Doenças Neurológicas

4.361 visualizações

Publicada em

Doenças Neurológicas

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.361
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
306
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Doenças Neurológicas

  1. 1. Doenças Neurológicas Técnico Auxiliar de Saúde – Aprendizagem Formador: João Mendes
  2. 2. O que é a Neurologia? •Especialidade médica que trata dos distúrbios estruturais do sistema nervoso. •Especificamente, ela lida com o diagnóstico e tratamento de todas as categorias de doenças que envolve o sistema nervoso incluindo os seus revestimentos, vasos sanguíneos, e todos os tecidos como os músculos. •O correspondente cirúrgico da especialidade é a Neurocirurgia.
  3. 3. Doenças Neurológicas Comuns • Parkinson • Alzheimer • Doença de Huntington
  4. 4. Alzheimer •É a forma mais comum de demência. •Não existe cura para a doença, a qual se agrava progressivamente até que eventualmente leva à morte. •Foi descrita pela primeira vez em 1906 pelo psiquiatra e neuropatologista alemão Alois Alzheimer, de quem recebeu o nome.
  5. 5. Alzheimer •A doença de Alzheimer é classificada enquanto transtorno neurodegenerativo. •As causas e progressão da doença ainda não são completamente compreendidas, embora se saiba que está associada às placas senis e com os novelos neurofibrilares no cérebro.
  6. 6. Alzheimer •Uma vez que a doença de Alzheimer não tem cura e é degenerativa, a pessoa afetada torna-se gradualmente dependente da assistência de outros. •Em muitos casos, é o conjugue ou um familiar próximo quem assume o papel de principal cuidador.
  7. 7. Alzheimer • Comparação entre um cérebro idoso normal (esquerda) e o cérebro de uma pessoa com Alzheimer (direita).
  8. 8. Alzheimer - Sintomas •Primeira fase dos sintomas –Esquecer-se ocasionalmente das coisas; –Perder ocasionalmente objetos; –Pequenas perdas de memória a curto prazo; –Esquecer-se que ocorreram lapsos de memória.
  9. 9. Alzheimer - Sintomas •Segunda fase (demência inicial) –Estado de distração ou falta de atenção; –Esquecer-se de compromissos; –Pequenas alterações notadas por familiares próximos; –Alguma confusão em ambientes que não sejam familiares.
  10. 10. Alzheimer - Sintomas • Terceira fase – Dificuldade acrescida em recordar informações recentes; – Confusão crescente num número maior de situações; – Problemas na fala; – Iniciar repetidamente a mesma conversa.
  11. 11. Alzheimer - Sintomas • Quarta fase (terminal) – Maior agressividade ou passividade – Alguma perda de autoconsciência – Défice cognitivo debilitante – Personalidade abusiva, ansiosa ou paranoica.
  12. 12. Alzheimer - Causas •Genética •Hipótese colinérgica (propõe que a doença de Alzheimer seja provocada por uma insuficiência na síntese do neurotransmissor acetilcolina). •Hipótese amiloide (baseia-se na localização do gene da proteína precursora amiloide no cromossoma 21 e no facto da quase totalidade das pessoas com trissomia 21, as quais têm uma cópia adicional de genes, manifestarem Alzheimer antes dos 40 anos de idade) •Hipótese da proteína Tau (a proteína tau hiperfosforilada começa por se associar a outras cadeias de tau, formando eventualmente novelos neurofibrilares no interior das células nervosas)
  13. 13. Alzheimer – Proteína de Tau • Na doença de Alzheimer, as alterações na proteína tau levam à desintegração dos microtúbulos nas células do cérebro.
  14. 14. Alzheimer - Fisiopatologia •Segundo pesquisas recentes, o Alzheimer começa no tronco cerebral, mais especificamente numa área denominada núcleo dorsal da rafe, e não no córtex, que é o centro do processamento de informações e armazenamento da memória. •Caracteriza-se clinicamente pela perda progressiva da memória.
  15. 15. Alzheimer - Fisiopatologia • Perda de conexões entre neurónios, formação de emaranhados neurofibrilares e placas de amilóides são as principais características identificadas no Alzheimer.
  16. 16. Alzheimer - Diagnóstico •Tomografia Computadorizada (TAC); •Ressonância Magnética (IRM); •Tomografia Computorizada por Emissão de Fotão Único (SPECT); •Tomografia por Emissão de Positrões (TEP)
  17. 17. Alzheimer - TEP •TEP do cérebro de uma pessoa com Alzheimer que revela a perda de funções no lobo temporal.
  18. 18. Alzheimer - Exames •Os exames de rastreio neuropsicológico podem auxiliar o diagnóstico de Alzheimer. •Nestes exames, é pedido às pessoas que copiem desenhos semelhantes aos da imagem, memorizem palavras, leiam ou subtraiam números.
  19. 19. Alzheimer – Prevenção •Vários estudos relacionam o Alzheimer e determinados fatores modificadores: –Tipo de dieta, –O risco cardiovascular, –Produtos farmacêuticos –Atividades intelectuais –Entre outros.
  20. 20. Alzheimer - Tratamento •O tratamento visa minimizar os sintomas, proteger o sistema nervoso e retardar o máximo possível a evolução da doença.
  21. 21. Alzheimer - Prognóstico •A esperança de vida da população com Alzheimer é reduzida. •A esperança média de vida após o diagnóstico é de aproximadamente sete anos. •Menos de 3% das pessoas vive para além dos 14anos
  22. 22. Parkinson – O que é? •Doença neurodegenerativa de progressão lenta que afeta principalmente a motricidade. •Esta doença foi primeiramente descrita pelo médico James Parkinson em 1817.
  23. 23. Parkinson – Epidemiologia •A incidência média desta doença é entre 85 a 187 casos em 100.000 habitantes. Pensa-se que em Portugal existam 12.000 pessoas afetadas. •O pico da doença é por volta dos 60 anos e a incidência aumenta com a idade, sendo esta considerada um fator de risco.
  24. 24. Parkinson - Sintomas •Tremor (o mais característico) –Tremor Clássico Parkinsoniano –Aumenta quando o paciente se encontra em repouso ou situações de stress/cansaço –Movimento voluntário atenua o tremor e este desaparece completamente durante o sono.
  25. 25. Parkinson - Sintomas • Rigidez muscular – Todo o corpo – Inexpressividade facial – Diminuição do pestanejar – Boca aberta – Deglutição difícil
  26. 26. Parkinson - Sintomas • Bradicinesia (Lentidão dos movimentos causada pelo atrasado na transmissão de instruções do cérebro para o resto do corpo) – Hipomimia – Fala monocórdica – Palilalia – Micrografia – Dissinergiaoculocefálica
  27. 27. Parkinson - Sintomas •Depressão •Ansiedade •Instabilidade postural •Bradifrenia (pensamento lento) Nem todos os pacientes com Parkinson sofrem perda cognitiva apesar do pensamento lento ser um dos sintomas comuns.
  28. 28. Parkinson - Tratamento •Terapia neuroprotetora •Terapia restauradora •Neuroestimulação •Fisioterapia •Entre outros
  29. 29. Parkinson - Considerações Finais •A grande “arma” da medicina hoje para combater o Parkinson: –Medicamentos e cirurgias –Fisioterapia –Terapia ocupacional –Terapia da fala •Através da atuação de uma equipa multidisciplinar é possível proporcionar ao paciente uma boa qualidade de vida, funcionalidade e autoestima.
  30. 30. Doença de Huntington - O que é? •Distúrbio neurológico hereditário caracterizado por causar movimentos corporais anormais e falta de coordenação, também afetando várias habilidades mentais e alguns aspetos de personalidade. •Por ser uma doença genética, atualmente não tem cura.
  31. 31. Doença de Huntington - Causas •Trata-se de uma doença hereditária, causada por uma mutação genética. –Doença autossómica dominante: um dos pais tem Huntington, os filhos tem 50% de chances de também desenvolverem a doença. –Se um descendente não herdar o gene da doença, não a desenvolverá nem a transmitirá à geração seguinte
  32. 32. Doença de Huntington - Causas •Huntigton causa degeneração dos núcleos lenticulares (a roxo), responsável pelo controlo de movimentos voluntários.
  33. 33. Doença de Huntington - Sintomas •Coreia (movimentos involuntários, rápidos, irregulares e sem finalidade dos membros, da face e/ou do tronco, geralmente associados à hipotonia e à diminuição da força muscular); •Perda progressiva de memória; •Depressão; •Disartria (perda gradual dos músculos da fala, com voz pastosa); •Fala incompreensível, hesitante, explosiva e desorganizada; •Mastigação e deglutição difíceis; •Perda da visão periférica; •Dificuldade em deglutir.
  34. 34. Huntington - Diagnóstico •O exame genético é determinante. •O exame clínico é análise dos sintomas relatados e do histórico familiar da doença. •Pode ser diagnosticado por exame genético no feto durante a gravidez.
  35. 35. Huntington - Desenvolvimento •A Doença de Huntington desenvolve-se lentamente, provocando uma degeneração progressiva do cérebro, especialmente dos núcleos lenticulares.
  36. 36. Huntington - Desenvolvimento •A taxa de sobrevivência é de cerca de 10-20 anos após o aparecimento dos primeiros sintomas. •A morte não é pela doença, mas sim, como consequência de: –Problemas respiratórios (30%) –Cardíacos (25%) –Movimentação ineficiente da musculatura –Suicídio (7%) –Lesões de quedas frequentes –Má nutrição.
  37. 37. Huntington - Desenvolvimento •Tem a mesma probabilidade de se desenvolver em ambos os sexos. •É muito mais comum entre os descendentes de europeus ocidentais, sendo raro em asiáticos e africanos.
  38. 38. Huntington - Tratamento •Não possui cura, porém possui tratamento. •Existem diversos medicamentos para diminuírem os sintomas e o progresso da doença. •Exercícios cognitivos diários ajudam a preservar as habilidades mentais reduzindo a perda de memória, perceção e orientação.
  39. 39. Doença de Huntington - Tratamento •Implante de Células-Tronco –Este tratamento tem por base a substituição de neurónios mortos através de uma injeção de células-tronco pluripotentes na área afetada, que ao serem estimulados adequadamente formam novos neurónios, aliviando os sintomas e prolongando a expectativa de vida dos doentes.

×