Superjovens 15

91 visualizações

Publicada em

SuperJovens

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
91
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Superjovens 15

  1. 1. VII- Ações, campanhas e projetos de voluntariado CRONOGRAMAdas Ações de Intervenção: Ação 1- outubro 2014 - Gravidez na adolescência: “HELP! Estou grávida… E agora?”; Ação 2- outubro 2014 – Angariação de tampinhas: “Tampa-te a nós!”; Ação 3- dezembro 2014 – Violação dos direitos humanos: “Are we human or NOT?, em parceria com a Amnistia Internacional; Ação 4- Empreendedorismo Social: dezembro 2014 a outubro 2015 – criação de um negócio social de lavagem automóvel: “Reborn Project” (em parceria com a Casa do Vale da Crescer Ser):  dezembro 2014: vídeo para apresentação dos grupos de trabalho (SuperJovens e Jovens do Vale);  fevereiro 2015: jogo de futebol e jantar;  março 2015: jantar na Casa do Vale;  maio/junho 2015: formação para aquisição de competências sociais, pessoais e profissionais em colaboração com a Universidade de Psicologia e Ciências Sociais do Porto);  junho/julho 2015: formação técnica de lavagem automóvel e estágio profissional;  setembro/outubro 2015 :start-up da empresa de lavagem automóvel. Ação 5- fevereiro 2015 – angariação de bens não perecíveis para crianças: “In Love…com a Casa do Caminho” Ação 6- março 2015 – sensibilização para a institucionalização de crianças: “PrimaveraLove…by SuperJovens”. Como equipa de voluntários que somos, julgamos que a nossa conduta deve mudar um pouco do mundo. Assim, tudo o que fazemos vai nesse sentido. Como podemos ajudar a conviver com a diferença? Todas as nossas ações pretendem mostrar que todos somos diferentes, mas, ao mesmo tempo, iguais em direitos. Todos merecem ser respeitados nas suas diferenças. Ação 1: Gravidez na adolescência: “HELP! Estou grávida e agora?” 27 de outubro 2014
  2. 2. FICHA DA AÇÃO DE VOLUNTARIADO  Nome da ação: “HELP! Estou grávida e agora?”  Data (s) da ação: 27 de outubro de 2014  Local (/is) da ação: Escola Profissional Raul Dória  Objetivo da ação: sensibilizar os alunos para as consequências de uma gravidez precoce e motivar para o uso de métodos contracetivos.  Mecânica da ação: os alunos produziram cartazes para anunciar a ação de sensibilização, afixando-os na entrada da escola e nos diferentes pisos. Também realizaram outros elementos decorativos, como barriguinhas e balões de fala com palavras que retratavam o que as jovens mães sentiram, quando descobriram que estravam grávidas.  Meios utilizados na divulgação: página do facebook do grupo, cartazes de divulgação, através de circular, aos alunos da escola.  Entidades envolvidas na ação: Escola Raul Dória.  N.º de participantes da escola: aproximadamente 90 alunos, 4 funcionários e 14 professores.  Outros participantes envolvidos: palestrantes: psicóloga Cláudia Pereira e enfermeira Helena Faria.  N.º de beneficiários da ação:--- 27 de outubro 2014 No dia vinte e sete de outubro de 2014, das 10h15 às 13h30, decorreu, na nossa escola, uma palestra sobre a gravidez na adolescência. A planificação da atividade iniciou-se em meados de setembro, com a elaboração do projeto que iriamos desenvolver. Contactámos a professora e psicóloga do nosso estabelecimento de ensino, Cláudia Pereira, que, por sua vez, convidou a enfermeira Helena Faria para realizar a palestra juntamente com ela, já que considerámos que seria importante aflorar, não só as consequências a nível psicológico, como também as que surgem a nível físico.
  3. 3. Enquanto aguardávamos a calendarização por parte das palestrantes, dedicámo-nos à elaboração dos elementos decorativos, assim como do cartaz de divulgação da referida atividade. Para tal, contámos com a preciosa ajuda dos Superjovens, que realizaram uma barrigas, que no dia da palestra ficaram expostas nas paredes do rés-do-chão, junto ao auditório. Estes discentes souberam elaborar todos os pormenores do projeto inicial e o resultado ficou magnífico. No rés-do-chão da escola havia várias barrigas, em tons de cor-de-rosa e azul, bem como balões de fala, contendo palavras proferidas por jovens mães da nossa escola, vocábulos esses que representam o que lhes veio imediatamente à mente, quando souberam que esperavam um bebé. Essas palavras foram desenhadas por uma aluna do Tsec13, a Susana, e ficaram uma bela obra de arte. Chegado o dia, começámos, por volta das 08h30, a colocar os elementos decorativos em todo o espaço envolvente, bem como testámos todos os meios informáticos de que necessitávamos para a realização da atividade. Todos os alunos vestiram uma t-shirt, contendo os logótipos das ações de sensibilização já organizadas pelo grupo. As palestrantes chegaram por volta das 10h e a atividade iniciou à hora estipulada. Esta palestra decorreu em duas sessões, já que a logística não permitia que todos os alunos pudessem participar nela ao mesmo tempo. Assim, no primeiro grupo ficaram as turmas Ttur13 e Tsec13 e no segundo Tmark13 e Toe13. Duas alunas dos Superjovens foram às salas dos alunos que iriam assistir a esta atividade para convidá-los a participar, embora já todos estivessem previamente avisados. Os professores, que se encontravam a lecionar as referidas turmas, acompanharam os discentes e estiveram presentes durante a palestra, que durou sensivelmente 90 minutos cada uma. Uma iniciou-se às 10h15 e a outra às 12h.
  4. 4. As palestrantes utilizaram um powerpoint com diapositivos que afloravam os vários pontos que pretendiam desenvolver. A psicóloga referiu mais as consequências do foro psicológico, mostrando que, qualquer que seja o caminho que se siga, depois de uma gravidez confirmada, a vida muda radicalmente, associando-lhe muitas vezes, traumas que modificam os indivíduos envolvidos. Quanto à enfermeira, referiu as transformações a nível físico de uma gravidez, bem como as consequências de um aborto. Terminou a sua exposição, sublinhando que a melhor forma de evitar uma gravidez indesejada é usar métodos contracetivos. A exposição de ambas foi alternada, o que demonstrou coordenação e dinamismo. Na nossa ótica, souberam cativar os discentes e esclareceram muito bem sobre os caminhos possíveis de percorrer. Os alunos envolvidos na atividade tiveram um excelente comportamento e participaram ativamente. Ação 2: “Tampa-te a nós!” Outubro de 2014 FICHA DA AÇÃO DE VOLUNTARIADO  Nome da ação: “Tampa-te a nós!”  Data (s) da ação: outubro de 2014  Local (/is) da ação: Escola Profissional Raul Dória  Objetivo da ação: angariar tampinhas de plástico, com o intuito de ajudar uma jovem, que ficou tetraplégica, após uma cirurgia ao coração, na aquisição de material adaptado às suas necessidades.  Mecânica da ação: os alunos produziram cartazes para anunciar a recolha das tampinhas, afixando-os na entrada da escola e nos diferentes pisos. Também levaram alguns dos cartazes realizados para o exterior da escola, nomeadamente para cafés, restaurantes, sensibilizando as famílias a aderir a essa iniciativa. De seguida, colocaram caixas em cada sala de aula, instigando um concurso saudável entre turmas. A que conseguisse angariar um maior número, receberia um certificado de turma mais solidária. No final da primeira fase da campanha, uma vez que esta ação prolongar-se-á até ao final do
  5. 5. presente ano letivo, estas caixas foram recolhidas e os voluntários ficaram surpreendidos com a quantidade angariada. A turma vencedora foi a do 1º Turismo. Estas tampinhas angariadas foram entregues à Escola Secundária de Gondomar, já que também estavam a realizar esta ação para a mesma jovem.  Meios utilizados na divulgação: página do facebook do grupo, cartazes de divulgação, através de circular, aos alunos da escola.  Entidades envolvidas na ação: Escola Raul Dória, Escola Secundária de Gondomar e LIPPOR.  N.º de participantes da escola: aproximadamente 250 alunos, 10 funcionários e 30 professores.  Outros participantes envolvidos: encarregados de educação, professores e alunos da outra escola parceira nesta iniciativa .  N.º de beneficiários da ação: jovem Maria do Céu e família.  Para as ações de recolha:  Kilos de alimentos recolhidos:--------  Kilos de roupa recolhidos:--------  Kilos de brinquedos recolhidos:--------  Kilos de livros recolhidos: --------  Kilos de outros bens recolhidos. Tampinhas: 200Kg  Montante angariado (monetário):-------- Ao longo do ano letivo, mas com mais incidência no primeiro período, sensibilizámos toda a comunidade escolar para a angariação de tampinhas de plástico, com o fito de ajudar uma jovem de 17 anos, de Gondomar, que, devido a uma cirurgia simples ao coração, com 98% de probabilidade de sucesso, ficou completamente incapacitada. Os nossos discentes, apesar de não conhecerem pessoalmente a jovem em questão, ficaram muito sensibilizados com o que lhe aconteceu e quiseram ajudá-la. Então, contactámos o pai da Maria do Céu, a jovem que ficou paralisada, com o intuito de indagarmos sobre o que era mais preciso. O pai explicou-nos que tudo dependia do evoluir da situação, já que ainda se encontrava hospitalizada e continuaria por muito tempo. À partida, segundo o seu progenitor, a Maria do Céu iria precisar de cadeira de rodas elétrica, casa de banho adaptada, cama articulada, bem como uma série de outros produtos que são extremamente dispendiosos. Também nos informou do facto de alguns professores da escola que ela frequentava terem dinamizado e organizado
  6. 6. ações de angariação, com o objetivo de tornar a vida desta família um pouco menos dolorosa. Resolvemo-nos aliar a esta causa, já que emocionou muito os nossos jovens, pela proximidade de idades, constatando que a nossa condição humana é muito frágil, que somos seres humanos “tão pequenos”, e que, de repente, podemos ficar verdadeiramente “diferentes”. Num espaço temporal de dois meses, conseguimos angariar cerca de 200kg de tampinhas. Toda a comunidade escolar se envolveu completamente, assim como os agregados familiares dos nossos alunos e amigos, fazendo desta campanha um verdadeiro sucesso. Todos se “tamparam” a nós! Ação 3: “Are we human… or not?” 10 de dezembro de 2014 FICHA DA AÇÃO DE VOLUNTARIADO  Nome da ação: “Are we human… or not?”  Data (s) da ação: 10 de dezembro de 2014  Local (/is) da ação: Escola Profissional Raul Dória  Objetivo da ação: sensibilizar toda a comunidade escolar para o respeito dos direitos humanos e levá-los a denunciar situações que violem os mesmos.  Mecânica da ação: os alunos produziram cartazes para anunciar a ação de sensibilização, afixando-os na entrada da escola e nos diferentes pisos. Também realizaram outros elementos decorativos, contendo os principais direitos a que todos os seres humanos devem ter acesso. Para além disso, realizaram uma exposição com fotografias, tiradas por e com alunos da escola, denunciando violações dos direitos humanos. Para além disso, fizeram uma dramatização que visava demonstrar o quanto os seres humanos têm visto os seus direitos desrespeitados.  Meios utilizados na divulgação: página do facebook do grupo, cartazes de divulgação, através de circular, aos alunos da escola.  Entidades envolvidas na ação: Escola Raul Dória e Amnistia Internacional.  N.º de participantes da escola: aproximadamente 100 alunos, 3 funcionários
  7. 7. e 11 professores.  Outros participantes envolvidos: palestrante: Dr.ª Virgínia Silva, representante da Amnistia Internacional  N.º de beneficiários da ação:--- Em dezembro de 2014, no dia em que se comemorava os direitos humanos, fizemos uma ação de sensibilização, que denominamos: “Are we human…or not?”. Neste âmbito, no dia dez de dezembro de 2014, os Superjovens da Escola Profissional Raul Dória, em parceria com a Amnistia Internacional e sob a nossa coordenação, comemoraram o dia dos Direitos Humanos. Para além destas parcerias, também contaram com o apoio das turmas do 11ºano de Organização de Eventos (TOE), Secretariado (TSEC) e do 12ºano de Turismo (TTUR). A organização desta palestra iniciou-se no final do mês de outubro, através do contacto com a Amnistia Internacional. Após a confirmação da presença de um representante dessa instituição, começámos a delinear o programa, bem como a decoração do espaço envolvente. Os Superjovens e as professoras colaboradoras deram orientações do que queriam realizar e os alunos voluntários, das outras turmas já mencionadas, colocaram em prática as atividades que se iriam desenvolver. Assim, os discentes do 11º ano de Organização de Eventos trataram da decoração, desenhando símbolos, como a pomba, a balança, o livro, o mundo, onde colocariam os principais artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Para além disso, executaram também molduras, para a colocação desses símbolos, e um ecrã de televisão em tamanho gigante, a partir do qual decorreria toda a emissão da nossa atividade. Alguns discentes do 12ºano de Turismo, com a preciosa ajuda
  8. 8. da docente Marina Moreira, realizaram cartazes, contendo fotografias deles aludindo ao respeito pelo outro e consequentemente pelos Direitos Humanos. Os discentes do 11ºano de Secretariado, envolvidos nesta atividade, fizeram uma pesquisa sobre grandes homens que lutaram de forma acérrima e com perseverança pela conquista e respeito pelos direitos intrínsecos ao Homem. Tanto os alunos do 11ºano de Secretariado, como os e Organização de Eventos, ensaiaram uma dramatização sobre a contínua violação dos Direitos Humanos nos nossos dias (escravatura sexual de crianças, tráfico de mulheres, trabalho infantil, violação do direito à liberdade de expressão). No dia 9 de dezembro, a partir das 15h15, os alunos do 11ºano de Toe colocaram no auditório e no hall da escola os elementos decorativos realizados e organizaram o espaço físico onde iria decorrer toda a atividade, ou seja, o auditório. Às 17h, procedemos a um ensaio geral. Por volta das 9h15 do dia 10 de dezembro, concentrámos todos os alunos que teriam um papel importante nesta palestra e fizemos mais um ensaio. Às 10h25 começámos a nossa atividade, com todos os convidados presentes. Dois Superjovens fizeram a apresentação de todo o evento, que contou com a visualização de um videoclip da Beyoncé: “I was here”, dedicada aos Direitos Humanos, seguindo-se a dramatização (role play) com trechos ilustrativos de violações dos Direitos Humanos que se continuam a perpetuar no tempo. Seguiu-se, de imediato, a palestra da Drª Virgínia Silva, representante da Amnistia Internacional, que fez alusão à forma como essa instituição atua e como poderemos ajudar a atingir os objetivos a que essa organização se propõe. Após os agradecimentos pelo excelente comportamento e postura dos convidados, e depois da avaliação desta atividade, terminámos com a música: “We are the world”, para incentivarmos ao respeito, já que todos temos um contributo importantíssimo neste mundo e que pode marcar a diferença. Ação 4 Dezembro de 2014 : “Reborn Project” Como nos sentimos bem a espalhar sorrisos, pretendemos dar mais ao mundo, saindo da nossa zona de conforto. Então, em julho de 2014, resolvemos abraçar uma iniciativa da Fundação Porto Social, da Câmara Municipal do Porto, intitulada: Pontes
  9. 9. para o Futuro. Este projeto visava encontrar soluções para desafios lançados por instituições. Escolhemos o desafio da Casa do Vale, que é uma instituição que acolhe temporariamente rapazes entre os 12 e os 18 anos. Esta instituição pretendia ver solucionada uma problemática: a inclusão profissional dos jovens institucionalizados da Casa do Vale (da Crescer Ser), que se situa no Bairro Eng.º Machado Vaz, em Contumil. Deste modo, em formato pitch, apresentámos a nossa ideia à Crescer Ser: criar um negócio social (de lavagem automóvel) que permitisse a autonomização destes jovens, tendo em conta as suas características. Numa primeira fase, iríamos fornecer formação aos jovens acolhidos, quer de competências sociais, proporcionada pelos pares SuperJovens, quer de competências profissionais, concedida por profissionais do ramo de lavagem manual de automóveis, uma vez que a nossa solução se baseia na criação de um negócio social de lavagem manual de automóveis no local de trabalho do cliente, com produtos ecológicos e sem água. Fomos os vencedores deste desafio. Contudo, tivemos que apresentar, novamente em formato pitch e com a instituição a trabalhar connosco, o nosso projeto no auditório da Câmara Municipal do Porto, numa fase final, quando já só restavam 4 projetos. Não vencemos a final, enquanto prémio de empreendedor, mas fomos o projeto escolhido pelo público. Seguiu-se a fase seguinte e crucial para nós enquanto empreendedoras: a apresentação da nossa ideia a investidores que quisessem financiar o nosso projeto. Preparámos a nossa apresentação e conseguimos um investimento de 5000€ a partir de duas fundações que demonstraram interesse em apoiar o nosso negócio: a Fundação António da Mota e a Fundação EDP. Em dezembro 2014 começámos com a apresentação dos pares (os SuperJovens e os jovens da Casa do Vale), uma fase que denominamos de Cativação. Cada uma das partes envolvidas realizou um vídeo de apresentação em que cada um dos jovens dizia qual era o seu dom. Demonstraram, desde logo, muita vontade de se conhecerem. Também participámos no jantar de Natal da Casa do Vale, mas não envolvemos os Superjovens, uma vez que queríamos realizar um primeiro contacto com essa realidade. Ainda nesta primeira fase, um pouco mais tarde do que estava previsto, realizámos um jogo de futebol, no dia 19 de fevereiro. Achámos que seria uma excelente forma de “quebrar o gelo”, de reconhecimento, para podermos começar a trabalhar. Constatámos que foi um êxito, uma vez que fomentámos a interação entre os pares e proporcionámos momentos de descontração e de lazer. Após o jogo, seguiu-se um jantar na Casa do Vale, num ambiente de harmonia e alegria. Foi visível a empatia que se criou. Vamos iniciar em abril a segunda fase do projeto, que se prende com a aquisição/reforço de Competências de Desenvolvimento pessoal, social e profissional.
  10. 10. Esta formação terá uma duração de 7 semanas, uma vez por semana e com uma duração de 60 minutos e será levada a cabo por um grupo de trabalho da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto, que trabalhará, com os jovens da Casa do Vale (em colaboração com alunos voluntários do grupo dos SuperJovens), as competências necessárias antes da formação técnica e estágio profissional de lavagem automóvel. Em junho iniciaremos a 3ª fase, a de formação técnica, com Sessões de 60 minutos cada com um profissional do ramo da lavagem manual de automóveis. Os jovens acolhidos terão uma formação teórica de 8 horas, em que adquirirão as competências profissionais para colocarem em prática o seu negócio social. Após essa formação, os jovens da Casa do Vale realizarão um estágio profissional. Durante esse período, numa empresa de lavagem automóvel, os jovens colocarão em prática os conhecimentos adquiridos. No final, estarão preparados para pôr em marcha o seu negócio. Durante este período em que os jovens institucionalizados recebem a formação, os Superjovens continuarão a sua missão na Casa do Vale e ajudarão na comunicação/ divulgação da empresa. Prevê-se que, em outubro do corrente ano, os jovens da Casa do Vale comecem, a título experimental, já que este será o ano zero, a proceder à lavagem manual de automóveis no local de trabalho dos seus clientes, sempre supervisionados por um monitor da Casa do Vale, ou coadjuvados por um Superjovem. “A falta de amor é a maior de todas as pobrezas.” Madre Teresa de Calcutá Ação 5 12 de Fevereiro de 2015 – angariação de bens não perecíveis para crianças: “In Love…com a Casa do Caminho” No dia doze de fevereiro de 2015, das 08h30 às 17h30, decorreu, na Escola Raul Dória, a comemoração do Dia dos Namorados. A planificação da atividade iniciou-se em finais de janeiro, com a elaboração do projeto que iríamos desenvolver. A partir dessa altura, dedicámo-nos à escolha dos filmes românticos que poderíamos passar no auditório da escola. Optámos por: “Um Refúgio para a Vida”, por ser uma bela história de amor e também por fazer alusão à violência doméstica, ao “amor” obsessivo. Começámos, também, a elaboração de todos os elementos decorativos.
  11. 11. Para tal, contámos com a ajuda da turma Tsec13, alguns SuperJovens que se aliaram ao grupo já existente, que, para além da execução do projeto, aconselhou filmes e pormenores e realizaram a assessoria ao evento. Chegado o dia, e com o auxílio de alguns discentes da turma Tsec13, começámos, por volta das 08h30, a colocar os elementos decorativos em todo o espaço envolvente, incluindo o auditório, que já estava preparado, em termos de todos os elementos informáticos que esta atividade acarretava. Para além dos corações em papel, que espalhámos por todo o rés-do-chão, colocámos um painel decorativo com dois corações, para que pudessem tirar fotografias românticas, e, à porta do auditório pusemos duas mesas: uma para fazer a receção aos alunos e outra para a venda de pipocas, cuja receita reverteria para a aquisição de produtos para a Casa do Caminho. Como “bilhete” de entrada na nossa sala de cinema, solicitámos que cada discente trouxesse um produto para doar à Casa do Caminho. Apesar de iniciarmos com um atraso de 10 minutos, tudo decorreu dentro da normalidade. Os alunos envolvidos nas atividades tiveram um excelente comportamento, foram muito solidários e divertiram-se muito. A última sessão foi das 15h30 às 17h10. Depois, procedemos à organização do espaço físico onde decorreu a atividade e guardamos os produtos angariados, que correspondeu a cerca de 60kg, desde massa, arroz, açúcar, produtos de higiene, fraldas, papel higiénico, entre outros. Ação 6 19 e 20 de Março de 2015 – sensibilização para a institucionalização de crianças: “PrimaveraLove…by SuperJovens” Uma vez que no dia 20 de março, de 2015, se comemorava o Dia Internacional da Felicidade, os Superjovens da Escola Profissional Raul Dória, coordenados por nós, decidiram realizar algumas atividades, no sentido de celebrar, de uma forma marcante e feliz, esse dia. O objectivo primordial era lembrarmo-nos das 8500 crianças que se encontram institucionalizadas no nosso país e chegarmos até elas de alguma forma. Por um lado, iríamos decorar papagaios de papel (envolvendo alunos e agregado familiar, amigos, professores, funcionários e família na atividade) com mensagens de felicidade e lançá-los no dia 20 de março e, por outro, entregar pessoalmente um mega papagaio de papel a 5 instituições escolhidas por nós (Casa de Cedofeita; Mundos de Vida; Casa do Caminho; Obra do Frei Gil e Maristas) e passar uma tarde animada com algumas destas crianças.
  12. 12. Deste modo, a organização desta atividade começou no início de março, com o contacto com as instituições que se pretendia visitar e com a realização dos papagaios que queríamos lançar e que pretendíamos levar às instituições. Para além disso, também começámos a conceber um papagaio gigante que desejávamos colocar na entrada da escola. Assim, decidimos que cada aluno, professor e colaborador da nossa escola seria convidado a decorar um papagaio de papel e escrever uma mensagem de felicidade para uma das 8543 crianças (aproximadamente) que se encontram institucionalizadas atualmente em Portugal. Todos aderiram de uma forma excecional e o resultado final superou as nossas expectativas. No dia 19 de março, pelas 09h00, começou a entrega personalizada dos papagaios mensageiros e colocámos o papagaio gigante na entrada da escola. Este papagaio pretendia aludir a uma tradição inglesa “Talking Kites” e continha muitos smiles com palavras, em inglês, que nos remetem para a “Happiness”. A primeira instituição que recebeu o papagaio foi a Obra do Frei Gil. Por volta das 12h30, foi a vez da Casa de Cedofeita acolher o nosso papagaio e a nossa mensagem de felicidade. Às 14h30 estávamos na instituição Mundos de Vida, em Famalicão, que nos recebeu de uma forma muito entusiasta, fazendo-nos uma visita guiada às instituições, explicando-nos o funcionamento de todas as valências e convidando-nos a voltar. A tarde desse dia terminou da melhor forma possível, com a instituição Os Maristas, em Ermesinde, já que foi a única em que pudemos contactar diretamente com algumas das crianças e jovens acolhidos, realizando, em conjunto, a decoração de alguns papagaios com aquilo que os faz feliz. Foi notória a alegria nos rostos de todos eles, quer jovens, quer pessoal que lá trabalha e que dá o melhor de si. Constatámos que há uma entrega total a estas crianças e jovens e uma preocupação constante, mesmo em relação aos que já saíram da instituição para iniciar uma vida autónoma. Saímos de lá por volta das 18h30 com o coração cheio e com o sentido de missão cumprida com sucesso. No dia 20 de março, às 10h30, esperávamos a chegada da empresa que vinha entregar os balões com hélio e já com o papagaio mensageiro. No entanto, houve um atraso de 15 minutos. Já estávamos todos muito ansiosos. Por volta das 11 horas, lançámos, finalmente, esses papagaios mensageiros presos a balões na Praça da República, no Porto. Foi uma experiência muito emocionante e que contagiou alunos, professores e funcionários. Todos se divertiram muito a lançar o seu papagaio, principalmente devido à simbologia, já que, como já foi mencionado, para além de comemorar o Dia Internacional da Felicidade e a chegada da primavera, pretendia espalhar mensagens de felicidade. No final, os alunos realizaram um vídeo da
  13. 13. atividade com uma música dos D.A.M.A (autorização concedida pelo agente) e colocamos no Facebook da escola e dos SuperJovens. VIII- Descrição das acções extra realizadas

×