Política Nacional de Resíduos Sólidos:       O Futuro da Gestão de Resíduos            Carlos R V Silva Filho             ...
Panorama dos Resíduos Sólidos3
 PANORAMA NO MUNDO – Geração de RSU em  países selecionados                         BRASIL
 PANORAMA NO MUNDO – Coleta de RSU em  países selecionados                                    BRASIL
 PANORAMA NO MUNDO – Geração de RSU per capita  2006-2007                                         BRASIL
 PANORAMA NO MUNDO – Destinação de RSU em  países selecionados - Aterro
 PANORAMA NO MUNDO – Destinação de RSU em países  selecionados – Incineração com Recup. Energética
 PANORAMA NO MUNDO – Destinação de RSU em países  selecionados – Reciclagem
 PANORAMA NO MUNDO – Mercado de RSU em países  selecionados – milhões de Euros                             BRASIL
 Panorama no BRASIL - Quantidade de RSU       gerados em 200911                                            Fonte: Panoram...
 Panorama no BRASIL - Quantidade de RSU coletados       em 200912                                             Fonte: Pano...
 Panorama no BRASIL - Distribuição dos RSU       Coletados por Região13                                       Fonte: Pano...
 Panorama no BRASIL - Destinação Final dos RSU       Coletados em 200914                                     Fonte: Panor...
 Panorama no BRASIL - Destinação Final dos RSU       Coletados em 200915                                          Fonte: ...
 Panorama no BRASIL – Mercado dos Serviços de       Limpeza Urbana - 200916                                         Fonte...
 Resíduos Sólidos Urbanos – Falta de Recursos       • Uma análise das despesas médias municipais aplicadas         aos se...
Desafios atuais na gestão de          Resíduos Sólidos18
 Aumento do volume de resíduos       • Maior população;       • Maior consumo;                  LR       • Maior quantida...
 Manejo        dos       diferentes     tipos/classes de resíduos gerados –     Composição do lixo está cada vez     mais...
 Restrições de trânsito e     circulação de caminhões       •   Dificuldades de acesso;   LR       •Dificuldades de tráfe...
 Adequação da Destinação Final       •Necessidade   de regularização;       • Distância dos centros de         LR       g...
Agenda para o futuro da gestão de            Resíduos Sólidos23
 Agenda para o futuro      • Envolvimento do Público: a participação do público no      processo decisório ambiental é fu...
 Agenda para o futuro      • Treinamento: Competência técnica, educação e treinamento      no setor de resíduos são parte...
 Agenda para o futuro      • Consumidores: desempenham grande influência no sucesso      das ações de redução na geração ...
 Agenda para o futuro      • Profissionalização: para ter sucesso o sistema não pode ficar      dependente de iniciativas...
 Agenda para o futuro      • Sistemas Adequados: a gestão de resíduos só terá sucesso      se estiver calçada em sistemas...
Reflexões Finais29
 Reflexões Finais      • PNRS: importante avanço para um país de dimensões      continentais.      • Destinação Final = p...
 Reflexões Finais                              planejamento                       investimentos              regulação   ...
Obrigado! Carlos R V Silva Filhocarlos@abrelpe.org.br
Sustentabilidade carlos vieira_residuos_solidos
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sustentabilidade carlos vieira_residuos_solidos

600 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
600
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
47
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sustentabilidade carlos vieira_residuos_solidos

  1. 1. Política Nacional de Resíduos Sólidos: O Futuro da Gestão de Resíduos Carlos R V Silva Filho ABRELPE2 outubro/2010
  2. 2. Panorama dos Resíduos Sólidos3
  3. 3.  PANORAMA NO MUNDO – Geração de RSU em países selecionados BRASIL
  4. 4.  PANORAMA NO MUNDO – Coleta de RSU em países selecionados BRASIL
  5. 5.  PANORAMA NO MUNDO – Geração de RSU per capita 2006-2007 BRASIL
  6. 6.  PANORAMA NO MUNDO – Destinação de RSU em países selecionados - Aterro
  7. 7.  PANORAMA NO MUNDO – Destinação de RSU em países selecionados – Incineração com Recup. Energética
  8. 8.  PANORAMA NO MUNDO – Destinação de RSU em países selecionados – Reciclagem
  9. 9.  PANORAMA NO MUNDO – Mercado de RSU em países selecionados – milhões de Euros BRASIL
  10. 10.  Panorama no BRASIL - Quantidade de RSU gerados em 200911 Fonte: Panorama ABRELPE 2009
  11. 11.  Panorama no BRASIL - Quantidade de RSU coletados em 200912 Fonte: Panorama ABRELPE 2009
  12. 12.  Panorama no BRASIL - Distribuição dos RSU Coletados por Região13 Fonte: Panorama ABRELPE 2008
  13. 13.  Panorama no BRASIL - Destinação Final dos RSU Coletados em 200914 Fonte: Panorama ABRELPE 2009
  14. 14.  Panorama no BRASIL - Destinação Final dos RSU Coletados em 200915 Fonte: Panorama ABRELPE 2009
  15. 15.  Panorama no BRASIL – Mercado dos Serviços de Limpeza Urbana - 200916 Fonte: Panorama ABRELPE 2009
  16. 16.  Resíduos Sólidos Urbanos – Falta de Recursos • Uma análise das despesas médias municipais aplicadas aos serviços de limpeza urbana e manejo de resíduos revela que o gasto mensal dos municípios é significativamente baixo, principalmente quando comparado com outros serviços públicos. • Em 2009 a despesa média municipal para fazer frente a todos os serviços de limpeza urbana (coleta, transporte, destino final, varrição, capina, limpeza de vias e logradouros etc) foi de R$ 9,27 por habitante por mês.17
  17. 17. Desafios atuais na gestão de Resíduos Sólidos18
  18. 18.  Aumento do volume de resíduos • Maior população; • Maior consumo; LR • Maior quantidade de materiais descartáveis; • Menor durabilidade.19
  19. 19.  Manejo dos diferentes tipos/classes de resíduos gerados – Composição do lixo está cada vez mais complicada LR • Novos materiais; • Novas combinações químicas; • Ausência de cultura de separação.20
  20. 20.  Restrições de trânsito e circulação de caminhões • Dificuldades de acesso; LR •Dificuldades de tráfego de caminhões; •Emissões de poluentes e aquecimento global.21
  21. 21.  Adequação da Destinação Final •Necessidade de regularização; • Distância dos centros de LR geração; • Unidades em fim de vida útil.22
  22. 22. Agenda para o futuro da gestão de Resíduos Sólidos23
  23. 23.  Agenda para o futuro • Envolvimento do Público: a participação do público no processo decisório ambiental é fundamental para o sucesso de qualquer política pública. • Confiança da Sociedade: O conceito de transparência é necessário para manter a confiança da sociedade no sistema regulatório. • Fiscalização e Imposição da Legislação: a obediência à lei deve ser efetiva. Aqueles que a cumprem devem ter a certeza de que os que a violam serão punidos. Rastreamento de resíduos através de códigos de barras e alimentação do sistema declaratório são exemplos que podem dar certo.24
  24. 24.  Agenda para o futuro • Treinamento: Competência técnica, educação e treinamento no setor de resíduos são partes essenciais para o sucesso de qualquer ação. Expertise é fundamental no setor de resíduos • Sustentabilidade: A escolha do sistema de gestão de resíduos a ser adotado deve recair sobre processos sustentáveis. O conjunto de soluções deve ser considerado de forma integrada. Ex: Reciclagem + Recuperação Energética + Aterro • Custeio: o sistema deve ser custeado integral e adequadamente. A fórmula adotada deve prover recursos para financiar também a prevenção e a minimização.25
  25. 25.  Agenda para o futuro • Consumidores: desempenham grande influência no sucesso das ações de redução na geração e no sucesso de qualquer estratégia de gestão de resíduos. • Logística Reversa: o setor comercial precisa repensar suas atitudes, direcionando-as para processos de prevenção e minimização. Não podem simplesmente “esquecer” daquilo que é colocado no mercado. • Autoridades Locais: detêm a oportunidade única de efetivamente defenderem o interesse público mediante o provimento dos serviços e unidades de gerenciamento de resíduos em seu território ou região.26
  26. 26.  Agenda para o futuro • Profissionalização: para ter sucesso o sistema não pode ficar dependente de iniciativas voluntárias, informais ou amadores. A mudança (para melhor) só virá com profissionalismo e competência. • Planejamento: ponto fundamental. Deve ser conduzido com visão estratégica e de maneira técnica, sem direcionamentos políticos. Devem considerar todos os tipos de resíduos existentes em uma localidade. • Cooperação: a gestão de resíduos é um sistema complexo. A cooperação e a coordenação entre autoridades de uma mesma região precisa ser reforçada, principalmente para as questões27 relacionadas à destinação de resíduos.
  27. 27.  Agenda para o futuro • Sistemas Adequados: a gestão de resíduos só terá sucesso se estiver calçada em sistemas adequados. As soluções são compatíveis e devem ser integradas entre si trazendo melhorias para o processo e viabilizar o atendimento das metas. • Investimentos: o sucesso de qualquer sistema depende de investimentos de longo prazo. • Parcerias: os resultados somente serão alcançados se as parcerias certas forem estabelecidas. O setor público e a iniciativa privada não são opositores e nem possuem interesses divergentes. A experiência internacional demonstra que as iniciativas oriundas de parcerias público-privadas são muito mais eficientes e bem sucedidas.28
  28. 28. Reflexões Finais29
  29. 29.  Reflexões Finais • PNRS: importante avanço para um país de dimensões continentais. • Destinação Final = principal problema, porém não o único desafio. • Gestão de Resíduos Sólidos = Sistema integrado – ações encadeadas e conectadas. • Não há solução única e nem medida isolada. • Planejar é fundamental, mas não basta. É preciso implementar soluções. • Fundamental: mudar da gestão linear para sistema cíclico.30
  30. 30.  Reflexões Finais planejamento investimentos regulação financiamento Sustentabilidade informação conscientização econômica Círculo vicioso Ciclo virtuoso31
  31. 31. Obrigado! Carlos R V Silva Filhocarlos@abrelpe.org.br

×