SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 68
FORMAÇÃO UCA
 ESCOLA OSVALDO ARANHA- IJUÍ
         MÓDULO IV

SEMINÁRIO: ELABORAÇÃO DE PROJETOS
   APRESENTAÇÃO DE CADA GRUPO

            20/06/2012
CONCEITOS TEÓRICOS
PESTALOZZI E FROEBEL DEFENDERAM A IMPORTÂNCIA DA
  VALORIZAÇÃO DOS INTERESSES REAIS DAS CRIANÇAS E A
             EXPERIMENTAÇÃO PRÁTICA
DECROLY E MONTESSORI TAMBÉM APOIAVAM OS
MÉTODOS ATIVOS E AS ATIVIDADES LIVRES, ONDE OS
    ALUNOS ESCOLHIAM OS TEMAS PARA SEREM
 ESTUDADOS DE ACORDO COM SEUS INTERESSES E
               CURIOSIDADES
DEWEY ( SISTEMATIZADOR DA PEDAGOGIA DE PROJETOS) E
  KILPATRICK ( CRIADOR DO MÉTODO POR PROJETOS) DA
MESMA FORMA ENFATIZARAM QUE A ESCOLA PRECISA SER UM
CENTRO DE TRANSFORMAÇÕES DOS CONTEXTOS REAIS PARA
 AÇÕES DE APRENDIZAGEM POIS DESSA FORMA OS ALUNOS
   INTERESSAM-SE E SE ENVOLVEM NAQUILO QUE ESTÃO
                     APRENDENDO
PENSANDO EM COMO TRABALHAR DESSA FORMA,
   FREINET PROPÕE ATIVIDADES EM GRUPOS E DE
SOCIALIZAÇÃO, INCENTIVANDO, A TROCA DE IDÉIAS E O
     ENVOLVIMENTO DO ALUNO NAS ATIVIDADES
“...ENSINAR NÃO É TRANSFERIR
     CONHECIMENTO, MAS CRIAR
POSSIBILIDADES PARA A SUA PRÓPRIA
PRODUÇÃO OU A SUA CONSTRUÇÃO” ( 
          FREIRE , 1996, P. 52).
SEGUNDO PIAGET, O CONHECIMENTO SE DÁ NA INTERAÇÃO
 ENTRE OS SUJEITOS E OBJETOS. ASSIM COMO ELE VIGOSTKY
  NOS DIZ QUE É POSSÍVEL A APRENDIZAGEM ATRAVÉS DE
 PROJETOS QUE DESAFIAM OS ALUNOS A PROCURAREM SUAS
        RESPOSTAS APARTIR DE SUA EXPERIÊNCIAS
BECKER DESTACA A IMPORTÂNCIA DO PROFESSOR NÃO
BLOQUEAR O EDUCANDO E SIM PERMITIR QUE ELE REFLITA
           SOBRE SUA AÇÃO DE APRENDER
TRABALHAR COM PROJETOS, SEGUNDO ESTES AUTORES,
     É PERMITIR QUE O ALUNO APRENDAM.
HERNANDEZ ALERTA QUE PARA TRABALHAR COM PROJETO
NÃO BASTA O ALUNO GOSTAR DE UM DETERMINADO TEMA, É
  PRECISO QUE O TEMA SEJA INSTIGADOR PARA O ALUNO E
DESPERTE SUA CURIOSIDADE POR NOVOS CONHECIMENTOS.
CONTUDO, OS PROJETOS FAZEM COM QUE O ALUNO
    DESENVOLVA COMPETÊNCIAS PARA BUSCAR E
  SELECIONAR INFORMAÇÕES , TOMAR DECISÕES
TRABALHAR EM GRUPO, GERENCIAR CONFRONTOS DE
  IDÉIAS, SOLUCIONAR PROBLEMAS, DESENVOLVER
 COMPETÊNCIAS INTERPESSOAIS PARA APRENDER DE
FORMA COLABORATIVA COM SEUS PARES. NO PROJETO,
   O ALUNO EXPLORA, APLICA, BUSCA, INTERPRETA
     INFORMAÇÕES E TEM A OPORTUNIDADE DE
    RECONTEXTUALIZAR AQUILO QUE APRENDEU.
SITES DE PESQUISA DE PROJETOS:


     WWW.CAMINHANDO.ORG.BR/

WWW.EDUCADORESSEMFRONTEIRAS.ORG.BR

   ALZIRAUBALDO.BLOGSPOT.COM.BR

   EDUCADOR.BRASILESCOLA.COM.BR

BAUDEIDEIASDAIVANISE.BLOGSPOT.COM.BR

     WWW.GRUPOESCOLAR.COM.BR
PROJETO
CARACTERIZA-SE:

INTERDISCIPLINARIEDADE

TRANSVERSALIDADE
“PARA O ALUNO PESQUISAR E
   ESTUDAR SOBRE UM TEMA, ELE
  PRECISA ESTABELECER RELAÇÕES
       SIGNIFICATIVAS ENTRE
      CONHECIMENTO DE ÁREAS
            DISTINTAS.
  A INTERDISCIPLINARIEDADE É A
   INTEGRAÇÃO DE DOIS OS MAIS
 COMPONENTES CURRICULARES NA
CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO DE
          FORMA GLOBAL.
O TRABALHO COM PROJETO
    PERMITE ROMPER COM AS
  FRONTEIRAS DISCIPLINARES,
       FAVORECENDO O
   ESTABELECIMENTO DE ELOS
ENTRE AS DIFERENTES ÁREAS DO
CONHECIMENTO NUMA SITUAÇÃO
     CONTEXTUALIZADA DE
       APRENDIZAGEM.
A
INTERDISCIPLINARIDADE
    SE DÁ SEM QUE
    HAJA PERDA DA
   IDENTIDADE DAS
     DISCIPLINAS
O CONHECIMENTO ESPECÍFICO –
 DISCIPLINAR – OFERECE AO ALUNO A
    POSSIBILIDADE DE RECONHE-
       CER E COMPREENDER AS
      PARTICULARIDADES DE UM
    DETERMINADO CONTEÚDO, E O
          CONHECIMENTO
INTEGRADO – INTERDISCIPLINAR – DÁ-
LHE A POSSIBILIDADE DE ESTABELECER
     RELAÇÕES SIGNIFICATIVAS
  ENTRE CONHECIMENTOS. AMBOS SE
REALIMENTAM E UM NÃO EXISTE SEM O
              OUTRO.
MULTIDISCIPLINARIDADE

   AÇÃO SIMULTÂNEA
     ENVOLVENDO
     DIFERENTES
DISCIPLINAS EM TORNO
 DE UM TEMA COMUM.
PLURIDISCIPLINARIDADE
EXISTE  ALGUM   TIPO   DE
INTERAÇÃO    ENTRE     OS
CONHECIMENTOS DISCIPLI-
NARES,    EMBORA     ELES
ESTEJAM NO MESMO NÍVEL
HIERÁRQUICO.
INTERDISCIPLINARIDADE
  REPRESENTA UM NÍVEL
    MAIS ELEVADO DE
  INTERAÇÃO ENTRE AS
 DISCIPLINAS, UM NÍVEL
 HIERÁRQUICO SUPERIOR
    ONDE PROCEDE A
COORDENAÇÃO DAS AÇÕES
    DISCIPLINARES.
TRANSDISCIPLINARIDADE

 SIGNIFICA TAMBÉM QUE
 EXISTE UM PENSAMENTO
   ORGANIZADOR QUE
ULTRAPASSA AS PRÓPRIAS
     DISCIPLINAS E A
INTERDISCIPLINARIDADE.
“TRABALHAR COM PROJETOS PARTE
  DAS QUESTÕES DE INVESTIGAÇÃO. O
   ALUNO VAI DESENVOLVER ESTUDOS,
  PESQUISAR EM DIFERENTES FONTES,
   BUSCAR, SELECIONAR E ARTICULAR
  INFORMAÇÕES COM CONHECIMENTOS
   QUE JÁ POSSUI PARA COMPREENDER
MELHOR ESSAS NOVAS QUESTÕES. ESSE
          PROCESSO IMPLICA O
 DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS
 PARA DESENVOLVER A AUTONOMIA E A
TOMADA DE DECISÕES, CARACTERIZADA
      POR INCERTEZAS, VERDADES
 PROVISÓRIAS E MUDANÇAS ABRUPTAS”
A PARTIR DE SITUAÇÕES
PROBLEMÁTICAS DO PRESENTE,
   O ALUNO É DESAFIADO A
   BUSCAR INFORMAÇÕES E
     ARTICULÁ-LAS COM
   CONHECIMENTOS QUE JÁ
 POSSUI, PARA COMPREENDER
ESSA PROBLEMÁTICA E PROPOR
       SITUAÇÕES QUE
    POSSAM RESOLVÊ-LA.
UM PROJETO PODE PARTIR DE
UMA QUESTÃO RELACIONADA
 COM UMA ÚNICA ÁREA DE
 CONHECIMENTO E, EM SEU
 DESENVOLVIMENTO, IR SE
 ABRINDO E ARTICULANDO
  CONCEITOS DE OUTRAS
         ÁREAS.
CONHECIMENTO

    DESCREVER EXPLICITAMENTE O
  SIGNIFICADO DE UM CONCEITO, AS
           ARTICULAÇÕES
  ENTRE INFORMAÇÕES, QUER SEJAM
   PALAVRAS, GRÁFICOS, IMAGENS,
ANIMAÇÕES, ENFIM, QUALQUER MÍDIA
 QUE MOSTRE O QUE A PESSOA PENSA
SOBRE DETERMINADO CONCEITO, FATO,
          ACONTECIMENTO.
COMO SE TRABALHA
  COM PROJETOS
NEGOCIAR E CONQUISTAR O
  ALUNO PARA O TEMA DO
        TRABALHO
      ESTAR SEMPRE
COMPROMETIDO COM AÇÕES,
    DE ACORDO COM AS
NECESSIDADES E INTERESSES
 DOS SUJEITOS ENVOLVIDOS
NÃO PODEMOS ENGESSAR O PROJETO,
 PRECISA SER SIGNIFICATIVO PARA O
 ALUNO, PERMITINDO MUDANÇAS NO
      DECORRER DO TRABALHO


   FLEXÍVEL
É IMPORTANTE NO
DECORRER DO CAMINHO
  IDENTIFICAR SE HÁ
   NECESSIDADE DE
REPLANEJAR O QUE ESTÁ
 SENDO DESCOBERTO,
QUE CONCEITOS NOVOS
      EMERGIRAM.
PRODUÇÃO:
LEILA MARELISE CYZESKI DA SILVA
        JULIA CRISTINA MEDEIROS
               MÁRCIA PALHARINI
          GLAUCE MARIA DA SILVA
Escola Estadual de Ensino
Fundamental Osvaldo Aranha –
             IJUÍ




        CARINA BREZOLIM
      MARLI IRGANG GONZAGA
       MARLI MARLENE OTT
      Queremos iniciar com uma pergunta
    do texto de Ivani Fazenda(2009):

                  "Quem educa o
                  professor para a
                totalidade, para ter
                   um olhar mais
                     sensível?”.
►     O projeto interdisciplinar segundo a autora do
  texto deve ir além de dividir o trabalho em partes,
  ou seja, o que a ciência vai trabalhar, a geografia, o
  português...
►       O projeto interdisciplinar deve buscar na
  essência, buscar a beleza, aquilo que os alunos
  trazem como "vontade de saber“ aquilo que vai dar
  significado aos seus questionamentos, aquilo que
  pode ser construído a partir do projeto e nós
  orientadores e mediadores ao colocarmos o nosso
  olhar singular a essa essência podemos ver aonde
  os conceitos que antes eram trabalhados de forma
  linear podem vir ao encontro" dessa vontade de
  saber".
►    “Precisamos voltar no tempo e como quando
tínhamos 2 ou 3 anos de idade ter esse desejo "do
conhecer ilimitado".

  ►     O trabalho interdisciplinar só tem
sentido quando "eu" e o meu aluno somos
despertados a ter um "olhar singular " que
leva a interiorizar um "desejo de conhecer".
INDICAÇÕES PARA LEITURA

 CASIMIRO, Vitor. Interdisciplinaridade de A a Z.
 Disponível   em      : <http://www.educacional.
 com.br/reportagens/educar2001/texto04.asp>.
 Acesso em: 12 jul. 2009.

 Interdisciplinaridade: dicionário em construção,
 livro do qual Ivani é organizadora e que está sendo
 lançado na Educar 2001.
ELABORAÇÃO DE PROJETOS
PROJETO E TECNOLOGIA
Projeto Amora: projeto realizado no
Colégio de Aplicação da UFRGS.
Partir de perguntas dos alunos;

Professor faz intervenções;

Levantamento de dúvidas
temporárias e certezas provisórias;
PEDAGOGIA DE PROJETOS
   Novas maneiras de ensinar, aprender e
    desenvolver o currículo;
   professor criar situações, provocando o aluno a
    integração entre si, no grupo, buscar informações,
    dialogar, produzir novos conhecimentos;
   Professor precisa dialogar com o seu aluno para
    compreender as suas dúvidas, inquietações,
    expectativas e necessidades propondo atividades
    que desperte no aluno a curiosidade e o desejo
    pelo aprender.
1.1 FUNDAMENTOS E IMPLICAÇÕES
Pedagogia de projeto o aluno aprende:
produzir ;
Levantar dúvidas;
Pesquisar;
Criar relações;
Novas buscas;
Descobertas;
Compreensões e reconstruções de conhecimento.



# Professor precisa acompanhar o processo de
aprendizagem do aluno (entender o seu caminho, seu
universo afetivo e cognitivo, sua cultura, história e
contexto de vida).
APRENDENDO E “ENSINANDO”
COM              PROJETOS

Pedagogia de projeto o aluno aprende fazendo,
selecionando informações significativas, tomando
decisões, trabalhando em grupo, gerenciando
confronto de ideias. A mediação do professor é
fundamental, sentindo sua presença, que ouve
questiona e orienta.
1.2-APRENDER COM O VÍDEO E A
CÂMERA
PP- os audiovisuais deveriam integrar todas as
linguagens que as diferentes mídias permitem e
realizar uma grande conversa entre elas.

Educar para a televisão envolve ações que
procuram, principalmente, formar um
telespectador criterioso, que saiba ver com clareza
o que lhe é apresentado, que possa escolher com
competência o que deseja, ou não ver.
1.3- PESQUISA, COMUNICAÇÃO E
APRENDIZAGEM COM O
COMPUTADOR.

O domínio técnico e pedagógico devem caminhar juntos,
simultaneamente.

 #Aspectos pedagógicos: informação x conhecimento,
ensinar x aprender
   Informação: centrado nas publicações
   Conhecimento: é o que cada indivíduo constrói como
produto do processamento, da interpretação, da
comunicação, da compreensão da informação.
   Aprender: construir conhecimento, o aprendiz
processa a informação que obtém interagindo com o
mundo dos objetos e das pessoas. A informação tem que
ter sentido para o aprendiz.
# aprender significa apropriar-se da informação

# ensinar passa a ser o de criar ambientes para
que o aluno possa interagir.

*O educador deve estar preparado e saber intervir
no processo de aprendizagem do aluno, para que
ele seja capaz de transformar as informações
(transmitidas e/ou pesquisadas) em conhecimento,
por meio de situações- problema.
CONSTRUÇÃO E REPRESENTAÇÃO
DE CONHECIMENTO
 O professor precisa compreender as ideias do
  aprendiz e saber como atuar no processo de
  construção de conhecimento para intervir
  apropriadamente na situação, auxiliando-o nesse
  processo.
 Um outro aspecto presente na representação dos
  conhecimentos explicitado no trabalho com o
  computador é o fato de ser possível identificar, do
  ponto de vista cognitivo, os conceitos e as
  estratégias que o aprendiz utiliza para resolver
  um problema ou projeto.
BUSCA E ACESSO À INFORMAÇÃO
Oferece muitas facilidades como a combinação de
textos, imagens, animação, sons e vídeos que
tornam à informação muito mais atraente.

Formação do professor é necessária para que ele
saiba orientar e desafiar o aluno para que a
atividade computacional contribua para a aquisição
de novos conhecimentos.

Permitir que o educador adquira habilidades e
competências técnicas e pedagógicas.
1.4- REVALORIZAÇÃO DO LIVRO
DIANTE DAS NOVAS MÍDIAS
   Livro X meios de comunicação

   Francisco Gutierres

   Desafios da escola (escola, professores)

   Conhecimento e sensibilidade

   Maquinomem
1.5- PRÁTICA E FORMAÇÃO DOS
PREOFESSORES NA INTEGRAÇÃO DE
MÍDIAS
 Prática pedagógica com projetos e uso de
  tecnologias
 O que é projeto?

 Pensadores: Heidegger, Bouti, Machado

 O que vem a ser essa tal de tecnologia

 É possível integrar projetos e tecnologias

 Mídia audiovisual e aprendizagem

 Uso de textos hipertextos

 Tecnologias e práticas pedagógicas

 Formação de professores
Tecnologia, professores e mídias?
1.5 página 38 à 45
-Prática e formação de professores
na      integração    de   mídias.
-Prática pedagógica e formação de
professores       com     projetos.
 Articulação entre conhecimentos,
tecnologias e mídias.
Articulação Integrada
                                                Tecnologias




                        Conhecimento




Mídias


                                 Prática e Formação
CRIAÇÃO DE PROJETOS
USANDO A TECNOLOGIA
TRÊS ASPECTOS PARA A FORMAÇÃO DO
PROFESSOR:

-Projetos – objetivos – ações
- Integração das tecnologias e mídias
-Conceitos relacionados as diferentes áreas do
conhecimento
MAS AFINAL O QUE É UM PROJETO?

A ideia de projeto faz parte da essência do ser humano consciente da
sua condição de incompletude, em busca incessante de transformar-se
para atingir algo desejável e encontrar respostas às suas questões.
Pensadores que aprofundam o conceito:
-Heidegger
-Sartre
-Machado, etc.
O projeto durante sua realização é constantemente refletido
                      e reelaborado.
Na constituição de um
projeto o fundamental é ter
    coragem de romper as
          limitações
 Do cotidiano, muitas delas
       auto impostas.
                   Almeida.
O que vem a ser essa tal
      tecnologia?
Diariamente nos cerca
                                     Caneta

                         Talheres

      fone
                                       óculos


                        Tecnologia

     Cadernos
                                        Computador
PROFESSOR



Estudar as ferramentas                                      Processos de criação

                                   Tecnologia




                         Cultura                artefatos
DVD        COMPUTADOR

         TV                INTERNET




IPOD
              MÍDIAS                  IFONE




          Empregar como?
Tecnologia
  na sala de
     aula:
  Integração
      de
 tecnologia
       e
conhecimen
      to
Desenvolvimento de projetos em
              sala de aula:
_Levantamento de problemáticas relacionadas com a realidade do aluno.
_ Temas de pesquisa partem do interesse dos alunos.
_ São desafios da educação atual:



MÍDIAS AUDIOVISUAIS FAZEM
PARTE DA LINGUAGEM DOS
   JOVENS ATUALMENTE
O que o uso de textos e
      hipertextos
  trazem de inovador
 para a aprendizagem
Hipertexto
Interagir com textos, é para isso que serve o hipertexto. Através deste sabemos a direção que a
pesquisa online vai seguir, através das associações feitas, buscando mais informações e
detalhamento sobre determinados assuntos. Porém não são todos os sites que conseguem
usufruir deste recurso de maneira apropriada, alguns deixam a desejar, são pobres em suas
publicações. Outros, talvez por excessos de informações, acabam que confundindo o leitor. Os
hipertextos devem ser utilizados na medida, ajudando o leitor a esclarecer os fatos e dando
informações necessárias para esse esclarecimento.
Um exemplo de site que não faz bom uso do hipertexto, a meu ver, é oYahoo Notícias, já que
coloca o hipertexto de uma forma superficial, muito limitado, dificultando a busca de maiores
informações para uma boa contextualização do leitor. Quando clicamos na manchete desejada,
na tela aparece a matéria, mas não mostra links relacionados, a não ser o link "envie para um
amigo". E se clicarmos em "cobertura completa", na página inicial, o site nos direcionará para
uma pesquisa pela internet no site do yahoo search.
Já analisando o site da Folha Online, podemos perceber que este sabe explorar o hipertexto.
Quando clicamos em uma determinada matéria, o texto desejado aparecere na tela e, na parte
inferior da página, aparecem links onde podemos buscar mais informações sobre o fato. Ou
seja, esses "ganchos" puxam os assuntos relacionados, onde o leitor pode se informar de tudo
que esta acontecendo sobre determinado caso. Além disso, o site tem um arquivo de notícias
onde podemos fazer uma contextualização geral sobre os assuntos passados relacionados.
...o educador faz com os seus alunos e
        não para os seus alunos.
             Paulo Freire
Projetos
Utilizando as tiCs
 qUe são sUCesso
Como as tecnologias se integram
     à prática pedagógica
Professor –
domínio das
tecnologias


              Aluno




                      Aprendizagem
Que formação de professores é essa?

Formação direcionada para o presente
Educador aprendiz
Formação centrada no contexto

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (14)

Cursos rea internacionais
Cursos rea internacionaisCursos rea internacionais
Cursos rea internacionais
 
Como nós aprendemos e pensamos
Como nós aprendemos e pensamosComo nós aprendemos e pensamos
Como nós aprendemos e pensamos
 
Construtivismo
ConstrutivismoConstrutivismo
Construtivismo
 
Aprendereensinar
AprendereensinarAprendereensinar
Aprendereensinar
 
Tecnologias no construtivismo
Tecnologias no construtivismoTecnologias no construtivismo
Tecnologias no construtivismo
 
pedagogia de projetos
pedagogia de projetospedagogia de projetos
pedagogia de projetos
 
A teoria construtivista e as tecnologias
A teoria construtivista e as tecnologiasA teoria construtivista e as tecnologias
A teoria construtivista e as tecnologias
 
Modelo construtivista
Modelo construtivistaModelo construtivista
Modelo construtivista
 
Tarefa etapa4 claudine-alvarenga-silva
Tarefa etapa4 claudine-alvarenga-silvaTarefa etapa4 claudine-alvarenga-silva
Tarefa etapa4 claudine-alvarenga-silva
 
Ensinar e aprender
Ensinar e aprenderEnsinar e aprender
Ensinar e aprender
 
Bruner apresentação 3
Bruner apresentação 3Bruner apresentação 3
Bruner apresentação 3
 
PROJECTO EFA
PROJECTO EFAPROJECTO EFA
PROJECTO EFA
 
Sentidos e significados de aprendizagem
Sentidos e significados de aprendizagemSentidos e significados de aprendizagem
Sentidos e significados de aprendizagem
 
Aula 08 projetos 2010
Aula 08 projetos 2010Aula 08 projetos 2010
Aula 08 projetos 2010
 

Destaque

Projeto de aprendizagem - Planejamento - Alessandra maia
Projeto de aprendizagem - Planejamento - Alessandra maiaProjeto de aprendizagem - Planejamento - Alessandra maia
Projeto de aprendizagem - Planejamento - Alessandra maiaaleomaia
 
Aulas de filosofia
Aulas de filosofiaAulas de filosofia
Aulas de filosofiaEstude Mais
 
Projeto De Ensino E Projeto De Aprendizagem
Projeto De Ensino E Projeto De AprendizagemProjeto De Ensino E Projeto De Aprendizagem
Projeto De Ensino E Projeto De AprendizagemSérgio da Silva
 
Slides da Orientação técnica filosofia
Slides da Orientação técnica filosofiaSlides da Orientação técnica filosofia
Slides da Orientação técnica filosofiaErica Frau
 
Sugestões de temas para o pré projeto
  Sugestões de temas para o pré projeto  Sugestões de temas para o pré projeto
Sugestões de temas para o pré projetoWellington Alves
 
Projeto de Ensino e Projeto de Aprendizagem
Projeto de Ensino e Projeto de AprendizagemProjeto de Ensino e Projeto de Aprendizagem
Projeto de Ensino e Projeto de AprendizagemElaine Pacheco
 
Temas para projetos
Temas para projetosTemas para projetos
Temas para projetosEstado do RS
 

Destaque (11)

Sugestão de roteiro para desenvolvimento de um projeto de aprendizagem 02
Sugestão de roteiro para desenvolvimento de um projeto de aprendizagem 02Sugestão de roteiro para desenvolvimento de um projeto de aprendizagem 02
Sugestão de roteiro para desenvolvimento de um projeto de aprendizagem 02
 
Projeto de aprendizagem - Planejamento - Alessandra maia
Projeto de aprendizagem - Planejamento - Alessandra maiaProjeto de aprendizagem - Planejamento - Alessandra maia
Projeto de aprendizagem - Planejamento - Alessandra maia
 
Aulas de filosofia
Aulas de filosofiaAulas de filosofia
Aulas de filosofia
 
Projeto De Ensino E Projeto De Aprendizagem
Projeto De Ensino E Projeto De AprendizagemProjeto De Ensino E Projeto De Aprendizagem
Projeto De Ensino E Projeto De Aprendizagem
 
Slides da Orientação técnica filosofia
Slides da Orientação técnica filosofiaSlides da Orientação técnica filosofia
Slides da Orientação técnica filosofia
 
Sugestões de temas para o pré projeto
  Sugestões de temas para o pré projeto  Sugestões de temas para o pré projeto
Sugestões de temas para o pré projeto
 
Projeto de Ensino e Projeto de Aprendizagem
Projeto de Ensino e Projeto de AprendizagemProjeto de Ensino e Projeto de Aprendizagem
Projeto de Ensino e Projeto de Aprendizagem
 
Temas para projetos
Temas para projetosTemas para projetos
Temas para projetos
 
As formas de planejar do professor
As formas de planejar do professorAs formas de planejar do professor
As formas de planejar do professor
 
Projeto luciane
Projeto lucianeProjeto luciane
Projeto luciane
 
Projeto Cidadania e Valores
Projeto Cidadania e ValoresProjeto Cidadania e Valores
Projeto Cidadania e Valores
 

Semelhante a Uniao de trabalhos

PITEC Elaboração de Projetos - Beti Prado
PITEC Elaboração de Projetos - Beti PradoPITEC Elaboração de Projetos - Beti Prado
PITEC Elaboração de Projetos - Beti PradoFabiano Sulligo
 
Slide do pitec
Slide do pitecSlide do pitec
Slide do pitecSEDUC - MT
 
PROJETOS INTERDISCIPLINARES EM ARTES E EDUCAÇÃO.pdf
PROJETOS INTERDISCIPLINARES EM ARTES E EDUCAÇÃO.pdfPROJETOS INTERDISCIPLINARES EM ARTES E EDUCAÇÃO.pdf
PROJETOS INTERDISCIPLINARES EM ARTES E EDUCAÇÃO.pdfestudosfaculdade05fa
 
PROJETOS INTERDISCIPLINARES EM ARTES E EDUCAÇÃO.pdf
PROJETOS INTERDISCIPLINARES EM ARTES E EDUCAÇÃO.pdfPROJETOS INTERDISCIPLINARES EM ARTES E EDUCAÇÃO.pdf
PROJETOS INTERDISCIPLINARES EM ARTES E EDUCAÇÃO.pdfestudosfaculdade05fa
 
Formacao projeto-uca-m4-ee-antonio-nobre v2
Formacao projeto-uca-m4-ee-antonio-nobre v2Formacao projeto-uca-m4-ee-antonio-nobre v2
Formacao projeto-uca-m4-ee-antonio-nobre v2Renata Aquino
 
Formacao projeto-uca-m4-ee-antonio-nobre v2
Formacao projeto-uca-m4-ee-antonio-nobre v2Formacao projeto-uca-m4-ee-antonio-nobre v2
Formacao projeto-uca-m4-ee-antonio-nobre v2Renata Aquino
 
Diferenças verificadas nas práticas pedagógicas pré e pós
Diferenças verificadas nas práticas pedagógicas pré e pósDiferenças verificadas nas práticas pedagógicas pré e pós
Diferenças verificadas nas práticas pedagógicas pré e pósMaria Cristina Boccuzzi Rodrigues
 
Apresentação inicial agosto
Apresentação inicial agostoApresentação inicial agosto
Apresentação inicial agostoElvira Aliceda
 
Como planejar projetos para colaboração entre professores para uma abordagem ...
Como planejar projetos para colaboração entre professores para uma abordagem ...Como planejar projetos para colaboração entre professores para uma abordagem ...
Como planejar projetos para colaboração entre professores para uma abordagem ...Seminário Latino-Americano SLIEC
 
Metodologia de Projetos
Metodologia de ProjetosMetodologia de Projetos
Metodologia de ProjetosOswaldo Sandi
 
PNAC - Ano 01 unidade 6
PNAC - Ano 01   unidade 6PNAC - Ano 01   unidade 6
PNAC - Ano 01 unidade 6ElieneDias
 
ConstruçãO De Projetos Palestra
ConstruçãO De Projetos PalestraConstruçãO De Projetos Palestra
ConstruçãO De Projetos Palestrantebrusque
 
Orientações para elaboração de projetos na rede municipal de ensino de Piratuba
Orientações para elaboração de projetos na rede municipal de ensino de PiratubaOrientações para elaboração de projetos na rede municipal de ensino de Piratuba
Orientações para elaboração de projetos na rede municipal de ensino de PiratubaClaudia Jung
 
Orientações para projetos na rede municipal de ensino de Piratuba
Orientações para projetos na rede municipal de ensino de PiratubaOrientações para projetos na rede municipal de ensino de Piratuba
Orientações para projetos na rede municipal de ensino de PiratubaClaudia Jung
 
Projetos e interdisciplinaridade
Projetos e interdisciplinaridadeProjetos e interdisciplinaridade
Projetos e interdisciplinaridadefamiliaestagio
 
Aprendizagem coletiva por meios dos objetos de aprendizagem do InterRed
Aprendizagem coletiva por meios dos objetos de aprendizagem do InterRedAprendizagem coletiva por meios dos objetos de aprendizagem do InterRed
Aprendizagem coletiva por meios dos objetos de aprendizagem do InterRedElizama Lemos
 
Abordagem de projecto como construtora de competências sociais e relacionais ...
Abordagem de projecto como construtora de competências sociais e relacionais ...Abordagem de projecto como construtora de competências sociais e relacionais ...
Abordagem de projecto como construtora de competências sociais e relacionais ...Henrique Santos
 

Semelhante a Uniao de trabalhos (20)

PITEC Elaboração de Projetos - Beti Prado
PITEC Elaboração de Projetos - Beti PradoPITEC Elaboração de Projetos - Beti Prado
PITEC Elaboração de Projetos - Beti Prado
 
Slide do pitec
Slide do pitecSlide do pitec
Slide do pitec
 
PROJETOS INTERDISCIPLINARES EM ARTES E EDUCAÇÃO.pdf
PROJETOS INTERDISCIPLINARES EM ARTES E EDUCAÇÃO.pdfPROJETOS INTERDISCIPLINARES EM ARTES E EDUCAÇÃO.pdf
PROJETOS INTERDISCIPLINARES EM ARTES E EDUCAÇÃO.pdf
 
PROJETOS INTERDISCIPLINARES EM ARTES E EDUCAÇÃO.pdf
PROJETOS INTERDISCIPLINARES EM ARTES E EDUCAÇÃO.pdfPROJETOS INTERDISCIPLINARES EM ARTES E EDUCAÇÃO.pdf
PROJETOS INTERDISCIPLINARES EM ARTES E EDUCAÇÃO.pdf
 
Formacao projeto-uca-m4-ee-antonio-nobre v2
Formacao projeto-uca-m4-ee-antonio-nobre v2Formacao projeto-uca-m4-ee-antonio-nobre v2
Formacao projeto-uca-m4-ee-antonio-nobre v2
 
Formacao projeto-uca-m4-ee-antonio-nobre v2
Formacao projeto-uca-m4-ee-antonio-nobre v2Formacao projeto-uca-m4-ee-antonio-nobre v2
Formacao projeto-uca-m4-ee-antonio-nobre v2
 
Diferenças verificadas nas práticas pedagógicas pré e pós
Diferenças verificadas nas práticas pedagógicas pré e pósDiferenças verificadas nas práticas pedagógicas pré e pós
Diferenças verificadas nas práticas pedagógicas pré e pós
 
Apresentação inicial agosto
Apresentação inicial agostoApresentação inicial agosto
Apresentação inicial agosto
 
Como planejar projetos para colaboração entre professores para uma abordagem ...
Como planejar projetos para colaboração entre professores para uma abordagem ...Como planejar projetos para colaboração entre professores para uma abordagem ...
Como planejar projetos para colaboração entre professores para uma abordagem ...
 
Metodologia de Projetos
Metodologia de ProjetosMetodologia de Projetos
Metodologia de Projetos
 
PNAC - Ano 01 unidade 6
PNAC - Ano 01   unidade 6PNAC - Ano 01   unidade 6
PNAC - Ano 01 unidade 6
 
ConstruçãO De Projetos Palestra
ConstruçãO De Projetos PalestraConstruçãO De Projetos Palestra
ConstruçãO De Projetos Palestra
 
Curriculo por projetos
Curriculo por projetos   Curriculo por projetos
Curriculo por projetos
 
Orientações para elaboração de projetos na rede municipal de ensino de Piratuba
Orientações para elaboração de projetos na rede municipal de ensino de PiratubaOrientações para elaboração de projetos na rede municipal de ensino de Piratuba
Orientações para elaboração de projetos na rede municipal de ensino de Piratuba
 
Orientações para projetos na rede municipal de ensino de Piratuba
Orientações para projetos na rede municipal de ensino de PiratubaOrientações para projetos na rede municipal de ensino de Piratuba
Orientações para projetos na rede municipal de ensino de Piratuba
 
3 formação pnaic
3 formação pnaic3 formação pnaic
3 formação pnaic
 
Projetos e interdisciplinaridade
Projetos e interdisciplinaridadeProjetos e interdisciplinaridade
Projetos e interdisciplinaridade
 
Projeto de vida
Projeto de vidaProjeto de vida
Projeto de vida
 
Aprendizagem coletiva por meios dos objetos de aprendizagem do InterRed
Aprendizagem coletiva por meios dos objetos de aprendizagem do InterRedAprendizagem coletiva por meios dos objetos de aprendizagem do InterRed
Aprendizagem coletiva por meios dos objetos de aprendizagem do InterRed
 
Abordagem de projecto como construtora de competências sociais e relacionais ...
Abordagem de projecto como construtora de competências sociais e relacionais ...Abordagem de projecto como construtora de competências sociais e relacionais ...
Abordagem de projecto como construtora de competências sociais e relacionais ...
 

Mais de eveeberle

Natal uruaguai
Natal uruaguaiNatal uruaguai
Natal uruaguaieveeberle
 
Primeira video
Primeira videoPrimeira video
Primeira videoeveeberle
 
Primeira video
Primeira videoPrimeira video
Primeira videoeveeberle
 
Primeira video
Primeira videoPrimeira video
Primeira videoeveeberle
 
Intecambio guarita
Intecambio guaritaIntecambio guarita
Intecambio guaritaeveeberle
 
Intecambio guarita
Intecambio guaritaIntecambio guarita
Intecambio guaritaeveeberle
 
Feira do livro 2012
Feira do livro 2012Feira do livro 2012
Feira do livro 2012eveeberle
 
Posse professores
Posse professoresPosse professores
Posse professoreseveeberle
 
Participação expo ijuí
Participação expo ijuíParticipação expo ijuí
Participação expo ijuíeveeberle
 
7 de setembro 2012
7 de setembro 20127 de setembro 2012
7 de setembro 2012eveeberle
 
Tecnologia educativa e currículo
Tecnologia educativa e currículoTecnologia educativa e currículo
Tecnologia educativa e currículoeveeberle
 
Fotos Formação
Fotos FormaçãoFotos Formação
Fotos Formaçãoeveeberle
 
Fotos formação
Fotos formaçãoFotos formação
Fotos formaçãoeveeberle
 
Feira do livro 2011
Feira do livro 2011Feira do livro 2011
Feira do livro 2011eveeberle
 
Neguinho do pastoreio
Neguinho do pastoreioNeguinho do pastoreio
Neguinho do pastoreioeveeberle
 
Expoijuí Osvaldo Aranha
Expoijuí Osvaldo AranhaExpoijuí Osvaldo Aranha
Expoijuí Osvaldo Aranhaeveeberle
 

Mais de eveeberle (20)

Ano novo
Ano novoAno novo
Ano novo
 
Natal uruaguai
Natal uruaguaiNatal uruaguai
Natal uruaguai
 
Primeira video
Primeira videoPrimeira video
Primeira video
 
Primeira video
Primeira videoPrimeira video
Primeira video
 
Primeira video
Primeira videoPrimeira video
Primeira video
 
Intecambio guarita
Intecambio guaritaIntecambio guarita
Intecambio guarita
 
Intecambio guarita
Intecambio guaritaIntecambio guarita
Intecambio guarita
 
Feira do livro 2012
Feira do livro 2012Feira do livro 2012
Feira do livro 2012
 
Posse professores
Posse professoresPosse professores
Posse professores
 
Participação expo ijuí
Participação expo ijuíParticipação expo ijuí
Participação expo ijuí
 
7 de setembro 2012
7 de setembro 20127 de setembro 2012
7 de setembro 2012
 
Tecnologia educativa e currículo
Tecnologia educativa e currículoTecnologia educativa e currículo
Tecnologia educativa e currículo
 
Intercambio
IntercambioIntercambio
Intercambio
 
Fotos Formação
Fotos FormaçãoFotos Formação
Fotos Formação
 
Fotos formação
Fotos formaçãoFotos formação
Fotos formação
 
Grupo1
Grupo1Grupo1
Grupo1
 
Finlandia
FinlandiaFinlandia
Finlandia
 
Feira do livro 2011
Feira do livro 2011Feira do livro 2011
Feira do livro 2011
 
Neguinho do pastoreio
Neguinho do pastoreioNeguinho do pastoreio
Neguinho do pastoreio
 
Expoijuí Osvaldo Aranha
Expoijuí Osvaldo AranhaExpoijuí Osvaldo Aranha
Expoijuí Osvaldo Aranha
 

Último

BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESpatriciasofiacunha18
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 

Último (20)

BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 

Uniao de trabalhos

  • 1. FORMAÇÃO UCA ESCOLA OSVALDO ARANHA- IJUÍ MÓDULO IV SEMINÁRIO: ELABORAÇÃO DE PROJETOS APRESENTAÇÃO DE CADA GRUPO 20/06/2012
  • 3. PESTALOZZI E FROEBEL DEFENDERAM A IMPORTÂNCIA DA VALORIZAÇÃO DOS INTERESSES REAIS DAS CRIANÇAS E A EXPERIMENTAÇÃO PRÁTICA
  • 4. DECROLY E MONTESSORI TAMBÉM APOIAVAM OS MÉTODOS ATIVOS E AS ATIVIDADES LIVRES, ONDE OS ALUNOS ESCOLHIAM OS TEMAS PARA SEREM ESTUDADOS DE ACORDO COM SEUS INTERESSES E CURIOSIDADES
  • 5. DEWEY ( SISTEMATIZADOR DA PEDAGOGIA DE PROJETOS) E KILPATRICK ( CRIADOR DO MÉTODO POR PROJETOS) DA MESMA FORMA ENFATIZARAM QUE A ESCOLA PRECISA SER UM CENTRO DE TRANSFORMAÇÕES DOS CONTEXTOS REAIS PARA AÇÕES DE APRENDIZAGEM POIS DESSA FORMA OS ALUNOS INTERESSAM-SE E SE ENVOLVEM NAQUILO QUE ESTÃO APRENDENDO
  • 6. PENSANDO EM COMO TRABALHAR DESSA FORMA, FREINET PROPÕE ATIVIDADES EM GRUPOS E DE SOCIALIZAÇÃO, INCENTIVANDO, A TROCA DE IDÉIAS E O ENVOLVIMENTO DO ALUNO NAS ATIVIDADES
  • 7. “...ENSINAR NÃO É TRANSFERIR CONHECIMENTO, MAS CRIAR POSSIBILIDADES PARA A SUA PRÓPRIA PRODUÇÃO OU A SUA CONSTRUÇÃO” (  FREIRE , 1996, P. 52).
  • 8. SEGUNDO PIAGET, O CONHECIMENTO SE DÁ NA INTERAÇÃO ENTRE OS SUJEITOS E OBJETOS. ASSIM COMO ELE VIGOSTKY NOS DIZ QUE É POSSÍVEL A APRENDIZAGEM ATRAVÉS DE PROJETOS QUE DESAFIAM OS ALUNOS A PROCURAREM SUAS RESPOSTAS APARTIR DE SUA EXPERIÊNCIAS
  • 9. BECKER DESTACA A IMPORTÂNCIA DO PROFESSOR NÃO BLOQUEAR O EDUCANDO E SIM PERMITIR QUE ELE REFLITA SOBRE SUA AÇÃO DE APRENDER
  • 10. TRABALHAR COM PROJETOS, SEGUNDO ESTES AUTORES, É PERMITIR QUE O ALUNO APRENDAM.
  • 11. HERNANDEZ ALERTA QUE PARA TRABALHAR COM PROJETO NÃO BASTA O ALUNO GOSTAR DE UM DETERMINADO TEMA, É PRECISO QUE O TEMA SEJA INSTIGADOR PARA O ALUNO E DESPERTE SUA CURIOSIDADE POR NOVOS CONHECIMENTOS.
  • 12. CONTUDO, OS PROJETOS FAZEM COM QUE O ALUNO DESENVOLVA COMPETÊNCIAS PARA BUSCAR E SELECIONAR INFORMAÇÕES , TOMAR DECISÕES TRABALHAR EM GRUPO, GERENCIAR CONFRONTOS DE IDÉIAS, SOLUCIONAR PROBLEMAS, DESENVOLVER COMPETÊNCIAS INTERPESSOAIS PARA APRENDER DE FORMA COLABORATIVA COM SEUS PARES. NO PROJETO, O ALUNO EXPLORA, APLICA, BUSCA, INTERPRETA INFORMAÇÕES E TEM A OPORTUNIDADE DE RECONTEXTUALIZAR AQUILO QUE APRENDEU.
  • 13. SITES DE PESQUISA DE PROJETOS: WWW.CAMINHANDO.ORG.BR/ WWW.EDUCADORESSEMFRONTEIRAS.ORG.BR ALZIRAUBALDO.BLOGSPOT.COM.BR EDUCADOR.BRASILESCOLA.COM.BR BAUDEIDEIASDAIVANISE.BLOGSPOT.COM.BR WWW.GRUPOESCOLAR.COM.BR
  • 16. “PARA O ALUNO PESQUISAR E ESTUDAR SOBRE UM TEMA, ELE PRECISA ESTABELECER RELAÇÕES SIGNIFICATIVAS ENTRE CONHECIMENTO DE ÁREAS DISTINTAS. A INTERDISCIPLINARIEDADE É A INTEGRAÇÃO DE DOIS OS MAIS COMPONENTES CURRICULARES NA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO DE FORMA GLOBAL.
  • 17. O TRABALHO COM PROJETO PERMITE ROMPER COM AS FRONTEIRAS DISCIPLINARES, FAVORECENDO O ESTABELECIMENTO DE ELOS ENTRE AS DIFERENTES ÁREAS DO CONHECIMENTO NUMA SITUAÇÃO CONTEXTUALIZADA DE APRENDIZAGEM.
  • 18. A INTERDISCIPLINARIDADE SE DÁ SEM QUE HAJA PERDA DA IDENTIDADE DAS DISCIPLINAS
  • 19. O CONHECIMENTO ESPECÍFICO – DISCIPLINAR – OFERECE AO ALUNO A POSSIBILIDADE DE RECONHE- CER E COMPREENDER AS PARTICULARIDADES DE UM DETERMINADO CONTEÚDO, E O CONHECIMENTO INTEGRADO – INTERDISCIPLINAR – DÁ- LHE A POSSIBILIDADE DE ESTABELECER RELAÇÕES SIGNIFICATIVAS ENTRE CONHECIMENTOS. AMBOS SE REALIMENTAM E UM NÃO EXISTE SEM O OUTRO.
  • 20. MULTIDISCIPLINARIDADE AÇÃO SIMULTÂNEA ENVOLVENDO DIFERENTES DISCIPLINAS EM TORNO DE UM TEMA COMUM.
  • 21. PLURIDISCIPLINARIDADE EXISTE ALGUM TIPO DE INTERAÇÃO ENTRE OS CONHECIMENTOS DISCIPLI- NARES, EMBORA ELES ESTEJAM NO MESMO NÍVEL HIERÁRQUICO.
  • 22. INTERDISCIPLINARIDADE REPRESENTA UM NÍVEL MAIS ELEVADO DE INTERAÇÃO ENTRE AS DISCIPLINAS, UM NÍVEL HIERÁRQUICO SUPERIOR ONDE PROCEDE A COORDENAÇÃO DAS AÇÕES DISCIPLINARES.
  • 23. TRANSDISCIPLINARIDADE SIGNIFICA TAMBÉM QUE EXISTE UM PENSAMENTO ORGANIZADOR QUE ULTRAPASSA AS PRÓPRIAS DISCIPLINAS E A INTERDISCIPLINARIDADE.
  • 24. “TRABALHAR COM PROJETOS PARTE DAS QUESTÕES DE INVESTIGAÇÃO. O ALUNO VAI DESENVOLVER ESTUDOS, PESQUISAR EM DIFERENTES FONTES, BUSCAR, SELECIONAR E ARTICULAR INFORMAÇÕES COM CONHECIMENTOS QUE JÁ POSSUI PARA COMPREENDER MELHOR ESSAS NOVAS QUESTÕES. ESSE PROCESSO IMPLICA O DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS PARA DESENVOLVER A AUTONOMIA E A TOMADA DE DECISÕES, CARACTERIZADA POR INCERTEZAS, VERDADES PROVISÓRIAS E MUDANÇAS ABRUPTAS”
  • 25. A PARTIR DE SITUAÇÕES PROBLEMÁTICAS DO PRESENTE, O ALUNO É DESAFIADO A BUSCAR INFORMAÇÕES E ARTICULÁ-LAS COM CONHECIMENTOS QUE JÁ POSSUI, PARA COMPREENDER ESSA PROBLEMÁTICA E PROPOR SITUAÇÕES QUE POSSAM RESOLVÊ-LA.
  • 26. UM PROJETO PODE PARTIR DE UMA QUESTÃO RELACIONADA COM UMA ÚNICA ÁREA DE CONHECIMENTO E, EM SEU DESENVOLVIMENTO, IR SE ABRINDO E ARTICULANDO CONCEITOS DE OUTRAS ÁREAS.
  • 27. CONHECIMENTO DESCREVER EXPLICITAMENTE O SIGNIFICADO DE UM CONCEITO, AS ARTICULAÇÕES ENTRE INFORMAÇÕES, QUER SEJAM PALAVRAS, GRÁFICOS, IMAGENS, ANIMAÇÕES, ENFIM, QUALQUER MÍDIA QUE MOSTRE O QUE A PESSOA PENSA SOBRE DETERMINADO CONCEITO, FATO, ACONTECIMENTO.
  • 28. COMO SE TRABALHA COM PROJETOS
  • 29. NEGOCIAR E CONQUISTAR O ALUNO PARA O TEMA DO TRABALHO ESTAR SEMPRE COMPROMETIDO COM AÇÕES, DE ACORDO COM AS NECESSIDADES E INTERESSES DOS SUJEITOS ENVOLVIDOS
  • 30. NÃO PODEMOS ENGESSAR O PROJETO, PRECISA SER SIGNIFICATIVO PARA O ALUNO, PERMITINDO MUDANÇAS NO DECORRER DO TRABALHO FLEXÍVEL
  • 31. É IMPORTANTE NO DECORRER DO CAMINHO IDENTIFICAR SE HÁ NECESSIDADE DE REPLANEJAR O QUE ESTÁ SENDO DESCOBERTO, QUE CONCEITOS NOVOS EMERGIRAM.
  • 32. PRODUÇÃO: LEILA MARELISE CYZESKI DA SILVA JULIA CRISTINA MEDEIROS MÁRCIA PALHARINI GLAUCE MARIA DA SILVA
  • 33. Escola Estadual de Ensino Fundamental Osvaldo Aranha – IJUÍ CARINA BREZOLIM MARLI IRGANG GONZAGA MARLI MARLENE OTT
  • 34. Queremos iniciar com uma pergunta do texto de Ivani Fazenda(2009): "Quem educa o professor para a totalidade, para ter um olhar mais sensível?”.
  • 35. O projeto interdisciplinar segundo a autora do texto deve ir além de dividir o trabalho em partes, ou seja, o que a ciência vai trabalhar, a geografia, o português... ► O projeto interdisciplinar deve buscar na essência, buscar a beleza, aquilo que os alunos trazem como "vontade de saber“ aquilo que vai dar significado aos seus questionamentos, aquilo que pode ser construído a partir do projeto e nós orientadores e mediadores ao colocarmos o nosso olhar singular a essa essência podemos ver aonde os conceitos que antes eram trabalhados de forma linear podem vir ao encontro" dessa vontade de saber".
  • 36. “Precisamos voltar no tempo e como quando tínhamos 2 ou 3 anos de idade ter esse desejo "do conhecer ilimitado". ► O trabalho interdisciplinar só tem sentido quando "eu" e o meu aluno somos despertados a ter um "olhar singular " que leva a interiorizar um "desejo de conhecer".
  • 37. INDICAÇÕES PARA LEITURA  CASIMIRO, Vitor. Interdisciplinaridade de A a Z. Disponível em : <http://www.educacional. com.br/reportagens/educar2001/texto04.asp>. Acesso em: 12 jul. 2009.  Interdisciplinaridade: dicionário em construção, livro do qual Ivani é organizadora e que está sendo lançado na Educar 2001.
  • 38. ELABORAÇÃO DE PROJETOS PROJETO E TECNOLOGIA Projeto Amora: projeto realizado no Colégio de Aplicação da UFRGS. Partir de perguntas dos alunos; Professor faz intervenções; Levantamento de dúvidas temporárias e certezas provisórias;
  • 39. PEDAGOGIA DE PROJETOS  Novas maneiras de ensinar, aprender e desenvolver o currículo;  professor criar situações, provocando o aluno a integração entre si, no grupo, buscar informações, dialogar, produzir novos conhecimentos;  Professor precisa dialogar com o seu aluno para compreender as suas dúvidas, inquietações, expectativas e necessidades propondo atividades que desperte no aluno a curiosidade e o desejo pelo aprender.
  • 40. 1.1 FUNDAMENTOS E IMPLICAÇÕES Pedagogia de projeto o aluno aprende: produzir ; Levantar dúvidas; Pesquisar; Criar relações; Novas buscas; Descobertas; Compreensões e reconstruções de conhecimento. # Professor precisa acompanhar o processo de aprendizagem do aluno (entender o seu caminho, seu universo afetivo e cognitivo, sua cultura, história e contexto de vida).
  • 41. APRENDENDO E “ENSINANDO” COM PROJETOS Pedagogia de projeto o aluno aprende fazendo, selecionando informações significativas, tomando decisões, trabalhando em grupo, gerenciando confronto de ideias. A mediação do professor é fundamental, sentindo sua presença, que ouve questiona e orienta.
  • 42. 1.2-APRENDER COM O VÍDEO E A CÂMERA PP- os audiovisuais deveriam integrar todas as linguagens que as diferentes mídias permitem e realizar uma grande conversa entre elas. Educar para a televisão envolve ações que procuram, principalmente, formar um telespectador criterioso, que saiba ver com clareza o que lhe é apresentado, que possa escolher com competência o que deseja, ou não ver.
  • 43. 1.3- PESQUISA, COMUNICAÇÃO E APRENDIZAGEM COM O COMPUTADOR. O domínio técnico e pedagógico devem caminhar juntos, simultaneamente. #Aspectos pedagógicos: informação x conhecimento, ensinar x aprender Informação: centrado nas publicações Conhecimento: é o que cada indivíduo constrói como produto do processamento, da interpretação, da comunicação, da compreensão da informação. Aprender: construir conhecimento, o aprendiz processa a informação que obtém interagindo com o mundo dos objetos e das pessoas. A informação tem que ter sentido para o aprendiz.
  • 44. # aprender significa apropriar-se da informação # ensinar passa a ser o de criar ambientes para que o aluno possa interagir. *O educador deve estar preparado e saber intervir no processo de aprendizagem do aluno, para que ele seja capaz de transformar as informações (transmitidas e/ou pesquisadas) em conhecimento, por meio de situações- problema.
  • 45. CONSTRUÇÃO E REPRESENTAÇÃO DE CONHECIMENTO  O professor precisa compreender as ideias do aprendiz e saber como atuar no processo de construção de conhecimento para intervir apropriadamente na situação, auxiliando-o nesse processo.  Um outro aspecto presente na representação dos conhecimentos explicitado no trabalho com o computador é o fato de ser possível identificar, do ponto de vista cognitivo, os conceitos e as estratégias que o aprendiz utiliza para resolver um problema ou projeto.
  • 46. BUSCA E ACESSO À INFORMAÇÃO Oferece muitas facilidades como a combinação de textos, imagens, animação, sons e vídeos que tornam à informação muito mais atraente. Formação do professor é necessária para que ele saiba orientar e desafiar o aluno para que a atividade computacional contribua para a aquisição de novos conhecimentos. Permitir que o educador adquira habilidades e competências técnicas e pedagógicas.
  • 47. 1.4- REVALORIZAÇÃO DO LIVRO DIANTE DAS NOVAS MÍDIAS  Livro X meios de comunicação  Francisco Gutierres  Desafios da escola (escola, professores)  Conhecimento e sensibilidade  Maquinomem
  • 48. 1.5- PRÁTICA E FORMAÇÃO DOS PREOFESSORES NA INTEGRAÇÃO DE MÍDIAS  Prática pedagógica com projetos e uso de tecnologias  O que é projeto?  Pensadores: Heidegger, Bouti, Machado  O que vem a ser essa tal de tecnologia  É possível integrar projetos e tecnologias  Mídia audiovisual e aprendizagem  Uso de textos hipertextos  Tecnologias e práticas pedagógicas  Formação de professores
  • 50. 1.5 página 38 à 45 -Prática e formação de professores na integração de mídias. -Prática pedagógica e formação de professores com projetos. Articulação entre conhecimentos, tecnologias e mídias.
  • 51. Articulação Integrada Tecnologias Conhecimento Mídias Prática e Formação
  • 52. CRIAÇÃO DE PROJETOS USANDO A TECNOLOGIA TRÊS ASPECTOS PARA A FORMAÇÃO DO PROFESSOR: -Projetos – objetivos – ações - Integração das tecnologias e mídias -Conceitos relacionados as diferentes áreas do conhecimento
  • 53. MAS AFINAL O QUE É UM PROJETO? A ideia de projeto faz parte da essência do ser humano consciente da sua condição de incompletude, em busca incessante de transformar-se para atingir algo desejável e encontrar respostas às suas questões. Pensadores que aprofundam o conceito: -Heidegger -Sartre -Machado, etc.
  • 54. O projeto durante sua realização é constantemente refletido e reelaborado.
  • 55. Na constituição de um projeto o fundamental é ter coragem de romper as limitações Do cotidiano, muitas delas auto impostas. Almeida.
  • 56. O que vem a ser essa tal tecnologia?
  • 57. Diariamente nos cerca Caneta Talheres fone óculos Tecnologia Cadernos Computador
  • 58. PROFESSOR Estudar as ferramentas Processos de criação Tecnologia Cultura artefatos
  • 59. DVD COMPUTADOR TV INTERNET IPOD MÍDIAS IFONE Empregar como?
  • 60. Tecnologia na sala de aula: Integração de tecnologia e conhecimen to
  • 61. Desenvolvimento de projetos em sala de aula: _Levantamento de problemáticas relacionadas com a realidade do aluno. _ Temas de pesquisa partem do interesse dos alunos. _ São desafios da educação atual: MÍDIAS AUDIOVISUAIS FAZEM PARTE DA LINGUAGEM DOS JOVENS ATUALMENTE
  • 62. O que o uso de textos e hipertextos trazem de inovador para a aprendizagem
  • 63. Hipertexto Interagir com textos, é para isso que serve o hipertexto. Através deste sabemos a direção que a pesquisa online vai seguir, através das associações feitas, buscando mais informações e detalhamento sobre determinados assuntos. Porém não são todos os sites que conseguem usufruir deste recurso de maneira apropriada, alguns deixam a desejar, são pobres em suas publicações. Outros, talvez por excessos de informações, acabam que confundindo o leitor. Os hipertextos devem ser utilizados na medida, ajudando o leitor a esclarecer os fatos e dando informações necessárias para esse esclarecimento. Um exemplo de site que não faz bom uso do hipertexto, a meu ver, é oYahoo Notícias, já que coloca o hipertexto de uma forma superficial, muito limitado, dificultando a busca de maiores informações para uma boa contextualização do leitor. Quando clicamos na manchete desejada, na tela aparece a matéria, mas não mostra links relacionados, a não ser o link "envie para um amigo". E se clicarmos em "cobertura completa", na página inicial, o site nos direcionará para uma pesquisa pela internet no site do yahoo search. Já analisando o site da Folha Online, podemos perceber que este sabe explorar o hipertexto. Quando clicamos em uma determinada matéria, o texto desejado aparecere na tela e, na parte inferior da página, aparecem links onde podemos buscar mais informações sobre o fato. Ou seja, esses "ganchos" puxam os assuntos relacionados, onde o leitor pode se informar de tudo que esta acontecendo sobre determinado caso. Além disso, o site tem um arquivo de notícias onde podemos fazer uma contextualização geral sobre os assuntos passados relacionados.
  • 64. ...o educador faz com os seus alunos e não para os seus alunos. Paulo Freire
  • 65. Projetos Utilizando as tiCs qUe são sUCesso
  • 66. Como as tecnologias se integram à prática pedagógica
  • 68. Que formação de professores é essa? Formação direcionada para o presente Educador aprendiz Formação centrada no contexto