Apresentação ditadura e violencia na américa latina...

8.100 visualizações

Publicada em

Ensino Médio

Publicada em: Educação
1 comentário
5 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.100
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
291
Comentários
1
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação ditadura e violencia na américa latina...

  1. 1. Seminário de História Professora Ministrante: Jussara Ribas Escola Estadual Senador Filinto Müller Ditadura e Violência na América Latina
  2. 2. América Latina Por América Latina entendemos o conjunto de países colonizados no continente americano por povos europeus de língua latina, sobretudo espanhóis e portugueses, a partir do século XV. Mesmo após as diversas ondas migratórias iniciadas no século XIX, esses países continuam mantendo características culturais predominantes adquiridas durante o processo de colonização.
  3. 3. Situação da América Latina <ul><li>A independência política dos países da América Latina não significou o fim da dependência econômica desses países. </li></ul><ul><li>A Inglaterra e os EUA que eram as principais influências econômicas, pretendiam que esses países continuassem consumindo seus produtos e pedindo empréstimos para amenizar as constantes crises econômicas. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Esse quadro não se alterou durante o século XX, diversos países foram forçados a aderir ao bloco capitalista e a aceitar as regras impostas pelos EUA. </li></ul><ul><li>Em diversos países a miséria se alastrou, com isso, surgiram movimentos em favor de uma distribuição de renda mais justa. </li></ul><ul><li>Surgiram então DITADURAS MILITARES para conter esses movimentos e manter a ordem na base da violência. </li></ul>Situação da América Latina
  5. 5. O poder do Campo <ul><li>Várias nações latino-americanas conquistaram sua independência política nas primeiras décadas do século XIX. </li></ul><ul><li>Um século depois, suas economias continuam ligadas ao poder dos países industrializados. </li></ul><ul><li>Importavam capitais na forma de empréstimos. </li></ul><ul><li>Exportavam produtos primários (minérios e produtos agropecuários). </li></ul>
  6. 6. O poder do Campo <ul><li>Vários países da América Latina exportavam produtos primários: </li></ul><ul><li>Produtos Agropecuários </li></ul><ul><li>Brasil: era o maior produtor de café do mundo. </li></ul><ul><li>Cuba: grande exportadora de açúcar. </li></ul><ul><li>A Argentina de trigo. </li></ul><ul><li>Equador de cacau. </li></ul><ul><li>Honduras e Colômbia de banana. </li></ul>
  7. 7. O poder do Campo <ul><li>Minérios </li></ul><ul><li>Haviam também países com grande produção mineradora, como Peru, Bolívia e Chile, que exportavam estanho, cobre, ferro e nitrato, entre outros minerais. </li></ul><ul><li>Os países latino-americanos se mostraram bons consumidores de mercadorias industrializadas produzidas pelas potências mundiais. Isso resultou em sujeição dos países latino-americanos á Inglaterra e aos Estados Unidos. </li></ul>
  8. 8. O poder do Campo <ul><li>Do século XIX para o século XX, a América Latina se tornou principal destino de imigrantes europeus. </li></ul><ul><li>Muitos imigrantes destinados à lavoura, mas outros iam viver nas cidades. </li></ul><ul><li>Parte deles conseguia emprego na indústria que dava seus primeiros passos. </li></ul><ul><li>Surgia uma classe operária influenciada por ideologias como o anarquismo e o socialismo trazidas pelos imigrantes mais politizados. </li></ul>
  9. 9. A ascensão do Populismo <ul><li>Com a quebra da bolsa de Nova York , Inglaterra e Estados Unidos que eram os principais importadores de produtos Latino-Americanos , afetados pela crise, frearam drasticamente suas importações , Com isso os preços despencaram no mercado internacional, a crise e o desemprego alastraram-se na América Latina. </li></ul>
  10. 10. A ascensão do Populismo <ul><li>A crise abalou a grande parte do governo latino-americano, uma onda de golpes de Estados se disseminou pela região. </li></ul><ul><li>Em vários países, lideres carismáticos com fortes discursos nacionalistas conquistaram pessoas de todas as camadas sociais. </li></ul><ul><li>Os nacionalistas rejeitavam a influência estrangeira e defendiam a valorização da cultura latino americana, também celebravam a mestiçagem de brancos e índios que deu origem à população do continente. </li></ul>
  11. 11. A ascensão do Populismo <ul><li>Os novos governantes criticavam a influência norte americana, partidos políticos tradicionais e antigas elites oligárquicas . </li></ul><ul><li>Apresentavam-se como defensores do “povo”, que tratavam como massa homogênea, como se não houvesse divisões de classe, conquistando a lealdade das camadas populares evitando que se rebelassem. </li></ul><ul><li>Esse fenômeno ficou conhecido como populismo . </li></ul>
  12. 12. A industrialização <ul><li>Com a crise de 29, os artigos importados ficaram inacessíveis para a América - Latina. </li></ul><ul><li>Com a necessidade interna desses bens de consumo, alguns governos trocaram a política de importação de produtos industrializados pelo estímulo à expansão das atividades industriais. </li></ul><ul><li>Graças a essa política surgiram usinas hidrelétricas e indústrias de bens duráveis, muitas sobre controle estatal . </li></ul>
  13. 13. A industrialização <ul><li>Rapidamente os países deixaram de ser nações agrárias e rurais e ingressaram no caminho da industrialização e da expansão urbana, estimulando o desenvolvimento econômico. </li></ul><ul><li>Os países que investiram na industrialização avançaram economicamente, enquanto outras nações como Haiti, Honduras, Equador e Panamá continuaram com suas economias atreladas a exportação de produtos agrícolas. </li></ul>
  14. 14. Guerra ao comunismo <ul><li>Com o advento da guerra fria ,EUA irá fazer de tudo para que o comunismo e o marxismo não se espalhe nos países da América Latina. </li></ul><ul><li>Em 1948, foi criada a OEA, Organização dos estados Americanos, que reuniu os países do continente em torno da liderança norte americana. </li></ul><ul><li>Um dos princípios da nova organização era garantir a segurança do continente diante da ameaça comunista. </li></ul>
  15. 15. Guerra ao comunismo <ul><li>O governo norte americano, apesar de democrático apoiava diversas ditaduras. </li></ul><ul><li>Em 1954, forneceu armas e apoio para um golpe militar que derrubou o presidente Jacobo Arbenz, da Guatemala. </li></ul><ul><li>Nos países da América Central estabeleceram-se várias ditaduras apoiadas pelos Estados Unidos. Elas eram responsáveis por garantir a ordem e sufocar os movimentos revolucionários. </li></ul>
  16. 16. Guerra ao comunismo <ul><li>Depois que o governo de cuba aderiu ao comunismo, houve grande medo que o marxismo se espalhasse pelo continente. </li></ul><ul><li>Nessa época, o governo do presidente John Kennedy criou a aliança para o progresso, programa destinado a promover reformas agrárias para esvaziar a influência dos grupos de esquerda entre os trabalhadores do continente. </li></ul>Ao mesmo tempo, as forças Armadas dos Estados Unidos treinara militares latino –americanos para intervir em guerrilhas que começavam a surgir a partir do triunfo da revolução Cubana.
  17. 17. Da luta contra o Comunismo ás Ditaduras Militares <ul><li>A guerra contra o comunismo só poderia acabar em uma onda de golpes militares, pois só com um regime autoritário e violento era possível reprimir os movimentos de esquerda. </li></ul><ul><li>A implantação de regimes ditatoriais começou pelo Brasil , onde as Forças Armadas derrubaram o governo de João Goulart em março de 1964. </li></ul><ul><li>Em sequencia, Bolívia, Argentina, Peru, Panamá, Uruguai e Chile entre outros tiveram seus governos derrubados e ditaduras violentas implantadas. </li></ul>
  18. 18. Da luta contra o Comunismo ás Ditaduras Militares <ul><li>Com o objetivo de reprimir em conjunto a resistência aos regimes ditatoriais implantados, vários governos se uniram e fizeram um acordo de cooperação mútua , o que ficou conhecido como Operação Condor. </li></ul><ul><li>Nessa época a repressão atingiu proporções assustadoras . </li></ul><ul><li>Na Argentina foram criados campos de concentração onde torturaram e mataram mais de 20 mil pessoas, outras 9 mil foram presas e nunca mais localizadas. Filhos de prisioneiras assassinadas eram entregues a famílias de militares. </li></ul>
  19. 19. Da luta contra o Comunismo ás Ditaduras Militares <ul><li>No Chile o número de presos políticos era tão grande que foram levados a um estádio de futebol, posteriormente, milhares deles foram fuzilados, enterrados em covas coletivas e dados como desaparecidos pelo governo Augusto Pinochet. </li></ul><ul><li>Ao mesmo tempo que reprimiam qualquer forma de oposição, os militares precisavam promover recuperação econômica de seus países. </li></ul>
  20. 20. Da luta contra o Comunismo ás Ditaduras Militares <ul><li>Em alguns países foi posta em prática uma política baseada no estímulo ás exportações e na abertura da economia para o mercado externo. </li></ul><ul><li>Tal política gerou uma grave crise na América Latina Houve aumento da dívida externa ; arrochos salariais ; perda do poder aquisitivo de boa parte da população; desemprego e aumento das desigualdades sociais . </li></ul><ul><li>A recessão abalou as bases das ditaduras e contribuiu para enfraquecer os regimes militares na década de 1980. </li></ul>A recessão é um período em que ocorre um grande declínio na taxa de crescimento econômico de uma determinada região ou país.
  21. 21. Democracia novamente... <ul><li>Pouco a pouco a democracia voltaria a se estabelecer novamente no continente. </li></ul><ul><li>Entre 1979 e 1990, treze países retornaram ao regime democrático, entre eles Bolívia, (1982), Argentina (1983), Uruguai (1984), Brasil (1985), Guatemala (1985) e Chile (1990). </li></ul>
  22. 22. Questões <ul><li>1-Com a crise de 1929, diversos países da América Latina tiveram sua economia de exportação afetada e o acesso aos produtos importados ficou impraticável. Com a necessidade de recuperar a economia, quais foram as medidas tomadas por vários governos? </li></ul><ul><li>2-Marque V para verdadeiro e F para Falso: </li></ul><ul><li>( ) A Diplomacia norte-americana jamais apoiou ou estimulou golpes contra regimes democraticamente estabelecidos na América Latina. </li></ul><ul><li>( ) Com medo de que o marxismo se espalhasse pelo continente, o presidente John Kennedy, criou a -AIP- aliança internacional progressista, que tinha como objetivo promover reformas agrárias. </li></ul><ul><li>( ) A implantação de regimes ditatoriais começou pelo Chile, onde as Forças Armadas derrubaram o governo de Jacobo Arbenz em março de 1964. </li></ul><ul><li>( ) Após golpes militares, novos governantes apresentavam-se como defensores do “povo”, como se não houvesse divisões de classe, conquistando a lealdade das camadas populares evitando que se rebelassem. Esse fenômeno ficou conhecido como marxismo. </li></ul>
  23. 23. Questões <ul><li>3- Com relação a America latina, é incorreto afirmar que: </li></ul><ul><li>a) A crise de 1929 teve efeitos benéficos para a nossa industrialização, pois a redução da capacidade de importar estimulou a produção interna. </li></ul><ul><li>b) A independência política dos países da América Latina não significou o fim da dependência econômica desses países. </li></ul><ul><li>c) Surgiram ditaduras militares para conter movimentos contra a miséria e a favor de uma distribuição de renda mais justa. </li></ul><ul><li>d) As ditaduras militares apoiadas pelos EUA eram responsáveis por garantir a ordem e amparar movimentos revolucionários. </li></ul>
  24. 24. <ul><li>Professora Ministrante: </li></ul><ul><li>Jussara Ribas </li></ul><ul><li>Alunos </li></ul><ul><li>Ana Alice </li></ul><ul><li>Ana Lúcia </li></ul><ul><li>Eliene </li></ul><ul><li>Sula </li></ul><ul><li>Douglas </li></ul>Seminário de História 3° Ano B do Ensino Médio Matutino da Escola Estadual Senador Filinto Müller Ano Letivo 2010 Fátima do Sul, MS
  25. 25. Bibliografia <ul><li>Seriacopi, Gislaine Campos Azevedo; Seriacopi Reinaldo, São Paulo, Ática, 2005, 1. História (Ensino Médio) I. Seriacopi, Reinaldo. II título. </li></ul><ul><li>Vicentino, Cláudio, Viver a História: ensino fundamental: 8° série, Cláudio Vicentino. – São Paulo, Scipione, 2002. </li></ul><ul><li>Imagens internet. </li></ul>

×