3º trimestre 2015 juvenis lição 12

134 visualizações

Publicada em

“...Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus...” João 3:3

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
134
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

3º trimestre 2015 juvenis lição 12

  1. 1. MODELO
  2. 2. TEXTO • “...Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus...” João 3:3
  3. 3. LEITURA DIÁRIA • SEG – (Jo 3:3) Nascer de novo para ver. • TER – (Gl 6:15) A coisa mais importante. • QUA – (2 Co 5:17) O “velho” morreu. • QUI – (Cl 3:10; Ef 4:24) Roupa nova. • SEX – (Sl 7:12) O perigo. • SAB – (Lm 5:21) Só Deus transforma.
  4. 4. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE Tito 3: 4-8 • Mas quando apareceu a benignidade e amor de Deus, nosso Salvador, para com os homens, • Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo, • Que abundantemente ele derramou sobre nós por Jesus Cristo nosso Salvador;
  5. 5. • Para que, sendo justificados pela sua graça, sejamos feitos herdeiros segundo a esperança da vida eterna. • Fiel é a palavra, e isto quero que deveras afirmes, para que os que crêem em Deus procurem aplicar-se às boas obras; estas coisas são boas e proveitosas aos homens.
  6. 6. INTRODUÇÃO • A palavra regeneração vem de: Hanagenao (grego), 2 vezes, regenerar, fazer nascer de novo. • Genao (grego), nascer, ser gerado, renascido de cima. • Paligenesia (grego), 2 vezes, regeneração, novo nascimento (Mt 19.23; Tt 3.5). • Apokuéo (grego), 2 vezes, dar a luz, gerar. • A regeneração é uma mudança radical, operada pelo Espírito Santo na alma humana ou na própria pessoa, por meio do Evangelho, e na qual a disposição moral do homem se torna semelhante a de Deus, tornando-se o homem unido com Jesus Cristo.
  7. 7. 1 – REGENERAÇÃO UM VISLUMBRE • O testemunho bíblico mais importante da regeneração está demonstrado no diálogo que Jesus Cristo teve com Nicodemos (João 3).
  8. 8. • Paulo nos ensina a necessidade da regeneração devido ao homem natural ser morto em seus delitos e pecados e que o homem regenerado é vivificado por Jesus Cristo (Ef 2.1-3; 2Co 5.17). • As Escrituras afirmam a necessidade da regeneração (Jo 3.3; 1Co 2.14; Gl 6.15; Jr 13.23; Rm 3.11; Ef 2.3,4).
  9. 9. • Verifica-se que a regeneração é uma mudança muito mais profunda do que o arrependimento, isto é visto na mudança radical de consciência na parte do homem que este sente-se como que se tivesse uma nova consciência. • Há também uma mudança radical em relação a vontade do homem, pois este deixa de fazer a sua vontade para então fazer a vontade de Deus.
  10. 10. • Podemos definir regeneração da seguinte maneira: Regeneração é um ato de Deus pelo qual ele nos concede nova vida espiritual. • Isso é às vezes chamado “nascer de novo” (na linguagem de João 3.3-8). • Mas na obra de regeneração não desempenhamos papel algum. • Ao contrário, é uma obra exclusivamente de Deus. • Vemos isso, por exemplo, quando João fala a respeito daqueles a quem Cristo deu poder de se tornarem filhos de Deus eles “não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus” (Jo 1.13).
  11. 11. • Aqui João especifica que os filhos de Deus são os que “nasceram de Deus” e que nossa vontade humana (“a vontade do homem”) não realiza esse tipo de nascimento. • O fato de que somos passivos na regeneração fica evidente quando as Escrituras referem-se a ela como “nascer” ou “nascer de novo” (cf. Tg 1.18; IPe 1.3;Jo 3.3- 8). • Não escolhemos nos tomar fisicamente vivos e também não escolhemos nascer - é algo que nos aconteceu; semelhantemente, essas analogias nas Escrituras dão a entender que somos inteiramente passivos na regeneração.
  12. 12. • Este assunto não é apresentado de forma muito proeminente no AT, embora possa ser visto em passagens como Isaías 57.15 e Salmo 51.10. • No entanto, pode ser inferido a partir das passagens que falam de uma regeneração nacional. • Passagens que falam da salvação de todo Israel por ocasião da segunda vinda de Cristo, indicam a regeneração dos israelitas sobreviventes (Jr 24.7; 31.3l,; 32.38.; Ez 11.19; 36.24-27; 37.14; Rm 11.26). Zacarias 12.10-14 e 13.6 refere-se ao arrependimento de indivíduos judeus. Aspecto da Regeneração
  13. 13. • No NT, o termo paungenesia é usado em relação à restauração escatológica (Mt 19.28) de todas as coisas. Em Tito, na única outra vez em que a palavra é usada, ela se refere à salvação do indivíduo (Tt 3.5). • Outras expressões do NT sâo usadas para a mesma verdade, mas todas têm em comum a idéia de uma mudança dramática semelhante, e denominada novo nascimento. • O novo nascimento significa renascer ou nascer do alto (Jo 3.3; 1 Pe 1.23), ser nascido de Deus (Jo 1.13), ser gerado por Deus (1 Pe 1.3), ser vivificado (Ef 2.5; Cl 2.13). Esta renovação ocorre pelo poder do Espírito Santo (Jo 3.5; Tt 3.5) e faz do homem uma nova criatura (q.v.; 2 Co 5.17; Ef 2.5; 4.24).
  14. 14. • A justificação muda o relacionamento do crente com Deus. • A regeneração afeta sua natureza moral e espiritual e a transforma. • A justificação remove sua culpa; a regeneração, sua atrofia espiritual, de forma que ele passa da morte espiritual paia a vida espiritual. • A justificação traz o perdão dos pecados; a regeneração, a renovação da vida espiritual para que o indivíduo possa atuar como um rilho de Deus. A regeneração deve ser distinguida da justificação.
  15. 15. II. REQUISITOS DA REGENERAÇÃO A Compaixão De Deus
  16. 16. A Compaixão De Deus • Essa obra soberana de Deus na regeneração também foi predita na profecia de Ezequiel. • Por meio dele Deus prometeu que haveria um tempo no futuro quando ele daria nova vida espiritual a seu povo: • (Ez 36.26-27) “...Dar-vos-ei coração novo e porei dentro de vós espírito novo; tirarei de vós o coração de pedra e vos darei coração de carne. • Porei dentro de vós o meu Espírito e farei que andeis nos meus estatutos, guardeis os meus juízos e os observeis...”
  17. 17. • Quando Jesus fala de ser “nascido do Espírito” (Jo 3.8), ele indica que é especialmente Deus Espírito Santo quem produz a regeneração. • Porém, outros versículos indicam também o envolvimento de Deus Pai na regeneração: Paulo especifica que é Deus quem “nos deu vida juntamente com Cristo” (Ef 2.5; cf. Cl 2.13). • Também Tiago diz que é o “Pai das luzes” quem nos deu o novo nascimento: “Pois, segundo o seu querer, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como que primícias das suas criaturas” (Tg 1.17-18).
  18. 18. • Finalmente Pedro diz que Deus “segundo a sua abundante misericórdia, tem nos dado um novo nascimento [...] através da ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos” (IPe 1.3, tradução do autor). • Podemos concluir que ambos - Deus Pai e Deus Espírito Santo - produzem a regeneração.
  19. 19. III. O ATO DA REGENERAÇÃO • Sabemos que de algum modo nós, que estivemos espiritualmente mortos (Ef 2.1), fomos vivificados por Deus e num sentido muito verdadeiro “nascemos de novo” (Jo 3.3, 7; Ef 2.5; Cl 2.13). • Mas não entendemos como isso ocorre ou o que exatamente Deus faz para nos dar essa nova vida espiritual. • Jesus diz: “O vento sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo o que é nascido do Espírito” (Jo 3.8).
  20. 20. • Regeneração é o ato divino que concede ao penitente que crê uma vida nova e mais elevada mediante união pessoal com Cristo.
  21. 21. (a) Nascimento. • Deus o pai é quem "gerou", e o crente é "nascido" de Deus (1 João 5:1), "nascido do Espírito" (João 3:8), "nascido do alto" (tradução literal de João 3:3,7). • Esses termos referem-se ao ato da graça criadora que faz do crente um filho de Deus. O Novo Testamento assim descreve a regeneração:
  22. 22. (b) Purificação. • Deus nos salvou pela "lavagem" (literalmente, lavatório ou banho) da regeneração". • (Tito 3:5.) A alma foi lavada completamente das imundícias da vida de outrora, recebendo novidade de vida, experiência simbolicamente expressa no ato de batismo.
  23. 23. (c) Vivificação. • Somos salvos não somente pela "lavagem da regeneração", nas também pela "renovação do Espírito Santo" (Tito 3:5. • Vide também Col. 3:10; Rom. 12:2; Ef. 4:23; Sal. 51:10). • A essência da regeneração é uma nova vida concedida por Deus Pai, mediante Jesus Cristo e pela operação do Espírito Santo.
  24. 24. (d) Criação. • Aquele que criou o homem no princípio e soprou em suas narinas o fôlego de vida, o recria pela operação do seu Espírito Santo. • (2 Co. 5:17;Ef. 2:10; Gl. 6:15; Ef. 4:24; vide Gên. 2:7). • O resultado prático é uma transformação radical da pessoa em sua natureza, seu caráter, desejos e propósitos.
  25. 25. (e) Ressurreição. • (Rom. 6:4,5; Col. 2:13; 3:1; Ef 2:5, 6). • Como Deus vivificou o barro inanimado e o fez vivo para com o mundo físico, assim ele vivifica a alma em seus pecados e a faz viva para as realidades do mundo espiritual. • Esse ato de ressurreição espiritual é simbolizado pelo batismo nas águas. • A regeneração é "a grande mudança que Deus opera na alma quando a vivifica; quando ele a levanta da morte do pecado para a vida de justiça".
  26. 26. Efeitos da regeneração. • Podemos agrupá-los sob três tópicos: posicionais (adoção); espirituais (união com Deus); práticos (a vida de justiça).
  27. 27. • Quando a pessoa passa pela transformação espiritual conhecida como regeneração, torna-se filho de Deus e beneficiário de todos os privilégios dessa filiação. • Assim escreve o Dr. William Evans: "Pela adoção, o crente, que já é filho de Deus, recebe o lugar de filho adulto; dessa forma o menino torna-se filho, o filho menor torna-se adulto." (Gál. 4:1-7). • A palavra "adoção" significa literalmente: "dar a posição de filhos" e refere-se, no uso comum, ao homem que toma para seu lar crianças que não são as suas pelo nascimento. a) Posicionais.
  28. 28. • Quanto à doutrina, devemos distinguir entre adoção e regeneração: o primeiro é um termo legal que indica conceder o privilégio de filiação a um que não é membro da família; o segundo significa a transformação espiritual que toma a pessoa filho de Deus e participante da natureza divina.
  29. 29. • Contudo, na própria experiência, é difícil separar os dois, visto que a regeneração e a adoção representam a dupla experiência da filiação.
  30. 30. • No Novo Testamento a filiação comum é, às vezes, definida pelo termo "filhos" ("uioi"— no grego), termo que originou a palavra "adoção"; outras vezes é definida pela palavra "tekna", no grego, também traduzida por "filhos", que significa literalmente "os gerados", significando a regeneração. • As duas idéias são distintas e ao mesmo tempo combinadas nas seguintes passagens: "Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder (implicando adoção) de serem feitos filhos de Deus... os quais... nasceram... de Deus" (João 1:12,13).
  31. 31. • "Vede quão grande caridade nos tem concedido o Pai, que fôssemos chamados (implicando adoção) filhos de Deus (a palavra que significa "gerados" de Deus)" (1 João 3:1). • Em Rom. 8:15,16 as duas idéias se entrelaçam: "Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes em temor, mas recebestes o espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos Abba, Pai. • O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus."
  32. 32. • Devido à sua natureza, a regeneração envolve união espiritual com Deus e com Cristo mediante o Espírito Santo; e essa união espiritual envolve habitação divina (2 Cor. 6:16-18; Gál. 2:20; 4:5,6; 1 João 3:24; 4:13.) • Essa união resulta em um novo tipo de vida e de caráter, descrito de várias maneiras; novidade de vida (Rm. 6:4); um novo coração (Ez. 36:26); um novo espírito (Ez. 11:19); um novo homem (Efés. 4:24); participantes da natureza divina (2 Ped. 1:4). (b) Espirituais.
  33. 33. CONCLUSÃO • A entrevista de nosso Senhor com Nicodemos (João 3) proporciona um excelente fundo histórico para o estudo deste tópico. • As primeiras palavras de Nicodemos revelam uma série de emoções provenientes do seu coração. • A declaração abrupta de Jesus no verso 3, que parece ser uma repentina mudança do assunto, explica-se pelo fato de Jesus estar respondendo ao coração de Nicodemos e não às palavras de sua interrogação.
  34. 34. 1) Fome espiritual. • Se esse chefe judaico tivesse expressado o desejo de sua alma, talvez teria dito: "Estou cansado do ritualismo morto da sinagoga vou lá mas volto para casa com a mesma fome com que saí. Infelizmente, a glória divina afastou-se de Israel; não há visão e o povo perece. • Mestre, a minh'alma suspira pela realidade! Pouco conheço de tua pessoa, mas tuas palavras tocaram-me o coração. Teus milagres convenceram-me de que és Mestre vindo de Deus. Gostaria de te acompanhar. As primeiras palavras de Nicodemos revelam.
  35. 35. 2) Faltou a Nicodemos profunda convicção. • Sentiu a sua necessidade, mas necessidade dum instrutor e não dum Salvador. • Tal qual a mulher samaritana, ele queria a água da vida (João 4:15), mas, como aquela, Nicodemos teve de compreender que era pecador, que precisava de purificação e transformação. (João 4:16-18.)
  36. 36. • 3) Nota-se nas suas palavras um rasto de auto- complacência. • Coisa muito natural num homem de sua idade e posição. • Ele diria a Jesus: "Creio que foste enviado a restaurar o reino de Israel, e vim dar-te alguns conselhos quanto aos planos para conseguir esse objetivo.“ • Provavelmente ele supôs que sendo • israelita e filho de Abraão, essas qualificações seriam suficientes para o tornarem membro do reino de Deus.
  37. 37. • "Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus." • Parafraseando essa passagem, Jesus diria: "Nicodemos, tu não podes unir-te à minha companhia como se te unisses a uma organização.
  38. 38. • O pertencer à minha companhia não depende da qualidade de tua vida; minha causa não é outra senão aquela do reino de Deus, e tu não podes entrar nesse reino sem experimentar uma transformação espiritual. • O reino de Deus é muito diferente do que estás pensando, e o modo de estabelecê-lo e de juntar seus súditos é muito diferente do meio de que estás cogitando."
  39. 39. • Jesus apontou a necessidade mais profunda e universal de todos os homens — uma mudança radical e completa da natureza e caráter do homem em sua totalidade. • Toda a natureza do homem ficou deformada pelo pecado, a herança da queda; essa deformação moral reflete-se em sua conduta e em todas as suas relações. • Antes que o homem possa ter uma vida que agrade a Deus, seja no presente ou na eternidade, sua natureza precisa passar por uma transformação tão radical, que seja realmente um segundo nascimento. • O homem não pode transformar-se a si mesmo; essa transformação terá que vir de cima.

×