Hoje é amanhã.

7.073 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Hoje é amanhã.

  1. 1. A” a ~ / % AMANHA? Q Anna Claudia Ramos . lá- l - ç MINISTERIQ DA EDUCACAO EDVFURA ZEus
  2. 2. Era hora de Carol deitar. Como sempre, a mãe coloca a ñlha na cama, conta uma história e depois dã um beijo de boa noite. Mas antes da mãe sair do quarto, Carol falou: - Mãe, ontem eu Vou brincar na casa da Marina? - Ontem não filha, amanhã. Depois de dormir, acordar e almoçar. Mas agora dorme que já tá tarde. - Tá bem, mas Hca aqui na minha cama um pouquinho.
  3. 3. «Í, .._, .«arol ainda é pequena. Vive trocando ontem, hoje e amanhã. Era um tal de: amanhã eu fui na praia, ontem eu vou passear. A mãe sabe que não adianta explicar muito não. Esse negócio de tempo é mesmo difícil de entender. No dia seguinte, Carol já acordou querendo saber: - Mãe, hoje é amanhã? - O que foi, ñlha? - Hoje é amanhã, mãe? - Como assim, Carol?
  4. 4. * Ué, mãe, você disse que eu ia na casa da Marina amanhã depois de dormir. Eu já dormi e tô querendo saber se hoje é amanhã. - Ah! tá, Carol, agora entendi. Hoje virou o amanhã de ontem. Nessa hora quem não entendeu nada foi a Carol. Que confusão! Esse hoje vira um monte de nomes diferentes, cada hora é uma coisa. Ela já tinha entendido que o amanhã vira hoje depois que dorme e acorda. Aí a mãe apareceu com aquele tal de ontem e confundiu tudo. Mas agora Carol não queria pensar nisso, só queria saber de brincar com a amiga. 1 Í . v , , / , ^ ' . _ ~_ ' , -' , _j . lx, 3 /7/ A, xa/ E/ V j 1 . ._ V ›
  5. 5. ?(139% à n Í "no “J *as
  6. 6. llo outro final de semana, Carol estava na casa do pai, que é separado da mãe. Então, Carol e o pai foram passear na praia no sábado, e no domingo o pai queria andar de bicicleta, só que Carol queria ir à praia de novo. - Mas, Carol, ontem a gente foi ã praia, hoje a gente pode andar de bicicleta. - O que é ontem, pai? - Ontem é um dia que já passou, Carol. - E o que é um dia, pai? rim. : mv / n . / x ; EN Ã _ / êl/ _ , '/ ., >x v Xl / VV_/ /' , l: - V' , wz/ 'J', - / ' , . y-/ l / _. / / /" x” __ g A_ f , .. / í ›_ l É . .z/ / u/'í l r/ “avg/ J, / V x* _N w/ I /1 ” )
  7. 7. O pai pensou um pouco e respondeu. - Um dia, Carol. .. ai, ñlha, como o pai vai te explicar o 'que e um dia? - Eu não sei. Você não é pai? Pai sabe um monte de coisas. - Eu sei, Filha, mas às vezes é difícil de explicar. Mas vamos lá: um dia é o tempo que você tica acordada brincando, vai à escola, faz um monte de coisinhas até chegar de noite e você ir dormir. - E se eu não for na escola, pai? - Vai ser dia do mesmo jeito. Um dia inteirinho tem uma parte que é clara e uma parte que é escura. *Í v:
  8. 8. Carol pensou, pensou, pensou, até falar de novo: - Ontem é um dia que dormiu, pai?
  9. 9. i . - E, filha, isso mesmo. Um novo dia quando acorda fica sendo hoje e o dia que dormiu ñca sendo ontem. - E o amanhã é um hoje que vai acordar? - E isso ai, Carol! - Ah, gostei disso, pai! ! Então amanhã eu vou voltar pra casa da mamãe? - Vai sim. Amanhã, quando você acordar, você vai voltar pra . casa da sua mãe. - O, pai, eu quero ligar pra mamãe pra contar essa novidade. Você liga, pai? - Claro, ñlha, sua mãe vai adorar.
  10. 10. .. . wmutnnxlrlvihuulnwirarciíw. TV . ,.. ... ›,. i.. h_u, .., .va c, ... .. l i5., Ísoráwtrizsp
  11. 11. KN “m” Qi, mãe, é a Carol. - Oi filhota, tudo bem? - Ih, mãe, sabe o que eu descobri? Que amanhã eu vou pra sua casa e que hoje é um dia inteirinho, e que ontem é um hoje que foi dormir, e que amanhã é um hoje que vai acordar e que. ..
  12. 12. .21.

×