4º trimestre 2015 juvenis lição 06

328 visualizações

Publicada em

“...O temor do Senhor é o princípio da sabedoria; bom entendimento têm todos os que lhe obedecem; o seu louvor permanece para sempre...” (Sl 111: 10)

Publicada em: Espiritual
  • Seja o primeiro a comentar

4º trimestre 2015 juvenis lição 06

  1. 1. MODELO
  2. 2. TEXTO ÁUREO “...O temor do Senhor é o princípio da sabedoria; bom entendimento têm todos os que lhe obedecem; o seu louvor permanece para sempre...” (Sl 111: 10)
  3. 3. LEITURA DIÁRIA SEG – (Ec 9:15) • A sabedoria é melhor do que a força TER – (1 Co 3:19) • A sabedoria deste mundo é loucura QUA – (Pr 8:1-13) • A sabedoria dos guia QUI – (Pr 8: 14-21) • A sabedoria nos faz ter sucesso SEX – (Tg 1:5) • Devemos buscar a sabedoria de Deus SAB – (Pv 9:10) • Obedecer a Deus é o princípio da sabedoria
  4. 4. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE 12Eu, a Sabedoria, habito com a prudência e acho a ciência dos conselhos. 13O temor do Senhor é aborrecer o mal; a soberba, e a arrogância, e o mau caminho, e a boca perversa aborreço. 14Meu é o conselho e a verdadeira sabedoria; eu sou o entendimento, minha é a fortaleza. 15Por mim, reinam os reis, e os príncipes ordenam justiça.
  5. 5. 16Por mim governam os príncipes e os nobres; sim, todos os juízes da terra. 17Eu amo os que me amam, e os que de madrugada me buscam me acharão. 18Riquezas e honra estão comigo; sim, riquezas duráveis e justiça. 19Melhor é o meu fruto do que o ouro, sim, do que o ouro refinado; e as minhas novidades, melhores do que a prata escolhida. 20Faço andar pelo caminho da justiça, no meio das veredas do juízo.
  6. 6. 21Para fazer herdar bens permanentes aos que me amam e encher os seus tesouros. 22¶ O Senhor me possuiu no princípio de seus caminhos e antes de suas obras mais antigas. 23Desde a eternidade, fui ungida; desde o princípio, antes do começo da terra. 32¶ Agora, pois, filhos, ouvi-me, porque bem- aventurados serão os que guardarem os meus caminhos. 33Ouvi a correção, não a rejeiteis e sede sábios.
  7. 7. 34Bem-aventurado o homem que me dá ouvidos, velando às minhas portas cada dia, esperando às ombreiras da minha entrada. 35Porque o que me achar achará a vida e alcançará favor do Senhor. 36Mas o que pecar contra mim violentará a sua própria alma; todos os que me aborrecem amam a morte.
  8. 8. • Este capítulo 8 da qual destaca nossa Lição é um hino de louvor à sabedoria, a qual é personificada como uma mulher, conforme se vê em Pro. 1.20 ss. • Este capítulo está naturalmente dividido em três seções: 1 – A SABEDORIA NOS GUIA 8.1-13
  9. 9. • 1. A recompensa da sabedoria aos sábios (vss. 1-21); • 2. A exaltada posição da sabedoria diante do Criador (vss. 22-31). • 3. Exortações de conclusão (vss. 32-36). • A segunda parte — vss. 22-31 — foi cristianizada para falar sobre o Verbo do Novo Testamento (João 1.1).
  10. 10. a) O chamado universal à sabedoria (8.1-5). • Aqui o escritor sagrado proclama as boas notícias. A sabedoria apresenta sua mensagem nos lugares mais públicos e abertos possíveis (2-3). As palavras homens e filhos dos homens (4) sugerem todo tipo de pessoas, os gentios e os judeus.
  11. 11. • Não há nada de exclusivo nem provincial no convite da sabedoria. Até os simples (5; “negligentes”,) e os loucos, ou espiritualmente obstinados, podem vir, se quiserem (cf. Mt 7.7-8).
  12. 12. b) O caráter e o valor da sabedoria (8.6-16). • A mensagem da sabedoria é caracterizada pela verdade e pela justiça (6-9). Não há nenhuma coisa tortuosa nem perversa (8; “torcida nem torta”,) nas palavras do pregador.
  13. 13. • Além disso, as suas proclamações são retas para o que bem as entende e justas, para os que acham o conhecimento (9). • Aqui “afirma-se um princípio fundamental. • Os que estiverem dispostos a se comprometer em receber a sabedoria vão ser capazes de compreender melhor a sua natureza”. • 46 Nas palavras de Jesus — “Se alguém quiser fazer a vontade dele, pela mesma doutrina, conhecerá se ela é de Deus” (Jo 7.17) — temos um equivalente neotestamentário do que o pregador estava dizendo no versículo 9 (cf. Jo 8.31-32).
  14. 14. O valor da sabedoria é destacado novamente. • Vers. (3.13-17). E mais valioso do que coisas preciosas como a prata o ouro fino e os rubins (-10-11). De tudo que se deseja nada se pode comparar com ela. Moffatt diz: “Nenhum tesouro é igual a ela” (11).
  15. 15. A sabedoria descreve virtudes. • Vers. 12-16. Ela é prática e cheia de recursos — acho a ciência dos conselhos (12). Ela se identifica com o temor do Senhor (13; veja comentário de 1.7).
  16. 16. Pv. 8.13 O temor do Senhor consiste em aborrecer o mal. • O autor sacro leva-nos de volta ao tema central do livro, “o temor do Senhor”, que anoto em Pro. 1.7.
  17. 17. • Portanto, aqui, esse temor leva o crente a odiar o mal, porquanto existem muitos mandamentos contra uma grande variedade de pecados na lei de Moisés. • O homem cujo coração é abençoado pela fé estará equipado para seguir os ditames da lei, tanto em suas injunções negativas quanto em suas injunções positivas, e essas injunções, no judaísmo posterior, eram mais de 600! • A sabedoria personificada nos mostra que há algumas poucas coisas que devem ser evitadas:
  18. 18. A soberba. • Foi por causa do orgulho que o diabo caiu em transgressão. Pode-se dizer que esse é um pecado básico, pai de todos os pecados. O indivíduo soberbo é aquele que quer ser mais do que realmente é.
  19. 19. • Foi o que derrubou Lúcifer. Trata-se de uma força destruidora, a base de muitas atitudes e atos errados. Ver no Dicionário o artigo chamado Orgulho.
  20. 20. A arrogância. • Este é outro dos pecados que Deus abomina. Figura entre as sete coisas que são odiadas em 6.16 ss., sob o título olhos altivos (vs. 17).
  21. 21. • O orgulho, ou soberba, e a arrogância são idéias aparentadas e derivam-se de palavras hebraicas similares, gerah e gaon, as quais falam do orgulho em todas as suas expressões. Ver sobre Orgulho, no Dicionário, quanto a detalhes.
  22. 22. O mau caminho. • Conforme já vimos, a Bíblia usa a palavra “caminho” para indicar a conduta seguida por uma pessoa. O “caminho mau” é o caminho errado ditado pelo diabo e pelo espírito da desobediência.
  23. 23. A boca perversa. • Encontramos aqui o pecado que consiste no abuso da linguagem. Tanto o livro de Salmos quanto o livro de Provérbios muito dizem sobre essa transgressão. Ver Pro. 4.24 e 6.12, onde apresento notas expositivas de sumário.
  24. 24. • Ademais, ver Sal. 5.9; 12.2; 15.3; 17.3; 34.12; 35.28; 38.3; 39.9; 55.21; 64.4; 73.9; 94.4; 101.5; 109.2; 119.172; 120.3,4; 139.4; 140.3 e 141.3. Ver sobre Linguagem, Uso Apropriado da, no Dicionário, quanto a maiores detalhes.
  25. 25. A sabedoria que vem de Deus. • No Livro de Tiago fala da sabedoria que vem do alto para distingui-la da humana, de origem má (Tg 3.13-17).
  26. 26. • Irrefutavelmente, a sabedoria que vem de Deus é o meio pelo qual o homem alcança o discernimento da boa, agradável e perfeita vontade divina (Pv 2.10-19; 3.1- 8,13-15; 9.1-6; Rm 12.1,2). • Sem esta sabedoria, o ser humano vive à mercê de suas próprias iniciativas, dominado por suas emoções, sujeitando-se aos mais drásticos efeitos das suas reações. • Enfim, a Palavra de Deus nos orienta a vivermos com prudência. Todavia, quando nos achamos em meio às aflições é possível que nos falte sabedoria.
  27. 27. • Neste trecho bíblico, fala-se de príncipes, nobres e juízes. Para que as autoridades possam exercer seu poder com idoneidade é preciso o uso da sabedoria, um de seus apelos mais requintados. 2 – A SABEDORIA NOS FAZ TER SUCESSO 8.14 - 21 ?
  28. 28. Conselho. • Bons conselhos acerca de como andar, viver e ser. Estamos falando das muitas instruções conferidas pela lei, conforme esta é interpretada peias declarações da sabedoria.
  29. 29. Verdadeira sabedoria. • A essência da lei de Moisés, posta em vigor na vida diária do indivíduo. Ver Pro. 2.7, onde encontramos idêntica expressão.
  30. 30. Entendimento. Ver Pro. 1.2 e o vs. 9 deste mesmo capítulo. Ver também Pro. 2.7; Eclesiastes 7.19 e Isa. 11.2. Os termos são contrastados com a sabedoria humana, não iluminada ainda pela lei.
  31. 31. • Minha é a fortaleza. Possuidora das qualidades mencionadas, a Senhora Sabedoria torna-se uma fortaleza em defesa do povo que a ouve e obedece ao que ela diz. • Quanto ao próprio Deus como a Fortaleza, ver Sal. 18.2; 31.3; 71.3; 91.2 e 144.2. • Trata-se de uma expressão militar. • A fortaleza era o lugar do qual os soldados atacavam, e também para onde fugiam em busca de refúgio. • Ver Deus como nosso Refúgio, em Sal. 46.1.
  32. 32. • Esta parte do capítulo 8 descreve o papel da sabedoria na criação. O Senhor me possuiu no princípio de seus caminhos. Nesta expressão, o termo possuiu em hebraico pode significar trouxe ou criou. 3. A OBEDIÊNCIA A DEUS COMO O PRINCÍPIO DA SABEDORIA 8.22-31
  33. 33. • Melquisedeque usou a mesma palavra para identificar Deus como o Criador do universo (Gn 14.19). O Senhor, sempre sábio, produziu a sabedoria; O Senhor, dono de todo conhecimento, criou o conhecimento. • A sabedoria já existia antes da criação, sendo mencionada por cinco vezes nesta passagem: vss. 22 (duas vezes), 23, 25 e 26. A sabedoria estava presente quando Deus criou todas as coisas: vss. 24,27-29. Por sete vezes, o quando é declarado.
  34. 34. • Antes de suas obras mais antigas. Consideremos aqui os dois pontos seguintes: • 1. Nossa versão portuguesa dá a entender que Deus já possuía a sabedoria antes de Seus atos de criação físicos.
  35. 35. • 2. Mas a tradução da imprensa Bíblica Brasileira é: “O princípio dos seus feitos". E isso significa que a sabedoria foi a primeira coisa a ser criada, o princípio, depois do que se seguiram os demais atos da criação.
  36. 36. • Benditos são os que ouvem a voz do Salvador e esperam nele com meditação e oração diária. Os filhos do mundo encontram tempo para diversões vãs, sem descuidar do que eles consideram coisa necessária.
  37. 37. CONCLUSÃO • Embora no AT a sabedoria seja personificada no livro de Provérbios e mostrada como tendo existido eternamente em Deus (Pv 8.22-30), ela é centrada em uma pessoa, o Senhor Jesus Cristo (1 Co 1.30; Cl 2.2,3; cf. Lc 11.49). • (Mt 13.54; Mc 6.2), nâo percebendo que alguém maior que Salomão estava ali (Mt 12.42). • O apóstolo Paulo escreve que Ele é o poder e a sabedoria de Deus, destacando que a vida e a morte de Cristo eram o sábio plano de salvação de Deus (1 Co 1.24).
  38. 38. • Os gregos, com sua filosofia, buscavam a sabedoria (1 Co 1.22) e produziram grandes homens como Platão e Aristóteles, mas não vieram a conhecer a Deus. • A sabedoria do Concedida pelo Nosso Deus gera amor, bondade, benignidade e humildade.
  39. 39. • Ela não estimula o crente a tornar-se soberbo ou arrogante em relação ao próximo, mas nos dá limites. Faz-nos saber até onde podemos ir. • Ainda que elevemos a nossa cultura, a língua e tantos outros conhecimentos, nós não temos o direito de nos mostrarmos altivos, os donos da verdade, pois de fato não o somos. • A verdadeira sabedoria ela gera em nos solidez ou seja segurança e equilíbrio e firmeza para sabermos conduzir com equilíbrio e discernimento nossas Vida.
  40. 40. AGRADECIMENTOS valorizeaebd.blogspot.com.br.

×