Coccidioidomicose

3.876 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.876
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
80
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Coccidioidomicose

  1. 1. Cláudia C.P da Fonseca Psicologia UNIP 6º sem. Doenças Raras e Medicamentos Órfãos COCCIDIOIDOMICOSE realização:
  2. 2. (Febre do vale ou Febre de São Joaquim) <ul><li>Infecção causada pelo fungo Coccidioides immitis que geralmente afeta os pulmões . </li></ul>Doenças Raras e Medicamentos Órfãos COCCIDIOIDOMICOSE
  3. 3. DIAGNÓSTICO <ul><li>CLÍNICO </li></ul><ul><li>EPIDEMIOLOGICO </li></ul><ul><li>LABORATORIAL: DEMONSTRAÇÃO DO PARASITA EM EXAME MICOLÓGICO DIRETO ( CATARRO, PÚS, BIOPSIA, RASPADO LESÃO) E CULTURA DE SECREÇÕES </li></ul>Doenças Raras e Medicamentos Órfãos COCCIDIOIDOMICOSE
  4. 4. LOCALIZAÇÃO DOS ESPOROS NO MUNDO <ul><li>AREAS DE CLIMA ÁRIDO E SOLO SECO E ALCALINO (PH SALINO) </li></ul><ul><li>SUDOESTE EUA E NORTE DO MÉXICO </li></ul><ul><li>AMÉRICA DO SUL: ARGENTINA, VENEZUELA, PARAGUAI, COLOMBIA E BOLÍVIA </li></ul><ul><li>AMÉRICA CENTRAL: GUATEMALA E HONDURAS </li></ul><ul><li>NO BRASIL NA REGIÃO NORDESTE (+ OU – 9 CASOS) </li></ul><ul><li>FAZENDEIROS E OUTROS TRABALHADORES QUE MANIPULAM O SOLO POSSUEM MAIOR PROBABILIDADE DE INALAR OS ESPOROS </li></ul><ul><li>ARQUEÓLOGOS </li></ul>Doenças Raras e Medicamentos Órfãos COCCIDIOIDOMICOSE
  5. 5. SINTOMAS <ul><li>SE MANIFESTAM 1 A 3 SEMANAS APÓS INFECÇÃO </li></ul><ul><li>PODE SE INICIAR APÓS MESES DE CONTATO COM FUNGO </li></ul>Doenças Raras e Medicamentos Órfãos COCCIDIOIDOMICOSE
  6. 6. INFECÇÃO <ul><li>INFECÇÃO PULMONAR LEVE </li></ul><ul><li>INFECÇÃO GRAVE </li></ul>Doenças Raras e Medicamentos Órfãos COCCIDIOIDOMICOSE
  7. 7. <ul><li>DESAPARECE SEM TRATAMENTO </li></ul><ul><li>INFECÇÃO RESPIRATÓRIA AGUDA, BENIGNA E AUTOLIMITADA </li></ul><ul><li>SINTOMAS VARIAM EM GRAVIDADE: RESFRIADO A GRIPE, PNEUMONIA, CAVITAÇÃO, FEBRE ALTA OU ERITEMA NODOSO (CAROÇOS) </li></ul>INFECÇÃO PULMONAR LEVE (PRIMÁRIA) Doenças Raras e Medicamentos Órfãos COCCIDIOIDOMICOSE
  8. 8. CASO CLÍNICO “CAÇADOR DE TATU” <ul><li>HOMEM 19 ANOS – AGRICULTOR </li></ul><ul><li>BOA VIAGEM/CE – CLIMA SEMI ÁRIDO </li></ul><ul><li>FOI CAÇAR TATU DOIS MESES ANTES </li></ul><ul><li>SINTOMAS: </li></ul><ul><li>FEBRE, TOSSE SECA E ADINAMIA </li></ul><ul><li>PROCEDIMENTOS: </li></ul><ul><li>RADIOGRAFIA DO TÓRAX E BACTERIOSCOPIA (NEGATIVA) </li></ul><ul><li>1 MÊS DEPOIS – SINTOMAS MAIS GRAVES </li></ul><ul><li>DIAGNÓSTICADA A DOENÇA - BIOPSIA PULMONAR </li></ul><ul><li>11 DIAS DE INTERNAÇÃO E ÓBITO </li></ul>Doenças Raras e Medicamentos Órfãos COCCIDIOIDOMICOSE
  9. 9. Doenças Raras e Medicamentos Órfãos COCCIDIOIDOMICOSE
  10. 10. Doenças Raras e Medicamentos Órfãos
  11. 11. DIFICULDADES <ul><li>60% NÃO APRESENTAM SINTOMAS </li></ul><ul><li>SE TRATA COMO DOENÇA RESPIRATÓRIA </li></ul><ul><li>NÃO SE FAZ CULTURA </li></ul><ul><li>O FUNGO SE INSTALA NOS PULMÕES (PARASITAS) </li></ul><ul><li>APÓS 1 ANO PODE SE TORNAR DOENÇA EXTRAPULMONAR (PELE, MENINGES E ARTICULAÇÕES) </li></ul>Doenças Raras e Medicamentos Órfãos COCCIDIOIDOMICOSE
  12. 12. <ul><li>CAUSADA POR NOVA INFECÇÃO OU REATIVAÇÃO DA DOENÇA PRIMÁRIA PARADA </li></ul><ul><li>DOENÇA GRANULOMATOSA VIRULENTA E GRAVE (ABCESSOS) </li></ul><ul><li>CRÔNICA E PROGRESSIVA </li></ul><ul><li>COMPROMETIMENTO DOS TECIDOS CULTÂNEOS E SUBCULTÂNEOS </li></ul><ul><li>VÍSCERAS </li></ul><ul><li>SISTEMA NERVOSO CENTRAL </li></ul><ul><li>PULMÕES </li></ul>INFECÇÃO GRAVE (SECUNDÁRIA) Doenças Raras e Medicamentos Órfãos COCCIDIOIDOMICOSE
  13. 13. PÁPULULAS VERMELHAS FACE, COURO CABELUDO E PESCOÇO ÚLCERAS NÓDULOS (GRANULOMAS) ABSCESSOS FASES Doenças Raras e Medicamentos Órfãos COCCIDIOIDOMICOSE
  14. 14. NÓDULOS DE ERITEMA NODOSO – ( nódulos sensíveis e avermelhados) Doenças Raras e Medicamentos Órfãos COCCIDIOIDOMICOSE
  15. 15. TRATAMENTO <ul><li>MEDICAMENTOS ORAIS AO LONGO DA VIDA </li></ul>Doenças Raras e Medicamentos Órfãos COCCIDIOIDOMICOSE
  16. 16. <ul><li>http://www.scielo.br/pdf/rsbmt/v31n6/0536.pdf , “ Coccidioidomicose: novo caso brasileiro” </li></ul><ul><li>http://www.lookfortherapy.com/results.php?symptoms=Coccidioidomicose&lang=3&parent=%2F&mode=F </li></ul><ul><li>http://www.scielo.br/pdf/jpneu/v27n5/a09v27n5.pdf </li></ul>REFERÊNCIAS Doenças Raras e Medicamentos Órfãos COCCIDIOIDOMICOSE
  17. 17. Doenças Raras e Medicamentos Órfãos Agradecimentos Transpática www.transpatica.org.br

×