Modelo cópia

198 visualizações

Publicada em

Não clama, porventura, a Sabedoria? E a Inteligência não dá a sua voz? (Pv 8:1)

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
198
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Modelo cópia

  1. 1. MODELO
  2. 2. TEXTO • Não clama, porventura, a Sabedoria? E a Inteligência não dá a sua voz? (Pv 8:1)
  3. 3. LEITURA DIÁRIA • SEG – (Pv 1:20) A sabedoria chamada de fora • TER – (Jó 28:12) Onde achamos a sabedoria • QUA – (Mt 13:54) De onde vem a sabedoria • QUI – (Rm 11:33) Deus é a fonte da sabedoria • SEX – (Pv 10:8) O sábio aceita o conselho • SAB – (Pv 13:1) O filho sábio ouve a correção
  4. 4. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE Provérbio 1:20-33 20¶ A suprema Sabedoria altissonantemente clama de fora; pelas ruas levanta a sua voz. 21Nas encruzilhadas, no meio dos tumultos, clama; às entradas das portas e na cidade profere as suas palavras: 22Até quando, ó néscios, amareis a necedade? E vós, escarnecedores, desejareis o escárnio? E vós, loucos, aborrecereis o conhecimento? 23Convertei-vos pela minha repreensão; eis que abundantemente derramarei sobre vós meu espírito e vos farei saber as minhas palavras.
  5. 5. • 24Mas, porque clamei, e vós recusastes; porque estendi a minha mão, e não houve quem desse atenção; • 25antes, rejeitastes todo o meu conselho e não quisestes a minha repreensão; • 26também eu me rirei na vossa perdição e zombarei, vindo o vosso temor, • 27vindo como assolação o vosso temor, e vindo a vossa perdição como tormenta, sobrevindo-vos aperto e angústia. • 28Então, a mim clamarão, mas eu não responderei; de madrugada me buscarão, mas não me acharão. • 29Porquanto aborreceram o conhecimento e não preferiram o temor do Senhor;
  6. 6. • 30não quiseram o meu conselho e desprezaram toda a minha repreensão. • 31Portanto, comerão do fruto do seu caminho e fartar-se- ão dos seus próprios conselhos. • 32Porque o desvio dos simples os matará, e a prosperidade dos loucos os destruirá. • 33Mas o que me der ouvidos habitará seguramente e estará descansado do temor do mal.
  7. 7. • Os livros da sabedoria três dos livros poéticos: • Jó, Provérbios e Eclesiastes, embora Jó seja realmente um livro de espécie única. • Essa classificação é baseada no fato de tratarem esses três livros dos problemas que mais interessam à humanidade. • Jó trata do problema do sofrimento, Provérbios, do problema do dever moral, e Eclesiastes, do problema da felicidade. Introdução
  8. 8. • Os livros chamados de Sabedoria são diferentes da literatura profética de Israel porque expressam melhor a filosofia dos pensadores do que as determinações das mensagens de Jeová.
  9. 9. • Não se encontra neles a frase: ‘Assim diz o Senhor’, quando falam dos problemas da vida e das conclusões dos homens. • Os sábios anunciaram as verdades como um tratado de filosofia moral, usando palavras de profundeza mais elevada do que seus conhecimentos, de modo que só tempos depois é que puderam ser interpretadas. • Provérbios e Eclesiastes apresentam principalmente esse fato.
  10. 10. • Neste texto ENCONTRAMOS Advertências contra Negligenciar a Sabedoria, É Importante observamos que a sabedoria é personificada pela primeira de muitas vezes no livro de Provérbios. A sabedoria é retratada no papel de um profeta de Deus com uma mensagem urgente, que é proclamada pelas ruas (20), no meio dos tumultos [...] às entradas das portas (21). Aqui onde estão “as encruzilhadas das vidas das pessoas” a sabedoria faz o seu apelo fervoroso. • No versículo 22 ela usa três termos para descrever os que rejeitam a revelação divina. I. O Clamor Da Sabedoria Pv 1.20 - 33
  11. 11. • São os néscios (moralmente neutros), os escarnecedores (que desafiam) e os loucos (espiritualmente obstinados).
  12. 12. • Convertei-vos (23) é um chamado profético ao arrependimento (cf. Jr 3.12-14,22; 4.1). Rejeitar esse chamado é algo trágico. Para os que o fazem, a sabedoria diz: também eu me rirei na vossa perdição (26).
  13. 13. • Estas palavras, diz Kidner, “não são uma expressão de dureza de coração pessoal, mas da absurdidade de escolher a loucura, a completa vindicação da sabedoria e a conveniência incontestável da calamidade”.10 • O juízo que virá sobre os que rejeitam a Deus será tão repentino como tormenta (27). • Essa calamidade será o fruto do seu caminho (31). • Eles vão colher o que semearam (cf. G16.7-8). • O desvio (32; “recaída”, AT Amplificado; ou “desobediência”, Berkeley) dos simples e a prosperidade (ou “o ócio despreocupado”, Berkeley) dos loucos será a destruição deles. • Os que confiam na sabedoria, no entanto, não precisam temer as calamidades e os desastres que vêm como consequências da loucura pecaminosa (33).
  14. 14. • Embora no Antigo Testamento a sabedoria seja personificada no livro de Provérbios e mostrada como tendo existido eternamente em Deus (Pv 8.22-30), ela é centrada em uma pessoa, o Senhor Jesus Cristo (1 Co 1.30; Cl 2.2,3; cf. Lc 11.49).
  15. 15. • Cristo, em sua natureza humana, cresceu em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens (Lc 2.52), mas em sua natureza divina, repousava sobre ele o Espírito sétuplo cujo principal atributo é a sabedoria (Is 11.2).
  16. 16. • Como resultado os homens perguntaram, ‘Donde veio a este a sabedoria’ (Mt 13.54; Mc 6.2), não percebendo que alguém maior que Salomão estava ali (Mt 12.42).
  17. 17. • Os gregos, com sua filosofia, buscavam a sabedoria (1 Co 1.22) e produziram grandes homens como Platão e Aristóteles, mas não vieram a conhecer a Deus.
  18. 18. • Os judeus ficavam ofendidos com o pensamento da crucificação, e por serem tão impotentes a ponto de precisarem que alguém morresse pelos seus pecados. • Os gregos consideravam a simples fé em uma expiação substitutiva um modo fácil demais ara a salvação. • Contudo, a morte expiatória o Senhor Jesus Cristo e o epitome de toda a sabedoria (Ef 3.10), uma vez que ela resolve o maior problema do mundo e do homem, isto e, o pecado. II. A Conversão E Promessa De Fazer- Nos Sábio
  19. 19. • Quanto mais profundamente o homem estuda sua condição e sua necessidade de salvação, e o problema envolvido para tornar possível sua salvação, a sabedoria da cruz fica mais comprovada.
  20. 20. • A salvação deve ser igualmente possível para todos, sábios e símplices, e somente a justificação pela fé atende esta necessidade.
  21. 21. • Embora Paulo não tenha pregado de acordo com a sabedoria do mundo, todavia ele pregou a sabedoria oculta de Deus que só pode ser discernida quando Deus da ao homem a direção e a ajuda do Espirito Santo (1 Co 2.7-14). • Deus deseja que o homem tenha e conheça sua sabedoria (Tg 1.5). • Ela e espiritual e consiste no conhecimento de sua vontade (Cl 1.9; Ef 1.8,9). • Ela e “do alto” e é contrastada com a sabedoria terrena e humana deste mundo, que pode ate ser inspirada pelos demônios (Tg 3.13-17; cf. Cl 2.23; 1 Co 3.19,20; 2 Co 1.12).
  22. 22. • A sabedoria de Deus deve ser revelada ou “dada” aos homens (Rm 11.33,34; 2 Pe 3.15; Lc 21,15). • Isto pode ser conferido pela Palavra de Deus e pelo ensino humano dela (Cl 3.16; 1.28; Ap 13.18; 17.9).
  23. 23. • Observe que no esboço de Provérbios há três chamados da sabedoria e três da insensatez. III. O Chamado A Sabedoria
  24. 24. 1. Primeiro chamado da sabedoria à salvação (1:20-33). Esse é um chamado aberto feito nas ruas, onde as pessoas podem ver e ouvir.
  25. 25. • O chamado de Deus aos corações não é um assunto secreto; o Espírito convida-nos abertamente a irmos a Cristo. • Observe que a sabedoria convida os três tipos de pessoas:O simples, o néscio e o insensato, ou louco (1:22). • A sabedoria vê a aproximação do julgamento e quer que o pecador escape dele. • Ela faz uma oferta magnífica para os que a ouvem: a dádiva do Espírito e da Palavra do Senhor (v. 23). • Como os pecadores respondem a esse chamado? Parece que eles o rejeitam totalmente.
  26. 26. • A destruição. E Deus rirá deles, da mesma forma que riem da sabedoria. "Então, me invocarão, mas eu não responderei" (v. 28). Eles colherão exatamente o que plantam (v.31).
  27. 27. • Por que eles recusam a oferta graciosa do Senhor? O versículo 32 declara que o "desvio" dos néscios e a prosperidade do louco dão-lhes uma falsa segurança; eles acham A sabedoria oferece salvação às pessoas, mas, no capítulo 5, a insensatez oferece-lhes condenação.
  28. 28. 2. Segundo chamado da sabedoria à prosperidade. A sabedoria está de volta às ruas e chama os pecadores a seguirem as veredas do Senhor.
  29. 29. • No versículo 5, chama o simples e o néscio, mas não o louco. Foi ele quem riu e zombou (1:25-26); assim, Deus ignora-o. Como é grave o coração se tornar tão duro a ponto de não ouvir mais a voz do Senhor.
  30. 30. 3. O terceiro chamado da sabedoria à vida (9) O primeiro convite da sabedoria dirigiu-se ao insensato, ou louco, ao néscio e ao simples; o segundo, apenas ao simples e ao néscio (8:5); mas o terceiro dirige-se apenas ao simples (9:4).
  31. 31. • O louco resolve seguir a insensatez e, em 8:36, ele morre (veja 1:22). Infelizmente, o simples também recusa o convite gracioso da sabedoria e termina nas profundezas do inferno (9:1-18). Eis os resultados desses convites:

×