SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
REUNIÃO DE BALANÇO DE 2012

                                                                 É tempo de ver, parar e revisar
                                                                 Ver a vida que está se levando
                                                                Então concluir e se comprometer
                                                                Com o amor que está te faltando
                                                                                (Pe. Jonas Abib)


Quando a gente vê já passou o dia, já foi a semana, um mês, o ano. Novamente nos deparamos
com o sagrado dever de realizar nossa Reunião de Balanço.
A função dela é primeiro de sermos autênticos conosco mesmo, pois jamais podemos enganar a
nós mesmos e nos esconder do que é íntimo e verdadeiro dentro de nós. É um olhar para nós
mesmos sem mascaras ou falsas desculpas. Muitos levam a vida sem muitos questionamentos.
Pode até parecer mais cômodo levar a vida sem muitas reflexões. A reflexão autentica sobre si
leva ao autoconhecimento, principio básico do crescimento é o “conhece-te a ti mesmo”. Pessoas
que não fazem isso são aquelas pessoas que encontramos depois de anos e tudo permanece
igual. Podem até terem conquistado algum bem material, mas não houve evolução, ou
crescimento interior.
Nas equipes de Nossa Senhora o risco ainda é maior, pois o equipista que não se auto avalia.
Que não valoriza um retiro como a oportunidade de crescimento interior, que vive fingindo que
está progredindo através dos pontos concretos de esforço, quando na verdade de um ano a outro
não se nota crescimento algum nele, tem alguma coisa errada? Como podem viver na equipe e
ainda continuar os mesmos? É preciso um esforço para que todo bem que a equipe nos oferece
pelos pontos concretos de esforço não seja “ perola atirada a porcos”(cf Mt7,6) mas seja alimento
salutar que nos sustenta e leva-nos continuamente a crescer em todos os sentidos, ate a
maturidade de Cristo.

A segunda função da Reunião de Balanço é também “pedir perdão a equipe pelo peso com que a
sobrecarregamos”.
“As Equipes de Nossa Senhora desejam ajudar os casais unidos pelo matrimônio a viver
plenamente segundo o Evangelho, com o suporte dos membros de uma equipe e a força
do Movimento como um todo..” (Guia das Equipes de Nossa Senhora – V - 2000)

A vida de equipe é como uma engrenagem, só funciona se houver harmonia, estabelecida nas
relações fraternas vivenciadas, sobretudo nos momentos de encontros formais ou não. A equipe
é minha segunda família, tenho ouvido muito isso, e de fato ela o é. Pois a experiência de equipe
é uma dimensão maior de nossas famílias, assim como a Igreja é uma dimensão maior das
equipes. Somos uma pequena Eclésia, pequeno rebanho mais um grande sinal. Como equipistas
devemos na reunião de balanço, a partir da minha realidade pessoal, reconhecer que nem
sempre minhas atitudes favoreceram o crescimento do grupo. Que nem sempre nos auto-
ajudamos. Que tão pouco nos comprometemos com aqueles que estão ao nosso lado. Que o
dom maior do amor as vezes foi tão pouco experimentado. Que vivemos a dificuldade do perdão
entre nós, conservando magoas, ressentimentos, colocando culpa nos outros quando me omiti
em dar o primeiro passo.
A reunião de balanço deve devolver aos membros da equipe a alegria de serem um comunidade
de amor, de perdão, de ajuda mútua. É sem dúvida um momento salutar de vencer todos os
obstáculos e nos colocar frente a frente, desarmados de nossas prepotências e cheios de
misericórdia e compaixão com os outros, para reafirmamos o nosso compromisso de sermos
irmãos.

A terceira função da reunião de Balanço deve ser vista como uma oportunidade de poder
melhorar, numa perspectiva madura e sincera de crescer mais ainda. Gostaria de ilustrar isso
com uma historia:

Havia um homem muito rico que possuía muitos bens, e um único filho,
seu herdeiro, que gostava de fazer festas e estar com seus amigos, e nunca ouvia os
conselhos de seu pai. Um dia, o velho pai, já avançado em idade, disse aos seus empregados
para construírem um pequeno celeiro. Dentro dele, o próprio pai fez uma forca e, junto a ela, uma
placa com os dizeres: Para você nunca mais desprezar as palavras de teu pai. E disse ao
filho, eu já estou velho e, quando eu partir, você tomará conta de tudo... Talvêz você deixe
a fazenda nas mãos dos empregados, venda todos os bens para se sustentar e gaste tudo.
E quando não tiver mais nada, teus amigos se afastarão de você, e só então se
arrependerá amargamente de não ter dado ouvidos a teu pai. Foi por isso que construí esta
forca, ela é para você! Quero que prometa que, se acontecer o que eu disse, você se
enforcará nela. O jovem riu, achou um absurdo, mas, para não contrariar o pai, prometeu,
pensando             que          isso           jamais             pudesse             acontecer.
O tempo passou, o pai morreu, e seu filho tomou conta de tudo, mas, assim como seu pai havia
previsto, o jovem gastou tudo, vendeu os bens, perdeu os amigos e até a própria
dignidade. Desesperado e aflito, começou a refletir sobre sua vida e viu que havia sido um tolo.
E Lembrou-se das palavras do seu pai. Pesaroso, o jovem levantou os olhos e avistou o
pequeno                                         celeiro.
A passos lentos, dirigiu-se até lá e entrando, viu a forca e a placa empoeiradas, e então
pensou: Eu nunca segui as palavras do meu pai, não pude alegrá-lo quando estava vivo, mas,
pelo menos desta vez, farei a vontade dele, vou cumprir minha promessa. Não me resta mais
nada...Então, ele subiu nos degraus e colocou a corda no pescoço, e pensou: Ah, se eu tivesse
uma nova chance... Então, se jogou do alto dos degraus e, por um instante, sentiu a corda apertar
sua garganta...Mas o braço da forca era oco e quebrou-se facilmente e o rapaz caiu no
chão.Sobre ele caíram jóias, esmeraldas, pérolas, rubis, safiras e brilhantes, a forca estava cheia
de pedras preciosas e um bilhete. Nele estava escrito:Esta é a tua nova chance. Com amor, teu
velho e já saudoso pai. Deus é exatamente assim. Quando nos arrependemos, Ele sempre
nos dá uma nova chance.

Como é bom sabermos que Deus sempre nos dá a oportunidade de recomeçar; Sempre esse
recomeço se dá quando somos mais conhecedores de nós mesmos, de nossa natureza,
fraquezas e limitações. Quando somos sensíveis aos sofrimentos e fraquezas dos outros.
Quando pensamos que apesar de todos os erros Deus nos convida a recomeçar. A ir mais além.
Sua força manifesta-se em nós A mudança precisa ocorrer em nós mesmos – a volta é interior;
nasce no profundo do nosso ser num desejo incontido de acertar, de ser melhor, de perdoar mais.

A reunião de balanço é para nos dizer que Deus confia em cada um de nós. Confia na missão
que receberam de sere casais cristãos, de viverem suas alegrias, tristezas numa equipe de
irmãos que fazem uma caminho juntos. È também um convite do Senhor a irmos mais além.
Voltarmos ao primeiro amor, deixando tudo que ficou para trás e lançando nós de corpo e alma
ao que vem pela frente.
 Termino com uma breve e profunda reflexão do Pe. Fábio de Melo:
“O que me fascina em Jesus não é sua capacidade de ressuscitar os mortos, de curar os cegos,
os paralíticos. O que me fascina em Jesus é sua capacidade e coragem de dizer que Deus é Pai.
Um Pai que tem preferência pelos piores homens e mulheres deste mundo. Um Pai que ama os
que não merecem ser amados. Um Pai que abraça os que não merecem ser abraçados e que
escolhe os que não merecem ser escolhidos. Um Pai que quebra as regras ao nos desconcertar
com seu amor tão surpreendente. Um Pai que não quer se ocupar com os erros que você
cometeu até os dias de hoje, porque o amor que Ele tem por você é um amor cheio de futuro. Ele
não está preso ao seu passado e a Ele não interessa o que você fez ou deixou de fazer de sua
vida, a Ele o que importa é o que você ainda pode fazer”.

Para refletir em equipe:

   1) Como podemos perceber o nosso crescimento como casal e equipe durante este ano?
   2) Como o tema de estudo de 2012 me ajudou a progredir no mandamento novo do amor?

PERGUNTAS SRB PARA O BALANÇO - 2012

Nas equipes, somos convidados a ir despertando atitudes que devemos assimilar e que vão nos levando a
um novo modo de viver: um modo de viver mais cristão. As equipes nos propõem que personalizemos esse
modo e que construamos não só na reunião de equipe, mas também com a ajuda de alguns meios, por
caminhos concretos, ao longo de todo o mês e nas atitudes que devemos tomar face à vida.
... É um apelo ao esforço pessoal e do casal: um esforço de discernimento, de criatividade e constância, que
abrange todo o nosso ser. Um esforço ao qual cada um de nós se obriga voluntariamente e não um esforço
que nos é imposto de fora. E isto, a partir de um mínimo que iremos aprofundar de uma maneira exigente.
Estes pontos concretos de esforço [...] abrem-nos a possibilidade de realizar por nós mesmos, em nossas
vidas, um verdadeiro encontro com o Senhor, que é o ponto de partida de toda conversão. Os PCEs são
escolhidos para que vivamos esse encontro e não para que se transformem numa rotina ou numa espécie de
devoção.

                        MÍSTICA DOS PONTOS CONCRETOS E PARTILHA

Perguntas:


   1) Em que o Estudo do documento Mística dos Pontos Concretos de Esforço e Partilha mais contribuiu para a
      conversão da vida pessoal, do casal e da Equipe?

   2) Em que aspectos, a mística da vivência dos Pontos Concretos de Esforços e Partilha nos
      proporcionaram crescer na espiritualidade conjugal no decorrer deste ano?




SUGESTÃO PARA UMA DINÂMICA NA REUNIÃO FORMAL:

Para a ruptura:

A reunião de balanço poderia ter um momento penitencial na ruptura, onde cada um levaria por
escrito um pedido de perdão para ser lido e queimado de modo adequado.

Ou para a partilha:
Colocar uma arvore de papel ou natural, embaixo dela colocar algumas frutas recortadas de
papel. Cada um retira um. Atrás deverá conter um nome de um Pce. A partir deste pce cada um
partilhar o seu crescimento nele durante este ano.
Obs: o CR e o Casal animador podem escolher qual fazer. Ou se farão as duas.
SUGESTÃO PARA TEXTO DE PARTILHA:

Mateus 25, 14-30

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Leitura orante da palavra de deus com a família
Leitura orante da palavra de deus com a famíliaLeitura orante da palavra de deus com a família
Leitura orante da palavra de deus com a famíliaCatequista Josivaldo
 
1º Encontro de Pais e Catequistas 24/05/2012
1º Encontro de Pais e Catequistas 24/05/20121º Encontro de Pais e Catequistas 24/05/2012
1º Encontro de Pais e Catequistas 24/05/2012Adriano de Paula
 
Coletânea de dinâmicas para casais
Coletânea de dinâmicas para casaisColetânea de dinâmicas para casais
Coletânea de dinâmicas para casaisPr Ismael Carvalho
 
Meu amigo o espirito santo - Estudo para crianças
Meu amigo o espirito santo - Estudo para criançasMeu amigo o espirito santo - Estudo para crianças
Meu amigo o espirito santo - Estudo para criançasAlessandra Lucas Leite Rocha
 
Livrinho encontros de preparação batismo
Livrinho encontros de preparação batismoLivrinho encontros de preparação batismo
Livrinho encontros de preparação batismotorrasko
 
50 Estudos Para Celulas I
50 Estudos Para Celulas I50 Estudos Para Celulas I
50 Estudos Para Celulas IItamar Freire
 
Sacramento do matrimônio
Sacramento do matrimônioSacramento do matrimônio
Sacramento do matrimôniofamiliaregsul4
 
Lição 6 - A Sexualidade Humana
Lição 6 - A Sexualidade HumanaLição 6 - A Sexualidade Humana
Lição 6 - A Sexualidade HumanaÉder Tomé
 
Sexualidade e castidade
Sexualidade e castidadeSexualidade e castidade
Sexualidade e castidadeRCCPBJovem
 
Juniores e primários 2016 lição biblica infantil
Juniores e  primários 2016 lição biblica infantilJuniores e  primários 2016 lição biblica infantil
Juniores e primários 2016 lição biblica infantilMarilene Rangel Rangel
 
Reuniao de pais 19 de março catequese e familia
Reuniao de pais 19 de março catequese e familiaReuniao de pais 19 de março catequese e familia
Reuniao de pais 19 de março catequese e familiaMara Maria Junckes
 
Departamento infantil
Departamento infantilDepartamento infantil
Departamento infantilPriscla Silva
 
Modelo carta de transferência
Modelo   carta de transferênciaModelo   carta de transferência
Modelo carta de transferênciapibfsa
 

Mais procurados (20)

Diamica dons espirito
Diamica dons espiritoDiamica dons espirito
Diamica dons espirito
 
Leitura orante da palavra de deus com a família
Leitura orante da palavra de deus com a famíliaLeitura orante da palavra de deus com a família
Leitura orante da palavra de deus com a família
 
1º Encontro de Pais e Catequistas 24/05/2012
1º Encontro de Pais e Catequistas 24/05/20121º Encontro de Pais e Catequistas 24/05/2012
1º Encontro de Pais e Catequistas 24/05/2012
 
Coletânea de dinâmicas para casais
Coletânea de dinâmicas para casaisColetânea de dinâmicas para casais
Coletânea de dinâmicas para casais
 
Meu amigo o espirito santo - Estudo para crianças
Meu amigo o espirito santo - Estudo para criançasMeu amigo o espirito santo - Estudo para crianças
Meu amigo o espirito santo - Estudo para crianças
 
Livrinho encontros de preparação batismo
Livrinho encontros de preparação batismoLivrinho encontros de preparação batismo
Livrinho encontros de preparação batismo
 
50 Estudos Para Celulas I
50 Estudos Para Celulas I50 Estudos Para Celulas I
50 Estudos Para Celulas I
 
Projetos para crianças
Projetos para criançasProjetos para crianças
Projetos para crianças
 
2015 apostila catequese primeira eucaristia
2015 apostila catequese primeira eucaristia2015 apostila catequese primeira eucaristia
2015 apostila catequese primeira eucaristia
 
Sacramento do matrimônio
Sacramento do matrimônioSacramento do matrimônio
Sacramento do matrimônio
 
Manual do pastor
Manual do pastorManual do pastor
Manual do pastor
 
Lição 6 - A Sexualidade Humana
Lição 6 - A Sexualidade HumanaLição 6 - A Sexualidade Humana
Lição 6 - A Sexualidade Humana
 
Sexualidade e castidade
Sexualidade e castidadeSexualidade e castidade
Sexualidade e castidade
 
Juniores e primários 2016 lição biblica infantil
Juniores e  primários 2016 lição biblica infantilJuniores e  primários 2016 lição biblica infantil
Juniores e primários 2016 lição biblica infantil
 
Ministério com crianças e a Infância
Ministério com crianças e a InfânciaMinistério com crianças e a Infância
Ministério com crianças e a Infância
 
1º encontro Quem sou eu?
1º encontro   Quem sou eu?1º encontro   Quem sou eu?
1º encontro Quem sou eu?
 
Reuniao de pais 19 de março catequese e familia
Reuniao de pais 19 de março catequese e familiaReuniao de pais 19 de março catequese e familia
Reuniao de pais 19 de março catequese e familia
 
Departamento infantil
Departamento infantilDepartamento infantil
Departamento infantil
 
1º ANO DE EUCARISTIA
1º ANO DE EUCARISTIA1º ANO DE EUCARISTIA
1º ANO DE EUCARISTIA
 
Modelo carta de transferência
Modelo   carta de transferênciaModelo   carta de transferência
Modelo carta de transferência
 

Semelhante a Reunião de balanço 2012

Recompensa da honra
Recompensa da honraRecompensa da honra
Recompensa da honracilasmiranda
 
Claves para el fracaso portugues
Claves para el fracaso portuguesClaves para el fracaso portugues
Claves para el fracaso portuguesPuerta de vida
 
Jornal Aliança nº 178 Agosto 2014
Jornal Aliança nº 178 Agosto 2014Jornal Aliança nº 178 Agosto 2014
Jornal Aliança nº 178 Agosto 2014mcj2013
 
Uma Rosa Para Meu Marido
Uma Rosa Para Meu MaridoUma Rosa Para Meu Marido
Uma Rosa Para Meu Maridoguest1ded2008
 
Ebook desperte para 2016
Ebook  desperte para 2016Ebook  desperte para 2016
Ebook desperte para 2016odespertador
 
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo (1)
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo (1)7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo (1)
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo (1)Antonio Ferreira
 
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmoAntonio Ferreira
 
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmoAntonio Ferreira
 
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo (1)
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo (1)7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo (1)
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo (1)Antonio Ferreira
 
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo (1)
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo (1)7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo (1)
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo (1)Antonio Ferreira
 
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmoAntonio Ferreira
 
Desperte a Sua Vitória - William Sanches.pdf
Desperte a Sua Vitória - William Sanches.pdfDesperte a Sua Vitória - William Sanches.pdf
Desperte a Sua Vitória - William Sanches.pdfLeonardoPenna10
 

Semelhante a Reunião de balanço 2012 (20)

A SEMENTE 4 novembro
A  SEMENTE  4 novembroA  SEMENTE  4 novembro
A SEMENTE 4 novembro
 
O avesso
O avessoO avesso
O avesso
 
Niver Paulo
Niver PauloNiver Paulo
Niver Paulo
 
Mc52-artefinal
Mc52-artefinalMc52-artefinal
Mc52-artefinal
 
Recompensa da honra
Recompensa da honraRecompensa da honra
Recompensa da honra
 
A família depois
A família depoisA família depois
A família depois
 
Palavra da semana
Palavra da semanaPalavra da semana
Palavra da semana
 
Livro de Orações Diárias
Livro de Orações DiáriasLivro de Orações Diárias
Livro de Orações Diárias
 
Claves para el fracaso portugues
Claves para el fracaso portuguesClaves para el fracaso portugues
Claves para el fracaso portugues
 
Jornal Aliança nº 178 Agosto 2014
Jornal Aliança nº 178 Agosto 2014Jornal Aliança nº 178 Agosto 2014
Jornal Aliança nº 178 Agosto 2014
 
A recompensa da honra (1)
A recompensa da honra (1)A recompensa da honra (1)
A recompensa da honra (1)
 
Uma Rosa Para Meu Marido
Uma Rosa Para Meu MaridoUma Rosa Para Meu Marido
Uma Rosa Para Meu Marido
 
Ebook desperte para 2016
Ebook  desperte para 2016Ebook  desperte para 2016
Ebook desperte para 2016
 
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo (1)
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo (1)7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo (1)
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo (1)
 
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo
 
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo
 
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo (1)
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo (1)7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo (1)
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo (1)
 
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo (1)
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo (1)7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo (1)
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo (1)
 
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo
7256429 um-novo-animo-para-eu-mesmo
 
Desperte a Sua Vitória - William Sanches.pdf
Desperte a Sua Vitória - William Sanches.pdfDesperte a Sua Vitória - William Sanches.pdf
Desperte a Sua Vitória - William Sanches.pdf
 

Mais de ensantidade

Edição 13 setembro 2013
Edição 13 setembro 2013Edição 13 setembro 2013
Edição 13 setembro 2013ensantidade
 
Texto de estudo saber e pedir a fé 2013
Texto de estudo saber e pedir a fé 2013Texto de estudo saber e pedir a fé 2013
Texto de estudo saber e pedir a fé 2013ensantidade
 
3º Encontro Nacional ENS - INFORMAÇÕES
3º Encontro Nacional ENS - INFORMAÇÕES3º Encontro Nacional ENS - INFORMAÇÕES
3º Encontro Nacional ENS - INFORMAÇÕESensantidade
 
Texto interequipes 2013
Texto interequipes 2013Texto interequipes 2013
Texto interequipes 2013ensantidade
 
ENSantidade 12 edição
ENSantidade 12 ediçãoENSantidade 12 edição
ENSantidade 12 ediçãoensantidade
 
Pe.Cavalca-Leituras Junho 2013
Pe.Cavalca-Leituras Junho 2013Pe.Cavalca-Leituras Junho 2013
Pe.Cavalca-Leituras Junho 2013ensantidade
 
En santidade 11 edição
En santidade   11 ediçãoEn santidade   11 edição
En santidade 11 ediçãoensantidade
 
Ensantidade ed 10 de2012 finalizado
Ensantidade ed 10 de2012 finalizadoEnsantidade ed 10 de2012 finalizado
Ensantidade ed 10 de2012 finalizadoensantidade
 
En santidade ed8
En santidade ed8En santidade ed8
En santidade ed8ensantidade
 
História e orientações do movimento nos útimos anos constanza e alberto alv...
História e orientações do movimento nos útimos anos   constanza e alberto alv...História e orientações do movimento nos útimos anos   constanza e alberto alv...
História e orientações do movimento nos útimos anos constanza e alberto alv...ensantidade
 
Interequipes 2012
Interequipes 2012Interequipes 2012
Interequipes 2012ensantidade
 
En santidade ed7_final
En santidade ed7_finalEn santidade ed7_final
En santidade ed7_finalensantidade
 
Boletim dos amigos do pe. caffarel nº 10 jan2012
Boletim dos amigos do pe. caffarel nº 10 jan2012Boletim dos amigos do pe. caffarel nº 10 jan2012
Boletim dos amigos do pe. caffarel nº 10 jan2012ensantidade
 
GASTOS COM SAÚDE - Gilson carvalho
GASTOS COM SAÚDE - Gilson carvalhoGASTOS COM SAÚDE - Gilson carvalho
GASTOS COM SAÚDE - Gilson carvalhoensantidade
 
Jornal ENSantidade ed 6 dez2011
Jornal ENSantidade ed 6 dez2011Jornal ENSantidade ed 6 dez2011
Jornal ENSantidade ed 6 dez2011ensantidade
 
Edição 5 set2011
Edição 5 set2011Edição 5 set2011
Edição 5 set2011ensantidade
 
Jornal edição 1 maio 2010 pag 02 03
Jornal edição 1 maio 2010 pag 02 03Jornal edição 1 maio 2010 pag 02 03
Jornal edição 1 maio 2010 pag 02 03ensantidade
 
Jornal edição 1 maio2010 pag 04 01
Jornal edição 1 maio2010 pag 04 01Jornal edição 1 maio2010 pag 04 01
Jornal edição 1 maio2010 pag 04 01ensantidade
 
E nsantidade edição 2
E nsantidade edição 2E nsantidade edição 2
E nsantidade edição 2ensantidade
 

Mais de ensantidade (20)

Edição 13 setembro 2013
Edição 13 setembro 2013Edição 13 setembro 2013
Edição 13 setembro 2013
 
Texto de estudo saber e pedir a fé 2013
Texto de estudo saber e pedir a fé 2013Texto de estudo saber e pedir a fé 2013
Texto de estudo saber e pedir a fé 2013
 
3º Encontro Nacional ENS - INFORMAÇÕES
3º Encontro Nacional ENS - INFORMAÇÕES3º Encontro Nacional ENS - INFORMAÇÕES
3º Encontro Nacional ENS - INFORMAÇÕES
 
Texto interequipes 2013
Texto interequipes 2013Texto interequipes 2013
Texto interequipes 2013
 
ENSantidade 12 edição
ENSantidade 12 ediçãoENSantidade 12 edição
ENSantidade 12 edição
 
Pe.Cavalca-Leituras Junho 2013
Pe.Cavalca-Leituras Junho 2013Pe.Cavalca-Leituras Junho 2013
Pe.Cavalca-Leituras Junho 2013
 
En santidade 11 edição
En santidade   11 ediçãoEn santidade   11 edição
En santidade 11 edição
 
Ensantidade ed 10 de2012 finalizado
Ensantidade ed 10 de2012 finalizadoEnsantidade ed 10 de2012 finalizado
Ensantidade ed 10 de2012 finalizado
 
Ensantidade 9
Ensantidade 9Ensantidade 9
Ensantidade 9
 
En santidade ed8
En santidade ed8En santidade ed8
En santidade ed8
 
História e orientações do movimento nos útimos anos constanza e alberto alv...
História e orientações do movimento nos útimos anos   constanza e alberto alv...História e orientações do movimento nos útimos anos   constanza e alberto alv...
História e orientações do movimento nos útimos anos constanza e alberto alv...
 
Interequipes 2012
Interequipes 2012Interequipes 2012
Interequipes 2012
 
En santidade ed7_final
En santidade ed7_finalEn santidade ed7_final
En santidade ed7_final
 
Boletim dos amigos do pe. caffarel nº 10 jan2012
Boletim dos amigos do pe. caffarel nº 10 jan2012Boletim dos amigos do pe. caffarel nº 10 jan2012
Boletim dos amigos do pe. caffarel nº 10 jan2012
 
GASTOS COM SAÚDE - Gilson carvalho
GASTOS COM SAÚDE - Gilson carvalhoGASTOS COM SAÚDE - Gilson carvalho
GASTOS COM SAÚDE - Gilson carvalho
 
Jornal ENSantidade ed 6 dez2011
Jornal ENSantidade ed 6 dez2011Jornal ENSantidade ed 6 dez2011
Jornal ENSantidade ed 6 dez2011
 
Edição 5 set2011
Edição 5 set2011Edição 5 set2011
Edição 5 set2011
 
Jornal edição 1 maio 2010 pag 02 03
Jornal edição 1 maio 2010 pag 02 03Jornal edição 1 maio 2010 pag 02 03
Jornal edição 1 maio 2010 pag 02 03
 
Jornal edição 1 maio2010 pag 04 01
Jornal edição 1 maio2010 pag 04 01Jornal edição 1 maio2010 pag 04 01
Jornal edição 1 maio2010 pag 04 01
 
E nsantidade edição 2
E nsantidade edição 2E nsantidade edição 2
E nsantidade edição 2
 

Reunião de balanço 2012

  • 1. REUNIÃO DE BALANÇO DE 2012 É tempo de ver, parar e revisar Ver a vida que está se levando Então concluir e se comprometer Com o amor que está te faltando (Pe. Jonas Abib) Quando a gente vê já passou o dia, já foi a semana, um mês, o ano. Novamente nos deparamos com o sagrado dever de realizar nossa Reunião de Balanço. A função dela é primeiro de sermos autênticos conosco mesmo, pois jamais podemos enganar a nós mesmos e nos esconder do que é íntimo e verdadeiro dentro de nós. É um olhar para nós mesmos sem mascaras ou falsas desculpas. Muitos levam a vida sem muitos questionamentos. Pode até parecer mais cômodo levar a vida sem muitas reflexões. A reflexão autentica sobre si leva ao autoconhecimento, principio básico do crescimento é o “conhece-te a ti mesmo”. Pessoas que não fazem isso são aquelas pessoas que encontramos depois de anos e tudo permanece igual. Podem até terem conquistado algum bem material, mas não houve evolução, ou crescimento interior. Nas equipes de Nossa Senhora o risco ainda é maior, pois o equipista que não se auto avalia. Que não valoriza um retiro como a oportunidade de crescimento interior, que vive fingindo que está progredindo através dos pontos concretos de esforço, quando na verdade de um ano a outro não se nota crescimento algum nele, tem alguma coisa errada? Como podem viver na equipe e ainda continuar os mesmos? É preciso um esforço para que todo bem que a equipe nos oferece pelos pontos concretos de esforço não seja “ perola atirada a porcos”(cf Mt7,6) mas seja alimento salutar que nos sustenta e leva-nos continuamente a crescer em todos os sentidos, ate a maturidade de Cristo. A segunda função da Reunião de Balanço é também “pedir perdão a equipe pelo peso com que a sobrecarregamos”. “As Equipes de Nossa Senhora desejam ajudar os casais unidos pelo matrimônio a viver plenamente segundo o Evangelho, com o suporte dos membros de uma equipe e a força do Movimento como um todo..” (Guia das Equipes de Nossa Senhora – V - 2000) A vida de equipe é como uma engrenagem, só funciona se houver harmonia, estabelecida nas relações fraternas vivenciadas, sobretudo nos momentos de encontros formais ou não. A equipe é minha segunda família, tenho ouvido muito isso, e de fato ela o é. Pois a experiência de equipe é uma dimensão maior de nossas famílias, assim como a Igreja é uma dimensão maior das equipes. Somos uma pequena Eclésia, pequeno rebanho mais um grande sinal. Como equipistas devemos na reunião de balanço, a partir da minha realidade pessoal, reconhecer que nem sempre minhas atitudes favoreceram o crescimento do grupo. Que nem sempre nos auto- ajudamos. Que tão pouco nos comprometemos com aqueles que estão ao nosso lado. Que o dom maior do amor as vezes foi tão pouco experimentado. Que vivemos a dificuldade do perdão entre nós, conservando magoas, ressentimentos, colocando culpa nos outros quando me omiti em dar o primeiro passo. A reunião de balanço deve devolver aos membros da equipe a alegria de serem um comunidade de amor, de perdão, de ajuda mútua. É sem dúvida um momento salutar de vencer todos os
  • 2. obstáculos e nos colocar frente a frente, desarmados de nossas prepotências e cheios de misericórdia e compaixão com os outros, para reafirmamos o nosso compromisso de sermos irmãos. A terceira função da reunião de Balanço deve ser vista como uma oportunidade de poder melhorar, numa perspectiva madura e sincera de crescer mais ainda. Gostaria de ilustrar isso com uma historia: Havia um homem muito rico que possuía muitos bens, e um único filho, seu herdeiro, que gostava de fazer festas e estar com seus amigos, e nunca ouvia os conselhos de seu pai. Um dia, o velho pai, já avançado em idade, disse aos seus empregados para construírem um pequeno celeiro. Dentro dele, o próprio pai fez uma forca e, junto a ela, uma placa com os dizeres: Para você nunca mais desprezar as palavras de teu pai. E disse ao filho, eu já estou velho e, quando eu partir, você tomará conta de tudo... Talvêz você deixe a fazenda nas mãos dos empregados, venda todos os bens para se sustentar e gaste tudo. E quando não tiver mais nada, teus amigos se afastarão de você, e só então se arrependerá amargamente de não ter dado ouvidos a teu pai. Foi por isso que construí esta forca, ela é para você! Quero que prometa que, se acontecer o que eu disse, você se enforcará nela. O jovem riu, achou um absurdo, mas, para não contrariar o pai, prometeu, pensando que isso jamais pudesse acontecer. O tempo passou, o pai morreu, e seu filho tomou conta de tudo, mas, assim como seu pai havia previsto, o jovem gastou tudo, vendeu os bens, perdeu os amigos e até a própria dignidade. Desesperado e aflito, começou a refletir sobre sua vida e viu que havia sido um tolo. E Lembrou-se das palavras do seu pai. Pesaroso, o jovem levantou os olhos e avistou o pequeno celeiro. A passos lentos, dirigiu-se até lá e entrando, viu a forca e a placa empoeiradas, e então pensou: Eu nunca segui as palavras do meu pai, não pude alegrá-lo quando estava vivo, mas, pelo menos desta vez, farei a vontade dele, vou cumprir minha promessa. Não me resta mais nada...Então, ele subiu nos degraus e colocou a corda no pescoço, e pensou: Ah, se eu tivesse uma nova chance... Então, se jogou do alto dos degraus e, por um instante, sentiu a corda apertar sua garganta...Mas o braço da forca era oco e quebrou-se facilmente e o rapaz caiu no chão.Sobre ele caíram jóias, esmeraldas, pérolas, rubis, safiras e brilhantes, a forca estava cheia de pedras preciosas e um bilhete. Nele estava escrito:Esta é a tua nova chance. Com amor, teu velho e já saudoso pai. Deus é exatamente assim. Quando nos arrependemos, Ele sempre nos dá uma nova chance. Como é bom sabermos que Deus sempre nos dá a oportunidade de recomeçar; Sempre esse recomeço se dá quando somos mais conhecedores de nós mesmos, de nossa natureza, fraquezas e limitações. Quando somos sensíveis aos sofrimentos e fraquezas dos outros. Quando pensamos que apesar de todos os erros Deus nos convida a recomeçar. A ir mais além. Sua força manifesta-se em nós A mudança precisa ocorrer em nós mesmos – a volta é interior; nasce no profundo do nosso ser num desejo incontido de acertar, de ser melhor, de perdoar mais. A reunião de balanço é para nos dizer que Deus confia em cada um de nós. Confia na missão que receberam de sere casais cristãos, de viverem suas alegrias, tristezas numa equipe de irmãos que fazem uma caminho juntos. È também um convite do Senhor a irmos mais além. Voltarmos ao primeiro amor, deixando tudo que ficou para trás e lançando nós de corpo e alma ao que vem pela frente. Termino com uma breve e profunda reflexão do Pe. Fábio de Melo: “O que me fascina em Jesus não é sua capacidade de ressuscitar os mortos, de curar os cegos, os paralíticos. O que me fascina em Jesus é sua capacidade e coragem de dizer que Deus é Pai. Um Pai que tem preferência pelos piores homens e mulheres deste mundo. Um Pai que ama os que não merecem ser amados. Um Pai que abraça os que não merecem ser abraçados e que escolhe os que não merecem ser escolhidos. Um Pai que quebra as regras ao nos desconcertar com seu amor tão surpreendente. Um Pai que não quer se ocupar com os erros que você
  • 3. cometeu até os dias de hoje, porque o amor que Ele tem por você é um amor cheio de futuro. Ele não está preso ao seu passado e a Ele não interessa o que você fez ou deixou de fazer de sua vida, a Ele o que importa é o que você ainda pode fazer”. Para refletir em equipe: 1) Como podemos perceber o nosso crescimento como casal e equipe durante este ano? 2) Como o tema de estudo de 2012 me ajudou a progredir no mandamento novo do amor? PERGUNTAS SRB PARA O BALANÇO - 2012 Nas equipes, somos convidados a ir despertando atitudes que devemos assimilar e que vão nos levando a um novo modo de viver: um modo de viver mais cristão. As equipes nos propõem que personalizemos esse modo e que construamos não só na reunião de equipe, mas também com a ajuda de alguns meios, por caminhos concretos, ao longo de todo o mês e nas atitudes que devemos tomar face à vida. ... É um apelo ao esforço pessoal e do casal: um esforço de discernimento, de criatividade e constância, que abrange todo o nosso ser. Um esforço ao qual cada um de nós se obriga voluntariamente e não um esforço que nos é imposto de fora. E isto, a partir de um mínimo que iremos aprofundar de uma maneira exigente. Estes pontos concretos de esforço [...] abrem-nos a possibilidade de realizar por nós mesmos, em nossas vidas, um verdadeiro encontro com o Senhor, que é o ponto de partida de toda conversão. Os PCEs são escolhidos para que vivamos esse encontro e não para que se transformem numa rotina ou numa espécie de devoção. MÍSTICA DOS PONTOS CONCRETOS E PARTILHA Perguntas: 1) Em que o Estudo do documento Mística dos Pontos Concretos de Esforço e Partilha mais contribuiu para a conversão da vida pessoal, do casal e da Equipe? 2) Em que aspectos, a mística da vivência dos Pontos Concretos de Esforços e Partilha nos proporcionaram crescer na espiritualidade conjugal no decorrer deste ano? SUGESTÃO PARA UMA DINÂMICA NA REUNIÃO FORMAL: Para a ruptura: A reunião de balanço poderia ter um momento penitencial na ruptura, onde cada um levaria por escrito um pedido de perdão para ser lido e queimado de modo adequado. Ou para a partilha: Colocar uma arvore de papel ou natural, embaixo dela colocar algumas frutas recortadas de papel. Cada um retira um. Atrás deverá conter um nome de um Pce. A partir deste pce cada um partilhar o seu crescimento nele durante este ano. Obs: o CR e o Casal animador podem escolher qual fazer. Ou se farão as duas. SUGESTÃO PARA TEXTO DE PARTILHA: Mateus 25, 14-30