Conto semente.da.verdade

3.268 visualizações

Publicada em

0 comentários
10 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.268
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.686
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Conto semente.da.verdade

  1. 1. Adaptação de ESCOLOVARA semente da verdadehttp://www.escolovar.org/conto_entrada.geral.valores.htm
  2. 2. Há muito tempo, naChina, viveu ummenino quegostava muito deflores.Com mãosdedicadas, Ping,assim se chamavaele, cultivavaorquídeas e outrasflores, bambus epequenos arbustose ainda árvores defruto.
  3. 3. Cada planta tocadapor ele cresciaviçosa e forte.Todos oshabitantes doimpério gostavamtambém muito deflores e tratavam--nas com igualcarinho.
  4. 4. Plantavam-naspor todo o ladoe o ar eradeliciosamenteperfumado.
  5. 5. O Imperadorgostava muito depássaros e deoutros animaismas, acima detudo, preferia asflores.Todos os dias,cultivava o seupróprio jardim.
  6. 6. O tempo passou e oimperador , de idadeavançada e semfilhos ou parentespróximos, precisoude escolher umsucessor.
  7. 7. Quem poderiaser o seu sucessor?Como o poderiaescolher?Dado que gostavatanto das flores,decidiu deixar quefossem elas aescolher por ele.
  8. 8. No dia seguinte,enviou mensageirosa todos os cantosdo império com umaordem: os meninosdeveriam dirigir-seao palácio.Imediatamente,milhares depequenos súbditostomaram o caminhodo palácio.
  9. 9. O imperador aguardouque todas as criançaschegassem.Apareceu, então,montado no seu cavalobranco, com um arfeliz.“Crianças”, disse ele,com voz determinada,“preciso de escolher omeu sucessor de entrevocês. Para isso,tenho uma tarefa muitoespecial para vos dar.”
  10. 10. Então, mostrou-lhesmuitas sementes deflores.“Tenho aqui estassementes. Quero queas levem e ascultivem. Quem metrouxer a flor maisbonita, mais cuidada,ao fim de um ano,será o meusucessor”.
  11. 11. Os pais sonhavamque os seus filhostinham sidoescolhidos comosucessores doImperador e osmeninos esperavamcom ilusão o mesmo.
  12. 12. Quando Pingrecebeu a suasemente das mãosdo Imperador, foi omenino mais felizde todos. Estavaseguro que poderiacultivar a flor maisformosa. Ele era umexcelente jardineiro.
  13. 13. Quando chegou acasa, encheu umvaso com terrafértil. Depois, commil cuidados,colocou a sementenela.
  14. 14. Cuidadosamente,regou-a. Depois,estrumou-a, paraque ela sedesenvolvessecom vigor.Estava ansiosopor vê-la brotar,crescer eflorescer.
  15. 15. Os diaspassaram,depois,semanas… masnada acontecia,a semente nãogerminava.
  16. 16. Ping começou apreocupar-se.Decidiu pôr terranum vaso maior. Nasua inocência,pensou que essedeveria ser umfactor importantepara o início davida de uma planta.Em seguida,mudou a semente.
  17. 17. Esperou algum tempomas nada aconteceu.Ping desesperava. Éque, por mais quePing se esforçasse, asemente não brotava.O menino fez tudo oque podia: aduboumais a terra, colocouo vaso ao sol, regou asemente com águanascente, mas osseus esforços denada valeram.
  18. 18. No fim doInverno,completava-seum ano. A tristezaapoderou-se dePing.
  19. 19. Chegou aPrimavera e, comela, o fim doprazo dado peloImperador.Todas ascrianças seprepararam parairem à presençado Imperador.
  20. 20. No dia aprazado,todos acorreramao palácio,acalentando aesperança deserem os eleitos.
  21. 21. Ping estavaenvergonhadocom o seu vasovazio.Pensou que osoutros meninosiriam escarnecerdele porque nãotinha sabidocultivar uma flor.
  22. 22. Ao paláciochegavam meninoscarregando vasoscom flores de todasas cores.Até o vizinho dePing exibia, orgu-lhoso, as belíssimasflores do seu vaso.
  23. 23. “Não conseguistecultivar una plantatão bonita como aminha.”, disse-lheo vizinho.“Já cultivei muitasflores melhoresque a tua.”retorquiu Ping.
  24. 24. Ping estava muito tristemas o pai reconfortou-o:“Fizeste o melhor quepudeste. A tua dedicaçãofoi extrema, mas a sementenão brotou. Não te envergo-nhes, filho. Diz a verdade aoImperador. Talvez seja estaa lição que o imperadordeseje que tu aprendas:algumas vezes, a verdadenão é tão bonita como umaflor, mas precisamos de aencarar com coragem paravencer grandes desafios.”
  25. 25. Animado comestas palavras deesperança, orapaz pegou novaso vazio erumou ao palácio.
  26. 26. Sentado no seu trono,o Imperador examinavaminuciosamente asplantas. Perguntava acada criança que liçãoaprendera com asemente e todasrespondiam ter apren-dido sobre o talento, aperseverança e o domnecessário para fazer asemente brotar.
  27. 27. Que linda era aquelaenorme quantidadede flores! Porém, oImperador permane-cia sério e não diziauma palavra. SuaMajestade nãoesboçava sequer umsorriso.
  28. 28. Finalmente,aproximou-se dePing, que inclinou acabeça, cheio devergonha, esperandoser repreendido. “Seo imperador nãoaprovou aquelasplantas maravilhosas, oque não dirá do meuvaso contendo apenasterra? ”, pensou orapaz, receoso.
  29. 29. Ping fora-se atrasandointencionalmente e,quando deu conta, erao último da fila.“Vejamos”, pergun-tou-lhe o imperador,aproximando-se efalando com voz grave,“O que tens aí para memostrar? Hum… Porque trouxeste um vasovazio?”
  30. 30. Ping começou achorar e respondeu:“Senhor, pus asemente que medeu na terra, reguei--a e tratei-a comtodos os cuidadosmas não germinou.Pu-la num vasomaior mas tãopouco a situaçãomelhorou.”.
  31. 31. “Esperei o anointeiro… mas nada.Estou envergonhadoe peço perdão...Talvez tenha sidofalta de sorte, masdedicação não mefaltou.”E concluiu: “Reflectimuito sobre qualseria a minha atitudee optei por dizer averdade, relatar-lhemeu esforço e rogar-- lhe perdão.”
  32. 32. Quando oImperador escutouestas palavras,sorriu, abraçouPing e exclamou,eufórico:“Encontrei!Encontrei umapessoa digna deser o próximoImperador!”E dava pulos dealegria, como umacriança.
  33. 33. “Não te envergonhes,rapaz. Deste o teumelhor. Levanta a ca-beça. És o meu futurosucessor.”“E vós”, disse oImperador, dirigindo-se aos outros,“Prestai atenção:Hoje, o valor queprevaleceu foi a ver-dade, a honestidade.”
  34. 34. E, dirigindo-senovamente para Ping,continuou:“Vou-te explicar: eutinha queimado todasas sementes antes deas entregar àscrianças. Nenhumapoderia germinar,jamais. Portanto,entre todas ascrianças que aquiestão, tu foste aúnica que cultivou asemente da verdade.”
  35. 35. Voltando-se nova-mente para osseus pequenossúbditos, rematou:“Admiro a grandevalentia de Ping decomparecer diantede mim com a suaverdade vazia.Assim, concedo--lhe o título de«Imperador daChina»”.http://web.rcts.pt/escolovar/conto_entrada.geral.valores.htm

×