A organização das áreas urbanas
Espaço rural e espaço urbano
Espaço urbano <ul><li>Espaço onde a ocupação do solo é caracterizada pelo elevado número e concentração de infra – estrutu...
cidade <ul><li>não há uma definição universal de cidade </li></ul><ul><li>Os critérios mais utilizados para definir cidade...
CRITÉRIO DEMOGRÁFICO <ul><ul><li>População Absoluta </li></ul></ul><ul><li>A definição de um número mínimo de habitantes é...
Exemplo na Dinamarca Noruega e Suécia é de 200 habitantes na Grécia é de 10 000 e no Japão de 50 000.
Densidade Populacional <ul><li>Também apresenta limitações pois existem aldeias nos países em desenvolvimento com uma dens...
CRITÉRIO FUNCIONAL <ul><li>A actividade desenvolvida pela população activa de um aglomerado é um critério fulcral e que re...
A COMBINAÇÃO ( DEMOGRÁFICO / FUNCIONAL ) <ul><li>Na conferencia  Europeia de Estatística ficou definido que as aglomeraçõe...
As cidades devem  caracterizar-se por uma certa dimensão e diversidade   <ul><li>deve  predominar sempre o terciário e o s...
<ul><li>Deve haver diversidade nos equipamentos  e serviços prestados  </li></ul>
Áreas de recreio e lazer
Paisagem construída  <ul><li>edifícios praças e ruas com características morfológicas estéticas e  funcionais diferentes. ...
A cidade em Portugal <ul><li>centro urbano </li></ul>Engloba todas as sedes de distrito e os aglomerados populacionais com...
Em Portugal a partir de 1960 <ul><li>Consideram-se centros urbanos os aglomerados com mais de 10 000 habitantes , bem como...
A cidade <ul><li>. O decréscimo de 10 000 para 8 000 habitantes está associado à melhoria de vida da população, aumento do...
A acessibilidade <ul><li>O crescente aumento do fluxo de pessoas e veículos são preponderantes na ligação do território co...
A acessibilidade <ul><li>A melhoria da acessibilidade traduz-se na expansão das mesmas e provoca alteração da morfologia e...
A cidade é um espaço de funções <ul><li>Nela coexistem as funções comercial industrial e residencial </li></ul>
Áreas funcionais <ul><li>A localização , a predominância e características destes grupos de funções permite delimitar na c...
A renda locativa <ul><li>A renda ou o valor do solo diminui com a distancia ou seja revelam uma diminuição com o aumento d...
A acessibilidade promove o aumento do valor do solo que diminui do centro para a periferia. <ul><li>A Zona Central da cida...
A Zona Central da cidade <ul><li>A especulação fundiária tem provocado um substancial aumento do preço do solo nesta área....
<ul><li>Á medida que diminui a acessibilidade aumenta a distancia ao centro, decrescem as actividades terciárias surge a f...
<ul><li>No entanto há excepções , pois surgem por vezes áreas onde ocorre um aumento no preço do solo devido a uma elevada...
A renda locativa <ul><li>Áreas de grande acessibilidade e com características ambientais atractivas como a existência de e...
A renda locativa <ul><li>Alem da distancia ao centro outros factores fazem variar a renda locativa. </li></ul>Qualidade do...
FIM Trabalho realizado por prof. Adelaide Pereira
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A OrganizaçãO Das áReas Urbanas

17.312 visualizações

Publicada em

A organização do espaço urbano

Publicada em: Educação, Tecnologia, Imóveis
1 comentário
18 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
17.312
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.859
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
18
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A OrganizaçãO Das áReas Urbanas

  1. 1. A organização das áreas urbanas
  2. 2. Espaço rural e espaço urbano
  3. 3. Espaço urbano <ul><li>Espaço onde a ocupação do solo é caracterizada pelo elevado número e concentração de infra – estruturas estando destinado predominantemente à construção </li></ul>
  4. 4. cidade <ul><li>não há uma definição universal de cidade </li></ul><ul><li>Os critérios mais utilizados para definir cidade são: </li></ul><ul><li>Demográfico </li></ul><ul><li>Funcional </li></ul>
  5. 5. CRITÉRIO DEMOGRÁFICO <ul><ul><li>População Absoluta </li></ul></ul><ul><li>A definição de um número mínimo de habitantes é muito utilizada </li></ul><ul><li>No entanto tem limitações na impossibilidade de se estabelecer um valor mínimo universal </li></ul>
  6. 6. Exemplo na Dinamarca Noruega e Suécia é de 200 habitantes na Grécia é de 10 000 e no Japão de 50 000.
  7. 7. Densidade Populacional <ul><li>Também apresenta limitações pois existem aldeias nos países em desenvolvimento com uma densidade populacional maior do que certas cidades de países desenvolvidos </li></ul>
  8. 8. CRITÉRIO FUNCIONAL <ul><li>A actividade desenvolvida pela população activa de um aglomerado é um critério fulcral e que reúne maior consenso na definição de cidade. De acordo com este critério um aglomerado só é cidade se a maioria dos seus habitantes trabalhar nos sectores secundário e terciário </li></ul>
  9. 9. A COMBINAÇÃO ( DEMOGRÁFICO / FUNCIONAL ) <ul><li>Na conferencia Europeia de Estatística ficou definido que as aglomerações com mais de 10 000 habitantes seriam consideradas cidades , ou então teriam no mínimo 2 000 habitantes mas não tinham mais de 25% da população ligada à agricultura. </li></ul>
  10. 10. As cidades devem caracterizar-se por uma certa dimensão e diversidade <ul><li>deve predominar sempre o terciário e o secundário </li></ul>
  11. 11. <ul><li>Deve haver diversidade nos equipamentos e serviços prestados </li></ul>
  12. 12. Áreas de recreio e lazer
  13. 13. Paisagem construída <ul><li>edifícios praças e ruas com características morfológicas estéticas e funcionais diferentes. </li></ul>
  14. 14. A cidade em Portugal <ul><li>centro urbano </li></ul>Engloba todas as sedes de distrito e os aglomerados populacionais com mais de 10 000 habitantes. <ul><li>Cidade </li></ul>Aglomerado populacional que ascende a esta categoria independentemente de ter ou não ter 10 000 habitantes. Pode ascender a esta categoria por ser uma entidade politico – administrativa ou por lhe ter sido atribuída por forma honorifica
  15. 15. Em Portugal a partir de 1960 <ul><li>Consideram-se centros urbanos os aglomerados com mais de 10 000 habitantes , bem como aqueles que mesmo tendo uma população inferior a 2000 habitantes sejam capitais de distrito . </li></ul>
  16. 16. A cidade <ul><li>. O decréscimo de 10 000 para 8 000 habitantes está associado à melhoria de vida da população, aumento do consumo, maior diversidade de serviços , maior qualidade e dispersão de equipamentos e estruturas </li></ul>
  17. 17. A acessibilidade <ul><li>O crescente aumento do fluxo de pessoas e veículos são preponderantes na ligação do território com a cidade. </li></ul><ul><li>O aumento e melhoria dos transportes e da acessibilidade promovem a procura das cidades , quer por residentes quer por actividades económicas. </li></ul>
  18. 18. A acessibilidade <ul><li>A melhoria da acessibilidade traduz-se na expansão das mesmas e provoca alteração da morfologia e reestruturação das áreas funcionais. </li></ul>
  19. 19. A cidade é um espaço de funções <ul><li>Nela coexistem as funções comercial industrial e residencial </li></ul>
  20. 20. Áreas funcionais <ul><li>A localização , a predominância e características destes grupos de funções permite delimitar na cidade áreas funcionais, zonas espaciais relativamente homogéneas e com características próprias . </li></ul>Áreas Terciárias Áreas industrias Áreas residenciais Centro da cidade ou CBD
  21. 21. A renda locativa <ul><li>A renda ou o valor do solo diminui com a distancia ou seja revelam uma diminuição com o aumento da distancia ao centro. </li></ul><ul><li>O afastamento do centro promove uma diminuição da procura dos terrenos o que provoca uma diminuição da renda locativa . </li></ul>
  22. 22. A acessibilidade promove o aumento do valor do solo que diminui do centro para a periferia. <ul><li>A Zona Central da cidade </li></ul>É dominada pelo cruzamento de eixos de comunicação que tornam este local o de maior acessibilidade a nível interno e externo. Ao ser um espaço muito acessível sofre grande competição pelas actividades terciárias e consequentemente o terreno disponível é cada vez mais escasso.
  23. 23. A Zona Central da cidade <ul><li>A especulação fundiária tem provocado um substancial aumento do preço do solo nesta área. </li></ul>
  24. 24. <ul><li>Á medida que diminui a acessibilidade aumenta a distancia ao centro, decrescem as actividades terciárias surge a função residencial e industrial e o preço do solo diminui. </li></ul>
  25. 25. <ul><li>No entanto há excepções , pois surgem por vezes áreas onde ocorre um aumento no preço do solo devido a uma elevada acessibilidade e consequente aptidão para funções terciárias. </li></ul>
  26. 26. A renda locativa <ul><li>Áreas de grande acessibilidade e com características ambientais atractivas como a existência de espaços verdes e baixos índices de poluição são procuradas pelas classes mais abastadas o que promove o aumento do preço do solo </li></ul>
  27. 27. A renda locativa <ul><li>Alem da distancia ao centro outros factores fazem variar a renda locativa. </li></ul>Qualidade dos edifícios Existência de infra – estruturas Transportes Segurança Nível socioeconómico da população residente
  28. 28. FIM Trabalho realizado por prof. Adelaide Pereira

×