Apresentacao aos pais

2.004 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.004
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.566
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentacao aos pais

  1. 1. DO JARDIM DE INFÂNCIAAO1º CICLO DO ENSINO BÁSICO
  2. 2. Princípio Geral• A Educação Pré-escolar é a primeira etapa daeducação básica no processo de educação aolongo da vida, sendo complementar da açãoeducativa da família, com a qual deveestabelecer estreita cooperação, favorecendo aformação e o desenvolvimento equilibrado dacriança, tendo em vista a sua plena inserção nasociedade como ser autónomo, livre e solidário.Artigo 2.º , Lei n.º 5/97, de 10 de Fevereiro
  3. 3. Educação Pré-escolar• A Educação Pré-escolar destina-se às criançascom idades compreendidas entre os 3 anos ea idade de ingresso no ensino básico (…)Artigo 3.º , Lei n.º 5/97, de 10 de Fevereiro
  4. 4. Objetivos da Educação Pré-escolar• a) Promover o desenvolvimento pessoal e social dacriança (…);• b) Fomentar a inserção da criança em grupos sociaisdiversos (…);• c) Contribuir para a igualdade de oportunidades noacesso à escola e para o sucesso da aprendizagem;Artigo 10.º , Lei n.º 5/97, de 10 de Fevereiro
  5. 5. Objetivos da Educação Pré-escolar• d) Estimular o desenvolvimento global de cada criança,no respeito pelas suas características individuais (…);• e) Desenvolver a expressão e a comunicação (…);• f) Despertar a curiosidade e o pensamento crítico;Artigo 10.º , Lei n.º 5/97, de 10 de Fevereiro
  6. 6. Objetivos da Educação Pré-escolar• g) Proporcionar a cada criança condições de bem--estar e de segurança (…);• h) Proceder à despistagem de inadaptações,deficiências e precocidades, promovendo a melhororientação e encaminhamento da criança;• i) Incentivar a participação das famílias no processoeducativo e estabelecer relações de efetivacolaboração com a comunidade.Artigo 10.º , Lei n.º 5/97, de 10 de Fevereiro
  7. 7. ONDE E COMO SE DESENVOLVE?
  8. 8. EmÁreas de trabalho
  9. 9. Organização das áreas detrabalho na sala do jardim deinfância• Faz-de-conta• Biblioteca• Informática• Garagem• Jogos de mesa/jogos de construção• Pintura/desenho• Acolhimento• Modelagem
  10. 10. Área do faz de conta• Possui alguns adereços e mobiliários das nossascasas: cozinha, quarto de jantar e dormir• É o centro de dramatizações onde as criançasrepresentam tudo o que sabem acerca das pessoas edos acontecimentos que observaram eexperimentaram
  11. 11. Área do faz de conta• Permite ainda o desenvolvimento da autonomia,uma vez que as crianças ao desempenharem papéisestão alargar a sua imaginação, bem como a fazeruma descoberta de si próprias• Proporciona o desenvolvimento da linguagem oral,através do diálogo entre as crianças• Potencia o desenvolvimento de relações deinteracção e de amizade entre o grupo de crianças
  12. 12. Área do faz de conta
  13. 13. Área do faz de conta
  14. 14. Área do faz de conta
  15. 15. Biblioteca•Contém livros com diversas temáticas de interessepara o grupo de crianças•É uma área de pesquisa de informação sobre temasque poderão surgir ao longo do ano•Proporciona o desenvolvimento da autonomia, atravésda iniciativa da procura de livros•Desperta para a linguagem escrita e oral
  16. 16. Biblioteca
  17. 17. Biblioteca
  18. 18. Biblioteca
  19. 19. Área da informática• É uma área fundamental para iniciar a criança no mundodas novas tecnologias• Permite explorar jogos de raciocínio e de destreza• Desenvolve o raciocínio ao nível de variadas temáticas econteúdos (cores, formas, tamanhos, estações do ano,vestuário, meios de transporte, animais, etc.)• Propicia o contacto com a escrita através de jogos,desenhos e cópia de palavras• Permite a pesquisa através da internet
  20. 20. Área da informática
  21. 21. Área da informática
  22. 22. GaragemEsta área, tal como a área do faz de conta, proporcionaàs crianças oportunidade de:• Explorar• Construir• Pôr em prática experiências• Desempenhar papéis, levando a cabo a interacçãoentre o grupo
  23. 23. Garagem
  24. 24. Jogos de mesa/jogos deconstrução• Contém vários jogos (puzzles, lotos, jogos desequência temporal, jogos de encaixe e deconstrução, etc.) que abordam diversas temáticas:cores, números, corpo humano, animais, etc.• Desenvolvem a motricidade fina, a lateralidade e oraciocínio lógico-matemático das crianças (encaixe,desencaixe, seriação, quantidade, grandeza, cor,etc.)• (…)
  25. 25. Jogos de mesa/jogos deconstrução
  26. 26. Jogos de mesa/jogos deconstrução
  27. 27. Jogos de mesa/jogos deconstrução
  28. 28. MODELAGEM• Neste espaço as crianças dão largas à suaimaginação criando livremente figurasreconhecíveis ou não• Contém plasticinas e outras pastas de modelarque permitem desenvolver a criatividade e amotricidade
  29. 29. MODELAGEM
  30. 30. MODELAGEM
  31. 31. Área do tapete (acolhimento)• Esta área é privilegiada para o diálogo em grande grupo• Abordagem para as várias Áreas de Conteúdo e Domínios :formação pessoal e social, conhecimento do mundo eexpressão e comunicação (linguagem escrita e oral,matemática, expressão musical, dramática, plástica e motora)• Desenvolvimento da linguagem e da interação social, poisneste espaço, as crianças discutem, em grande grupo,experiências vivenciadas• Realização de aprendizagens• Conto de histórias, canções, lengalengas• Planificação e divisão de tarefas, etc.
  32. 32. Área do tapete (acolhimento)
  33. 33. Área do tapete (acolhimento)
  34. 34. Área do tapete (acolhimento)
  35. 35. Transição para o 1º CEBCADA UM A SEU RITMO
  36. 36. Transição para o 1º CEB• Ingressam no ensino básico as crianças quecompletem 6 anos de idade até 15 desetembro• As crianças que completem os 6 anos de idadeentre 16 de setembro e 31 de dezembropodem ingressar no ensino básico se tal forrequerido pelo encarregado de educação (…)Artigo 6.º, LBSE
  37. 37. Transição para o 1º CEBSendo assim, as crianças que completem 6 anosentre 15 de setembro e 31 de dezembro sóingressam no 1º CEB:1.mediante requerimento do encarregado deeducação a entregar nos serviçosadministrativos da Escola, até ao dia 31 de maio2.mediante parecer favorável do Educadortitular de turma e do conselho executivo (RI daEBI de Lagoa)
  38. 38. No respeito pelo desenvolvimento de cada um é, ainda, possível:• Adiamento da Matrícula• A requerimento devidamente fundamentado do encarregado deeducação, a apresentar até 31 de Maio do ano anterior àquele parao qual a matrícula é obrigatória no 1.º ciclo do ensino básico, podeser autorizado o adiamento, por um só ano (…)• O requerimento referido no número anterior é dirigido aopresidente do conselho executivo acompanhado de parecer de umserviço de psicologia e orientaçãoArtigo 11.º, D L R n.º 32/2011/A, de 24 de NovembroTransição para o 1º CEB
  39. 39. Transição para o 1º CEB• Antecipação da matrícula• A requerimento do encarregado de educação, a apresentar até 31 de Maiodo ano anterior àquele para o qual a matrícula é pretendida, devidamentefundamentado, pode ser autorizada a matrícula no ensino básico da criançaque revele uma precocidade global que aconselhe o ingresso mais cedo doque é preconizado no regime educativo comum• 2 - O requerimento referido no número anterior é dirigido ao presidente doconselho executivo acompanhado de parecer de um serviço de psicologia eorientaçãoArtigo n.º10º, D L R n.º 32/2011/A, de 24 de Novembro
  40. 40. O melhor para cada criança?• Respeitar o seu desenvolvimento• Não o comparar com o outro• Dar-lhe tempo para crescer• Deixá-lo viver a infância• Não ter pressa…Cada criança é ÚNICA!
  41. 41. Só para paisEduardo Sá – Psicólogo ClínicoÉ proibido que os pais imaginem que o jardim deinfância serve para aprender a ler e contar. Ele é útilpara aprender a descobrir os sentimentos. Paraaprender a imaginar e a fantasiar. Para aprender com ocorpo, com a música e com a pintura. E para brincar.Uma criança que não brinque deve preocupar mais ospais do que se ela fizer uma ou outra birra, pela manhãao chegar.

×