Escalas maiores e menores

852 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
852
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
46
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Escalas maiores e menores

  1. 1. ESCALAS MAIORES E MENORES
  2. 2. • Em nossa musica, temos um complexo sistema musical, que coloca a nossa disposição doze sons diferentes, sendo sete notas musicais e cinco acidentes, denominados sustenidos, que indica meio tom acima de uma nota, e bemol, meio toma abaixo dela.
  3. 3. ACIDENTES• Necessidade de mais aperfeiçoamento tanto na notação quadrada, usada nos cantos gregorianos, quanto na polifonia, surgindo maior frequência de alterações na pauta musical.• Tem origem no chamado famoso diabolos in musica", um intervalo de 3 tons entre duas notas que desestabilizava o equilíbrio melódico da escalas, soando dissonante aos ouvidos• Ao canta-se uma escala partindo da nota FÁ, a tendência era corrigir o SI, baixando-o em meio tom.
  4. 4. Então surge o chamado "B" quadratum ,quadrado e o B rotundum. Esse último era a notaSi com ajuste, hoje chamado de Si bemol.Com o passar do tempo surgiu a preferência porsomente algumas escalas, que deram origem aosistema de tonalidades, ou seja, fazendo asalterações e ajustes nas notas toda vez que semudava a nota inicial para manter o modo, surgemassim o modo maior e menor.
  5. 5. .• DÓ- RÉ-MI-FA-SOL-LÁ-SI • ACIDENTES MUSICAIS
  6. 6. ESCALA• Uma série de notas, construídas em posição ascendente ou descendente.
  7. 7. No início da música barroca, a noção musical de tonalidade estava formada na ideia deuma tríade, não um tom central de cada modo
  8. 8. Escalas Maiores• Uma escala é uma seleção das notas dentro de uma oitava. A Oitava acontece quando o ciclo das 7 notas se repete, daí o nome OITAVA.• A escala maior é construída com a fórmula abaixo. Cada "T" representa um tom, e cada “s”, um semitom.
  9. 9. Tocando, ou ouvindo as notas brancas deum piano, partindo do DÓ central e indoao DÓ uma oitava acima, formamos uma escala de DÓ maior
  10. 10. Ainda utilizando as teclas de um piano comoreferência, podemos observar exatamente ondese encontram os acidentes, ou seja, sustenidose bemóis, facilitando dessa forma a escrita daescala.
  11. 11. Levando-se em conta que um semitom é o menor intervalo entre duas notas, e utilizando a escala natural de DÓ a DÓ, teremos a seguinte formação: T-T-S-T-T-T-S.
  12. 12. A diferença mais importante entre umaescala maior e menor, segundo Bennett, éo abaixamento da terceira nota da escala menor em um semitom.
  13. 13. ESCALA MENOR NATURAL
  14. 14. Escala harmônica é aquela em queas notas são mais adequadas paraformação de acordes ou harmonias.Procede da menor, obtida elevando-se meio tom o sétimo grau.
  15. 15. Essa alteração dá a escala uma sonoridadeoriental,permitindo ouvir sua influêncianos acordes meio-diminutos, e nosacordes de sétimas com nona bemol.Assim teremos: T-S-T-T-S-T+S-S.
  16. 16. DIRETRIZESA compreensão dos elementos queestruturam a música e que a organiza emuma forma musical, frases, partes iguais econtrastantes, entre outras, dá-se por meiode brincadeiras e jogos musicais,fundamentais para a construção dapercepção sonora.
  17. 17. ESCALA MAIORMUSICALIZAÇÃO
  18. 18. Escala menor harmônica GUITARRA SOLO
  19. 19. Escala menor melódica HOTEL CALIFÓRINIA
  20. 20. TRITONO

×