Rafael Bordalo Pinheiro

8.554 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.554
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
657
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
99
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Rafael Bordalo Pinheiro

  1. 1. Rafael Bordalo Pinheiro<br />As críticas à Monarquia<br />Centenário da República<br />1910-2010<br />
  2. 2. Rafael Bordalo Pinheiro<br />Rafael Augusto Prostes Bordalo Pinheiro (Lisboa, 21 de Março de 1846 — 23 de Janeiro de 1905) foi um artista português, de obra vasta dispersa por largas dezenas de livros e publicações, precursor do cartaz artístico em Portugal, desenhador, aguarelista, ilustrador, decorador, caricaturista político e social, jornalista, ceramista e professor.<br />É o autor da representação popular do Zé Povinho, que se veio a tornar num símbolo do povo português. <br />
  3. 3. Zé Povinho<br />Zé Povinho é uma personagem de crítica social, criada por Rafael Bordalo Pinheiro e adoptada como personificação nacional portuguesa. É também conhecido como João Bítor, grande amante de binho e xixas.<br />Resignado perante a corrupção e a injustiça, ajoelhado pela carga dos impostos e ignorante das grandes questões: "O Zé Povinho olha para um lado e para o outro e... fica como sempre... na mesma". (RaphaelBordallo-Pinheiro) <br />Tem como característica principal o gesto do manguito (como se pode ver na figura), representando a sua faceta de revolta e insolência.<br />
  4. 4. “A Paródia”<br />Na revista “A Paródia”, surgida em 1900, Rafael Bordalo demonstra o seu desencanto face à vida política do País. <br />“O desprezo que começa a sentir pelos jogos políticos e oportunismo extensivo a todos os partidos e instituições nacionais, transparece logo na capa do 1º número onde apresenta a política nacional como “A grande porca “.<br />
  5. 5. “A Paródia”<br />Nos números seguintes prossegue com "O grande cão" (finanças),<br />
  6. 6. “A Paródia”<br />"A galinha choca" (economia),<br />
  7. 7. “A Paródia”<br />"O grande papagaio" <br />(retórica parlamentar)<br />
  8. 8. “A Paródia”<br />"A grande toupeira", representativa da reacção.<br />
  9. 9. “A Paródia”<br />A colaboração do filho, Manuel Gustavo, viria a aumentar a lista de símbolos políticos com "O progresso nacional: O grande caranguejo",<br />
  10. 10. “A Paródia”<br />"A burocracia: A grande rata",<br />
  11. 11. “A Paródia”<br />"A beneficência: O grande cágado"<br />
  12. 12. “A Paródia”<br />"A instrução pública: A grande burra". <br />
  13. 13. “A Nação no seu estado interessante aguarda um novo aborto”<br />
  14. 14. Autores:Hélder Brandão, Daniel Silva12º C e Antony Costa, 9º B<br />Biografia de Rafael Bordalo Pinheiro<br />Fontes<br />http://www.citi.pt/cultura/artes_plasticas/caricatura/bordalo_pinheiro/biografia.html<br />http://cvc.instituto-camoes.pt/figuras/rbpinheiro.html<br />http://pt.wikipedia.org/wiki/Rafael_Bordalo_Pinheiro<br />http://pt.wikipedia.org/wiki/Z%C3%A9_Povinho<br />http://www.citi.pt/cultura/artes_plasticas/caricatura/bordalo_pinheiro/parodia.html<br />Fonte imagens<br />http://www.repository.utl.pt/bitstream/10400.5/1440/3/Anexo%20Imagens_Doutoramento%20Design_MAF%20Jul%2007.pdf<br />

×