O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.
Fatores antinutricionais de ocorrência natural nos alimentos Nutrição Experimental
Conceitos gerais <ul><li>Natureza química variada </li></ul><ul><li>Não são contaminantes </li></ul><ul><li>Níveis de tole...
Objetos de estudo: <ul><li>Inibidores de tripsina e quimiotripsina </li></ul><ul><li>Inibidores de amilases </li></ul><ul>...
Nitratos <ul><li>Vegetais - fontes naturais de nitrato </li></ul><ul><ul><li>Fonte de nitrogênio para o crescimento das pl...
Oxalatos <ul><li>Freqüentemente encontrado em vegetais: espinafre, ruibarbo, acelga, beterraba, tomate, nozes e cacau  </l...
Fitatos <ul><li>Efeito na absorção mineral in vivo.  </li></ul><ul><li>O ácido fítico pode se complexar com proteínas e/ou...
Inibidores de enzimas digestivas - proteolíticos <ul><li>Inibidores  de tripsina e quimiotripsina </li></ul><ul><li>Presen...
<ul><li>Batata inglesa </li></ul><ul><li>- Inibem principalmente a quimiotripsina; </li></ul><ul><li>- Pouco resistente a ...
Inibidores não-proteolíticos <ul><li>Os  mais conhecidos são os  Inibidores de Amilases </li></ul><ul><li>Encontrado em vá...
Lectinas <ul><li>Definição de KOCOUREK:  </li></ul><ul><li>Lectinas são proteínas não pertencentes ao sistema imunológico,...
Propriedades biológicas <ul><li>São específicas em suas reações com grupos sangüíneos humanos. Usadas, para diferenciação ...
Mecanismo de ação desconhecido <ul><li>Ao serem ingeridas ligam-se às membranas das micro- vilosidades intestinais    deg...
Agentes bocígenos <ul><li>Substâncias nos alimentos capazes de interferir com o  funcionamento da glândula tireóide por in...
<ul><li>1949 – isolamento da substância bocígena  l-5-vinil-2-tiooxazolidona  em crucíferas </li></ul><ul><li>Administraçã...
Glicosídeos cianogênicos <ul><li>Muitas plantas são capazes de sintetizar compostos que liberam ácido cianídrico (HCN) qua...
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-736X2005000300009&script=sci_arttext
 
Taninos <ul><li>Polifenóis </li></ul><ul><li>Formam complexos com as proteínas, tornando-as insolúveis e inativando enzima...
Taninos <ul><li>Se ligam a outras macromoléculas , como o amido (CHUNG et al., 1998; GUZMÁN-MALDONADO et al., 2000).  </li...
A soja <ul><li>Inibidores de proteases </li></ul><ul><li>Lectinas </li></ul><ul><li>Saponinas </li></ul><ul><li>Processos ...
Extrusão <ul><li>  Defini-se como cozimento através de extrusão o processo no qual, amidos e/ou proteínas adquirem consist...
Quando os fatores antinutricionais são problema? <ul><li>Consumo prolongado ou repetitivo de um mesmo alimento </li></ul><...
Broto de samambaia <ul><li>Ptaquilosídeo </li></ul><ul><li>Risco aumentado de câncer </li></ul><ul><li>Ouro Preto: grande ...
 
 
<ul><li>Os valores nutricionais dos alimentos podem ser determinados por análises químicas, porém, a performance dos anima...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Ne fatores antinutricionais de ocorrência natural nos alimentos

11.517 visualizações

Publicada em

Ne fatores antinutricionais de ocorrência natural nos alimentos

  1. 1. Fatores antinutricionais de ocorrência natural nos alimentos Nutrição Experimental
  2. 2. Conceitos gerais <ul><li>Natureza química variada </li></ul><ul><li>Não são contaminantes </li></ul><ul><li>Níveis de tolerância desconhecidos </li></ul><ul><li>Presentes em alimentos de origem </li></ul><ul><ul><li>Vegetal </li></ul></ul><ul><ul><li>Menor quantidade, em alimentos de origem animal (ovos) </li></ul></ul><ul><li>Reduzem o valor nutritivo dos alimentos </li></ul><ul><ul><li>Interferem na digestibilidade, absorção ou utilização de nutrientes </li></ul></ul><ul><li>Se ingeridos em altas concentrações, podem acarretar em efeitos danosos à saúde (GRIFFITHS et al., 1998) </li></ul>
  3. 3. Objetos de estudo: <ul><li>Inibidores de tripsina e quimiotripsina </li></ul><ul><li>Inibidores de amilases </li></ul><ul><li>Lectinas </li></ul><ul><li>Agentes bocígemos </li></ul><ul><li>Glicosídeos cianogênicos </li></ul><ul><li>Taninos </li></ul><ul><li>Nitratos </li></ul><ul><li>Oxalatos </li></ul><ul><li>Fitatos </li></ul><ul><li>Avidina </li></ul>
  4. 4. Nitratos <ul><li>Vegetais - fontes naturais de nitrato </li></ul><ul><ul><li>Fonte de nitrogênio para o crescimento das plantas </li></ul></ul><ul><ul><li>Folhosos: mais de 70% do nitrato total ingerido (WALKER, 1975; GUADAGNIN, 2004). </li></ul></ul><ul><li>Transformação em nitrito pelo organismo. Pode originar cianoses   </li></ul><ul><li>Fontes: </li></ul><ul><li>Gergelim </li></ul><ul><li>Verduras (alface 230mg e epinafre 247mg) </li></ul><ul><li>Raízes (Beterraba 328mg e rabanete 260mg) </li></ul>
  5. 5. Oxalatos <ul><li>Freqüentemente encontrado em vegetais: espinafre, ruibarbo, acelga, beterraba, tomate, nozes e cacau </li></ul><ul><li>(KRAUSE & MAHAN, 1991; MASSEY et al., 1993) </li></ul><ul><li>Não pode ser metabolizado. Excretado na urina </li></ul><ul><ul><li>aumenta o risco da formação de cálculos de oxalato de cálcio nos rins (MANDEL, 1996; MASSEY et al., 1993) </li></ul></ul><ul><ul><li>Causa irritações na mucosa intestinal (ESPÍNDOLA, 1987). </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Interfere na absorção de cálcio, magnésio e zinco (POINTILLART, GUÉGUEN, 1992). </li></ul><ul><ul><li>Folhosos ricos em cálcio! </li></ul></ul><ul><li>Concentrações: </li></ul><ul><li>brócolis (60mg), couve-flor (50mg), couve (40mg), taioba (86mg), espinafre (822mg), chá preto (690mg)/100g </li></ul><ul><ul><li>Após 10min de fervura caem p ~5,4mg </li></ul></ul>
  6. 6. Fitatos <ul><li>Efeito na absorção mineral in vivo. </li></ul><ul><li>O ácido fítico pode se complexar com proteínas e/ou minerais essenciais (Cu+2, Zn+2, Fe+2, Fe+3, Mg+2 e Ca+2) </li></ul><ul><ul><li>Insolúveis no pH do intestino </li></ul></ul><ul><ul><li>< biodisponibilidade </li></ul></ul>
  7. 7. Inibidores de enzimas digestivas - proteolíticos <ul><li>Inibidores de tripsina e quimiotripsina </li></ul><ul><li>Presentes tanto em alimentos de origem animal como nos vegetais </li></ul><ul><ul><li>Vegetais:São os mais estudados e mais bem conhecidos </li></ul></ul><ul><ul><li>Leguminosas(feijão, soja, amendoim) </li></ul></ul><ul><ul><li>Cereais (trigo, centeio, cevada) </li></ul></ul><ul><ul><li>Tubérculos (batata inglesa) </li></ul></ul><ul><ul><li>Animais: clara dos ovos de várias espécies de aves </li></ul></ul><ul><li>OSBORNE e cols., 1920 </li></ul><ul><li>- Soja crua ou insuficientemente cozida </li></ul><ul><li>- Ratos não cresciam,podendo perder peso; </li></ul><ul><li>- Quando cozida promovia crescimento normal; </li></ul><ul><li>comprovou a existência de substâncias termolábeis capazes de inibir o crescimento em ratos . </li></ul><ul><li>Inibidores semelhantes aos isolados da soja foram também isolados de outras espécies de leguminosas (genero Phaseolus ) </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Batata inglesa </li></ul><ul><li>- Inibem principalmente a quimiotripsina; </li></ul><ul><li>- Pouco resistente a ação do calor </li></ul><ul><li>- São degradados pela pepsina. </li></ul><ul><li>Batata doce </li></ul><ul><li>- inibidor somente de tripsina; </li></ul><ul><li>Estudos demonstram que a incorporação de inibidor de tripsina em dietas contendo proteína pré-digerida ou aas livres produzia atraso no crescimento. </li></ul>Esses inibidores são um problema na dieta de seres humanos?
  9. 9. Inibidores não-proteolíticos <ul><li>Os mais conhecidos são os Inibidores de Amilases </li></ul><ul><li>Encontrado em vários tipos de cereais (trigo, cevada, aveia, milho, centeio, arroz), em sementes de leguminosas, na manga, e em algumas raízes </li></ul><ul><li>Relativamente estáveis a ação do calor e ativos contra  -amilases de animais e insetos; </li></ul><ul><li>Efeitos desses inibidores na digestão e utilização do amido  contraditórios!!! </li></ul>
  10. 10. Lectinas <ul><li>Definição de KOCOUREK: </li></ul><ul><li>Lectinas são proteínas não pertencentes ao sistema imunológico, porém capazes de reconhecer sítios específicos em moléculas e ligar-se reversivelmente a carboidratos, </li></ul><ul><li>Podem se ligar a certos componentes da membrana das células sanguíneas provocando hemaglutinação. </li></ul><ul><li>São encontradas em: </li></ul><ul><li>a) Variedade de espécies de plantas e animais; </li></ul><ul><li>b) Em maior quantidade em grãos de leguminosas e gramíneas </li></ul><ul><li>c) Cogumelos. </li></ul><ul><li>HOWARD ET AL., 1972: as funções são variadas e parecem ter relação com os estados de maturação e germinação das sementes </li></ul><ul><li>LIENER, 1976: parecem ter relação com os mecanismos de defesa da planta contra o ataque de fungos </li></ul>
  11. 11. Propriedades biológicas <ul><li>São específicas em suas reações com grupos sangüíneos humanos. Usadas, para diferenciação dos grupos sanguíneos (Sharon & Lis, 1972) </li></ul><ul><li>Agente mitogênico – provoca divisões celulares (mitose) em culturas de células </li></ul><ul><li>Reconhecimento de alguns tipos de células cancerígenas, inibindo a mitose </li></ul><ul><li>Lectina das sementes de soja são menos tóxicas do que as dos grãos de feijão </li></ul><ul><li>LECTINA DO FEIJÃO: </li></ul><ul><li>-Tipo A: hemaglutinização de sangue de coelho, bovino, humano AB, suíno, hamster </li></ul><ul><li>-Tipo B: todos os acima mencionados menos o de hamster e bovino </li></ul><ul><li>-Tipo C: aglutina só o bovino e de hamster </li></ul><ul><li>-Tipo D: somente o de hamster </li></ul><ul><li>Lectinas A e C: tóxicas aos ratos. Elimina-se a toxicidez com tratamento térmico </li></ul>
  12. 12. Mecanismo de ação desconhecido <ul><li>Ao serem ingeridas ligam-se às membranas das micro- vilosidades intestinais  degradação das células das vilosidades </li></ul><ul><li>Conseqüências </li></ul><ul><li>Perda da seletividade da membrana das células da mucosa </li></ul><ul><li>Bloqueio na absorção de certos nutrientes </li></ul><ul><li>Absorção de componentes que normalmente não entrariam na circulação sanguínea </li></ul><ul><li>Parte da própria lectina e toxinas de microorganismos podem ser absorvidas  efeito tóxico </li></ul><ul><li>Com a degradação das vilosidades  aceleração da renovação das mucosas  maior síntese do organismo  pode ocorrer perdas de substâncias celulares </li></ul><ul><li>Presença de lectina na dieta leva a alteração na microflora intestinal com grande proliferação de Escherichia coli </li></ul>
  13. 13. Agentes bocígenos <ul><li>Substâncias nos alimentos capazes de interferir com o funcionamento da glândula tireóide por inibição da captação normal de iodo </li></ul><ul><li>Alimentos que demonstraram esta propriedade: </li></ul><ul><ul><li>Nabo </li></ul></ul><ul><ul><li>Repolho </li></ul></ul><ul><ul><li>Pêssego </li></ul></ul><ul><ul><li>Pêra </li></ul></ul><ul><ul><li>Morango </li></ul></ul><ul><ul><li>Espinafre </li></ul></ul><ul><li>Plantas da família Crucifera : brócolis, couve-flor, couve-de-bruxelas </li></ul>
  14. 14. <ul><li>1949 – isolamento da substância bocígena l-5-vinil-2-tiooxazolidona em crucíferas </li></ul><ul><li>Administração de iodo inibe a ação desta substância </li></ul><ul><li>Tiocianato: agente bocígeno de plantas (brócolis, couve-flor, repolho), no entanto, a concentração sanguínea desta substâncias, em pessoas que se alimentam freqüentemente com estes alimentos, é bem inferior à concentração requeridas para induzir hipertrofia da tireóide </li></ul><ul><li>Sementes de oleaginosas (soja, amendoim) também apresentam substâncias capazes de estimular o crescimento anormal da tireóide </li></ul><ul><ul><li>Efeito eliminado pelo cozimento ou suplementação de iodo </li></ul></ul>Agentes bocígenos
  15. 15. Glicosídeos cianogênicos <ul><li>Muitas plantas são capazes de sintetizar compostos que liberam ácido cianídrico (HCN) quando o tecido vegetal é injuriado - Glicosídeos hidrolise HCN </li></ul><ul><li>Algumas leguminosas (Phaseolus lunatus) e mandioca </li></ul><ul><li>O íon CN- reage com o Ferro do radical Heme (Hb, citocromo e enzimas respiratórias), inibe transporte de elétrons e de gases = ASFIXIA </li></ul><ul><li>Eliminação por cocção, porém a eliminação do HCN não é total </li></ul><ul><li>Letal em altas e tóxicos em baixas doses </li></ul><ul><li>Sintomas </li></ul><ul><ul><li>Envenenamento agudo </li></ul></ul><ul><ul><li>Confusão mental </li></ul></ul><ul><ul><li>Paralisia muscular </li></ul></ul><ul><ul><li>Parada respiratória </li></ul></ul>
  16. 16. http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-736X2005000300009&script=sci_arttext
  17. 18. Taninos <ul><li>Polifenóis </li></ul><ul><li>Formam complexos com as proteínas, tornando-as insolúveis e inativando enzimas </li></ul><ul><li>Curiosidades: </li></ul><ul><li>Preparação de couro </li></ul><ul><li>Protege os vegetais contra o ataque de microorganismos </li></ul><ul><li>Fisiopatologia </li></ul><ul><li>Danos à mucosa intestinal e interferência na absorção de ferro, glicose, metionina e vitamina B12 </li></ul><ul><li>Câncer de esôfago, maior incidência Chung et al. (1998) </li></ul><ul><ul><li>Contudo, polifenóis (flavonóides) das uvas vermelho-roxas escuras, previnem o risco de doenças cardiovasculares (GEHM et al., 1997; JANG et al., 1997) </li></ul></ul><ul><li>Vinho tinto: ate 50X+ polifenóis que o branco </li></ul><ul><li>Gastroenterites e gomerulonefrites </li></ul><ul><li>Câncer renal e hepático </li></ul>
  18. 19. Taninos <ul><li>Se ligam a outras macromoléculas , como o amido (CHUNG et al., 1998; GUZMÁN-MALDONADO et al., 2000). </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Efeitos nos alimentos </li></ul><ul><li>Cor indesejável aos alimentos - reações de escurecimento enzimático </li></ul><ul><li>Diminuição da sua palatabilidade, devido à adstringência (Liener, 1994) </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Como agir... </li></ul><ul><li>Calor + água de descanço </li></ul><ul><li>Inativação mais eficiente por mergulho do alimento em água antes da preparação e desprezo da água de cozimento </li></ul>Ideal para brócolis e couve-flor
  19. 20. A soja <ul><li>Inibidores de proteases </li></ul><ul><li>Lectinas </li></ul><ul><li>Saponinas </li></ul><ul><li>Processos de eliminação: </li></ul><ul><li>Calor seco </li></ul><ul><li>Calor úmido </li></ul><ul><li>Extrusão (cozimento sob pressão) </li></ul>
  20. 21. Extrusão <ul><li>  Defini-se como cozimento através de extrusão o processo no qual, amidos e/ou proteínas adquirem consistência plástica e cozinham através da combinação de ações de umidade, pressão e temperatura. </li></ul>
  21. 22. Quando os fatores antinutricionais são problema? <ul><li>Consumo prolongado ou repetitivo de um mesmo alimento </li></ul><ul><ul><li>Estimular variabilidade alimentar </li></ul></ul><ul><li>Natureza e concentração do agente tóxico </li></ul><ul><li>- freqüência com que o alimento é ingerido </li></ul><ul><li>- tempo no qual o alimento vem sendo ingerido </li></ul><ul><li>- via de introdução no organismo </li></ul>
  22. 23. Broto de samambaia <ul><li>Ptaquilosídeo </li></ul><ul><li>Risco aumentado de câncer </li></ul><ul><li>Ouro Preto: grande consumo e incidência de câncer de esôfago e estômago </li></ul>Fonte: Rev. bras. cancerol ;44(3):225-9, jul.-set. 1998.
  23. 26. <ul><li>Os valores nutricionais dos alimentos podem ser determinados por análises químicas, porém, a performance dos animais é o melhor indicador do real valor nutritivo dos alimentos, pois estes podem conter fatores antinutricionais que interferem na digestibilidade, absorção e utilização dos nutrientes </li></ul>

×