Dia de Chuva

588 visualizações

Publicada em

Se você morasse num local onde raramente chovesse, o que você faria? E se você fosse um menino que amasse chuva, mas nem se lembrava da última fez que sentiu a gota dela tocando em sua face? Qual seria a sua solução? Pedrinho e Carlinhos eram dois amigos que tinham um sonho em comum:- Trazer a chuva novamente para o povoado de Riacho Seco! Até aonde iriam à ousadia e a imaginação desses meninos apaixonados por água? Mergulhe de cabeça na aventura e na criatividade desses dois garotos!

Publicada em: Meio ambiente
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
588
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dia de Chuva

  1. 1. DIA DE CHUVA Copyright 2014 Allan Garrido Publicado pelo site Amazon do Brasil (EDIÇÃO DE AMOSTRA) ADQUIRA A VERSÃO COMPLETA PELO SITE DA AMAZON: LINK
  2. 2. Dia de Chuva nota de licença da edição. Este livro é licenciado para a sua apreciação pessoal. Este e-book não pode ser revendido ou emprestado. Se deseja compartilhá-lo com outra pessoa, por favor, adquira uma cópia adicional. Se você está lendo este livro sem comprá-lo, por favor, retorne a Amazon e adquira um e-book original. Muito obrigado por respeitar o árduo trabalho deste autor.
  3. 3. “O que há de mais puro do que a inocência de uma criança?” Allan Garrido
  4. 4. Dedicado a todas as crianças que mantém em seu coração o bom hábito de sonhar! E em especial aos meus sobrinhos João Guilherme, Bruno Henrique, Stela e a minha filha de coração Maria Eduarda.
  5. 5. “Quando olho uma criança ela me inspira dois sentimentos, ternura pelo que é, e respeito pelo que posso ser.” Jean Piaget
  6. 6. Capítulo 1 – Um Sonho…
  7. 7. Num vilarejo muito humilde e simples morava um menininho. Seu nome era Pedro, mas todos o conheciam como Pedrinho. Pedrinho era alegre e brincalhão, adorava travessuras e jogar bola. Tinha um amor muito grande por sua mãe Rosa. O vilarejo onde ele morava chamava Riacho Seco, um lugar muito, muito árido onde quase não chovia por lá. Tanto que ele nem se lembrava de quando pode brincar com a chuva. Por isso o seu maior sonho era que chovesse! Ficava imaginando o dia em que veria o rio se encher novamente. Tinha poucas lembranças da última vez que o viu com mais água e não só o pouquinho que está. Vivia perguntando pra sua mãe se ela sabia quando iria chover, mas ela – infelizmente – não sabia a resposta. Como todo menino da sua idade Pedrinho tinha o seu amiguinho mais chegado, mais querido. O seu melhor amigo era Carlinhos. Companheiro de travessuras e traquinagens, ele também gostava de estudar, mas, – diferentemente de Pedrinho – seu maior sonho era ser jogador de futebol.
  8. 8. Ao sair da escola naquele dia, não foi diferente o sol estava tão quente como todos os dias e isso deixou o Pedrinho bastante irritado ao ponto dele dizer: - Aiii! Já chega eu quero brincar na chuva! - Eu também... – responde Carlinhos desanimado. - Precisamos pensar em alguma coisa, queria tanto poder brincar na água... – responde Pedrinho desolado! E colocaram a cachola pra funcionar, queriam de qualquer forma achar um jeito de fazer com que chovesse. Carlinhos vira de repente e diz: - Quem é que faz chover? - Acho que é o papai do céu – responde Pedrinho.
  9. 9. - Então vamos rezar para o papai do céu pra que chova. - Vamos! – respondeu animado Pedrinho. E os dois colocaram-se a rezar: - Papai do céu, por favor, manda chuva pra gente, viu? Muito Obrigado e um bom dia! - Mas você já rezou Carlinhos? - Já! - E você? - Não eu ainda não! – responde Pedrinho. - Mas você tem que rezar direito, assim o papai do céu não vai te ouvir. Tem que rezar assim: - Papai do céu, eu nunca brinquei na chuva o senhor poderia, por favor, fazer chover? Tá vendo é assim que reza, agora vamos esperar que já, já vai começar a chover. - Vai? - Vai sim você vai ver. Mais Tarde... - Não começou a chover... – diz Pedrinho arrasado. - É ainda não... - Será que a gente não rezou direito? – pergunta Pedrinho. - Rezamos sim, eu rezei primeiro e você depois! Melhor esperar! - É vamos esperar mais um pouco...
  10. 10. Sobre o Autor ALLAN GARRIDO Nascido no dia 26 de outubro de 1979, natural de Bauru, escreve desde 1999. Os acontecimentos do passado fizeram com que, à vontade e o doce desejo de escrever, viessem à tona sendo aprofundado no mundo dos escritos. É autor dos livros Amar Verbo Infinito, Voo Solo., Dia Perfeito e Avesso. Possui outros e diversos textos publicados. Além de vídeos, frases, crônicas, poesias e letras de música espalhados pelo site de buscas Google. Possui os blogs Artigos do Garrido e Caminho das Estrelas. Vários projetos estão ainda em fase de construção e planejamento dos mais variados temas e gêneros, tais como: - Romance, ficção, infantil, épico, policial, drama e mais um de poesia.
  11. 11. Redes Sociais TWITTER OFFICIAL PAGE OFFICIAL FAN PAGE INSTAGRAM OFFICIAL WEBSITE

×