Programação 37º fimv paços de brandão (2)

755 visualizações

Publicada em

Publicada em: Estilo de vida
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
755
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
464
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Programação 37º fimv paços de brandão (2)

  1. 1. 37ª EDIÇÃO FESTIVAL INTERNACIONAL DE MÚSICA DE VERÃO DE PAÇOS DE BRANDÃO Organização: CiRAC Director Artístico: Augusto Trindade
  2. 2. 37ª Edição FIMV Paços de Brandão 2 37ª EDIÇÃO FESTIVAL INTERNACIONAL DE MÚSICA DE VERÃO DE PAÇOS DE BRANDÃO Vários géneros e formações preenchem a programação desta 37ª Edição. Tentando ir ao encontro do gosto dos ouvintes, privilegiando e divulgando o talento, Instituições e espaços culturais da nossa região. Augusto Trindade
  3. 3. 37ª Edição FIMV Paços de Brandão 3 PROGRAMAÇÃO EVENTO ENTIDADE LOCAL DATA Concerto Sinfónico Orquestra Sinfónica da ESART e Pedro Burmester Grande Auditório Europarque 10 Maio (sábado) 21H30 Lançamento de CD PorTrio Biblioteca Municipal Santa Maria da Feira 18 Maio (domingo) 21H30 Concerto “Imaginarius” Orquestra Jovens Santa Maria da Feira + CiRAC + BCN Igreja dos Lóios –Santa Maria Feira 23 Maio (6º feira) 00H00 Concerto “Imaginarius” Orquestra Jovens Santa Maria da Feira + CiRAC + BCN Igreja dos Lóios –Santa Maria Feira 24 Maio (sábado) 00H00 Concerto de Laureados Laureados Folefest, Terras de la Salette e Paços’ Premium Casa da Portela 31 Maio (sábado) 21H30 Concerto Coral Ibérico Côro da Universidade da Extremadura (Espanha) e Côro do CiRAC Igreja Matriz de Paços de Brandão 7 Junho (sábado) 21H30 Concerto Coral Ibérico Côro da Universidade da Extremadura (Espanha) e Côro do CiRAC Igreja Matriz de Santa Maria da Feira 8 Junho (domingo) 16H 10ª de Mahler e Pedro Carneiro Camerata Nov’Arte e Pedro Carneiro Auditório da Academia de Música de Paços de Brandão 10 Junho (3ª Feira) 18H Concerto Pedagógico “O Pedro e o Lobo” Orquestra Juvenil da Academia de Música de Paços de Brandão Escola Secundária de Arrifana 11 Junho (4ª feira) 15H00 Concerto Pedagógico “O Pedro e o Lobo” Orquestra Juvenil da Academia de Música de Paços de Brandão Escola Secundária de Santa Maria da Feira 12 Junho (5ª feira) 15H00 Concerto Pedagógico “O Pedro e o Lobo” Orquestra Juvenil da Academia de Música de Paços de Brandão Auditório da Academia de Música de Paços de Brandão 13 Junho (6ª feira) 21H30 Cordas no Museu do Papel Quarteto Ruggeri Museu do Papel 14 Junho (sábado) 21H30 “Esta Vida é uma Cantiga” Nuno Feist, Grandes Vozes e Orquestra Produção Followspot Grande Auditório do Europarque 15 Junho (domingo) 18H00 Orquestras do Festival Música Júnior Colaboração Especial: Mário Augusto e Sofia Escobar Grande Auditório do Europarque 03 Agosto (domingo) 18h30 Sinfónico Música de Câmara Cruzamentos Disciplinares Jovens Solistas Coral Ensemble Pedagógico Musical
  4. 4. 37ª Edição FIMV Paços de Brandão 4
  5. 5. 37ª Edição FIMV Paços de Brandão 5 CONCERTO SINFÓNICO Orquestra Sinfónica da ESART (Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco) Solista: Pedro Burmester Maestro: Osvaldo Ferreira Programa: Concerto nº 5 para piano e Orquestra – L.v.Beethoven Restante programa a definir Local: Grande Auditório do Europarque Data e hora: 10 de Maio, pelas 21H30 Concerto em parceria:
  6. 6. 37ª Edição FIMV Paços de Brandão 6 Orquestra Sinfónica da Escola Superior de Artes Aplicadas (ESART) do Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB) A Orquestra Sinfónica da ESART é um projecto bem alicerçado no contexto do Curso Superior de Música, e tem merecido o apreço e reconhecimento do público um pouco por todo o país. Criada em Novembro de 2000 enquanto unidade curricular do curso de Instrumento, a Orquestra Sinfónica é uma das componentes artísticas do Instituto Politécnico de Castelo Branco, tendo desenvolvido uma actividade regular através de concertos em Portugal e no estrangeiro. Tem seguido um percurso próprio, potenciando a formação dos alunos e assegurando às populações, em que os consumos culturais são reduzidos, uma oferta musical mais efectiva. Apresentou-se em Festivais Nacionais e Internacionais, destacando-se a “Oficina de Música de Curitiba” (Brasil), Festival Internacional de Música da Póvoa de Varzim, Fes- tival Primavera (Castelo Branco), Festival Internacional de Música de Paços de Brandão e Festival Internacional de Música de Santa Maria da Feira. Tem-se apresentado em di- versos pontos e salas do país, desde o Coliseu do Porto ao Teatro S.Luiz e Culturgest em Lisboa, Teatro Sá de Miranda em Viana do Castelo, Europarque em Santa Maria da Feira, na Covilhã, Portalegre, Elvas, Coimbra, Paços de Brandão, Braga, Ourém, Leiria, entre outros. A Orquestra tem actuado sob a direcção de notáveis maestros, tais como Marc Tardue, Osvaldo Ferreira, Alex Klein, Pedro Neves, Luís Carvalho, Omri Hadari, Dini Ciacci, Timothy Russell, Martin Andre, Gerard Dorothy, Rui Massena, Pedro Carneiro, Alberto Roque, Vasco Pearce de Azevedo, e Cesário Costa, entre outros. Apresentou-se com solistas como Alex Klein, António Rosado, Teresa Menezes, Daniel Rowland, Carlos Alves, Augusto Trindade, Abel Pereira e Carolino Carreira. O Curso de Música da ESART detém alunos premiados em Concursos Nacionais e In- ternacionais, nomeadamente no Prémio Jovens Músicos, Orquestra de Jovens da União Europeia, Orquestra Mundial de Jovens Músicos, Orquestra Sinfónica do Youtube, Orquestra J. Futura (Itália), Folefest, Paços’ Premium, Concurso Santa Cecília, entre outros. Actualmente a comissão artística da Orquestra ESART é constituída pelos professores Alexandre Vilela, Augusto Trindade e Carlos Alves. Pedro Burmester Pedro Burmester nasceu no Porto. Foi aluno de Helena Sá e Costa, tendo terminado o Curso Superior de Piano do Conservatório do Porto em 1981. Entre 1983 e 1987, trabalhou com Sequeira Costa, Leon Fleicher e Dmitri Paperno nos Estados Unidos da América. Foi premiado em diversos concursos, destacando-se o Prémio Moreira de Sá, o 2º Prémio Vianna da Motta e o prémio especial do júri do Concurso Van Cliburn (E.U.A.). Iniciou a sua atividade de concertos aos dez anos de idade e, desde então, já realizou mais de 1000 concertos em Portugal e no estrangeiro. Participou em todos os festivais de música portugueses e apresentou-se também em La Roque d’Anthéron, na Salle Gaveau, no Festival da Flandres, na Filarmonia de Colónia, na Frick Collection e na 92nd Y (Nova Iorque), no Gewandhaus de Leipzig, na Casa Beethoven (Bona) e no Concertgebouw de Amesterdão.
  7. 7. 37ª Edição FIMV Paços de Brandão 7 No domínio da música de câmara, mantém há alguns anos um duo com o pianista Mário Laginha. Atuou com os violinistas Gerardo Ribeiro e Thomas Zehetmair, com os violoncelistas Anner Bylsma e Paulo Gaio Lima e com o clarinetista António Saiote. Formou um grupo de pianos e percussões que tem obtido grande sucesso em diversos festivais e concertos em Portugal. As suas gravações incluem discos a solo com obras de Bach, Schumann, Schubert e Chopin. Gravou também em duo com Mário Laginha e com a Orquestra Metropolitana de Lisboa . Em 1999 gravou, com Gerardo Ribeiro, as Sonatas para Violino e Piano de Beethoven. Em 2007 foi lançado o CD/DVD “3 Pianos”, onde atua com Bernardo Sassetti e Mário Laginha num espetáculo gravado ao vivo no Centro Cultural de Belém. Foi Diretor Artístico e de Educação na Casa da Música, projeto que ajudou a criar e a implementar. É professor na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo (ESMAE) no Porto, na Escola Profissional de Música de Espinho e na Universidade de Aveiro. Osvaldo Ferreira É o diretor musical e regente titular da Orquestra Sinfônica do Paraná, diretor da fase erudita da Oficina de Música De Curitiba e programador musical do evento Algarve, em Portugal. Ocupou funções de diretor artístico da Orquestra do Algarve, diretor artístico do Festival Internacional de Música do Algarve, diretor e administrador do Teatro Municipal do Faro, além de ser fundador e Diretor Musical da Orquestra da Póvoa de Varzim com a qual gravou vários CDs com obras de autores portugueses. Desde 2003 também o Diretor de Orquestra do Festival Internacional de Viana do Castelo, produzido pelo Fairbanks Arts Center Music Festival de S. Diego. Osvaldo Ferreira é o maestro português com maior número de estreias, encomendas e gravações de obras de autores portugueses contemporâneos. A sua carreira de regente contabiliza hoje, mais de seiscentos concertos orquestrais e cerca de 20 óperas. A criatividade da sua programação tem sido objeto de elogio por parte da crítica especializada. Maestro convidado regular em Portugal, Rússia, União Europeia, Brasil, África do Sul e EUA, gravou para a RTP, RDP e Editora Numérica. A lista de músicos com quem já colaborou inclui muitos dos mais importantes compositores e solistas internacionais. Realizou Mestrado em direção de orquestra em Chicago e pós-graduação no Conservatório de São Petersburgo, na classe de Ilya Mussin. Laureado em 1999 no Concurso Sergei Prokofiev, na Rússia. Recebeu o “Fellowship” do Aspen Music Festival nos EUA, onde freqüentou a American Conductors Academy e conquistou o prêmio “Academy Conductor” em 2001. Foi assistente de Claudio Abbado em Salzburgo. Estudou ainda com Jorma Panula e David Zinman e foi bolsista do Ministério da Cultura de Portugal e da Fundação Calouste Gulbenkian.
  8. 8. 37ª Edição FIMV Paços de Brandão 8 APRESENTAÇÃO DE CD PORTrio Clarinete – Filipe Pereira Viola d’Arco – Hugo Diogo Piano – António Oliveira Programa: W. A. Mozart - "Kegesltatt" trio Max Bruch - 8 Peças (divididas por um pequeno intervalo) Sérgio Azevedo - 5 Miniaturas em Trio Local: Salão Nobre da Junta de Freguesia de Paços de Brandão Data e hora: 18 de Maio, pelas 21H30
  9. 9. 37ª Edição FIMV Paços de Brandão 9 “QUO” - CONCERTO IMAGINARIUS Orquestra de Jovens de Santa Maria da Feira Coro do CiRAC Ballet Contemporâneo do Norte Maestro: Paulo Martins Programa: Quo Local: Escadaria da Igreja Matriz de Santa Maria da Feira Data e hora: 23 e 24 de Maio, pelas 24H
  10. 10. 37ª Edição FIMV Paços de Brandão 10 CONCERTO DE LAUREADOS Laureados dos Concursos Folefest, Terras de la Salette Programa: a definir Local: Casa da Portela Data e Hora: 31 de Maio, pelas 21H30
  11. 11. 37ª Edição FIMV Paços de Brandão 11 CONCERTO CORAL IBÉRICO Côro da Universidade da Extremadura (UEX) e Côro do CiRAC Maestros: Francisco Rodilla Léon e Ernesto Coelho Programa: a definir Local: Igreja Matriz de Paços de Brandão Data e hora: 7 de Junho, pelas 21H30 Local: Igreja Matriz de Santa Maria da Feira Data e hora: 8 de Junho, pelas 16H
  12. 12. 37ª Edição FIMV Paços de Brandão 12 Pedro Carneiro e 10ª de Mahler Camerata Nov’Arte Solista: Pedro Carneiro Director Artístico e Musical: Luís Carvalho Programa: Obra para marimba solo e Ensemble – compositor a definir 10ª Sinfonia de Mahler (estreia) – Luís Carvalho Local: Auditório da Academia de Música de Paços de Brandão Data e hora: 10 de Junho, pelas 18H Camerata Nov’Arte é um projecto musical de base no Porto, que, numa perspectiva de salutar troca de experiências, integra desde instrumentistas e cantores de reconhecida carreira no panorama artístico nacional, a jovens freelancers no início do seu percurso, bem como professores do ensino superior e secundário especializado da Música. O ponto unificador é o mérito e o talento, aliados a uma vontade de (re)criar a Arte dos sons em cada concerto. Pretendendo ser uma estrutura leve e flexível, a Camerata Nov’Arte insere-se numa filosofia de formação de geometria variável. Em cada momento e em cada espetáculo assume o efetivo instrumental específico para o projecto que está a desenvolver, sendo no entanto a formação ideal um ensemble onde a maioria dos naipes da
  13. 13. 37ª Edição FIMV Paços de Brandão 13 orquestra está representada, ao mesmo tempo que se aposta igualmente em timbres instrumentais mais frescos e modernos. O objectivo é, por um lado, proporcionar uma maior diversidade tímbrica ao grupo, possibilitando ao mesmo tempo que cada elemento assuma também uma posição solística (e propiciando também assim aos ouvintes uma experiência auditiva mais rica), enquanto por outro se alarga o leque de repertório a abordar, pretendendo-se que este seja vasto, eclético e representativo das mais variadas estéticas, do barroco à contemporaneidade, onde, com inegável sentido de missão, especial atenção será também dada à música portuguesa. Sob a direção artística e musical de Luís Carvalho, seu fundador, o grupo tem desenvolvido programas temáticos diferenciados e inovadores, como os ciclos «Romantismo à lupa» e «Impressionismo à lupa», onde se aborda obras do grande repertório sinfónico em formatos instrumentais mais concentrados (no espírito da Sociedade Privada de Concertos, fundada por Arnold Schoenberg e seus seguidores nos anos 1920’s, em Viena), ou «Classicismo, Neoclassicismo, Revivalismo» e «Barroco/Neo-barroco», onde compositores clássicos são justapostos com outros mais modernos, e nomeadamente portugueses. A Camerata Nov’Arte estreou-se no âmbito do XIX Cistermúsica-2011/Festival Internacional de Música de Alcobaça, e significativamente com a estreia portuguesa da versão de Glen Cortese para 20 instrumentos de uma das mais místicas obras de Gustav Mahler: Das Lied von der Erde. Desde então tem-se apresentado em Portugal e no estrangeiro, sendo de destacar uma aclamada digressão ao Brasil (estado do Espírito Santo) em Julho/2013. Pedro Carneiro Na sua tripla actividade de instrumentista, chefe de orquestra e compositor, Pedro Carneiro tem vindo a cativar Plateias por toda a Europa, EUA, Ásia e Austrália. Estudou piano, violoncelo e trompete, desde os cinco anos de idade. Foi bolseiro da Fundação Gulbenkian no Guildhall School of Music and Drama, onde estudou com David Corkhill (tímpanos e percussão) e Alan Hazeldine (direcção de orquestra), onde terminou a sua licenciatura com a distinção “Head of Department Award”. Como bolseiro do Centro Acanthes (Avignon, França), estudou também com o percussionista Sylvio Gualda e mais tarde, em Londres, com o marimbista Leigh Howard Stevens. Seguiu também os cursos de direcção de orquestra de Emilio Pomàrico, na Accademia Internazionale della Musica em Milão. Aclamado internacionalmente como um dos mais importantes percussionistas da actualidade, Carneiro apresenta-se regularmente como solista convidado de algumas das mais prestigiadas orquestras internacionais: Los Angeles Philharmonic, Seattle Symphony Orchestra, BBC National Orchestra of Wales, Helsinki Philharmonic, Iceland Symphony Orchestra, English Chamber Orchestra, Vienna Chamber Orchestra, Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, Leipzig Radio Symphony Orchestra. Swedish Chamber Orchestra – sob a direcção de maestros como John Storgards, Olari Elts, John Neschling, Christian Lindberg, Gustavo Dudamel, Gerard Schwarz ou Joseph Swensen. Pedro Carneiro tocou, em estreia absoluta, perto de uma centena obras, e trabalha regularmente com prestigiados instrumentistas, orquestras e compositores. No campo da música de câmara colabora com os quartetos Tokyo, Shanghai, Chilingirian, New Zealand e Latinoamericano. Tem vindo a desenvolver, nos últimos anos, uma estreita
  14. 14. 37ª Edição FIMV Paços de Brandão 14 colaboração com o Quarteto Arditti, com quem vem apresentando a estreia de novos quintetos, tendo gravado já vários trabalhos discográficos. Pedro Carneiro grava regularmente para as etiquetas ECM Records, Zig-Zag Territoires e Rattle Records. A sua extensa discografia inclui trabalhos a solo, música de câmara, assim como gravações de obras concertantes. Alguns dos seus trabalhos discográficos foram distinguidos com prémios, em particular a sua monografia de Iannis Xenakis gravada em 2004, considerada pela imprensa internacional como uma gravação de referência. No teatro e cinema, destaca-se a sua colaboração com Jorge Silva Melo, ao compor a música para o ”Rei Édipo” levado à cena no Teatro Nacional D. Maria de Lisboa, em 2010, e para o documentário “Ana Vieira – e o que não é visto”. Apresenta-se regularmente como solista/diretor em diversas orquestras internacionais. É co-fundador, director artístico e maestro titular da Orquestra de Câmara Portuguesa, que dirigiu no Reino Unido (City of London Festival), em 2010. Além da OCP, apresenta-se regularmente como solista/diretor em diversas orquestras nacionais, como a Orquestra Sinfónica Portuguesa, Orquestra do Algarve e Fundação Orquestra Estúdio, e internacionais, como a Orquestra Sinfónica da Estónia, sendo maestro convidado no Round Top Festival, no Texas, EUA. Recebeu a Medalha de Honra da Cidade de Setúbal e o Prémio Gulbenkian Arte 2011
  15. 15. 37ª Edição FIMV Paços de Brandão 15 CONCERTO PEDAGÓGICO “O PEDRO E O LOBO” Orquestra Juvenil da Academia de Música de Paços de Brandão Maestro: Hélder Tavares Narrador: Pedro Neves Programa: “O Pedro e o Lobo” – S. Prokofiev Local: Escola Secundária de Arrifana Data e hora: 11 de Junho, pelas 15H00 Local: Escola Secundária de Santa Maria da Feira Data e hora: 12 de Junho, pelas 15H00 Local: Auditório Academia de Música de Paços de Brandão Data e hora: 13 de Junho, pelas 21H30 Concerto em parceria:
  16. 16. 37ª Edição FIMV Paços de Brandão 16 Orquestra Juvenil da Academia de Música de Paços de Brandão A Orquestra Juvenil da Academia de Música de Paços de Brandão surge na sequência da disciplina de classe de conjunto ministrada no curso básico e secundário do ensino artístico especializado de música. A orquestra surge numa primeira fase apenas como orquestra de cordas, que é a sua essência ainda hoje. Contudo, dada a grande afluência e o número crescente de alunos de sopros, a orquestra pontualmente faz apresentações onde os sopros se juntam a esta formação. Não sendo uma formação de sopros ainda específica, esta é adaptada consoante as necessidades das obras apresentadas e aos projetos nos quais a orquestra participa. Os concertos onde a orquestra, quer apenas em formação de cordas ou com sopros, se apresentou, foram diversos. A participação da orquestra nos “1001 Músicos” e nos “Dias da Música”, no CCB – Centro Cultural de Belém, em diversas edições, foram um marco importante para a história da formação. As apresentações nestas edições, sujeitas a prova de seleção por parte de um júri, foram muito apreciadas e parabenizadas tanto por espectadores como pelos membros do júri que sempre estiveram presentes nos concertos. É de realçar a participação em dois concertos, em parceria com a Companhia da Música, no Europarque – Santa Maria da Feira no espetáculo “Luzes da Ribalta”, onde se apresentou bandas sonoras de filmes que marcam a história do cinema com o grande auditório esgotado em ambas as apresentações. Recentemente, no ano letivo 2011-2012, a orquestra em conjunto com o Coro da Academia de Música de Paços de Brandão prepararam um programa a realizar por altura da Páscoa que foi apresentado em quatro locais (Santa Mara da Feira, Espinho, Paços de Brandão e Mosteirô). Em todos os concertos a orquestra recolheu os mais efusivos aplausos por parte do público que esgotou a capacidade dos espaços da apresentação dos concertos. O trabalho de preparação para a apresentação em público por parte dos alunos não se cinge apenas ao âmbito da orquestra, uma vez que todos os anos se realizam provas internas para se selecionar solistas, proporcionando assim, várias experiências musicais. A orquestra está atualmente a preparar a transição para formação clássica permanente.
  17. 17. 37ª Edição FIMV Paços de Brandão 17 CORDAS NO MUSEU DO PAPEL Programa: Quarteto op. 51, nº2 Johannes Brahms Quarteto em Fá maior, op.92, nº12 “Americano” Antonin Dvořák Local: Museu do Papel Data e hora: 14 de Junho, pelas 21H45 Quarteto Ruggeri O Quarteto Ruggeri é formado na sua maioria por músicos residentes da Casa da Música, solistas da Orquestra Sinfónica do Porto - Casa da Musica, que em 2011 juntaram-se para criar um quarteto de cordas. Da partilha de ideais musicais comuns e sobretudo da vontade de realizar música em conjunto, surgiu este novo projecto. O principal objectivo do Quarteto Ruggeri é elevar esta formação de cordas ao mais alto nível com uma linguagem individual e estilo próprio de expressão, através de concertos e recitais que permitam ao público, escutar ao vivo as obras- primas escritas para esta formação. O Quarteto Ruggeri quer também assumir um compromisso entre a forma mais clássica desta formação e outros estilos musicais, onde seja possível o enquadramento musical de um quarteto de cordas. Após a sua estreia na Casa da Música, o Quarteto Ruggeri, apresentou-se em inúmeros concertos e eventos, a nível nacional e internacional. Recentemente actuou no prestigiado Festival de Música de Câmara do já desaparecido pianista virtuoso Sviatoslav Richter, em Moscovo - Rússia. O Quarteto Ruggeri, apesar da sua forma padrão: dois violinos, viola e violoncelo, conta também com uma extrema flexibilidade no que respeita à possibilidade de alteração da sua formação original, podendo adaptar-se, mediante o repertório, e as necessidades singulares de cada concerto ou evento. Considerando, para o efeito, a possibilidade de se apresentar em quarteto com piano, quarteto e voz, duo, trio, ou outras propostas de formações musicais…
  18. 18. 37ª Edição FIMV Paços de Brandão 18 GRANDE ESPECTÁCULO “Esta Vida é uma Cantiga” Direcção: Nuno Feist Produção: Followspot Local: Grande Auditório do Europarque Data e hora: 15 de Junho, pelas 18H00
  19. 19. 37ª Edição FIMV Paços de Brandão 19 Esta Vida é Uma Cantiga é o verso inicial duma das canções mais célebres de toda a história da Revista - O Dia da Espiga - que começou a ser cantada em 1929 e teve tal sucesso que até hoje não há quem não a conheça. Na verdade de entre todos os condimentos indispensáveis a uma saborosa Revista, talvez nenhum seja mais indispensável do que a música. A Revista nasceu com música e sem música não há Revista que aguente. Cantigas que despertam sentimentos tão de toda a gente como a alegria, a dor, a saudade, o amor, a partida, o gostar de Lisboa, são hoje tão certeiros aos mesmos sentimentos como eram para aqueles do tempo em que foram criadas. Este espectáculo é uma celebração da música do Teatro de Revista, procurando através de cantigas que se foram buscar aos mais de 150 anos que este género teatral teve de vida em Portugal, captar um pouco dos seus temas preferidos como o Fado ou Lisboa, um pouco dos seus sentimentos mais sentidos, e também mostrar como essas cantigas são tão vibrantes na sua versão original como numa apresentação mais depurada ou até envolvidas pelo ritmo típico da Broadway. Interpretação Henrique Feist Vanessa Silva FF Yola Dinis Isabel Noronha Simone de Oliveira Anita Guerreiro Maestro Nuno Feist
  20. 20. 37ª Edição FIMV Paços de Brandão 20 FESTIVAL MÚSICA JUNIOR Orquestras do Festival Música Júnior Participação especial Mário Augusto | Sofia Escobar Programa: Bandas sonoras de Hollywood Local: Grande Auditório | Europarque Data e hora: 3 de Agosto, pelas 18H30
  21. 21. 37ª Edição FIMV Paços de Brandão 21

×