SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Três Gigantes em Ascensão:
         Brasil, China, Índia



Vinod Thomas
Diretor-Geral do Grupo Independente de Avaliação
do Banco Mundial
Junho de 2007
Desempenho do crescimento


Taxas de crescimento do PIB real (% médio anual)
Região ou país              1960-69 1970-79 1980-89 1990-99 2000-2005
América Latina e Caribe       5,2     5,6    1,7      3,0      2,6
Brasil*                       5,9     8,5    3,0      1,8      3,0
Leste Asiático e Pacífico     3,8     7,2    7,7      8,0      8,1
China                         3,0     7,4    9,8      9,7      9,3
Sul da Ásia                   4,2     3,0    5,7      5,4      6,0
Índia                         4,0     2,9    5,9      5,7      6,4
Fonte: Thomas (2006) e cálculos do Autor para 2000-2005, de acordo com
 a Base de dados do Banco Mundial.
* Os dados de 2000-2005 se baseiam na recente revisão para cima do PIB,
 realizada pelo Governo brasileiro.
 (“Brazil’s Economy: Bigger than Thought”, The Economist, March 22, 2007)
Hiatos de renda em relação aos países
                avançados
Aumento do hiato no Brasil e redução na China e na Índia em
relação aos EUA.

Mudanças nos hiatos de renda per capita em relação aos EUA (1995-2005)
         PIB per capita (PPC em $ internacional constante em 2000                              2005

         ou em US$ constante em 2000) (como % do US$)                                          1995

                                                                                     Percentual de mudança (1995-2005)

                                           9,6                                                -14,1
 Brasil ($)                                      11,1

 Brasil (PPC)                                                          20,9                    -9,3
                                                                              23,0

 Índia ($)            1,6
                     1,2                                                                       25,1

 Índia (PPC)                             8,3                                                  26,0
                                   6,6

 China ($)                   3,8                                                              75,0
                       2,2

 China (PPC)                                             15,7                                 73,2
                                          9,1


 Fonte: Cálculos do Autor, de acordo com a Base de dados do Banco Mundial
A produtividade (PTF) é essencial para
               o crescimento
 O crescimento aumentou quando a taxa da PTF estava alta


Contribuição da Produtividade Total dos Fatores (PTF) para o crescimento do PIB (%)
 País         Crescimento         1978-1993 1993-2004        1978-2004 2003-2005
             Contribuição em         3,6            4            3,8           --
        1
  China     pontos percentuais
            % de contribuição         40           41            41            --
             Contribuição em       1,1          2,3           1,6        3,5
        1
  Índia    pontos percentuais
           % de contribuição        24           35           30         43,5
País      Crescimento             1960-69     1970-79       1980-89    1990-99
            Contribuição em
       2                           2.15        2.33         -3.74        1.82
  Brasil pontos percentuais
           % de contribuição        37           29          -260        -92
Fonte: 1. Bosworth e Collins, 2007; Poddar e Yi, 2007 para 2003-2005; 2. Thomas,
2006 a partir de Loayza e Calderón, 2002.
(PTF = Modelo ampliado de Solow, que incorpora a educação)
PTF nos episódios de crescimento
                 mundiais
Dos 220 episódios de crescimento em 110 economias, 85% dos quais
com uma taxa média de aumento do PIB acima de 7%, o percentual de
contribuição da PTF foi maior do que 35%.
   Na maioria dos episódios de crescimento com aumento do PIB acima de 7%, a contribuição da PTF
   foi de 35% ou mais
                                      1989-1995 (%)                                1995-2003 (%)
                           Taxa de        PTF         Parcela de        Taxa de        PTF Parcela de cntribuição
                      crescimento do PIB        contribuição da PTF crescimento do PIB           da PTF
   Camboja                   7,48         3,21           43
   China                     9,94         6,33           64               7,13         2,49         35
   Malásia                   8,45          3,4           40
   Cingapura                 7,95         3,69           46
   Coréia do Sul             7,48         3,13           42
   Tailândia                 8,58         4,74           55
   Irlanda                                                                7,99         3,52         44
   Israel                   7,03          2,11           30
                                                         30
   Chile                     7,24         3,55           49
   Líbano                   13,51        12,27           91
   Síria                     7.97         4.87           61
   Moçambique                                                             7,91         2,72         34
                                                                                                    34
   Ásia em                   7,35         3,86           53
   desenvolvimento
   Fonte: Análises do Autor com base nos dados de Jorgenson e Vu, 2005.
   Nota: entre as 110 economias ou os 220 episódios de crescimento estudados por Jorgenson e Vu, 2005, apenas os 13 exemplos acima
   apresentaram uma taxa de crescimento do PIB acima de 7%.
Reformas são essenciais para
      o crescimento da PTF
Liberalização gradual do
comércio e do setor
financeiro, e
desregulamentação da
indústria nos três países.
Na Índia, o setor privado se
tornou mais produtivo após
a sua reestruturação, devido
à pressão competitiva.
O comércio permitiu que a
China se tornasse mais
eficiente   por    meio    da
especialização vertical e das
economias de escala.
O Brasil apresentou um
aumento na produtividade
desde meados dos anos 90,
quando as reformas foram
iniciadas.
Assimilação, inovação e atualização
                     Importação de novos
                     equipamentos e
                     maquinaria.
                     Especialização vertical.
                     P&D voltados para
                     negócios: Conjunto de
                     produtos de exportação
                     da China direcionados
                     aos países da OCDE.
                     Modernização e
                     capacitação industrial:
                     a Índia ocupa um lugar
                     de destaque na
                     terceirização global de
                     TI.
Uma restrição comum
Os três países enfrentam uma profunda desigualdade

 Parcela de renda dos 20% mais ricos e mais pobres da população
               70
                                                                           Renda dos 20% mais ricos
                            62,1
                                                                           Renda dos 20% mais pobres
               60



                                                         50,0
               50

                                                                                  43,3
  Percentual




               40




               30




               20




               10
                                                                                                8.9
                                                                     4.7
                                            2.6
                0

                               Brasil (2003)               China (2001)              Índia (2000)

               Fonte: Base de dados do Banco Mundialse
A desigualdade prejudica as
               perspectivas de crescimento


Evidências empíricas dos efeitos da distribuição de renda sobre o crescimento
  Subdisciplina           Canais          Principais publicações       Principais observações
 Organização industrial Investimento Loury, 1981; Perotti, 1992; As imperfeições do mercado de
                                     Aghion e Bolton, 1997;      capitais resultam no fato de que
                                                                 indivíduos pobres mas talentosos
                                                                 não obtêm vantagens por causa
                                                                 de sua impossibilidade em tomar
                                                                 empréstimos e investir.
  Política econômica     Incentivos      Alesina e Rodrik, 1994;    Uma maior desigualdade leva a
                                         Persson e Tabellini, 1996; pressões para uma mais ampla
                                                                    redistribuição de renda, a impostos
                                                                    mais elevados e a um crescimento
                                                                    reduzido.
                         Insegurança           Benabou, 1996          A desigualdade leva a conflitos
                                                                      sociopolíticos e, portanto, a direitos
                                                                      de propriedade menos seguros, que
                                                                      reduzem o investimento.
  Fonte: Gill, Kharas et alii., 2006 In: Gill, Hariharan e Kharas, 2006.
Cenário competitivo da China
Liderança nos setores de
baixa, média e alta
tecnologia.

Os produtos chineses que
demandam o uso intensivo
de mão-de-obra
continuarão a ser
competitivos, mesmo com
salários mais altos.

Para se tornarem
competitivos, os outros
países devem igualar ou
ultrapassar os
investimentos da China em
tecnologia e inovação.
Cenário competitivo da Índia
Manterá a liderança em
programas de computação,
consultoria empresarial,
incluindo planejamento e
engenharia.

Aumentará a capacidade de
fabricação, mas pode não
alcançar a escala de
exportação da China.

Não há perspectivas de
forte concorrência em
outros serviços, mas tem
grande potencial de
crescimento em todas
essas áreas.
Cenário competitivo do Brasil
De 1990 a 2002, o
comércio de serviços global
cresceu 155%, o setor
manufatureiro 100% e o
agrícola 40%.
O comércio de serviços
ultrapassará o de produtos
após a metade do século,
estimulado pelo comércio,
tecnologia, flexibilidade de
renda e maior produção
com uso intensivo de
serviços.
O mercado global de
serviços off-shore
empresariais e de TI
poderia atingir US$300
bilhões. Atualmente, foram
captados apenas 10%
desse valor.
Vantagens do Brasil nos serviços off-shore


o   Uma das melhores infra-   O Brasil apresenta diversas vantagens importantes no tmarketing offshore
    estruturas
o   Bons fornecedores de        Custo                 1,5      2,2       1,8      2,7       3,0      2,6       1,7      2,2       1,4      2,6


    serviços                    Fornecedores
                                             2,0               3,2       3,2      4,0       4,0      4,2       4,3      4,5       4,5      4,7
                                de serviços
o   Menor custo geral
                                                               4,2
                                Potencial de          3.5                         3,3       2,8      3,3       3,3      2,8       3,5       3,5
                                                                         1,8
                                mercado
                                Perfil de risco                          3,4                3,5                         3,5       3,9
                                                      2,7      2,8                2,7                2,3       2,2                         2,2
    Potencial de mercado e      Ambiente              3,6      3,0       3,6      3,1       3,3                3,4                3,7      3,0
                                                                                                     2,8                2,6
    ambiente de negócios
                                Qualidade da 3,3
    menos favoráveis            infra-estrutura                2,0       2,5      3,0       3,3      2,8       2,5      2,0       2,8      3,0




                                                                                                                                              ca
    Pouco domínio do




                                                                                  ia




                                                                                                                                            he
                                                                                                                         o
                                                                                                a
                                                              il

                                                                        na
                                                      a




                                                                                               ia


                                                                                             ia
                                                              as




                                                                                                                       ic
                                                                                  n


                                                                                             si
                                                   di




                                                                                                                                         Tc
                                                                                            gr




                                                                                                                                         as
                                                                               lô
                                                                      hi




                                                                                          ás


                                                                                                                     éx
                                                                                          ús
                                                 Ín


                                                            Br




                                                                             Po




                                                                                         un
                                                                     C




                                                                                                                                      in
                                                                                        al


                                                                                                                  M




                                                                                                                                       a
                                                                                        R
    idioma inglês e de




                                                                                                                                   lic
                                                                                                                           lip
                                                                                       H


                                                                                       M




                                                                                                                                 úb
                                                                                                                         Fi

                                                                                                                               ep
                                                                                                                              R
    exposição às práticas       Fonte: Beshouri e Farrell, 2005 e Farrell, Laboissiere e Pietracci, 2007 para os dados sobre fornecedores de serviços
                                Nota: Nesta classificação 1 é o mais atrativo e 5 o menos atrativo. O país de referência é os EUA.
    internacionais
Perspectivas da indústria de etanol

Menor custo de produção     A expansão do etanol no Brasil atenderá à demanda
do mundo: US$0,23 por           Produção de etanol no Brasil, açúcar/etanol equivalente a bilhões de litros de etanol
                                                                                                                        1
                                                                                                                            Plantação de cana-de-açúcar
litro, em comparação a           Açúcar
                                 Demanda interna de etanol
                                       1
                                                                                                                               (milhões de hectares)

US$0,39 nos EUA e                Excedente para exportação            19 14 3
                                 3ª. Série                                                                                           6
                                                                 2005        36
US$0,52 na Europa, em
                                 4ª. Série


2006.
                                                                             6
                                     Aumento inicial da produtividade2

                                       Plantação de cana-de-açúcar
                                                                      3

Demanda mundial para
                                        em terras ociosas e pastagens   42
                            Previsão da demanda

exportação em 2020:         de exportação do
                            mercado global em Previsão para 2010 21 22 41 84                                                         12
até 200 bilhões de litros   2010 limitada a
                            ~ 10 bilhões de litros
                                                Aumento secundário da        76
                             produtividade mediante novas tecnologias

30 milhões de hectares      Suficiente para atender à   2ª. etapa da
                                                       substituição                                        254
de terras disponíveis e
                            previsão da demanda de                   4
                            exportação do mercado      de pastagens

melhor produtividade
                            global de ~200 bilhões
                            de litros            Previsão para 2020 29 26                            359                    414       30

poderiam prover mais        1

do que a demanda.
                                Uma tonelada de cana-de-açúcar pode produzir 139 kg de açúcar ou 82 litros de etanol; previsão baseada nos dados de 2006.
                            2
                                Tomando como referência a produção de 95 toneladas/ha de cana-de-açúcar no Estado de São Paulo.
                            3
                                Recuperação das terras próximas às zonas de produção, utilizadas como pastagens nos últimos dez anos.
                            4   Inclui a transferência de mais 5% das atuais pastagens para o cultivo da cana-de-açúcar.
                                  Fonte: Assis, Elstrodt e Silva, 2007
Etanol: Investimento, P&D, meio
ambiente
 Será necessário um
 investimento de US$100
 bilhões em usinas, terras e
 infra-estrutura, além de
 medidas inovadoras de
 financiamento.
 A pesquisa mundial para
 baixar o custo criará uma
 forte competitividade. O
 Brasil precisa acelerar a
 P&D para defender os seus
 preços mais baixos.
 Necessidade de tratamento
 das questões ambientais:
 os dutos atravessarão as
 florestas tropicais.
Maior ênfase na economia do
 conhecimento
Brasil está indo bem nos setores de:
o Pesquisa
o Desenvolvimento humano
o Infra-estrutura de telecomunicações e de TI

Áreas a serem aprimoradas:

  Disponibilidade de financiamento/custo de capital
  Abertura comercial
  Qualidade de ensino
  Estado de Direito
Melhor gestão dos recursos naturais
   A Floresta Amazônica sofreu
   uma redução média de 18.
   000 km² por ano nas duas
   últimas décadas, com perdas
   sociais que atingiram
   US$10.000 por hectare, e
   esse valor pode ser ainda
   mais alto se forem
   considerados os custos não
   vinculados ao carbono.
   Os atuais requisitos de
   reserva legal são difícieis de
   serem cumpridos devido ao
   alto custo de conformidade.
   Os latifundiários poderiam
   cumprir os requisitos para a
   criação de suas reservas
   legais, pagando pela
   proteção das terras de baixo
   valor agrícola e de alto valor
   ambiental.
Perspectiva do Desenvolvimento de
Santa Catarina
 Setor Industrial Dinâmico:
    10.500 empresas de
    tecnologia.
    O maior pólo têxtil da
    América Latina.
    O maior produtor de aves
    e suínos do Brasil.
    A receita do turismo
    chegou aos U$ 505,8
    milhões em 2004-05.
    Forte potencial para o
    ecoturismo.
    Bons indicadores socias
    na área de saúde e
    educação.
Perspectiva do Desenvolvimento de
Santa Catarina (Cont.)
 Ênfase ao Meio Ambiente –
 incrível biodiversidade –
 1,361 espécies animais e
 20,000 espécies de plantas

 31.4% de suas florestas
 nativas continuam
 preservadas.

 O Estado possui 12 unidades
 de conservação federais, 7
 estaduais e 22 reservas
 privadas de patrimônio
 natural (RPPNs).
Contribuição de Iniciativas como a
Expogestão

A Expogestão desperta a consciência
  acerca das enormes potencialidades do
  Brasil.

•   Ajudar a promover uma visão nacional;

•   Construir planos de ações concretas para o
    progresso;

•    A Expogestão poderá contribuir para o enfoque da
    sustentabilidade do progresso social e ambiental.

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Destaque (9)

BRICS(brasil, Rússia, índia,/Dicas Enem
BRICS(brasil, Rússia, índia,/Dicas EnemBRICS(brasil, Rússia, índia,/Dicas Enem
BRICS(brasil, Rússia, índia,/Dicas Enem
 
India
IndiaIndia
India
 
Coletivapartonormal06012015 150106102653-conversion-gate02
Coletivapartonormal06012015 150106102653-conversion-gate02Coletivapartonormal06012015 150106102653-conversion-gate02
Coletivapartonormal06012015 150106102653-conversion-gate02
 
Índia Perfil Econômico
Índia Perfil EconômicoÍndia Perfil Econômico
Índia Perfil Econômico
 
Trabalho de Geografia - BRICS
Trabalho de Geografia - BRICSTrabalho de Geografia - BRICS
Trabalho de Geografia - BRICS
 
Brics
BricsBrics
Brics
 
russia
russiarussia
russia
 
BRICS
BRICSBRICS
BRICS
 
BRICS
BRICSBRICS
BRICS
 

Semelhante a Palestra: Três Gigantes em Ascensão, Brasil, China e Índia - Vinod Thomas

Economia Angolana Perspectivas
Economia Angolana PerspectivasEconomia Angolana Perspectivas
Economia Angolana PerspectivasMilu Ramalho
 
2 padrão de desenvolvimento brasileiro andré viana
2 padrão de desenvolvimento brasileiro   andré viana2 padrão de desenvolvimento brasileiro   andré viana
2 padrão de desenvolvimento brasileiro andré vianagovcepamsp
 
Aula 13 desigualdade_pobreza_e_desenvolvimento
Aula 13 desigualdade_pobreza_e_desenvolvimentoAula 13 desigualdade_pobreza_e_desenvolvimento
Aula 13 desigualdade_pobreza_e_desenvolvimentoNeide Barbosa
 
Padrão de Desenvolvimento Brasileiro
Padrão de Desenvolvimento BrasileiroPadrão de Desenvolvimento Brasileiro
Padrão de Desenvolvimento BrasileiroCogepp CEPAM
 
Economia Ética: A “Nova Economia” para enfrentar os desafios deste novo século.
Economia Ética: A “Nova Economia” para enfrentar os desafios deste novo século.Economia Ética: A “Nova Economia” para enfrentar os desafios deste novo século.
Economia Ética: A “Nova Economia” para enfrentar os desafios deste novo século.Instituto Brasileiro de Ética nos Negocios
 
Apresentação APIMEC - SP
Apresentação APIMEC - SPApresentação APIMEC - SP
Apresentação APIMEC - SPDirecionalRI
 
4 t11 apresentação de resultados
4 t11 apresentação de resultados4 t11 apresentação de resultados
4 t11 apresentação de resultadosrimagazineluiza
 
Estudo do Setor de Reforma - final
Estudo do Setor de Reforma - finalEstudo do Setor de Reforma - final
Estudo do Setor de Reforma - finalClube da Reforma
 
Apresentação 4T07
Apresentação 4T07Apresentação 4T07
Apresentação 4T07Gafisa RI !
 
Conference at PORKEXPO, Brazil, Sept 2012
Conference at PORKEXPO, Brazil, Sept 2012Conference at PORKEXPO, Brazil, Sept 2012
Conference at PORKEXPO, Brazil, Sept 2012Luciano Roppa
 
Gestão de Riscos como Ferramenta de Tomada de Decisão em Projetos de Investim...
Gestão de Riscos como Ferramenta de Tomada de Decisão em Projetos de Investim...Gestão de Riscos como Ferramenta de Tomada de Decisão em Projetos de Investim...
Gestão de Riscos como Ferramenta de Tomada de Decisão em Projetos de Investim...Rodrigo M. Gandra, MSc, PMP, PMI-RMP
 
Apresentação do ministro Joaquim Levy na Câmara de Comércio Brasil França - 2...
Apresentação do ministro Joaquim Levy na Câmara de Comércio Brasil França - 2...Apresentação do ministro Joaquim Levy na Câmara de Comércio Brasil França - 2...
Apresentação do ministro Joaquim Levy na Câmara de Comércio Brasil França - 2...DenizecomZ
 

Semelhante a Palestra: Três Gigantes em Ascensão, Brasil, China e Índia - Vinod Thomas (20)

Economia Angolana Perspectivas
Economia Angolana PerspectivasEconomia Angolana Perspectivas
Economia Angolana Perspectivas
 
2 padrão de desenvolvimento brasileiro andré viana
2 padrão de desenvolvimento brasileiro   andré viana2 padrão de desenvolvimento brasileiro   andré viana
2 padrão de desenvolvimento brasileiro andré viana
 
Arábia Saudita - Perspectivas e Macrotendências
Arábia Saudita - Perspectivas e MacrotendênciasArábia Saudita - Perspectivas e Macrotendências
Arábia Saudita - Perspectivas e Macrotendências
 
Aula 13 desigualdade_pobreza_e_desenvolvimento
Aula 13 desigualdade_pobreza_e_desenvolvimentoAula 13 desigualdade_pobreza_e_desenvolvimento
Aula 13 desigualdade_pobreza_e_desenvolvimento
 
Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil - Aloizio Mercadante
Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil - Aloizio MercadanteCiência, Tecnologia e Inovação no Brasil - Aloizio Mercadante
Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil - Aloizio Mercadante
 
Padrão de Desenvolvimento Brasileiro
Padrão de Desenvolvimento BrasileiroPadrão de Desenvolvimento Brasileiro
Padrão de Desenvolvimento Brasileiro
 
"Determinantes da Produtividade do Trabalho para a Estratégia de Sustentabili...
"Determinantes da Produtividade do Trabalho para a Estratégia de Sustentabili..."Determinantes da Produtividade do Trabalho para a Estratégia de Sustentabili...
"Determinantes da Produtividade do Trabalho para a Estratégia de Sustentabili...
 
Economia Ética: A “Nova Economia” para enfrentar os desafios deste novo século.
Economia Ética: A “Nova Economia” para enfrentar os desafios deste novo século.Economia Ética: A “Nova Economia” para enfrentar os desafios deste novo século.
Economia Ética: A “Nova Economia” para enfrentar os desafios deste novo século.
 
Apresentação APIMEC - SP
Apresentação APIMEC - SPApresentação APIMEC - SP
Apresentação APIMEC - SP
 
4 t11 apresentação de resultados
4 t11 apresentação de resultados4 t11 apresentação de resultados
4 t11 apresentação de resultados
 
Desenvolvimento Inclusivo Sustentável? As Novas Transformações Brasileiras po...
Desenvolvimento Inclusivo Sustentável? As Novas Transformações Brasileiras po...Desenvolvimento Inclusivo Sustentável? As Novas Transformações Brasileiras po...
Desenvolvimento Inclusivo Sustentável? As Novas Transformações Brasileiras po...
 
Desafios para o Crescimento da do Brasil - Mansueto Almeida PPT
Desafios para o Crescimento da do Brasil - Mansueto Almeida PPTDesafios para o Crescimento da do Brasil - Mansueto Almeida PPT
Desafios para o Crescimento da do Brasil - Mansueto Almeida PPT
 
Estudo do Setor de Reforma - final
Estudo do Setor de Reforma - finalEstudo do Setor de Reforma - final
Estudo do Setor de Reforma - final
 
Encontro Setorial - Setor Automobilístico - 03.12 Parte 3
Encontro Setorial - Setor Automobilístico - 03.12 Parte 3Encontro Setorial - Setor Automobilístico - 03.12 Parte 3
Encontro Setorial - Setor Automobilístico - 03.12 Parte 3
 
Política Industrial - Jose Ricardo Roriz Coelho
Política Industrial - Jose Ricardo Roriz CoelhoPolítica Industrial - Jose Ricardo Roriz Coelho
Política Industrial - Jose Ricardo Roriz Coelho
 
Apresentação 4T07
Apresentação 4T07Apresentação 4T07
Apresentação 4T07
 
Conference at PORKEXPO, Brazil, Sept 2012
Conference at PORKEXPO, Brazil, Sept 2012Conference at PORKEXPO, Brazil, Sept 2012
Conference at PORKEXPO, Brazil, Sept 2012
 
Gestão de Riscos como Ferramenta de Tomada de Decisão em Projetos de Investim...
Gestão de Riscos como Ferramenta de Tomada de Decisão em Projetos de Investim...Gestão de Riscos como Ferramenta de Tomada de Decisão em Projetos de Investim...
Gestão de Riscos como Ferramenta de Tomada de Decisão em Projetos de Investim...
 
Apimec resultados do 2 t05
Apimec   resultados do 2 t05Apimec   resultados do 2 t05
Apimec resultados do 2 t05
 
Apresentação do ministro Joaquim Levy na Câmara de Comércio Brasil França - 2...
Apresentação do ministro Joaquim Levy na Câmara de Comércio Brasil França - 2...Apresentação do ministro Joaquim Levy na Câmara de Comércio Brasil França - 2...
Apresentação do ministro Joaquim Levy na Câmara de Comércio Brasil França - 2...
 

Mais de ExpoGestão

ExpoGestão 2023 - Quais são as competências da sua alma? - Monge Satyanatha
ExpoGestão 2023 - Quais são as competências da sua alma? - Monge SatyanathaExpoGestão 2023 - Quais são as competências da sua alma? - Monge Satyanatha
ExpoGestão 2023 - Quais são as competências da sua alma? - Monge SatyanathaExpoGestão
 
ExpoGestão 2023 - ESG - Rodrigo Visentini
ExpoGestão 2023 - ESG - Rodrigo VisentiniExpoGestão 2023 - ESG - Rodrigo Visentini
ExpoGestão 2023 - ESG - Rodrigo VisentiniExpoGestão
 
ExpoGestão 2023 - ESG - Estevan Sartoreli
ExpoGestão 2023 - ESG - Estevan SartoreliExpoGestão 2023 - ESG - Estevan Sartoreli
ExpoGestão 2023 - ESG - Estevan SartoreliExpoGestão
 
ExpoGestão 2023 - Liderança em Tempos Incertos - Ricardo Basaglia
ExpoGestão 2023 - Liderança em Tempos Incertos - Ricardo BasagliaExpoGestão 2023 - Liderança em Tempos Incertos - Ricardo Basaglia
ExpoGestão 2023 - Liderança em Tempos Incertos - Ricardo BasagliaExpoGestão
 
ExpoGestão 2023 - A Mente no Comando - Roberto Aylmer
ExpoGestão 2023 - A Mente no Comando - Roberto AylmerExpoGestão 2023 - A Mente no Comando - Roberto Aylmer
ExpoGestão 2023 - A Mente no Comando - Roberto AylmerExpoGestão
 
ExpoGestão 2023 - A Mente no Comando - Fabiano Moulin
ExpoGestão 2023 - A Mente no Comando - Fabiano MoulinExpoGestão 2023 - A Mente no Comando - Fabiano Moulin
ExpoGestão 2023 - A Mente no Comando - Fabiano MoulinExpoGestão
 
ExpoGestão 2023 - Barbara Borra
ExpoGestão 2023 - Barbara BorraExpoGestão 2023 - Barbara Borra
ExpoGestão 2023 - Barbara BorraExpoGestão
 
ExpoGestão 2023 - Futuro da Energia - Gabriel Mann
ExpoGestão 2023 - Futuro da Energia - Gabriel MannExpoGestão 2023 - Futuro da Energia - Gabriel Mann
ExpoGestão 2023 - Futuro da Energia - Gabriel MannExpoGestão
 
ExpoGestão 2023 - Futuro da Energia - Marcio Osli
ExpoGestão 2023 - Futuro da Energia - Marcio OsliExpoGestão 2023 - Futuro da Energia - Marcio Osli
ExpoGestão 2023 - Futuro da Energia - Marcio OsliExpoGestão
 
ExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Mario Cezar de Aguiar
ExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Mario Cezar de AguiarExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Mario Cezar de Aguiar
ExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Mario Cezar de AguiarExpoGestão
 
ExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Giuliano Donini
ExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Giuliano DoniniExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Giuliano Donini
ExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Giuliano DoniniExpoGestão
 
ExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Ricardo Santin
ExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Ricardo SantinExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Ricardo Santin
ExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Ricardo SantinExpoGestão
 
ExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Fernando de Rizzo
ExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Fernando de RizzoExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Fernando de Rizzo
ExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Fernando de RizzoExpoGestão
 
ExpoGestão 2023 - Maílson da Nóbrega
ExpoGestão 2023 - Maílson da NóbregaExpoGestão 2023 - Maílson da Nóbrega
ExpoGestão 2023 - Maílson da NóbregaExpoGestão
 
ExpoGestão 2023 - Vicente Donini
ExpoGestão 2023 - Vicente DoniniExpoGestão 2023 - Vicente Donini
ExpoGestão 2023 - Vicente DoniniExpoGestão
 
ExpoGestão 2023 - David Espindola
ExpoGestão 2023 - David EspindolaExpoGestão 2023 - David Espindola
ExpoGestão 2023 - David EspindolaExpoGestão
 
ExpoGestão 2023 - Zé Delivery - Fernando Mazzarolo
ExpoGestão 2023 - Zé Delivery - Fernando MazzaroloExpoGestão 2023 - Zé Delivery - Fernando Mazzarolo
ExpoGestão 2023 - Zé Delivery - Fernando MazzaroloExpoGestão
 
ExpoGestão 2023 - Rodrigo Maingué
ExpoGestão 2023 - Rodrigo MainguéExpoGestão 2023 - Rodrigo Maingué
ExpoGestão 2023 - Rodrigo MainguéExpoGestão
 
ExpoGestão 2023 - Jean Carlo Klaumann
ExpoGestão 2023 - Jean Carlo KlaumannExpoGestão 2023 - Jean Carlo Klaumann
ExpoGestão 2023 - Jean Carlo KlaumannExpoGestão
 
ExpoGestão 2020 - Hussein Keshavjee - Back office em nuvem e automação de pro...
ExpoGestão 2020 - Hussein Keshavjee - Back office em nuvem e automação de pro...ExpoGestão 2020 - Hussein Keshavjee - Back office em nuvem e automação de pro...
ExpoGestão 2020 - Hussein Keshavjee - Back office em nuvem e automação de pro...ExpoGestão
 

Mais de ExpoGestão (20)

ExpoGestão 2023 - Quais são as competências da sua alma? - Monge Satyanatha
ExpoGestão 2023 - Quais são as competências da sua alma? - Monge SatyanathaExpoGestão 2023 - Quais são as competências da sua alma? - Monge Satyanatha
ExpoGestão 2023 - Quais são as competências da sua alma? - Monge Satyanatha
 
ExpoGestão 2023 - ESG - Rodrigo Visentini
ExpoGestão 2023 - ESG - Rodrigo VisentiniExpoGestão 2023 - ESG - Rodrigo Visentini
ExpoGestão 2023 - ESG - Rodrigo Visentini
 
ExpoGestão 2023 - ESG - Estevan Sartoreli
ExpoGestão 2023 - ESG - Estevan SartoreliExpoGestão 2023 - ESG - Estevan Sartoreli
ExpoGestão 2023 - ESG - Estevan Sartoreli
 
ExpoGestão 2023 - Liderança em Tempos Incertos - Ricardo Basaglia
ExpoGestão 2023 - Liderança em Tempos Incertos - Ricardo BasagliaExpoGestão 2023 - Liderança em Tempos Incertos - Ricardo Basaglia
ExpoGestão 2023 - Liderança em Tempos Incertos - Ricardo Basaglia
 
ExpoGestão 2023 - A Mente no Comando - Roberto Aylmer
ExpoGestão 2023 - A Mente no Comando - Roberto AylmerExpoGestão 2023 - A Mente no Comando - Roberto Aylmer
ExpoGestão 2023 - A Mente no Comando - Roberto Aylmer
 
ExpoGestão 2023 - A Mente no Comando - Fabiano Moulin
ExpoGestão 2023 - A Mente no Comando - Fabiano MoulinExpoGestão 2023 - A Mente no Comando - Fabiano Moulin
ExpoGestão 2023 - A Mente no Comando - Fabiano Moulin
 
ExpoGestão 2023 - Barbara Borra
ExpoGestão 2023 - Barbara BorraExpoGestão 2023 - Barbara Borra
ExpoGestão 2023 - Barbara Borra
 
ExpoGestão 2023 - Futuro da Energia - Gabriel Mann
ExpoGestão 2023 - Futuro da Energia - Gabriel MannExpoGestão 2023 - Futuro da Energia - Gabriel Mann
ExpoGestão 2023 - Futuro da Energia - Gabriel Mann
 
ExpoGestão 2023 - Futuro da Energia - Marcio Osli
ExpoGestão 2023 - Futuro da Energia - Marcio OsliExpoGestão 2023 - Futuro da Energia - Marcio Osli
ExpoGestão 2023 - Futuro da Energia - Marcio Osli
 
ExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Mario Cezar de Aguiar
ExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Mario Cezar de AguiarExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Mario Cezar de Aguiar
ExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Mario Cezar de Aguiar
 
ExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Giuliano Donini
ExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Giuliano DoniniExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Giuliano Donini
ExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Giuliano Donini
 
ExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Ricardo Santin
ExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Ricardo SantinExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Ricardo Santin
ExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Ricardo Santin
 
ExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Fernando de Rizzo
ExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Fernando de RizzoExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Fernando de Rizzo
ExpoGestão 2023 - Futuro da Indústria - Fernando de Rizzo
 
ExpoGestão 2023 - Maílson da Nóbrega
ExpoGestão 2023 - Maílson da NóbregaExpoGestão 2023 - Maílson da Nóbrega
ExpoGestão 2023 - Maílson da Nóbrega
 
ExpoGestão 2023 - Vicente Donini
ExpoGestão 2023 - Vicente DoniniExpoGestão 2023 - Vicente Donini
ExpoGestão 2023 - Vicente Donini
 
ExpoGestão 2023 - David Espindola
ExpoGestão 2023 - David EspindolaExpoGestão 2023 - David Espindola
ExpoGestão 2023 - David Espindola
 
ExpoGestão 2023 - Zé Delivery - Fernando Mazzarolo
ExpoGestão 2023 - Zé Delivery - Fernando MazzaroloExpoGestão 2023 - Zé Delivery - Fernando Mazzarolo
ExpoGestão 2023 - Zé Delivery - Fernando Mazzarolo
 
ExpoGestão 2023 - Rodrigo Maingué
ExpoGestão 2023 - Rodrigo MainguéExpoGestão 2023 - Rodrigo Maingué
ExpoGestão 2023 - Rodrigo Maingué
 
ExpoGestão 2023 - Jean Carlo Klaumann
ExpoGestão 2023 - Jean Carlo KlaumannExpoGestão 2023 - Jean Carlo Klaumann
ExpoGestão 2023 - Jean Carlo Klaumann
 
ExpoGestão 2020 - Hussein Keshavjee - Back office em nuvem e automação de pro...
ExpoGestão 2020 - Hussein Keshavjee - Back office em nuvem e automação de pro...ExpoGestão 2020 - Hussein Keshavjee - Back office em nuvem e automação de pro...
ExpoGestão 2020 - Hussein Keshavjee - Back office em nuvem e automação de pro...
 

Palestra: Três Gigantes em Ascensão, Brasil, China e Índia - Vinod Thomas

  • 1. Três Gigantes em Ascensão: Brasil, China, Índia Vinod Thomas Diretor-Geral do Grupo Independente de Avaliação do Banco Mundial Junho de 2007
  • 2. Desempenho do crescimento Taxas de crescimento do PIB real (% médio anual) Região ou país 1960-69 1970-79 1980-89 1990-99 2000-2005 América Latina e Caribe 5,2 5,6 1,7 3,0 2,6 Brasil* 5,9 8,5 3,0 1,8 3,0 Leste Asiático e Pacífico 3,8 7,2 7,7 8,0 8,1 China 3,0 7,4 9,8 9,7 9,3 Sul da Ásia 4,2 3,0 5,7 5,4 6,0 Índia 4,0 2,9 5,9 5,7 6,4 Fonte: Thomas (2006) e cálculos do Autor para 2000-2005, de acordo com a Base de dados do Banco Mundial. * Os dados de 2000-2005 se baseiam na recente revisão para cima do PIB, realizada pelo Governo brasileiro. (“Brazil’s Economy: Bigger than Thought”, The Economist, March 22, 2007)
  • 3. Hiatos de renda em relação aos países avançados Aumento do hiato no Brasil e redução na China e na Índia em relação aos EUA. Mudanças nos hiatos de renda per capita em relação aos EUA (1995-2005) PIB per capita (PPC em $ internacional constante em 2000 2005 ou em US$ constante em 2000) (como % do US$) 1995 Percentual de mudança (1995-2005) 9,6 -14,1 Brasil ($) 11,1 Brasil (PPC) 20,9 -9,3 23,0 Índia ($) 1,6 1,2 25,1 Índia (PPC) 8,3 26,0 6,6 China ($) 3,8 75,0 2,2 China (PPC) 15,7 73,2 9,1 Fonte: Cálculos do Autor, de acordo com a Base de dados do Banco Mundial
  • 4. A produtividade (PTF) é essencial para o crescimento O crescimento aumentou quando a taxa da PTF estava alta Contribuição da Produtividade Total dos Fatores (PTF) para o crescimento do PIB (%) País Crescimento 1978-1993 1993-2004 1978-2004 2003-2005 Contribuição em 3,6 4 3,8 -- 1 China pontos percentuais % de contribuição 40 41 41 -- Contribuição em 1,1 2,3 1,6 3,5 1 Índia pontos percentuais % de contribuição 24 35 30 43,5 País Crescimento 1960-69 1970-79 1980-89 1990-99 Contribuição em 2 2.15 2.33 -3.74 1.82 Brasil pontos percentuais % de contribuição 37 29 -260 -92 Fonte: 1. Bosworth e Collins, 2007; Poddar e Yi, 2007 para 2003-2005; 2. Thomas, 2006 a partir de Loayza e Calderón, 2002. (PTF = Modelo ampliado de Solow, que incorpora a educação)
  • 5. PTF nos episódios de crescimento mundiais Dos 220 episódios de crescimento em 110 economias, 85% dos quais com uma taxa média de aumento do PIB acima de 7%, o percentual de contribuição da PTF foi maior do que 35%. Na maioria dos episódios de crescimento com aumento do PIB acima de 7%, a contribuição da PTF foi de 35% ou mais 1989-1995 (%) 1995-2003 (%) Taxa de PTF Parcela de Taxa de PTF Parcela de cntribuição crescimento do PIB contribuição da PTF crescimento do PIB da PTF Camboja 7,48 3,21 43 China 9,94 6,33 64 7,13 2,49 35 Malásia 8,45 3,4 40 Cingapura 7,95 3,69 46 Coréia do Sul 7,48 3,13 42 Tailândia 8,58 4,74 55 Irlanda 7,99 3,52 44 Israel 7,03 2,11 30 30 Chile 7,24 3,55 49 Líbano 13,51 12,27 91 Síria 7.97 4.87 61 Moçambique 7,91 2,72 34 34 Ásia em 7,35 3,86 53 desenvolvimento Fonte: Análises do Autor com base nos dados de Jorgenson e Vu, 2005. Nota: entre as 110 economias ou os 220 episódios de crescimento estudados por Jorgenson e Vu, 2005, apenas os 13 exemplos acima apresentaram uma taxa de crescimento do PIB acima de 7%.
  • 6. Reformas são essenciais para o crescimento da PTF Liberalização gradual do comércio e do setor financeiro, e desregulamentação da indústria nos três países. Na Índia, o setor privado se tornou mais produtivo após a sua reestruturação, devido à pressão competitiva. O comércio permitiu que a China se tornasse mais eficiente por meio da especialização vertical e das economias de escala. O Brasil apresentou um aumento na produtividade desde meados dos anos 90, quando as reformas foram iniciadas.
  • 7. Assimilação, inovação e atualização Importação de novos equipamentos e maquinaria. Especialização vertical. P&D voltados para negócios: Conjunto de produtos de exportação da China direcionados aos países da OCDE. Modernização e capacitação industrial: a Índia ocupa um lugar de destaque na terceirização global de TI.
  • 8. Uma restrição comum Os três países enfrentam uma profunda desigualdade Parcela de renda dos 20% mais ricos e mais pobres da população 70 Renda dos 20% mais ricos 62,1 Renda dos 20% mais pobres 60 50,0 50 43,3 Percentual 40 30 20 10 8.9 4.7 2.6 0 Brasil (2003) China (2001) Índia (2000) Fonte: Base de dados do Banco Mundialse
  • 9. A desigualdade prejudica as perspectivas de crescimento Evidências empíricas dos efeitos da distribuição de renda sobre o crescimento Subdisciplina Canais Principais publicações Principais observações Organização industrial Investimento Loury, 1981; Perotti, 1992; As imperfeições do mercado de Aghion e Bolton, 1997; capitais resultam no fato de que indivíduos pobres mas talentosos não obtêm vantagens por causa de sua impossibilidade em tomar empréstimos e investir. Política econômica Incentivos Alesina e Rodrik, 1994; Uma maior desigualdade leva a Persson e Tabellini, 1996; pressões para uma mais ampla redistribuição de renda, a impostos mais elevados e a um crescimento reduzido. Insegurança Benabou, 1996 A desigualdade leva a conflitos sociopolíticos e, portanto, a direitos de propriedade menos seguros, que reduzem o investimento. Fonte: Gill, Kharas et alii., 2006 In: Gill, Hariharan e Kharas, 2006.
  • 10. Cenário competitivo da China Liderança nos setores de baixa, média e alta tecnologia. Os produtos chineses que demandam o uso intensivo de mão-de-obra continuarão a ser competitivos, mesmo com salários mais altos. Para se tornarem competitivos, os outros países devem igualar ou ultrapassar os investimentos da China em tecnologia e inovação.
  • 11. Cenário competitivo da Índia Manterá a liderança em programas de computação, consultoria empresarial, incluindo planejamento e engenharia. Aumentará a capacidade de fabricação, mas pode não alcançar a escala de exportação da China. Não há perspectivas de forte concorrência em outros serviços, mas tem grande potencial de crescimento em todas essas áreas.
  • 12. Cenário competitivo do Brasil De 1990 a 2002, o comércio de serviços global cresceu 155%, o setor manufatureiro 100% e o agrícola 40%. O comércio de serviços ultrapassará o de produtos após a metade do século, estimulado pelo comércio, tecnologia, flexibilidade de renda e maior produção com uso intensivo de serviços. O mercado global de serviços off-shore empresariais e de TI poderia atingir US$300 bilhões. Atualmente, foram captados apenas 10% desse valor.
  • 13. Vantagens do Brasil nos serviços off-shore o Uma das melhores infra- O Brasil apresenta diversas vantagens importantes no tmarketing offshore estruturas o Bons fornecedores de Custo 1,5 2,2 1,8 2,7 3,0 2,6 1,7 2,2 1,4 2,6 serviços Fornecedores 2,0 3,2 3,2 4,0 4,0 4,2 4,3 4,5 4,5 4,7 de serviços o Menor custo geral 4,2 Potencial de 3.5 3,3 2,8 3,3 3,3 2,8 3,5 3,5 1,8 mercado Perfil de risco 3,4 3,5 3,5 3,9 2,7 2,8 2,7 2,3 2,2 2,2 Potencial de mercado e Ambiente 3,6 3,0 3,6 3,1 3,3 3,4 3,7 3,0 2,8 2,6 ambiente de negócios Qualidade da 3,3 menos favoráveis infra-estrutura 2,0 2,5 3,0 3,3 2,8 2,5 2,0 2,8 3,0 ca Pouco domínio do ia he o a il na a ia ia as ic n si di Tc gr as lô hi ás éx ús Ín Br Po un C in al M a R idioma inglês e de lic lip H M úb Fi ep R exposição às práticas Fonte: Beshouri e Farrell, 2005 e Farrell, Laboissiere e Pietracci, 2007 para os dados sobre fornecedores de serviços Nota: Nesta classificação 1 é o mais atrativo e 5 o menos atrativo. O país de referência é os EUA. internacionais
  • 14. Perspectivas da indústria de etanol Menor custo de produção A expansão do etanol no Brasil atenderá à demanda do mundo: US$0,23 por Produção de etanol no Brasil, açúcar/etanol equivalente a bilhões de litros de etanol 1 Plantação de cana-de-açúcar litro, em comparação a Açúcar Demanda interna de etanol 1 (milhões de hectares) US$0,39 nos EUA e Excedente para exportação 19 14 3 3ª. Série 6 2005 36 US$0,52 na Europa, em 4ª. Série 2006. 6 Aumento inicial da produtividade2 Plantação de cana-de-açúcar 3 Demanda mundial para em terras ociosas e pastagens 42 Previsão da demanda exportação em 2020: de exportação do mercado global em Previsão para 2010 21 22 41 84 12 até 200 bilhões de litros 2010 limitada a ~ 10 bilhões de litros Aumento secundário da 76 produtividade mediante novas tecnologias 30 milhões de hectares Suficiente para atender à 2ª. etapa da substituição 254 de terras disponíveis e previsão da demanda de 4 exportação do mercado de pastagens melhor produtividade global de ~200 bilhões de litros Previsão para 2020 29 26 359 414 30 poderiam prover mais 1 do que a demanda. Uma tonelada de cana-de-açúcar pode produzir 139 kg de açúcar ou 82 litros de etanol; previsão baseada nos dados de 2006. 2 Tomando como referência a produção de 95 toneladas/ha de cana-de-açúcar no Estado de São Paulo. 3 Recuperação das terras próximas às zonas de produção, utilizadas como pastagens nos últimos dez anos. 4 Inclui a transferência de mais 5% das atuais pastagens para o cultivo da cana-de-açúcar. Fonte: Assis, Elstrodt e Silva, 2007
  • 15. Etanol: Investimento, P&D, meio ambiente Será necessário um investimento de US$100 bilhões em usinas, terras e infra-estrutura, além de medidas inovadoras de financiamento. A pesquisa mundial para baixar o custo criará uma forte competitividade. O Brasil precisa acelerar a P&D para defender os seus preços mais baixos. Necessidade de tratamento das questões ambientais: os dutos atravessarão as florestas tropicais.
  • 16. Maior ênfase na economia do conhecimento Brasil está indo bem nos setores de: o Pesquisa o Desenvolvimento humano o Infra-estrutura de telecomunicações e de TI Áreas a serem aprimoradas: Disponibilidade de financiamento/custo de capital Abertura comercial Qualidade de ensino Estado de Direito
  • 17. Melhor gestão dos recursos naturais A Floresta Amazônica sofreu uma redução média de 18. 000 km² por ano nas duas últimas décadas, com perdas sociais que atingiram US$10.000 por hectare, e esse valor pode ser ainda mais alto se forem considerados os custos não vinculados ao carbono. Os atuais requisitos de reserva legal são difícieis de serem cumpridos devido ao alto custo de conformidade. Os latifundiários poderiam cumprir os requisitos para a criação de suas reservas legais, pagando pela proteção das terras de baixo valor agrícola e de alto valor ambiental.
  • 18. Perspectiva do Desenvolvimento de Santa Catarina Setor Industrial Dinâmico: 10.500 empresas de tecnologia. O maior pólo têxtil da América Latina. O maior produtor de aves e suínos do Brasil. A receita do turismo chegou aos U$ 505,8 milhões em 2004-05. Forte potencial para o ecoturismo. Bons indicadores socias na área de saúde e educação.
  • 19. Perspectiva do Desenvolvimento de Santa Catarina (Cont.) Ênfase ao Meio Ambiente – incrível biodiversidade – 1,361 espécies animais e 20,000 espécies de plantas 31.4% de suas florestas nativas continuam preservadas. O Estado possui 12 unidades de conservação federais, 7 estaduais e 22 reservas privadas de patrimônio natural (RPPNs).
  • 20. Contribuição de Iniciativas como a Expogestão A Expogestão desperta a consciência acerca das enormes potencialidades do Brasil. • Ajudar a promover uma visão nacional; • Construir planos de ações concretas para o progresso; • A Expogestão poderá contribuir para o enfoque da sustentabilidade do progresso social e ambiental.