SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 7
Questão 01
Leia o texto a seguir para responder à questão.
CARTA DE PERO VAZ
A terra é mui graciosa,
Tão fértil eu nunca vi.
A gente vai passear,
No chão espeta um caniço,
No dia seguinte nasce
Bengala de castão de oiro.
Tem goiabas, melancias.
Banana que nem chuchu.
Quanto aos bichos, tem-nos muitos.
De plumagens mui vistosas.
Tem macaco até demais.
Diamantes tem à vontade,
Esmeralda é para os trouxas.
Reforçai, Senhor, a arca.
Cruzados não faltarão,
Vossa perna encanareis,
Salvo o devido respeito.
Ficarei muito saudoso
Se for embora d'aqui.
(Murilo Mendes)
castão - remate superior de uma bengala;
cruzado - antiga moeda portuguesa;
vossa perna encanareis - a expressão quer dizer que o rei "estava mal das pernas", isto é, sem dinheiro, "quebrado".
As riquezas do Brasil poderão tirá-lo dessa situação.
Há nesse texto uma sátira à expressão "dar-se-á nela tudo", contida na Carta de Caminha. Marque a alternativa que
confirma essa tendência.
a) "Tem goiabas, melancias Banana que nem chuchu."
b) ( ... ) "No chão espeta um caniço, No dia seguinte nasce Bengala de castão de oiro."
c) "A terra é mui graciosa Tão fértil eu nunca vi."
d) "Quanto aos bichos, tem-nos muitos De plumagens mui vistosas. Tem macaco até demais."
e) "Diamantes tem à vontade, Esmeralda é para os trouxas. Reforçai, Senhor, a arca.
Questão 02.
Observe as imagens abaixo:
Imagem 1
Imagem 2
SCHWARCZ, Lilia M. (org.). História da vida privada no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.
A televisão tornou-se, nos últimos trinta anos, o principal meio de comunicação na sociedade brasileira.
As duas imagens possibilitam a identificação da seguinte característica dessa expansão e um de seus efeitos:
a) difusão tecnológica – aumento da inclusão social
b) substituição da radiodifusão – ampliação dos direitos de cidadania
c) popularização dos programas transmitidos – massificação dos hábitos de consumo
d) diminuição do consumo de materiais impressos – alienação em relação aos valores culturais
Questão 03
A rede McDonald’s foi fundada na década de 1940 por Dick e Maurice McDonald, mas comprada e vastamente
expandida por Ray Kroc a partir dos anos 1950. Kroc, um imigrante tcheco, foi aparentemente o primeiro empresário que
aplicou os princípios da produção em massa a um setor de serviços. Em conseqüência de suas inovações, hoje cerca de
50 milhões de pessoas por dia comem em um McDonald’s em mais de 120 países.
A rede McDonald’s tornou-se um dos símbolos de algumas das principais mudanças, ocorridas em diversos países, nos
últimos cinqüenta anos. Sua história se confunde com a das relações econômicas internacionais.
Uma mudança que pode ser representada pela expansão dessa rede e sua respectiva causa histórica são:
a) mundialização da cultura – extinção da dualidade local/global
b) padronização do consumo – expansão de empresas transnacionais
c) americanização dos costumes – internacionalização tecnológica do setor industrial
d) uniformização dos hábitos alimentares – integração mundial dos mercados nacionais
As questões de 04 a 06 referem-se ao texto abaixo.
O lado soft do metal
O canadense Sam Dunn estudava refugiados guatemaltecos, mas resolveu voltar seu foco para outra “tribo”: fãs
e músicos do heavy metal. Depois de cinco anos de filmagens, o antropólogo, fã do gênero, e o (co-diretor) Scot
McFadyen lançaram o documentário “Metal: a Headbanger’s Journey”, exibido em algumas cidades do Canadá,
EUA e Inglaterra e com DVD à venda na internet. Dunn acredita que alcançou seu objetivo principal:
desmistificar a imagem dos “metaleiros” como violentos e ignorantes. A maior polêmica abordada no filme diz
respeito aos incêndios em igrejas cristãs na Noruega, no começo dos anos 90, provocados por pessoas
envolvidas com o black metal, como o músico Jorn Tunsberg. “O cristianismo norueguês é uma força limitadora
para muitos jovens, e o metal fornece escape para eles se rebelarem. Os incêndios têm mais relação com esse
ressentimento do que com a música em si”, afirma.
Fonte: Adaptado da Revista Galileu. São Paulo, n.o 180, Editora Globo, jul. 2006, p.11.
Questão 04
Quanto ao texto, é correto afirmar que o objetivo fundamental é:
a) Articular argumentos em defesa de determinado comportamento.
b) Divulgar estudo científico sobre determinado comportamento.
c) Prescrever, cientificamente, modos diferenciados de comportamento.
d) Descrever, em termos científicos, determinado comportamento.
e) Promover a ironia sobre determinado comportamento exótico.
Questão 05
É correto afirmar que o heavy metal constitui-se um gênero musical controverso porque:
a) Pode ser um movimento libertador.
b) Os “metaleiros” são ignorantes e violentos.
c) O cristianismo norueguês é limitador.
d) Desvela a grande revolta dos “metaleiros”.
e) O antropólogo mudou o foco de sua pesquisa.
Questão 06
O estrangeirismo, no título do texto, é utilizado para captar o contraditório. É correto afirmar que, usando o
estrangeirismo, o autor recorreu a um recurso denominado:
a) Eufemismo
b) Antítese.
c) Aliteração
d) Onomatopéia.
e) Hipérbole.
A questão 07 refere-se ao texto abaixo.
Fonte: Revista Veja
Questão 07
Pelo conteúdo do texto e pelos seus conhecimentos sobre o assunto, é correto afirmar que:
a) Todas as autoridades deveriam agir como o presidente do Irã e o presidente da Câmara dos Deputados do Brasil,
lutando em favor da pureza da língua, eliminando todos os estrangeirismos.
b) Nem todos os estrangeirismos podem ser eliminados de uma língua, mas os presidentes, tanto o do Irã como o da
Câmara dos Deputados do Brasil, conseguiram eliminar boa parte deles.
c) É preciso ser “malucão” para ter idéias como as que têm essas duas figuras públicas e assim substituir, com êxito,
palavras estrangeiras por outras nacionais.
d) Aldo Rebelo foi um exemplo de patriota, pois, eliminando os estrangeirismos do português do Brasil, está servindo de
modelo para o presidente do Irã.
e) O presidente da Câmara no Brasil já tentou eliminar os estrangeirismos da língua portuguesa. No Oriente
Médio, quem realmente tentará impedir, por força de lei, a contaminação do farsi será o presidente do Irã.
Questão 08
Pero Vaz de Caminha, referindo-se aos indígenas escreveu:
“E naquilo sempre mais me convenço que são como aves ou animais montesinhos, aos quais faz o ar melhor pena e
melhor cabelo que aos mansos, porque os seus corpos são tão limpos, tão gordos e formosos, a não mais poder.” […]
“Parece-me gente de tal inocência que, se nós entendêssemos a sua fala e eles a nossa, seriam logo cristãos, visto que
não têm nem entendem crença alguma, segundo as aparências. E, portanto, se os degredados que aqui hão de ficar
aprenderem bem a sua fala e eles a nossa, não duvido que eles, segundo a santa tenção de Vossa Alteza, se farão
cristãos e hão de crer na nossa santa fé, à qual praza a Nosso Senhor que os traga, porque certamente esta gente é boa
e de bela simplicidade. E imprimir-se-á facilmente neles todo e qualquer cunho que lhes quiserem dar, uma vez que
Nosso Senhor lhes deu bons corpos e bons rostos, como a homens bons. E o fato de Ele nos haver até aqui trazido,
creio que não o foi sem causa. E portanto, Vossa Alteza, que tanto deseja acrescentar à santa fé católica, deve cuidar da
salvação deles. E aprazerá Deus que com pouco trabalho seja assim.” […]
“Eles não lavram nem criam. Não há aqui boi ou vaca, cabra, ovelha ou galinha, ou qualquer outro animal que esteja
acostumado ao convívio com o homem. E não comem senão deste inhame, de que aqui há muito, e dessas sementes e
frutos que a terra e as árvores de si deitam. E com isto andam tais e tão rijos e tão nédios que o não somos nós tanto,
com quanto trigo e legumes comemos.”
CASTRO, Silvio. A carta de Pero Vaz de Caminha. Porto Alegre: L&PM, 1996.
A carta de Pero Vaz de Caminha, é reconhecida como o primeiro documento escrito em língua portuguesa no território
onde hoje é o Brasil. Ela apresentava ao Rei de Portugal as primeiras impressões da terra recém-conquistada.
Sobre a chegada dos portugueses ao Brasil e o contexto da expansão marítima europeia, é CORRETO afirmar que:
a) Caminha, numa visão eurocentrista, exalta a cultura do “descobridor”, menosprezando todos os aspectos referentes
ao modo de vida dos nativos, por exemplo, a não exploração daqueles mamíferos placentários exóticos, citados na carta,
introduzidos no Brasil quando da colonização.
b) Caminha realiza, através de farta adjetivação, descrições botânicas minuciosas acerca da flora da nova terra,
destacando o tipo de alimentação do europeu — rica em vitaminas e sais minerais — em contraposição à indígena, que
é rica em lipídios.
c) A religiosidade está presente ao longo do texto, quando se constata que o emissor, tendo em mente a conversão dos
índios à “santa fé católica” — pretensão dos europeus conquistadores —, ressalta positivamente a existência de crenças
animistas entre os nativos.
d) Na carta de Pero Vaz de Caminha, que apresenta linguagem formal, por ser o rei português o destinatário, há
forte preocupação com aspectos da necessária conversão dos índios ao catolicismo, no contexto de crise
religiosa na Europa.
e) Ao realizar concomitantemente a narração e a descrição dos hábitos dos nativos, o remetente destaca informações
não só do habitat como dos usos e costumes indígenas, exaltando o cultivo das plantas de lavouras e dos pomares.
Questão 09
Pneumotórax
Febre, hemoptise, dispnéia e suores noturnos.
A vida inteira que podia ter sido e que não foi.
Tosse, tosse, tosse.
Mandou chamar o médico:
- Diga trinta e três.
- Trinta e três... trinta e três... trinta e três...
- Respire.
- O senhor tem uma escavação no pulmão esquerdo e o pulmão direito infiltrado.
- Então, doutor, não é possível tentar o pneumotórax?
- Não. A única coisa a fazer é tocar um tango argentino.
"Pneumotórax", palavra que dá título ao famoso poema de Manuel Bandeira, é vocábulo constituído de dois radicais
gregos (pneum[o]- + -tórax]. Significa o procedimento médico que consiste na introdução de ar na cavidade pleural,
como forma de tratamento de moléstias pulmonares, particularmente a tuberculose. Tal enfermidade é referida no
diálogo entre médico e paciente, quando o primeiro explica a seu cliente que ele tem "uma escavação no pulmão
esquerdo e o pulmão direito infiltrado". Esta última palavra é formada com base em um radical: "filtro". Quanto à
formação vocabular, o título do poema e o vocábulo "infiltrado" são constituídos, respectivamente, por
a) composição, e derivação prefixal e sufixal.
b) derivação prefixal e sufixal, e composição.
c) composição por hibridismo, e composição prefixal e sufixal.
d) simples flexão, e derivação prefixal e sufixal.
e) simples derivação, e composição sufixal e prefixal.
Questão 10
Seu metaléxico
economiopia
desenvolvimentir
utopiada
consumidoidos
patriotários
suicidadãos
José Paulo Paes
A palavra "economiopia" segue o mesmo modelo de formação lexical presente em
a) "Aguardente".
b) "Pé-de-moleque".
c) "Passatempo".
d) "Minissaia".
e) "Antidemocrático".
Questão 10
Seu metaléxico
economiopia
desenvolvimentir
utopiada
consumidoidos
patriotários
suicidadãos
José Paulo Paes
A palavra "economiopia" segue o mesmo modelo de formação lexical presente em
a) "Aguardente".
b) "Pé-de-moleque".
c) "Passatempo".
d) "Minissaia".
e) "Antidemocrático".

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Figuras de linguagem exercícios
Figuras de linguagem   exercíciosFiguras de linguagem   exercícios
Figuras de linguagem exercíciosNAPNE
 
Figuras de linguagem para aula 1 ano
Figuras de linguagem para aula 1 anoFiguras de linguagem para aula 1 ano
Figuras de linguagem para aula 1 anomfmpafatima
 
Advérbios: PowerPoint
Advérbios: PowerPointAdvérbios: PowerPoint
Advérbios: PowerPointA. Simoes
 
Slide Orações Subordinadas
Slide Orações SubordinadasSlide Orações Subordinadas
Slide Orações SubordinadasJomari
 
Objeto direto e indireto
Objeto direto e indiretoObjeto direto e indireto
Objeto direto e indiretoEdgar Filho
 
Figuras de linguagem
Figuras  de  linguagemFiguras  de  linguagem
Figuras de linguagemLeila nny
 
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdfFICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdfNatália Moura
 
Personificação (figura de linguagem)
Personificação (figura de linguagem)Personificação (figura de linguagem)
Personificação (figura de linguagem)Denise
 
Aula 2 sujeito e predicado 7°ano_1°p
Aula 2 sujeito e predicado 7°ano_1°pAula 2 sujeito e predicado 7°ano_1°p
Aula 2 sujeito e predicado 7°ano_1°pViviane Oliveira
 

Mais procurados (20)

Figuras de linguagem exercícios
Figuras de linguagem   exercíciosFiguras de linguagem   exercícios
Figuras de linguagem exercícios
 
Atividade anaf cataf 9 ano dinarte
Atividade anaf cataf 9 ano dinarteAtividade anaf cataf 9 ano dinarte
Atividade anaf cataf 9 ano dinarte
 
Variedades linguisticas
Variedades linguisticasVariedades linguisticas
Variedades linguisticas
 
Variedades linguísticas
Variedades linguísticasVariedades linguísticas
Variedades linguísticas
 
Figuras de linguagem para aula 1 ano
Figuras de linguagem para aula 1 anoFiguras de linguagem para aula 1 ano
Figuras de linguagem para aula 1 ano
 
Período composto por coordenação
Período composto por coordenaçãoPeríodo composto por coordenação
Período composto por coordenação
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
 
Advérbios: PowerPoint
Advérbios: PowerPointAdvérbios: PowerPoint
Advérbios: PowerPoint
 
Atividade de português: Orações coordenadas sindéticas – 8º ou 9º ano ...
   Atividade de português: Orações coordenadas sindéticas – 8º ou 9º ano     ...   Atividade de português: Orações coordenadas sindéticas – 8º ou 9º ano     ...
Atividade de português: Orações coordenadas sindéticas – 8º ou 9º ano ...
 
Conto de terror- Estudo de gêneros textuais
Conto de terror- Estudo de gêneros textuaisConto de terror- Estudo de gêneros textuais
Conto de terror- Estudo de gêneros textuais
 
Slide Orações Subordinadas
Slide Orações SubordinadasSlide Orações Subordinadas
Slide Orações Subordinadas
 
Objeto direto e indireto
Objeto direto e indiretoObjeto direto e indireto
Objeto direto e indireto
 
Slide implicito e explicito
Slide implicito e explicitoSlide implicito e explicito
Slide implicito e explicito
 
Locução verbal
Locução verbalLocução verbal
Locução verbal
 
Figuras de linguagem
Figuras  de  linguagemFiguras  de  linguagem
Figuras de linguagem
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
 
Discurso direto, indireto e indireto livre
Discurso direto, indireto e indireto livreDiscurso direto, indireto e indireto livre
Discurso direto, indireto e indireto livre
 
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdfFICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
 
Personificação (figura de linguagem)
Personificação (figura de linguagem)Personificação (figura de linguagem)
Personificação (figura de linguagem)
 
Aula 2 sujeito e predicado 7°ano_1°p
Aula 2 sujeito e predicado 7°ano_1°pAula 2 sujeito e predicado 7°ano_1°p
Aula 2 sujeito e predicado 7°ano_1°p
 

Destaque

UNICENTRO 2010 objetiva
UNICENTRO 2010 objetivaUNICENTRO 2010 objetiva
UNICENTRO 2010 objetivacursohistoria
 
Terceira aplicação do enem 2014: Literatura
Terceira aplicação do enem 2014: LiteraturaTerceira aplicação do enem 2014: Literatura
Terceira aplicação do enem 2014: Literaturama.no.el.ne.ves
 
Estrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavrasEstrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavrasMila E Wlamir
 
UERJ 2º exam. de qualificação (vest. 2012)
UERJ 2º exam. de qualificação (vest. 2012)UERJ 2º exam. de qualificação (vest. 2012)
UERJ 2º exam. de qualificação (vest. 2012)jullyvi
 
Exercícios sobre figuras de linguagem
Exercícios sobre figuras de linguagemExercícios sobre figuras de linguagem
Exercícios sobre figuras de linguagemma.no.el.ne.ves
 
Kit de grupos 2013 Cafe des Artistes
Kit de grupos 2013 Cafe des ArtistesKit de grupos 2013 Cafe des Artistes
Kit de grupos 2013 Cafe des ArtistesCafé des Artistes
 
Terceira aplicação do enem 2014, identidades brasileiras
Terceira aplicação do enem 2014, identidades brasileirasTerceira aplicação do enem 2014, identidades brasileiras
Terceira aplicação do enem 2014, identidades brasileirasma.no.el.ne.ves
 
Prova ssa3 i primeiro dia
Prova ssa3 i primeiro diaProva ssa3 i primeiro dia
Prova ssa3 i primeiro diapepontocom
 
Gabarito 2o simulado-sas-enem_1o_dia
Gabarito 2o simulado-sas-enem_1o_diaGabarito 2o simulado-sas-enem_1o_dia
Gabarito 2o simulado-sas-enem_1o_diaIsaquel Silva
 
Livro aprender mais_portugues_ens_medio5
Livro aprender mais_portugues_ens_medio5Livro aprender mais_portugues_ens_medio5
Livro aprender mais_portugues_ens_medio5elannialins
 
Terceira aplicação do enem 2014: Compreensão textual
Terceira aplicação do enem 2014: Compreensão textualTerceira aplicação do enem 2014: Compreensão textual
Terceira aplicação do enem 2014: Compreensão textualma.no.el.ne.ves
 
Gabarito 3o simulado-sas-enem_1o_dia
Gabarito 3o simulado-sas-enem_1o_diaGabarito 3o simulado-sas-enem_1o_dia
Gabarito 3o simulado-sas-enem_1o_diaIsaquel Silva
 
Segunda aplicação do enem 2012, aspectos gramaticais
Segunda aplicação do enem 2012, aspectos gramaticaisSegunda aplicação do enem 2012, aspectos gramaticais
Segunda aplicação do enem 2012, aspectos gramaticaisma.no.el.ne.ves
 
Comentarios simulado sas-enem-2o_dia_2013
Comentarios simulado sas-enem-2o_dia_2013Comentarios simulado sas-enem-2o_dia_2013
Comentarios simulado sas-enem-2o_dia_2013Isaquel Silva
 
Gabarito epcar 2016
Gabarito epcar 2016Gabarito epcar 2016
Gabarito epcar 2016Josiel Silva
 
Comentarios simulado sas-enem-1o_dia_2013
Comentarios simulado sas-enem-1o_dia_2013Comentarios simulado sas-enem-1o_dia_2013
Comentarios simulado sas-enem-1o_dia_2013Isaquel Silva
 

Destaque (20)

UNICENTRO 2010 objetiva
UNICENTRO 2010 objetivaUNICENTRO 2010 objetiva
UNICENTRO 2010 objetiva
 
Terceira aplicação do enem 2014: Literatura
Terceira aplicação do enem 2014: LiteraturaTerceira aplicação do enem 2014: Literatura
Terceira aplicação do enem 2014: Literatura
 
Uel 2007
Uel 2007Uel 2007
Uel 2007
 
Estrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavrasEstrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavras
 
Trabalho prático obrigatório n º 1
Trabalho prático obrigatório n º 1Trabalho prático obrigatório n º 1
Trabalho prático obrigatório n º 1
 
UERJ 2º exam. de qualificação (vest. 2012)
UERJ 2º exam. de qualificação (vest. 2012)UERJ 2º exam. de qualificação (vest. 2012)
UERJ 2º exam. de qualificação (vest. 2012)
 
Exercícios sobre figuras de linguagem
Exercícios sobre figuras de linguagemExercícios sobre figuras de linguagem
Exercícios sobre figuras de linguagem
 
Simbolismo no enem
Simbolismo no enemSimbolismo no enem
Simbolismo no enem
 
Kit de grupos 2013 Cafe des Artistes
Kit de grupos 2013 Cafe des ArtistesKit de grupos 2013 Cafe des Artistes
Kit de grupos 2013 Cafe des Artistes
 
Terceira aplicação do enem 2014, identidades brasileiras
Terceira aplicação do enem 2014, identidades brasileirasTerceira aplicação do enem 2014, identidades brasileiras
Terceira aplicação do enem 2014, identidades brasileiras
 
Prova ssa3 i primeiro dia
Prova ssa3 i primeiro diaProva ssa3 i primeiro dia
Prova ssa3 i primeiro dia
 
Gabarito 2o simulado-sas-enem_1o_dia
Gabarito 2o simulado-sas-enem_1o_diaGabarito 2o simulado-sas-enem_1o_dia
Gabarito 2o simulado-sas-enem_1o_dia
 
Livro aprender mais_portugues_ens_medio5
Livro aprender mais_portugues_ens_medio5Livro aprender mais_portugues_ens_medio5
Livro aprender mais_portugues_ens_medio5
 
Terceira aplicação do enem 2014: Compreensão textual
Terceira aplicação do enem 2014: Compreensão textualTerceira aplicação do enem 2014: Compreensão textual
Terceira aplicação do enem 2014: Compreensão textual
 
Gabarito 3o simulado-sas-enem_1o_dia
Gabarito 3o simulado-sas-enem_1o_diaGabarito 3o simulado-sas-enem_1o_dia
Gabarito 3o simulado-sas-enem_1o_dia
 
Segunda aplicação do enem 2012, aspectos gramaticais
Segunda aplicação do enem 2012, aspectos gramaticaisSegunda aplicação do enem 2012, aspectos gramaticais
Segunda aplicação do enem 2012, aspectos gramaticais
 
AULÃO - SEGUNDO ANO
AULÃO - SEGUNDO ANOAULÃO - SEGUNDO ANO
AULÃO - SEGUNDO ANO
 
Comentarios simulado sas-enem-2o_dia_2013
Comentarios simulado sas-enem-2o_dia_2013Comentarios simulado sas-enem-2o_dia_2013
Comentarios simulado sas-enem-2o_dia_2013
 
Gabarito epcar 2016
Gabarito epcar 2016Gabarito epcar 2016
Gabarito epcar 2016
 
Comentarios simulado sas-enem-1o_dia_2013
Comentarios simulado sas-enem-1o_dia_2013Comentarios simulado sas-enem-1o_dia_2013
Comentarios simulado sas-enem-1o_dia_2013
 

Semelhante a Língua portuguesa estrangeirismo

História
HistóriaHistória
Históriabjsjd
 
Ra ef-hi-01População mineira e brasileira: várias origens, várias histórias.
Ra ef-hi-01População mineira e brasileira: várias origens, várias histórias.Ra ef-hi-01População mineira e brasileira: várias origens, várias histórias.
Ra ef-hi-01População mineira e brasileira: várias origens, várias histórias.Lauri Rene Reis Filho
 
As primeiras visões do brasil
As primeiras visões do brasilAs primeiras visões do brasil
As primeiras visões do brasilVIVIAN TROMBINI
 
As primeiras visões do brasil
As primeiras visões do brasilAs primeiras visões do brasil
As primeiras visões do brasilVIVIAN TROMBINI
 
Mitologia celta
Mitologia celtaMitologia celta
Mitologia celtaNunes 777
 
Roteiro Primeiro povoadores ameríndios e suas origens
Roteiro Primeiro povoadores ameríndios e suas origensRoteiro Primeiro povoadores ameríndios e suas origens
Roteiro Primeiro povoadores ameríndios e suas origensLauri Rene Reis Filho
 
Prova Enem 2016 - Caderno Azul - Primeiro dia/Segunda aplicação
Prova Enem 2016  - Caderno Azul - Primeiro dia/Segunda aplicaçãoProva Enem 2016  - Caderno Azul - Primeiro dia/Segunda aplicação
Prova Enem 2016 - Caderno Azul - Primeiro dia/Segunda aplicaçãoEnem Te Conto
 
LITERATURA INFORMATIVA E JESUÍTICA
LITERATURA INFORMATIVA E JESUÍTICA LITERATURA INFORMATIVA E JESUÍTICA
LITERATURA INFORMATIVA E JESUÍTICA Italo Delavechia
 

Semelhante a Língua portuguesa estrangeirismo (20)

1º ano a e b
1º ano a e b1º ano a e b
1º ano a e b
 
Trabalho de historia brasil colonia e imperio
Trabalho de historia brasil colonia e imperioTrabalho de historia brasil colonia e imperio
Trabalho de historia brasil colonia e imperio
 
Trabalho de historia brasil colonia e imperio
Trabalho de historia brasil colonia e imperioTrabalho de historia brasil colonia e imperio
Trabalho de historia brasil colonia e imperio
 
Avaliaçao hist 9 e 1 ano
Avaliaçao hist 9 e 1 anoAvaliaçao hist 9 e 1 ano
Avaliaçao hist 9 e 1 ano
 
História
HistóriaHistória
História
 
Diagnostica historia 7ano1
Diagnostica historia 7ano1Diagnostica historia 7ano1
Diagnostica historia 7ano1
 
Ra ef-hi-01População mineira e brasileira: várias origens, várias histórias.
Ra ef-hi-01População mineira e brasileira: várias origens, várias histórias.Ra ef-hi-01População mineira e brasileira: várias origens, várias histórias.
Ra ef-hi-01População mineira e brasileira: várias origens, várias histórias.
 
Lit.informativa
Lit.informativaLit.informativa
Lit.informativa
 
Avaliação sobre o início da colonização do Brasil
Avaliação sobre o início da colonização do BrasilAvaliação sobre o início da colonização do Brasil
Avaliação sobre o início da colonização do Brasil
 
Lit.Informativa[1]
Lit.Informativa[1]Lit.Informativa[1]
Lit.Informativa[1]
 
As primeiras visões do brasil
As primeiras visões do brasilAs primeiras visões do brasil
As primeiras visões do brasil
 
As primeiras visões do brasil
As primeiras visões do brasilAs primeiras visões do brasil
As primeiras visões do brasil
 
Mitologia celta
Mitologia celtaMitologia celta
Mitologia celta
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
 
Lit Informativa
Lit InformativaLit Informativa
Lit Informativa
 
Roteiro Primeiro povoadores ameríndios e suas origens
Roteiro Primeiro povoadores ameríndios e suas origensRoteiro Primeiro povoadores ameríndios e suas origens
Roteiro Primeiro povoadores ameríndios e suas origens
 
Questões do ENEM
Questões do ENEMQuestões do ENEM
Questões do ENEM
 
Prova Enem 2016 - Caderno Azul - Primeiro dia/Segunda aplicação
Prova Enem 2016  - Caderno Azul - Primeiro dia/Segunda aplicaçãoProva Enem 2016  - Caderno Azul - Primeiro dia/Segunda aplicação
Prova Enem 2016 - Caderno Azul - Primeiro dia/Segunda aplicação
 
LITERATURA INFORMATIVA E JESUÍTICA
LITERATURA INFORMATIVA E JESUÍTICA LITERATURA INFORMATIVA E JESUÍTICA
LITERATURA INFORMATIVA E JESUÍTICA
 
Avaliação proeb língua portuguesa 3º ano - em
Avaliação proeb língua portuguesa   3º ano - emAvaliação proeb língua portuguesa   3º ano - em
Avaliação proeb língua portuguesa 3º ano - em
 

Último

Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfKelly Mendes
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguaKelly Mendes
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdfLindinhaSilva1
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxprofbrunogeo95
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024azulassessoria9
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 

Último (20)

Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 

Língua portuguesa estrangeirismo

  • 1. Questão 01 Leia o texto a seguir para responder à questão. CARTA DE PERO VAZ A terra é mui graciosa, Tão fértil eu nunca vi. A gente vai passear, No chão espeta um caniço, No dia seguinte nasce Bengala de castão de oiro. Tem goiabas, melancias. Banana que nem chuchu. Quanto aos bichos, tem-nos muitos. De plumagens mui vistosas. Tem macaco até demais. Diamantes tem à vontade, Esmeralda é para os trouxas. Reforçai, Senhor, a arca. Cruzados não faltarão, Vossa perna encanareis, Salvo o devido respeito. Ficarei muito saudoso Se for embora d'aqui. (Murilo Mendes) castão - remate superior de uma bengala; cruzado - antiga moeda portuguesa; vossa perna encanareis - a expressão quer dizer que o rei "estava mal das pernas", isto é, sem dinheiro, "quebrado". As riquezas do Brasil poderão tirá-lo dessa situação. Há nesse texto uma sátira à expressão "dar-se-á nela tudo", contida na Carta de Caminha. Marque a alternativa que confirma essa tendência. a) "Tem goiabas, melancias Banana que nem chuchu." b) ( ... ) "No chão espeta um caniço, No dia seguinte nasce Bengala de castão de oiro." c) "A terra é mui graciosa Tão fértil eu nunca vi." d) "Quanto aos bichos, tem-nos muitos De plumagens mui vistosas. Tem macaco até demais." e) "Diamantes tem à vontade, Esmeralda é para os trouxas. Reforçai, Senhor, a arca. Questão 02. Observe as imagens abaixo: Imagem 1
  • 2. Imagem 2 SCHWARCZ, Lilia M. (org.). História da vida privada no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. A televisão tornou-se, nos últimos trinta anos, o principal meio de comunicação na sociedade brasileira. As duas imagens possibilitam a identificação da seguinte característica dessa expansão e um de seus efeitos: a) difusão tecnológica – aumento da inclusão social b) substituição da radiodifusão – ampliação dos direitos de cidadania c) popularização dos programas transmitidos – massificação dos hábitos de consumo d) diminuição do consumo de materiais impressos – alienação em relação aos valores culturais Questão 03 A rede McDonald’s foi fundada na década de 1940 por Dick e Maurice McDonald, mas comprada e vastamente expandida por Ray Kroc a partir dos anos 1950. Kroc, um imigrante tcheco, foi aparentemente o primeiro empresário que aplicou os princípios da produção em massa a um setor de serviços. Em conseqüência de suas inovações, hoje cerca de 50 milhões de pessoas por dia comem em um McDonald’s em mais de 120 países. A rede McDonald’s tornou-se um dos símbolos de algumas das principais mudanças, ocorridas em diversos países, nos últimos cinqüenta anos. Sua história se confunde com a das relações econômicas internacionais. Uma mudança que pode ser representada pela expansão dessa rede e sua respectiva causa histórica são: a) mundialização da cultura – extinção da dualidade local/global b) padronização do consumo – expansão de empresas transnacionais
  • 3. c) americanização dos costumes – internacionalização tecnológica do setor industrial d) uniformização dos hábitos alimentares – integração mundial dos mercados nacionais As questões de 04 a 06 referem-se ao texto abaixo. O lado soft do metal O canadense Sam Dunn estudava refugiados guatemaltecos, mas resolveu voltar seu foco para outra “tribo”: fãs e músicos do heavy metal. Depois de cinco anos de filmagens, o antropólogo, fã do gênero, e o (co-diretor) Scot McFadyen lançaram o documentário “Metal: a Headbanger’s Journey”, exibido em algumas cidades do Canadá, EUA e Inglaterra e com DVD à venda na internet. Dunn acredita que alcançou seu objetivo principal: desmistificar a imagem dos “metaleiros” como violentos e ignorantes. A maior polêmica abordada no filme diz respeito aos incêndios em igrejas cristãs na Noruega, no começo dos anos 90, provocados por pessoas envolvidas com o black metal, como o músico Jorn Tunsberg. “O cristianismo norueguês é uma força limitadora para muitos jovens, e o metal fornece escape para eles se rebelarem. Os incêndios têm mais relação com esse ressentimento do que com a música em si”, afirma. Fonte: Adaptado da Revista Galileu. São Paulo, n.o 180, Editora Globo, jul. 2006, p.11. Questão 04 Quanto ao texto, é correto afirmar que o objetivo fundamental é: a) Articular argumentos em defesa de determinado comportamento. b) Divulgar estudo científico sobre determinado comportamento. c) Prescrever, cientificamente, modos diferenciados de comportamento. d) Descrever, em termos científicos, determinado comportamento. e) Promover a ironia sobre determinado comportamento exótico. Questão 05 É correto afirmar que o heavy metal constitui-se um gênero musical controverso porque: a) Pode ser um movimento libertador. b) Os “metaleiros” são ignorantes e violentos. c) O cristianismo norueguês é limitador. d) Desvela a grande revolta dos “metaleiros”. e) O antropólogo mudou o foco de sua pesquisa. Questão 06 O estrangeirismo, no título do texto, é utilizado para captar o contraditório. É correto afirmar que, usando o estrangeirismo, o autor recorreu a um recurso denominado: a) Eufemismo b) Antítese. c) Aliteração d) Onomatopéia. e) Hipérbole. A questão 07 refere-se ao texto abaixo.
  • 4. Fonte: Revista Veja Questão 07 Pelo conteúdo do texto e pelos seus conhecimentos sobre o assunto, é correto afirmar que: a) Todas as autoridades deveriam agir como o presidente do Irã e o presidente da Câmara dos Deputados do Brasil, lutando em favor da pureza da língua, eliminando todos os estrangeirismos. b) Nem todos os estrangeirismos podem ser eliminados de uma língua, mas os presidentes, tanto o do Irã como o da Câmara dos Deputados do Brasil, conseguiram eliminar boa parte deles. c) É preciso ser “malucão” para ter idéias como as que têm essas duas figuras públicas e assim substituir, com êxito, palavras estrangeiras por outras nacionais. d) Aldo Rebelo foi um exemplo de patriota, pois, eliminando os estrangeirismos do português do Brasil, está servindo de modelo para o presidente do Irã. e) O presidente da Câmara no Brasil já tentou eliminar os estrangeirismos da língua portuguesa. No Oriente Médio, quem realmente tentará impedir, por força de lei, a contaminação do farsi será o presidente do Irã. Questão 08 Pero Vaz de Caminha, referindo-se aos indígenas escreveu: “E naquilo sempre mais me convenço que são como aves ou animais montesinhos, aos quais faz o ar melhor pena e melhor cabelo que aos mansos, porque os seus corpos são tão limpos, tão gordos e formosos, a não mais poder.” […] “Parece-me gente de tal inocência que, se nós entendêssemos a sua fala e eles a nossa, seriam logo cristãos, visto que não têm nem entendem crença alguma, segundo as aparências. E, portanto, se os degredados que aqui hão de ficar aprenderem bem a sua fala e eles a nossa, não duvido que eles, segundo a santa tenção de Vossa Alteza, se farão cristãos e hão de crer na nossa santa fé, à qual praza a Nosso Senhor que os traga, porque certamente esta gente é boa e de bela simplicidade. E imprimir-se-á facilmente neles todo e qualquer cunho que lhes quiserem dar, uma vez que Nosso Senhor lhes deu bons corpos e bons rostos, como a homens bons. E o fato de Ele nos haver até aqui trazido, creio que não o foi sem causa. E portanto, Vossa Alteza, que tanto deseja acrescentar à santa fé católica, deve cuidar da salvação deles. E aprazerá Deus que com pouco trabalho seja assim.” […] “Eles não lavram nem criam. Não há aqui boi ou vaca, cabra, ovelha ou galinha, ou qualquer outro animal que esteja acostumado ao convívio com o homem. E não comem senão deste inhame, de que aqui há muito, e dessas sementes e
  • 5. frutos que a terra e as árvores de si deitam. E com isto andam tais e tão rijos e tão nédios que o não somos nós tanto, com quanto trigo e legumes comemos.” CASTRO, Silvio. A carta de Pero Vaz de Caminha. Porto Alegre: L&PM, 1996. A carta de Pero Vaz de Caminha, é reconhecida como o primeiro documento escrito em língua portuguesa no território onde hoje é o Brasil. Ela apresentava ao Rei de Portugal as primeiras impressões da terra recém-conquistada. Sobre a chegada dos portugueses ao Brasil e o contexto da expansão marítima europeia, é CORRETO afirmar que: a) Caminha, numa visão eurocentrista, exalta a cultura do “descobridor”, menosprezando todos os aspectos referentes ao modo de vida dos nativos, por exemplo, a não exploração daqueles mamíferos placentários exóticos, citados na carta, introduzidos no Brasil quando da colonização. b) Caminha realiza, através de farta adjetivação, descrições botânicas minuciosas acerca da flora da nova terra, destacando o tipo de alimentação do europeu — rica em vitaminas e sais minerais — em contraposição à indígena, que é rica em lipídios. c) A religiosidade está presente ao longo do texto, quando se constata que o emissor, tendo em mente a conversão dos índios à “santa fé católica” — pretensão dos europeus conquistadores —, ressalta positivamente a existência de crenças animistas entre os nativos. d) Na carta de Pero Vaz de Caminha, que apresenta linguagem formal, por ser o rei português o destinatário, há forte preocupação com aspectos da necessária conversão dos índios ao catolicismo, no contexto de crise religiosa na Europa. e) Ao realizar concomitantemente a narração e a descrição dos hábitos dos nativos, o remetente destaca informações não só do habitat como dos usos e costumes indígenas, exaltando o cultivo das plantas de lavouras e dos pomares. Questão 09 Pneumotórax Febre, hemoptise, dispnéia e suores noturnos. A vida inteira que podia ter sido e que não foi. Tosse, tosse, tosse. Mandou chamar o médico: - Diga trinta e três. - Trinta e três... trinta e três... trinta e três... - Respire. - O senhor tem uma escavação no pulmão esquerdo e o pulmão direito infiltrado. - Então, doutor, não é possível tentar o pneumotórax? - Não. A única coisa a fazer é tocar um tango argentino. "Pneumotórax", palavra que dá título ao famoso poema de Manuel Bandeira, é vocábulo constituído de dois radicais gregos (pneum[o]- + -tórax]. Significa o procedimento médico que consiste na introdução de ar na cavidade pleural, como forma de tratamento de moléstias pulmonares, particularmente a tuberculose. Tal enfermidade é referida no diálogo entre médico e paciente, quando o primeiro explica a seu cliente que ele tem "uma escavação no pulmão esquerdo e o pulmão direito infiltrado". Esta última palavra é formada com base em um radical: "filtro". Quanto à formação vocabular, o título do poema e o vocábulo "infiltrado" são constituídos, respectivamente, por a) composição, e derivação prefixal e sufixal. b) derivação prefixal e sufixal, e composição. c) composição por hibridismo, e composição prefixal e sufixal. d) simples flexão, e derivação prefixal e sufixal. e) simples derivação, e composição sufixal e prefixal.
  • 6. Questão 10 Seu metaléxico economiopia desenvolvimentir utopiada consumidoidos patriotários suicidadãos José Paulo Paes A palavra "economiopia" segue o mesmo modelo de formação lexical presente em a) "Aguardente". b) "Pé-de-moleque". c) "Passatempo". d) "Minissaia". e) "Antidemocrático".
  • 7. Questão 10 Seu metaléxico economiopia desenvolvimentir utopiada consumidoidos patriotários suicidadãos José Paulo Paes A palavra "economiopia" segue o mesmo modelo de formação lexical presente em a) "Aguardente". b) "Pé-de-moleque". c) "Passatempo". d) "Minissaia". e) "Antidemocrático".