Maritime         SummitAnálise das políticas públicas da  infra-estrutura marítima e           portuária   AcEng Paulo Aug...
Fundação Experiência Acumulada                 da         Projeto Carajás             VALEC        Ferrovia Norte–Sul     ...
Origem:                         Destino:       mercados                        mercados       produção      Distancia     ...
Tempo e  Custo das                      Uma nova ordem   Viagens            Comercio        mundial                       ...
Tempo e  Custo das                             Política de   Viagens    Altos valores             transporte              ...
Resultado das Políticas Publicas deTransporte do Brasil acumulado ao longo             das décadas       Custo médio do   ...
Nave   BRASIL   Rodo         Nave    CANADA             gação                                          Rodo               ...
Lobby         TRADICIONAL: A                         serviço de interesses:  Vontade                      Autoritária  Pol...
Nova Vontade Política              Matriz Atual                          Matriz Nova            dutos e                   ...
PIB  Nova Vontade Política:                     3.8 trilhõesResultados Acumulados em     25 anos (R$ Bil)          Investi...
Região                  CabotagemMoscou                   urbanizada.               insuficiente                          ...
Alto custo: transporte,   Caminhões         Barcaças,                      manutenção, acidentes,   até 300 km        pequ...
Macapá       480    Caracas                        5100                                  30 principais                    ...
Recursos                                Populaçõesnaturais                               marginalizadas        Mercados   ...
NOVA                                  Sobrepondo-   VONTADE                                     se aos   POLITICA         ...
Ações individuais:               empresariais,             pessoais, políticas,               não resolvem31/03/2011      ...
P CAM P Vivacqua    Gov J Vianna  V Gov N Cardoso Min  Celso Lafer Gov J Roriz VP Republica Marcos MacielPres CNI Sen F Be...
Energia e transportes. Corredor                     Centroleste. Um novo Corredor de                      Grãos para os Ce...
Vitória, partindo    de posição                                         5.5  irrelevante foialçada ao 3º lugar            ...
Apoio: Conselho de                                         Governadores.                    Resultados.             Bancad...
Porto                                               Rio       Centro Belém Carajás                                        ...
Utilidade publica pela Província de Buenos    Aires, Governo do ES, Cidade de Vitoria.    Membro do Comitê PROCORREDOR d...
31/03/2011   p a vivacqua   23
GANHO de US$ 15 bi anuais no PIB  Mesa de                  da região costeira. Empregos e    Mesa                   reduçã...
PIB total                                      US$3,7 tri          Caribe                                                 ...
Sistema Carajás e                       Valorização de recursos  Ferrovia Norte-Sul:                       naturais: miner...
Poder para as cidades                                  portuárias sobrePrefeitos das                   portos e cabotagem....
PA VIVACQUA 2008                                    Região                  Renda          urbanizada.        Hub         ...
Movimento dos 20                    Rotterdam (Holanda)   10   4maiores portos do                   Hamburgo (Alemanha)   ...
Caribe                                            4%                      Pacifico                     Norte 4%           ...
Caribe                                    PIB      4%                                   342bi                        Pacif...
Frente Cidades Portuárias e CabotagemFrente Agricultura e LogísticaFerrovia Transandina Norte Peru – BayovarEixo Santo...
Agricultura 2004.                          Gasto adicional em transporte US$2.8                          BILHÕES (relativo...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Transporte paulo

627 visualizações

Publicada em

Publicada em: Diversão e humor, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
627
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
14
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Transporte paulo

  1. 1. Maritime SummitAnálise das políticas públicas da infra-estrutura marítima e portuária AcEng Paulo Augusto Vivacqua Presidente da Academia Nacional de Engenharia 28 março de 2011 Windsor Barra Hotel e Congressos
  2. 2. Fundação Experiência Acumulada da Projeto Carajás VALEC Ferrovia Norte–Sul 10 mil km Ferronorte Ferrovias Ferroeste Corredor Centronordeste Portos Corredor Centroleste profundos de Corredor Bi-Oceânico Norte Peru Carajás eCorredor Marítimo Vitoria- Zarate Tubarão (CVRD) 31/03/2011 p a vivacqua 2
  3. 3. Origem: Destino: mercados mercados produção Distancia produção Política de Transportes Criação de vias de comunicaçãoRedução de tempo e custo das viagens Redução do impacto ambiental31/03/2011 CAMS PAVivacqua 3
  4. 4. Tempo e Custo das Uma nova ordem Viagens Comercio mundial global qualitativamente diferente Mundo Efeito das Anos políticas globais de transportes12/12/2009 p a vivacqua 4
  5. 5. Tempo e Custo das Política de Viagens Altos valores transporte estáveis há vinculada a décadas interesses especiais: Brasil MATRIZ RODOVIÁRIA Mundo Efeito das Anos políticas globais de transportes12/12/2009 p a vivacqua 5
  6. 6. Resultado das Políticas Publicas deTransporte do Brasil acumulado ao longo das décadas Custo médio do Perda de transporte interno crescimento DOBRO do Canadá, ~1% do PIB China, Rússia, USA (US$21 bi aa) USA 1 World Economic China 34 Forum Índia 48 Ranking de Competitividade Rússia 58 Global 2007 Brasil 7231/03/2011 p a vivacqua 6
  7. 7. Nave BRASIL Rodo Nave CANADA gação Rodo via gação via 17% 73% 32% 29% Ferro via 10% Ferro via 39% Não faltaram porem Planos, Explicação Seminários, Corrente: Discursos e boas Falta Vontade Intenções Política31/03/2011 p a vivacqua 7
  8. 8. Lobby TRADICIONAL: A serviço de interesses: Vontade Autoritária Política Ilegítima, Opaca Sempre Aética, Irracional existiu NOVA: A serviço do país: Democrática Mesa de Legítima, Transparente Ética, Racional Integração31/03/2011 p a vivacqua 8
  9. 9. Nova Vontade Política Matriz Atual Matriz Nova dutos e dutos e hidrovias hidrovias 9% 9%navegação navegação 11% 33%ferrovia Rodovia 10% Rodovia 37% 70% ferrovia Transição em 10 anos 21% Uma Simulação (modelo CAMS) 31/03/2011 p a vivacqua 9
  10. 10. PIB Nova Vontade Política: 3.8 trilhõesResultados Acumulados em 25 anos (R$ Bil) Investimento em infra estrutura: Impostos R$20 a 25 bilhões 660 Acidentes Manut rodov -30 Energia Fretes -130 Empregos novos: -600 Mortes 38 milhões -800Geração de evitadas: CO2: - 800 360 mil Novas cidades: 210 Itaipus milhões t mil (mod. 100 mil)Rodovias: 27% do total de energia doa pais 31/03/2011 p vivacqua 10
  11. 11. Região CabotagemMoscou urbanizada. insuficiente Grandes mercados . Predomínio 80% da rodoviário. população. Integração Altos custos. transoceânica Baixa capacidade~3600 km Integração transcontinental Região altamente desenvolvida Quarto país emLisboa área contínua A quinta população A setimaMoscou 31/03/2011 ~3600 kmCAMS PAVivacqua Lisboa economia do11 mundo (pce)
  12. 12. Alto custo: transporte, Caminhões Barcaças, manutenção, acidentes, até 300 km pequenos expansão Ferrovias navios no Baixa qualidade: perdas, alem litoral velocidade congestionamentos Alta vulnerabilidade Miami ambiental: enchentes, deslizamentos Caribe 342bi Rodovia (mais de 5000 km). Prejudicando70% do PIB Br. N NE 551bi cidades econtinental S SE 1102bi empresas 28 cidades 82 milhões de A. Sul 561bi habitantes PIB 1.9 trilhões de dólares Tarifas Perda 15 bilhões de protetoras dólares anuais 31/03/2011 p a vivacqua 12
  13. 13. Macapá 480 Caracas 5100 30 principais Porto Velho 504Georgetown 312 cidades portuárias 1930 Paramaribo Caiena 214 60,5 Manaus costeiras 82 Belém 2043 milhões de ha São Luís 1230 Ca 2800 km Fortaleza 2980 João Pessoa 1050 12200 Natal 1150 Recife 3500 km de 990 Bel 2116 Maceió litoral km Rec Salvador 3140 Aracajú 822 Rodovia Vitória 1440 costeira 2392 km Rio 12000 25 milhões São Paulo ton/a Rio 1550 km Curitiba 2800 20500 PA Florianópolis 750 BA 900 km Porto 3500 Montevidéu 1669 Bahia Blanca 285 2500 km Rosario 1200 P Madryn 58 B Aires 12000 Comodoro 138 Ush l 31/03/2011 Rio Gallegos Ushuaya 160 48 Muitas cidades menores CAMS PAVivacqua 13
  14. 14. Recursos Populaçõesnaturais marginalizadas Mercados locais Ferrovia Cidade Mercados portuária Externos Cidades Planejamento Planejamento regional, urbano. Educação, econômico ambiental,sanea mento, saúde recursos naturais, energia,abastecimento etc. infra- estrutura Desenvolvimento e Migração para o interior Redução no custo de31/03/2011 CAMS PAVivacqua transporte 14
  15. 15. NOVA Sobrepondo- VONTADE se aos POLITICA interesses predominantes Resultado de pressãolegitima, contínua, articulada TRANSPARENTE dos eleitores e do meio Mesa deempresarial INTERESSADO Integração da sobre o meio político cabotagem, Portos e Cidades31/03/2011 p a vivacqua Costeiras 15
  16. 16. Ações individuais: empresariais, pessoais, políticas, não resolvem31/03/2011 p a vivacqua 16
  17. 17. P CAM P Vivacqua Gov J Vianna V Gov N Cardoso Min Celso Lafer Gov J Roriz VP Republica Marcos MacielPres CNI Sen F Bezerra Gov J Ignacio Gov Zeca PT Vice Gov Miguel de Souza Govs: GO TO BA MT Posse do Terceiro Conselho do Corredor Centroleste. VP da República. Dez Governadores de Estado. Ministro. Bancada com 130 Lideranças parlamentares empresariais.
  18. 18. Energia e transportes. Corredor Centroleste. Um novo Corredor de Grãos para os Cerrados. Velha e 1800 KM aparentemente irrealizável aspiração. BSB Problema ComplexoAnápolisGoiânia Pólo Termoelétrico Distribuição 2700 MW. SEI gás. BR Distribuidora Pesquisa. CEMIG Corredor Petrobras Pólo de VT 1.0m EFVM EADIs Carvão energético RFFSA BH Grãos Ferrovia Litorânea Ubu Veículos Organização de um Riosistema de ferrovias e Portos servindo Porto de vasta hinterlândia, Zarate (Argentina) MG DF GO TO MT MS RO AC. 31/03/2011 p a vivacqua 18
  19. 19. Vitória, partindo de posição 5.5 irrelevante foialçada ao 3º lugar Fretes terrestres no ranking US$ /ton Milhões ton/ano exportador de Rodoviagrãos, logo abaixo 70 de Santos Ferrovia 27 Paranaguá 0.25 2004Graças á ação de 120 000 DWT 1991 30 000 DWT uma Mesa de Integração Vencendo agressiva oposição de interesses contrariados a nível federal, estadual e empresarial. Materializando uma aspiração regional após décadas de frustrações.
  20. 20. Apoio: Conselho de Governadores. Resultados. Bancada parlamentar. Agendas. Modelos e matrizes de orientação estratégica MESA DETransportadores INTEGRAÇÃO. usuários, Fluxo cooperativas Problemas. Centro de Analise,agentes públicos Soluções agregação, e privados, etc. participação. Mobilização de apoios da sociedade.
  21. 21. Porto Rio Centro Belém Carajás Amazonas Amazônico Eixos Ferrovia S Luís Norte-Sul Transandina Ferronorte Centro Nordeste Leste-Oeste Porto de Bayovar Norte Recife Sul Navegação Vitória hidrovias Antofagasta Santos Rio portos e Paranaguá ferrovias Valparaizo Talcahuano B Aires Bahia Blanca PIB Brasil população Chacabuco Comodoro Carajás 1980 peça chave área ~50% do VALEC 1988da integração 31/03/2011 continente p a vivacqua CAMS 1992 21
  22. 22. Utilidade publica pela Província de Buenos Aires, Governo do ES, Cidade de Vitoria. Membro do Comitê PROCORREDOR da OEA Objeto de Tese pela Universidade do Texas31/03/2011 p a vivacqua 22
  23. 23. 31/03/2011 p a vivacqua 23
  24. 24. GANHO de US$ 15 bi anuais no PIB Mesa de da região costeira. Empregos e Mesa redução da pobreza IntegraçãoPortos CabotagemRedução de custos e de Abertura ao investimento privado.burocracia. Incentivosfiscais. Concessões : metas de custos e volumes Aumento de capacidade. Incentivos. Redução de custos.Acessos terrestres e Desburocratizaçãomarítimos Estaleiros. Navios avançados.Distritos industriais &Portos secos Portos pequenos e barcaçasPlano urbanístico integral.  Combustível baixo enxofre. Gás.Planejamento e controleambiental 31/03/2011 p a vivacqua 24
  25. 25. PIB total US$3,7 tri Caribe 342bi (9%)TRANSPORTES Brasil N NE Predomínio Rodoviário Pacifico 551bi (15%) Ilha Capacidade & qualidade: baixa Norte Continental Cobertura geográfica: baixa 637bi Recursos Naturais (18%) Centro 250bi (7%) Brasil S SE 1102bi (30%)CONSEQUENCIASCustos: altos Chile Principal centroPopulação: costeira 231bi econômico doComercio: baixo p/dentro, alto p/fora (6%) hemisfério sulRecursos naturais: sub aproveitados Atlântico SulEconomia: pouco competitiva. 561bi (15%)Energia: alto consumoEmissão de CO2: alta Perda US$ 31/03/2011 37 bi aa p a vivacqua 70% do PIB25
  26. 26. Sistema Carajás e Valorização de recursos Ferrovia Norte-Sul: naturais: minerais e terras. Desenvolvimento deConversão da distancia cidades e interiorização da em tempos e custos população Ferrovia 900 km Navegação 20 000km Carajás : 20 horas, US$5/ton 30 dias, US$ 30/ton Fe Mn Cu Ni Bx Au Trens 20 000 ton 80 km/h Navios 300 00 DWT Ásia Porto Europa Reservas minerais: Valor 25% do passou de zero (US$ 50 mercado milhões) para interoceanicodezenas de bilhões de dólares de minério de ferro Pólo de Grãos A maior e mais moderna ferrovia de de Balsas carga construída em mais de meio século Produção > de 1 milhão no Brasil. (US$ 4 bilhões em 4 panos) 31/03/2011 a vivacqua de toneladas de soja 26
  27. 27. Poder para as cidades portuárias sobrePrefeitos das portos e cabotagem. cidades Portuárias FORTES centros de navegação, logística, Associações comercio Comerciais Industriais Investimento em Bancada ferrovias, hidrovias Agrícola portos e navegação. Estados Aumentar a qualidade Centrais e reduzir custos aAgricultura eAgroindustria níveis internacionais31/03/2011 p a vivacqua 27
  28. 28. PA VIVACQUA 2008 Região Renda urbanizada. Hub emprego Grandes ports, mercados . barcaças 80% da Custo de população. transporte Cidade Região ∑ Costeira altamente desenvolvida cabotagem31/03/2011 CAMS PAVivacqua 28
  29. 29. Movimento dos 20 Rotterdam (Holanda) 10 4maiores portos do Hamburgo (Alemanha) 9 2mundo (2006 / 1 990) Antwerp (Belgica) 7 2(milhões deTEUS) Bremen (Alemanha) 4 1 multi 6500mi 3400 mi multi modal Dubai (UAE) 9 1 multi modal modal 4800mi 9000mi 11200 mi Los Angeles (USA) 9 3 rodo Long Beach (USA) 7 2 viário New York (USA) 5 2 Singapura 25 2 Santos 2 Hong Kong (China) 24 5 Shangai (China) 22 1 Quingdao (China) 8 Shenzen (China) 19 Ningbo (China) 7 Busan (Coreia) 12 2 Guangzhou (China) 7 Kaoshung (Taiwan) 10 4 Port Klang (Malasia) 6 1 Tianjin (China) 6 31/03/2011 p a vivacqua(Malasia) Tanjung 5 29
  30. 30. Caribe 4% Pacifico Norte 4% Centro 26% Pouco comercio. Total US$ 16 bi aa Chile 8% Atlântico Sul 24%31/03/2011 p a vivacqua 30
  31. 31. Caribe PIB 4% 342bi Pacifico Porto Centro Norte 4% Amazônico PIB PIB N NE 637bi Transandina 551bi Bayovar + Ferronote Pouco comercio. Total US$ 16 bi aa Vitoria Antofagasta Rio Chile Santos 8% Paranaguá Aumento possível: +US$ 12 bi31/03/2011 p a vivacqua 31
  32. 32. Frente Cidades Portuárias e CabotagemFrente Agricultura e LogísticaFerrovia Transandina Norte Peru – BayovarEixo Santos AntofagastaPorto Centro AmazônicoProjeto Porto de MinasEletrificação FerroviáriaFlorestas – Agua – EnergiaGeo Planejamento Municipal de Base31/03/2011 p a vivacqua 32
  33. 33. Agricultura 2004. Gasto adicional em transporte US$2.8 BILHÕES (relativo aos USA para igual volume de transporte) Perda de capacidade de investimento Pequena malha. Localização inadequada. Duas bitolas . Excesso de taxas, Concessões: falta de incentivos Regulamentação para os operadores. Subsídios a rodovias. Ferrovias insuficiente. Fretes elevados, Acesso restrito referenciados ao Baixo para pequenos rodoviário. investimento usuários. publico e31/03/2011 privado. p a vivacqua 33

×