SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 43
EUROPA SOCIEDADE
Fabiane Ferreira e Letícia Bastos CSFX -2014
A Europa é o berço da população ocidental.A Europa é o berço da população ocidental.
O “ velho continente” exerce forte atração
populacional.
CAUSAS:
• Grande desenvolvimento econômico.
• Possibilidade de trabalho.
• Atrações culturais.
Migrações Externas e InternasMigrações Externas e Internas
Século XIX: saída de população da Europa (Emigração)
Causas:
· falta de trabalho;
· terras disponíveis em outros continentes.
Século XX: período pós-guerra - chegada de população na Europa (Imigração).
Causas:
· necessidade de mão-de-obra para reconstrução de países arrasados pela guerra;
·(hoje) necessidade de ampliação da PEA.
Século XXI: migração de retorno para os países subdesenvolvidos.
Causas:
· falta de trabalho;
· crise econômica mundial.
Migrações InternasMigrações Internas
Itália do sul
Itália do norte
O impacto do desenvolvimento industrialO impacto do desenvolvimento industrial
sobre a população da Europasobre a população da Europa
O desenvolvimento industrial levou a um
rápido crescimento populacional.
Causas:
 urbanização;
melhoria das condições de higiene e do
saneamento básico;
 avanço da medicina e descoberta de
novos medicamentos.
Início do século XX - Queda da natalidade
CausasCausas
• queda da mortalidade;queda da mortalidade;
• dificuldade de manterdificuldade de manter
padrão de vida;padrão de vida;
• descoberta edescoberta e
divulgação de métodosdivulgação de métodos
contraceptivos;contraceptivos;
• ingresso da mulher noingresso da mulher no
mercado de trabalho.mercado de trabalho.
França estimula natalidade e fazFrança estimula natalidade e faz
campanha a favor do terceiro filhocampanha a favor do terceiro filho
As francesas que derem
à luz um terceiro filho
poderão usufruir, se
assim desejarem, de uma
licença de maternidade
mais curta (de três anos
para um) mas melhor
remunerada, com cerca
de 750 euros por mês.
A estas medidas somam-
se auxílios mais elevados
para as despesas com as
crianças, creches
gratuitas, descontos em
restaurantes,
supermercados, cinemas
e transportes públicos e
atividades extra-escolares
a preços reduzidos.
A Europa é o único continente
que apresentará declínio
populacional.
E no Brasil...E no Brasil...
Consequências:
• aumento do número de
idosos;
• redução da PEA;
• escassez de mão-de-obra;
• maiores gastos com o
serviço de saúde e
previdência social.
• diminuição do mercado
consumidor.
SOLUÇÃOSOLUÇÃO
A Europa precisa de trabalhadores!
Problema social
XENOFOBIA
SKINHEADS
Ódio aos imigrantes!
A “nova” Revolução Francesa
Em 2005, na França distúrbios sociais foram liderados pro
jovens negros e árabes, filhos de imigrantes do norte da áfric
e do oriente Médio.
Nos subúrbios franceses escolas e carros foram queimados.
Era o protesto contra a exclusão social e o desemprego.
nessa parcela da população o desemprego era o dobro d
média nacional.
O fato fez aumentar a xenofobia no país.
O governo anunciou planos de controle sobre a imigração:
“A França não aceitará mais estrangeiros – que ninguém que
no mundo.”
RACISMO OU XENOFOBIARACISMO OU XENOFOBIA
Selection Français de
Football
E no Brasil…
Fabricação de produtos industrializados fora da Europa
Aversão aos im igrantes, discrim inação
X en o fo b ia
Im igrantes passaram a ser vistos com o concorrentes
D im inuição dos p ostos de trabalho
G lobalização
XENOFOBIA = RACISMO
CAUSAS
Com a crise na economia europeia asCom a crise na economia europeia as
coisas estão mudando...coisas estão mudando...
SÉCULO XXI: MIGRAÇÃO DE RETORNO
BRASIL → EUROPA → BRASIL
Distribuição da população européia
•Elevada densidade demográfica;
•Ocupação irregular;
•Contrastes da ocupação populacional.
Noruega ( baixa temperatura)
Leste Europeu ( semi-aridez)
Altas montanhas ( neves eternas)
Áreas planas
Áreas litorâneas
Vazios demográficos
Concentração populacional
A pobreza no Primeiro MundoA pobreza no Primeiro Mundo
A União Européia
registra um total de
62 milhões de
pobres. Com a
ampliação do bloco
em direção ao Leste
Europeu, é provável
que esse contingente
venha a crescer mais
ainda.
Pobre é considerado
todo aquele que
dispõe de menos da
metade da média
salarial do país onde
vive.
CONFLITOS NA EUROPACONFLITOS NA EUROPA
REGIÃO BASCA - ESPANHA
• Os bascos vivem no nordeste da
Espanha e no sudoeste da França.
• Os bascos têm mais de 5 mil anos
de história. Sua origem é
desconhecida.
• Hoje existem cerca de 500 mil
bascos habitando quatro províncias
espanholas e três francesas.
• Os bascos querem autonomia,
uma pátria independente.
• Durante a ditadura de Francisco
Franco na Espanha (ditadura
franquista), os bascos sofreram
forte repressão.
• A língua basca foi proibida,e seu ensino
constituía ato de subversão. O uso das
cores branco verde e vermelho, da
bandeira basca, era duramente punido.
• O quadro Guernica de Pablo Picasso,
retrata a devastação do território basco
pelos alemães nazistas durante a
Segunda Guerra.
• A organização separatista ETA,
originou-se da ala jovem do tradicional e
conservador (mas ilegal, sob a ditadura
de Franco) Partido Nacionalista Basco
(PNV). No início, a ETA limitou-se a uma
atividade de difusão cultural dos valores e
costumes bascos mas, a partir de 1966,
lançou-se à ação política e à luta armada.
• Atualmente, a maior parte da população
rechaça a luta armada, defendida pela ala
mais radical da ETA
CATALUNHA
Os catalães vivem no nordeste da Espanha,
uma das regiões mais ricas do continente
europeu.
O sonho de se separar da Espanha é antigo.
O processo de independência é complexo e
remonta à derrota da Catalunha na Guerra de
Sucessão de 1714, quando foi anulada a
Constituição da região autônoma e declarada
a dissolução das cortes.
Hoje, os movimentos pró-independência
tendem a crescer à medida que o país se
volta para seus problemas reais:
desemprego, paralisação econômica, déficit
em políticas sociais e dívida pública
crescente.
IRLANDA DO NORTE
Conflito entre católicos e protestantes.
Católicos Protestantes
Minoria(40%) Maioria (60%)
pobre rica
Querem se separar
do Reino Unido e
anexar-se à Irlanda.
Querem permanecer
anexados oa Reino
Unido
Para defender os interesses católicos surgiu o IRA ( Exército
Republicano Irlandês).
O IRA reclama a integração da Irlanda do Norte ao restante da
Republica da Irlanda, dentro de um regime democrático-
republicano.
Virou notícia! 02 de agosto, 2001
Bomba explode próximo a estação de metrô
de Londres
Uma bomba explodiu pouco antes da meia-
noite desta quinta-feira no oeste de
Londres, a cerca de cem metros da estação
de metrô de Ealing Broadway.
O grupo dissidente Real IRA foi
considerado responsável pelo explosivo. O
grupo republicano é contrário ao processo
de paz em curso na Irlanda do Norte.
BALCÃS
A região sempre foi um barril de
pólvora e até hoje possui um
baixo padrão de vida. O que
mantinha a antiga Iugoslávia
coesa era a mão de ferro do
Marechal Tito. Mas sua morte
em 1980 abriu espaço para a
manifestação de nacionalismos
reprimidos durante muito tempo.
Eslovênia, Croácia, Bósnia e
Macedônia conseguiram, a
muito custo, desvencilhar-se da
dura dominação sérvia.
Todo o processo de
fragmentação da Iugoslávia foi
conflituoso. Os Sérvios,
maioria étnica, não aceitaram a
fragmentação e iniciaram
conflitos.
O termo “limpeza étnica” voltou
a ser relacionado a um conflito.
Os sérvios promoveram
genocídios na Bósnia
(1992/1995) e em Kosovo
(segunda metade da década
de 1990).
Os conflitos foram contidos
pelas forças da ONU e da
OTAN.
O então líder sérvio, Slobodan
Milosevic, foi preso e acusado
de genocído e atentado contra
a humanidade.
Sarajevo –Bósnia
Kosovo - 1999
Depois da guerra, kosovo consegue certa autonomia em relação à Sérvia,
mas sua independência só aconteceu em 17 de fevereiro de 2008.
Alguns países não aceitaram a declaração de independência da província
balcânica.
17/02/2008 - 11h45 - Atualizado em 17/02/2008 - 13h46
Kosovo declara independência
Albano-kosovares celebram a decisão do
Parlamento nas ruas.
Sérvia e Rússia declararam-se contra a
independência da província.
Aula europa 2014 / Colégio São Francisco Xavier, Ipatinga - Minas Gerais

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A Colonização Da América Inglesa
A Colonização Da América InglesaA Colonização Da América Inglesa
A Colonização Da América Inglesakelvin45170
 
Conflitos Geopolíticos no Mundo
Conflitos Geopolíticos no MundoConflitos Geopolíticos no Mundo
Conflitos Geopolíticos no MundoVirna Salgado Barra
 
Slide conflitos mundiais
Slide  conflitos mundiaisSlide  conflitos mundiais
Slide conflitos mundiaisjulio2012souto
 
Imigração portuguesa no brasil
Imigração portuguesa no brasilImigração portuguesa no brasil
Imigração portuguesa no brasilLorrany Viana
 
Geografia - Os principais focos de tensão mundial
Geografia - Os principais focos de tensão mundialGeografia - Os principais focos de tensão mundial
Geografia - Os principais focos de tensão mundialCarson Souza
 
Aula 11 - Conflitos armados no mundo atual
Aula 11 - Conflitos armados no mundo atualAula 11 - Conflitos armados no mundo atual
Aula 11 - Conflitos armados no mundo atualGerson Coppes
 
Refugiados Africanos
Refugiados AfricanosRefugiados Africanos
Refugiados Africanoscarlosbidu
 
Soa a tempo o despertador
Soa a tempo o despertadorSoa a tempo o despertador
Soa a tempo o despertadorguestd10c02
 
Descolonização africana
Descolonização africanaDescolonização africana
Descolonização africanaCamila Brito
 
Atualidades Chromos 2016 - Sábado
Atualidades Chromos 2016 - Sábado Atualidades Chromos 2016 - Sábado
Atualidades Chromos 2016 - Sábado Léo Miranda
 
Descolonização da áfrica e ásia
Descolonização da áfrica e ásiaDescolonização da áfrica e ásia
Descolonização da áfrica e ásiaIsaquel Silva
 

Mais procurados (15)

A Colonização Da América Inglesa
A Colonização Da América InglesaA Colonização Da América Inglesa
A Colonização Da América Inglesa
 
Conflitos Geopolíticos no Mundo
Conflitos Geopolíticos no MundoConflitos Geopolíticos no Mundo
Conflitos Geopolíticos no Mundo
 
Portugal no sec xix
Portugal no sec xixPortugal no sec xix
Portugal no sec xix
 
Slide conflitos mundiais
Slide  conflitos mundiaisSlide  conflitos mundiais
Slide conflitos mundiais
 
Imigração portuguesa no brasil
Imigração portuguesa no brasilImigração portuguesa no brasil
Imigração portuguesa no brasil
 
Principais conflitos mundiais
Principais conflitos mundiaisPrincipais conflitos mundiais
Principais conflitos mundiais
 
ÁFRICA - Apartheid
ÁFRICA - ApartheidÁFRICA - Apartheid
ÁFRICA - Apartheid
 
Nacionalismos e separatismos
Nacionalismos e separatismosNacionalismos e separatismos
Nacionalismos e separatismos
 
Geografia - Os principais focos de tensão mundial
Geografia - Os principais focos de tensão mundialGeografia - Os principais focos de tensão mundial
Geografia - Os principais focos de tensão mundial
 
Aula 11 - Conflitos armados no mundo atual
Aula 11 - Conflitos armados no mundo atualAula 11 - Conflitos armados no mundo atual
Aula 11 - Conflitos armados no mundo atual
 
Refugiados Africanos
Refugiados AfricanosRefugiados Africanos
Refugiados Africanos
 
Soa a tempo o despertador
Soa a tempo o despertadorSoa a tempo o despertador
Soa a tempo o despertador
 
Descolonização africana
Descolonização africanaDescolonização africana
Descolonização africana
 
Atualidades Chromos 2016 - Sábado
Atualidades Chromos 2016 - Sábado Atualidades Chromos 2016 - Sábado
Atualidades Chromos 2016 - Sábado
 
Descolonização da áfrica e ásia
Descolonização da áfrica e ásiaDescolonização da áfrica e ásia
Descolonização da áfrica e ásia
 

Destaque

Regionalização do continente europeu
Regionalização do continente europeuRegionalização do continente europeu
Regionalização do continente europeuAbner de Paula
 
Aspectos Naturais Europa
Aspectos Naturais  EuropaAspectos Naturais  Europa
Aspectos Naturais EuropaLuiz Carlos
 
População europeia
População europeiaPopulação europeia
População europeiaAndré Aleixo
 
Geografia - Continente Europeu: População e Economia
Geografia -  Continente Europeu: População e EconomiaGeografia -  Continente Europeu: População e Economia
Geografia - Continente Europeu: População e EconomiaAndré Luiz Marques
 
DISTRIBUIÇÃO DA POPULAÇÃO
DISTRIBUIÇÃO DA POPULAÇÃO DISTRIBUIÇÃO DA POPULAÇÃO
DISTRIBUIÇÃO DA POPULAÇÃO abarros
 
Revisão de geografia europa - 9º ano
Revisão de geografia   europa - 9º anoRevisão de geografia   europa - 9º ano
Revisão de geografia europa - 9º anoSimone Aguiar
 

Destaque (16)

Regionalização do continente europeu
Regionalização do continente europeuRegionalização do continente europeu
Regionalização do continente europeu
 
Aspectos Naturais Europa
Aspectos Naturais  EuropaAspectos Naturais  Europa
Aspectos Naturais Europa
 
A população européia
A população européiaA população européia
A população européia
 
População da Europa
População da EuropaPopulação da Europa
População da Europa
 
Clima e formaçoes vegetais
Clima e formaçoes vegetaisClima e formaçoes vegetais
Clima e formaçoes vegetais
 
População europeia
População europeiaPopulação europeia
População europeia
 
União Europeia
União EuropeiaUnião Europeia
União Europeia
 
Geografia - Continente Europeu: População e Economia
Geografia -  Continente Europeu: População e EconomiaGeografia -  Continente Europeu: População e Economia
Geografia - Continente Europeu: População e Economia
 
Europa slides
Europa slidesEuropa slides
Europa slides
 
União europeia
União europeiaUnião europeia
União europeia
 
Continente Europeu
Continente EuropeuContinente Europeu
Continente Europeu
 
Geografia continente europeu
Geografia   continente europeuGeografia   continente europeu
Geografia continente europeu
 
DISTRIBUIÇÃO DA POPULAÇÃO
DISTRIBUIÇÃO DA POPULAÇÃO DISTRIBUIÇÃO DA POPULAÇÃO
DISTRIBUIÇÃO DA POPULAÇÃO
 
Europa aspectos gerais
Europa aspectos geraisEuropa aspectos gerais
Europa aspectos gerais
 
Geografia continente europeu
Geografia   continente europeuGeografia   continente europeu
Geografia continente europeu
 
Revisão de geografia europa - 9º ano
Revisão de geografia   europa - 9º anoRevisão de geografia   europa - 9º ano
Revisão de geografia europa - 9º ano
 

Semelhante a Aula europa 2014 / Colégio São Francisco Xavier, Ipatinga - Minas Gerais

Europa quadro socioeconomico
Europa   quadro socioeconomicoEuropa   quadro socioeconomico
Europa quadro socioeconomicoLuciano Pessanha
 
3 hugo chavez e a américa latina..
3   hugo chavez e a américa latina..3   hugo chavez e a américa latina..
3 hugo chavez e a américa latina..jonasnaia
 
ÁFRICA: FORMAÇÃO TERRITORIAL
ÁFRICA: FORMAÇÃO TERRITORIALÁFRICA: FORMAÇÃO TERRITORIAL
ÁFRICA: FORMAÇÃO TERRITORIALRenato Carvalho
 
7 ANO FORMAÇÃO DA POPULAÇÃO BRASILEIRA
7 ANO FORMAÇÃO DA POPULAÇÃO BRASILEIRA7 ANO FORMAÇÃO DA POPULAÇÃO BRASILEIRA
7 ANO FORMAÇÃO DA POPULAÇÃO BRASILEIRAfaf29
 
Descolonização da África
Descolonização da ÁfricaDescolonização da África
Descolonização da Áfricacarlosbidu
 
Imperialismo pelo mundo
Imperialismo pelo mundoImperialismo pelo mundo
Imperialismo pelo mundoVagner Roberto
 
Aula 2 Intensivo População Frente 2 Sartre
Aula 2 Intensivo População Frente 2 SartreAula 2 Intensivo População Frente 2 Sartre
Aula 2 Intensivo População Frente 2 SartreCADUCOC2
 
Apresentação lorrayne
Apresentação lorrayneApresentação lorrayne
Apresentação lorrayneCarla Teixeira
 
SÍNTESE 3º ANO - APOSTILA 2
SÍNTESE 3º ANO - APOSTILA 2SÍNTESE 3º ANO - APOSTILA 2
SÍNTESE 3º ANO - APOSTILA 2Silvaprado
 
Formação do povo brasileiro_7ano
Formação do povo brasileiro_7anoFormação do povo brasileiro_7ano
Formação do povo brasileiro_7anoSuely Takahashi
 
Imperialismo 2013
Imperialismo   2013Imperialismo   2013
Imperialismo 2013Profernanda
 
Descolonizaodafricaesia 130920152220-phpapp02
Descolonizaodafricaesia 130920152220-phpapp02Descolonizaodafricaesia 130920152220-phpapp02
Descolonizaodafricaesia 130920152220-phpapp02Junior Oliveira
 
Imperialismo ou Neocolonialismo.
Imperialismo ou Neocolonialismo.Imperialismo ou Neocolonialismo.
Imperialismo ou Neocolonialismo.Jéssica Santos
 
Imperialismo Módulo
Imperialismo Módulo Imperialismo Módulo
Imperialismo Módulo CarlosNazar1
 

Semelhante a Aula europa 2014 / Colégio São Francisco Xavier, Ipatinga - Minas Gerais (20)

Europa Sociedade CSFX
Europa Sociedade CSFXEuropa Sociedade CSFX
Europa Sociedade CSFX
 
Europa quadro socioeconomico
Europa   quadro socioeconomicoEuropa   quadro socioeconomico
Europa quadro socioeconomico
 
3 hugo chavez e a américa latina..
3   hugo chavez e a américa latina..3   hugo chavez e a américa latina..
3 hugo chavez e a américa latina..
 
ÁFRICA: FORMAÇÃO TERRITORIAL
ÁFRICA: FORMAÇÃO TERRITORIALÁFRICA: FORMAÇÃO TERRITORIAL
ÁFRICA: FORMAÇÃO TERRITORIAL
 
7 ANO FORMAÇÃO DA POPULAÇÃO BRASILEIRA
7 ANO FORMAÇÃO DA POPULAÇÃO BRASILEIRA7 ANO FORMAÇÃO DA POPULAÇÃO BRASILEIRA
7 ANO FORMAÇÃO DA POPULAÇÃO BRASILEIRA
 
Descolonização da África
Descolonização da ÁfricaDescolonização da África
Descolonização da África
 
Imperialismo pelo mundo
Imperialismo pelo mundoImperialismo pelo mundo
Imperialismo pelo mundo
 
Aula 2 Intensivo População Frente 2 Sartre
Aula 2 Intensivo População Frente 2 SartreAula 2 Intensivo População Frente 2 Sartre
Aula 2 Intensivo População Frente 2 Sartre
 
Imperialismo
ImperialismoImperialismo
Imperialismo
 
4 brasil colônia iv
4  brasil colônia iv4  brasil colônia iv
4 brasil colônia iv
 
Apresentação lorrayne
Apresentação lorrayneApresentação lorrayne
Apresentação lorrayne
 
SÍNTESE 3º ANO - APOSTILA 2
SÍNTESE 3º ANO - APOSTILA 2SÍNTESE 3º ANO - APOSTILA 2
SÍNTESE 3º ANO - APOSTILA 2
 
Formação do povo brasileiro_7ano
Formação do povo brasileiro_7anoFormação do povo brasileiro_7ano
Formação do povo brasileiro_7ano
 
Imperialismo
ImperialismoImperialismo
Imperialismo
 
CONTINENTE AFRICANO
CONTINENTE AFRICANOCONTINENTE AFRICANO
CONTINENTE AFRICANO
 
Imperialismo 2013
Imperialismo   2013Imperialismo   2013
Imperialismo 2013
 
Descolonizaodafricaesia 130920152220-phpapp02
Descolonizaodafricaesia 130920152220-phpapp02Descolonizaodafricaesia 130920152220-phpapp02
Descolonizaodafricaesia 130920152220-phpapp02
 
Imperialismo ou Neocolonialismo.
Imperialismo ou Neocolonialismo.Imperialismo ou Neocolonialismo.
Imperialismo ou Neocolonialismo.
 
Aula sobre Imperialismo
Aula sobre ImperialismoAula sobre Imperialismo
Aula sobre Imperialismo
 
Imperialismo Módulo
Imperialismo Módulo Imperialismo Módulo
Imperialismo Módulo
 

Mais de Fabiane Ferreira

Mais de Fabiane Ferreira (7)

Fontes de energia
Fontes de energia Fontes de energia
Fontes de energia
 
Europa - ASPETOS NATURAIS - 9º ANO
Europa - ASPETOS NATURAIS - 9º ANOEuropa - ASPETOS NATURAIS - 9º ANO
Europa - ASPETOS NATURAIS - 9º ANO
 
Cuba CSFX
Cuba CSFXCuba CSFX
Cuba CSFX
 
Estados Unidos CSFX
Estados Unidos CSFXEstados Unidos CSFX
Estados Unidos CSFX
 
América Latina CSFX
América Latina CSFXAmérica Latina CSFX
América Latina CSFX
 
China CSFX
China CSFXChina CSFX
China CSFX
 
Japão - CSFX ( Colégio São Francisco Xavier) Ipatinga - MG - Brasil
Japão - CSFX ( Colégio São Francisco Xavier) Ipatinga - MG - BrasilJapão - CSFX ( Colégio São Francisco Xavier) Ipatinga - MG - Brasil
Japão - CSFX ( Colégio São Francisco Xavier) Ipatinga - MG - Brasil
 

Último

Slides 1 - O gênero textual entrevista.pptx
Slides 1 - O gênero textual entrevista.pptxSlides 1 - O gênero textual entrevista.pptx
Slides 1 - O gênero textual entrevista.pptxSilvana Silva
 
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdf
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdfProva uniasselvi tecnologias da Informação.pdf
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdfArthurRomanof1
 
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasil
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 BrasilGoverno Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasil
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasillucasp132400
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
AD2 DIDÁTICA.KARINEROZA.SHAYANNE.BINC.ROBERTA.pptx
AD2 DIDÁTICA.KARINEROZA.SHAYANNE.BINC.ROBERTA.pptxAD2 DIDÁTICA.KARINEROZA.SHAYANNE.BINC.ROBERTA.pptx
AD2 DIDÁTICA.KARINEROZA.SHAYANNE.BINC.ROBERTA.pptxkarinedarozabatista
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniCassio Meira Jr.
 
“Sobrou pra mim” - Conto de Ruth Rocha.pptx
“Sobrou pra mim” - Conto de Ruth Rocha.pptx“Sobrou pra mim” - Conto de Ruth Rocha.pptx
“Sobrou pra mim” - Conto de Ruth Rocha.pptxthaisamaral9365923
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
E agora?! Já não avalio as atitudes e valores?
E agora?! Já não avalio as atitudes e valores?E agora?! Já não avalio as atitudes e valores?
E agora?! Já não avalio as atitudes e valores?Rosalina Simão Nunes
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxfabiolalopesmartins1
 
Bullying - Texto e cruzadinha
Bullying        -     Texto e cruzadinhaBullying        -     Texto e cruzadinha
Bullying - Texto e cruzadinhaMary Alvarenga
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 

Último (20)

Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
Slides 1 - O gênero textual entrevista.pptx
Slides 1 - O gênero textual entrevista.pptxSlides 1 - O gênero textual entrevista.pptx
Slides 1 - O gênero textual entrevista.pptx
 
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdf
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdfProva uniasselvi tecnologias da Informação.pdf
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdf
 
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasil
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 BrasilGoverno Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasil
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasil
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
AD2 DIDÁTICA.KARINEROZA.SHAYANNE.BINC.ROBERTA.pptx
AD2 DIDÁTICA.KARINEROZA.SHAYANNE.BINC.ROBERTA.pptxAD2 DIDÁTICA.KARINEROZA.SHAYANNE.BINC.ROBERTA.pptx
AD2 DIDÁTICA.KARINEROZA.SHAYANNE.BINC.ROBERTA.pptx
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 
“Sobrou pra mim” - Conto de Ruth Rocha.pptx
“Sobrou pra mim” - Conto de Ruth Rocha.pptx“Sobrou pra mim” - Conto de Ruth Rocha.pptx
“Sobrou pra mim” - Conto de Ruth Rocha.pptx
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
E agora?! Já não avalio as atitudes e valores?
E agora?! Já não avalio as atitudes e valores?E agora?! Já não avalio as atitudes e valores?
E agora?! Já não avalio as atitudes e valores?
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
 
Bullying - Texto e cruzadinha
Bullying        -     Texto e cruzadinhaBullying        -     Texto e cruzadinha
Bullying - Texto e cruzadinha
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 

Aula europa 2014 / Colégio São Francisco Xavier, Ipatinga - Minas Gerais

  • 1. EUROPA SOCIEDADE Fabiane Ferreira e Letícia Bastos CSFX -2014
  • 2. A Europa é o berço da população ocidental.A Europa é o berço da população ocidental. O “ velho continente” exerce forte atração populacional. CAUSAS: • Grande desenvolvimento econômico. • Possibilidade de trabalho. • Atrações culturais.
  • 3. Migrações Externas e InternasMigrações Externas e Internas Século XIX: saída de população da Europa (Emigração) Causas: · falta de trabalho; · terras disponíveis em outros continentes. Século XX: período pós-guerra - chegada de população na Europa (Imigração). Causas: · necessidade de mão-de-obra para reconstrução de países arrasados pela guerra; ·(hoje) necessidade de ampliação da PEA. Século XXI: migração de retorno para os países subdesenvolvidos. Causas: · falta de trabalho; · crise econômica mundial.
  • 5. O impacto do desenvolvimento industrialO impacto do desenvolvimento industrial sobre a população da Europasobre a população da Europa O desenvolvimento industrial levou a um rápido crescimento populacional. Causas:  urbanização; melhoria das condições de higiene e do saneamento básico;  avanço da medicina e descoberta de novos medicamentos.
  • 6. Início do século XX - Queda da natalidade CausasCausas • queda da mortalidade;queda da mortalidade; • dificuldade de manterdificuldade de manter padrão de vida;padrão de vida; • descoberta edescoberta e divulgação de métodosdivulgação de métodos contraceptivos;contraceptivos; • ingresso da mulher noingresso da mulher no mercado de trabalho.mercado de trabalho.
  • 7. França estimula natalidade e fazFrança estimula natalidade e faz campanha a favor do terceiro filhocampanha a favor do terceiro filho As francesas que derem à luz um terceiro filho poderão usufruir, se assim desejarem, de uma licença de maternidade mais curta (de três anos para um) mas melhor remunerada, com cerca de 750 euros por mês. A estas medidas somam- se auxílios mais elevados para as despesas com as crianças, creches gratuitas, descontos em restaurantes, supermercados, cinemas e transportes públicos e atividades extra-escolares a preços reduzidos.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12. A Europa é o único continente que apresentará declínio populacional.
  • 13. E no Brasil...E no Brasil...
  • 14. Consequências: • aumento do número de idosos; • redução da PEA; • escassez de mão-de-obra; • maiores gastos com o serviço de saúde e previdência social. • diminuição do mercado consumidor.
  • 16.
  • 17. A Europa precisa de trabalhadores! Problema social XENOFOBIA
  • 18.
  • 20. A “nova” Revolução Francesa Em 2005, na França distúrbios sociais foram liderados pro jovens negros e árabes, filhos de imigrantes do norte da áfric e do oriente Médio. Nos subúrbios franceses escolas e carros foram queimados. Era o protesto contra a exclusão social e o desemprego. nessa parcela da população o desemprego era o dobro d média nacional. O fato fez aumentar a xenofobia no país. O governo anunciou planos de controle sobre a imigração: “A França não aceitará mais estrangeiros – que ninguém que no mundo.”
  • 24.
  • 25. Fabricação de produtos industrializados fora da Europa Aversão aos im igrantes, discrim inação X en o fo b ia Im igrantes passaram a ser vistos com o concorrentes D im inuição dos p ostos de trabalho G lobalização XENOFOBIA = RACISMO CAUSAS
  • 26. Com a crise na economia europeia asCom a crise na economia europeia as coisas estão mudando...coisas estão mudando...
  • 27. SÉCULO XXI: MIGRAÇÃO DE RETORNO BRASIL → EUROPA → BRASIL
  • 28. Distribuição da população européia •Elevada densidade demográfica; •Ocupação irregular; •Contrastes da ocupação populacional. Noruega ( baixa temperatura) Leste Europeu ( semi-aridez) Altas montanhas ( neves eternas) Áreas planas Áreas litorâneas Vazios demográficos Concentração populacional
  • 29.
  • 30. A pobreza no Primeiro MundoA pobreza no Primeiro Mundo A União Européia registra um total de 62 milhões de pobres. Com a ampliação do bloco em direção ao Leste Europeu, é provável que esse contingente venha a crescer mais ainda. Pobre é considerado todo aquele que dispõe de menos da metade da média salarial do país onde vive.
  • 32. REGIÃO BASCA - ESPANHA • Os bascos vivem no nordeste da Espanha e no sudoeste da França. • Os bascos têm mais de 5 mil anos de história. Sua origem é desconhecida. • Hoje existem cerca de 500 mil bascos habitando quatro províncias espanholas e três francesas. • Os bascos querem autonomia, uma pátria independente. • Durante a ditadura de Francisco Franco na Espanha (ditadura franquista), os bascos sofreram forte repressão.
  • 33. • A língua basca foi proibida,e seu ensino constituía ato de subversão. O uso das cores branco verde e vermelho, da bandeira basca, era duramente punido. • O quadro Guernica de Pablo Picasso, retrata a devastação do território basco pelos alemães nazistas durante a Segunda Guerra. • A organização separatista ETA, originou-se da ala jovem do tradicional e conservador (mas ilegal, sob a ditadura de Franco) Partido Nacionalista Basco (PNV). No início, a ETA limitou-se a uma atividade de difusão cultural dos valores e costumes bascos mas, a partir de 1966, lançou-se à ação política e à luta armada. • Atualmente, a maior parte da população rechaça a luta armada, defendida pela ala mais radical da ETA
  • 34.
  • 35. CATALUNHA Os catalães vivem no nordeste da Espanha, uma das regiões mais ricas do continente europeu. O sonho de se separar da Espanha é antigo. O processo de independência é complexo e remonta à derrota da Catalunha na Guerra de Sucessão de 1714, quando foi anulada a Constituição da região autônoma e declarada a dissolução das cortes. Hoje, os movimentos pró-independência tendem a crescer à medida que o país se volta para seus problemas reais: desemprego, paralisação econômica, déficit em políticas sociais e dívida pública crescente.
  • 36. IRLANDA DO NORTE Conflito entre católicos e protestantes. Católicos Protestantes Minoria(40%) Maioria (60%) pobre rica Querem se separar do Reino Unido e anexar-se à Irlanda. Querem permanecer anexados oa Reino Unido
  • 37. Para defender os interesses católicos surgiu o IRA ( Exército Republicano Irlandês). O IRA reclama a integração da Irlanda do Norte ao restante da Republica da Irlanda, dentro de um regime democrático- republicano.
  • 38. Virou notícia! 02 de agosto, 2001 Bomba explode próximo a estação de metrô de Londres Uma bomba explodiu pouco antes da meia- noite desta quinta-feira no oeste de Londres, a cerca de cem metros da estação de metrô de Ealing Broadway. O grupo dissidente Real IRA foi considerado responsável pelo explosivo. O grupo republicano é contrário ao processo de paz em curso na Irlanda do Norte.
  • 39.
  • 40. BALCÃS A região sempre foi um barril de pólvora e até hoje possui um baixo padrão de vida. O que mantinha a antiga Iugoslávia coesa era a mão de ferro do Marechal Tito. Mas sua morte em 1980 abriu espaço para a manifestação de nacionalismos reprimidos durante muito tempo. Eslovênia, Croácia, Bósnia e Macedônia conseguiram, a muito custo, desvencilhar-se da dura dominação sérvia.
  • 41. Todo o processo de fragmentação da Iugoslávia foi conflituoso. Os Sérvios, maioria étnica, não aceitaram a fragmentação e iniciaram conflitos. O termo “limpeza étnica” voltou a ser relacionado a um conflito. Os sérvios promoveram genocídios na Bósnia (1992/1995) e em Kosovo (segunda metade da década de 1990). Os conflitos foram contidos pelas forças da ONU e da OTAN. O então líder sérvio, Slobodan Milosevic, foi preso e acusado de genocído e atentado contra a humanidade. Sarajevo –Bósnia Kosovo - 1999
  • 42. Depois da guerra, kosovo consegue certa autonomia em relação à Sérvia, mas sua independência só aconteceu em 17 de fevereiro de 2008. Alguns países não aceitaram a declaração de independência da província balcânica. 17/02/2008 - 11h45 - Atualizado em 17/02/2008 - 13h46 Kosovo declara independência Albano-kosovares celebram a decisão do Parlamento nas ruas. Sérvia e Rússia declararam-se contra a independência da província.