PNAIC 9º encontro 27 de novembro - Claudia e Fabiana

5.135 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.135
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3.223
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
42
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

PNAIC 9º encontro 27 de novembro - Claudia e Fabiana

  1. 1. NONO ENCONTRO 29 DE NOVEMBRO DE 2014 ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA
  2. 2. AGENDA DA MANHÃ - Leitura literária - Retomada do trabalho pessoal - Pesquisa - Apresentação do Caderno 7 - Atividade Prática – Problematizando - Atividade prática - classificação - Vídeo: Salto para o futuro - parte I - Almoço
  3. 3. LEITURA LITERÁRIA
  4. 4. RESGATE DO TRABALHO PESSOAL
  5. 5. PESQUISA PARA COLETA DE DADOS
  6. 6. OBJETIVO DO CADERNO Apresentar a Educação Estatística, fornecendo elementos que permitam ao professor o planejamento de práticas pedagógicas que auxiliem a criança a reconhecer e produzir informações, em diversas situações e diferentes configurações (p.
  7. 7. • Ler, interpretar e fazer uso das informações expressas na forma de ícones, símbolos, signos, códigos; em diversas situações e em diferentes configurações (anúncios, gráficos, tabelas, rótulos, propagandas), para a compreensão de fenômenos e práticas sociais. • Coletar, organizar e construir representações próprias para a comunicação de dados coletados (com ou sem o uso de materiais manipuláveis ou de desenhos);
  8. 8. • Ler e interpretar listas, tabelas simples, tabelas de dupla entrada, gráficos. • Elaborar listas, tabelas simples, tabelas de dupla entrada, gráfico de barras e pictóricos para comunicar a informação obtida, identificando diferentes categorias. • Produzir textos escritos a partir da interpretação de gráficos e tabelas. • Problematizar e resolver situações a partir das informações contidas em tabelas e gráficos. • Identificar maior ou menor chance de um evento ocorrer.
  9. 9. DESAFIO MATEMÁTICO Uma gaiola contém pássaros e coelhos. Sabendo que há dezesseis cabeças e trinta e oito pés, quantos pássaros há na gaiola?
  10. 10. Basta trabalhar com construção e interpretação de gráficos e tabelas? O que ensinar de estatística a uma criança em processo de alfabetização? Posso trabalhar estatística com outras ciências ou com o cotidiano?
  11. 11. TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO Os conteúdos deste campo de conhecimento visam ao desenvolvimento de competências e habilidades para lidar com informações cada vez mais relevantes em diversas situações da vida moderna. O principal objetivo deste conteúdo é tornar o aluno capaz de entender e comunicar dados e tomar decisões a partir da análise de dados (MANDARINO, p.20)
  12. 12. O TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO E A APENDIZAGEM
  13. 13. Por que trabalhar com o tratamento da informação no ciclo de alfabetização? Porque é cada vez mais frequente a necessidade de se compreender as informações veiculadas, especialmente pelos meios de comunicação. Para tomar decisões e fazer previsões que terão influência não apenas na vida pessoal, mas em toda a comunidade.
  14. 14. Segundo os PCN’s “Estar alfabetizado, neste final de século, supõe saber ler e interpretar dados apresentados de maneira organizada e construir representações, para formular e resolver problemas que impliquem o recolhimento de dados e a análise de informações” (p.84).
  15. 15. ALGUMAS ORIENTAÇÕES.... No ciclo de alfabetização, as atividades devem estar relacionadas a assuntos de interesse das crianças. Deve-se trabalhar com datas de aniversário, peso, altura, número do sapato, do que sentem medo, times de futebol de sua preferência, etc. É preciso estabelecer um critério para organizar os dados coletados.
  16. 16. Como você professor, orientaria a resolução deste problema? Discuta com os colegas e depois socialize com o grupo:
  17. 17. Zôo lógica Na época em que os bichos falavam, numa floresta viviam Dona Onça e Dona Hiena, comadres inseparáveis, com características peculiares. Dona Hiena mente às segundas, terças e quartas-feiras. Dona Onça mente às quintas, sextas e sábados. Nos dias em que não mentem, dizem a verdade. Certa vez, num encontro, Dona Hiena e dona Onça conversaram: Olá, Dona Onça! Ontem eu menti – disse a Dona Hiena. Olá, Dona Hiena! Eu também menti ontem – retrucou Dona Onça. Em que dia aconteceu este encontro?
  18. 18. Na construção de gráficos é importante verificar se os alunos conseguem ler as informações neles representadas. Para tanto, deve-se solicitar que deem sua interpretação sobre gráficos e propor que pensem em perguntas que possam ser respondidas a partir deles. (PCN’s)
  19. 19. [...] Para conseguirmos compreender bem todas as informações em que somos envolvidos precisamos de mecanismos que nos auxiliem a coletar, organizar, comunicar e interpretar dados utilizando diversos tipos de registros, tais como gráficos e tabelas. (PRÓ-LETRAMENTO, 2008)
  20. 20. [...] Por isso é tão importante que a criança desde o início do processo do letramento esteja em contato com instrumentos que a ajudem a fazer uma boa leitura do mundo que a cerca. (PRÓ-LETRAMENTO, 2008)
  21. 21. OUTROS CONTEÚDOS PROPOSTOS NO TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO
  22. 22. COMBINATÓRIA É a possibilidade de combinar objetos, permitindo a contagem dos mesmos, agrupados por determinadas características. Contar é uma das primeiras aprendizagens matemáticas da criança, e consiste em contar os elementos de diferentes conjuntos e enumerá-los para determinar quantos são. A Combinatória conhecida também como a arte de contar, é um tipo de contagem que exige que seja superada a ideia de enumeração de elementos isolados, para se passar à contagem de grupos de objetos, tendo como base o raciocínio multiplicativo.
  23. 23. A Combinatória exige um trabalho com o pensamento hipotético-dedutivo, base para o conhecimento científico, através do qual os alunos precisarão superar o senso comum, levantar hipóteses, pensar em estratégias para a solução, manipular variáveis, e enumerar possibilidades. No caso da Combinatória, nenhuma estratégia está pronta imediatamente, ela precisa ser construída, e isso coloca o aluno frente a um problema a ser resolvido.
  24. 24. Os problemas combinatórios normalmente trabalhados na Educação Básica são de quatro tipos: ARRANJO – COMBINAÇÃO - PERMUTAÇÃO - PRODUTO CARTESIANO Uma característica comum a todos os tipos de problemas é a necessidade de esgotar todas as possibilidades para se chegar à resposta. Os problemas de arranjo, combinação e permutação se assemelham ou se diferenciam pela forma de escolher os elementos (se todos ou apenas alguns) e pela forma de ordená-los. O problema do tipo produto cartesiano é caracterizado pela escolha dos elementos. (Caderno 7, p.40-41)
  25. 25. Exemplos de ARRANJO
  26. 26. Exemplo de COMBINAÇÃO Problema 1
  27. 27. Problema 2
  28. 28. Solução 1
  29. 29. Solução 2
  30. 30. Exemplo de PERMUTAÇÃO Na estante da minha casa há fotos do meu pai, da minha mãe e do meu irmão, sendo um total de 3 porta-retratos. De quantas formas diferentes posso organizar esses porta-retratos de modo que eles fiquem lado a lado? (Caderno 7, p.41)
  31. 31. Probabilidade Os Direitos de Aprendizagem para os anos iniciais indicam a necessidade de que o aluno compreenda que grande parte dos acontecimentos do cotidiano são de natureza aleatória e é possível identificar prováveis resultados desses acontecimentos. O trabalho com as noções de acaso e incerteza, que se manifestam intuitivamente, deve ocorrer em situações nas quais o aluno realiza experimentos e observa eventos.
  32. 32. Exemplo de PROBABILIDADE
  33. 33. EXPERIMENTO COM CANUDOS Suponhamos uma sacola com 15 canudos vermelhos e 5 azuis. Ao somarmos os canudos teremos com certeza 20 canudos.
  34. 34. Se sortearmos um canudo da sacola, não se saberá com certeza a cor do canudo que irá sair. É mais provável que a cor do canudo seja azul, uma vez que eles são em maior quantidade, mas não podemos afirmar que é isso o que realmente irá acontecer.
  35. 35. ATIVIDADE PRÁTICA EM GRUPO Classificação a partir dos produtos de encarte de mercado. • Cada grupo receberá um encarte de mercado. • Cada grupo deverá selecionar 10 ou mais produtos e recortar. • Os produtos deverão ser organizados a partir de um ou mais critérios que o grupo escolher.
  36. 36. Estatística (gráficos e tabelas) Estatística é coleta, apresentação, análise e interpretação de dados numéricos. Exemplos de dados estatísticos: · Quantidade de alunos por sala de aula em uma escola. · Tempo de escolaridade da população brasileira. · Período de alfabetização dos alunos de uma determinada escola.
  37. 37. SUGESTÕES DE ATIVIDADES ENVOLVENDO TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO
  38. 38. - Observar o uso de gráficos e tabelas em revistas e jornais. - Comunicar ideias matemáticas de diferentes formas: oral, escrita, por tabelas, gráficos, etc. - Explorar a função do número como código na organização de informações. - Resolver situações envolvendo pensamento combinatório. - Explorar a ideia de probabilidade em situações-problema simples. - Obter média aritmética por meio de situações-problema.
  39. 39. VÍDEO: Salto para o Futuro parte I
  40. 40. AGENDA DA TARDE -Leitura literária -Vídeo: Salto para o Futuro - parte II - Retomada da Pesquisa - Análise do livro didático - Atividade prática - Escrita docente - Trabalho pessoal - Avaliação
  41. 41. LEITURA LITERÁRIA
  42. 42. VÍDEO: Salto para o Futuro parte II
  43. 43. RETOMANDO A PESQUISA (Atividade em grupo) Com base na leitura do artigo: Construção e Interpretação de Gráficos e Tabelas (p. 21 – 38), realizar a atividade proposta.
  44. 44. Agora é com você! o Construa um gráfico para representar os resultados da pesquisa. o Elabore perguntas para verificar a compreensão dos dados coletados. o A partir da leitura dos dados de todos os gráficos, elabore um texto traçando o perfil da turma.
  45. 45. APRESENTAÇÃO DOS GRUPOS
  46. 46. QUAL SEU ANIMAL DE ESTIMAÇÃO
  47. 47. Qual o seu peso?
  48. 48. PARA QUE TIME VOCÊ TORCE?
  49. 49. ^
  50. 50. ANÁLISE DE LIVRO DIDÁTICO
  51. 51. Atividade em grupo Análise crítica dos livros. Ampliação e/ou adequação das atividades encontradas.
  52. 52. ATIVIDADE PRÁTICA Dividir a turma em dois grupos: Cada grupo classifica seus calçados a partir de um critério estabelecido, caberá ao outro grupo descobrir o critério utilizado.
  53. 53. ESCRITA DOCENTE:
  54. 54. Quais “eram” suas dúvidas em relação ao trabalho com o conteúdo Tratamento da Informação no ciclo de alfabetização? Depois desse encontro, que novas estratégias de trabalho podem ser utilizadas para enriquecer sua prática?
  55. 55. TRABALHO PESSOAL A partir do objetivo abaixo, planeje uma atividade adequada ao ano de escolaridade em que atua. Traga o planejamento, o registro reflexivo por escrito e o registro fotográfico. Leitura do caderno 8
  56. 56. AVALIAÇÃO Assinale a coluna do gráfico que melhor define este encontro. Justifique sua resposta.
  57. 57. TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO
  58. 58. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS • BONJORNO, P. A.; BONJORNO, J. R. e BONJORNO, V.; Falando de Matemática, I. • São Paulo: IBEP, sd. • GIOVANNI, J. R. e GIOVANNI JR., J. R. Matemática Pensar e Descobrir, II. São Paulo: • FTD, 2000. • GIOVANNI, J. R. e GIOVANNI JR., J. R. Aprendizagem e Educação Matemática, I. • São Paulo: FTD, 1990. • GIOVANNI, J. R., GIOVANNI JR., J. R. e CASTRUCCI, B. A conquista da Matemática, • I. São Paulo: FTD, 1998. • GIOVANNI, J. R. e PARENTE, E. Matemática, II. São Paulo: FTD, 1988. • GIOVANNI, J. R. e PARENTE, E. Aprendendo Matemática, I. São Paulo: FTD, • 1999. • GUELLI, O. Matemática: Uma Aventura do Pensamento, I e II. São Paulo: Ática, • 2001. • IEZZI, G.; DOLCE, O. e MACHADO, A. Matemática e Realidade, I. São Paulo: Atual, • 1991.
  59. 59. IMENES, L. M. e LELLIS, M. Matemática, II. São Paulo: Scipione, 1998. ISOLANE, C. M. M.; MIRANDA, D. T. L.; ANZZOLIN, V. L. A. e MELÃO, W. S. Matemática e Interação, I. Curitiba: Módulo, 1999. JAKUBOVIC, J.; LELLIS, M. e CENTURIÓN, M. Matemática na Medida Certa, I e II. São Paulo: Scipione, 2001. MAVEIRA, L. Matemática Fácil, I, II e III. São Paulo: Ática, 1989. MORI, I. e ONAGA, D. S. Matemática: Idéias e Desafios, I. São Paulo: Saraiva, 2000. PIRES, C. C.; CURI, E. e PIETROPAOLO, R. Educação Matemática, I. São Paulo: Atual, 2002. RAMOS, L. F. Frações sem Mistérios. São Paulo: Ática, 1991. SILVA, C. M. S.; LOURENÇO, S. T. e CÔGO, A. M. O ensino-aprendizagem da Matemática e a Pedagogia do Texto. Brasília: Plano, 2004. SMOOTHEY, M. Atividades e Jogos com Números. São Paulo: Scipione, 1997. TROTTA, F. Matemática, I. São Paulo: Scipione, 1985. MINAS GERAIS, S. de E.E. Material de referência para o professor: matemática: ciclo básico de alfabetização, E. F., Estatística e probabilidade. Belo Horizonte, SEE/ MG, 1997. MINISTÉRIO, E. D., S.E.D., Caderno da TV Escola, Matemática, Brasília PCN, 1998.

×