenos a se aproximar do altar, após uma acolhida e pequenas palavras do Presidente da celebração (convidando para que guardem essas palavras no coração), ouvem a recitação do Creio por parte da assembleia. - ORAÇÃO PELOS CATECÚMENOS Em seguida os catecúmenos se ajoelham e é feita a oração sobre eles, que se divide em dois momentos, um de súplica e recordação da misericórdia de Deus, na sua caminhada para o batismo e para a participação no corpo de Cristo, que é a Igreja. Após um momento de silêncio, a prossegue-se a segunda parte da oração, que constitui também um prece para que os catecúmenos possam crescer na vida de fé e alcançar a graça do Batismo.
  • 17. Para os Catequisandos/Crismandos: - ENTREGA DO SÍMBOLO: Após a homilia. O(A) catequista convida os catequisandos para se aproximarem e receberem o símbolo apostólico. • Quem preside: Caríssimos catequisandos! Parabéns pela caminhada de fé que vocês estão realizando! Hoje, em nome da Igreja, entrego- lhes o resumo da nossa fé, o Credo, que nos foi transmitido fielmente desde os apóstolos e que chamamos de Símbolo Apostólico ou Credo. Ele contém poucas palavras, mas reúne grandes mistérios. O Credo se compõe de fórmulas com as quais a Igreja, desde os seus primórdios, expressou e transmitiu a fé a todos os seus fiéis. Com toda a comunidade, rezamos por vocês.
  • 18. Oração: Concedei, Senhor, a esses vossos catequisandos, a quem são revelados os desígnios do vosso amor, através deste símbolo da fé que vão receber, a graça de guardar no coração suas palavras e vive-las por ações concretas em sua vida. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, que é Deus na unidade do Espírito Santo. Amém. (Terminada a oração, os catequistas ou introdutores entregam a cada catequisando um “pergaminho” contendo o Credo). Catequista: (Nome do catequisando), recebe o Credo, que contém o resumo da fé da Igreja. Catequisando: Amém. (Terminado este rito, os catequisandos, voltados para a assembleia rezam com toda a assembleia o Credo. Depois, retornam aos seus lugares, junto a seus pais). A celebração eucarística prossegue como de costume...
  • 19. Oração do Senhor (Pai nosso) Há um só Deus e Pai de todos, (bis) que está acima de todos/ e age em todos (bis) e em todos habita (bis).
  • 20. Jesus: nosso modelo de oração Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: “Vós deveis rezar assim: Pai nosso que estais no céus, santificado seja o teu nome; venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como no céus. O pão nosso de cada dia dá-nos hoje. Perdoa as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. E não nos deixeis cair em tentação, mas livra-nos do mal”. (Mt 6,9-13)
  • 21. Depois de nos termos posto na presença de Deus nosso Pai para O adorarmos, amarmos e bendizermos, o Espírito filial faz brotar dos nossos corações sete petições, que são sete bênçãos. Pai Nosso que estais nos céus, santificado seja o vosso Nome, venha a nós o vosso Reino, seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje, perdoai-nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido, e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do Mal.
  • 22. O que significa rezar o Pai nosso? O Pai nosso mostra a simplicidade do e intimidade do ser humano com Deus. Na primeira parte, pede-se que Deus manifeste o seu projeto de salvação; na segunda, pede-se o essencial para que a humanidade possa viver segundo o projeto de Deus: pão para o sustento, bom relacionamento entre os irmãos e perseverança até o fim.
  • 23. O O rosto do Pai-e-Mãe Mas pode a mãe se esquecer do seu nenê, pode ela deixar de ter amor pelo filho de suas entranhas? Ainda que ela se esqueça, eu não me esquecerei de você. Is 49, 15-16 Como um pai se compadece de seus filhos, o Senhor tem compaixão dos que o temem. Salmo 102, 13 Ele rezava: “Abba! Pai! Tudo é possível para ti! Afasta de mim este cálice! Contudo, não seja o que eu quero, e sim o que tu queres.” Mc 14,36 A prova de que vocês são filhos é o fato de que Deus enviou aos nossos corações o Espírito do seu Filho que clama: Abba, Pai! Portanto, você já não é escravo, mas filho; e se é filho, é também herdeiro por vontade de Deus. Gl 4, 6-7 Todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. E vocês não receberam um Espírito de escravos para recair no medo, mas receberam um Espírito de filhos adotivos, por meio do qual clamamos: Abba! Pai! Rm 8, 14-15 O Pai misericordioso – Lc 15, 1-32
  • 24. A oração do Senhor É: • Oração universal • A única oração que Jesus nos deixou • Oração do Senhor - dominical • Oração que nos reúne como irmãos, filhos de um mesmo Pai • Oração da Partilha e do Perdão • “Resumo do Evangelho” (Segundo Tertuliano) PAI-NOSSO e PÃO-NOSSO Assim na TERRA como no CÉU
  • 25. Deus é nosso PAI Antes do mais, o Doutor da paz e Mestre da unidade não quis que cada um orasse sozinho e em particular, como rezando para si só. De fato, não dizemos: Meu Pai que estais no céus; nem: Meu pão dai-me hoje. Do mesmo modo não se pede só para si o perdão da dívida de cada um ou que não caia em tentação e seja livre do mal, rogando cada um para si. Nossa oração é pública e universal e quando oramos não o fazemos para um só, mas para o povo todo, já que todo o povo forma uma só coisa. São Cipriano, bispo e mártir (séc. III) - LH, Vol. V, p. 320
  • 26. Entrevista com o Papa Francisco sobre o Pai nosso: • O nome de Deus é santificado “nas jovens sequestradas pelo Boko Haram? é santificado nos cristãos que lutam entre eles pelo poder? é santificado na vida daqueles que contratam um matador de aluguer para resolver uma situação? É santificado na vida daqueles que não cuidam dos próprios filhos? Não, Deus não é santificado ali”. • Francisco recorda os tempos de sua infância em que o pão jamais era colocado fora, pois o pão “é o símbolo desta unidade da humanidade, é símbolo do amor de Deus”. As mães, as avós, reaproveitavam de alguma forma ou outra o pão, mas jamais era deitado fora.
  • 28. • Entrega (Evangelho) Aclamação Diácono ou catequista diz: - Aproximem-se os que vão receber a Oração do Senhor Presidente da Celebração: - Caros catecúmenos, vocês agora ouvirão como o Senhor ensinou seus discípulos a rezar. Homilia Oração sobre os catecúmenos Diácono ou catequista: - Prezados catecúmenos, ajoelhem-se para a oração sobre vocês. Presidente (convida os fiéis a orar): Oremos pelos nossos catecúmenos: Que o Senhor nosso Deus abra os seus corações e as portas da misericórdia para que, vindo receber nas águas do Batismo o perdão de todos os seus pecados, sejam incorporados no Cristo Jesus. Todos rezam em silêncio
  • 29. Quem preside, com as mãos estendidas sobre os catecúmenos, diz: - Deus eterno e todo-poderoso, que por novos nascimentos tornais fecunda a vossa Igreja, aumentai a fé e o entendimento dos nossos catecúmenos para que, renascidos pelo Batismo, sejam contados entre os vossos filhos adotivos. Por Cristo, nosso Senhor. Todos: Amém Diácono ou catequista: - Prezados catecúmenos, ajoelhem-se para a oração sobre vocês. Presidente (convida os fiéis a orar): Oremos pelos nossos catecúmenos: Que o Senhor nosso Deus abra os seus corações e as portas da misericórdia para que, vindo receber nas águas do Batismo o perdão de todos os seus pecados, sejam incorporados no Cristo Jesus. Todos rezam em silêncio
  • 30. Mandamento do amor “Onde reina o amor,/ fraterno amor Onde reina o amor, /Deus aí está!” Taizé
  • 31. Quem foi que aqui nos reuniu? Foi o Amor! O meu mandamento é esse: amem-se uns aos outros, assim como eu amei vocês. Não existe maior prova de amor do que dar a vida pelos amigos. Vocês serão os meus amigos se cumprirem o meu mandamento. Eu já não chamo vocês de empregados, pois o empregado não sabe o que o seu patrão faz; eu chamo vocês de amigos, porque eu comuniquei a vocês tudo o que eu ouvi de meu Pai. Não foram vocês que me escolheram, mas foi eu que escolhi vocês. Eu os destinei para ir e dar fruto, e para que o fruto de vocês permaneça. O Pai dará a vocês qualquer coisa que pedirem em meu nome. O que eu mando é isso: amem- se uns aos outros. (Jo 15, 12-17)
  • 32. Um especialista em leis se levantou, e, para tentar Jesus perguntou: “Mestre, o que devo fazer para receber em herança a vida eterna?” Jesus lhe disse: “O que é que está escrito na Lei? Como você lê?” Ele então respondeu: “Ame o Senhor, seu Deus, com todo o seu coração, com toda a sua alma, com toda a sua força e com toda a sua mente; e ao seu próximo como a si mesmo.” Jesus lhe disse: “Você respondeu certo. Faça isso, e viverá!” (Lc 10, 25-28 )
  • 33. Um doutor da Lei estava aí, e ouviu a discussão. Vendo que Jesus tinha respondido bem, aproximou-se dele e perguntou: “Qual é o primeiro de todos os mandamentos?” Jesus respondeu: “O primeiro mandamento é este: Ouça, ó Israel! O Senhor nosso Deus é o único Senhor! E ame ao Senhor seu Deus com todo o seu coração, com toda a sua alma, com todo o seu entendimento e com toda a sua força. O segundo mandamento é este: Ame ao seu próximo como a si mesmo. Não existe outro mandamento mais importante do que esses dois.” (Mc 12, 28-31)
  • 34. O AMOR - Pe. Jocy Rodrigues 1. Quem foi que nos reuniu aqui? Foi o Amor!/ Quem foi que, um dia, na cruz nos remiu? Foi o Amor!/ Quem livrará do fracasso, este mundo? É o Amor!/ Quem é o maior? É o Amor!/ É o mais profundo? É o Amor! Juntemos nossas vozes e demo-nos as mãos,/ assim ninguém nos poderá vencer!.../ pelo Cristo, Libertador!/ nele e por ele, libertaremos este mundo pelo amor! 2. Que quis Jesus nos ensinar? Foi o Amor!/ Quando na ceia a tal ponto se humilhou? Foi o Amor!/ Lavando os pés dos dicípulos assim? Por nosso amor!/ Qual servo humilde. Por amor!/ Até o fim? Por nosso amor!.
  • 36. Catequista: Queridos catequisandos, aproximem-se do altar, para receber o resumo dos mandamentos e a bênção final. Presidente: Caros catequisandos, vocês são chamados a ouvir a comunidade proferir os mandamentos da Lei de Deus, Jesus resume os dez mandamentos em um só – o mandamento assim: “... amem o Senhor, seu Deus, com todo o seu coração, com toda a sua alma, com toda a sua força e com toda a sua mente; e ao próximo como a si esmo” (Lc 10, 26b). Esse é o mandamento do Senhor que resume toda a Lei de Deus. Quem ama realiza a Lei de forma perfeita. O padre entrega a cada catequisando o pergaminho com o mandamento do Amor, e os catequisandos, voltados para a assembleia, abrem o pergaminho e fazem a leitura pausadamente. Depois da cada frase, a assembleia respondeu ou canta, solenemente “Amém”.
  • 37. Catequisandos: Diz o Senhor: “Ame ao Senhor seu Deus, com todo o seu coração, com toda a sua alma, e com todo o seu entendimento. Esse é o maior e o primeiro mandamento”. Todos: Amém! Catequisandos: Diz o Senhor: “Ame o seu próximo como a si mesmo”. Todos: Amém! Catequisandos: Diz o Senhor: “Eu lhes dou um novo mandamento: Amem-se uns aos outros assim como eu vos amei”. Todos: Amém! O padre pede aos catequisandos que se ajoelhem para a benção final. De mãos estendidas, o padre e toda a comunidade invocam a bênção do Senhor. Padre: Ó Deus, concedei a estes catequisandos a força, a sabedoria e as virtudes divinas, para que sigam o grande mandamento de Jesus, que está no Evangelho – o mandamento do Amor. Tornem-se generosos no serviço do Reino! Todos: Amém!