12 apresentação pazzini brief 2011

795 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
795
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
30
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

12 apresentação pazzini brief 2011

  1. 1. Panorama da Comercialização de Energia de Fontes AlternativasBrazil Infrastructure & Energy FinanceLuiz Henrique Alves PazziniAssessor Técnico e Econômico do CAd11 de Abril de 2011
  2. 2. AgendaPanorama da Comercialização de EnergiaComercialização de Energia EólicaComentários Finais 2
  3. 3. A CCEE A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) foi autorizada pela Lei nº 10.848, de 15/03/2004 e instituída pelo Decreto nº 5.177 de 12/08/2004, como pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, sob regulação e fiscalização da ANEEL sem fins lucrativos, tendo como principais atribuições:  Implantar e divulgar Regras e Procedimentos de Comercialização  Administrar o Ambiente de Contratação Regulada (ACR) e o Ambiente de Contratação Livre (ACL)  Manter o registro dos dados de energia gerada e consumida pelos Agentes da CCEE  Manter o registro dos contratos firmados entre os Agentes da CCEE  Contabilizar e liquidar as transações realizadas no mercado de curto prazo  Realizar Leilões de Energia sob delegação da ANEEL 3
  4. 4. Agentes da CCEEFonte: CCEE Fonte: CCEE - dados até janeiro de 2011
  5. 5. Comercialização de Energia no Brasil Aspectos Gerais  Os contratos são puramente financeiros, o SIN se responsabiliza pela entrega física O registro dos Contratos Bilaterais pode ocorrer “ex-post” à verificação da medição  Exigência de contratação de 100% da demanda  Exigência de comprovação de Lastro de Venda  Vendedores e consumidores estão sujeito à penalidade por falta de lastro e insuficiência de contratação apurados ao longo de 12 meses  Despacho centralizado pelo ONS e preço do mercado de curto prazo é resultado da política de operação – modelos computacionais
  6. 6. Transações Comerciais G1 D1 G2 D2PIE1 Com 1 CL1 Com 4PIE2 Com 2 CL2PIE3 Com 5 Com 3 CL3PIE4 6
  7. 7. AgendaPanorama da Comercialização de EnergiaComercialização de Energia EólicaComentários Finais 7
  8. 8. Possibilidade de contratação de Energia de Fontes Alternativas O agente proprietário dessas usinas tem as seguintes opções para construir seu portfólio de contratos  Contratos de longo prazo PROINFA  Preços regulados pelo MME, corrigidos pelo IGPM  Preços livremente negociados Mercado Livre  Contratos de curto/médio/longo prazos - negociação  Contratos de longo prazo Leilão de Energia  Preços do leilão corrigidos pelo IPCA Nova ACR  Contratos de longo prazo Leilão de Energia  Preços do leilão corrigidos pelo IPCA de Reserva(*) empreendimentos hidrelétricos com potência inferior a 30 MW, Biomassa e termelétricas com eficiência superior a 75%, 8conectados diretamente no sistema elétrico de distribuição do comprador
  9. 9. AgendaPROINFA 9
  10. 10. PROINFA - Troca de Energia e Recursos Financeiros Comercialização da Energia do PROINFA TUSD Distribuidora 1 Distribuidora 2 Distribuidora Eletrobrás ONS CCEE TUST G G G Cons. Livre 1 Usinas do PROINFA Cons. LivreLegenda: R$ MWh Contrato Agente da CCEE 10
  11. 11. PROINFA – Usinas em Operação11 Fonte: CCEE (dados até dezembro de 2010) Fonte CCEE: Junho de 2010
  12. 12. PROINFA – Geração em 2007, 2008, 2009 e 2010 12 Fonte CCEE: Junho de 2010 Fonte: CCEE (dados até dezembro o de 2010)
  13. 13. PROINFA – Geração em 2007, 2008, 2009 e 2010 13 Fonte CCEE: Junho de 2010 Fonte: CCEE (dados até dezembro de 2010)
  14. 14. PROINFA – Mercado de Curto PrazoA Eletrobrás transfere a exposição do MCP aos produtores das usinas do Proinfa 14 Fonte CCEE: Março de 2010 Fonte: CCEE (dados até dezembro de 2010)
  15. 15. AgendaAmbiente de Contratação Regulada - ACR 15
  16. 16. ACR O agente proprietário de usinas de fontes alternativaspode comercializar no ACR através dos leilões de energia Total: 1.275 [MW Médios] 16
  17. 17. AgendaAmbiente de Contratação Livre - ACL 17
  18. 18. Ambiente de Contratação Livre - ACL No ACL as usinas de fonte alternativa podem vender energia para:  Consumidor Livre (demanda contratada mínima de 3 MW)  Consumidor Especial:  Consumidor (Grupo A4 ou superior) com demanda igual ou superior a 500 kW  Consumidores (Grupo A4 ou superior) reunidos em comunhões de interesse de fato ou de direito, com demanda total igual ou superior a 500 kW  Gerador, Produtor Independente, Comercializador e Autoprodutor Desconto na TUSD/TUST  Usinas de fonte alternativa com potência injetada na rede inferior ou igual a 30 MW: desconto permanente definido pela ANEEL – perde o desconto se comprar energia convencional em montante superior a 49% de sua Garantia Física  Consumidores: recebem o desconto repassado pelo Vendedor - o desconto final do Consumidor será a média ponderada dos descontos associados às energias compradas equacionamento Matricial  A verificação do desconto final do Consumidor Especial é MENSAL 18
  19. 19. Usinas que Comercializam Energia Incentivada 19 Fonte: CCEE (dados até dezembro de 2010)
  20. 20. Geração de Usinas IncentivadasO ACL ainda é um mercado inexplorado pelas usinas eólicas 20 Fonte: CCEE (dados até dezembro de 2010)
  21. 21. AgendaEnergia de Reserva 21
  22. 22. Energia de Energia Leilões de Reserva Conceito: Contratar uma oferta adicional destinada aaumentar a segurança no fornecimento de energia elétrica ao SIN  Contratos: Até 35 anos duração; Quantidade ou Disponibilidade Leilões de Novos  Leilões de Energia de Empreendimentos Reserva CCEAR CER R$ Dist R$ MWh EER (R$) CONUER Mercado Spot Dist e CLs Geradores e Distribuidores participam do processo de contabilização da CCEE 22
  23. 23. Energia de Energia Leilões de ReservaResultados dos Leilões de Energia de Reserva Total Negociado: 1.746 [MW Médio] 23 Fonte: CCEE
  24. 24. Energia de Energia Leilões de ReservaResultados dos Leilões de Energia de Reserva Total Negociado: 1.746 [MW Médio] 24 Fonte: CCEE
  25. 25. Energia de Energia Leilões de Reserva25 Fonte: CCEE
  26. 26. Panorama da Energia de Energia Leilões de Reserva 26 Fonte: CCEE
  27. 27. Panorama da Energia de Energia Leilões de Reserva 27 Fonte: CCEE
  28. 28. AgendaPanorama da Comercialização de EnergiaComercialização de Energia de Fontes AlternativasComentários Finais 28
  29. 29. Evolução Percentual das Fontes de Energia Negociadas nos Leilões de Novos Empreendimentos Fonte: CCEE – considerou-se o montante de energia agregada 29 ao ACR pelas Usinas de Santo Antônio, Jirau e Belo Monte
  30. 30. Total de Energia Negociada nos Leilões de Novos EmpreendimentosTotal Negociado: 23.687 [MW Médios] Fonte: CCEE – considerou-se o montante de energia agregada 30 ao ACR pelas Usinas de Santo Antônio, Jirau e Belo Monte
  31. 31. Considerações Finais ACR é um ambiente consolidado  Os leilões de energia propiciaram a diversificação da matriz energética brasileira A 1ª fase do ACL foi marcada por sua regulamentação e pela expansão desse ambiente (a partir de 2004) 2ª Fase – choque de realidade: o mercado teve de aprender como comercializar  Além dos preços, outras considerações são importantes:  Garantias financeiras  Registros dos contratos no mês de contabilização  Saneamento do mercado e busca por maior blindagem  Arbitragem  Desligamento de Agentes por parte da ANEEL  Assembléia Geral aprovando os desligamentos  Início da comercialização de energia incentivada em janeiro de 2008 3ª Fase – possibilidade de aprimoramentos Maior liquidez para o mercado ACL contribuindo para a expansão Desafio para CCEE: adequação da empresa as novas exigências 31
  32. 32. Questões da CCEE Futuro futuras Possibilidade de venda de excedentes por parte de consumidores livres/especiais Comercializador varejista Garantias financeiras on-line Revisão das penalidades Certificados de energia 32
  33. 33. Futuro da CCEE Comentários Finais Brasil possui um mercado de energia maduro e em crescimento O modelo do setor elétrico vigente permite alternativas ainda não exploradas A estabilidade do mercado traz segurança para novos investimentos e para o estudo de novas alternativas 33
  34. 34. Canais de Comunicação com a CCEE Obrigado!! Telefone – 0800-10-00-08 Fax – 55-11-3175-6636 email: atendimento@ccee.org.br Site: www.ccee.org.br 34

×