SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
TESTANDO E  MODELANDO USUÁRIOS
INTRODUÇÃO Os testes com usuários constituem um aspecto fundamental do design na interação. Eles baseiam-se em uma combinação de técnicas que incluem observação, questionários, entrevistas e testes com usuários.  São uma forma aplicada de experimentação utilizada por desenvolvedores para testar se o produto que desenvolveram é usável pela população pretendida de usuários na realização de suas tarefas.
Exemplo de Teste com o Usuário: Uso do Medline
Tarefas a serem executadas no teste com os usuários: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Realizando o teste  com os Usuários Há muitos fatores a serem considerados antes de realizar o teste com usuários. Controlar as condições do teste é fundamental; faz-se necessário, portanto, um planejamento cuidadoso – o que envolve assegurar que as condições serão as mesmas para todos os participantes.
Fatores a serem considerados: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
EXPERIMENTOS O objetivo de uma experiência é responder a uma pergunta ou testar um hipótese que preveja uma relação entre dois ou mais eventos conhecidos como variáveis.  É aconselhável consultar alguém  que tenha conhecimento sobre testes estatísticos relevantes antes de se proceder à maioria dos experimentos, em vez de ficar pensando posteriormente o que fazer com os dados que foram coletados.
Testando e modelando usuários ,[object Object],[object Object],[object Object]
Testando e modelando usuários ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],Testando e modelando usuários
[object Object],[object Object],[object Object],Testando e modelando usuários
Testando e modelando usuários ,[object Object],[object Object]
LEI DE FITT A lei de Fitts  é um modelo de movimento humano que prevê o tempo necessário para rapidamente mover a uma área designada com base na distância e tamanho desta área.  Publicado por Paul Fitts em 1954, a lei de Fitts é usado como modelo para o ato de apontar no mundo real (por exemplo, com uma mão ou dedo) e no mundo virtual (em computadores, como por exemplo com um mouse).
LEI DE FITT Afinal de contas, o que diz a lei de Fitt e  por que ela está sendo usada muito hoje  em dia na web? Em termos simples e aplicados ao web design, a lei de Fitts diz que quanto maior a área de um botão (por exemplo) em relação com a distância que precisa ser percorrida pelo ponteiro do mouse, mais fácil é de clicá-lo.
LEI DE FITT A lei de Fitts é uma equação que pode predizer quanto tempo demora para que você aponte seu mouse (ou dedo, em casos do mundo real) baseado no tamanho e distância do objeto. Matematicamente, a equação é : T = k log2(D/S + 0.5) T = tempo para mover a mão em direção ao objeto alvo. k = aproximadamente 100 milissegundos. D = distância entre a mão e o objeto alvo. S = tamanho do alvo.
ALGUMAS DAS CONCLUSÕES ÁS QUAIS PODEMOS CHEGAR DE ACORDO COM A LEI DE FITTS: - Botões e outros controles   de interface com um tamanho razoável são facilmente clicáveis pois quanto maior a área, menor é o espaço percorrido pelo mouse até chegar lá. - Botões e outros controles de interface com um tamanho razoável têm menos chance de serem clicados “sem querer”. - As bordas de tela do computador são os lugares ideais para se ter botões e outros controles importantes (como o botão “Iniciar” do Windows XP* e o menu do Mac OS X). - Menus abertos são geralmente acessados de forma mais rápida que menus pull-down, já que o usuário não precisa mover o mouse mais do que o necessário.
[object Object],[object Object],Testando e modelando usuários
REFERÊNCIA:   PREECE, Jennifer; ROGERS, Yvonne; SHARP, Helen. Perguntando a usuários e especialistas. In: ____ .  Design de interação:  além da interação homem-computador. Porto Alegre: Bookman, 2005. Cap. 13, p. 411-449.  PREECE, Jennifer; ROGERS, Yvonne; SHARP, Helen. Testando e modelando usuários. In: ____ .  Dizem de interação:  além da interação homem-computador. Porto Alegre: Bookman, 2005. Cap. 14, p. 451-481.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Testando E Modelando Usuarios2

Avaliaçãp
AvaliaçãpAvaliaçãp
Avaliaçãpclimack
 
Heurística, Principios e Usabilidade na web
Heurística, Principios e Usabilidade na webHeurística, Principios e Usabilidade na web
Heurística, Principios e Usabilidade na webDaniel Brandão
 
EXITUS - Interface amigável para questionários utilizando tablets em entrevis...
EXITUS - Interface amigável para questionários utilizando tablets em entrevis...EXITUS - Interface amigável para questionários utilizando tablets em entrevis...
EXITUS - Interface amigável para questionários utilizando tablets em entrevis...Luiz Agner
 
Apresentação Exitus- Interface Amigável para Questionários Utilizando Table...
Apresentação   Exitus- Interface Amigável para Questionários Utilizando Table...Apresentação   Exitus- Interface Amigável para Questionários Utilizando Table...
Apresentação Exitus- Interface Amigável para Questionários Utilizando Table...Monique Tavares
 
IHC - Questionario
IHC - QuestionarioIHC - Questionario
IHC - QuestionarioJonatas Melo
 
Ergonomia e Usabilidade AULA 2: Conceitos, Engenharia de Usabilidade
Ergonomia e Usabilidade AULA 2: Conceitos, Engenharia de UsabilidadeErgonomia e Usabilidade AULA 2: Conceitos, Engenharia de Usabilidade
Ergonomia e Usabilidade AULA 2: Conceitos, Engenharia de UsabilidadeDra. Camila Hamdan
 
ALM - Testes Exploratórios
ALM - Testes ExploratóriosALM - Testes Exploratórios
ALM - Testes ExploratóriosAlan Carlos
 
ErgoDesign e Arquitetura da Informação - Parte A
ErgoDesign e Arquitetura da  Informação - Parte AErgoDesign e Arquitetura da  Informação - Parte A
ErgoDesign e Arquitetura da Informação - Parte AFabiano Damiati
 
USER EXPERIENCE - conceitos e aplicações em dispositivos móveis
USER EXPERIENCE - conceitos e aplicações em dispositivos móveisUSER EXPERIENCE - conceitos e aplicações em dispositivos móveis
USER EXPERIENCE - conceitos e aplicações em dispositivos móveisThiago Bastos
 
Seminario Lep Ibge Slideshare
Seminario Lep Ibge SlideshareSeminario Lep Ibge Slideshare
Seminario Lep Ibge Slideshareguest5ccda
 
Usabilidade: Palestra no auditório do IBGE
Usabilidade: Palestra no auditório do IBGEUsabilidade: Palestra no auditório do IBGE
Usabilidade: Palestra no auditório do IBGELuiz Agner
 
designer grafico Aula 05 - Heurísticas de Nielsen.pdf
designer grafico Aula 05 - Heurísticas de Nielsen.pdfdesigner grafico Aula 05 - Heurísticas de Nielsen.pdf
designer grafico Aula 05 - Heurísticas de Nielsen.pdfJulioCesar371362
 
Palestra - Testes de Usabilidade
Palestra - Testes de UsabilidadePalestra - Testes de Usabilidade
Palestra - Testes de UsabilidadeLuiz Agner
 
Design thinking - Prototipando melhores experiências web
Design thinking - Prototipando melhores experiências webDesign thinking - Prototipando melhores experiências web
Design thinking - Prototipando melhores experiências webLuanna Eroles
 
User experience
User experienceUser experience
User experiencecarleine
 
Usabilidade com Paper Prototype
Usabilidade com Paper PrototypeUsabilidade com Paper Prototype
Usabilidade com Paper Prototypeeudisnet
 
User experience - conceito e aplicação em dispositivos móveis (smartphones)
User experience - conceito e aplicação em dispositivos móveis (smartphones)User experience - conceito e aplicação em dispositivos móveis (smartphones)
User experience - conceito e aplicação em dispositivos móveis (smartphones)Thiago Bastos
 
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de NielsenInteração Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de NielsenRos Galabo, PhD
 

Semelhante a Testando E Modelando Usuarios2 (20)

Avaliaçãp
AvaliaçãpAvaliaçãp
Avaliaçãp
 
Heurística, Principios e Usabilidade na web
Heurística, Principios e Usabilidade na webHeurística, Principios e Usabilidade na web
Heurística, Principios e Usabilidade na web
 
EXITUS - Interface amigável para questionários utilizando tablets em entrevis...
EXITUS - Interface amigável para questionários utilizando tablets em entrevis...EXITUS - Interface amigável para questionários utilizando tablets em entrevis...
EXITUS - Interface amigável para questionários utilizando tablets em entrevis...
 
Apresentação Exitus- Interface Amigável para Questionários Utilizando Table...
Apresentação   Exitus- Interface Amigável para Questionários Utilizando Table...Apresentação   Exitus- Interface Amigável para Questionários Utilizando Table...
Apresentação Exitus- Interface Amigável para Questionários Utilizando Table...
 
IHC - Questionario
IHC - QuestionarioIHC - Questionario
IHC - Questionario
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Ergonomia e Usabilidade AULA 2: Conceitos, Engenharia de Usabilidade
Ergonomia e Usabilidade AULA 2: Conceitos, Engenharia de UsabilidadeErgonomia e Usabilidade AULA 2: Conceitos, Engenharia de Usabilidade
Ergonomia e Usabilidade AULA 2: Conceitos, Engenharia de Usabilidade
 
ALM - Testes Exploratórios
ALM - Testes ExploratóriosALM - Testes Exploratórios
ALM - Testes Exploratórios
 
ErgoDesign e Arquitetura da Informação - Parte A
ErgoDesign e Arquitetura da  Informação - Parte AErgoDesign e Arquitetura da  Informação - Parte A
ErgoDesign e Arquitetura da Informação - Parte A
 
Design de interação
Design de interaçãoDesign de interação
Design de interação
 
USER EXPERIENCE - conceitos e aplicações em dispositivos móveis
USER EXPERIENCE - conceitos e aplicações em dispositivos móveisUSER EXPERIENCE - conceitos e aplicações em dispositivos móveis
USER EXPERIENCE - conceitos e aplicações em dispositivos móveis
 
Seminario Lep Ibge Slideshare
Seminario Lep Ibge SlideshareSeminario Lep Ibge Slideshare
Seminario Lep Ibge Slideshare
 
Usabilidade: Palestra no auditório do IBGE
Usabilidade: Palestra no auditório do IBGEUsabilidade: Palestra no auditório do IBGE
Usabilidade: Palestra no auditório do IBGE
 
designer grafico Aula 05 - Heurísticas de Nielsen.pdf
designer grafico Aula 05 - Heurísticas de Nielsen.pdfdesigner grafico Aula 05 - Heurísticas de Nielsen.pdf
designer grafico Aula 05 - Heurísticas de Nielsen.pdf
 
Palestra - Testes de Usabilidade
Palestra - Testes de UsabilidadePalestra - Testes de Usabilidade
Palestra - Testes de Usabilidade
 
Design thinking - Prototipando melhores experiências web
Design thinking - Prototipando melhores experiências webDesign thinking - Prototipando melhores experiências web
Design thinking - Prototipando melhores experiências web
 
User experience
User experienceUser experience
User experience
 
Usabilidade com Paper Prototype
Usabilidade com Paper PrototypeUsabilidade com Paper Prototype
Usabilidade com Paper Prototype
 
User experience - conceito e aplicação em dispositivos móveis (smartphones)
User experience - conceito e aplicação em dispositivos móveis (smartphones)User experience - conceito e aplicação em dispositivos móveis (smartphones)
User experience - conceito e aplicação em dispositivos móveis (smartphones)
 
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de NielsenInteração Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
 

Testando E Modelando Usuarios2

  • 1. TESTANDO E MODELANDO USUÁRIOS
  • 2. INTRODUÇÃO Os testes com usuários constituem um aspecto fundamental do design na interação. Eles baseiam-se em uma combinação de técnicas que incluem observação, questionários, entrevistas e testes com usuários. São uma forma aplicada de experimentação utilizada por desenvolvedores para testar se o produto que desenvolveram é usável pela população pretendida de usuários na realização de suas tarefas.
  • 3. Exemplo de Teste com o Usuário: Uso do Medline
  • 4.
  • 5. Realizando o teste com os Usuários Há muitos fatores a serem considerados antes de realizar o teste com usuários. Controlar as condições do teste é fundamental; faz-se necessário, portanto, um planejamento cuidadoso – o que envolve assegurar que as condições serão as mesmas para todos os participantes.
  • 6.
  • 7. EXPERIMENTOS O objetivo de uma experiência é responder a uma pergunta ou testar um hipótese que preveja uma relação entre dois ou mais eventos conhecidos como variáveis. É aconselhável consultar alguém que tenha conhecimento sobre testes estatísticos relevantes antes de se proceder à maioria dos experimentos, em vez de ficar pensando posteriormente o que fazer com os dados que foram coletados.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13. LEI DE FITT A lei de Fitts é um modelo de movimento humano que prevê o tempo necessário para rapidamente mover a uma área designada com base na distância e tamanho desta área. Publicado por Paul Fitts em 1954, a lei de Fitts é usado como modelo para o ato de apontar no mundo real (por exemplo, com uma mão ou dedo) e no mundo virtual (em computadores, como por exemplo com um mouse).
  • 14. LEI DE FITT Afinal de contas, o que diz a lei de Fitt e por que ela está sendo usada muito hoje em dia na web? Em termos simples e aplicados ao web design, a lei de Fitts diz que quanto maior a área de um botão (por exemplo) em relação com a distância que precisa ser percorrida pelo ponteiro do mouse, mais fácil é de clicá-lo.
  • 15. LEI DE FITT A lei de Fitts é uma equação que pode predizer quanto tempo demora para que você aponte seu mouse (ou dedo, em casos do mundo real) baseado no tamanho e distância do objeto. Matematicamente, a equação é : T = k log2(D/S + 0.5) T = tempo para mover a mão em direção ao objeto alvo. k = aproximadamente 100 milissegundos. D = distância entre a mão e o objeto alvo. S = tamanho do alvo.
  • 16. ALGUMAS DAS CONCLUSÕES ÁS QUAIS PODEMOS CHEGAR DE ACORDO COM A LEI DE FITTS: - Botões e outros controles de interface com um tamanho razoável são facilmente clicáveis pois quanto maior a área, menor é o espaço percorrido pelo mouse até chegar lá. - Botões e outros controles de interface com um tamanho razoável têm menos chance de serem clicados “sem querer”. - As bordas de tela do computador são os lugares ideais para se ter botões e outros controles importantes (como o botão “Iniciar” do Windows XP* e o menu do Mac OS X). - Menus abertos são geralmente acessados de forma mais rápida que menus pull-down, já que o usuário não precisa mover o mouse mais do que o necessário.
  • 17.
  • 18. REFERÊNCIA: PREECE, Jennifer; ROGERS, Yvonne; SHARP, Helen. Perguntando a usuários e especialistas. In: ____ . Design de interação: além da interação homem-computador. Porto Alegre: Bookman, 2005. Cap. 13, p. 411-449. PREECE, Jennifer; ROGERS, Yvonne; SHARP, Helen. Testando e modelando usuários. In: ____ . Dizem de interação: além da interação homem-computador. Porto Alegre: Bookman, 2005. Cap. 14, p. 451-481.