Lean Startup na Campus Party Brasil

5.244 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre Lean Startups na Campus Party Brasil 2010. (por @ericnsantos a convite da @aceleradora)

Publicada em: Negócios
1 comentário
19 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.244
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.473
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
19
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Agradecimentos, Apresentação e Background, Porque do tema Lean Startups
  • Até que o Marc Andreessen veio e ajudou nessa tarefa. (Product/Market Fit article)
  • O “Como” é onde o artigo do Marc Andreessen parou
  • Steve Blank assumiu essa tarefa, principalmente através do livro “The Four Steps to the Epiphany”
  • Modelo tradicional de desenvolvimento de uma Startup. Veio de um modelo da engenharia, mas que acabou virando referência para todas as outras funções.
  • Crença implícita ao modelo, derivada da autoconfiança do empreendedor. Vi isso pessoalmente em 3 Startups e em projetos da Praesto
  • Processo para colocar o cliente (mercado) no centro do desenvolvimento da Startup
  • Como Eric Ries levou esses conceitos para a indústria de software Web
  • A Lean Startup assume que ambos o Problema e a Solução são desconhecidos
  • Loop resumido. Objetivo é diminuir o tempo de cada iteração (rodada do ciclo)
  • Os dois “modus operandi” da Startup
  • Sean Ellis contribuiu no modelo para Startups Web, introduzindo o passo de Transition e técnicas concretas para se mensurar e chegar ao PMF
  • Processo de Customer Discovery do 4 Steps, mais apropriado ao caso de software para grandes corporações
  • Objetivos do Customer Discovery e do Customer Validation
  • Iterar em torno de MVPs o mais rápido possível
  • Dependendo do tipo de negócio, as atividades de aprendizado pendem mais para qualitativas do que para quantitativas
  • Quando as iterações não trazem resultado em direção ao PMF, pode ser necessário modificar o modelo de negócio. São chamados de pivôs pois esse movimento é amarrado ao aprendizado alcançado até o momento.
  • Pirâmide completa do Sean Ellis. Otimizar antes de escalar.
  • Nessa fase APMF, o uso de métricas para otimização do funil é importantíssimo. Modelo AARRR do Dave McClure
  • Lean Startup na Campus Party Brasil

    1. 1. Lean Startups @ericnsantos
    2. 2. A maioria das Startups fracassa
    3. 4. “ A única coisa que importa é chegar ao Product/Market Fit .”
    4. 5. Como ?
    5. 7. INSIGHT #1 Startups fracassam não por questões tecnológicas, mas por não conseguirem encontrar mercado (clientes) para o seu produto visionário
    6. 8. INSIGHT #2 O modelo tradicional de desenvolvimento da Startup não é adequado para lidar com esse principal componente de risco
    7. 9. Modelo tradicional de desenvolvimento de produtos inovadores
    8. 10. “ Build and they will come”
    9. 11. Problemas com o modelo tradicional <ul><li>- Onde estão os clientes? </li></ul><ul><li>- Foco na execução do plano </li></ul><ul><li>Escalada de gastos prematura </li></ul><ul><li>Modelo assume que o Problema e a Solução são conhecidos </li></ul>
    10. 12. A alternativa ao modelo tradicional
    11. 13. The Lean Startup (by Eric Ries) Customer Development + Agile Development + Commodity stack
    12. 14. A Lean Startup Problema: desconhecido Solução: desconhecida Hipóteses, experimentos, insights Dados, feedback, insights
    13. 15. Loop fundamental da Lean Startup
    14. 16. Unidade de progresso: Aprendizado validado sobre clientes &quot;Revenue is the best form of feedback--it's objective and you can spend it. Other forms are okay, but I prefer $$$.&quot; – Kent Beck
    15. 17. A promessa da Lean Startup é maximizar as chances de sucesso do empreendedor por: - velocidade de iteração - desenvolvimento guiado por fatos (métricas)
    16. 18. Os modos de operação da Startup antes e depois do Product/Market Fit
    17. 19. Os modos de operação da Startup antes e depois do Product/Market Fit By Sean Ellis
    18. 20. - Steve Blank: “Modelo de vendas repetível e escalável” A definição de Product/Market Fit por: - Sean Ellis: “40% dos seus usuários (clientes) ficariam muito desapontados se o seu produto não existisse”
    19. 21. O que fazer antes do Product/Market Fit
    20. 22. Levantar e testar hipóteses
    21. 23. Desenhar Modelo de Negócios
    22. 24. Identificar premissas mais importantes e questionáveis e testar através de Minimum Viable Products (MVP)
    23. 25. O Minimum viable product (MVP)
    24. 26. Exemplos de MVPs: - Campanha de Adwords com landing pages; - PPT para apresentação do Problema/Solução a potenciais clientes; - Primeira versão do software para testar adesão e retenção pelos usuários; - Outros...
    25. 27. Iterar até encontrar Product/Market Fit
    26. 28. Balancear aprendizado através de Análise Qualitativa (entrevistas, testes de usabilidade, etc.) e Análise Quantitativa (métricas, split-testing, etc.)
    27. 29. +Investigação <--------------------------> +Experimentação B2SB B2C (ad-based) B2B B2Gov B2C Nem todas Startups são iguais Modelo de Negócios dita as atividades de Customer Development
    28. 30. Modificando o modelo de negócio
    29. 31. Após Product/Market Fit
    30. 32. Subindo na Pirâmide
    31. 33. Métricas para Startups: Funil de Vendas (AARRR)
    32. 34. - Continuous Deployment - Split-testing - 5 Why´s - MDP - etc... Outras Técnicas das Lean Startups
    33. 35. Idéias-chave <ul><li>Startups fracassam não por questões tecnológicas, mas por não encontrarem mercado (clientes) para seu produto. </li></ul><ul><li>Fatos estão ‘fora do escritório’. Descreva e prove as hipóteses do modelo de negócio o quanto antes. </li></ul><ul><li>Até achar o Product/Market Fit, a Startup deve ter foco obsessivo no aprendizado e descobrimento (de forma Lean ) ao invés de execução e crescimento. </li></ul><ul><li>Ao achar Product/Market Fit, otimizar e depois escalar. </li></ul>
    34. 36. Obrigado! Mais em: www.manualdastartup.com.br Twitter: @ericnsantos

    ×