Manual Docentes - Parte 1

553 visualizações

Publicada em

Manual Docente Parte 1
www.escoladecoaching.com

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
553
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
71
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
36
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Manual Docentes - Parte 1

  1. 1. Apresentação do Curso de Coaching para Docentes Este programa é feito à medida, a pensar nas muitas dificuldades que os professores e os seus alunos encontram no seu dia-a-dia, lidando com uma nova visão que os jovens, de hoje, têm do mundo, da vida e de si mesmos. Pretendemos, com esta formação, explorar os recursos inesgotáveis dos elementos da comunidade escolar, bem como da matriz coletiva de todos os seus elementos. O Curso de Coaching ECIT para docentes ajuda os professores a descobrirem que podem abrir os seus horizontes pessoais, transformando alguns conceitos e crenças que os impedem de viver um relacionamento feliz e gratificante com os seus alunos, bem como lhes oferece competências práti- cas e eficazes para ajudarem os seus alunos a ultrapassar muitas das suas dificuldades de ajuste e interesse às matérias lecionadas. O sucesso em qualquer área da vida está diretamente ligado ao grau de satisfação pessoal. Não procuramos sucesso para encontrarmos satisfação na vida. Pelo contrário: O grau de satisfação pessoal cria o sucesso que desejamos ter. CursodeCoachingparaEducadores pg1 Preparar jovens para explorar e manifestar o seu potencial Nível 2
  2. 2. Objetivos Gerais Professor - Aluno - Professor Professor - Aluno - Professor Aluno – Escola – Aluno Explorar com os professores muitos dos seus recursos adormecidos. Consciencialização dos seus pontos fortes e a sua utilização maximizada na sua função de professor Desenvolver nos professores as suas competências latentes na comunicação e na interação com a escola e os alunos. Identificação dos seus pontos menos fortes e sua transformação em alavancas de sucesso na relação com os seus alunos Devolver aos professores a motivação e o interesse pela sua profissão e pelo seu papel no sistema educativo, facilitando a mudança de atitude do professor para que se permita sentir mais realizado e valorizado. Tornar os professores conscientes dos paradigmas pessoais de ensino e comunicação a ajudá-los a reenquadrarem as suas dificuldades e a potenciarem novas atitudes e comportamentos mais ajustados às necessidades da relação educativa. Dar aos professores competências e técnicas de Coaching que os habilite a conduzir os alunos através deles mesmos, potenciando o seu melhor na sala de aula. Enriquecer os professores com uma nova metodologia que os ajudará a: Melhorar o grau de satisfação dos alunos Desenvolver um maior empenhamento dos alunos nas matérias lecionadas Promover a autodescoberta e o crescimento pessoal dos alunos Elevar a taxa de sucesso das suas turmas Diminuir a taxa de absentismo e desinteresse dos alunos Contribuir para que os alunos cresçam pela experiência e autoconsciência, tornando-se mais motivados, focados e responsáveis. Facilitar a mudança de atitude do professor para que ele se permita sentir-se mais realizado e valorizado. CursodeCoachingparaDocentes pg2 Apresentação de Modelos de Coaching ECIT, inovadores na relação: Nível 2
  3. 3. A Filosofia do Coaching – novas linhas de força na perceção do “outro” Novas abordagens à relação intrapessoal e interpessoal A função dos papéis Diagnósticos A complementaridade dos papéis Noções de sistemas O Professor como centro de um sistema de interação humana - o seu impacto e influência no sistema A dinâmica sistémica – Professor – Escola – Alunos – Famílias CursodeCoachingparaDocentes pg3 Conteúdos Gerais do Curso Ecit para Docentes A relação de mim para o outro e do outro para mim Nível 2
  4. 4. Conteúdos Gerais do Curso Ecit para Docentes Qualidades de um Professor-Coach Objetivos de um Professor-Coach Crenças que geram propósitos para a sua intervenção como docente Propósitos e valores no papel de professor Diagnóstico Inicial sobre o universo pessoal de cada professor Diagnóstico do estilo de comunicação e liderança: Índices de liderança e empatia pessoal e inter-relacional Trabalhar com sistemas escola-sala de aula e suas linhas de força e inter- ações intrínsecas Disciplina/Controle Foco/Interesse Motivação/Inspiração Cooperação Partilha Reconhecimento Respeito Responsabilidade Liberdade Abertura Feedback Descoberta Criatividade Integração Assiduidade Avaliação CursodeCoachingparaDocentes pg4 Integrar o Coaching na Docência - Alinhamentos Importantes Aferição de padrões e tendências no sistema de comunicação do professor na sala de aula Nível 2
  5. 5. Conteúdos Gerais do Curso Ecit para Docentes Esquema estrutural da metodologia do Coaching 3 Grandes momentos de uma sessão de Coaching Fases de internvenção num Processo de Coaching com a turma Como começa o processo de Coaching numa sala de aula Identificar a meta: Objetivos a alcançar Coaching: Uma viagem entre dois pontos A definição do pontos A e B Técnicas Auxiliares para tirar partido das perguntas como meio de aprofundar a mensagem dos alunos dentro deles mesmos. As incongruências detetadas na comunicação. Como estabelecer perguntas Formular as perguntas ditas poderosas. Estrutura de uma pergunta típica de Coaching. Vantagens e benefícios mútuos que um Professor-Coach tem em fazer perguntas aos seus alunos. CursodeCoachingparaDocentes pg4A O Professor-Coach em Ação Competências fundamentais do Professor-Coach A comunicação de mim para ti do Professor Coach Nível 2 Exercícios com Rodas O Processo de Coaching
  6. 6. INTRODUÇÂO A maior parte do insucesso escolar, tirando problemas neurológicos, está ligado a cargas emocionais não resolvidas ou seja, com situações vividas e reprimidas algures no passado seja pela criança, seja pelos progeni- tores ou seus antepassados que, uma vez transmitidos se tornam vórtices de energia comprimida que atuam no comportamento interno das crianças/jovens. Todas estas“anomalias”devem ser identificadas para que possam ser corrigidas, libertando a criança/jovem dos seus efeitos, harmonizando os comportamentos e as suas atitudes. Frequentemente sabemos de crianças/jovens que apresentam comportamentos disfuncionais e/ou dificuldades e limitações na aprendizagem ou na relação com o mundo. Por falta de conhecimento e, na ausência de uma resposta adequada àquilo que não é verdadeira- mente conhecido ou percebido, rotula-se a criança/jovem de incapaz ou deficiente, o que torna uma situação contornável e corrigível num“problema” que assume poderes absolutos sobre o destino da criança/jovem e sobre as atitudes dos seus educadores. Veremos durante esta formação que todos os jovens/alunos têm os recursos internos necessários para resolver as suas dificuldades, sebretudo no que diz respeito ao encontro das verdadeiras respostas para as situações que se apresentam como limitadoras ou incapacitantes, nalgum nível. À medida que os educadores, pais e professores se tornarem mais conhecedores e conscientes da importância que as vivências emocionais têm no “arranjo”da personalidade, durante a sua formação, menos erros serão cometidos e maior a capacidade para se encontrarem as soluções, corrigindo as“anomalias”de forma inteligente e natural. Reflexão: CursodeCoachingparaDocentes Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés, e quem olha para os pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos. pg5 A metodologia do Coaching e as valências da Inteligência Emocional no processo educativo Algumas Reflexões sobre o Processo Educativo Nível 2
  7. 7. INTRODUÇÂO - Continuação O grande desafio da atualidade está na necessária mudança de mentalidade dos adultos e da visão que, coletiva e individualmente, partilham com o mundo e, sobretudo, com aqueles que educam. São os educa- dores que mais impacto têm na formação das crenças, dos valores e da realidade pessoal tal como é desenhada pela mente jovem de uma criança. Como educadores somos os inspiradores da arquitetura mental e emocional das crianças que de nós recebem as diretrizes para interagirem e relacionar-se consigo mesmos e com o meio ambiente. Educar gerações de crianças com uma mentalidade livre, inteligente e saudável, sem que a mentalidade à sua volta mude, é uma utopia. Lembremos que as crianças não desenham realidades por si mesmas a partir do nada. A sua observação do mundo mais próximo (família, escola) traz-lhes informação e experiências que se tornam os tijolos essenciais com os quais edificam, a cada dia, a sua morada interior. As gerações atuais vêm preparadas para interagir com o meio ambiente de uma forma bem diferente daquela que muitos dos educadores ainda mantêm. O avanço da ciência, da tecnologia e as descobertas feitas nos últimos anos, vieram reposicionar o mundo de possibili- dades dentro da mente coletiva e abrir horizontes de possibilidades que transformaram a vida que se conhe- cia há algumas décadas atrás. As novas gerações trazem em si, incorporadas, as conquistas das gerações que lhes deram vida. É um processo evolutivo que permite a continuidade dos avanços e das novas mentalidades no sentido de promover uma experiencia evolutiva da espécie humana. Reflexão: CursodeCoachingparaDocentes “Aprender a desenvolver inteligência emocional para criar e aproveitar oportunidades” pg6 A metodologia do Coaching e as valências da Inteligência Emocional no processo educativo Algumas Reflexões sobre o Processo Educativo Nível 2
  8. 8. Algumas Reflexões sobre o Processo Educativo INTRODUÇÂO - Continuação Os valores, as crenças, os limites, o senso de realidade das gerações anteriores sofreu uma grande reviravolta e continua em franca desmontagem, como todos sabe- mos, por experiência própria. Os princípios que presidiam à educação tanto na família como nas escolas têm mudado para se ajustarem às exigências do novo mundo. Já não estranhamos tanto que os nossos filhos e alunos pensem e valorizem o mundo de forma bem diferente de nós. À medida que os anos passam e as mudanças se estabelecem, a tendência para reagir à diferença vai amortecendo e a aceitação começa a ser mais fácil e frequente entre os educadores das gerações anteriores. O mundo tem mudado significativamente nos últimos 15 anos. A cada dia que passa aquilo que ainda se mantinha de pé do passado, parece começar a ruir ou simplesmente desaparece, de um momento para o outro. Os nossos filhos e alunos nasceram num mundo assim e, não viveram as experiências e a mentalidade que herdámos dos nossos pais e professores. Para eles, as histórias que lhes contamos são“esquisitas”,“não lhes fazem sentido algum”e não conseguem encontrar sentido algum nessa forma de pensar e viver. Reflexão: CursodeCoachingparaDocentes pg7 A metodologia do Coaching e as valências da Inteligência Emocional no processo educativo Nível 2
  9. 9. INTRODUÇÂO - Continuação Não só na educação, mas no viver em geral, as aborda- gens à vida têm passado por metamorfoses de crenças e posturas, hábitos e práticas que se substituem, a cada dia, a uma velocidade alucinante. Uma delas podemos identifica-la pelo nome de Coaching que se vem estru- turando e proliferando por todo o mundo, entrando em todos os setores da vida humana. Como abordagem ao ser humano, o Coaching, tornou- se uma metodologia muito prática e útil, por ser altamente interventivo, direto e eficaz. Os seus princípios dão voz a uma nova visão do ser humano e alteram profundamente a consciência de quem somos e das reais possibilidades que vivem em cada ser humano. A mentalidade que estamos a deixar para trás, quer queiramos ou não, vai dando espaço a uma visão mais aberta, mais integral, envolvente e cooperante entre todos. As diferenças percebidas entre as pessoas começam a ser menos marcantes, não pela forma, mas pelos significados que lhes dávamos. As hierarquias assumem novos contornos. Os modelos circulares de cooperação e intervenção recíproca, começam a fazer ruir as estruturas piramidais e a respon- sabilidade pelo todo é mais partilhada pelo coletivo do que posta na mão de meia dúzia de pessoas. Os movi- mentos da intervenção humana tornam-se cada vez mais transversais e cada cidadão do mundo tem mais voz na sua vida e na vida do coletivo do que há 100 anos podíamos imaginar. Reflexão: CursodeCoachingparaDocentes pg8 A metodologia do Coaching e as valências da Inteligência Emocional no processo educativo Algumas Reflexões sobre o Processo Educativo Nível 2
  10. 10. INTRODUÇÂO - Continuação Como Educadores, pais e professores, precisam de se ajustarem à s novas tendências e às realidades que elas vão gerando. Desaprender alguns hábitos pode ajudar, mas, sobretudo, reajustar as nossas velas para velejar- mos ao sabor de ventos que nunca conhecemos antes, para conseguirmos levar o nosso barco a bom porto, sem ser pelos métodos que conhecemos até aqui. Aqueles que quiserem remar contra tais ventos terão a fúria do mar contra si e o resultado poderá ser bastante destrutivo e desanimador. Saber reconhecer que estamos no meio de uma alvorada que não nos pede licença para entrar e que nos convida a refletir para nos deixarmos descobrir num mundo de outras possibili- dades, pode fazer de nós, adultos, seres mais sábios e inteligentes. A capacidade de adaptação que o ser humano tem levou-o, ao longo dos séculos, a encontrar mais de si, a descobrir o impensável e a reinventar a vida, muitas e muitas vezes. Assim, aproveitemos o que as novas gerações nos vão trazendo e, em vez de reagirmos em automático, escute- mos as possibilidades que estão latentes e usemos a nossa inteligência e capacidade de descoberta para encontrarmos respostas fora da caixinha das perguntas que já conhecemos. Neste Manual iremos explorar as muitas possibilidades e desafios que a sua abordagem nos pode trazer no âmbito da relação educativa, ainda que, todas elas estão disponíveis em todas as áreas da nossa vida. Dadas as contínuas dificuldades em que as famílias e as escolas se encontram, torna-se essencial identificar e refletir sobre os parâmetros da relação humana que devem ser repensados para permitirem soluções e saídas mais ajustadas às necessidades do momento. Reflexão: CursodeCoachingparaDocentes pg9 A metodologia do Coaching e as valências da Inteligência Emocional no processo educativo Algumas Reflexões sobre o Processo Educativo Nível 2
  11. 11. INTRODUÇÂO - Continuação Reparemos que existem coordenadas que se revelam essenciais para nos ajustarmos ao vendaval de mudança que passa por toda a humanidade. Entre elas podemos nomear: Uma noção de tempo que se centra mais no AGORA e não no passado. Um desejo de“pôr a mão na massa”mais do que mergulhar em considerações abstratas, teóricas e filosóficas. Um movimento de aproximação e cooperação entre as várias forças presentes num determinado sistema Uma consciência maior do impacto do indivíduo no sistema Um amortecer das diferenças e dos opostos Uma aceitação crescente para a inclusão. O lançamento de uma comunicação instantânea e totalmente transversal A substituição da dependência pela autonomia A recusa à autoridade e ao determinismo do“sempre foi assim”. A procura mais consciente de uma verdade que soa a verdade para cada um. A diminuição das“farsas sociais”. A necessidade de ir além do já visto e vivido. A não submissão aos valores do sacrifício, do coitado, do infeliz, etc. A vontade de redescobrir a vida pela afirmação e a liberdade. CursodeCoachingparaDocentes pg10 A metodologia do Coaching e as valências da Inteligência Emocional no processo educativo Algumas Reflexões sobre o Processo Educativo Nível 2
  12. 12. INTRODUÇÂO - Continuação No Coaching a abordagem começa no educador por ser ele o grande inspirador da criança/jovem. É através do educador que o sistema é afetado. Paralelamente o poder de influência do educador sobre os jovens é enorme, pois toda uma turma pode mudar através de uma interação aberta e verdadeira com um Professor- Coach. Na verdade, um Professor é um catalisador poderoso sobre o sistema escolar e sobre as turmas que leciona. A sua influência estende-se para além das matérias que ensina, sendo estas, as que menos verdadeiro impacto criam. No Coaching os papéis são complementares. Assim aquele que ensina é ensinado e eos que são ensinados, também ensinam. A relação é recíproca e não existe separação, senão na forma como as partes se apresen- tam. Esta necessidade de se descobrir emerge cada vez mais. Milhares de pessoas estão a deixar os seus trabal- hos, umas por opção, outras porque o desejam e esperam ser despedidas para acabarem com o seu tormento diário. A busca de propósito para a vida e de um significado para cada dia é avassaladora. As pessoas procuram mais verdade, maior conexão, maior sentido de encontro consigo mesmas. Cada vez mais a sociedade procura auto descobrir-se em vez de ser servidor ou seguidor das ideias dos outros. A autoridade de fora para dentro cada vez funciona menos, tanto no contexto escolar como no familiar. As fronteiras estão cada vez mais indefinidas. Não há culpados, há apenas sistemas e paradigmas. É preciso que o ser humano se construa de novo para conquistar o seu espaço pessoal, que não depende daquilo que os outros nos querem ou não dar. Alguém tem de decidir o que fazer com cada ser humano e só ele o pode fazer por si. Reflexão: CursodeCoachingparaDocentes pg11 A metodologia do Coaching e as valências da Inteligência Emocional no processo educativo Algumas Reflexões sobre o Processo Educativo Nível 2
  13. 13. Como prenúncio de uma nova era na evolução da humanidade, dado os desafios com que os modelos de sustentabilidade, em todas as áreas da vida, se confrontam, torna-se essencial renovar e ir além, explorando o potencial humano, em novas direções, sobretudo no movimento de exploração interior. Por mais que o ser humano explore o seu mundo pessoal, rodeando-se de bens e comodidades que parecem aliviar o desalinhamento em que vive, torna-se urgente desenvolver novas abordagens à relação humana que potenciem o desenvolvimento e o encontro de atitudes e comportamentos. Na educação, a busca pela satisfação na aquisição de novos conhecimentos parece não encon- trar a luz ao fundo do túnel. Tanto professores como alunos procuram um equilíbrio que os satisfaça e valorize o melhor de si. As abordagens atuais procuram ir além do que parece ter funcionado ontem. Existe um senti- mento generalizado de que o ser humano tocou a linha extrema do horizonte das possibilidades de sucesso e bem-estar. Mas, para bem de todos nós, essa perspetiva não é a única resposta à solidão daqueles que desejam uma vida melhor e um sentido inteligente para os seus projetos de vida. Talvez precisemos de encontrar novos princípios que nos norteiem na visão de quem somos. Crianças e adultos precisam de novos pressupostos que os libertem da limitação em que as suas vidas parecem ter caído. O futuro das nossas crianças depende do mundo que deixarmos para elas e da maneira como as encorajarmos a encontrar dentro de si mesmos a chama viva dos seus talentos e capacidades. O exemplo dos adultos é, sem dúvida alguma, uma alavanca poderosíssima para inspirar e alicerçar as suas personalidades e, sobretudo, as suas mentalidades que irão dar forma ao futuro da humanidade. O Coaching representa uma nova possibilidade que se abre a cada um de nós! Com ele, a renovação acontece e a qualidade da vida pode ser substancialmente melhorada. CursodeCoachingparaDocentes Coaching - Uma lufada de ar fresco nas escolas pg12 Algumas Reflexões sobre o Processo Educativo Nível 2A metodologia do Coaching e as valências da Inteligência Emocional no processo educativo
  14. 14. Nas escolas o Coaching e os seus princípios vêm dar uma lufada de ar fresco à convivência mútua e à satisfação pessoal. O grau de sucesso escolar sobe e os professores reencontram a realização que a sua profissão lhe proporciona. O Coaching advoga novos princípios e oferece novas coordenadas para a construção de uma matriz de comunicação e intervenção na sociedade. Com elas, as escolas podem apostar num novo projeto, melhorando substancialmente a qualidade da relação humana. O Coaching oferece um novo "como" inserido numa perspetiva libertadora dos papéis dos professores e dos alunos. Não se trata de alterar "o que" mas sim o "como" se faz "o que". Os modelos de Coaching aplicados à relação educativa abrem e expandem as possibilidades de comu- nicação na dinâmica interativa entre o professor e o aluno, proporcionando uma abertura significativa nas atitudes que condicionam e determinam a relação. A qualidade da partilha de experiências cria espaço para a autodescoberta e a expansão de recursos naturais nas crianças e nas perspetivas dos educadores. Através das competências adquiridas de Inteligência Emocional e da sua aplicação em contexto de Coaching educativo, os educadores potenciam o desenvolvimento dos traços positivos dominantes dos seus educandos, alinhando-os para a realização do potencial que trazem consigo. Conhecendo o impacto que as atitudes individuais têm numa relação, sabemos que os níveis de comunicação, empatia e confiança são sustentáculo essencial para o sucesso da interação entre as partes. CursodeCoachingparaDocentes Coaching - Uma lufada de ar fresco nas escolas pg13 Algumas Reflexões sobre o Processo Educativo Nível 2 A metodologia do Coaching e as valências da Inteligência Emocional no processo educativo
  15. 15. Um dos objetivos principais da educação é criar as melhores condições psicológicas e emocionais para o desenvolvimento do potencial da criança, através de uma ação pedagógica inovadora, criativa e integrada que inspire e motive o interesse pela descoberta do mundo e de si mesma. Se como educadores, pensarmos na importância que teve, para cada um de nós, a qualidade da relação com aqueles que nos educaram, facilmente percebemos que o processo de aprendizado e integração dos conhecimentos propostos pode ser altamente melhorado, influenciando o desenvolvimento da criança de forma segura e integrada. As competências emocionais ajudam as crianças a acreditarem em si mesmas, a terem capacidade de gerir as dificuldades, a explorar o desconhecido, a confiar nos outros e conquistar o seu próprio chão. Através da metodologia do Coaching os professores ampliam o seu ângulo de visão pessoal, permitindo que a sua ação pedagógica encontre uma melhor resposta por parte dos seus alunos. Aprendendo a aplicar ferramentas de Coaching aos seus alunos, irão ajudá-los a descobrir muito do seu potencial e a alinhar os seus recursos pessoais, empoderando-os, ao mesmo tempo que os ajudam a assumir total responsabilidade sobre si mesmos. Uma criança tensa ou ansiosa está apta para reagir instintivamente e não para aprender! Com o Coaching os educadores aprendem a arte de questionar para promover a autodescoberta e a mudança de atitudes que transforma o fracasso em sucesso. O Coaching aplicado com Inteligência Emocional torna-se, assim, um suporte valioso à aprendizagem escolar, estimulando e ativando os recursos de mobilização interna, tanto dos educadores como dos educandos. O Coaching oferece ferramentas, insights e outras possibilidades de olharmos, de novo, para a relação professor – aluno num novo paradigma de relação por substituição a modelos de comunicação desgastados. Aponta para novas perspetivas e atitudes que podem alterar profundamente a forma como tanto professores como alunos se veem e se relacionam uns com os outros. CursodeCoachingparaDocentes Coaching - Uma lufada de ar fresco nas escolas pg14 Algumas Reflexões sobre o Processo Educativo Nível 2 COACHING A metodologia do Coaching e as valências da Inteligência Emocional no processo educativo
  16. 16. A arte do questionar para descobrir A arte de escutar e estar 100% presente A arte de criar rapport e confiança A arte de criar espaço para a autodescoberta A arte de facilitar a remoção de limitações pessoais A arte de motivar e incentivar a dar o passo em frente CursodeCoachingparaDocentes pg14A Algumas Reflexões sobre o Processo Educativo Nível 2Qual a metodologia do Coaching
  17. 17. O Coaching tornou-se nos últimos 10 anos uma atividade essencial no desenvolvimento dos recursos pessoais. Coaching representa acompanhamento. O Professor- Coach é aquele/a que se interessa por ajudar os seus alunos a redescobrir aspetos de si que nunca foram acordados ou sequer percebidos. Através de perguntas feitas aos alunos, de forma sistemática e congruente, o Professor-Coach leva-os a tomar consciência de aspetos pessoais que não pareciam ter relevância para a sua vida. O Professor-Coach ajuda, percebe e escuta as respostas e devolve ao seu aluno a informação que recebeu, facili- tando assim, a sua autodescoberta. O Coaching empodera o ser humano e coloca-o no centro da sua própria vida, restituindo as asas que pareciam cortadas. Com esta formação os professores irão aprender a conduzir os seus alunos através deles mesmos, dando- lhes espaço para se conhecerem e descobrirem. Poderão guiá-los e ajudá-los a desenvolverem talentos, recursos, aptidões e capacidades que estão soterradas por baixo de crenças e perspetivas destrutivas e limitadoras. Irão, ainda, saber identificar em si, aspetos que não foram reconhecidos e libertados, bem como outros que esperam por si para o ajudar a sentir-se realizado e satisfeito. Com o Coaching descobrirão os professores, ferramentas, exercícios e práticas que lhe proporcionarão uma abertura sem precedentes para novos horizontes e objetivos mais à medida dos seus sonhos. No final desta formação os Coaches Docentes terão aprendido uma metodologia que permite a qualquer pessoa ajudar-se a si e aos outros a atingirem objetivos e a realizar o melhor que há em si, fazendo, apenas, apelo aos seus recursos e talentos inatos e não desenvolvidos. Reflexão: CursodeCoachingparaDocentes pg15 O que é e para que serve o Coaching? A metodologia do Coaching e as valências da Inteligência Emocional no Processo Educativo Algumas Reflexões sobre o Processo Educativo Nível 2
  18. 18. Algumas Reflexões sobre o Processo Educativo 1. Os Alunos/Professores têm todos os recursos necessários 2. Os Alunos/Professores tem todas as respostas 3. Os Alunos/Professores nunca fracassam, apenas dão feedback 4. Não há erros, há experiências 5. Não existem ações erradas. Todas são fruto de um propósito. 6. Cada Aluno/Professor faz sempre o que está de acordo com o que pode fazer de melhor, num determinado momento. 7. A realidade de cada Aluno/Professor é criada por ele mesmo e somente por ele e resulta de uma perspetiva momentânea. 8. O Professor Coach faz as perguntas, os Alunos dão as respostas CursodeCoachingparaDocentes pg16 Princípios do Coaching para a Educação Nível 2
  19. 19. Competências de referência para o desenvolvimento de novas atitudes Noções de Sistemas Não é importante o que pensamos dos nossos alunos, mas o que eles acreditam sobre si mesmos. Todas as crianças têm uma sabedoria inata e sabem tudo o que é bom para si. Só precisamos de as ajudar a descobrir o que já sabem. As crianças aprendem, sobretudo, pelo exemplo Não se ganha a pensar que se vai perder! A melhor forma para que os alunos acreditem que são vencedores é verem-se eles próprios a vencer! O papel do Professor consiste em incenti- var os alunos a viverem experiências de sobera- nia pessoal. CursodeCoachingparaDocentes pg17 Nível 2
  20. 20. O Campo Morfogenético Como funciona um organismo Humano – sistema. Noção de sistemas: escola – sala de aula – família e sua importância no contexto do sistema educativo Adaptação do conceito de sistema geral ao contexto escolar e familiar. Como funciona o sistema escola Trabalhar com sistemas e suas linhas de força e interações intrínsecas O Professor como centro de um sistema - o seu impacto e influência no sistema Reflexão: CursodeCoachingparaDocentes pg18 Noções de sistemas Competências de referência para o desenvolvimento de novas atitudes Aspetos a explorar dentro da dinâmica sistémica Nível 2
  21. 21. Pertencer a um grupo é vital para a sobrevivência e uma bússola interna indica-nos o que está “certo” ou o que está “errado”, relativamente a cada sistema a que pertencemos. No grupo há um certo conhecimento a que cada membro pode aceder. Para lhe aceder, o intelecto por si só não é suficiente. Precisamos de uma outra linguagem, usando as faculdades cinestésicas humanas. As constelações sistémicas são um método que permite aceder ao conhecimento sistémico pela criação de uma analogia. Houve muitas tentativas para descrever o fenómeno da perceção cinestésica com rótulos tais como “the knowing field”, “morphic field” ou “tactic knowledge”. Uma espécie de inteligência coletiva está em funcionamento, resolvendo questões que são demasiado complexas para serem resolvidos com o pensamento analítico. Em sistemas criados por seres humanos, tais como organizações ou famílias, há uma camada energética sobre a qual não se fala. No entanto, as constelações sistémicas têm acesso a esta camada que esconde um conhecimento mais profundo sobre a pessoa ou a organi- zação. Nenhum sistema humano pode ser mantido completa- mente independente de outro sistema. Assim a escola e a família não podem ser mantidos àparte um do outro quando queremos entender a dinâmica da aprendizagem. Cada pessoa está numa relação recíproca múltipla com o seu meio ambiente. O que cada um de nós pensa ou faz, atua em duas direções: no meio ambiente, nos indivíduos e nos grupos e atua de volta a nós mesmos. Reflexão: CursodeCoachingparaDocentes Cada mudança num lugar, dá origem à mudança no todo Novas formas de pensar permitem novas experiências que nos levam a novos modos de agir. pg19 Campo Morfogenético Competências de referência para o desenvolvimento de novas atitudes Noções de Sistemas Nível 2
  22. 22. Competências de referência para o desenvolvimento de novas atitudes O sistema nasce a partir de um objetivo/propósito (roda representativa). O sistema é interativo e dinâmico na sua realidade interna e na relação com os sistemas externos. Cada parte do sistema afeta todo o sistema. A dinâmica interna do sistema contribui para o seu objetivo/propósito. Todo o sistema tem elementos catalisadores das linhas de força do grupo. A coesão do sistema depende dos catalisadores e dos seus alinhamentos com o objetivo /propósito do sistema. Não existe desperdício no sistema, tudo contribui para o todo, influenciando-o. O número de participantes do sistema é variável. O sistema serve e potencia o potencial de cada participante. O sistema funciona quando todos os seus participantes se sentem respeitados e reconhe- cidos. As regras do sistema são variáveis. São úteis quando se ajustam ao bem- estar de todos. Num sistema saudável não há ganhadores nem perdedores. Cada sistema integra os subsistemas dos seus participantes, alinhando-os dentro de critérios e propósitos estabelecidos. O alinhamento dos subsistemas com o sistema geral é essencial ao bom funcionamento deste último. Cada participante do sistema é responsável pela sua interação com o grupo e vice-versa. No sistema todas as diferenças são respeitadas e conduzidas para o objetivo / propósito comum. CursodeCoachingparaDocentes pg20 Como funciona um organismo humano? - Sistema Noções de Sistemas Nível 2
  23. 23. Como funciona o sistema escola. O sistema escola nasce a partir de um objetivo/propósito (roda representativa). O sistema escola é interativo e dinâmico na sua realidade interna e na relação com os sistemas externos. Cada parte do sistema escola afeta todo o sistema escola. A dinâmica interna do sistema escola contribui para o seu objetivo/propósito. Todo o sistema escola tem elementos catali- sadores das linhas de força do grupo. A coesão do sistema escola depende dos catalisadores e dos seus alinhamento com o obje- tivo /propósito do sistema escola. Não existe desperdício no sistema escola, tudo contribui para o todo, influenciando-o. O número de participantes do sistema escola é variável. Reflexão: CursodeCoachingparaDocentes pg21 Adaptação do Conceito de Sistema Geral ao contexto Escolar Noção de sistemas: escola - sala de aula - família e a sua importância no contexto do sistema educativo Nível 2
  24. 24. Como funciona o sistema escola. (continuação) O sistema escola serve e potencia o potencial de cada participante. O sistema escola funciona quando todos os seus participantes se sentem respeitados e reconhecidos. As regras do sistema escola são variáveis. São úteis quando se ajustam ao bem-estar de todos. Num sistema escola saudável não há ganhadores nem perdedores. Cada sistema escola integra os subsiste- mas dos seus participantes, alinhando-os dentro de critérios e propósitos estabelecidos. O alinhamento dos subsistemas individ- uais (alunos e professores) com o sistema escola é essencial ao bom funcionamento desta. Cada participante do sistema escola é responsável pela sua interação com o grupo e vice-versa. No sistema escola todas as diferenças são respeitadas e conduzidas para o objetivo/propósito comum. Reflexão: CursodeCoachingparaDocentes pg22 Adaptação do Conceito de Sistema Geral ao contexto Escolar Noção de sistemas: escola - sala de aula - família e a sua importância no contexto do sistema educativo Nível 2
  25. 25. Como funciona o sistema na sala de aula. O sistema sala de aula nasce a partir de um objetivo/propósito (roda representativa). (Qual o objetivo / propósito fundamental de uma sala de aula? Na roda qual a posição rela- tiva entre alunos e alunos e professor?) O sistema sala de aula é interativo e dinâmico na sua realidade interna e na relação com os sistemas externos. (Qual a dinâmica interna da turma? Quais as linhas de força da comunicação e interação entre alunos e entre alunos e professor? E externa da turma? Quais as linhas de força da comunicação e interação entre alunos das várias turmas, entre alunos e os professores e entre alunos e escola?) Cada parte do sistema sala de aula afeta todo o sistema sala de aula. (Que partes afetam o quê e quem? Como é que o professor afeta os alunos? Como é que os alunos afetam o professor e a sala de aula?) Reflexão: CursodeCoachingparaDocentes pg23 Adaptação do Conceito de Sistema Geral ao contexto Escolar Noção de sistemas: escola - sala de aula - família e a sua importância no contexto do sistema educativo Nível 2 Perguntas de Reflexão: Perguntas de Reflexão: Perguntas de Reflexão:
  26. 26. Como funciona o sistema na sala de aula. (continuação) A dinâmica interna do sistema sala de aula contribui para o seu objetivo/propósito. Perguntas de Reflexão: (Que aspetos da dinâmica interna con- tribuem para a turma atingir o seu objetivo / propósito? Estão alinhados ou desalinhados?) Todo o sistema sala de aula tem elementos catalisadores das linhas de força da turma. Perguntas de Reflexão: (Quais são os elementos catalisadores das linhas de força da turma? Qual o papel do professor e dos alunos nessa catalisação?) A coesão do sistema sala de aula depende dos catalisadores e dos seus alinhamento com o objetivo /propósito do sistema sala de aula. Perguntas de Reflexão: De que forma (as) os catalisadores identifi- cados promovem o alinhamento da turma com o seu objetivo / propósito? Quais os elementos do sistema sala de aula que contribuem para o desalinhamento?) . Reflexão: CursodeCoachingparaDocentes pg24 Adaptação do Conceito de Sistema Geral ao contexto Escolar Noção de sistemas: escola - sala de aula - família e a sua importância no contexto do sistema educativo Nível 2
  27. 27. Noção de sistemas: escola - sala de aula- família e sua importância no contexto do sistema educativo Como funciona o sistema na sala de aula. (continuação) Não existe desperdício no sistema sala de aula, tudo contribui para o seu todo, influenciando-o. Perguntas de Reflexão: (Que tipo de “desperdício” identifica na sala de aula? De que forma esse “desperdício” pode ser canalizado para o bem comum?) O número de participantes do sistema sala de aula é variável. O sistema sala de aula serve o desenvolvimento do potencial de cada aluno. Perguntas de Reflexão: (Quais as formas através das quais a turma promove o desenvolvimento do potencial de cada aluno? Quais as formas através das quais o professor promove o desenvolvimento do poten- cial de cada aluno?) O sistema sala de aula funciona quando todos os seus alunos se sentem respeitados e reconhe- cidos. Perguntas de Reflexão: (Quais são os aspetos que são reconheci- dos pelo professor que promovem o respeito e o reconhecimento dos alunos? Reflexão: CursodeCoachingparaDocentes pg25 Adaptação do Conceito de Sistema Geral ao contexto Escolar Nível 2
  28. 28. Como funciona o sistema na sala de aula. (continuação) As regras do sistema sala de aula são variáveis. São úteis quando se ajustam ao bem-estar de todos. Quais as regras que o professor imple- menta que se ajustam ao bem estar de todos? De que forma? Quais as regras que os alunos seguem que se ajustam ao bem -estar de todos? De que forma? Quais as regras que a escola implementa que se ajustam ao bem-estar de todos? De que forma? Num sistema sala de aula saudável não há ganhadores nem perdedores. Reflexão: CursodeCoachingparaDocentes pg26 Adaptação do Conceito de Sistema Geral ao contexto Escolar Noção de sistemas: escola - sala de aula - família e a sua importância no contexto do sistema educativo Nível 2 Perguntas de Reflexão:
  29. 29. Como funciona o sistema na sala de aula. (continuação) Perguntas de Reflexão: (Que tipo de atitudes, metodologias ou práticas implementa o professor no sentido de dar realidade a este principio? Que tipo de atitudes, metodologias ou práticas implementam os alunos no sentido de dar realidade a este principio?) (Que tipo de atitudes, metodologias ou práticas implementa o professor que se opõem a este principio?) Que tipo de atitudes, metodo- logias ou práticas implementa os alunos que se opõem a este principio?) Cada sistema sala de aula integra os subsistemas dos seus alunos, alinhando-os dentro de critérios e propósitos estabelecidos. Perguntas de Reflexão: (Como é que o professor integra os sub- sistemas dos alunos na sua prática docente? Como é que o aluno percebe o subsistema do professor e como se relaciona com ele?) O alinhamento dos subsistemas individuais (alunos e professores) com o sistema sala de aula é essencial ao bom funcionamento desta. Perguntas de Reflexão: (Numa escala de 1 a 10 qual o grau de sucesso desta integração inspirada pelo profes- sor?) Reflexão: CursodeCoachingparaDocentes pg27 Adaptação do Conceito de Sistema Geral ao contexto Escolar Noção de sistemas: escola - sala de aula - família e a sua importância no contexto do sistema educativo Nível 2
  30. 30. Como funciona o sistema na sala de aula. (continuação) Cada aluno do sistema sala de aula é responsável pela sua interação com a turma e vice-versa. (Qual o contributo do professor na dinamização desta responsabilidade? Qual a qualidade da interação do professor com a turma e de que forma se assume responsável por ela?) No sistema sala de aula todas as diferenças são respeitadas e conduzidas para o objetivo / propósito comum. Perguntas de Reflexão: (Quais as diferenças detetadas pelo professor que conduzem os alunos à experiência do respeito e aceitação mutua? De que forma faz o seu alinhamento com o propósito da turma?) Reflexão: CursodeCoachingparaDocentes pg28 Adaptação do Conceito de Sistema Geral ao contexto Escolar Noção de sistemas: escola - sala de aula - família e a sua importância no contexto do sistema educativo Nível 2 Perguntas de Reflexão:
  31. 31. Como funciona o sistema o sistema família. O sistema família nasce a partir de um objetivo/propósito (roda representativa). O sistema família é interativo e dinâmico na sua realidade interna e na relação com os sistemas externos. Cada parte do sistema família afeta todo o sistema família. A dinâmica interna do sistema família contribui para o seu objetivo/propósito. Todo o sistema família tem elementos catalisadores das linhas de força do grupo. A coesão do sistema família depende dos catalisadores e dos seus alinhamentos com o objetivo /propósito do sistema família. Não existe desperdício no sistema família, tudo contribui para o todo, influenciando-o. O número de participantes do sistema família é variável. O sistema família serve e potencia o potencial de cada participante. O sistema família funciona quando todos os seus participantes se sentem respeitados e reconhecidos. As regras do sistema família são variáveis. São úteis quando se ajustam ao bem-estar de todos. CursodeCoachingparaDocentes pg29 Adaptação do Conceito de Sistema Geral ao contexto Familiar Noção de sistemas: escola - sala de aula - família e a sua importância no contexto do sistema educativo Nível 2
  32. 32. Noção de sistemas: escola - sala de aula - família e a sua importância no contexto do sistema educativo Como funciona o sistema o sistema família. (continuação) Num sistema família saudável não há ganhadores nem perdedores. Cada sistema família integra os subsistemas dos seus participantes, alinhando-os dentro de critérios e propósitos estabelecidos. O alinhamento dos subsistemas individuais (alunos e professores) com o sistema família é essencial ao bom funcionamento desta. Cada participante do sistema família é responsável pela sua interação com o grupo e vice-versa. No sistema família todas as diferenças são respeitadas e conduzidas para o objetivo / propósito comum. CursodeCoachingparaDocentes pg30 Adaptação do Conceito de Sistema Geral ao contexto Familiar Nível 2

×