Relatório março

1.223 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.223
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
390
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relatório março

  1. 1. Programa Observatório da Educação/MEC/CAPES/INEP IES sede: Universidade Federal do Rio Grande do Sul / UFRGS Coordenação Institucional: Profª. Drª. Sandra Mara Corazza Núcleo: Universidade Estadual do Oeste do Paraná / UNIOESTE Coordenação do Núcleo: Ester Maria Dreher Heuser Escrileituras: um modo de ler-escrever em meio à vida Projeto N° 91 - Edital 038/2010 RELATÓRIO DE PESQUISA REFERENTE AO MÊS DE MARÇO– 2012Nome do (a) bolsista: Elissiane Aparecida Zen do AmaralModalidade da Bolsa: Professora da Educação Básica da Escola Municipal André Zenere.Data de ingresso: Março- 2012Instituição: Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE4. ATIVIDADES DESENVOLVIDAS E RESULTADOS ALCANÇADOS
  2. 2. ____________________________________________Relatório de Atividades do Programa XXXXX Indicador Objetivo da atividade Descrição sucinta da atividade (inserir início e período de Resultados da realização) alcançados atividade 1. OsT: Ouvir. Apresentar às 08/03/12 falar sobre si mesmo, e saber ouvir. (1 hora). Falar o Ouvir o colega e Dinâmicas crianças as oficinas primeiro nome, e o que mais gosta de fazer, enquanto todos os saber esperar a vez de de filosofia, tendo em integrantes do grupo falam (estes estão sentados no chão e em de falar. Ouvir e constituiçã vista que a grande círculo) vão desenrrolando um barbante, seguram o mesmo e falar antecedem o de grupo. maioria destas passam para o colega ao lado. Todos devem pegar o barbante qualquer produção, tiveram seu primeiro na mão, porém o mesmo não será cortado. Ao final será feito uma vez que, contato com o um túnel com as mãos dos envolvidos e o (a) professor (a) irá necessitamos de projeto nesta ocasião. enrrolando o barbante novamente no cone. observar o que nos As atividades rodeia para ter propostas visam argumentos e fatos despertar e instigar o que nos levem a uma pensamento das produção oral e/ou crianças sobre a escrita. importância do pensar, ouvir e questionar. 08/03/12 Primeira reunião do grupo no ano de 2012, às 14:00 no reunimos nas dependencias da Unioeste de Toledo –Paraná, os novos integrantes Neuton Avila e Elissiane Aparecida Zen do Amaral, foram apresentados ao grupo Escrileituas de Toledo, a coordenadora do grupo Toledo Ester falou sobrea Semana Academica e o SEU, sobre datas e propostas de trabalho para os mesmos. Mencionou os cadernos de notas 3, 4 e 5 e escritos dos bolsistas (publicações) para o caderno os respectivos cadernos de notas. 2. Pensar 15/03/12 Organizar os alunos em círculo. Confecção pompom, Concentração, falar, Dinâmica com lã. (45 minutos); ouvir, conversação. de grupo, 2
  3. 3. ____________________________________________Relatório de Atividades do Programa XXXXX valorização do outro enquanto integrante de um mesmo grupo. 3. Trabalhar em grupo 22/03/12Leitura e conversação sobre o livro, “O Risco e o Fio", Produção de de Ana Carla Cozendey, noções de trabalho em grupo, respeito desenhos em grupos, as ideias dos colegas. que ilustram a história ouvida. 4. Produzir 29/03/12 Leitura do livro Marcelo, martelo, marmelo –Ruth Produção de outras Produção oralmente/Refletir Rocha palavras partindo de oral e sobre o nome das Trabalho de identificação dos nomes dos alunos em suas objetos já escrita. coisas. certidões de nascimentos. conhecidos. Conversações com os mesmos sobre a importância dos nomes, sobrenomes e questionamentos sobre preferências e escolhas. 29/03/2012 Encontro para estudos na Unioeste- Toledo – Paraná, estivemos reunidos das 14:00 às 17:30 horas, houve um momento destinado à conversações e reflexões sobre como está a nossa relação com a leitura e escrita. Fizemos leitura compartilhada/coletiva de dois textos: Estudar Edição Bilíngue. Jorge Larrosa , Tradução: Tomaz Tadeu e Sandra Corazza – Autêntica (Ano???) Prefácio In BARTHES, Roland. O rumor da língua: prefácio Leyla Perrone Moisés; tradução de Mário Laranjeira. São Paulo: Martins. Fontes, 2004. 5. Leituras  Corazza , Sandra Mara. Artistagens – Filosofia da diferença Complementares: Para e educação/Sadra Mara Corazza – Belo Horizonte: compilar as ideias e Autêntica, 2006. trabalhos para com os  Costa, Luciano Bedin da. Estratégias biográficas: O alunos do primeiro Biografema com Barthes, Deleuze, Nietzsche e Henry ano “A” da escola Miller. Porto Alegre: Sulina, 2011. 3
  4. 4. ____________________________________________Relatório de Atividades do Programa XXXXX Municipal André  Estudar Edição Bilíngue. Jorge Larrosa , Tradução: Tomaz Zenere, bem como Tadeu e Sandra Corazza – Autêntica (Ano???) compreender/entender  Heuser, Ester Maria Dreher. Pensar em Deleuze: Violência e ampliar os estudos e empirismo no ensino da Filosofia. Ijuí: Ed. Unijuí, 2010. sobre a Filosofia da  Heuser, Ester Maria Dreher.(org). Caderno de Notas Diferença e o projeto 1:projetos, notas e ressonâncias. Cuiabá: EdUFMT, 2011. Escrileituras, se  Monteiro, Silas Borges(org). Cadernos de notas 2: Rastros fizeram necessárias de Escrileituras. Canela, RS UFRGS, 2011. algumas leituras  Prefácio In BARTHES, Roland. O rumor da língua: iniciais, estas por sua prefácio Leyla Perrone Moisés; tradução de Mário vez se fizeram de Laranjeira. São Paulo: Martins. Fontes, 2004. suma importância para  http://escrileituras.blogspot.com.br/2012/03/bolsista- um melhor do-projeto-escrileituras.html entendimento das propostas enquanto grupo e escola (prática pedagógica). 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17. 18. 19. 4
  5. 5. ____________________________________________Relatório de Atividades do Programa XXXXX 5
  6. 6. 5. DESCRIÇÃO DA PRODUÇÃO EDUCACIONAL GERADA5.1) PRODUÇÕES DIDÁTICO-PEDAGÓGICAS1) Tipo do produto: Dinâmica de constituição de grupos. Indicador atividade: 1 Nesse dia os alunos se apresentaram uns aos outros e para a professora Michelle também, nestemomento estavam sentados em círculos e falaram seus nomes e o que gostam de fazer. Enquantoisso iam desenrolando o barbante e o segurando após o término das falas fizemos um túnel com asmãos e a professora Michelle ia puxando o barbante e enrolando- o novamente no cone. O objetivoalém de ouvir, falar era fazer com que os alunos percebessem que o trabalho em grupo dará certo seum ajudar o outro.http://escolaandrezenere.blogspot.com.br/ Quantidade total2) Tipo do produto: Conversação Indicador atividade: 2Confecção de pompom, com lãs, papelão, tesoura. Os alunos iam enrolando no papelão o barbante efalando sobre sua vida, seus sentimentos. Após todos do grupo do primeiro ano falarem econsequentemente enrolarem o barbante no papelão a professora Michelle confeccionou o pompom.Depois houve um momento de conversação com a turma sobre como aquele objeto e de que omesmo seria para nós um objeto de valor, como a nossa vida e deveríamos cuidar dele.http://escolaandrezenere.blogspot.com.br/b) Descrição do produto gerado (Max. 100 palavras):(Anexo XXXX em mídia digital e ou hiperlink) Quantidade total3) Tipo do produto: Trabalhar em grupo Indicador atividade: 3
  7. 7. ____________________________________________Relatório de Atividades do Programa XXXXXOuviram e viram a história do livro acima mencionado e citado e depois houve um momento paraconversação sobre o trabalho em grupo, a importância deste no dia –a- dia das pessoas. Depois osalunos realizaram um trabalho em duplas de desenhar e fazer dos riscos, rabiscos desenhos e darformas a estes.http://escolaandrezenere.blogspot.com.br/ Quantidade total4) Tipo do produto: Indicador atividade: 4 Produzir oralmente/Refletir sobre o nome das coisas. Leitura do livro Marcelo, martelo, marmelo –Ruth RochaTrabalho de identificação dos nomes dos alunos em suas certidões de nascimentos.Conversações com os mesmos sobre a importância dos nomes, sobrenomes e questionamentos sobrepreferências e escolhas.Questionamentos realizados com os alunos: Vocês sabem o que é uma certidão de nascimento? Será que todas as pessoas têm uma Certidão de Nascimento? Quais informações constam na Certidão de Nascimento? • Nesse momento os alunos foram informados que a Certidão de Nascimento é um documento. O primeiro documento de um cidadão.Na certidão de nascimento localizamos e circulamos o nome do aluno e de seus pais; Depoisdestacamos com marca texto o nome dos avós maternos e paternos. • Você tem mais de um nome? Explique. / Se alguém tem o mesmo nome que você, isso faz com que sejam a mesma pessoa? / Se você tivesse um nome diferente, você seria uma pessoa diferente? / Se alguém tem o mesmo nome que você, isso quer dizer que os dois vêm da mesma família? / Você usa seu nome quando conversa consigo mesmo? / Todas as coisas têm nome? / Podemos chamar a cadeira de Maria? / Dá para você comprar um novo nome? E para vender seu nome? / Poderia tudo ter o mesmo nome? Qual a importância do sobrenome? O que é sobrenome? Porque temos sobrenome? Você tem algum apelido? Qual? Gosta dele?http://escolaandrezenere.blogspot.com.br/ Quantidade total5.2. PRODUÇÕES BIBLIOGRÁFICAS1) Tipo do produto:__________________________________________Indicador atividade: ______a) Descrição do produto gerado (Max. 100 palavras):(Anexo XXXX em mídia digital e ou hiperlink) 7
  8. 8. ____________________________________________Relatório de Atividades do Programa XXXXXb) Descrição do produto gerado (Max. 100 palavras):(Anexo XXXX em mídia digital e ou hiperlink) Quantidade total2) Tipo do produto:__________________________________________Indicador atividade: ______a) Descrição do produto gerado (Max. 100 palavras):(Anexo XXXX em mídia digital e ou hiperlink)b) Descrição do produto gerado (Max. 100 palavras):(Anexo XXXX em mídia digital e ou hiperlink) Quantidade totaln) Tipo do produto:________________________________________Indicador atividade: _____a) Descrição do produto gerado (Max. 100 palavras):(Anexo XXXX em mídia digital e ou hiperlink)b) Descrição do produto gerado (Max. 100 palavras):(Anexo XXXX em mídia digital e ou hiperlink) Quantidade total5.3) PRODUÇÕES ARTÍSTICO-CULTURAIS1) Tipo do produto:__________________________________________Indicador atividade: ______a) Descrição do produto gerado (Max. 100 palavras):(Anexo XXXX em mídia digital e ou hiperlink)b) Descrição do produto gerado (Max. 100 palavras):(Anexo XXXX em mídia digital e ou hiperlink) Quantidade total2) Tipo do produto:__________________________________________Indicador atividade: ______ 8
  9. 9. ____________________________________________Relatório de Atividades do Programa XXXXXa) Descrição do produto gerado (Max. 100 palavras):(Anexo XXXX em mídia digital e ou hiperlink)b) Descrição do produto gerado (Max. 100 palavras):(Anexo XXXX em mídia digital e ou hiperlink) Quantidade totaln) Tipo do produto:________________________________________Indicador atividade: _________a) Descrição do produto gerado (Max. 100 palavras):(Anexo XXXX em mídia digital e ou hiperlink)b) Descrição do produto gerado (Max. 100 palavras):(Anexo XXXX em mídia digital e ou hiperlink) Quantidade total5.4) PRODUÇÕES DESPORTIVAS E LÚDICAS1) Tipo do produto:__________________________________________Indicador atividade: ______a) Descrição do produto gerado (Max. 100 palavras):(Anexo XXXX em mídia digital e ou hiperlink)b) Descrição do produto gerado (Max. 100 palavras):(Anexo XXXX em mídia digital e ou hiperlink) Quantidade total2) Tipo do produto:__________________________________________Indicador atividade: ______a) Descrição do produto gerado (Max. 100 palavras):(Anexo XXXX em mídia digital e ou hiperlink)b) Descrição do produto gerado (Max. 100 palavras):(Anexo XXXX em mídia digital e ou hiperlink) Quantidade total 9
  10. 10. ____________________________________________Relatório de Atividades do Programa XXXXXn) Tipo do produto:________________________________________Indicador atividade: _________a) Descrição do produto gerado (Max. 100 palavras):(Anexo XXXX em mídia digital e ou hiperlink)b) Descrição do produto gerado (Max. 100 palavras):(Anexo XXXX em mídia digital e ou hiperlink) Quantidade totalBolsista (Nome e Assinatura) Visto, de acordo Ester Maria Dreher Heuser Coordenadora do Núcleo UNIOESTE 10
  11. 11. ____________________________________________Relatório de Atividades do Programa XXXXX ESCOLA MUNICIPAL ANDRÉ ZENERE Educação Infantil e Ensino Fundamental Rua General Câmara, nº 1191 – Jardim América – CEP: 85908-180 FONE(45)3252-3781 E-mail: escola.andrezenere@toledo.pr.gov.br Toledo - Paraná Sequência didática Certidão de Nascimento – Primeiros anos matutinos. Professores: ElissianeAparecida Zen do Amaral; Gênelle Krambeck; Neuton Avila1. Apresentação da situação e seleção do gênero. Tendo em vista a extrema dificuldade dos alunos dos primeiros anos matutinos em escrever seu nome (primeiro nome), sentimos a necessidade imediata de trabalhar com os traçados, pontilhados, com os sons, e com treinos de escritas das letras referentes aos nomes dos alunos. Levando em consideração que o nome próprio é muito importante para cada cidadão (ã). Na alfabetização não é diferente. E assim sendo, iremos trabalhar o gênero certidão de nascimento intensamente no primeiro bimestre do ano letivo de 2012, para que todos os alunos escrevam seus próprios nomes até o final do primeiro bimestre. 20 de abril de 2012. Ainda para os momentos que envolvam a escrita do nome, levaremos os mesmos a perceber a importância do nome próprio e de sua escrita correta. (Por isso faz-se tão importante trabalhar com a certidão de nascimento), de sua escolha, porque os pais escolheram esse nome, investigar com os alunos se os mesmos gostam desse nome. 2 RECONHECIMENTO DO GÊNERO TEXTUAL “CERTIDÃO DE NASCIMENTO” Questioná-los: Vocês sabem o que é uma certidão de nascimento? Será que todas as pessoas têm uma Certidão de Nascimento? Quais informações constam na Certidão de Nascimento? • Informar que a Certidão de Nascimento é um documento. O primeiro documento de um cidadão. 3 Oralmente explorar o gênero textual “Certidão de Nascimento” • Quem escreveu a Certidão de Nascimento? Por quê? Nesse momento conversar com os alunos sobre a importância de sua espera (A gravidez da mamãe) A escolha do nome (retomar os trabalhos anteriormente mencionados sobre a escolha dos nomes); Ressaltar que seus nomes foram registrados em um cartório para que todos soubessem que ele é mais um(a) cidadão(ã). • Que outras informações a certidão traz? • Nós conseguimos encontrar a data do nosso aniversário na nossa certidão? • E o nome dos nossos pais? (Para uma questão de segurança, os alunos devem se habituar a chamar os pais também pelo nome, uma vez que, vários deles até então não sabiam e chamavam os pais pelos apelidos/ codinome). • Você tem mais de um nome? Explique. / Se alguém tem o mesmo nome que você, isso faz com que sejam a mesma pessoa? / Se você tivesse um nome diferente, você seria uma pessoa diferente? / Se alguém tem o mesmo nome que você, isso quer dizer que os dois vêm da mesma família? / Você usa seu nome quando conversa consigo mesmo? / Todas as coisas têm nome? / Podemos chamar a cadeira de Maria? / Dá para você comprar um novo nome? E para vender seu nome? / Poderia tudo ter o mesmo nome?Qual a importância do 11
  12. 12. ____________________________________________Relatório de Atividades do Programa XXXXX sobrenome? O que é sobrenome? Porque temos sobrenome? Você tem algum apelido? Qual? Gosta dele?4 ATIVIDADES PARA OS ALUNOS: Solicitar com antecedência que os alunos tragam uma cópia da certidão de nascimento. Na certidão de nascimento encontrar e circular o nome do aluno e de seus pais; Depois destacar o nome dos avós maternos e paternos. Auxiliar os alunos no que for necessário. Em família solicitar a seguinte tarefa: Escrever o significado do nome, Quem o escolheu? Qual a importância da escolha do nome para a família? Enviar a tarefa anexa em folha sulfite. (anexo). Expor os trabalhos no corredor. Na semana posterior retirar e guardar para confeccionar um livro com o título: “Meu nome, minha família”. Em uma folha A4 na horizontal, solicitar que os alunos escrevam seus nomes, várias vezes, ir observando quais letras do nome ou em qual o aluno têm dificuldade no traçado, auxiliá-lo sempre que necessário. Solicitar que cada aluno escreva seu nome na lousa, no pátio em um momento diferente como forma de recreação. Fazer a brincadeira da dança da cadeira com o crachá; O professor organiza as cadeiras, uma cadeira para cada aluno, pois aqui o objetivo é que o aluno encontre o seu crachá, identifique o seu nome, entre tantos. Depois o professor pode sugerir que ele tente encontrar seu nome sem ajuda, se em um primeiro momento ele foi auxiliado. . Em sala o professor deverá fixar um cartaz com o nome de todos os alunos da sala, inclusive o nome do(a) professor (a), identificar as carteiras com o nome completo dos alunos, trocar as carteiras de lugar para que os alunos se habituem a sentar-se em lugares diferentes, em grupos, duplas. No isopor ou e.v.a. escrever o nome do aluno (individual) para trabalhar com a punção;utilizar palitos. Fazer colagem com e.v.a.; crepom; linha, barbante,lã sobre as letras do nome do aluno; Professor(a): As atividades abaixo têm o objetivo de desafiar os alunos, sabemos que estamos no início do ano letivo, assim sendo, eles terão certa dificuldade em desenvolver as atividades, porém elas serão um desafio e não impossíveis de serem feitas. Além disso, as mesmas propõem diferentes formas de se escrever, para que os alunos se habituem a direção da escrita e sua organização. ENTREGAR para os alunos uma lista com o nome de todos os colegas, e então no caderno de matemática registrar quantas letras têm o nome maior? E o menor? Quantos meninos? Quantas meninas? Pintar os números de azul que aparecem na certidão de nascimento. Destacar a data de aniversário dos alunos e fazer com que copiem suas datas de aniversário no caderno. (anexo). Todas as coisas têm nome, trabalhar com os alunos a importância de se chamar pessoas e coisas pelo nome certo. (anexo). Trabalhar com as páginas do livro de português; página 24 à 32; Página 24 – 25: Música “Gente tem sobrenome”; Investigar o nome dos famosos que são mencionados na música ‘Gente tem sobrenome’. http://www.youtube.com/watch?v=16Fc2irUHK8 12
  13. 13. ____________________________________________Relatório de Atividades do Programa XXXXX Página 26 –27: Compreensão do texto; Página 28: Desenhar os colegas da turma; Página 29 nome do professor e nome das coisas; (objetos); Página 30 – Letra inicial de figuras e composição de outras palavras; Página 31- Ordem alfabética; Página 32 – Nomes: cores, doces, animais, heróis e heroínas. Construir um alfabeto concreto com garrafa pet. Exemplo: Cortar o bico das garrafas e colar uma letra do alfabeto em cada garrafa, ou seja, serão necessárias 26 garrafas. Expor as mesmas na sala, depois de pronto utilizar com os alunos, solicitar que coloquem o objeto de acordo com a letra inicial, guardar na garrafa correta. Professor (a): As atividades podem ser feitas no coletivo, conforme o desenvolvimento da turma, as respostas grafadas na lousa, para que os alunos observem e tentem encontrar a mesma em sua atividade. 5-CIRCULAÇÃO DO GÊNERO TEXTUAL: Produção de um livro, no mesmo constará: A história do nome dos alunos envolvidos, árvore genealógica, desenho da família (a partir da visão do aluno), vida saudável na opinião dos alunos. Autógrafos e mensagem dos pais para os seus filhos. O livro ficará na biblioteca da escola e será exposto na “Mostra Cultural da escola” que acontecerá em novembro de 2012. 13
  14. 14. ____________________________________________Relatório de Atividades do Programa XXXXX6- ANEXOS:Nome da gente (Pedro Bandeira. Cavalgando o arco-íris. São Paulo, Moderna,1984.)Por que é que eu me chamo issoe não me chamo aquilo?Por que é que o jacarénão se chama crocodilo?Eu não gostodo meu nome,não fui euquem escolheu.Eu não seiporque se metemcom um nomeque é só meu!O nenêque vai nascervai chamarcomo o padrinho,vai chamarcomo o vovô,mas ninguémvai perguntaro que pensao coitadinho.Foi meu pai quem decidiuque o meu nome fosse aquele.Isso só seria justose eu escolhesseo nome dele.Quando eu tiver um filho,não vou por nome nenhum.Quando ele for bem grande, 14
  15. 15. ____________________________________________Relatório de Atividades do Programa XXXXXele que procure um!Gente Tem SobrenomeChico BuarqueTodas as coisas têm nomeCasa, janela e jardimCoisas não tem sobrenomeMas a gente simTodas as flores têm nome rosa, camélia e jasmimFlores não têm sobrenomeMas a gente simO Jô é Soares, Caetano é VelosoO Ary foi barroso tambémEntre os que são jorgeTem um Jorge AmadoE um outro que é o Jorge BenQuem tem apelidoDedé,Zacharias, MussumE a Fafá de BelémTem sempre um nomeE depois do nomeTem sobrenome tambémTodo brinquedo tem nomeBola,boneca e patinsBrinquedos não tem sobrenomeMas a gente simCoisas gostosas têm nomeBolo,mingau e pudimDoces não têm sobrenomeMas a gente simRenato é Aragão o que faz confusãoCarlitos é o Chales ChaplinE tem o Vinícius que era de MoraesE o tom brasileiro é JobinQuem tem apelido,Zico,Maguila,Xuxa,Pelé e He-ManTem sempre um nome 15
  16. 16. ____________________________________________Relatório de Atividades do Programa XXXXXE depois do nomeTem sobrenome tambémNomes dos famosos que aparecem na música acima descrita:Manfried SantAnna, mais conhecido como Dedé SantanaAntônio Renato Aragão- DidiMaria da Graça Meneghel, mais conhecida como XuxaEdson Arantes do Nascimento , mais conhecido como PeléMaria de Fátima Palha de Figueiredo mais conhecida como Fafá de Belém; 16
  17. 17. ____________________________________________Relatório de Atividades do Programa XXXXX 7- Referências: BARTHES, Roland. Crítica e Verdade. São Paulo: Ed. Perspectiva, 1970.CAMARGO, Luiz. Maneco, caneco, chapéu de funil. São Paulo: Ática, 1980.CORAZZA, Sandra Mara. Notas. In: HEUSER, Ester Maria Dreher (org.). Caderno de Notas 1: projeto, notas & ressonâncias. Cuiabá: EdUFMT, 2011.CORAZZA, Sandra Mara. Artistagens – Filosofia da diferença e Educação. Belo Horizonte. Autêntica. 2006.JACKSON, Tom; OHO, Linda E. Preparando-se para filosofar. In: KOHAN, Walter Omar; WAKSMAN, Vera (orgs.). Filosofia para crianças: na prática escolar. Vol. 2. Petrópolis: Vozes, 1998.KOHAN, Walter Omar; WAKSMAN, Vera (orgs.). Filosofia e infância: possibilidades de um encontro. Vol. 3. Petrópolis: Vozes, 1999.______. Filosofia para crianças: a tentativa pioneira de Matthew Lipman. Vol. 1. Petrópolis: Vozes, 1998.MONTENEGRO, Maria Aparecida de Paiva. Linguagem e conhecimento no Crátilo de Platão. Kriterion, Belo Horizonte, v. 48, n. 116, dez, 2007. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/kr/v48n116/a0648116.pdf>. Acesso em: 18/01/2012.PLATÃO. Crátilo: Obra Completa. Madrid: Aguilar, 1972.ROCHA, Ruth. Marcelo, marmelo, martelo. Ilustrações de Adalberto Cornacava. – 3. ed. – Guarulhos: Salamandra, 2007.RYLANT, Cynthia. A velhinha que dava nome às coisas. Ilustrado por Kathryn Brown. Tradução de Gilda de Aquinol. São Paulo: BRINQUE-BOOK, 1997.Sequência didática : Uma proposta para o ensino da língua portuguesa no ensino fundamental: anos iniciais / Org. Terezinha da Conceição Costa Hubes; Carmen Teresinha Baumgartner – Cascavel : ASSOESTE, 2009. (CADERNOS PEDAGÓGICOS : 1). 17

×