Roteiro para Auditoria Técnica em Içamento de Cargas.

2.259 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.259
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
588
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
59
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Roteiro para Auditoria Técnica em Içamento de Cargas.

  1. 1. Ponte e Pórtico Rolantes Auditoria Técnica de Segurança Operacional -ATSO Roteiro Básico para Conferência e Procedimentos Parte 1 – Equipamento 1 - As rodas e os caminhos de rolamento (trilhos) estão em boas condições, limpos e desobstruídos ? 2 - Existem batentes nas 4 extremidades dos trilhos ? 3 - Existem amortecedores de borracha nas 2 extremidades de cada cabeceira ? 4 - Existe sistema de travamento das rodas evitando deslocamentos acidentais do Pórtico que opera a céu aberto ? 5 - Existe alarme sonoro, e sonoro visual nas colunas dos Pórticos ? 6 - O freio do movimento de translação funciona perfeitamente ? 7 - Existe botão de emergência na botoeira ? 8 - A chave elétrica geral está posicionada estrategicamente, em numero adequado e devidamente sinalizada ? 9 - A caixa isolante da botoeira está em perfeitas condições ? 10 - Os botões de comando estão perfeitos e funcionam corretamente ?
  2. 2. 11 - As indicações dos botões estão compatíveis com os movimentos ? 12 - A sinalização dos botões é legível ? 13 - Como está a condição da cordoalha de sustentação da botoeira ? 14 - A altura da botoeira é ergonomicamente correta ? 15 - O mecanismo de elevação das cargas funciona normalmente ? 16 - O freio de descida da carga está regulado ? 17 - Existem dispositivos limitadores de movimento (curso) para a subida e descida do gancho ? 18 - O cabo de aço é inspecionado regularmente ? 19 - Há controle rigoroso de instalação, inspeção e troca do cabo de aço ? 20 - O gancho está em perfeitas condições ? 21 - O gancho possui trava de segurança funcionando ? 22 - Há batentes nas extremidades dos trilhos do carrinho ? 23 - Há amortecedores de borracha nas cabeceiras do carrinho ? 24 - O freio do carrinho funciona perfeitamente ? 25 – Existem refletores direcionais para operações noturnas ? 26 – Existe sistema de regulação progressiva de velocidade (torquepotência) operando nos movimentos de translação do equipamento e
  3. 3. do seu carrinho (Trolley) ? 27 – As estruturas que suportam os equipamentos estão devidamente aterradas ? Parte 2 – Operação 1 - É realizada inspeção diariamente, antes da primeira operação, com preenchimento de Check-List ? 2 - Antes de todas as operações são vistoriados os itens vitais de segurança ? (comandos, amarração, trajeto...) 3 - Existem normas e regras operacionais efetivamente cumpridas pelos operadores e amarradores de cargas ? 4 - As operações são realizadas mediante um planejamento prévio ? 5 - O alarme sonoro é habitualmente acionado durante as operações ? 6 - O operador e os ajudantes ficam muito próximos da carga suspensa ? 7 - O operador, ou os ajudantes, habitualmente guiam as cargas suspensas com cordas ou bastões próprios ? 8 - Existem procedimentos padronizados para a execução das operações, ou cada operador as realiza como deseja ? 9 - Existem procedimentos e recursos emergenciais devidamente divulgados em caso de falta de energia elétrica, estando a carga suspensa ?
  4. 4. 10 – São praticados sinais convencionais gestuais corretos entre ajudantes e operadores durante as operações ? 11 – Existem corredores de deslocamento das cargas suspensas a pouca altura, assinalados no piso com faixas amarelas ? 12 – Antes do içamento definitivo, pratica-se o teste de equilíbrio da carga, bem como a conferência da acomodação da amarração nos pontos-de-pega ? 13 – São utilizados protetores de sobrecarga mecânica acoplados aos ganchos ? (Confira as Normas para Atividades Críticas - NAC Içamento de Cargas no blog: www.tecnicossegurancatrabalho.blogspot.com.br) Parte 3 – Operadores e Auxiliares 1 - Os operadores e ajudantes estão devida e comprovadamente capacitados, identificados e documentados ? 2 - Os operadores e ajudantes estão com os exames médicos atualizados ? 3 – Os operadores foram submetidos a exame psicotécnico PMK, Psico Diagnóstico Mio Cinético, recomendado para a função ? Parte 4 – Cargas 1 - Os pesos das cargas são conhecidos antecipadamente pelos operadores e ajudantes ? 2 – As cargas possuem, preferencialmente, pontos-de-pega próprios, ou possibilidade de instalação através de acessórios rosqueáveis ou soldáveis ?
  5. 5. 3 – As cargas possuem partes com risco de queda durante a operação de içamento ? 4 – As cargas possuem o centro de massa assinalado, ou a indicação de pontos que facilitem a amarração ? Parte 5 – Acessórios de Amarração 1 - Os acessórios são inspecionados minuciosamente por pessoa competente antes de cada amarração ? 2 - Os acessórios possuem certificados de qualidade e conformidade emitidos pelo fabricante ? 3 - Os acessórios possuem um prontuário técnico individual – PTI para a sua rastreabilidade, controle de utilização, inspeção e descarte ? 4 - Os acessórios possuem indicação legível da sua carga de trabalho – CT, além de quadros próximos para eventuais consultas desta informação ? 5 - Os acessórios são guardados corretamente, identificados e protegidos das intempéries ? 6 – Os fatores de segurança dos acessórios são compreendidos e respeitados ? Parte 6 – Técnicas de Amarração 1 - Os operadores e ajudantes possuem conhecimento das técnicas de amarração de cargas mais seguras e recomendáveis ? 2 - Os operadores e ajudantes tem conhecimento sobre a variação da carga de trabalho (CT) de correntes, cabos de aço e cintas de
  6. 6. poliéster, em função das formas de laçadas utilizadas ? 3 – As operações de amarração priorizam as formas de laçadas verticais, através de balancins e travessas ? 4 – A instalação de mais de um olhal rosqueável em cargas a serem içadas, obedece ao conceito da convergência longitudinal das suas argolas para o centro de massa da carga, evitando que as mesmas fiquem posicionadas aleatoriamente e tenham a sua resistência comprometida ? Parte 7 – Ambiente das Operações 1 - O ambiente das operações é organizado, limpo e sinalizado ? 2 - Há iluminação suficiente para operações noturnas ? 3 – O arranjo físico (Plant Layout) privilegia a mobilidade e a acessibilidade para as operações ? Parte 8 – Manutenção 1 - O setor de manutenção trabalha a partir de um planejamento preventivo, ou apenas corretivo ? 2 – As estruturas dos equipamentos são vistoriadas no quesito cordões de solda ? 3 – Os caminhos de rolamentos são vistoriados nos quesitos perpendicularidade, paralelismo (vão), alinhamento, congruência e nivelamento. 4 – Os freios em geral são regulados com base em espaços de frenagem recomendados pelos fabricantes ?
  7. 7. 5 – Estes espaços de frenagem são do conhecimento dos operadores, e testados diariamente antes das operações ? 6 – O nivelamento do moitão é conferido, visando evitar tensões desiguais no cabeamento ? 7 – Existe guia de enrolamento do Cabo de Aço junto ao tambor ? 8 – A substituição do Cabo de Aço é precedida da inspeção do diâmetro dos canais das polias e do tambor de enrolamento ? 9 – O Cabo de Aço é totalmente retirado do equipamento para ser rigorosamente inspecionado e receber nova lubrificação ? 10 - O diâmetro do Cabo de Aço é conferido regularmente, sobretudo nos pontos críticos em contato com polias ? 11 - A fixação das extremidades do Cabo de Aço são regularmente conferidas e obedecem as recomendações do fabricante ? 12 - Existe um plano de manutenção preditiva ? Parte 9 - Informação 1 - Os operadores e ajudantes são devidamente informados dos riscos que estão expostos nas operações de içamento de cargas ? 2 - Os operadores e ajudantes tem acesso fácil as informações técnicas sobre o equipamento de içamento e os acessórios de amarração das cargas que utilizam respectivamente ? Parte 10 – Sinalização 1 – Existe placa obrigatória de informação de capacidade máxima de
  8. 8. carga, legível e fixada no equipamento em local visível ? 2 - Os locais das operações estão devidamente sinalizados através de placas legíveis e estrategicamente posicionadas ao longo do percurso da translação ? 3 - O local onde são guardados os acessórios de amarração das cargas, possui sinalização sobre a capacidade de carga de trabalho (CT) dos mesmos ? Parte 11 – Fornecedores 1 - Os fabricantes dos acessórios de amarração utilizados estão devidamente homologados por organismos nacionais e internacionais ? 2 - Os fornecedores, representantes, ou revendedores, estão devidamente credenciados pelos fabricantes e cadastrados na empresa ? 3 - Os fornecedores, representantes, ou revendedores fornecem os certificados de qualidade e conformidade dos produtos que comercializam ? 4 – Os representantes e revendedores prestam a devida assistência técnica pós-venda ? Sugestões de Procedimentos Pós Auditoria Inicialmente, o SESMT deve agendar uma reunião com a presença dos profissionais abaixo relacionados, visando informá-los sobre a auditoria, os objetivos a serem alcançados, a maneira como os trabalhos serão desenvolvidos, solicitando o apoio devido e o comprometimento de todos em benefício de melhores resultados
  9. 9. para a empresa como um todo. É importante que esta reunião seja do conhecimento prévio e tenha o aval da Alta Administração da empresa, pois somente desta forma todo o processo da auditoria obterá pleno êxito. A auditoria deve ser realizada o mais minuciosamente possível e com extremo rigor, tendo como participantes fundamentais os seguintes profissionais: – Supervisor responsável pelo setor dos equipamentos. – Supervisor responsável pela manutenção. – Engenheiro e Técnico em Segurança do Trabalho. (Coordenadores) – Presidente da CIPA. – Operadores mais experientes. O resultado final da auditoria deve ser avaliado, em conjunto, com todos os participantes, devendo ser definido um planejamento e um cronograma para a implementação das medidas corretivas e preventivas referentes as irregularidades diagnosticadas. Esta reunião deve ser devidamente documentada, e todas as definições firmadas devem ser registradas em ata, contendo a assinatura de todos os participantes. Cópia desta ata, e do relatório da auditoria, devem ser apresentados pelo SESMT a Alta Administração da empresa. É importante destacar a necessidade da implantação de um Plano de Segurança para Içamentos de Cargas – PSIC , que torne-se o documento piloto para nortear todas as operações de içamento, visando a obtenção e manutenção de índices mais elevados e consistentes de segurança e confiabilidade que estas operações requerem, e que a legislação vigente exige.
  10. 10. Para o desenvolvimento do PSIC, é fundamental que o SESMT analise todos os riscos identificados durante o processo de auditoria, e, com base nas técnicas de Análise de Riscos e Criticidades, classifiqueos de forma a priorizar as ações de correção a serem implementadas. (Confira material RiskPoint sobre metodologia adaptada para classificação e pontuação de riscos, criticidades e prioridades no blog www.tecnicossegurancatrabalho.blogspot.com.br) Pode-se considerar as operações de içamento de cargas seguras e confiáveis, dentro de patamares reconhecidamente elevados, se, após a análise dos riscos identificados, for comprovada a condição de, no mínimo, 90% dos riscos eliminados e controlados. Em um plano holístico, a empresa deve caminhar, de forma convicta, e com o comprometimento de todos, para a implantação de uma Política e um Programa de Segurança do Trabalho - PPST, com enfoque na mudança do comportamento humano, e com o apoio irrestrito, moral e financeiro da Alta Administração. Comprovadamente, este é o caminho mais integrado e eficaz para a obtenção dos melhores resultados na difícil luta contra os infortúnios laborais. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo deste material, dentre outras referentes ao assunto, utilize gratuitamente o nosso serviço: Safetec - Assessoria em Gestão da Movimentação Interna de Materiais - Intralogística. safemov@gmail.com Este material básico foi desenvolvido com o objetivo de servir de parâmetro para os profissionais de Segurança do Trabalho no planejamento para a realização de uma auditoria técnica e operacional das operações de içamento de cargas, caso as mesmas
  11. 11. apresentem constantes situações de risco que venham comprometer a segurança, a confiabilidade e a regularidade do fluxo de materiais na cadeia produtiva da empresa. Eugenio Rocha Especialista em Movimentação de Materiais Safemov Consulting Consultor, Instrutor e Palestrante safemov@gmail.com

×