O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Banco do Brasil - Crédito Rural

250 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre Crédito Rural - Gerência de Assessoramento Técnico ao Agronegócio – GERAG SP. Jairo Andrade.

Publicada em: Economia e finanças
  • Seja o primeiro a comentar

Banco do Brasil - Crédito Rural

  1. 1. Crédito Rural Viçosa, 05 e 06 de dezembro de 2018 Jairo Andrade Silva Gallo Assessor de Agronegócios / Eng. Agrônomo M.S. Gerência de Assessoramento Técnico ao Agronegócio – GERAG SP
  2. 2. Compromisso Plano Safra 2018/2019 - Brasil Recursos para o setor produtivo do Agronegócio #público R$ 103 Bilhões
  3. 3. Compromisso BB em Minas Gerais Recursos para o Crédito Rural #público R$ 11,6 bilhões Plano Safra 2018/2019
  4. 4. Agricultura Familiar Agricultura Empresarial #público R$ 2,2 bilhões R$ 7,3 bilhões Médios Produtores R$ 2,1 bilhões Plano Safra 2018/2019
  5. 5. Custeio e Comercialização Investimento #público R$ 9,0 bilhões R$ 2,6 bilhões Plano Safra 2018/2019
  6. 6. Agronegócio do BB em Grandes Números R$ 179,8 bilhões de saldo em carteira 59,2% de participação do mercado (SNCR) 25,4% da carteira de crédito do BB 97,3% de municípios atendimentos Fonte: Análise de Desempenho – Dezembro/2016
  7. 7. População urbana > 80 milhões (2008) PIB > US$ 1 trilhão Indonésia México Japão Alemanha Espanha Itália Reino Unido França Área Agricultável > 30 milhões de ha Argentina Canadá Austrália Brasil China Índia Russia Estados Unidos Agronegócio no Mundo Principais Players
  8. 8. Bilhões de Pessoas Fonte: ONU (dez/2010). Elaboração:FIEP-Deagro Agronegócio no Mundo Aumento da demanda mundial por alimentos, fibras e energia
  9. 9. Potencial Brasileiro O A G R O N E G Ó C I O Fonte: Conab. Elaboração: BB
  10. 10. Agronegócio Nacional Fonte: Análise de Desempenho – Dezembro/2016  Suco de Laranja  Açúcar  Soja  Carne de Frango  Carne bovina  Café Exportação 1º Produção 1º  Suco de Laranja  Açúcar  Café 2º  Soja  Carne de Frango  Carne Bovina Geração de Empregos 21% das vagas do país 19 milhões de empregos 9 milhões “dentro da porteira”
  11. 11. Principais Fatores de Sucesso AGRONEGÓCIO BRASILEIRO - PROTAGONISMO NO MUNDO
  12. 12. Regulamentação – Crédito Rural O A G R O N E G Ó C I O  Fixa os fundamentos e define os objetivo;  Prevê recursos, estabelece ações e instrumentos da política agrícola. Lei 8.171 Política Agrícola  Finalidades  Condições Manual de Crédito Rural – MCR Aplicação de recursos financeiro do SNCR  Medidas de incentivo à produção de determinados produtos;  Volume de recursos destinados à agropecuária por ano-safra¹ com juros favorecidos; Panos Safra
  13. 13. Mercado Documentação Histórico Restrições Capital Caráter Capacidade Garantias Análise de Limite de Crédito Clima Preços Logística Local do Empreendiment o Capacidade de Pagamento Produtividade Margens Câmbio Análise da atratividade e viabilidade da operação de crédito RURAL Agronegócio no BB - Concessão do Crédito Rural
  14. 14. Custeio Renovável ABC Moderfrota Pronamp PCA INOVAGRO Pronaf Mais Alimentos PSICPR Seguro Agilidade Pronaf Custeio Liderança Capilaridade Parceria Crédito Modernidade Sustentável Segurança
  15. 15. As planilhas são configuradas por atividade produtiva, padrão edafoclimático e sistema produtivo (ex.: lavoura de soja, produto soja grãos, plantio direto ou convencional). Dados apurados pelo ATNC:  custos de produção  histórico de produtividade  histórico de preços recebidos Dados projetados pelo RTA:  custos projetados  produtividade esperada  preços projetados  rentabilidade esperada Sistema corporativo destinado à análise da atratividade dos empreendimentos agropecuários e fornecimento de parâmetros para a contratação das operações de crédito rural. Agronegócio no BB - Sistema RTA – Referencial Técnico Agropecuário
  16. 16. Expectativas Propostas de Valor Parceria Cliente (produtor rural) Agronegócio no BB - Rede ATNI – Modelo de Relacionamento Portal ATNI: sistema digital de propostas de custeio e investimento para empresas de assistência técnica. Plano Safra 2018/2019 - NOVIDADES
  17. 17. •Informações Cadastrais •Elaboração de Projetos •Assistência Técnica •Relatórios Para o cliente •Perícias •Avaliações de Bens •Fiscalizações Para o Banco Agronegócio no BB Rede ATNI – Serviços Previstos
  18. 18. Pequeno produtor: até R$ 415.000,00 (quatrocentos e quinze mil reais); Médio produtor: acima de R$ 415.000,00 (quatrocentos e quinze mil reais) até R$ 2.000.000,00 (dois milhões de reais); Grande produtor: acima de R$ 2.000.000,00 (dois milhões de reais). Plano Safra 2018/2019 - Beneficiários do Crédito Rural Produtor Rural (PF ou PJ) com RBA auferida estimada:Classificação
  19. 19. Agricultura Familiar Médios Produtores Agricultura Empresarial Plano Safra 2018/2019 – Linhas de Crédito
  20. 20. Linhas de Crédito Safra 2018/2019 Agricultura Familiar ENQUADRAMENTO:  Mínimo de 50 % da renda bruta familiar ser proveniente da agropecuária;  Ser proprietário, parceiro ou arrendatário  Não possuir área superior a 4 módulos fiscais  Renda bruta familiar dos últimos 12 meses até R$ 415.000,00 – sem rebates, admitindo-se excluir 10 mil da RBA com rendas fora da propriedade rural para produtor com RBA acima de 1 mil.  Tenha o trabalho familiar como predominante
  21. 21. Pronaf Agricultor Familiar #publica
  22. 22. Classificação do Porte do Produtor Rural Custeio * RBA de até R$ 415.000,00 RBA acima de R$ 415.000,00 até R$ 2.000.000,00 RBA acima de R$ 2.000.000,00 Pequeno Médio Grande (Para enquadrar no Pronamp a RBA está limitada a R$ 2.000.000,00) *RBA (Renda Bruta Anual)
  23. 23. MÓDULO FISCAL Cod Mun. Nome Mod. Fiscal (hectares) Area (Km2) 3104601 ASTOLFO DUTRA 30 159,1 3121902 DIVINÉSIA 30 118,4 3123304 DORES DO TURVO 28 231,3 3128402 GUARANI 30 264,8 3128808 GUIDOVAL 30 159,0 3129004 GUIRICEMA 30 294,4 3141603 MERCÊS 24 352,8 3151305 PIRAÚBA 30 144,0 3155801 RIO POMBA 30 251,8 3156304 RODEIRO 30 72,0 3161502 SÃO GERALDO 30 187,4 3165701 SENADOR FIRMINO 28 166,2 3169000 TOCANTINS 30 174,0 3169901 UBÁ 30 407,7 3171303 VIÇOSA 22 299,4 3172004 VISCONDEDO RIO BRANCO 30 242,0
  24. 24. PRONAF PRONAF - Conceito Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf): Programa de crédito criado em 1995 para atender reivindicação por políticas de desenvolvimento rural específicas para o segmento da Agricultura Familiar. Destina-se a estimular a geração de renda e melhorar o uso da mão de obra familiar, financiando empreendimentos rurais agropecuários e não agropecuários desenvolvidos em estabelecimentos rurais ou em áreas comunitárias próximas.
  25. 25. PRONAF Legislação Pronaf (*) Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário Conselho Monetário Nacional (CMN) Banco Central Manual de Crédito Rural (MCR) Capítulo 10 Ministério da Fazenda (MF) Sead(*) Plano Safra da Agricultura Familiar ELABORA E PROPÕE CONDIÇÕES E DIRETRIZES APROVA AS CONDIÇÕES E DIRETRIZES PUBLICA AS RESOLUÇÕES CMN DISSEMINA OFICIALMENTE AS RESOLUÇÕES
  26. 26. PRONAF Objetivo Pronaf: • fortalecer as atividades do agricultor familiar; • integrar a atividade familiar à cadeia produtiva do agronegócio; • elevar a renda no campo; • agregar valor à produção e à pequena propriedade rural. Pronaf Custeio - Agricultor Familiar: • financiar despesas normais de custeio da produção agrícola e pecuária do agricultor familiar; • financiar aquisição de animais para recria e engorda(*). (*) quando se tratar de empreendimento conduzido por produtor rural independente.
  27. 27. PRONAF Beneficiários • Produtores Rurais Familiares: o proprietários; o posseiros; o arrendatários; o parceiros; o assentados. • Pescadores e Aquicultores • Extrativistas • Silvicultores • Indígenas • Quilombolas Principais requisitos:  renda bruta anual familiar de até R$ 415 mil;  mão de obra familiar predominante;  propriedade de até 4 módulos fiscais;  Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) ativa;  no mínimo, 50% da renda originada do empreendimento familiar rural.
  28. 28. PRONAF Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) • Documento oficial que identifica e qualifica agricultores familiares. • Pré-requisito para acesso ao Pronaf e às demais políticas públicas relacionadas à agricultura familiar. • Somente pode ser emitida por entidades credenciadas pela Sead. • Tem validade máxima de dois anos. • Deve estar válida na contratação e renovação de financiamentos. • É preenchida eletronicamente, com dados transmitidos para a base de dados mantida e administrada pela Sead.
  29. 29. Pecuário Diretoria de Agronegócios Safra 2018/2019 #pública Agrícola PRONAF – Custeio: Pecuário
  30. 30. PRONAF Condições Negociais ENCARGOS Juros de 2,5% a.a. ou 4,6% a.a, a depender do empreendimento financiado $ PÚBLICO-ALVO Beneficiários do Pronaf com DAP ativa FINALIDADE Custeio das despesas normais de um ciclo produtivo Aquisição de insumos, defensivos, fertilizantes, ração para animais, sementes, animais para recria e engorda, etc. Custeio Agricultor Familiar
  31. 31. PRONAF Condições Negociais GARANTIAS São admitidas garantias pessoais (fiança) e/ou garantias reais (penhor) PRAZO De 1 a 3 anos, a depender do ciclo do empreendimento financiado TETO Até R$ 250 mil por mutuário por ano agrícola $ Custeio Agricultor Familiar
  32. 32. INVESTIMENTO: Pronaf Mais Alimentos
  33. 33. Critérios de Concessão Máquinas, Equipamentos e Implementos: - bens novos produzidos no Brasil e devem constar no cadastros da Secretaria da Agricultura Familiar (SAF) e bens novos importados, desde que não haja fabricação no Brasil de itens com a mesma função. - bens usados no valor de até R$ 165 mil para colheitadeira automotriz e de até R$ 80 mil para os demais casos, devendo ser nacionais, ter sido devidamente revisados e possuir certificado de garantia mínima de seis meses, emitido por concessionária ou revenda autorizada. Veículos - financiamentos destinados à aquisição de veículos novos tais como veículos de carga, automotores, elétricos ou de tração animal, adequados às condições rurais, inclusive caminhões, caminhões frigoríficos, isotérmicos ou graneleiros, caminhonetes de carga, reboques, semirreboques e motocicletas adaptadas à atividade rural. Devem constar no cadastro da Secretaria da Agricultura Familiar (http://maisalimentos.mda.gov.br/consulta-publica/listar) - deve ser apresentada comprovação técnica e econômica da sua necessidade pelo produtor rural, fornecida pelo técnico que elaborou o plano ou projeto, sempre que o veículo a ser financiado for automotor ou elétrico; - deve ser apresentada comprovação de seu pleno emprego nas atividades geradoras de renda do empreendimento durante, pelo menos, 120 dias por ano; Plano Safra 2018/2019 – PRONAF - Investimento
  34. 34. Pronaf Agroindústria: visem o beneficiamento, a armazenagem, o processamento e a comercialização da produção agropecuária, de produtos florestais e de extrativismo ou de produtos artesanais, e a exploração de turismo rural. Pronaf Florestal: sistemas agroflorestais em suas diversas espécimes de árvores, arbustos e palmeiras, geradoras de diferentes produtos, madeireiros e não madeireiros; Pronaf Mulher: financiamentos destinados a mulheres agricultoras, conforme projeto técnico ou proposta simplificada, independentemente de sua condição civil. Pronaf Programas Especiais – Jovem: financiamentos destinados a jovens agricultores(as). Pronaf Agroecologia: projetos específicos de sistemas de base agroecológica ou orgânicos Pronaf Eco: destinados a implantar, utilizar e/ou recuperar pequenos aproveitamentos hidroenergéticos, tecnologias de energia renovável, como o uso da energia solar, da biomassa, eólica, miniusinas de biocombustíveis, como estação de tratamentos de água, de dejetos e efluentes, compostagem e reciclagem. Plano Safra 2018/2019 – PRONAF - Investimento
  35. 35. Condições Negociais ENCARGOS Juros de 2,5% a.a. ou 4,6% a.a., a depender do empreendimento financiado $ PÚBLICO-ALVO Beneficiários do Pronaf com DAP ativa FINALIDADE Financiar bens ou serviços cujo desfrute se estenda por vários períodos da produção Implantação, ampliação ou modernização da estrutura de produção, de armazenagem, de transporte ou de serviços para a atividade rural. Pronaf Mais Alimentos INVESTIMENTO
  36. 36. Condições Negociais GARANTIAS São admitidas garantias pessoais (aval) e/ou garantias reais (penhor, hipoteca ou alienação fiduciária) PRAZO Até 10 anos, incluídos até 3 anos de carência** TETO R$ 165 mil por mutuário/ano agrícola* Pronaf Mais Alimentos $ ** Para motocicletas e caminhonetes de carga, o prazo é de até 5 anos, incluído até 1 ano de carência * Para suinocultura, avicultura, fruticultura, aquicultura e carcinicultura, o limite é de R$ 330 mil por mutuário/ano agrícola INVESTIMENTO
  37. 37. Pronaf Custeio Agricultor Familiar Plano Safra da Agricultura Familiar “Fortalecer o campo para desenvolver o Brasil” Possui 10 eixos de atuação, que se destinam, principalmente: • à segurança jurídica da terra e regularização fundiária; • ao seguro da produção; • ao fomento do serviço de assistência técnica e extensão rural; • à regulamentação da Lei da Agricultura Familiar; • ao apoio à: o agroecologia e agricultura orgânica; o comercialização da produção; o modernização produtiva. 2017-2020
  38. 38. Pronaf Custeio Agricultor Familiar Benefícios para a Sociedade Segurança Alimentar e Nutricional do País: responsável por mais de 50% dos alimentos consumidos pelos brasileiros Manutenção das famílias no campo em condições socioeconômicas favoráveis Promoção do desenvolvimento sustentável: reforço do uso racional da terra Redução das desigualdades sociais Fortalecimento da economia local de municípios que abrangem pequenas propriedades rurais
  39. 39. Pronaf Custeio Agricultor Familiar Benefícios para o Agricultor Familiar Ampliação da capacidade produtiva do empreendimento rural familiar Elevação da renda bruta anual familiar Financiamentos rurais diversos com condições diferenciadas Crédito com garantia de segurança: acesso a seguro agrícola e seguro de vida especializados, programa estruturado de garantia de preços na comercialização da produção e serviço diferenciado de assistência técnica e extensão rural
  40. 40. Pronaf Custeio Agricultor Familiar Benefícios para o Agricultor Familiar O Banco do Brasil é o maior parceiro do Agronegócio brasileiro, e não teria como ser diferente com a agricultura familiar. O BB está constantemente desenvolvendo mecanismos, ferramentas e serviços para otimizar o acesso ao crédito do Pronaf e melhorar a experiência dos clientes.
  41. 41. Pronaf Custeio Agricultor Familiar Benefícios para o Agricultor Familiar Diferenciais do BB: • processo de crédito ágil e simplificado, com liberação do crédito de custeio em poucos dias; • expertise reconhecida no mercado, amparada pelo amplo time de assessores de agronegócios espalhados por todo território brasileiro; • contrato simplificado e padronizado; • vinculação automatizada ao Proagro Mais; • vinculação e concessão automatizadas de PGPAF;
  42. 42. Pronaf Custeio Agricultor Familiar Benefícios para o Agricultor Familiar Diferenciais do BB: • possibilidade de contratação por intermédio dos Correspondentes Especializados Agro; • possibilidade de renovação automática das operações por até três safras; • disponibilização de seguro de vida prestamista diferenciado para os agricultores familiares; • extrato automatizado e consulta do vencimento futuro das operações, disponível em todos os canais de autoatendimento.
  43. 43. Pronaf Custeio Agricultor Familiar Mitigadores de Risco Proagro (Programa de Garantia da Atividade Agropecuária) De contratação obrigatória para o custeio agrícola no âmbito do Pronaf, funciona como seguro de produção caso ocorram perdas inesperadas na lavoura assegurada, garantindo a amortização de parcelas ou liquidação de operações de Pronaf, além de assegurar a renda para a manutenção do agricultor familiar. PGPAF (Programa de Garantia de Preços da Agricultura Familiar) De contratação automática e sem custo, garante a sustentação do preço de alguns dos principais produtos produzidos pela agricultura familiar. BB Seguro Vida Agricultura Familiar Seguro prestamista que, em caso de morte do agricultor familiar mutuário da operação de Pronaf, garante a quitação ou amortização da dívida com o Banco até o limite do capital segurado.
  44. 44. Pronaf Custeio Agricultor Familiar PGPAF O Programa de Garantia de Preços da Agricultura Familiar: • exige que o agricultor familiar possua DAP ativa; • garante a sustentação do preço de alguns dos principais produtos produzidos pela agricultura familiar; • sempre que o preço de comercialização da produção for inferior ao preço garantido, é concedido na forma de bônus sobre o saldo devedor amortizado ou liquidado até o vencimento da operação; • a concessão do bônus para o Pronaf Custeio é limitada a: o R$ 3,5 mil por agricultor familiar, por instituição financeira e em cada ano agrícola.
  45. 45. Pecuário Diretoria de Agronegócios Safra 2018/2019 #pública Agrícola CUSTEIO Pecuário Público-Alvo: Produtores rurais (pessoas físicas ou jurídicas) e cooperativas de produtores rurais e suas centrais, quando se tratar de exploração própria.
  46. 46. Classificação do Porte do Produtor Rural Custeio * RBA de até R$ 415.000,00 RBA acima de R$ 415.000,00 até R$ 2.000.000,00 RBA acima de R$ 2.000.000,00 Pequeno Médio Grande (Para enquadrar no Pronamp a RBA está limitada a R$ 2.000.000,00) *RBA (Renda Bruta Anual)
  47. 47. Conceito O Custeio Agrícola destina-se ao financiamento das despesas normais dos ciclos produtivos, financiando lavouras cultivadas e também a extração de produtos vegetais espontâneos; O Custeio Pecuário destina-se ao financiamento das despesas normais com a exploração da pecuária, a qualquer época do ano, como medicamentos, limpeza e reforma de pastagem, aquisição, retenção, entre outras. Custeio Condições de Contratação Análise cadastral do mutuário, aprovação de crédito, entrega dos documentos exigidos e apresentação de projeto ou proposta do proponente.
  48. 48. Custeio Agrícola e Pecuário Linhas de Financiamento Custeio Agrícola/Pecuário Empresarial Pronamp Custeio Pecuário FCO Rural Custeio Dissociado * Sujeito à disponibilidade orçamentária
  49. 49. Encargos Financeiros e Teto do Financiamento Custeio (*) FCO disponível para os estados do DF, GO, MS e MT; seu teto não concorre com os demais. (**) Taxa considerando bônus de adimplência. 7% a.a. R$ 3 Milhões 6% a.a. R$ 1,5 Milhão 7% a.a. R$ 3 Milhões A partir de 5,79% a.a.** R$ 3 Milhões A partir de 7,7% a.a. Sem teto de Financiamento Custeio Empresarial Custeio Pronamp Funcafé Custeio FCO Rural* Dissociado Taxas Livres Recursos não Controlados Recursos Controlados
  50. 50. Custeio Agrícola Proagro Mitigadores de Risco BB Seguro Agrícola Faturamento BB Seguro Agrícola Obrigatório para operações até R$ 300 mil e visa exonerar o produtor rural de obrigações financeiras, cuja liquidação seja dificultada pela ocorrência de fenômenos naturais, pragas e doenças. Seguro para cobrir eventuais perdas na lavoura decorrente de riscos climáticos no que diz respeito à perda de produção, excluída a qualidade do produto e fatores financeiros. Garante, além dos prejuízos causados a lavoura decorrentes de riscos climáticos, a proteção do faturamento do agricultor.
  51. 51. Finalidade: financiamento de despesas normais de atividade agrícola e pecuária, mediante orçamento, plano ou projeto. Encargos financeiros: MCR 6-2 e 6-4: 7% a.a. Teto: R$ 3 milhões. Prazo: Custeio agrícola: até 14 meses, exceto mandioca de 2 ciclos (2 anos); Custeio pecuário: até 1 ano, observadas as seguintes regras específicas: - aquisição de bovinos e bubalinos: para engorda em regime de confinamento: até 6 meses. - para recria e engorda em regime extensivo (quando o crédito abranger as duas finalidades na mesma operação): até 2 anos. - retenção de matrizes suínas, ovinas, caprinas e bovinas de leite: até 2 anos - aquicultura: até 2 anos, conforme ciclo produtivo. Plano Safra 2018/2019 - DEMAIS - Custeio
  52. 52. Prazo Custeio Agrícola Custeio não Alongável Custeio Alongável Recursos Controlados Até 14 meses, vencendo em até 60 dias após a colheita. Para mandioca de dois ciclos destinados a industrialização, o prazo é de até 24 meses Até 14 meses, podendo pagar em 4 parcelas
  53. 53. Prazo Custeio Agrícola Recursos não Controlados Custeio não Alongável Custeio Alongável Até 24 meses, vencendo em até 60 dias após a colheita Até 24 meses, podendo pagar em 4 parcelas
  54. 54. Prazos Custeio Pecuário Até 1 ano Despesas normais do ciclo produtivo dos animais Despesas com sais minerais, medicamentos, vacinas, limpeza e reforma de pastagem, fenação, silagem e formação de forrageira periódica para consumo dos animais próprios. Até 1 ano Aquisição de bovinos e bubalinos Aquisição para engorda em regime de confinamento com recursos não controlados. Até 6 meses Aquisição de bovinos e bubalinos Aquisição para engorda em regime de confinamento com recursos controlados.
  55. 55. Prazos Custeio Pecuário Até 2 anos Para recria e engorda em regime extensivo Somente quando o crédito abranger as duas finalidades na mesma operação. Até 2 anos Retenção de matrizes Retenção de matrizes suínas, ovinas, caprinas e bovinas de leite. Até2 anos Aquicultura Conforme o ciclo produtivo. Até18 5 dias Pesca Até 185 dias após o fim do período de defeso da espécie-alvo.
  56. 56. Médios Produtores ENQUADRAMENTO:  Ser proprietário, parceiro ou arrendatário;  Renda bruta anual até R$ 2.000.000,00, considerando neste limite toda a renda agropecuária e as demais rendas não agropecuárias  Nota: Excluída a obrigatoriedade de que 80% da renda ser proveniente da atividade agropecuária para enquadramento no programa. Plano Safra 2018/2019 - PRONAMP
  57. 57. Público: produtor rural proprietário, parceiro ou arrendatário, com RBA de até R$ 2 milhões. Finalidade: Financiamento das despesas normais de custeio e investimento da produção agrícola e pecuária; Valores: até R$ 1.500.000 para custeio e R$ 430.000 para investimento.; Juros: 6% a.a.; Limite: 100% do orçamento. Prazos: Custeio: pecuário até 01 ano e agrícola até 02 anos;. Investimento: até 8 anos com até 3 anos de carência. Itens Financiados: Vedada a contratação de operação de investimento para aquisição isolada de máquinas de equipamentos passíveis de financiamento no programa Moderfrota, bem como a aquisição de animais para reprodução ou cria. Plano Safra 2018/2019 - PRONAMP
  58. 58. Plano de Safra 2018/2019 - INVESTIMENTO Agricultura Empresarial
  59. 59. BB INVESTIMENTO MCR 6-2 Finalidade: financiamento para aquisição de bovinos e bubalinos para reprodução ou cria. Obs.: animais para recria e engorda devem ser financiados nas linhas de custeio. Encargos financeiros: 6% a.a. Teto/Limite: até 450 mil, 100% do valor proposto. Prazo: até 2 ano, sem carência. Plano Safra 2018/2019 - DEMAIS - Investimento
  60. 60. Finalidade: Apoiar e fomentar os setores da apicultura, aquicultura, avicultura, cunicultura, floricultura, fruticultura, palmáceas, horticultura, pesca, olivicultura, ovinos, caprinos, suinocultura, pecuária leiteira, recuperação de solos. Itens financiáveis: - corretivos agrícolas, instalação e modernização de benfeitorias, aquisição de equipamentos de uso geral, para manejo e contenção dos animais, investimentos necessários ao suprimento de água, alimentação e tratamento de dejetos, estocagem de insumos agropecuários. - reposição de matrizes bovinas ou bubalinas que tenham tido animais sacrificados em virtude de reação positiva a testes detectores de brucelose ou tuberculose - aquisição de matrizes e de reprodutores ovinos, caprinos e bovinos de leite. Valores: até R$ 880 mil; reposição de matrizes bovinas: R$ 400 mil. Coletivo: R$ 2.640 mil Encargos financeiros/Teto: 7% a.a., 100% do valor proposto. Prazos: até 10 anos com carência de até 3 anos. MODERAGRO Programa de Modernização da Agricultura e Conservação de Recursos Naturais
  61. 61. Finalidade: Crédito fixo para investimentos destinados a apoiar o desenvolvimento da agropecuária irrigada sustentável, econômica e ambientalmente, de forma a minimizar o risco na produção e aumentar a oferta de produtos agropecuários; Fomentar o uso de estruturas para produção em ambiente protegido, com o objetivo de aumentar a produtividade e qualidade das culturas; e proteger a fruticultura em regiões de clima temperado contra a incidência de granizo Valores: R$ 2.200.000 por ano agrícola e R$ 6.600.000 para empreendimento coletivo. Limite Financiável: 100% do investimento total; Encargos financeiros: de 7%. Prazos: até 10 anos incluído a carência de até 3 anos. MODERINFRA Programa de Incentivo à Irrigação e à Produção em Ambiente Protegido
  62. 62. PCA Programa para Construção e Ampliação de Armazéns Público-alvo: Produtores rurais, PF e PJ, de forma individual ou em grupo e suas cooperativas. Teto financiamento: • Armazenagem de Grãos: sem teto • Demais investimentos: até R$ 25 milhões Encargos financeiros: • Armazém com capacidade até 6.000 ton.: 5,25% a.a. • Demais investimentos: 6,0% a.a. Prazo de pagamento: até 15 anos, com até 3 anos de carência. Finalidade: O Programa para Construção e Ampliação de Armazéns (PCA) possibilita o financiamento de investimentos necessários à ampliação e à construção de novos armazéns.
  63. 63. INOVAGRO Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária Teto financiamento: individual: R$ 1.300.000 por beneficiário; coletivo: R$ 3.900.000. Encargos financeiros: 6,0% a.a.. Prazo de pagamento: • Matrizes e Reprodutores: até 5 anos, devendo o pagamento da primeira prestação ocorrer em até 12 meses após a contratação. • Demais Casos: até 10 anos, incluídos até 3 anos de carência. Finalidade: O Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária (Inovagro) possibilita o financiamento de investimentos necessários à incorporação de inovação tecnológica nas propriedades rurais, visando ao aumento da produtividade, à adoção de boas práticas agropecuárias e de gestão da propriedade rural, e à inserção competitiva dos produtores rurais nos diferentes mercados consumidores.
  64. 64. INOVAGRO Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária Itens financiados: • Implantação de sistemas para geração e distribuição de energia alternativa à eletricidade convencional, para consumo próprio, como a energia eólica, solar e de biomassa, observado que o projeto deve ser compatível com a necessidade de demanda energética da atividade produtiva instalada na propriedade rural; • Aquisição de material genético (sêmen, embriões e oócitos), provenientes de doadores com certificado de registro e avaliação de desempenho ou, alternativamente, para pecuária de corte, o certificado especial de identificação de produção - CEIP; • Itens que estejam em conformidade com os Sistemas de Produção Integrada Agropecuária PI-Brasil e Bem-Estar Animal, e aos Programas Alimento Seguro das diversas cadeias produtivas e Boas Práticas Agropecuárias da Bovinocultura de Corte e Leite, observado o disposto na seção "Teto de Financiamento" quando o projeto incluir financiamento de animais; • Construção, adequação e manutenção de instalações para manejo de animais, tais como: currais, cercas, bretes, cochos, embarcadores, bebedouros, pisos, baias, área de descanso dos animais e outros; • Aquisição e instalação de equipamentos para captação, distribuição e tratamento de água para os animais, incluindo poços artesianos; • Aquisição e instalação de sistemas de irrigação para forrageiras; • Aquisição de equipamentos de identificação de animais, tais como: microchip, brinco e outros; • Tanques de expansão, ordenhadeiras, sistema de automação de ordenha, medidores e analisadores de leite integrados, incluindo "robô" para ordenha voluntária; • Tratores, equipamentos e implementos agrícolas para produção, colheita e armazenagem de forragem, no limite de 30% do valor financiado; • Aquisição de botijões para armazenagem de material genético animal, Instalações e equipamentos para laboratórios de análises de qualidade do leite;
  65. 65. Oferta/Produção de Energia 26% Indústria 19% Desmatamento + Queimada 17%Agricultura 14% Transporte 13% Construções Comerc./Resid. 8% Resíduos/esgotos 3% Participação dos diferentes setores nas emissões de GEE (em carbono equivalente) Adaptado de: Arnaldo Carneiro Filho Assessor científico SAE-PR (Secretaria de Assuntos Estratégicos) INPA (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazonia) ABC Programa para Redução da Emissão de Gases de Efeito Estufa na Agricultura
  66. 66. como a Agropecuária emite .. Adaptado de: Luiz Adriano Maia Cordeiro Eng.Agr., D.S., Pesquisador, Embrapa Sede Departamento de Transferência de Tecnologia (DTT) CH4 - metano CO2 – dióxido de carbono N2O – óxido nitroso CO2 N2O CH4 N2O CO2 CH4 CH4 CO2 CH4 CH4 CH4 CH4 N2O CO2 CO2 N2O CH4
  67. 67. Lei 12.187 e Decreto 7.390 (PNMC) Planos Setoriais de Mitigação e Adaptação Desmatamento Amazônia Desmatamento Cerrado Agricultura Eficiência Energética Carvão na Siderurgia Outros Planos Setoriais 1. Recuperação de Pastagens Degradadas 2. Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) 3. Sistema de Plantio Direto (SPD) 4. Fixação Biológica do Nitrogênio (FBN) 5. Florestas Plantadas 6. Tratamento de Resíduos Animais Programa ABC no Brasil ...
  68. 68. ABC Programa para Redução da Emissão de Gases de Efeito Estufa na Agricultura FINALIDADES: ABC - Ambiental ABC - Integração ABC - Florestas ABC – Plantio Direto ABC - Recuperação ABC - Orgânico ABC – Tratamento de Dejetos Objetivos: Reduzir as emissões de gases de efeito estufa oriundas das atividades agropecuárias, o desmatamento, aumentar a produção agropecuária em bases sustentáveis, adequar as propriedades rurais à legislação ambiental, ampliar a área de florestas cultivadas e estimular a recuperação de áreas degradadas Encargos financeiros: taxa efetiva de juros prefixada de 5,25% (ABC Ambiental) 6,0% a.a. (Demais) ou taxa pós-fixada; Prazo de pagamento: Até 12 anos, com até 8 anos de carência (variável conforme os itens a serem financiados). Teto: até R$ 5.000.000,00, por ano agrícola.
  69. 69. Integração Lavoura-Pecuária-Floresta 1. LAVOURA-PECUÁRIA (Agropastoril) 2. PECUÁRIA-FLORESTA (Silvipastoril) 4. LAVOURA-FLORESTA (Silviagrícola) 4. LAVOURA-PECUÁRIA-FLORESTA (Agrossilvipastoril) Adaptado de: Luiz Adriano Maia Cordeiro Eng.Agr., D.S., Pesquisador, Embrapa Sede Departamento de Transferência de Tecnologia (DTT)
  70. 70. CO2 CO2 Pastagem Recuperada Pastagem Degradada Adaptado de: Luiz Adriano Maia Cordeiro Eng.Agr., D.S., Pesquisador, Embrapa Sede Departamento de Transferência de Tecnologia (DTT)
  71. 71.  implantação e melhoramento de sistemas de integração lavoura-pecuária, lavoura-floresta, pecuária-floresta ou lavoura-pecuária-floresta; Programa ABC – Finalidades ABC Integração
  72. 72. Quadro Resumo
  73. 73. Redução de taxas Plano Safra 2018/2019 - Brasil Finalidade 17/18 18/19 Custeio 2,5% a 5,5% 2,5% a 4,6% Investimento 2,5% a 5,5% 2,5% a 4,6% PRONAF – AGRICULTURA FAMILIAR  Taxas – redução das taxas dos principais programas em 0,9 ponto percentual.
  74. 74. Programa Agro Energia do Banco do Brasil #pública
  75. 75. Energia no Brasil  Hidroelétricas  Termoelétricas  Energia Nuclear  Petróleo  Gás Natural  Carvão Mineral  Biocombustível: etanol e biodiesel  Biomassa  Maremotriz  Energia solar  Energia eólica
  76. 76. Histórico  Crise hídrica de 2012  Lançamento do Plano Emergencial de Recuperação do Setor – Programa de Geração Distribuída  Apoio do Banco do Brasil – PROGRAMA AGRO ENERGIA ENERGIAS ALTERNATIVAS SOLAR EÓLICA BIOMASSA
  77. 77. Programa de Sustentabilidade do Banco do Brasil Objetivo: Financiamento da implantação de micro e/ou mini-usinas geradoras de energias alternativas renováveis, tais como energia solar, biomassa e eólica
  78. 78. Público-alvo Produtores rurais (PF e PJ) e cooperativas agropecuárias Características Negociais $ Itens Financiáveis Usinas geradoras de energia (micro ou mini) Demais itens necessários para instalação Finalidade Possibilitar a geração de créditos para compensação junto às empresas distribuidoras de energia; redução do custo de produção, autossuficiência na geração de energia; produção e utilização de energia limpa; transferência de tecnologia ao campo; manutenção da renda e ampliação dos negócios com o setor agropecuário
  79. 79. Agricultura Familiar PRONAF ECO: teto de R$ 165 mil, prazo total de até 10 anos e juros de 2,5% a.a. $ Agricultura Empresarial FCO RURAL: teto de R$ 30 milhões, prazo total de até 12 anos e juros de 5,86 a 6,76% a.a. INOVAGRO: teto de R$ 1,3 milhão, prazo total de até 10 anos e juros de 6,0% a.a. INVESTE AGRO: não há teto, prazo total de até 5 anos e juros livres. PRONAMP: teto de R$ 430 mil, prazo total de até 8 anos e juros de 6% a.a. Linhas de Crédito Cooperativas PRONAF AGROINDÚSTRIA: teto de R$ 35 milhões, prazo total de até 10 anos e juros de 4,6% a.a. PRODECOOP: teto de R$ 150 milhões, prazo total de até 10 anos e juros de 7% a.a.
  80. 80. Benefício s Redução do custo de produção com a compensação da energia elétrica produzida Possibilidade de regularização de passivos ambientais e correta destinação de dejetos oriundos da atividade agropecuária Geração de receita adicional para o produtor rural com a venda de biogás e demais fertilizantes/adubos orgânicos
  81. 81. Regulamentação Resoluções Normativas:  Resolução Normativa ANEEL nr. 482, de 12.04.2012  Resolução Normativa ANEEL nr. 687, de 20.10.2015
  82. 82. Banco do Brasil, o maior parceiro do agronegócio

×