4º trimestre 2015 lição 01 adultos

286 visualizações

Publicada em

“...Sem o livro de Gênesis, as grandes perguntas da vida ainda estariam sem resposta...”

Publicada em: Espiritual
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

4º trimestre 2015 lição 01 adultos

  1. 1. MODELO
  2. 2. VERDADE PRÁTICA • “...Sem o livro de Gênesis, as grandes perguntas da vida ainda estariam sem resposta...”
  3. 3. LEITURA DIÁRIA Segunda - Gn 1.1 • Deus cria, no princípio, os céus e a terra Terça - Gn 2.7 • A criação do ser humano, obra prima da criação Quarta - Gn 3.1-7 • A Queda do homem e a entrada do pecado no mundo Quinta - Gn 7.1-12 • A maldade humana se multiplica e Deus ordena o dilúvio Sexta - Gn 12.1-3 • Deus chama Abraão e dá início à nação de Israel Sábado - Gn 45.5 • José, o governo da providência divina
  4. 4. OBJETIVO GERAL • Apresentar um panorama geral do livro de Gênesis.
  5. 5. OBJETIVOS ESPECÍFICOS • Apresentar o tema, data, autoria e local do livro de Gênesis; • Conhecer os objetivos do livro de Gênesis; • Explicar o conteúdo do livro de Gênesis.
  6. 6. ESBOÇO DA LIÇÃO I - TEMA, DATA, AUTORIA E LOCAL – 1.Tema. – 2.Data. – 3. Autoria. – 4. Local. II - OBJETIVOS DO GÊNESIS – 1.Fortalecer a fé da geração do êxodo. – 2.Responder às grandes perguntas da vida. III - O CONTEÚDO DO GÊNESIS – 1.Criação. – 2.A Queda e a degradação humana. – 3.O dilúvio. – 4.O recomeço da civilização. – 5.A origem da nação de Israel.
  7. 7. PONTO CENTRAL • O livro de Gênesis responde as grandes pergunta da vida: “...Quem criou o universo?..." e “...De onde viemos?...".
  8. 8. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE Gênesis 1.1-10,14,26 1 - No princípio, criou Deus os céus e a terra. 2 - E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas. 3 - E disse Deus: Haja luz. E houve luz. 4 - E viu Deus que era boa a luz; e fez Deus separação entre a luz e as trevas. 5 - E Deus chamou à luz Dia; e às trevas chamou Noite. E foi a tarde e a manhã: o dia primeiro.
  9. 9. 6 - E disse Deus: Haja uma expansão no meio das águas, e haja separação entre águas e águas. 7 - E fez Deus a expansão e fez separação entre as águas que estavam debaixo da expansão e as águas que estavam sobre a expansão. E assim foi. 8 - E chamou Deus à expansão Céus; e foi a tarde e a manhã: o dia segundo. 9 - E disse Deus: Ajuntem-se as águas debaixo dos céus num lugar; e apareça a porção seca. E assim foi.
  10. 10. 10 - E chamou Deus à porção seca Terra; e ao ajuntamento das águas chamou Mares. E viu Deus que era bom. 14 - E disse Deus: Haja luminares na expansão dos céus, para haver separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais e para tempos determinados e para dias e anos. 26 - E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo réptil que se move sobre a terra.
  11. 11. TEXTO ÁUREO • "No princípio, criou Deus os céus e a terra." (Gn 1.1)
  12. 12. • Deus se revela na Bíblia como um ser infinito, eterno, auto-existente e como a Causa Primária de tudo o que existe. • Nunca houve um momento em que Deus não existisse. • Conforme afirma Moisés: “...Antes que os montes nascessem, ou que tu formasses a terra e o mundo, sim, de eternidade a eternidade, tu és Deus...” (Sl 90.2). • Noutras palavras, Deus existiu eterna e infinitamente antes de criar o universo finito. • Ele é anterior a toda criação, no céu e na terra, está acima e independe dela (1Tm 6.16; Cl 1.16).
  13. 13. INTRODUÇÃO • Sem o Gênesis, não teríamos condições de responder às grandes perguntas da vida: • "Quem fez os céus e a terra?" e, • "De onde viemos?" • Tendo em vista a sua importância à nossa fé, começaremos a estudar, a partir de agora, essa porção tão querida das Sagradas Escrituras.
  14. 14. • Que o Senhor nos ajude a entender a sua obra criadora e os propósitos da sua criação. • E que o Espírito Santo nos ilumine com as histórias e doutrinas do livro que, escrito há três mil e quinhentos anos, jamais perdeu a influência e a atualidade. • Estude metodicamente o Gênesis. • Destaque as partes que mais lhe tocarem o coração, aplicando-as à sua vida. • Você comprovará a eficácia desse livro da Bíblia em seu cotidiano.
  15. 15. • Gênesis (do grego Γένεσις, "origem", "nascimento", "criação") é o primeiro livro tanto da Bíblia Hebraica como da Bíblia cristã. • Gênesis é o nome dado pela Septuaginta.
  16. 16. • ao primeiro destes livros, ao passo que seu título hebraico Bereshit (‫ית‬ ִׁ‫אש‬ ֵ‫ְּר‬‫ב‬, B'reishit, "No princípio“ • é tirado da primeira palavra de sua sentença inicial. • O livro de Gênesis tem sido por vezes chamado de “semente-enredo” de toda a Bíblia. • A maioria das principais doutrinas da Bíblia é introduzida de forma “semente” no livro de Gênesis. • Junto com a Queda do homem, a promessa de Deus de salvação ou redenção é registrada (Gn 3.15). • As doutrinas da criação, imputação do pecado, justificação, expiação, depravação, ira, graça, soberania, responsabilidade e muitas outras são abordadas neste livro de origens chamado Gênesis.
  17. 17. O Pecado e a depravação do gênero humano.
  18. 18. • Muitas das grandes questões da vida são respondidas em Gênesis. • (1) De onde é que eu vim? (Deus nos criou - Gn 1.1) • (2) Por que estou aqui? (Nós estamos aqui para ter um relacionamento com Deus - Gn 15.6) • (3) Para onde vou? (Temos um destino após a morte - Gênesis 25.8). • Gênesis é o primeiro dos cinco “livros de Moisés”. • Os quais compõem o Pentateuco ou primeira divisão da Bíblia.
  19. 19. • O Pentateuco relata a história das origens da nação israelita e de suas instituições, especialmente a Torá ou Lei que Javé, o Deus de Israel, revelou ao seu povo escolhido. Dentro do Pentateuco, o livro de Gênesis funciona como a introdução ao êxodo do Egito, o grande evento salvífico do Antigo Testamento que deu início à nação israelita.
  20. 20. I. TEMA, DATA, AUTORIA E LOCAL • 1. Tema. • 2. Data. • 3. Autoria. • 4. Local. Neste tópico, buscaremos algumas informações bíbliológicas sobre o primeiro livro da Bíblia Sagrada.
  21. 21. • O tema de Gênesis pode ser resumido em seu primeiro versículo: • "No princípio, criou Deus os céus e a terra" (Gn 1.1). • O assunto central do livro, portanto, é a origem divina dos céus, da terra, da humanidade e do povo de Israel. 1- Tema.
  22. 22. • 0 Livro de Gênesis tem uma introdução (1.1—2.3) e dez divisões, cada uma das quais introduzida pela palavra hebraica toledot (“gerações, origens”), que os estudiosos admitem ter o significado de “história, conto ou relato” em vez de simplesmente genealogia. • Estas divisões ocorrem em 2.4; 5.1; 6.9; 10.1; 11.10; 11.27; 25.12; 25.19; 36.1; 37.2
  23. 23. • Depois do relato introdutório da criação, o livro se concentra fundamentalmente em homens importantes e seus descendentes. Estes homens são Adão, Noé, Abraão, Isaque, Jacó e José. • Personagens de menor importância relacionados a estes indivíduos notáveis são tratados pelo simples alistamento de suas genealogias.
  24. 24. • Tendo descrito vigorosamente a corrupção destes povos em 6.1-4, o relato anuncia a decisão do Todo-poderoso em julga-los por meio de um grandioso dilúvio, mas, ao mesmo tempo, salvar um remanescente dando proteção a Noé e sua família numa arca. • Os descendentes de Noé também são apresentados no aumento numérico e na expansão via migração através de uma lista genealógica.
  25. 25. • O propósito principal do Livro de Gênesis é mostrar como Deus escolheu o povo de Israel para ter uma relação de concerto com Ele.
  26. 26. • Essa escolha se revela na forma em que Ele lidou com os progenitores dos israelitas. • Ainda que haja semelhanças notáveis entre outros escritos antigos e as histórias bíblicas da criação, da queda do homem e do dilúvio, o interesse bíblico na origem do universo é basicamente teológico. • Seu empenho é declarar que todas as coisas procedem e são sustentadas por um Deus Criador. • O politeísmo e suas nuanças são deliberadamente ignorados.
  27. 27. • No Livro de Gênesis, o interesse na origem do homem e na origem do pecado diz respeito fundamentalmente à natureza do relacionamento entre o homem e Deus, tanto em sua comunhão original quanto em sua posterior oposição negativa e desobediente à vontade de Deus.
  28. 28. • Do ponto de vista teológico, o teor de Gênesis é inflexivelmente monoteísta. • O paganismo não é abertamente questionado ou rejeitado; é amplamente ignorado. • NOTA. • O Livro de Gênesis desafia a validade do politeísmo, do dualismo, do deísmo e do panteísmo, não pela análise negativa de suas fraquezas, mas pela afirmação positiva da unidade, soberania e realidade pessoal divina. • Em Gênesis, há a apresentação das qualidades pessoais e dinâmicas da relação divino-humana dentro do concerto, sobretudo na forma narrativa e, secundariamente, por meio de resumos genealógicos.
  29. 29. • A cronologia de que dispomos indica que o Gênesis foi escrito no século 15 antes do nascimento do Salvador. • É a obra mais antiga a chegar-nos integralmente às mãos. • Dos textos mesopotâmios e egípcios, por exemplo, só nos restam fragmentos confusos e bastante duvidosos. • Quanto ao Gênesis, nós o temos em sua integridade. 2- Data
  30. 30. • Atribui-se a Johann Eichhorn, professor na Universidade de Iena, Alemanha, em fins do século XVIII, a rejeição da, amplamente aceita, autoria mosaica do Pentateuco.
  31. 31. • Nos primeiros três quartos do século XIX, os professores alemães discutiam se havia muitas fontes, duas fontes ou apenas uma fonte para o Livro de Gênesis. • Eles dataram estas fontes ao longo de todo o tempo entre Salomão e Esdras.
  32. 32. • Usando como indícios a ocorrência de diversos nomes divinos, as diferenças de vocabulário e a suposta divergência de pontos de vista teológicos. • A controvérsia predominou entre uma história de composição fragmentada e uma unidade básica em construção.
  33. 33. • Os estudiosos conservadores consistentemente defendem que a teoria descrita acima é inaceitável, sendo incentivados pelo volume de evidências contrárias fornecidas pelos estudos no antigo Oriente Próximo.
  34. 34. • Cada vez mais os estudiosos defendem que o conteúdo de Gênesis 1 a 11 deve ter entrado na coletânea de fatos e tradições hebraicas antes do tempo de Abraão. • Atualmente, aceita-se que a orientação social, econômica e política das histórias dos patriarcas está solidamente arraigada no período de 2000 a 1500 a.C. • A única barreira tem a ver com a teologia. • Há um reconhecimento crescente de que crenças monoteístas predominavam entre os hebreus nos dias de Moisés, mas só os estudiosos conservadores ousam asseverar que o monoteísmo era desde o início a fé dos patriarcas.
  35. 35. • “A data tradicional do êxodo do Egito se encontra no meio de décimo quinto século a.C. • 1Rs 6.1 afirma que Salomão começou a construir o Templo “no ano 480 depois de saírem os filhos de Israel do Egito”. • Entende-se que Salomão tenha iniciado a construção em cerca de 960 a.C., datando assim o êxodo em 1440 a.C. • Desta forma, Moisés redigiu o Êxodo depois de 1440 a.C., durante os quarenta anos no deserto” • A Bíblia de Estudo Plenitude
  36. 36. • As evidências da própria Bíblia indicam que o livro de Gênesis foi escrito por Moisés (Lc 24.44). • Inspirado pelo Espírito Santo, ele selecionou as narrativas orais e os registros genealógicos conservados pelos hebreus, redigindo-os como um todo homogêneo, coerente e lógico. • Trata-se de um texto confiável e sem contaminação mitológica. • Jesus mesmo atestou-lhe a historicidade (Mt 19.4-6; Lc 11.51). • Sua inspiração divina é incontestável. 3- Autoria
  37. 37. • Uma breve discussão da autoria não faz justiça à massa de literatura sobre o assunto nem à complexidade dos problemas. • A controvérsia gira em torno da questão se o Livro de Gênesis, como o conhecemos em todos os manuscritos existentes, foi produto de Moisés e seu tempo ou de escritores desconhecidos.
  38. 38. • Ao longo dos últimos dois séculos, os estudiosos se dividem entre os que aceitam a autoria ou autoridade mosaica e os que consideram que o material do Livro de Gênesis é trabalho de muitos “autores” desconhecidos (ver análise em “O Pentateuco”).
  39. 39. • O texto do livro não menciona o nome de Moisés e, como dito anteriormente, foi Lutero (1483-1546) quem juntou ao título a anotação sobre Moisés. • Levando em conta que o derradeiro acontecimento narrado em Gênesis ocorre muito tempo antes dos dias de Moisés, os estudiosos ortodoxos defendem que ele modelou o material antigo em sua forma atual.
  40. 40. • O livro de Gênesis foi escrito durante a peregrinação dos filhos de Israel rumo à Terra Prometida, isto é, entre o Egito e o deserto do Sinai (Êx 24.4). 4- Local
  41. 41. • Onde obteve Moisés as informações que incluiu em Gênesis? • Todas as informações contidas no livro de Gênesis se relacionam com eventos que ocorreram antes do nascimento de Moisés. Podem ter sido recebidas diretamente por revelação divina. • É óbvio que alguém, quer Moisés, quer outro antes dele, teve de obter desta forma as informações sobre os acontecimentos anteriores à criação do homem. • O livro de Gênesis não afirma quando foi escrito. A data de sua autoria, como vimos, é provavelmente entre 1440 e 1400 a.C., entre o tempo quando Moisés conduziu os israelitas para fora do Egito e a sua morte, durante a peregrinação no deserto.
  42. 42. • (Gên 1:1-27; 2:7, 8) Estas informações, bem como os pormenores restantes, porém, podem ter sido transmitidas a Moisés por meio de tradição oral.
  43. 43. • As informações podem ter sido transmitidas por Adão a Moisés através de apenas cinco elos humanos, a saber, Metusalém, Sem, Isaque, Levi e Anrão.
  44. 44. • Uma terceira possibilidade é que Moisés obteve grande parte das informações relativas a Gênesis de escritos ou documentos já existentes. • Já no século 18, o erudito holandês Campegius Vitringa sustentava este conceito baseando sua conclusão nas freqüentes ocorrências, em Gênesis (dez vezes), da expressão (em KJ; Tr) “estas são as gerações de”, e uma vez “este é o livro das gerações de”. (Gên 2:4; 5:1; 6:9; 10:1) • Nesta expressão, a palavra hebraica para “gerações” é toh·le·dhóhth, melhor traduzida por “histórias” ou “origens”. A equivalente grega é ge·ne·á, derivada duma raiz que significa “nascer” (genealogias).
  45. 45. • Por estes motivos, Vitringa e outros desde então têm entendido que cada uso de toh·le·dhóhth, em Gênesis, se refere a um documento histórico já existente, que Moisés tinha em seu poder e em que ele se baseava para obter a maior parte das informações registradas em Gênesis.
  46. 46. • Eles acreditam que as pessoas mencionadas em conexão direta com essas ‘histórias’ (Adão, Noé, os filhos de Noé, Sem, Tera, Ismael, Isaque, Esaú e Jacó) ou eram os escritores, ou eram os donos originais destes documentos escritos. • Naturalmente, isto ainda deixa sem explicação como todos estes documentos vieram a estar no poder de Moisés. • Também deixa sem explicação por que documentos obtidos de homens que não se distinguiram como adoradores fiéis de Jeová (tais como Ismael e Esaú) devessem ser a fonte de muitas das informações usadas.
  47. 47. • É inteiramente possível que a expressão: Genealogias
  48. 48. • Portanto, não se pode chegar a nenhuma conclusão definitiva sobre a fonte direta da qual Moisés obteve as informações que registrou. • Durante a peregrinação, Moisés obteve diversas informações tanto oral como escrita, que ligava ao povo. • Antes, em vez de ter sido apenas por um dos métodos considerados, as informações podem ter sido recebidas por meio de todos os três, parte através de revelação direta, parte por transmissão oral e parte através de registros escritos. • O ponto importante é que Jeová Deus guiou o profeta Moisés, de modo que este escreveu sob inspiração divina. — 2Pe 1:21.
  49. 49. • A matéria destinava-se a servir de guia inspirado para gerações futuras. Devia ser lida freqüentemente para o povo (De 31:10-12; 2Rs 23:2, 3; Ne 8:2, 3).
  50. 50. SAIBA MAIS A história da criação • "A primeira coisa que chama a atenção do leitor da Bíblia é o laconismo (apenas dois capítulos) com que a história da Criação do mundo e da humanidade é contada. • A aritmética de Gênesis é impressionante. • Somente dois capítulos são dedicados à história da Criação e um à entrada do pecado na raça humana.
  51. 51. • Por outro lado, treze capítulos são dedicados a Abraão, dez a Jacó e doze a José (que nem era um patriarca, nem um filho por meio do qual as promessas da aliança seriam perpetuadas). • Ora, presenciamos o fenômeno de doze capítulos para José e apenas dois para a Criação. • Seria impossível alguém ser, por assim dizer, seis vezes mais importante que o mundo?" • A leitura do Gênesis nunca se fez tão necessária como nos dias de hoje. • Nossas crianças precisam saber quem fez todas as coisas.
  52. 52. II – OBJETIVOS DO GÊNESIS • 1.Fortalecer a fé da geração do êxodo. • 2.Responder às grandes perguntas da vida. Todos os livros da Bíblia Sagrada foram escritos com objetivos bem definidos, pois o propósito de Deus sempre foi a redenção plena de Israel e dos gentios (2 Tm 3.16). Na leitura de Gênesis, ressaltamos dois intuitos divinos.
  53. 53. • O propósito do primeiro livro do Pentateuco é fornecer um breve sumário da história da revelação, desde o princípio até que os israelitas foram levados para o Egito e estavam a ponto de se tornarem em nação teocrática.
  54. 54. • De forma prática, Gênesis parece demonstrar, do início ao fim, quem é o Deus que chamou a Moisés para liderar o Povo.
  55. 55. • É nesse texto que Moisés registra YAHWEH como o Deus que é poderoso para Criar, Julgar e Punir, Retribuir, Chamar, Restaurar e Salvar Seu povo. • Gênesis é um relato da Personalidade e Caráter de YAHWEH como Deus Poderoso, Cuidadoso, Amoroso e Soberano.
  56. 56. • Os leitores ou ouvintes imediatos do Gênesis foram a geração dos filhos de Israel que, resgatada do Egito, peregrinava em direção a Canaã. • Na redenção dos hebreus, o Espírito Santo usou não somente a doutrina do Único e Verdadeiro Deus, mas também a narrativa da salvação (Êx 3.14-16). 1. Fortalecer a fé da geração do êxodo.
  57. 57. • Os israelitas, pois, careciam inteirar-se de uma grande verdade: o mesmo Senhor, que criou todas as coisas e se revelou a Abraão, era poderoso o bastante para introduzi-los na Terra Prometida (Êx 3.17). • Eles precisavam saber, igualmente, que a região de Canaã pertencia-lhes por direito, como atestam as várias escrituras de posse registradas em Gênesis (Gn 12.1; 15.18; 17.8; 26.3; 28.13; 50.24).
  58. 58. • Em êxodo 17.14 e 34.27, Deus ordenou que Moisés escrevesse um livro, e de fato ele escreveu (Êx 24.5-7; Nm 33.2; Dt 31.9) e chamou seu livro de o livro da aliança (Êx 24.7), o livro desta lei (Dt 28.58,61); e este livro da lei (Dt 29.20-27; 30.10; 31.24-26).
  59. 59. • Isso inclui todo o Pentateuco, que foi considerado pelos judeus um livro, com cinco partes. • Gênesis registra com exatidão a criação, os começos da história da humanidade e a origem do povo hebreu, bem como o concerto entre Deus e os hebreus através de Abraão e os demais patriarcas. • Gênesis provê um alicerce essencial para o restante do Pentateuco e para toda a revelação bíblica subseqüente. • Preserva o único registro fidedigno a respeito dos começos do universo, da humanidade, do casamento, do pecado, das cidades, dos idiomas, das nações, de Israel e da história da redenção.
  60. 60. • Foi escrito de conformidade com o propósito de Deus a fim de dar ao seu povo segundo o concerto, tanto do AT quanto do NT • Uma compreensão fundamental de si mesmo, da criação, da raça humana, da queda, da morte, do julgamento, do concerto e da promessa da redenção através do descendente de Abraão.
  61. 61. • Paulo sabia como empregar as verdades do Gênesis. • No Areópago de Atenas, ele deixou bem patente aos filósofos que o Deus Desconhecido, tão venerado pelos gregos, era de fato o Criador de todas as coisas (At 17.19-31). • Além de evangelizá-los, o apóstolo respondeu-lhes as grandes perguntas da vida: "Quem fez o Universo?" "E de onde viemos?" Até então, eles haviam buscado respostas em seus poetas e filósofos, mas a mitologia é incapaz de satisfazer-nos à sede espiritual. 2. Responder às grandes perguntas da vida.
  62. 62. • Na proclamação do Evangelho, faz-se necessária a evocação de três verdades que se acham em Gênesis: • 1) Deus criou os céus, a terra e o homem; • 2) Em Adão, todos pecamos, tornando-nos réus da morte eterna; • 3) Entretanto, Deus providenciou-nos eficaz salvação através da semente da mulher: Jesus Cristo, nosso Salvador.
  63. 63. • A leitura do Gênesis nunca se fez tão necessária como nos dias de hoje. • Nossas crianças precisam saber quem fez todas as coisas. • O que eles veem não é obra do acaso; é criação divina. • Se não formos precavidos, doutrinas fúteis. • Como o evolucionismo, lhes roubarão a fé salvadora.
  64. 64. • Apesar de Gênesis mostrar o fracasso humano, sua queda e perda de sua posição para com Deus, o livro também é o registro da graça de Deus. • Desde o começo o Senhor proveu a redenção do homem através da semente da mulher – a promessa do nascimento de Cristo.
  65. 65. • Apesar de Gênesis mostrar o fracasso humano, sua queda e perda de sua posição para com Deus, o livro também é o registro da graça de Deus. Desde o começo o Senhor proveu a redenção do homem através da semente da mulher – a promessa do nascimento de Cristo.
  66. 66. • Gênesis registra: • (1) O começo da história da humanidade, do pecado, do povo hebreu e da redenção. • (2) A história contida em Gênesis abrange um período de tempo maior do que todo o restante da Bíblia, e começa com o primeiro casal humano; dilata-se, abrangendo o mundo antediluviano, e a seguir limita-se à história do povo hebreu, o qual semelhante a uma torrente, conduz à redenção até o final do AT. • (3) Gênesis revela que o universo material e a vida na terra são categoricamente obra de Deus, e não um processo independente da natureza.
  67. 67. • Cinqüenta vezes nos caps. 1-2, Deus é o sujeito de verbos que demonstram o que Ele fez como Criador.
  68. 68. • (4) Gênesis é o livro das primeiras coisas — o primeiro casamento, a primeira família, o primeiro nascimento, o primeiro pecado, o primeiro homicídio, o primeiro polígamo, os primeiros instrumentos musicais, a primeira promessa de redenção, e assim por diante. • (5) O concerto de Deus com Abraão, que começou com a chamada deste (12.1-3), foi formalizado no cap. 15, e ratificado no cap. 17, e é da máxima importância em toda a Bíblia. • (6) Somente Gênesis explica a origem das doze tribos de Israel.
  69. 69. • (7) Revela como os descendentes de Abraão, por fim, se fixam no Egito (durante 430 anos) e assim preparam o caminho para o êxodo, o evento redentor central do AT. • O que precisamos mais para fundamentar a importância do livro para a apresentação do plano redentor?
  70. 70. III – O CONTEÚDO DO GÊNESIS • 1.Criação. • 2.A Queda e a degradação humana. • 3.O dilúvio. • 4.O recomeço da civilização. • 5.A origem da nação de Israel. O livro de Gênesis pode ser dividido em duas grandes seções. Do capítulo um ao 11, temos a História Primitiva, que vai da criação ao recomeço da civilização através de Noé. E, do capítulo 12 ao 50, entramos em contato com o início da História de Israel. Todavia, para efeitos didáticos, adotaremos uma divisão mais analítica.
  71. 71. • O livro de Gênesis pode ser dividido em duas seções: História Primitiva e História Patriarcal. • A História Primitiva registra: • (1) Criação (Gênesis 1-2), • (2) a Queda do homem (Gênesis 3-5), • (3) o Dilúvio (Gênesis 6-9) e • (4) a Dispersão (Gênesis capítulos 10-11). • A História Patriarcal registra as vidas de quatro grandes homens: • (1) Abraão (Gênesis 12-25:8), • (2) Isaque (Gênesis 21:1-35-29); • (3) Jacó (Gênesis 25:21-50: 14) e • (4) José (Gênesis 30:22-50:26).
  72. 72. • Deus criou um universo que era bom e livre do pecado. • Deus criou o homem para ter um relacionamento pessoal com Ele.
  73. 73. • Adão e Eva pecaram e, assim, trouxeram o mal e a morte ao mundo. • O mal aumentou de forma constante em todo o mundo até que houve apenas uma família em que Deus encontrou algo de bom.
  74. 74. • Deus enviou o Dilúvio para acabar com o mal, mas salvou Noé, sua família e os animais da Arca. • Após o Dilúvio, a humanidade começou novamente a se multiplicar e a se espalhar por todo o mundo. • Deus escolheu Abraão, através de quem Ele criaria um povo escolhido e eventualmente o Messias prometido.
  75. 75. • A linhagem escolhida foi passada para o filho de Abraão, Isaque, e então ao filho de Isaque, Jacó. • Deus mudou o nome de Jacó para Israel, e os seus doze filhos tornaram-se os antepassados das doze tribos de Israel. • Em Sua soberania, Deus fez com que o filho de Jacó, José, fosse enviado para o Egito como resultado das ações desprezíveis dos seus irmãos. • Este ato, projetado para o mal pela perversidade dos irmãos, foi por Deus destinado para o bem e eventualmente resultou em Jacó e sua família sendo salva por José de uma fome devastadora, pois este havia adquirido grande poder no Egito.
  76. 76. • Em seus dois capítulos iniciais, o autor sagrado mostra como vieram a existir os céus, a terra e a humanidade. • Tudo quanto vemos, e também o que não podemos ver, foi criado por Deus (Gn 1-2). • O capítulo dois é dedicado à criação do homem e da mulher e à instituição do casamento. • Temos aqui uma história real, e não uma parábola como alegam os incrédulos. 1- Criação
  77. 77. • Capítulos 1 e 2 falam sobre a criação do Universo pela palavra de Deus. O autor não apresenta argumentos filosóficos nem explicações científicas deste processo. Ele afirma que Deus falou e, pela força da sua palavra, criou todas as coisas.
  78. 78. • O primeiro capítulo descreve a criação geral e o segundo volta a destacar mais detalhadamente o que Deus fez para criar o homem e a mulher, o casal que passa a ser conhecido como Adão e Eva. • Deus criou este casal com a capacidade de compreender palavras faladas e de escolher entre o amor e o ódio. • O amor seria manifestado em atos de obediência para agradar o Criador, enquanto a rebeldia seria prova do desrespeito para com ele. • Descobrimos no capítulo 2, também, a vontade de Deus sobre o casamento.
  79. 79. • Antes de existir qualquer tipo de igreja ou religião organizada. • Deus explicou sua intenção de um homem e uma mulher se unirem no casamento (Gn 2.24; compare Mc 10.5-8).
  80. 80. • Nos capítulos três, quatro e cinco, vemos como o pecado foi introduzido no mundo e as suas terríveis conseqüências. • Em meio a essa tragédia, porém, o Senhor anuncia a redenção da humanidade através da semente da mulher (Gn 3.15). 2. A Queda e a degradação humana.
  81. 81. • Os Capítulos 3, 4 e 5 destacam a separação do homem de Deus em conseqüência do pecado. • Adão e Eva desobedeceram a palavra de Deus e sofreram várias conseqüências deste erro. • O mais grave dos resultados foi a separação de Deus na expulsão do casal do paraíso terrestre do Éden.
  82. 82. • Depois, outros também pecaram e sofreram conseqüências.
  83. 83. • Devido à degradação da raça humana, o Senhor decreta o fim da primeira civilização. • A descendência de Adão, porém, seria preservada por intermédio de Noé (Gn 6-8). 3 – O dilúvio.
  84. 84. • Os Capítulos 6 a 9 relatam um dilúvio mundial que Deus usou para limpar o mundo do pecado e começar novamente com a família de Noé. • Oito pessoas foram salvas pela água (1 Pedro 3:20).
  85. 85. • Passado o grande dilúvio, Noé dá início a um novo ciclo civilizatório. • A história do recomeço é contada dos capítulos nove a 11 de Gênesis. • Dessa forma, o clã noético acaba por gerar nações, línguas e culturas diferentes. 4 - O recomeço da civilização.
  86. 86. • Os Capítulos 10 e 11 descrevem a dispersão dos descendentes de Noé depois do dilúvio. Foram espalhados pela confusão dos idiomas que Deus fez quando alguns tentaram se exaltar contra o Senhor.
  87. 87. • No final do capítulo 11, a lista dos descendentes de Noé chega a Abraão, o personagem principal do resto do livro de Gênesis.
  88. 88. • A partir do capítulo 12 até ao fim do livro, o autor sagrado dedica-se à formação da nação de Israel. • A história do povo eleito, no Gênesis, tem início com Abraão e encerra-se com José. 5. A origem da nação de Israel.
  89. 89. • Os Capítulos 12 a 50 contam a história de quatro gerações da família pela qual Deus prometeu cumprir seus propósitos para com os homens. Deus prometeu fazer dos descendentes de Abraão uma grande nação que receberia uma terra especial.
  90. 90. • Esta profecia de Gênesis 12:1-3 predisse a vinda de Jesus Cristo uns 2.000 anos antes do seu nascimento. Nestes capítulos, aprendemos sobre a fé obediente de Abraão, Isaque, Jacó e José.

×