Apresentação ABC Brasil – ExpoGestão
“Navegando em Aguas Turbulentas”
29/05/2015
A Economia Brasileira e o Gigante Adamastor
Para chegar a 2016, temos que passar por 2015!
2015
2016
Cenário Externo
Cenário Externo
Os principais BCs tem afrouxado a política monetária como forma de tentar reverter o
processo de deflação....
Cenário Externo
A novidade é que os dados do nível de atividade nos EUA começam a decepcionar...
Apenas clima ou temos alg...
Cenário Externo
Entretanto, mesmo com os dados americanos vindo piores, estamos passando por um
momento de correção dos ju...
Cenário Externo
O mundo não vai nos ajudar como no passado
-40
-30
-20
-10
0
10
20
30
40
1980 1985 1990 1995 2000 2005 201...
Cenário Externo
• O que acompanhar no Cenário Externo
• Nível de atividade nos EUA => dependendo da visão do mercado sobre...
Brasil
Brasil
• O 2º Governo Dilma começou com uma notícia auspiciosa => Joaquim Levy no
Ministério da Fazenda;
• Mas, decisões e...
Brasil - Situação Atual
Na política o eleitor da o tom da música e a “banda” do Governo parece dissonante
com o som das ru...
Brasil - Situação Atual
E as “ruas” tem razão em reclamar, quando o primeiro impacto vem no bolso
-30,00%
-20,00%
-10,00%
...
Brasil - Situação Atual
E sem alívio a vista, seja porque a inflação não vai dar trégua
6,41%
8,13%
8,45%
8,20%
4,00%
4,50...
Brasil - Situação Atual
Seja porque a sua renda está em queda
0,80
0,82
0,84
0,86
0,88
0,90
0,92
0,94
0,96
0,98
1,00
01/01...
Brasil - Situação Atual
Obviamente que a confiança do consumidor não pode ser boa
70
80
90
100
110
120
130
140
150
160
Con...
Brasil - Situação Atual
E isso se reflete nas vendas
0
10
20
30
40
50
60
Estoque
Estoque total (em dias)
Média(2008-2015)
Brasil - Situação Atual
E, obviamente, na confiança do empresário
60,0
70,0
80,0
90,0
100,0
110,0
120,0
130,0
jan/03
mai/0...
Brasil - Situação Atual
Trazendo poucas esperanças de que o investimento se recupere
50,00
60,00
70,00
80,00
90,00
100,00
...
Brasil - Situação Atual
A situação é complicada mesmo... Mas como sair dela? Resolvendo a parte fiscal!
-2
-1
0
1
2
3
4
5
...
Brasil - Situação Atual
Mas esse ajuste não vai piorar ainda mais as perspectivas de crescimento no curto
prazo? Certament...
Brasil - Situação Atual
Mas tem alguma alternativa? Nesse momento o ajuste fiscal é um fim em si
mesmo! Um pouco de Introd...
Brasil - Situação Atual
Na teoria parece bonito... Mas e na prática? Ai fica mais interessante ainda! Das
Contas Nacionais...
Brasil - Situação Atual
Se o blablabla anterior estiver certo, o déficit em transações correntes deverá estar
ao redor de ...
Déficit Fiscal
Aumento no
Rombo Externo
Desvalorização
cambial
Aumento da
inflação
Aumento dos
juros
Recessão
Queda na
arr...
Ajuste Fiscal
Redução do
Déficit
Externo
Mais
Investimento
Melhora da
confiança
Crescimento
sem Inflação
Redução dos
Juros...
Brasil
• Passar pelo Cabo das Tormentas é inevitável nesse momento... O Ano de 2015 está
perdido!
• Mas o que fazer para c...
Brasil
• Algumas “Coordenadas Marítimas” para fazer a travessia:
• Os juros deverão subir pelo menos mais 0,50 p.p. indo p...
O “Cara” ganhou uma guerra pensando assim!
Brasil - Cenário
2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016
Crescimento do PIB Var. % a.a. 5,08 -0,20 7,50 2,70 1,00 2,5...
Obrigado!
Este material possui cunho meramente informativo, não constituindo qualquer tipo de oferta, convite, proposta ou
aconselha...
Navengando em águas turbulentas - ABC Brasil - Luis Otávio
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Navengando em águas turbulentas - ABC Brasil - Luis Otávio

820 visualizações

Publicada em

ExpoGestão 2015

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
820
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Navengando em águas turbulentas - ABC Brasil - Luis Otávio

  1. 1. Apresentação ABC Brasil – ExpoGestão “Navegando em Aguas Turbulentas” 29/05/2015
  2. 2. A Economia Brasileira e o Gigante Adamastor
  3. 3. Para chegar a 2016, temos que passar por 2015! 2015 2016
  4. 4. Cenário Externo
  5. 5. Cenário Externo Os principais BCs tem afrouxado a política monetária como forma de tentar reverter o processo de deflação. A principal consequência desse movimento é que o BC americano deverá demorar mais tempo para aumentar os juros; 0 0,5 1 1,5 2 2,5 3 3,5 4 2015 2016 2017 LP Evolução das Projeções do FED para os Juros Setembro Dezembro Março
  6. 6. Cenário Externo A novidade é que os dados do nível de atividade nos EUA começam a decepcionar... Apenas clima ou temos algo mais estrutural?
  7. 7. Cenário Externo Entretanto, mesmo com os dados americanos vindo piores, estamos passando por um momento de correção dos juros internacionais que podem afetar os nossos mercados 0,00 0,50 1,00 1,50 2,00 2,50 3,00 3,50 03/01/12 04/01/12 05/01/12 06/01/12 07/01/12 08/01/12 09/01/12 10/01/12 11/01/12 12/01/12 01/01/13 02/01/13 03/01/13 04/01/13 05/01/13 06/01/13 07/01/13 08/01/13 09/01/13 10/01/13 11/01/13 12/01/13 01/01/14 02/01/14 03/01/14 04/01/14 05/01/14 06/01/14 07/01/14 08/01/14 09/01/14 10/01/14 11/01/14 12/01/14 01/01/15 02/01/15 03/01/15 04/01/15 05/01/15 JurosAmericanosx JurosAlemães US 10Yr GE 10yr
  8. 8. Cenário Externo O mundo não vai nos ajudar como no passado -40 -30 -20 -10 0 10 20 30 40 1980 1985 1990 1995 2000 2005 2010 Exportações Mundiais (valores) Exportações Mundiais (quantum) PIB Mundial %aoano
  9. 9. Cenário Externo • O que acompanhar no Cenário Externo • Nível de atividade nos EUA => dependendo da visão do mercado sobre a recuperação da economia americana teremos um Dólar mais forte ou mais fraco • Nível de atividade na Europa => Certamente o mercado de títulos europeus são um limitador para os movimentos dos títulos americanos => Quanto mais se falar de “japanização” da Europa, menos espaço para altas expressivas das “treasuries” • A questão da Grécia => Não pela parte financeira, mas quais as consequências do Euro deixar de ser uma moeda e passar a ser uma união monetária? • Nível de atividade na China => Sendo o Brasil um exportador de commodities, quanto mais fraco o crescimento chinês pior para as nossas exportações • Alerta => a desaceleração da China, além de natural, faz parte de um processo de troca de fonte de crescimento dos investimentos para o consumo => ruim para as commodities metálicas, mas bom para as agrícolas
  10. 10. Brasil
  11. 11. Brasil • O 2º Governo Dilma começou com uma notícia auspiciosa => Joaquim Levy no Ministério da Fazenda; • Mas, decisões erradas no campo político colocaram em dúvida a sustentabilidade do projeto de ajuste; • A saída foi dar autonomia econômica para Levy e política para Michel Temer => Isso pode garantir a governabilidade, mas não vai tirar a pressão sobre a Presidente; • O panelaço durante o programa eleitoral do PT mostra a fragilidade do partido e, no curto prazo, o Partido e o Governo não terão boas notícias para reverter a situação; • Os números de inflação estão ruins e não vão melhorar; • Os números de crescimento estão ruins e não vão melhorar; • Os números do mercado de trabalho estão piorando e vão piorar mais; • Ninguém sabe o impacto econômico da Operação Lava a Jato; • A boa notícia é que ganhamos tempo na questão do grau de investimento; • Esse será o ano de encarar o Adamastor!
  12. 12. Brasil - Situação Atual Na política o eleitor da o tom da música e a “banda” do Governo parece dissonante com o som das ruas
  13. 13. Brasil - Situação Atual E as “ruas” tem razão em reclamar, quando o primeiro impacto vem no bolso -30,00% -20,00% -10,00% 0,00% 10,00% 20,00% 30,00% 40,00% 50,00% 60,00% 70,00% 0,00% 2,00% 4,00% 6,00% 8,00% 10,00% 12,00% 14,00% 16,00% 18,00% Os Ajustes Alimentação em domicílio Indice Geral Energia Elétrica (direita)
  14. 14. Brasil - Situação Atual E sem alívio a vista, seja porque a inflação não vai dar trégua 6,41% 8,13% 8,45% 8,20% 4,00% 4,50% 5,00% 5,50% 6,00% 6,50% 7,00% 7,50% 8,00% 8,50% 9,00% Jan-09 Mar-09 May-09 Jul-09 Sep-09 Nov-09 Jan-10 Mar-10 May-10 Jul-10 Sep-10 Nov-10 Jan-11 Mar-11 May-11 Jul-11 Sep-11 Nov-11 Jan-12 Mar-12 May-12 Jul-12 Sep-12 Nov-12 Jan-13 Mar-13 May-13 Jul-13 Sep-13 Nov-13 Jan-14 Mar-14 May-14 Jul-14 Sep-14 Nov-14 Jan-15 Mar-15 May-15 Jul-15 Sep-15 Nov-15 IPCA (YoY)
  15. 15. Brasil - Situação Atual Seja porque a sua renda está em queda 0,80 0,82 0,84 0,86 0,88 0,90 0,92 0,94 0,96 0,98 1,00 01/01/2009 01/03/2009 01/05/2009 01/07/2009 01/09/2009 01/11/2009 01/01/2010 01/03/2010 01/05/2010 01/07/2010 01/09/2010 01/11/2010 01/01/2011 01/03/2011 01/05/2011 01/07/2011 01/09/2011 01/11/2011 01/01/2012 01/03/2012 01/05/2012 01/07/2012 01/09/2012 01/11/2012 01/01/2013 01/03/2013 01/05/2013 01/07/2013 01/09/2013 01/11/2013 01/01/2014 01/03/2014 01/05/2014 01/07/2014 01/09/2014 01/11/2014 01/01/2015 01/03/2015 Salário de Admissão/Saláriode Demissão Indice ajustado
  16. 16. Brasil - Situação Atual Obviamente que a confiança do consumidor não pode ser boa 70 80 90 100 110 120 130 140 150 160 Confiançado consumidor Total Situação Presente Expectativas
  17. 17. Brasil - Situação Atual E isso se reflete nas vendas 0 10 20 30 40 50 60 Estoque Estoque total (em dias) Média(2008-2015)
  18. 18. Brasil - Situação Atual E, obviamente, na confiança do empresário 60,0 70,0 80,0 90,0 100,0 110,0 120,0 130,0 jan/03 mai/03 set/03 jan/04 mai/04 set/04 jan/05 mai/05 set/05 jan/06 mai/06 set/06 jan/07 mai/07 set/07 jan/08 mai/08 set/08 jan/09 mai/09 set/09 jan/10 mai/10 set/10 jan/11 mai/11 set/11 jan/12 mai/12 set/12 jan/13 mai/13 set/13 jan/14 mai/14 set/14 jan/15 ConfiançadaIndústria ÍndicedeConfiança daIndústria (ICI) ÍndicedaSituação Atual (ISA) ÍndicedeExpectativas (IE)
  19. 19. Brasil - Situação Atual Trazendo poucas esperanças de que o investimento se recupere 50,00 60,00 70,00 80,00 90,00 100,00 110,00 120,00 130,00 140,00 150,00 160,00 170,00 180,00 190,00 200,00 210,00 jan/02 mai/02 set/02 jan/03 mai/03 set/03 jan/04 mai/04 set/04 jan/05 mai/05 set/05 jan/06 mai/06 set/06 jan/07 mai/07 set/07 jan/08 mai/08 set/08 jan/09 mai/09 set/09 jan/10 mai/10 set/10 jan/11 mai/11 set/11 jan/12 mai/12 set/12 jan/13 mai/13 set/13 jan/14 mai/14 set/14 jan/15 Indicador Antecedente de Investimento
  20. 20. Brasil - Situação Atual A situação é complicada mesmo... Mas como sair dela? Resolvendo a parte fiscal! -2 -1 0 1 2 3 4 5 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 Total Sem Manobras Recorrente %PIB Resultado Primário do Setor Público
  21. 21. Brasil - Situação Atual Mas esse ajuste não vai piorar ainda mais as perspectivas de crescimento no curto prazo? Certamente!
  22. 22. Brasil - Situação Atual Mas tem alguma alternativa? Nesse momento o ajuste fiscal é um fim em si mesmo! Um pouco de Introdução a Economia para entender o porquê: Identidade Econômica => I≡S Mas, S= Sg + Sf + Sx Onde: Sg = Poupança do Governo (Déficit Nominal) Sf = Poupança das Famílias Sx = Poupança Externa (Transações Correntes – sinal trocado) Substituindo... I ≡ Sg + Sf + Sx Se Sf ≈ Cte, ↓Sg significa ↑Sx para o mesmo nível de I
  23. 23. Brasil - Situação Atual Na teoria parece bonito... Mas e na prática? Ai fica mais interessante ainda! Das Contas Nacionais tiramos o gráfico abaixo com o (I/PIB) e ((Sg+Sf)/PIB)
  24. 24. Brasil - Situação Atual Se o blablabla anterior estiver certo, o déficit em transações correntes deverá estar ao redor de 4,0% do PIB -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 Saldo em transações correntes (% PIB) Bingo! As vezes a economia faz sentido!
  25. 25. Déficit Fiscal Aumento no Rombo Externo Desvalorização cambial Aumento da inflação Aumento dos juros Recessão Queda na arrecadação Brasil – Situação Atual Portanto, se não for feito o ajuste fiscal, entraremos no seguinte círculo vicioso
  26. 26. Ajuste Fiscal Redução do Déficit Externo Mais Investimento Melhora da confiança Crescimento sem Inflação Redução dos Juros Aumento da Arrecadação Brasil – Situação Atual Mas, se for feito, podemos sair da confusão em que nos metemos
  27. 27. Brasil • Passar pelo Cabo das Tormentas é inevitável nesse momento... O Ano de 2015 está perdido! • Mas o que fazer para chegarmos a Calicute? • O ajuste fiscal é condição necessária mas não suficiente • Temos que reduzir o Custo Brasil e melhorar a produtividade da economia • A famosa Reforma Tributária começa com a unificação do ICMS • Revisão do formato dos leilões de concessão • Mudanças na Lei do Petróleo com a volta do sistema de concessão e fim do conteúdo nacional • Esquecer o Mercosul e se integrar nas cadeias produtivas internacionais • Adaptando a frase de Winston Churchill para o Brasil... “Podemos sempre contar com os políticos brasileiros para fazer a coisa certa, depois deles tentarem todo o resto”
  28. 28. Brasil • Algumas “Coordenadas Marítimas” para fazer a travessia: • Os juros deverão subir pelo menos mais 0,50 p.p. indo para 13,75%; • O próximo passo seria de queda, talvez até o final do ano ou, mais tardar, até o fim do 1º tri de 2016; • O Dólar deverá oscilar ao redor de R$ 3,10 no curto prazo, fechando próximo de R$ 3,15 ao final de 2015; • Para 2016 deverá ficar entre R$ 3,40 e R$ 3,50; • O PIB nesse ano deverá cair entre 1,50% e 2,00%, com viés de baixa. Principal risco é o impacto da Operação Lava a Jato sobre o crédito • Para 2016 não devemos ter outra recessão, mas o crescimento não será de encher os olhos => entre 0,00% e 1,00% • Para terminar uma mensagem de incentivo...
  29. 29. O “Cara” ganhou uma guerra pensando assim!
  30. 30. Brasil - Cenário 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 Crescimento do PIB Var. % a.a. 5,08 -0,20 7,50 2,70 1,00 2,50 0,10 -1,70 0,70 Taxa de Câmbio - FP R$/US$ 2,39 1,74 1,69 1,88 2,04 2,36 2,60 3,15 3,45 Inflação (IPCA) Var. % a.a. 5,90 4,31 5,90 5,50 5,80 5,91 6,41 8,30 5,30 Inflação (IGP-M) Var. % a.a. 9,81 -1,72 11,30 5,10 7,80 5,51 3,69 7,10 5,80 TJLP Var. % a.a. 6,25 6,00 6,00 6,00 5,50 5,00 5,00 6,25 6,50 Juro Nominal (Selic) - FP Var. % a.a. 13,75 8,75 10,75 11,00 7,25 10,00 11,75 13,75 12,25 Exportações US$ Bilhões 197,94 153,00 201,90 256,04 242,60 242,20 225,00 198,00 220,00 Importações US$ Bilhões 173,13 127,56 181,70 226,21 223,10 239,60 229,00 194,00 210,00 Superávit da Balança Comercial US$ Bilhões 24,82 25,44 20,20 29,83 19,50 2,60 -4,00 4,00 10,00 Superávit em Transações Correntes US$ Bilhões -28,19 -24,30 -47,27 -52,47 -54,24 -81,40 -90,90 -75,00 -67,00 Superávit em Transações Correntes % PIB -1,70 -1,55 -2,20 -2,10 -2,40 -3,60 -3,50 -3,40 -3,00 Déficit Primário* % do PIB -3,54 -2,15 -2,80 -3,11 -2,40 -1,90 0,60 -0,80 -2,00 Défict Nominal % do PIB 2,00 3,30 2,50 2,61 2,30 3,30 6,70 5,40 4,80 Crescimento do PIB Mundial % 3,00 -0,80 5,00 4,00 3,20 3,00 3,30 3,40 3,90 Crescimento do PIB EUA % 0,44 -2,42 3,00 1,70 2,20 1,90 2,40 2,50 3,00 Juro Nominal (Fed Funds) - FP Var. % a.a. 0,25 0,25 0,25 0,25 0,25 0,25 0,25 0,50 1,25 CENÁRIO BÁSICO ABC BRASIL
  31. 31. Obrigado!
  32. 32. Este material possui cunho meramente informativo, não constituindo qualquer tipo de oferta, convite, proposta ou aconselhamento por parte do Banco ABC Brasil S.A. (“Banco”) aos seus destinatários para quaisquer fins, inclusive, mas não limitado, à contratação ou não de operações financeiras, negócios ou investimentos, bem como quanto ao desenvolvimento por estes, ou não, de quaisquer estratégias correlatas. O envio deste material aos seus destinatários se dá de forma gratuita e por mera liberalidade do Banco, não se configurando como qualquer tipo de produto ou prestação de serviços por parte deste, ao qual fica reservado o direito de descontinuar o envio destas informações a qualquer tempo e sem qualquer tipo de aviso prévio a seus destinatários. As informações contidas neste material foram obtidas de fontes públicas e consideradas razoavelmente apuradas na data de sua divulgação. O Banco não confere aos destinatários deste material qualquer espécie de garantia, direito ou pretensão no que se refere às informações ora apresentadas, bem como quanto à sua exatidão, completude, isenção, confiabilidade ou atualização. Quaisquer decisões, contratações, investimentos, negócios ou estratégias, relacionadas ou não às informações ora apresentadas, deverão ser adotadas, efetuadas ou desenvolvidas pelos destinatários deste material exclusivamente de acordo com seus critérios de avaliação próprios e sob sua integral responsabilidade, com base nas informações por estes obtidas de forma independente e de acordo com a análise e opinião de seus consultores, analistas e administradores próprios. O Banco não será responsável, perante os destinatários deste material ou quaisquer terceiros, por qualquer forma de utilização das informações ora apresentadas, bem como por quaisquer perdas diretas, indiretas ou quaisquer tipos de prejuízos e/ou lucros cessantes que possam ser decorrentes do uso deste conteúdo. Este material e as informações dele constantes somente poderão ser reproduzidos, divulgados ou redistribuídos com a expressa anuência por escrito do Banco. Este material não se constitui, e não deve ser interpretado, para quaisquer fins, como relatório de análise nos termos do artigo 1º da Instrução CVM n.º 483, de 06 de Julho de 2010.

×