A contribuição da linguística descritiva para o ensino de língua portuguesa no Brasil<br />Prof. Ewerton Rezer Gindri<br />
Por que a linguística só foi instituída no século XX?<br />    A Gramática Normativa, a Filologia e a Gramática Comparativ...
Paradigma Estrutural (Saussure e Bloomfield)<br />Através de reflexões de natureza filosófico-linguísticas, Saussure propõ...
    As ampliações teóricas que ele (o estruturalismo) sofreu buscaram reforçar o que poderíamos denominar visão formalista...
Paradigma Gerativo-Transformacional<br />Objeto: a competência (a capacidade humana, de base inata, para a linguagem)<br /...
O resultado das mudanças paradigmáticas<br />Com as diferentes concepções linguísticas, surgem novos conceitos para gramát...
Com os novos conceitos para gramática, surgem novos paradigmas de ensino-aprendizagem.<br />Para a gramática normativa: en...
Para a gramática descritiva: nesta corrente admite-se o saber pré-escolar do aluno. O papel da gramática seria o de descre...
Para a gramática internalizada: embora não haja uma definição clara quanto à crença dessa corrente, no que se refere ao en...
Aumento da produção científica nacional na área de abrangência da língua portuguesa;<br />Há mudanças significativas nas e...
Bibliografia <br />COSTA, Jorge Campos da.A relevância da pragmática na pragmática da relevância [recurso eletrônico] / Jo...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

ContribuiçõEs Da LinguíStica Descritiva Para O Ensino De LíNgua Portuguesa

9.031 visualizações

Publicada em

Breve reflexão sobre as contribuições da linguística descritiva para o ensino de língua portuguesa.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.031
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
20
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
133
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ContribuiçõEs Da LinguíStica Descritiva Para O Ensino De LíNgua Portuguesa

  1. 1. A contribuição da linguística descritiva para o ensino de língua portuguesa no Brasil<br />Prof. Ewerton Rezer Gindri<br />
  2. 2. Por que a linguística só foi instituída no século XX?<br /> A Gramática Normativa, a Filologia e a Gramática Comparativa não delimitaram seu objeto de investigação nem constituíram um método próprio. Saussure (1916), no seu clássico trabalho Cours de LinguistiqueGénerále, observou que, por isso, não se podia falar da ciência lingüística até ali. <br />(Jorge Campos)<br />
  3. 3. Paradigma Estrutural (Saussure e Bloomfield)<br />Através de reflexões de natureza filosófico-linguísticas, Saussure propõe suas dicotomias e um novo paradigma. <br />a) Objeto: a língua;<br />b) Método: indutivo (da observação dos fatos lingüísticos particulares para a<br />generalização ao nível das línguas);<br />c) Finalidade: descrever a estrutura de línguas particulares;<br />d) Teorias fortes: Fonologia e Morfologia;<br />e) Problemas anômalos: como tratar o significado (a Semântica é praticamente excluída da Lingüística) e como descrever relações sintáticas mais profundas.<br />
  4. 4. As ampliações teóricas que ele (o estruturalismo) sofreu buscaram reforçar o que poderíamos denominar visão formalista da linguagem... Não há nem em Saussure, nem em seus seguidores, qualquer semântica como conexão linguagem-mundo.<br />(Jorge Campos)<br />
  5. 5. Paradigma Gerativo-Transformacional<br />Objeto: a competência (a capacidade humana, de base inata, para a linguagem)<br />b) Método: hipotético-dedutivo (de um conjunto de suposições assumidas derivava-se a teoria da linguagem)<br />c) Finalidade: - descrever as regras, ou princípios internos que um falante ideal usa para produzir e compreender infinitas orações gramaticais;<br />d) Teoria forte: a sintaxe<br />e) Problemas anômalos: o significado<br />
  6. 6. O resultado das mudanças paradigmáticas<br />Com as diferentes concepções linguísticas, surgem novos conceitos para gramática.<br />Travaglia cita 3 tipos: <br />Gramática normativa;<br />Gramática descritiva;<br />Gramática internalizada.<br />
  7. 7. Com os novos conceitos para gramática, surgem novos paradigmas de ensino-aprendizagem.<br />Para a gramática normativa: ensinar gramática é ensinar a ler e escrever “corretamente”, tomando por modelos os clássicos da literatura, sem levar em consideração o aspecto diacrônico. Para isso valorizava-se a repetição, memorização e classificação. <br />
  8. 8. Para a gramática descritiva: nesta corrente admite-se o saber pré-escolar do aluno. O papel da gramática seria o de descrever as diferentes variantes, instrumentalizando os alunos para a aquisição da variante que ainda não domina. Percebe-se a presença de estudos de caso e exemplos do cotidiano, nos exercícios escolares.<br />
  9. 9. Para a gramática internalizada: embora não haja uma definição clara quanto à crença dessa corrente, no que se refere ao ensino-aprendizagem, já que se aproxima muito ao paradigma descritivo, pode-se dizer que crêem na utilização do conhecimento interno da gramática, por parte dos alunos, durante o ensino.<br />
  10. 10. Aumento da produção científica nacional na área de abrangência da língua portuguesa;<br />Há mudanças significativas nas edições de livros didáticos;<br />Levanta-se uma discussão nacional sobre os objetivos do ensino de língua portuguesa. Esse movimento renovador tem sua culminância nos PCNs. <br />
  11. 11. Bibliografia <br />COSTA, Jorge Campos da.A relevância da pragmática na pragmática da relevância [recurso eletrônico] / Jorge Campos da Costa. – Dados eletrônicos. – Porto Alegre : EDIPUCRS, 2008.135 p. Modo de Acesso: World Wide Web: http://www.pucrs.br/orgaos/edipucrs/ ISBN 978-85-7430-834-0 (on-line).<br /> TRAVAGLIA, L.C.Gramática e interação: uma proposta para o ensino de gramática no 1º e 2º graus. São Paulo: Cortez, 2002.<br />

×