SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
Baixar para ler offline
Hidrografia
As partes de um rio e seu curso
Partes de Rio
• Nascentes - conjunto de
córregos que formam o
início do rio.
• Curso – caminho do rio.
• Montante - sentido oposto
ao curso de rio.
• Jusante – sentido do curso
do rio.
• Confluência – quando 2
rios se juntam.
• Talvegue – parte mais
funda do leito.
• Foz – estuário, delta ou
misto.
Foz em delta Foz em estuário
RIOS - DRENAGEM
• Endorréica – rios que
correm para o interior.
• Exorréica – rios que correm
para os mares.
• Arréica – rios onde as
águas evaporam antes de
seguirem caminhos.
• Criptorréica – rios que são
absorvidos por estruturas
rochosas.
BACIAS HIDROGRÁFICAS
• Bacias – rios, lagos e
lençóis que sofrem
influencia da mesma
vertente topográfica.
• Rede – conjunto de
escoamento superficial.
• No Brasil:
– Rios volumosos.
– Cheias no verão.
– Drenagem exorréica.
– Maioria de planalto.
– Foz em estuário.
Rede hidrográfica
rica em rios, mas
pobre em lagos
O regime de
alimentação é
basicamente
pluvial-tropical
A grande maioria dos
rios brasileiros é
perene, ou seja,
nunca secam.
A hidrografia é bastante
utilizada como fonte de
energia, com predomínio
de rios de planaltos
BACIA AMAZÔNICA
• Maior bacia do mundo.
• Envolve Peru, Colômbia,
Equador, Venezuela, Guianas,
Bolívia e Brasil.
• Apresenta duas cheias anuais.
Seus afluentes provêm tanto do
hemisfério norte, quanto do
hemisfério sul.
• Principal rio é o Amazonas, que
nasce na Cordilheira dos
Andes(Peru), recebendo o nome
de Apurimac, em seguida,
Ucayali.
• É a Bacia que apresenta o maior
potencial hidroelétrico do país.
• Apresenta excelente potencial
para navegação desde Belém
até Manaus.
BACIA DO ARAGUAIA - TOCANTINS
• É a maior bacia totalmente
brasileira.
• É a terceira em potencial
hidrelétrico do país.
• Apresenta o Rio Araguaia
como seu principal afluente.
• Nasce em área de cerrados.
• Nascente em regime tropical
e tropical úmido.
• Passa por Goiás, mato grosso,
Tocantins, Maranhão, Pará.
• Usina hidrelétrica de Tucuruí,
no Pará que abastece o setor
ferrífero.
BACIA SÃO FRANCISCO
• Nasce na Serra da Canastra –
MG. (São Roque de Minas)
• Passa por Bahia, Pernambuco,
Alagoas e Sergipe.
• Rio da integração Nacional.
• Nasce na mata Atlântica, passa
pelo cerrado, Caatinga, Agreste
e Zona da Mata.(Rio Perene)
• É navegável no trecho de 1.370
Km que vai de Pirapora até
Juazeiro.(Eclusas)
• Rio de planalto com grande
aproveitamento hidrelétrico.
• Três Marias
• Sobradinho
• Paulo Afonso
• Xingo
Sistema de Eclusas
BACIA SÃO FRANCISCO
• Rio São F. recebe
investimentos na
agricultura, para
irrigação no semi-árido.
• Transposição do São
Francisco procura
transformar rios
intermitentes em rios
perenes.
• Intensificação da
agricultura sertaneja.
BACIA PLATINA
• A Bacia Platina é a
segunda maior bacia
hidrográfica do planeta. Se
estende pelo Brasil, Uruguai,
Bolívia, Paraguai e Argentina.
• É a que apresenta o maior
potencial hidrelétrico
instalado no Brasil. cerca de
60,9% das hidrelétricas em
operação.
• Sua posição geografia é
estratégica .
• É constituída pelas sub-
bacias dos rios Paraná,
Paraguai e Uruguai.
Bacia do Paraná
• O rio Paraná é o segundo
em extensão na América.
• Apresenta o maior
aproveitamento
hidrelétrico do Brasil,
abrigando a Usina de
Itaipu, entre outras.
• Sua navegabilidade e a de
seus afluentes vem sendo
aumentada pela
construção da hidrovia
Tietê-Paraná.
Bacia do Paraguai
• É basicamente formada por
rios de planície, que
atravessam a planície do
pantanal, sendo o Paraguai
o principal.
• Destaca-se por sua
navegabilidade possuindo
importantes portos fluviais,
por onde são
transportados gados de
corte, minérios e cereais
Bacia do Uruguai
• A bacia do Uruguai tem
um trecho planáltico,
com bom potencial
hidrelétrico. Porém com
pouco aproveitamento.
• É navegável no seu
médio e baixo curso
• O rio Uruguai nasce pela
fusão dos rios Canoas
(SC) e Pelotas (RS).
O Aqüífero Guarani
• É um reservatório de água
subterrânea.
• Trata-se de um conjunto de
rocha porosas por baixo do
nível do terreno com águas
em seus poros.
• O aqüífero é trans-
fronteiriço.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

RevisãO De Geografia
RevisãO De GeografiaRevisãO De Geografia
RevisãO De Geografiaguestbfdfd8
 
A hidrografia brasileira
A hidrografia brasileiraA hidrografia brasileira
A hidrografia brasileiraMaria da Paz
 
Hidrografia 6ªresumo
Hidrografia 6ªresumoHidrografia 6ªresumo
Hidrografia 6ªresumoedna2
 
Hidrografia geral e do Brasileira
Hidrografia geral e do Brasileira Hidrografia geral e do Brasileira
Hidrografia geral e do Brasileira Artur Lara
 
Bacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileirasBacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileirasWaender Soares
 
Hidrografia Brasileira
Hidrografia BrasileiraHidrografia Brasileira
Hidrografia Brasileiraelves0927
 
Bacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileirasBacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileirasCarlão Otavio
 
Bacias hidrográficas do Brasil
Bacias hidrográficas do BrasilBacias hidrográficas do Brasil
Bacias hidrográficas do BrasilGuilherme Drumond
 
Bacias hidrograficas- brasileiras
Bacias hidrograficas- brasileirasBacias hidrograficas- brasileiras
Bacias hidrograficas- brasileiraseunamahcado
 
As 10 Maiores Bacias Hidrográficas Do Mundo
As 10 Maiores Bacias Hidrográficas Do MundoAs 10 Maiores Bacias Hidrográficas Do Mundo
As 10 Maiores Bacias Hidrográficas Do MundoGoogle
 
Geografia do brasil - Hidrografia
Geografia do brasil - HidrografiaGeografia do brasil - Hidrografia
Geografia do brasil - HidrografiaTom Lima
 
Aula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasilAula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasilProfessor
 
Bacias hidrográficas
Bacias hidrográficasBacias hidrográficas
Bacias hidrográficasdennysosm
 

Mais procurados (20)

RevisãO De Geografia
RevisãO De GeografiaRevisãO De Geografia
RevisãO De Geografia
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
 
A hidrografia brasileira
A hidrografia brasileiraA hidrografia brasileira
A hidrografia brasileira
 
Hidrografia 6ªresumo
Hidrografia 6ªresumoHidrografia 6ªresumo
Hidrografia 6ªresumo
 
Hidrografia geral e do Brasileira
Hidrografia geral e do Brasileira Hidrografia geral e do Brasileira
Hidrografia geral e do Brasileira
 
Hidrografia e bacias hidrográficas 2013
Hidrografia e bacias hidrográficas 2013Hidrografia e bacias hidrográficas 2013
Hidrografia e bacias hidrográficas 2013
 
Hidrografia e bacias hidrográficas 2013
Hidrografia e bacias hidrográficas 2013Hidrografia e bacias hidrográficas 2013
Hidrografia e bacias hidrográficas 2013
 
Bacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileirasBacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileiras
 
Hidrografia Brasileira
Hidrografia BrasileiraHidrografia Brasileira
Hidrografia Brasileira
 
Hidrografia do Brasil
Hidrografia do Brasil   Hidrografia do Brasil
Hidrografia do Brasil
 
Bacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileirasBacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileiras
 
Hidrografia 1220403083710955-8
Hidrografia 1220403083710955-8Hidrografia 1220403083710955-8
Hidrografia 1220403083710955-8
 
Bacias hidrográficas do Brasil
Bacias hidrográficas do BrasilBacias hidrográficas do Brasil
Bacias hidrográficas do Brasil
 
Bacias hidrograficas- brasileiras
Bacias hidrograficas- brasileirasBacias hidrograficas- brasileiras
Bacias hidrograficas- brasileiras
 
As 10 Maiores Bacias Hidrográficas Do Mundo
As 10 Maiores Bacias Hidrográficas Do MundoAs 10 Maiores Bacias Hidrográficas Do Mundo
As 10 Maiores Bacias Hidrográficas Do Mundo
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
 
Geografia do brasil - Hidrografia
Geografia do brasil - HidrografiaGeografia do brasil - Hidrografia
Geografia do brasil - Hidrografia
 
Aula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasilAula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasil
 
Bacias hidrográficas
Bacias hidrográficasBacias hidrográficas
Bacias hidrográficas
 
Bacias hidrográficas do Brasil
Bacias hidrográficas do BrasilBacias hidrográficas do Brasil
Bacias hidrográficas do Brasil
 

Semelhante a Partes de rios, bacias hidrográficas e principais sistemas no Brasil

Bacias hidrograficas
Bacias hidrograficasBacias hidrograficas
Bacias hidrograficasERLANDIEGO
 
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas BrasileirasHidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas BrasileirasSaulo Lucena
 
Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...
Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...
Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...Saulo Lucena
 
Bacia Hidrográfica do São Francisco
Bacia Hidrográfica do São FranciscoBacia Hidrográfica do São Francisco
Bacia Hidrográfica do São FranciscoNaira Delazari
 
Hidografia geral e do brasil
Hidografia geral e do brasilHidografia geral e do brasil
Hidografia geral e do brasilgeochp
 
Bacia do são francisco
Bacia do são franciscoBacia do são francisco
Bacia do são franciscoMarcos Paulo
 
BACIA HIDROGRÁFICA TOCANTINS - ARAGUAIA 2° Ano B
BACIA HIDROGRÁFICA TOCANTINS - ARAGUAIA  2° Ano BBACIA HIDROGRÁFICA TOCANTINS - ARAGUAIA  2° Ano B
BACIA HIDROGRÁFICA TOCANTINS - ARAGUAIA 2° Ano BConceição Fontolan
 
Bacia do Rio São francisco
Bacia do Rio São francisco Bacia do Rio São francisco
Bacia do Rio São francisco Kaique Dadalto
 
1°ano Hidrografia.ppt
1°ano Hidrografia.ppt1°ano Hidrografia.ppt
1°ano Hidrografia.pptRosaCarvalho50
 
Rio são francisco
Rio são francisco Rio são francisco
Rio são francisco Rogerio Melo
 
áGuas continentais do brasil
áGuas continentais do brasiláGuas continentais do brasil
áGuas continentais do brasilWander Junior
 
Bacias hidrográficas
Bacias hidrográficasBacias hidrográficas
Bacias hidrográficasIPA Metodista
 
2 ano medio 2 bimestre modulo 38 a 40 2013
2 ano medio 2 bimestre modulo 38 a 40 20132 ano medio 2 bimestre modulo 38 a 40 2013
2 ano medio 2 bimestre modulo 38 a 40 2013Priscila Martins
 

Semelhante a Partes de rios, bacias hidrográficas e principais sistemas no Brasil (20)

hidrografia do brasil
hidrografia do brasil hidrografia do brasil
hidrografia do brasil
 
Hidrografia.ppt
Hidrografia.pptHidrografia.ppt
Hidrografia.ppt
 
Perfil hídrico brasileiro
Perfil hídrico brasileiroPerfil hídrico brasileiro
Perfil hídrico brasileiro
 
Bacias hidrograficas
Bacias hidrograficasBacias hidrograficas
Bacias hidrograficas
 
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas BrasileirasHidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
 
Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...
Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...
Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
 
Bacia Hidrográfica do São Francisco
Bacia Hidrográfica do São FranciscoBacia Hidrográfica do São Francisco
Bacia Hidrográfica do São Francisco
 
A Bacia Amazônica
 A Bacia Amazônica A Bacia Amazônica
A Bacia Amazônica
 
Hidografia geral e do brasil
Hidografia geral e do brasilHidografia geral e do brasil
Hidografia geral e do brasil
 
Bacias Hidrográficas
Bacias HidrográficasBacias Hidrográficas
Bacias Hidrográficas
 
Hidrografia do brasil
Hidrografia do brasilHidrografia do brasil
Hidrografia do brasil
 
Bacia do são francisco
Bacia do são franciscoBacia do são francisco
Bacia do são francisco
 
BACIA HIDROGRÁFICA TOCANTINS - ARAGUAIA 2° Ano B
BACIA HIDROGRÁFICA TOCANTINS - ARAGUAIA  2° Ano BBACIA HIDROGRÁFICA TOCANTINS - ARAGUAIA  2° Ano B
BACIA HIDROGRÁFICA TOCANTINS - ARAGUAIA 2° Ano B
 
Bacia do Rio São francisco
Bacia do Rio São francisco Bacia do Rio São francisco
Bacia do Rio São francisco
 
1°ano Hidrografia.ppt
1°ano Hidrografia.ppt1°ano Hidrografia.ppt
1°ano Hidrografia.ppt
 
Rio são francisco
Rio são francisco Rio são francisco
Rio são francisco
 
áGuas continentais do brasil
áGuas continentais do brasiláGuas continentais do brasil
áGuas continentais do brasil
 
Bacias hidrográficas
Bacias hidrográficasBacias hidrográficas
Bacias hidrográficas
 
2 ano medio 2 bimestre modulo 38 a 40 2013
2 ano medio 2 bimestre modulo 38 a 40 20132 ano medio 2 bimestre modulo 38 a 40 2013
2 ano medio 2 bimestre modulo 38 a 40 2013
 

Mais de Eponina Alencar

Mais de Eponina Alencar (20)

5 aula população - 2ª ano
5 aula   população - 2ª ano5 aula   população - 2ª ano
5 aula população - 2ª ano
 
Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
 
Introdução a sociologia
Introdução a sociologiaIntrodução a sociologia
Introdução a sociologia
 
Emgeo11003
Emgeo11003Emgeo11003
Emgeo11003
 
Emgeo01004
Emgeo01004Emgeo01004
Emgeo01004
 
Emgeo01003
Emgeo01003Emgeo01003
Emgeo01003
 
Emgeo01002
Emgeo01002Emgeo01002
Emgeo01002
 
Emgeo01001
Emgeo01001 Emgeo01001
Emgeo01001
 
Bacias hidrogrficas do brasil
Bacias hidrogrficas do brasilBacias hidrogrficas do brasil
Bacias hidrogrficas do brasil
 
Aula i bimestre 1 ano
Aula i bimestre   1 anoAula i bimestre   1 ano
Aula i bimestre 1 ano
 
áGuas continentais e solos 3 etapa
áGuas continentais e solos   3 etapaáGuas continentais e solos   3 etapa
áGuas continentais e solos 3 etapa
 
1 médio 2ªetapa
1 médio   2ªetapa1 médio   2ªetapa
1 médio 2ªetapa
 
Arte na sociedade industrial
Arte na sociedade industrialArte na sociedade industrial
Arte na sociedade industrial
 
Galeria de imagens - Estudo da arte
Galeria de imagens - Estudo da arteGaleria de imagens - Estudo da arte
Galeria de imagens - Estudo da arte
 
Arte ensino médio slide 1
Arte ensino médio  slide 1Arte ensino médio  slide 1
Arte ensino médio slide 1
 
Arte 2 médio slide
Arte 2 médio   slideArte 2 médio   slide
Arte 2 médio slide
 
Arte 1 médio slide
Arte 1 médio slideArte 1 médio slide
Arte 1 médio slide
 
Impactos ambientais urbanos
Impactos ambientais urbanosImpactos ambientais urbanos
Impactos ambientais urbanos
 
Ensino religioso
Ensino religiosoEnsino religioso
Ensino religioso
 
Industrialização e urbanização brasileira 7 ano
Industrialização e urbanização brasileira 7 anoIndustrialização e urbanização brasileira 7 ano
Industrialização e urbanização brasileira 7 ano
 

Último

ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimWashingtonSampaio5
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzparte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzAlexandrePereira818171
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 

Último (20)

ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzparte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 

Partes de rios, bacias hidrográficas e principais sistemas no Brasil

  • 2.
  • 3.
  • 4. As partes de um rio e seu curso
  • 5. Partes de Rio • Nascentes - conjunto de córregos que formam o início do rio. • Curso – caminho do rio. • Montante - sentido oposto ao curso de rio. • Jusante – sentido do curso do rio. • Confluência – quando 2 rios se juntam. • Talvegue – parte mais funda do leito. • Foz – estuário, delta ou misto.
  • 6. Foz em delta Foz em estuário
  • 7. RIOS - DRENAGEM • Endorréica – rios que correm para o interior. • Exorréica – rios que correm para os mares. • Arréica – rios onde as águas evaporam antes de seguirem caminhos. • Criptorréica – rios que são absorvidos por estruturas rochosas.
  • 8. BACIAS HIDROGRÁFICAS • Bacias – rios, lagos e lençóis que sofrem influencia da mesma vertente topográfica. • Rede – conjunto de escoamento superficial. • No Brasil: – Rios volumosos. – Cheias no verão. – Drenagem exorréica. – Maioria de planalto. – Foz em estuário.
  • 9. Rede hidrográfica rica em rios, mas pobre em lagos O regime de alimentação é basicamente pluvial-tropical A grande maioria dos rios brasileiros é perene, ou seja, nunca secam. A hidrografia é bastante utilizada como fonte de energia, com predomínio de rios de planaltos
  • 10.
  • 11. BACIA AMAZÔNICA • Maior bacia do mundo. • Envolve Peru, Colômbia, Equador, Venezuela, Guianas, Bolívia e Brasil. • Apresenta duas cheias anuais. Seus afluentes provêm tanto do hemisfério norte, quanto do hemisfério sul. • Principal rio é o Amazonas, que nasce na Cordilheira dos Andes(Peru), recebendo o nome de Apurimac, em seguida, Ucayali. • É a Bacia que apresenta o maior potencial hidroelétrico do país. • Apresenta excelente potencial para navegação desde Belém até Manaus.
  • 12. BACIA DO ARAGUAIA - TOCANTINS • É a maior bacia totalmente brasileira. • É a terceira em potencial hidrelétrico do país. • Apresenta o Rio Araguaia como seu principal afluente. • Nasce em área de cerrados. • Nascente em regime tropical e tropical úmido. • Passa por Goiás, mato grosso, Tocantins, Maranhão, Pará. • Usina hidrelétrica de Tucuruí, no Pará que abastece o setor ferrífero.
  • 13. BACIA SÃO FRANCISCO • Nasce na Serra da Canastra – MG. (São Roque de Minas) • Passa por Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe. • Rio da integração Nacional. • Nasce na mata Atlântica, passa pelo cerrado, Caatinga, Agreste e Zona da Mata.(Rio Perene) • É navegável no trecho de 1.370 Km que vai de Pirapora até Juazeiro.(Eclusas) • Rio de planalto com grande aproveitamento hidrelétrico. • Três Marias • Sobradinho • Paulo Afonso • Xingo
  • 15. BACIA SÃO FRANCISCO • Rio São F. recebe investimentos na agricultura, para irrigação no semi-árido. • Transposição do São Francisco procura transformar rios intermitentes em rios perenes. • Intensificação da agricultura sertaneja.
  • 16.
  • 17. BACIA PLATINA • A Bacia Platina é a segunda maior bacia hidrográfica do planeta. Se estende pelo Brasil, Uruguai, Bolívia, Paraguai e Argentina. • É a que apresenta o maior potencial hidrelétrico instalado no Brasil. cerca de 60,9% das hidrelétricas em operação. • Sua posição geografia é estratégica . • É constituída pelas sub- bacias dos rios Paraná, Paraguai e Uruguai.
  • 18. Bacia do Paraná • O rio Paraná é o segundo em extensão na América. • Apresenta o maior aproveitamento hidrelétrico do Brasil, abrigando a Usina de Itaipu, entre outras. • Sua navegabilidade e a de seus afluentes vem sendo aumentada pela construção da hidrovia Tietê-Paraná.
  • 19. Bacia do Paraguai • É basicamente formada por rios de planície, que atravessam a planície do pantanal, sendo o Paraguai o principal. • Destaca-se por sua navegabilidade possuindo importantes portos fluviais, por onde são transportados gados de corte, minérios e cereais
  • 20. Bacia do Uruguai • A bacia do Uruguai tem um trecho planáltico, com bom potencial hidrelétrico. Porém com pouco aproveitamento. • É navegável no seu médio e baixo curso • O rio Uruguai nasce pela fusão dos rios Canoas (SC) e Pelotas (RS).
  • 21. O Aqüífero Guarani • É um reservatório de água subterrânea. • Trata-se de um conjunto de rocha porosas por baixo do nível do terreno com águas em seus poros. • O aqüífero é trans- fronteiriço.